Boate Freedom

Página 3 de 15 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 9 ... 15  Seguinte

Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Edgard em Ter Nov 23, 2010 3:00 pm

Enquanto as horas se passavam, Edgard Bartolinni seguia em direção à boate em que ouviu muitos cainitas falarem. Essa seria uma boa oportunidade para Edgard interagir com novos membros e ficar por dentro do que acontece na sociedade vampirica local.
Ele vestia-se com um estilo moderno, tênis , calça jeans e uma camisa polo. Poderia passar despercebido por alguém distraído.
À medida que ia se aproximando da entrada, Edgard olhava para as pessoas para ver os Membros entre os mortais. Ele paga a entrada com o pouco dinheiro que carrega consigo. Ficando sempre alerta, Edgard procura se aproximar de algum Cainita sem ser notado (ofuscação 2) e ouvi a conversa do mesmo.
avatar
Edgard

Data de inscrição : 17/09/2010
Idade : 27
Localização : João Pessoa, PB

http://www.facebook.com/junior.miranda.90475?ref=tn_tnmn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Red em Qua Nov 24, 2010 3:42 pm

Annelise Van Dijk (Requiem) & Kyle Raymond

“Eu poderia gravar mensagem ecológica, mas baleia não compra disco, bicho.”

Haviam entrado no palco, tinha um metro de altura a mais do que o restante do bloco, justamente para todos conseguirem vê-los, mesmo estando sentados. Após conversa e demonstrações de talento ouvem:

- Bom, vocês não tem uma banda pra acompanhar, e estamos sem ninguém, então tocarão no Elite mesmo. Não que queira assustá-los, mas o pessoal daqui tem um pouco a mais de senso crítico do que os punks e bêbados da outra parte, então não se intimidem por pouca coisa.

Era o conselho de um dos homens que havia liberado o acesso para eles pegarem os instrumentos e começassem, quando estes estivessem prontos.

Dali de cima, podiam ver as pessoas conversando e poucas prestando atenção neles. Mas o espírito da jovem águia, apenas atiça, quando vê a caça despreocupada.

Amplificadores estavam ligados, microfones ativos, plugs conectados e a música ambiente estava diminuindo, para dar espaço aos dois jovens que ali tinham a meta de tornarem aquela simples noite, em uma noite mais alegre.



Bad Boy

- Heieiei, mas que bicho te mordeu, estourado dessa forma sua viagem de ida pode estar com os dias contados por ai ‘amigo’. Foi você que começou a conversa..

Falou voltando até onde estava estirado antes, e pegou uma garrafa de plástico, com um líquido transparente, virando goela a baixo dois goles admiráveis.

- Haaah, que frio tava fazendo.

Badboy ouve, sentindo um aroma de álcool entrando em suas narinas, junto com o fedor, que precisaria mais do que um dia junto para começar a se acostumar.

O mendigo bebia mais alguns goles e parecia um pouco afetado, falando com a língua um pouco grossa já.

- Não quer falar, ocê não precisa falar, puxa, a gente tenta fazer uma amizade bacana, e recebe isso em troca, patada e carranca, pior quase que minha mulher no fim do mês, tirando que ela fudia meu cartão também, aquela vaca. Falou cuspindo no chão.

O mendigo se afastava dali, indo no sentido das portas principais da boate, mas pelo lado oposto da rua, logo que começa a andar, fingi um mal na perna e parte mancando.



Jasmine Jordan

Ao ouvir tudo que discorria a gangrel, prestou atenção, até que fez um sinal para que ela esperasse, antes de dar prosseguimento.

- Certo.. 7648765.. ok..
...
- Oi, procura por Janet, trabalha pra..
- Isso, ok.


Encerrou a ligação, retraindo a antena que o celular possuía e guardou-o novamente no bolso.
Aguardou ela terminar, e então disse.

- Muito bem, tudo certo. Falou sorrindo para ela. - Odiaria ter que matar, mesmo se fosse um mentiroso, esse ‘ape’ é novo, e não tem cheiros desagradáveis, gostaria de mantê-lo assim.

Sentou num banquinho que estava ali sobrando.

- Como sabe, a Camarilla mantém um sistema muito pesado de segurança, tanto nas entradas da cidade, impedindo invasões, como no interior dela, e nos meios de comunicação. Nova York agora tem mais olhos por m² do que a boate lá dentro tem de pessoas.

- Se eu trabalho sozinho.. poderíamos dizer que normalmente ando desse jeito, mas sem suporte estaria fadado ao fracasso. Olhou agora com mais foco em direção a mulher.
- Não estou dizendo que é fácil achar bons homens dentro do nosso círculo de ‘estourados’, mas afirmo que há muitos com bom senso nesta cidade que ainda não se mostraram.

Levantou e caminhou até uma das paredes, levantando uma pequena portinhola de madeira, dando acesso de visão a pequena janela que havia ali. Olhou por alguns segundos antes de retornar ao banco.

- Bom que você tenha mais um comparsa nisso tudo. Mas acho que precisarás de mais força do que isso. Posso ficar de olho por aqui, e lhe avisar quando alguém qualificado se mostrar..



Aradia Alarcão

Em frente de um prédio, existe uma fila. E dizem que está fila nunca termina enquanto houver noite.

Aradia, dentro de seu carro, via o povo em frente a boate, conversando, bebendo, ou apenas esperando sua hora de entrada. Havia pessoas de todos os estilos, desde tatuados, com piercing em várias partes do corpo, como engomadinhos dentro de ternos, com seus cabelos a moda Clark Kent, indo até pessoas que pareciam ter vestido a cortina de casa. Ali era a miscigenação de raças e credos, sangue pulsante em várias formas de vista.

Do outro lado da rua transitavam um número pequeno de pessoas, um sem-teto, e uma pessoa fantasiada de galinha.




Edgard Bartolinni

O estilo quase clássico de hoje em dia quanto as vestimentas, não destoava Edgard do restante do público. Assim como tantos outros, ele era apenas mais um em meio a agitação. Perfeito para quem gostaria de se manter despercebido. Mesmo antes de entrar na Boate, conseguia ouvir os sons que tocavam dentro de lá. Chegou ao segurança da revista e alguns segundos, este dando uma piscada, deixou o jovem entrar. Ao alcançar o interior do prédio, o som apenas aumentava.

Muitas pessoas passavam por ali, e conforme ele entrava mais na boate, a sensação de aglomeração só aumentava. Era difícil perceber muitos detalhes, pois luzes iam e vinham em um lusco-fusco sem fim. Tantos estilos, tantas roupas, tantas cores. Tentou primeiramente achar um membro pela cor alva de sua pele. Andou até um canto onde uma mulher estava conversando com um homem alto, não haviam muitas pessoas que passassem por ali, seria um bom lugar para se esconder e talvez conseguir ouvir. Mas haveria a dificuldade das luzes de vez em quando iluminando aquele local, juntamente com quem ninguém mais o visse desaparecer.

OFF: Caso queira fazer a ofuscação para realmente não ser notado, Edgard deverá rolar: Raciocínio ( 2 )+ Furtividade ( 3 ) = 5 dados. Dificuldade: 7.
No link: http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/rolagens-de-dados-f43/boate-freedom-t860.htm#19647
avatar
Red

Data de inscrição : 12/03/2010
Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Bad em Qua Nov 24, 2010 4:24 pm

Badboy estava curioso agora, então encosta no carro e esperar para ver o q o mendingo ia fazer, encosta no carro e esperar.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 26
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Songette em Qua Nov 24, 2010 5:47 pm

Requiem não se importa muito com os possíveis insultos. Sua auto-estima é baixa o suficiente, de maneira que está acostumada a esse tipo de coisa. Ela pluga o baixo no amplificador e ajusta o microfone à sua altura.

- Quando quiser, Senhor Raymond. *ela diz ao jovem toreador*

avatar
Songette

Data de inscrição : 07/03/2010
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

http://www.nborges.weebly.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por No One em Sex Nov 26, 2010 1:37 am

Após entrar no palco junto da sua nova amiga, um dos homens que havia liberado o acesso para eles, se pronunciou.

- Bom, vocês não tem uma banda pra acompanhar, e estamos sem ninguém, então tocarão no Elite mesmo. Não que queira assustá-los, mas o pessoal daqui tem um pouco a mais de senso crítico do que os punks e bêbados da outra parte, então não se intimidem por pouca coisa.

Kyle apenas sorri para o homem. Sabia que tinha talento suficiente para se apresentar ali e não era um qualquer que o faria temer o público.

Ele olhava para as pessoas no ambiente e percebia o quanto elas não prestavam atenção. Mas isso não seria problema, uma boa música e uma bela voz mudariam a situação.

Não temos uma banda para nos auxiliar. Então terá que ser uma versão acústica. - Pensou Kyle.

Ele pegou um violão e conectou em um dos amplificadores, pegou algum banco que estava por perto e sentou-se enquanto ajustava o microfone a sua altura. Sua amiga logo se pronunciou.

- Quando quiser, Senhor Raymond.

Kyle sorriu gentilmente para Requiem, depois voltou sua atenção para o público.

-Boa noite a todos. Eu me chamo Kyle Raymond e essa é minha amiga Requiem. - Ele faz uma pausa olhando para Requiem para que todos percebam de quem ele está falando - Como já devem ter percebido, tocaremos aqui esta noite. Então eu peço a atenção de todos vocês e espero que gostem do nosso pequeno show. - Falava Kyle na esperança de conseguir mais atenção do público.

Ajustava seu violão na posição certa e começava a tocar "Broken" da banda Seether.

I wanted you to know I love the way you laugh
I wanna hold you high and steal your pain away
I keep your photograph; I know it serves me well
I wanna hold you high and steal your pain

‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away

You´ve gone away

You don´t feel me here, anymore


A voz grave e suave era escutada por todos no ambiente. A sensação maravilhosa de cantar fluia pelo corpo de Kyle. A voz era graciosa e combinava perfeitamente com a melodia. Kyle então dava espaço para Requiem continuar a canção.

Sistema: Performance+Carisma. (Lembrando da qualidade Existência Abençoada e Sorte. Usarei a Sorte para repetir o teste caso ele falhe)


[OFF: Narradora, como a canção é um dueto, em alguns momentos os personagens farão uma pausa para o outro cantar. Porém acho mais adequado fazer um único teste para cada jogador, pois fazer um teste para cada parte da música seria cansativo. Mas você quem decide.]
avatar
No One

Data de inscrição : 18/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Kyrie em Sex Nov 26, 2010 10:09 am

[OFF: Perdão pela demora =/]

O lugar era bastante agradável e de aparência elitista. As poucas mesas vazias e a reservada apontavam um local adequado para passar suas noites. Contudo, estava ali hoje para colher informações. Já estava na cidade havia um tempo e ainda não tivera contato com seus "parentes". Se demorasse muito mais para apresentar-se poderia ser punida.
Um homem aproximou-se dela e ela o fitou com olhos curiosos. Sempre disposta a conhecer novas pessoas, sorriu para o provável estrangeiro e apontou para o lugar vago ao seu lado:
- Claro, sente-se.
Cruzou as pernas e levou o martini aos lábios, bebericando com classe. Colocou a taça no balcão e repousou as mãos sobre as pernas, virando-se para o homem.
avatar
Kyrie

Data de inscrição : 02/04/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Edgard em Sex Nov 26, 2010 12:51 pm

Edgard usa ofuscação,

*** Independentemente do resultado***
Ele fica próximo a mulher ouvindo discretamente a conversa entre eles...


avatar
Edgard

Data de inscrição : 17/09/2010
Idade : 27
Localização : João Pessoa, PB

http://www.facebook.com/junior.miranda.90475?ref=tn_tnmn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Cain em Sex Nov 26, 2010 12:51 pm

O membro 'Edgard Bartolinni' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados

'D10' :

Resultado :
avatar
Cain

Data de inscrição : 06/03/2010

http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Gam em Sex Nov 26, 2010 3:29 pm

-Boa noite a todos. Eu me chamo Kyle Raymond e essa é minha amiga Requiem.

Gam acabou de sair de uma visita noturna à padaria e estava voltando ao seu hotel com uma sacola de pão debaixo do braço quando um detalhe lhe chama a atenção:

uma pessoa fantasiada de galinha.

Ok, dois detalhes:

... e essa é minha amiga Requiem.

Ele para. A sua frente, nota a fila enorme da boate. Ele já conhece a Freedom, já esteve aqui. Aliás, foi ele quem recomendou que sua amiga tocasse neste local. Mas Gam não esperava que ela fosse tão rápida.

Por sorte, ela vai tocar na Elite, cujo acesso se dá pela entrada principal. Sendo assim, da calçada ele é capaz de ouvir a música.

Gam encosta na parede com as mãos no bolso para ouvir.
Ele já perdeu a conta de quantas vezes ouviu essa garota tocar, mas agora vai ser uma daquelas vezes diferentes. Ele reconhece o começo dessa música, provavelmente será um dueto.
Requiem não costuma cantar. Será uma ocasião especial? Será que seu companheiro de palco simplesmente não sabe disso?
Em todo o caso, agora a música já começou. Ela deve acompanhar com o vocal.
E isso esse humilde barman não vai perder por nada.

_________________
... só pode ser os nóia!
avatar
Gam

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 25
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Shirou em Sex Nov 26, 2010 7:35 pm

Saindo da Capela
Entrando na boate


Camuel sai da Capela após alguns momentos de leitura, mais a sua mente estava muito agitada para se manter ali naquele lugar calmo, ele agora sai em busca de algo um pouco mais agitado e onde lhe fosse possivel encontrar uma boa refeição, ele caminhava pelas ruas de NY, até chegar a Boate Freedom, logo a sua entrada lhe chamava ha atenção e ele se recordava que já havia ouvido alguns dos membros da Capela dizendo que lá era uma boate onde os cainitas da cidade freguentavam, independente de sua seita eram bem vindos desde que seguissem as regras do lugar, a curiosidade lhe chamava para entrar por um instante ele exitava mais a sua cede por conhecimento mesmo que não fosse um conhecimento literario ou de sua linha Taumaturgica, era maior e por fim ele se decidia a entrar e caminhava até encontrar algum funcionario que pudesse lhe ajudar a não ir para o lugar errado da Boate e a saber as regras do lugar [percepção + prontidão] camuel olhava com atenção afim de encontrar algum funcionario dali
avatar
Shirou

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Songette em Sex Nov 26, 2010 9:29 pm

A malkaviana cumprimenta a platéia com um leve aceno de cabeça. Alguém chamá-la de amiga não é algo muito usual, e lhe provoca uma mistura de sensações de agrado e estranheza.

Requiem deixa a música fluir por seus ouvidos, e dedilha as cordas do baixo numa suave melodia que acompanha perfeitamente o ritmo da música. Ela aproxima um pouco a boca do microfone, e quando é a deixa da voz feminina, sua bela voz se deixa soar pelo ambiente da elite.


‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away

The worst is over now and we can breathe again
I wanna hold you high, you steal my pain away
There's so much left to learn, and no one left to fight
I wanna hold you high and steal your pain

‘Cause I'm broken when I'm open
And I don't feel like I am strong enough
‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away

Realmente, ela pensava, a música se assemelhava a ela mesma, uma pessoa completamente despedaçada.

(Teste de Carisma + Performance)
avatar
Songette

Data de inscrição : 07/03/2010
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

http://www.nborges.weebly.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por No One em Sab Nov 27, 2010 3:23 pm

Após Requiem cantar a sua parte individual da música, Kyle cantava juntamente o refrão.

‘Cause I'm broken when I'm open
And I don't feel like I am strong enough
‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away


Após esse refrão, ele apenas tocou o violão por um certo tempo, acompanhando o ritmo da música. E depois começou novamente, esperando que Requiem também o acompanhasse.

‘Cause I'm broken when I'm open
And I don't feel like I am strong enough
‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away

‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone


E então chegava o final da música e ele cantava individualmente.

You´ve gone away

You don´t feel me here, anymore


E por fim o som do violão encerrava a música. Agora ele olhava atentamente para platéia.
avatar
No One

Data de inscrição : 18/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Nemesis_EX em Sab Nov 27, 2010 4:26 pm

- Muito bem, tudo certo. Falou sorrindo para ela. - Odiaria ter que matar, mesmo se fosse um mentiroso, esse ‘ape’ é novo, e não tem cheiros desagradáveis, gostaria de mantê-lo assim.

*J.J não mostrava ser do tipo muito comica então apenas ficava silencio ouvindo o comentario daquele Vampiro...*

- Como sabe, a Camarilla mantém um sistema muito pesado de segurança, tanto nas entradas da cidade, impedindo invasões, como no interior dela, e nos meios de comunicação. Nova York agora tem mais olhos por m² do que a boate lá dentro tem de pessoas.

--Isso é um fato mais tambem enormes fraquezas... como uma hidra ela tem tantas cabeças que não consegue coordenar um ataque eficiente pois as proprias cabeças tentam se destruir... com o movimento certo eles mesmo podem se destruir...

*J.J se mostrava ser bem centradas em seus comentarios onde volta escultar seu "Aliado"...*


- Se eu trabalho sozinho.. poderíamos dizer que normalmente ando desse jeito, mas sem suporte estaria fadado ao fracasso. Olhou agora com mais foco em direção a mulher.
- Não estou dizendo que é fácil achar bons homens dentro do nosso círculo de ‘estourados’, mas afirmo que há muitos com bom senso nesta cidade que ainda não se mostraram.

--Não posso dizer isso com certeza não tem muitos homens que tenha visto com atitude... pra falar a verdade vc é o primeiro que vejo da nossa Seita... o que coloca uma grande questão... quantos estão pela cidade já identificados por vc??? temos um quantitativo aceitavel??? pois precisamos recrutar o maximo de soldados ou adotar a pratica de criação de buchas de canhão...

*J.J sabia que a Camarilla adorava essa manobra... criar varios infantes para iniciar a aniquilação de uma cidade da CAM...*

--Mas acredito que se fizermos isso poderia atrair uma atenção que não podemos ter de forma alguma...


- Bom que você tenha mais um comparsa nisso tudo. Mas acho que precisarás de mais força do que isso. Posso ficar de olho por aqui, e lhe avisar quando alguém qualificado se mostrar..

--...Agradeço a oferta e acredite não vou dispensa-la... acho que trabalhando juntos podemos ter mais chance de sucesso do que separados... estou no meio de vampiros muito ordinarios e alguem sempre revela alguma coisa para nós... e passar nome de possiveis desertores da CAM gente que pode ser usada e depois morta...o que me diz???

*J.J se aproximava do vampiro com um olhar frio e sedutor...*

--Acho que deviamos terminar o que começamos na boate... ou vc não curti brincar com um vampira...

*J.J se aproximava cada vez mais do vampiro no intuito de mexer com libido do mesmo... afinal ainda queria brincar com o mesmo antes...*
avatar
Nemesis_EX

Data de inscrição : 15/03/2010
Idade : 34
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Aradia em Seg Nov 29, 2010 12:28 pm

ARADIA já estava impaciente com a demora de sua aliada, suas mãos impcientes sobre seu colo demonstravam seu nervosismo pela demora DE Anne..Do outro lado da rua uma galinha chamou a atenção de Aradia..

-Só um minuto. Disse a James saindo do carro e atravessando a rua.

A criatura com a fantasia conseguiu chamar a atenção e também deu uma idéia para o plano b da Aradia..


-Quer ajuda pra se vestir? Que indelicadeza a minha! Me chamo Aradia Alarcão Aradia sorria simpaticamente-E Na verdade cheguei até você porque quero comprar sua fantasia..quanto você quer? [aradia usa fascínio para facilitar a compra]


De cabeça baixa ela começa a procurar o dinheiro na bolsinha..

Off: quando Anne chegar favor avisar..

_________________
"A tortura quebra a matéria e atingi o aspecto imaterial do ser.
É a única forma de tocar o que ainda não compreendo."
avatar
Aradia

Data de inscrição : 27/04/2010
Idade : 27
Localização : Uberlândia - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por joan silvergate em Ter Nov 30, 2010 9:23 pm

Mais uma noite...sapato salto alto, jeans negro, regata branca e uma bela jaqueta de couro tão brilhante quanto a lua que iluminava aquele céu de NY... Joan agora está sentada em uma bela cadeira aveludada, fazendo uma ligação... no criado mudo,inumeras notas de 100 dolares e de 50...

-Meg? Deixa esse trabalho um minuto e me encontra lá na Boate Freedon? Estou querendo conhecer esse lugar, qualquer coisa a gente conversa, se eu chegar antes, pode procurar pelo meu nome, não se preocupe... ah, vou chamar uma nova amiga minha também, uma...mortal, heim... esse "qualquer coisa", era referente a um eventual prejuiço que a harpia podia ter por se afastar de seu trabalho, nada que Joan não pudesse revolver... a bela Ventrue desliga e faz uma nova ligação...

- Nikki? Sou eu... lembra do nosso happy hour? então, me encontra lá na Boate Freedon... sabe se lá tem alguma área V.I.P.? Então, eu estarei lá, haha. Pode daí perguntar pelo meu nome. Chamei também uma amiga, certinho? Bye.


Depois dessas duas ligações, ela vai para a tal boate, levando todo aquele dinheiro, que muito provavelmente será todo gasto, e ela não vai com sua moto, chama um táxi normal e desce naquele lugar cheio de gente... o que traz muitas lembranças de sua época ainda era mortal, como a grande maioria que está ali, ela desce do carro e de forma educada vai evitando cada pessoa que se aproxima dela... "não encosta, não encosta, com lincença, com lincença..." mas enfim ela está naquela multidão dançando com uma musica muito alto - normal - mas para ela não era muito adequado, a parte superior do ambiente se mostrava muito mais conveniente...

Com o sorriso mais radiante possivel, a criança da noite, ela adentra na tal "Elite", olha para a direita, olha para a esquerda, procura alguém que seja o responsavel por aquele lugar, pede um lugar reservado e com o dinheiro necessário, pede para quem a procura, que levem até ela, enquanto não aparece ninguém, ela começa a reparar na musica cantada naquele lugar, com um certo interesse...

‘Cause I'm broken when I'm open
And I don't feel like I am strong enough
‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone away

‘Cause I'm broken when I'm lonesome
And I don't feel right when you're gone


"Hnnn, será que se eu pedir, eles cantam mais uma?" Apesar de não ser nenhum Cradle Of Filth, Joan não está achando tão ruim aquilo que está escutando...


(Off: Nikki é um NPC do cenário do Dave, o estadio, e a Meg, meu contato, você pode conhece-la melhor aqui: http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/mausoleu-de-cronicas-f42/heranca-do-mal-parte-5-o-semblante-das-chamas-t593-0.htm)
avatar
joan silvergate

Data de inscrição : 08/03/2010
Localização : Nova Iorque

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Guidim em Qui Dez 02, 2010 2:29 pm

Guidim acabara de se apresentar á principe da Grande cidade de NY, o Elysium era um bom lugar de partida, la poderia arcar com suas obrigações de recém chegado á cidade, e também conhecer alguns membros de Satus na cidade que agora acolhia o Setita.

Acompanhado de Nixa Romanov, um possível senhor de prestígio, Guidim Chegava a tal Boate Freedom, Guidim acompanhava Nixa com um taxi, não tinha tido tempo de adquirir um autimóvel na cidade ainda, o Setita como sempre se mostrando de bons amigos, era mais uma vez sua natureza parasita falando mais alto que seu amor pórprio e muitas vezes até mais alto que seu Ego.

"Sr. Romanov deve ser de um poder aquisitivo muito maior do que penso, geralmente os seres de status na camarilla tem que ter bala na agulha, bom vamo ver se realmente minha intuição esta correta, normalmente nao costumo me enganar"

Guidim apesar de novo em seu clã, fora criado desde sempre junto as cobras que rondavam seu senhor, algo de podre esta criança havia aprendido, não que as intenções de Guidim eram más, pelo contrário, Guidim apenas gostava de estar do lado certo no momento certo, e neste momento A área Vip junto com um membro com algum status na Camarilla era a bola da vez.

**Chegando a Boate**

Guidim descia do Táxi e pagava a quantia da corrida, dava 200% do valor da corrida de gorjeta para o Taxista.

[presença 1 on]

-Tome. isto é como agrado meu colega, aliás me passe seu numero, pois a noite sempre reserva algo inisperado para nós, e como ainda não tenho carro seria bom ter um bom taxista para poder ligar não é mesmo?


Guidim falava com o taxista no momento em que sai do táxi, tome isto é pela presteza dos seus serviços, e espero poder contar com voce meu amigo ( Guidim fazia referencia a gorjeta que dava ao homem).

Guidim logo vai de encontro ao Sr. Romanov, que tinha ido com seu próprio veúclo, e comenta

[Presença 1 on]

-Bem aqui estamos, espero que a noite reserve muitas conversas e divertimento para nós Sr. Romanov, podemos entrar? creio homens de nossa classe devemos fica numa área um tanto que reservada aos esbarrões da multidão estou correto? nada que um bom dote aos garçons e creio que conseguiremos alguma cabine hahaha!!!

O Setita falava enquanto acompanhava o Sr. Romanov sentido a entrada da Boate.

-Boa Noite, queremos um local um tanto quanto reservado, nada íntimo apenas não queremos ficar em locais com inconvenientes de empurrões e "muvucas", será que pode nos ajudar?

Guidim falava com o segurança ou com alguem que venha atende-lo.

_________________
FalasPensamentos[Offs/Testes]

"-A verdade está aí dentro...
avatar
Guidim

Data de inscrição : 31/08/2010
Idade : 28
Localização : Diadema

http://www.twitter.com/fe_orlando

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por phecarvalho em Qui Dez 02, 2010 3:34 pm

Ao descer do carro Nixa reencontra-se com Guidim... e sente algo estranho no jeito de falar do cainita... pouco confortavel com isso... como se o cainita fosse alguém mais interessante que era no elisios ... poderia ser uma impressão e Nixa não queria ser deselegante com Guidim, caso fosse necessário ele sabia muito bem como tratar o tipo de pessoa que ele esperava que Guidim não fosse...

Se dirigindo para o porteiro da boate, Boa noite, me leve até a elite por favor, acredito que Jully já esteja me esperando no meu camarote de costume[ Presença1 Dominação 2] gostaria de me acompanhar senhor Guidim?
avatar
phecarvalho

Data de inscrição : 04/04/2010
Idade : 30
Localização : Manhattan, NY

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Red em Qui Dez 02, 2010 8:22 pm

Annelise Van Dijk (Requiem) & Kyle Raymond

"O vaso dá uma forma ao vazio e a música ao silêncio."

Requiem e Kyle. A dupla da noite. Com as luzes a volta enfraquecendo suavemente, e o foco de luz neles, ficando mais forte, começaram a apresentação.

Assim que pediram atenção, conseguiram algumas caras olhando para ambos, esperando o cântico.

Com a música fluindo pelos dois performers, estes tocavam bem e cantavam afinados, atraindo a atenção das pessoas conforme o tempo passava.

Os dedos de Requiem passavam rapidamente pelas cordas, logo antes de diminuírem o ritmo entrando em uma balada, voltando a velocidade alta instantes depois.
Kyle cantava enquanto dedilhava o violão, fazendo sair as notas mais agudas, deixando o tom grave com a garota.

Em um dado instante, parecia que todos tinham sua atenção voltada para eles. Olhos analisando, ouvidos escutando, e a pele sentindo a vibração das notas, fazendo com que a espinha esfriasse, levantando os pêlos do braço. Mas essa sensação não durou muito, e assim como iniciara, o show havia terminado rapidamente.

Aplausos chegaram a seus ouvidos, primeiramente tímidos, depois audíveis o suficiente, mas nada de exacerbado.

- A apresentação de vocês foi boa, tinha medo de que cometessem algum fíasco lá.
Ouviram a pessoa que havia ajeitado as coisas ali, falar.
- Sr. Bistie quer falar com vocês.



Jasmine Jordan

As palavras da gangrel tinham muita verdade e conhecimento adquirido. Dereck apreciava aquilo, não havia de modo algum desperdiçado seu tempo com aquela mulher, que no inicio poderia ser qualquer coisa.

- Quanto a sua questão, tenho notícias e boatos de que membros estão adentrando na cidade, mas sem fazer muitos movimentos. Justamente por se esconderem é difícil achar qualquer um deles, mesmo estando na mesma seita. E como se apresentar ao bispo não é uma obrigação...

Dava um tempo, fazendo cara de aborrecimento.

- Mas tenho meus meios, esta casa que fica próxima a boate me ajuda a ver o que de novo chega a cidade, tanto de um lado, como de outro, então mais cedo ou mais tarde terei algo.

Jasmine se aproximava de Dereck, falando sobre uma pequena diversão. Este olhava para ela, notando seu olhar, e falando baixo.

- Humanas são tão fáceis, vampiras voltadas a humanidade quase iguais. Mas uma gangrel, do Sabá, isto será algo novo.
Falava, tocando a face da mulher, tirando seus cabelos que caiam a frente dos olhos, e a puxando com a outra mão para ficarem grudados frente a frente.

- Tem certeza que é isso que você quer? Costumo não ser muito delicado..
Disse com um sorriso na boca, e um tênue brilho nos olhos, que poderia ser o reflexo da lâmpada..



Nicole Mays

O homem sentou a seu lado, e a olhou tomar a bebida.

- Sabes que lhe vendo de longe, no pude dejar de notar tan hermosa chica, e decidi que teria que vir aqui, conhecer-te bebé. Pois oportunidade igual poderia no ocorrer en el futuro.

Enquanto o espanhol falava, ouviram do palco próximo dali.

---------------------------------
-Boa noite a todos. Eu me chamo Kyle Raymond e essa é minha amiga Requiem. Como já devem ter percebido, tocaremos aqui esta noite. Então eu peço a atenção de todos vocês e espero que gostem do nosso pequeno show.
---------------------------------

E a música começou a se espalhar pelos arredores. A melodia era cativante em alguns momentos, e triste em outros.

Chegando a um ápice na apresentação, o homem continuou.
- Que bela dupla, mas falta algo ainda..
Após passar a canção, continuou.
- Que tal se formos para uma parte mais reservada?

O homem que estava na mesa olhando Nicole, e agora vendo os dois conversarem, se levantou, e avançava vagarosamente na direção de ambos.



Aradia Alarcão

Aradia ao sair de seu carro ouve um assovio das bandas da boate, mas impossível distinguir quem foi. Ela vê a galinha do outro lado da rua falando com um mendigo, por alguns segundos eles conversam, e o sem-teto começa a correr gritando e desaparece em um beco mais adiante.

Ela atravessa a rua até chegar a ‘galinha’.

-Quer ajuda pra se vestir? Que indelicadeza a minha! Me chamo Aradia.
-E Na verdade cheguei até você porque quero comprar sua fantasia..quanto você quer?


Instantaneamente ao terminar de falar, ela ouve por trás da máscara.

- Aradia, não preciso de ajuda para me vestir, já tenho minhas penas para aquecer. Imagina eu, um galinácio de porte maior, com as cristas tão bem feitas que parece que fui ao cabelereiro, usando bermudas, Hahaha.. Me chamariam de pato donald, e não de Mr. Chicken.

- E como queres que me desfaça da minha pele, quer me carnear e jogar aos porcos? Eles gostam de lavagem, não de frango. Frio faz hoje, se fosse uma ovelha não tardaria em lhe emprestar um pouco, mas além de aquecer, como vou poder planar caso precise ir? Entende.. isso é impossível!

Ele termina de falar com uma forte imposição na voz.

- Mas se quiser posso te abraçar, e assim ficamos os dois mais quentes. Não posso ficar de chocadeira, pois sou uma galinha macho... aih que calor..

Ele falava enquanto com uma das asas, passava pela cabeça, como se tirando suor.

...

Aradia achava no mínimo estranho seu poder não ter surtido qualquer efeito no homem. Ao que parecia, umas duas pessoas que estavam por perto prestavam maior atenção nela, desde que usara seu poder..

E logo sente seu celular tocar.

Bip.
Mensagem no celular:
“Aradia, mais uns minutinhos e estou chegando”
Anne.




Bad Boy & Gam

Assim que olha o mendigo se afastar, este começa a puxar papo com uma galinha humana. Não da para perceber do que tratam, nem notar as reações, pois a galinha camuflada, e o jeito torque do mendigo, completam uma cena difícil de ser decifrada. Após um pequeno tempo de conversa, o sem-teto parte em corrida até sumir em uma esquina adiante. A galinha parada começa a conversar com uma mulher.. e parece algo bem animado de vista.

Gam

Requiem começa a cantarolar e tocar bem. É uma bela apresentação, mesmo com o barulho vindo da fila e da rua, com muita atenção se é capaz de ouvir pelas paredes, mas pelo motivo que já sabe, o ambiente em que tocavam não era dos mais fáceis. Mesmo assim, a bela voz da mulher em conjunto com a voz masculina, traçavam uma canção agradável de se ouvir, em que se houvesse ocorrido algum treinamento antes, poderia vir a ficar fantástica.

Distraido enquanto ouve a música e vê a conversa com a galinha do outro lado da rua, um cão ‘rouba’ um de seus pães e sai em disparada do local.





Edgard Bartolinni

Edgard tem sucesso em ofuscar-se em um dos cantos da boate. Mas aquilo não era totalmente seguro, a qualquer momento poderia vir alguém e esbarrar nele, ou uma luz mais forte vir a acabar estragando seu esconderijo.

M - Não sei, será?
H - Claro gata, a parada é a melhor coisa que tem no momento.
M - Uhm, mas não vai doer?
H - Você nem vai sentir, vai por mim, eu sei.
M - Ta certo, vamos lá.


Com essa conversa, os dois que Edgard observava começam a se afastar daquele local, indo para uma direção que ele não sabia precisar onde seria, passavam por um mar de gente que dançava e bebia, libertando seus egos que eram comprimidos durante o dia.


[OFF: legenda: M = mulher, H = Homem]



Camuel Le Boursier

Tão logo Camuel chega ao lugar, vê a movimentação e do lado dos seguranças um outro funcionário que apenas olhava toda a agitação da entrada. Além de ver um cara mais afastado escorado na parede com uma sacola de pão.

Ao chegar ao atendente, este lhe informa que o lugar é dividido em algumas partes como Elite, e Porão. A entrada era 50$ pratas. E estaria bem encaminhado na noite.

Olhando ao redor como todo novato na área, temendo se perder caso não gravasse tudo muito bem, nota uma galinha falando com uma bela mulher do outro lado da rua. Na verdade várias pessoas na fila olhavam aquilo achando graça. Até consegue ouvir de alguém que estava na fila falar para um amigo.

- Porra, aquilo é o que? A mulher já chegou abrindo a bolsa pra ‘dar’ pro cara, vou vir fantasiado da próxima vez.



Joan Silvergate

Clima ameno e agradável na noite daquela semana. Joan destoava um pouco do convencional ao usar salto alto, com jeans e regata. Esses acessórios grudados ao corpo da bela mulher chamavam a atenção a volta, mas ela evitava qualquer contato em maior grau ao passar rapidamente pelo burburinho de pessoas a volta.
"não encosta, não encosta, com lincença, com lincença..."

Ao chegar a parte mais elegante do lugar, é logo direcionada a uma das mesas com um papel de reservado, que é retirado assim que ela senta.
- Assim que sua companhia chegar, será direcionada para a senhorita. Com licença.
O homem se afasta deixando Joan escutar a música que estava a ser tocada. A dupla faz sua apresentação por mais alguns instantes antes de terminar e deixar o palco.

Tão logo eles terminam, uma música ambiente entra no lugar, e uma das mulheres que joan esperava chega ao local.

Meg: - Boa noite Joan, agitado hoje aqui não?



Guidim Sanedi & Nixa Romanov

Guidin entrega uma quantia suntuosa para o homem no táxi, e este rapidamente lhe entrega um cartão e agradece a preferência de ter tão bons passageiros em seu humilde automóvel.

Logo após sairem e chegarem a entrada da boate, o setista obtém sucesso em chamar Nixa para dentro da boate, e conversarem em tom mais particular, adulando-o disfarçadamente, tanto que Romanov se sente a vontade.

Nixa por sua vez fala com o segurança da fila, ninguém da volta presta muita atenção neles, mas o segurança fica inclinado a ajudar os homens ali parados.

- Claro senhores, me sigam..

- Ei, onde você vai? FICA AQUI! Só o que me faltava..

Um outro segurança falava com o que estava prestes a sair do local de trabalho pra guiar desconhecidos na boate.

- Nem se eles fossem o presidente e a primeira dama tu saíria daqui, entendeu?!

- Certo Frank
Era a resposta concisa do homem que recém havia sido dominado. - Mas eles precisam entrar..

Frank:- Quanto a vocês dois.. paguem ali, ao entrarem no ambiente Elite, que é o que acredito que desejam, serão bem recebidos. Peço desculpas, mas se nossos seguranças não ficarem nos lugares que devem, isso aqui iria virar uma confusão.

A voz do homem era ponderada mas inflexível, e parecia que os outros homens do local não tinham muita coragem de encará-lo frente a frente, mesmo ele mostrando uma compleição suave para com os convidados.

Ao entrarem na boate são recebidos por um homem de terno e gravata borboleta com um bigodinho ralo.


- Boa noite, já fui informado de vossos casos, por aqui, temos uma cabine pronta para os senhores.


Nixa:
Role Carisma + Performance = 6 dados, re-rolando 10's. Para Fascínio.
Role Manipulação + Liderança = 7 dados, re-rolando 10's. Para Hipnotizar.

Guidim:
Role Carisma + Performance = 4 dados. Fascínio.

Link para rolagens: http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/rolagens-de-dados-f43/boate-freedom-t860.htm#19853

PS: Não rolem dados aqui.





Última edição por Nanaly Rachell em Sex Dez 03, 2010 7:30 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Red

Data de inscrição : 12/03/2010
Idade : 17

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Songette em Sex Dez 03, 2010 12:16 am

Apesar de achar que poderia ter sido melhor em sua performance, Requiem se contenta com a reação positiva do público. Ela faz uma reverência em agradecimento.

- Sr Bistie quer falar com vocês

Requiem sentiu um nó na garganta. Ficara um pouco nervosa por nunca ter feito um dueto antes. Provavelmente eles viriam dizer que sua atuação no palco era vergonhosa. Talvez fosse o que merecesse, ela pensou. Engoliu em seco e acompanhou o homem, junto ao seu companheiro Toreador.
avatar
Songette

Data de inscrição : 07/03/2010
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

http://www.nborges.weebly.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Gam em Sex Dez 03, 2010 12:30 am

- Ah, lazarento!

Gam sai em disparada correndo atrás do cachorro. Nâo é como se ele se importasse em dar um pão a ele, mas esse roubo foi um claro desafio. Desafio esse que o Ravnos prontamente aceitou.

Se conseguir alcançá-lo na corrida e tiver oportunidade, Gam vai saltar sobre o cachorro para tentar agarrá-lo.

_________________
... só pode ser os nóia!
avatar
Gam

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 25
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por joan silvergate em Sex Dez 03, 2010 3:34 pm

Avançando sem demais alardes, Joan chegava até a tal área reservada, a "Elite", um nome adquado para aquela Ventrue que assistiu a ultima musica tocada por aquela dupla, ela sempre preferiu as músicas ao vivo, pena que ela pode conferir mais algumas naquela noite, talvez com algum incentivo, isso possa mudar... "hnnn, o poder das verdinhas devem se manifestar essa noite." A bela criança da noite estava começando a pensar a usar sua vasta renda quando chega, enfim, o seu primeiro contato na cidade de New York.

-Meg! que bom que chegou primeiro, assim você não terá supresa com a minha nova amiga 'humana' que encontrei, claro que ela não sabe sobre tudo o mais... Ela mantem o sorriso, aponta para a cadeira e continua. Cheio mesmo, foi uma droga para eu entrar, haha... Acredita que perdi 40 mil naquele estadio cretino? haha Ela aponta para o palco, assumindo uma expressão um pouco mais séria. Mas me diga, conhece alguém aqui? queria que aquela dupla tocasse mais alguma coisa, para eu conhecer melhor, de repente...

Depois que termina de falar, ela olha ao redor, para ver se encontra Nikki...
avatar
joan silvergate

Data de inscrição : 08/03/2010
Localização : Nova Iorque

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Bad em Sex Dez 03, 2010 4:33 pm

Badboy não entendia nada que via, imaginava que tinha drogas no sangue que tomou, iginoro tudo aquilo e entro na fila da boate....

Depois de entrar badboy sentaria no balcão e dipararia perguntas pro(a) atendente,
- isso é movimentado assim toda a noite ? a bem lembrado você viu seu martim hoje ?
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 26
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Shirou em Sex Dez 03, 2010 4:50 pm

Camuel olhava aquela cena com certa curiosidade e um "Q" de reprovação, ele logo se voltava a olhar para a mulher que acabará de lhe chamar há atenção, logo pegava os 50$ e pagava para entrar, e tentava seguir para a parte da "Elite" da Boate para quem sabe encontrar alguns de seu grupo social, ali naquele lugar ao qual ele não daria muita atenção se não fosse já ter ouvido um comentario de se tratar de uma boate "mista" entre Camarila e Anarquistas/Independentes, Camuel logo procurava uma mesa discreta e vaga para se sentar e pedir algo para beber
(encontrando)
camuel ao encontrar uma mesa seguia para ela e ao se sentar fazia sinal para um (a) garçom (garçonete) para vim lhe atender e fazia o seu pedido

- Por favor me traga um vitae de preferencia de mulher por favor

E fazia um sinal com a mão mandado-a se retirar e trazer a sua bebida

(se não encontrar)
Camuel ficaria a procurar uma mesa até encontrar alguma vazia ou onde tivesse alguma senhorita atraente a qual ele pudesse tentar uma aproximação [preferencia por uma toreador]
avatar
Shirou

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 32

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por No One em Sab Dez 04, 2010 9:04 pm

A apresentação tinha sido boa. Eles tinham conseguido a atenção do público e os aplausos também foram agradáveis, fazendo Kyle sorrir de alegria pelo dueto bem sucedido.

- A apresentação de vocês foi boa, tinha medo de que cometessem algum fíasco lá.

Kyle sorri para o homem.

- Sr. Bistie quer falar com vocês.

Kyle acompanha o homem. Nesse momento ele percebe Requiem um pouco nervosa. Certamente ela estava com medo da reação de Bistie sobre o dueto. Bem diferente de Kyle, que estava confiante e esperava por uma reação positiva. Claro que sua alto confiança não fazia dele um metido, pelo contrário, Kyle sempre foi bem modesto. O que ela fazia era fortalece-lo nesses momentos que, para outros, seriam momentos de tensão.

-Fique tranquila, Requiem. Nosso dueto foi bom. Não precisa se preocupar. - Falava Kyle para Requiem, enquanto acompanhavam o homem.

[OFF: Song, meu personagem é Gangrel. xD]
avatar
No One

Data de inscrição : 18/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Songette em Dom Dez 05, 2010 12:51 am

(OFF: não sei onde eu vi toreador, mal Kyle =P)

Apesar do comentário do companheiro, ela sabe que é apenas uma tentativa de animá-la, e não necessariamente representa a realidade. Ela dá um leve suspiro. Será que tinha sido tão ruim?
avatar
Songette

Data de inscrição : 07/03/2010
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

http://www.nborges.weebly.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Boate Freedom

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 15 Anterior  1, 2, 3, 4 ... 9 ... 15  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum