Yano K.(Lúcio Ramus) - Yano - Tremere

Ir em baixo

Yano K.(Lúcio Ramus) - Yano - Tremere

Mensagem por joan silvergate em Seg Maio 31, 2010 10:57 pm

Nome: Lúcio Ramus
Personagem: Yano
Clã:Tremere
Seita: Camarila
Natureza: REBELDE
Comportamento: GOZADOR
Geração:8ª
Refugio: Apartamento
Conceito:Estudante

Experiência:


ATRIBUTOS (7-5-3)

Físicos
- Força: 2 (1+1)
- Destreza:2 (1 +1)
- Vigor:2 (1+1)

Sociais
- Carisma: 2 (1+1)
- Manipulação:3 (2+1)
- Aparência:3 (2+1)

Mentais
- Percepção:4 (3+1)(cuidadoso)
- Inteligência: 3(2+1)
- Raciocínio: 3(2+1)


HABILIDADES (13-9-5)

Talentos
- Prontidão:2
- Esportes:
- Briga:
- Esquiva:3
- Empatia: 2
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 2
- Manha:
- Lábia: 1

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:3
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:
- Sobrevivência:

Conhecimentos
- Acadêmicos:3
- Computador:1
- Finanças:1
- Investigação:
- Direito:
- Lingüística:1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo:3
- Política:
- Ciências:


VANTAGENS
Antecedentes (5)

Geração:5
Aliado: 1 (P.B) [Hermione]
Recursos: 4 (P.B)
status: 1(P.b) [por ser prole de Minerva, ja que a mesma tinha importancia na seita]
---------------


Disciplinas (3)

Linha do Sangue 3 + 1 (P.B)
Dominação
Auspicios



-------------

Virtudes (7)
- Consciência / Convicção: 2+1=3

- Autocontrole / Instinto: 1+1=2

- Coragem: 4+1=5



HUMANIDADE / TRILHA: 5

FORÇA DE VONTADE: 5 + 5 (P.B)

PONTOS DE SANGUE: 15


QUALIDADES - DEFEITOS



Ambidestro: (1 ponto de Qualidade)
Concentração: (1 ponto de Qualidade)
Biblioteca de Ocultismo; (2 pontos de Qualidade)
CABEÇA QUENTE (DEFEITO: 2 PONTOS)
EXCLUSÃO DE PRESA (DFFEITO: l PONTO)[bebes]
FOBIA (DEFEITO: 2 PONTOS)[aranhas]
Inimizade de clã(DEFEITO 2 pontos)[tzimisce]


Prelúdio:

Suíça, Yano aos 10 anos.

-Papai, não quero ficar aqui, vou sentir saudades de você, da mamãe e da mione.
- Yano é pro seu próprio bem, aqui você vai estudar bastante, ser o melhor. E nós viremos lhe visitar sempre. Não precisa ter medo.
- Ta bom, eu quero deixar você, e mamãe a mione orgulhosos de mim.
-Você já nos deixa muito orgulhosos, mas se esforce bastante pra nos deixa ainda mais.
-Ta bom.
............................................................................................................................................

Em seu dormitório, Yano mandando um e-mail para irmã


Mione passou-se um ano, desde que eu vim estudar na suíça. Não tenho do que reclamar, meu colégio é legal, fiz alguns amigos aqui, me tornei o melhor aluno da sala, possuo as melhores notas, já li a maioria dos livros da biblioteca, acho que to ficando igual a você, não sei se isso é bom. (risos). Além do mais, a partir da semana que vem, vamos começar com aulas de esgrima. Tá, eu também não entendo muito bem o porquê de eu precisar disso, mas vamos ver no que vai dar. (risos).
Sinto tanta falta de vocês, queria ir visitá-los logo, mas vou ter que estudar o verão inteiro, quero adiantar meus estudos, para no final do ano poder estar livre pro natal. Manda um grande beijo pra mãe e pro pai, AMO VOCÊS.
PS: Espero que tenha gostado do meu presente. Te amo!


.........................................................................................................

Três semanas depois.

Mione, eu não estou bem, hoje teve atividades de artes, e cada um teria de trazer um bichinho de estimação, e um garoto levou uma Tarântula, eu entrei em choque, pensei que tinha superado esse medo, mas acho que minha fobia, nunca vai desaparecer, ainda lembro-me da sensação daquele bicho em cima de mim, do meu completo desespero, até hoje ainda fico sem reação ao pensar naquele dia. Como se não bastasse isso, estou sendo um completo desastre na esgrima, o professor esta me pressionando de mais, tem horas que eu tenho vontade de largar tudo isso. Acho que estou sobrecarregado, vou sair um pouco, respirar e organizar as idéias. Queria você aqui, sinto falta dos seus conselhos. Mas não se preocupe, você me conhece, sabe que não desisto por nada, vou mostrar pra aquele professorzinho, como se manuseia uma espada. (RISOS). Afinal, eu sou um
Kensington. Vou indo, depois conversamos melhor. Te amo.




............................................................................................................

Dois meses depois



Mione, como eu te disse, não precisava se preocupar. Demorei mas finalmente aprendi de vez a esgrima, não que eu vá precisar saber algo como isso, mas gostei de aprender, pelo desafio. O professor falou que eu despertei um esgrimista nato. (risos). Bom fazer o que né? Um Kensington sempre consegue o que quer, demore o quanto demorar.
Ta tudo sendo produtivo aqui, to terminando uns trabalhos, e adiantando o máximo que posso aqui para poder visitar vocês.

AMO MUITO VOCÊS.



.............................................................................................................................

Yano aos 12 anos. (Um ano depois)

O dia começara normal, como qualquer outro, eu estava animado, já programara o dia inteiro. Iria ao centro, após a aula, comprar o presente da mione, que por sinal era algum livro como sempre. Depois voltaria ao colégio, mandaria um e-mail, e depois viria à parte mais tediosa, voltaria a estudar. Não que eu não goste de estudar, pelo contrário, já lera quase todos os livros da biblioteca do colégio, e pegara vários da biblioteca da cidade. Culpa da mione que sempre me encorajou a ler. Mesmo que eu não gostasse de mostrar tão abertamente, eu sempre me espelhei nela. Mas é que eu tenho vontade de me divertir mais, fazer loucuras. Mas a razão controla toda essa vontade de aventura. Eu precisava estudar bastante, nunca fui do tipo que se contenta com o bom, eu gosto do melhor.
Bom, o dia corria normal, comprei o presente de minha irmã como planejava, mas fiquei realmente confuso ao vê-la no meu dormitório, sua expressão era de dor, seus olhos estavam vermelhos, ela estava abatida, apesar de sempre ser elogiada por ser bela, estava horrível naquele dia.
Enquanto ela me contara o que acontecera, lágrimas caíam de seu rosto, não sabia o que dizer o que fazer, enquanto ela falava, imagens vinham a minha mente, tentando me mostrar com, mas clareza, o que as palavras de Hermione queriam de fato dizer, eu estava em estado de choque, só conseguia chorar enquanto as imagens cortavam-me por inteiro, e de repente tudo foi ficando escuro.
Quando acordei estava na enfermaria, Hermione estava ao meu lado perguntando se eu estava bem, respondi que sim, tentando parecer tão convincente quanto alguém que acaba de descobrir que seus pais foram assassinados.
Ela me levou ao enterro, tentei não parecer tão frágil como me sentia, não queria deixá-la preocupada, ela também estava abalada, precisava tomar conta apenas de sua dor.
Voltei à suíça, e nada foi como antes. Odiava o jeito como as pessoas me olhavam, sentindo pena de mim ou querendo me consolar, passei a evitar as pessoas, falar apenas o necessário acabei me tornando uma pessoa agressiva, Hermione teve que conversar algumas vezes com o diretor sobre brigas que acabei tendo com alguns meninos estúpidos. Dediquei-me mais aos estudos, visitava às vezes Hermione, mas passara muito tempo sem vê-la. Cada um precisava de um bom tempo pra ter sua ferida curada, ou apenas se acostumar com a mesma.
Mais anos se passaram um em especial, fui apresentado por Hermione a Minerva. Não consigo por mais que eu tente descrever perfeitamente Minerva, sua beleza não pode ser calculada, mas o fato é que se fosse apenas isso, tudo bem, mas ela era altamente interessante, parecia que sempre sabia o que fazer ou falar, seu olhar enigmático, seduzia e ao mesmo tempo advertia. Era indecifrável, passamos noites inteiras conversando os três sobre assuntos de interesse geral. Eu realmente fiquei fascinado por ela, apesar da aparência jovem, ela possuía uma postura de alguém muito, mas experiente, e quando ela me olhava, às vezes parecia que ela podia e ler por inteiro, como fazia com livros. Ela e Hermione me apresentaram vários livros, sobre ocultismo, Minerva tinha um vasto conhecimento sobre o assunto, e Hermione também já possuía muita informação, comecei a ler os livros que elas me indicaram, e em pouco tempo já sabia, mas do que o necessário e já acompanhava o nível que elas impunham a mim. Lógico que não havia motivo algum pra eu me aprofundar neste tema, até porque não havia utilidade para mim, mas eu quis me aprofundar mesmo assim, só pelo fato de ter mais e mais conhecimento.
Eu não aparentava ler muito, com o decorrer dos meus 17 anos, saia bastante, me divertia muito, e não demonstrava tanto interesse pelos livros, mas lia todos os que eu podia, só por habito. Gostava de ficar com mais informações, e odiava não saber nada sobre determinado assunto, então li de tudo um pouco.

No meu aniversario de 18 anos estava visitando Hermione, como eu era o melhor da turma, não tive problemas de fazer todas as provas pra estar livre no mês de outubro.
Hermione estava diferente, não conseguia dizer o que era especificamente, ela estava muito parecida com Minerva, algo nas duas era igual, eu só não sabia o que ainda. Pouco antes das 22:00h, do dia 8 de outubro, estávamos eu Minerva e Hermione festejando meu aniversário, ou pelo menos tentando, digamos que nenhum dos três sabia lidar muito com assuntos afetivos, ficamos juntos, conversando e trocando informações, pra mim isso bastava.
Foi quando Hermione me contou sobre ela e Minerva, sobre tudo o que se passara, e me fez a proposta da imortalidade, aceitei de primeira, sem nem pensar duas vezes, uma parte de mim, achava aquilo tudo ridículo, tudo mentira, mas a outra sentia o medo de saber a verdade. Mas pior do que minha vida estava não ficaria. E o ódio dos tais Tzimisces que mataram meus pais corriam minhas veias, fazendo com que eu ignorasse todo o medo e o instinto de sair correndo por sobrevivência.
Foi quando Minerva veio ao meu encontro, seus olhos agora transmitiam todo o perigo que ela escondera. Ainda lembro-me da dor aguda de sua mordida, e da sensação de meu sangue sendo sugado, e depois tudo escureceu, quando despertei para minha nova “vida”, fiz meu juramento completo. Minerva deu um sorriso satisfeito. Estava feito, agora eu era igual a ela e a Hermione.
Minerva e Hermione me treinaram, e me ensinaram muito, devorei vários livros, fiquei por dentro do assunto, nunca deixava de estudar, até porque estava sendo cobrado por Minerva e por Hermione em tempo integral, e gostava disso, limites foram feitos, pra serem quebrados. E a cada noite, enquanto minha fome existencial era saciada, minha fome de conhecimento, só aumentava. Até que Minerva apenas sumiu, sem dizer nada, sem dar pistas, e voltamos a ser só eu e Hermione no mundo de novo.
Mudei-me para casa de Hermione, já que passara, mas tempo lá que na suíça. Ela estava me ajudando sempre nos estudos, apesar de um sempre ser sarcástico com o outro, coisas de irmãos.

Nas minhas horas vagas, costumava sair, me divertir, ir a festas, bares. Uma noite testemunhe uma cena nova e nojenta, vi uma criatura, com a qual não é digna de ser citada, ela em seu desespero, estava a tirar a vida de um bebê. Não que eu me importe com isso, não ligo pra vida humana de modo geral. Mas acho ridículo e tediante coisas fáceis e rápidas. Minha vaidade exige que eu cace apenas pessoas que chamem minha atenção, pessoas com o mínino de experiência, nas quais, enquanto eu estiver a apreciá-la eu possa ver retículos de suas lembranças, sonhos e aventuras até que seu corpo não reaja mais, e em seus olhos não restar nada. Nunca faria isso com bebê, pela facilidade do ato.

De todo modo agora terei que me apressar, creio que algo novo está por vir, e a noite será do jeito que eu gosto. Longa, e perigosamente emocionante.
avatar
joan silvergate

Data de inscrição : 08/03/2010
Localização : Nova Iorque

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum