Dimitri Darkson(Nova ficha) - Daniel Campbell - Tzimisce - Sabá

Ir em baixo

Dimitri Darkson(Nova ficha) - Daniel Campbell - Tzimisce - Sabá

Mensagem por joan silvergate em Ter Jun 15, 2010 10:57 am

NOVA FICHA DIMITRI DARKSON

Nome: Dimitri Darkson
Personagem: Daniel Campbell
Clã: Tzimisce
Seita: Sabá
Natureza: Sádico
Comportamento: Autocrata
Geração: 11°
Refugio: Casa no subúrbio
Conceito: “Médico” Geneticista


Experiência:


ATRIBUTOS (7 - 5 - 3)

Físicos
- Força: 1+2
- Destreza: 1+2
- Vigor: 1+1

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação: 1
- Aparência: 1+3

Mentais
- Percepção: 1+2
- Inteligência: 1+3 + 5 Pontos bonus =5 (Criativo) (Analitico)
- Raciocínio: 1+ 2


HABILIDADES (13 - 9 - 5)

Talentos
- Prontidão:3
- Esportes:0
- Briga:3
- Esquiva:1+ 2PB = 2
- Empatia:0
- Expressão:3
- Intimidação:3
- Liderança:0
- Manha:0
- Lábia:0

Perícias
- Empatia c/ Animais:0
- Ofícios: 3+ 2 pontos bônus = 4 (Moldar a Carne)
- Condução:1
- Etiqueta:0
- Armas de Fogo: 0
- Armas Brancas:1
- Performance:0
- Segurança:0
- Furtividade:0
- Sobrevivência:0

Conhecimentos
- Acadêmicos:2
- Computador:
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Lingüística:
- Medicina: 3
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências:3

VANTAGENS

ANTECEDENTES (0)
Geração: 2 Pontos bonus

DISCIPLINAS(4)
Vicissitude 4
Auspicios 7 Pontos Bônus = Auspicios 1


Virtudes (5)
Convicção: +1
Instinto: +1
Coragem: 1+3

TRILHA DA METAMORFOSE: 2

FORÇA DE VONTADE: 4+2 Pontos Bônus = 6

QUALIDADES e DEFEITOS
Velho Companheiro (2) --> Anneke Van Utretch --> Player

Protegido (-3) --> Anneke Van Utretch --> Player
Brisa frígida (-1)
Compulsão (-1) --> Estralar os próprios ossos [Dedos, ombros, cotovelos etc...]
Cabeça Quente (-2)

EQUIPAMENTOS:

Mochila com material para "primeiros socorros & pesquisa."
Celular Sony Ericsson W580i

Prelúdio:

Eu nasci... Quero dizer; A minha parte idiota nasceu há algum tempo... Tive uma família boa, mas as pessoas não me respeitavam muito na escola... Todas as matérias eram chatas, exceto biologia, eu só tirava 10. Principalmente na hora da dissecação. No ensino médio não mudou nada... A escola era uma droga! Mas em compensação eu tinha minha prima Anneke, ela era a melhor pessoa que eu já conheci... Morava na casa ao lado da minha, provavelmente ela foi a única pessoa que já foi boa comigo... Uma pessoa como ela nunca deveria morrer. No entanto, ela tinha alguns Dons, como ouvir vozes e ter sonhos. Ela só contava essas coisas a mim. Tinha medo de acharem que ela era louca, mas eu sabia que era impossível. Ela ficava pensativa muito tempo e nunca me pareceu nem um pouco senil. Eu fui para a faculdade e ela foi mandada a uma escola católica. Depois não tivemos mais noticias um do outro.

O Abraço:

Eu estava saindo da faculdade em uma daquelas noites em que você sente que algo ruim está pra acontecer. Estava passando por um beco escuro quando alguem pulou no meu pescoço. eu só senti uma dor. Primeiro pensei que fosse alguma brincadeira idiota dos playboys do curso de Direito. Mas depois que eu acordei, eu estava dentro de uma vala. - E com fome! Fiquei assustado e gritei:
-Ei! O que é isso?
Ninguem respondia. A vala era muito profunda e não dava pra sair, mesmo que eu quisesse. Estava amarrado. Depois de alguns minutos eu ouvi um barulho como o de algum veiculo pesado. Eles não seriam tão idiotas! Seriam?... Depois disso um trator jogou terra na vala onde eu estava. Pensei que havia morrido. Fiquei MUITO assustado quando notei que não estava respirando. Aquilo tinha que ter uma explicação, mas não era hora nem lugar para avaliar. Depois de quase uma hora cavando meu caminho até a superficie, entrei num estado de fúria que parecia me corroer por dentro. nem parecia que era eu ali. Assim que saí da terra não tive tempo nem de dar um passo e alguém me acertou na cabeça. Depois disso eu acordei com um monte de gente olhando pra um cara esquisitão. Não disse nada pra zelar pela minha vida. Só fiquei olhando, ele pegou um treco feito de prata e cortou a mão dele. Colocou o sangue numa tigela e depois passou pra os outros. Depois começaram a fazer a mesma coisa. Chegava a minha vez... Um cara pegou meu braço, cortou e colocou o sangue na tigela. Na hora parecia estranho, mas o cheiro era tão bom. Então eu bebi.
O mesmo cara deu um sermão sobre ir a luta contra uma tal Camarilla. Depois disso, me explicaram minha nova condição. Eu começava a ver as coisas mais claramente. Então descobri que havia sido parte de um abraço em massa... Tive que ir a luta para provar que merecia viver.
Explicaram pra todos os novatos ou Néofitos, que eles tinham que descer a porrada uns nos outros antes de serem considerados membros do Sabá, e isso me incluia....

A "Prova"

Me entregaram um taco de beisebol daqueles feitos de madeira. Eu me sentia estranhamente feliz em ver toda aquela algazarra... A fúria que todos sentiam parecia aquecer aquela noite. Então o mesmo homem que derramou seu sangue anteriormente mandou iniciarem as lutas.
Eu tinha que sobreviver, e gostaria de saber como é ter a vida dos outros nas mãos. Começava a matança:
Um outro neófito tentava me acertar com uma barra de ferro, enquanto eu desviava consegui acertar uma tacada na cabeça dele que partiu o taco ao meio. Esse já era, entao veio uma maluca que quis me derrubar só no braço. Essa deu muito trabalho. Eu fiquei me defendendo com o taco de beisebol até que tive uma idéia. Será que a madeira funcionaria mesmo contra um vampiro? Então eu a agarrei e joguei ao chão. Levantei o taco e com a ponta afiada que havia sobrado dele, estaquiei o coração dela. Ela parou, talvez tivesse morrido de verdade. Depois disso já era quase hora do nascer do sol... Havia cessado toda a briga, o homem que nos alimentou e que era o bispo do sabá mandou todos os sobreviventes pararem e disse que agora eramos todos parte do seu bando. Depois disso ele nos ensinou algumas "coisinhas" e aqui estou.

Revelações e mais Revelações:

Eu esqueci de dizer algumas coisas. A minha prima, claro! Ela ainda está viva e eu a protejo, Ela sabe que eu esto vivo. Eu visito ela com certa frequência. Só não sabe do meu atual estado... Mas um dia pretendo dividir com ela a benção que é ser um membro do sabá. Por quê diabos todos pensam que no sabá so existem monstros? Onde mesmo eu estava? Lembrei! Eu me revelei a ela quando estava passando pela sua casa. Subi pela janela de seu quarto e visitei-a.
Anneke parecia muito surpresa. Então eu tentei acalmá-la:
-Você não havia morrido?
Ela perguntava com os olhos cheios de lágrimas. E eu prontamente a respondia que não, e então inventei uma história sobre ter fugido para conhecer o mundo. E realmente conheci, mas não do jeito que eu queria.
Eu tentei acalmá-la e lhe dei um abraço. Ela ficou arrepiada e reclamou do frio mármore que era minha pele. Eu disse que era somente friagem da noite. Então passamos o resto da noite conversando, mas não tive coragem de revelar minha verdadeira natureza a ela... Hoje em dia ela é minha protegida, sinto que tem um mal perto dela. - E não sou eu, obrigado. Ela me falou sobre sua ida ao convento e coisas do tipo, ainda bem que os surtos psíquicos já não são tão graves. Temo que a sua mente mesmo sendo forte não aguentaria uma noticia como essa, afinal não é todo dia que se descobre que vampiros existem e que um deles é seu parente. Também temo que sua mente seja frágil demais e não aguente o impacto disso tudo. Tenho que confessar que fiquei surpreso por ela não ter ficado assustada nem desconfiada de uma história tão furada. Eu pretendo dar a benção da imortalidade a ela. Não agora, mas um dia...

OBS: Anekke, a prima tem ficha própria e já que ela é uma player eu decidi não detalhá-la muito, mas se for preciso: ^^
avatar
joan silvergate

Data de inscrição : 08/03/2010
Localização : Nova Iorque

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum