Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Qua Jul 04, 2018 6:35 pm

Alex Troy; PdS.: 15/15; FdV: 04/10; Vitalidade: ok

-Muito bem. - ele finalmente para de bater palmas -É com grande satisfação que eu os parabenizo por terem sobrevivo ao processo de recrutamento. Não. Sobrevivido não é uma palavra boa. Não se enganem. Os Srs. morreram antes de serem colocados naquela cova. O que saiu delas não foram serem humanos, mas sim algo maior. Melhor. Superior. Os Srs. transcenderam da condição de meros humanos para a condição de vampiros. Olhem ao seu redor. Vejam como sua percepção do mundo melhorou. Os Srs. agora enxergam e ouvem como os predadores naturais que se tornaram. Sintam o aroma que os cerca. Percebam as nuances no cheiro do sangue que os cobre.

Eles se comportavam como animais acuados, olhares atentos, posição de defesa, com seus narizes farejando o ar como cães.

-Imagino que a experiência do Abraço, ah sim, é assim que chamamos o ato de transformar um mortal em vampiro tenha sido bastante intensa, mas vamos ao que interessa. O que eu falei mais cedo sobre a verdadeira guerra ao terror é verdade. Nós aqui nesse galpão não somos os únicos vampiros. Não. Infelizmente existem anciões acordados muito mais poderosos do que nós que desejam nos subjugar a sua tirania. Pior que isso, existem vampiros milenares escondidos dormindo que quando acordarem irão invariavelmente nos perseguir para drenar nosso sangue até a Morte Final. Contra esses inimigos terríveis existe apenas uma organização capaz de fazer frente a eles em prol de nossa sobrevivência e de nossa liberdade. Nós, o Sabá. Sintam-se honrados por terem sido escolhidos para ingressar em nossas fileiras, recrutas.

Aparentemente confusos eles apenas escutavam as palavras de Troy, dividindo suas atenções com o que era dito, com o ambiente à sua volta e com a nova condição de seus corpos...

-Meu nome é Troy e eu serei seu Ductus. Isso significa que eu irei treiná-los e conduzi-los para a verdadeira batalha. Pensem em mim como uma mistura de orientador e sargento. Agora, quais os nomes que vocês tinham antes de renascerem ao sair dessa cova?

- Boris! Afirmava o barba ruiva.
- Juan! Afirmava um homem negro alto e muito forte.
- Sebastian! Afirmava outro com fisionomia comum
- Mike! Afirmava o último.

Ainda confusos eles se comportavam de forma inquieta, uns tremendo, outros achando estranho a respiração não ser mais necessária. Era nítido que estavam em choque psicológico.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Sex Jul 06, 2018 1:10 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 08/15; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Gerrard saía da casa, mas antes de ir embora tomava algumas medidas para certificar que algo ainda poderia acontecer ali. Usando seus dons vampíricos ele chamava cães de grande porte que havia nas redondezas. Por um instante ele amarga a incerteza e acreditou que nenhum animal apareceria. Finalmente um cachorro hotweiller aparecia. Ele estava próximo a uma árvore, estava bem tratado e aparentemente talvez havia escapado de sua residência. O cão não sabia porque estava ali, apenas seguia o chamado da Besta. Ao ver o vampiro ele o encarava, fitando Gerrard nos olhos enquanto soltava um breve rosnado.


Gerrard rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para o chamado que resultou 1, 8, 1, 6, 2, 7 - Total: 1 Sucessos

OFF: No caso do animalismo eu exijo interpretação direta de sua interação com o animal, não podendo apenas narrar superficialmente esta parte.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Blackwood em Sex Jul 06, 2018 5:24 pm

Por um instante eu temia que o chamado não tivesse tido efeito, mas após alguns instantes, um belíssimo e é enorme rottweiler surgia ao lado de uma árvore. O animal me encarava nos olhos e instintivamente rosnava para mim, mostrando quem era o dono daquele lugar. De primeira eu penso em usar acalmar a besta para garantir uma boa receptividade, porém, prefiro arriscar uma abordagem mais natural. 

Em passos lentos, eu me aproximo do cachorro e me abaixo para igualar minha altura a dele, demonstrando que não tenho intenção de soberania em relação a ele...

- Oi amigão, qual o seu nome? Eu me chamo Blackwood e  te chamei aqui porquê preciso de sua ajuda. Você poderia me ajudar? Eu irei te retribuir por isso é claro.

[Off: considerando que ele aceite]

- Tem uma moça, que mora bem ali naquela casa - aponto a casa com o dedo - o nome dela é Lúcia. Tem pessoas ruins querendo fazer mal a ela. Você mora na vizinhança não mora? Saberia me dizer se seres iguais a mim tem vindo aqui ultimamente?

[Off: considerando que estou ganhando a confiança do rottweiler.]

Me aproximando mais do cão, eu faço um corte superficial no meu punho e faço meu sangue brotar, na tentativa de estigar o instinto de predador do animal, e mostrar que tenho algo a oferecer...

- Gosta do cheiro? O sabor e maravilhoso, por quê não experimenta? Mas tenha cuidado para não me machucar, beba devagar para eu retornar mais vezes... - estendo meu pulso cortado para que o animal beba da minha vitae, caso note agressividade, recuo meu braço, e chamo  a atenção do animal... - gostou? E bom não é? Se for bonzinho comigo, e ser meu amigo, terá mais. Eu preciso que você vigie Lúcia, seguindo-a e eventualmente a protegendo se for preciso. Eu retornarei depois para você me contar o que conseguiu descobrir, e para te dar mais disso... O que acha? Amigos?
avatar
Blackwood

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 29
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Sex Jul 06, 2018 6:02 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 07/15; FdV: 08/08; Vitalidade: ok

- Oi amigão, qual o seu nome? Eu me chamo Blackwood e  te chamei aqui porquê preciso de sua ajuda. Você poderia me ajudar? Eu irei te retribuir por isso é claro.
Encarando o vampiro firmemente o cão respondia de forma altiva:
- Meus donos me chamam de Thor. Grrr.... O que você quer, Blackwood? Gr...

- Tem uma moça, que mora bem ali naquela casa - aponto a casa com o dedo - o nome dela é Lúcia. Tem pessoas ruins querendo fazer mal a ela. Você mora na vizinhança não mora? Saberia me dizer se seres iguais a mim tem vindo aqui ultimamente?
- Não vejo ninguém como você há muito tempo, grr...

- Gosta do cheiro? O sabor e maravilhoso, por quê não experimenta? Mas tenha cuidado para não me machucar, beba devagar para eu retornar mais vezes... - estendo meu pulso cortado para que o animal beba da minha vitae, caso note agressividade, recuo meu braço, e chamo  a atenção do animal...

Um pouco desconfiado no início, o cão apenas cheirava de longe. Se agradando do odor ele se aproximava e bebia do sangue do vampiro. Parecia estar gostando, até que o vampiro encerrava a cota do dia.

- gostou? E bom não é? Se for bonzinho comigo, e ser meu amigo, terá mais. Eu preciso que você vigie Lúcia, seguindo-a e eventualmente a protegendo se for preciso. Eu retornarei depois para você me contar o que conseguiu descobrir, e para te dar mais disso... O que acha? Amigos?
- Grrr...Está bem, eu farei o que está pedindo...
O animal parecia relutante em trabalhar para Gerrard, mas acabava aceitando o pedido. Em seguida um homem aparecia na porta de uma casa chamando em voz alta e preocupado: - Thor!!
Ao ver o cão perto do vampiro ele se assustava, preocupado, talvez com medo de o cachorro estar querendo atacar Blackwood.
- Ei Thor! Venha aqui! Ele corria até o cachorro e o apanhava pela coleira enquanto se desculpava: - Desculpa, eu não sei como ele escapou...
Ao ver o braço do vampiro aberto e pingando sangue ele dizia:
- Meu Deus, ele te atacou! Espere um pouco, eu já venho te socorrer!
O homem saía desesperado para guardar o cachorro, para voltar e atender Gerrard


Gerrard rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para sussurros selvagens que resultou 8, 5, 3, 2, 9, 2 - Total: 2 Sucessos

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Blackwood em Sab Jul 07, 2018 9:32 am

Ótimo, por mais relutante que tenha sido Thor, no final acabou tudo como eu queria. Thor é um animal esperto e forte, acredito que será bem útil no que lhe pedi. Ao fim de nossa conversa, o seu dono gritava seu nome, ele parecia estar preocupado com o cão que havia desaparecido do seu quintal. Bem que eu poderia ser o novo dono de Thor, mas talvez estivesse demasiado cedo para isso. Mas é uma ideia que considerarei no futuro...

Não demora muito e o homem aparecia no portão da casa, chamando por Thor, que logo corria em direção ao homem, que o segurava pela coleira e se aproximava de mim para se desculpar pela fuga do cão.

- Desculpa, eu não sei como ele escapou...

- Não precisa se desculpar por isso, Thor - falo com "insegurança" como se tivesse me esforçando para acertar o nome do animal - é um cachorro formidável!

- Meu Deus, ele te atacou! Espere um pouco, eu já venho te socorrer!

- Não não... não se preocupe, está tudo bem...

O homem preocupado em me ajudar, corria para sua casa para prender o cachorro e provavelmente buscar um kit de primeiro socorros... admirável, porém, aproveito a deixa, para sair do local e me encontrar com Athena, minha coruja carniçal. Acredito que ela tenha algo de útil a me dizer sobre aquele ventrue engomadinho e arrogante, a quem eu pedi para ela observar... Enquanto ando pelas ruas, verifico se tem alguma mensagem no meu celular, talvez alguma chamada da xerife ou coisa do tipo... Assim que estiver em um local discreto, eu assumo minha forma de corvo e voo de encontro a minha carniçal, no local de encontro comum.
avatar
Blackwood

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 29
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Ter Jul 10, 2018 2:00 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 05/15; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Gerrard aproveitava a brecha e deixava o local antes do dono do cão voltar. Um sujeito com boas intenções com certeza seria um problema para o vampiro. No celular não havia nenhuma novidade. Assim ele andava alguns metros à frente, encontrava uma pequena praça rodeada por árvores e usava aquele pequeno jardim para se esconder e usar o dom da metamorfose. Assim que o sangue era consumido e sua mente dava o start para o uso da disciplina seus músculos se mexiam como se tivessem vida própria. Pelos nasciam por todo o corpo de Gerrard, suas orelhas cresciam e ficavam pontudas como as de um orc. Seus ossos se quebravam e montavam uma nova estrutura enquanto uma membrana crescia embaixo dos braços fazendo com que estes se transformassem em assas. A dor do corpo mudando sua estrutura e seu tamanho era inevitável. Uma cena sádica e horrível para um mortal assistir.

Logo o processo estava completo e ele voava para longe dali, de encontro à sua carniçal espiã que talvez teria informações. Eles se encontram em um parque, uma área verde próximo da região central da cidade. Assim que Gerrard pousava na copa de uma árvore conífera, bastante comum naquela região dos EUA, sua lacaia já estava lá...



Gerrard rolou 4 dados de 10 lados com dificuldade 5 para autocontrole que resultou 7, 6, 5, 3 - Total: 3 Sucessos

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Ignus em Qua Jul 11, 2018 12:18 am

Eles se comportavam como animais acuados, olhares atentos, posição de defesa, com seus narizes farejando o ar como cães.


Quando ainda respirava Alex não chegou a conhecer a paternidade, mas ele supunha que - de uma forma sangrenta e cruel - o sentimento deveria ser semelhante quando um pai via seu filho recém nascido acuado e faminto após ser retirado do ventre materno. Teria ele se comportado assim quando foi abraçado também? Era difícil dizer. Tanto tempo se passara desde que ele entrara para o serviço da Espada de Caim que ele mal conseguia se lembrar de sua própria iniciação... Mas aquilo não importava no momento. O importante era forjar adequadamente aquele seu novo Bando. Seriam eles que lhe dariam a oportunidade de acertar as contas com Máximus.

Aparentemente confusos eles apenas escutavam as palavras de Troy, dividindo suas atenções com o que era dito, com o ambiente à sua volta e com a nova condição de seus corpos...


-Meu nome é Troy e eu serei seu Ductus. Isso significa que eu irei treiná-los e conduzi-los para a verdadeira batalha. Pensem em mim como uma mistura de orientador e sargento. Agora, quais os nomes que vocês tinham antes de renascerem ao sair dessa cova?

- Boris! Afirmava o barba ruiva.
- Juan! Afirmava um homem negro alto e muito forte.
- Sebastian! Afirmava outro com fisionomia comum
- Mike! Afirmava o último.

Ainda confusos eles se comportavam de forma inquieta, uns tremendo, outros achando estranho a respiração não ser mais necessária. Era nítido que estavam em choque psicológico.


"Eu gostaria de me lembrar melhor de como me senti quando saí da cova. Ajudaria a lidar adequadamente com eles. Mas acho que o stress do trauma deve ter feito minha mente levantar algum tipo de bloqueio, porque não consigo recordar dos detalhes. Provavelmente meus recrutas passarão pelo mesmo... Bem, não importa. Agora acho que o melhor que faço é oferecer a eles um tratamento com o qual estejam familiarizados. E até na forma como eles bradam seus nomes eu sinto cheiro de soldados. Irei tratá-los como tal."

-Descansar! - Troy se aproxima deles - Eu compreendo que não é  fácil assimilar rapidamente tudo que lhes aconteceu, mas como certamente os Srs. já descobriram a essa altura de suas existências o único dia fácil foi ontem. Não obstante, agora nós somos um Bando, uma família. Eu me encarregarei pessoalmente de lhes ensinar o que devem saber sobre sua nova condição e como usar os dons do sangue.

Voltando-se para Larassa.

-Sr. Arcebispo, com sua permissão eu gostaria de levar nossos recrutas em sua primeira caçada. Pretenso iniciar a preparação deles o quanto antes.

{Caso nada dê errado adotarei um monte de providência daqui por diante para agilizar. Qualquer coisa por favor pare minhas ações condicionais, ok?}

Caso obtenha a autorização do Arcebispo Troy sairá com seus novos subordinados para ensiná-los a se alimentar. Ele os orientará a serem silenciosos e usará os dons do sangue {Ofuscação 4+5} para cobrir o grupo enquanto caça alguns mendigos. Nessa primeira ocasião ele permitirá que eles drenem completamente os corpos e os levará consigo de volta para o galpão para enterrá-los oportunamente.

Mais próximo do fim da noite ele encontrará um novo refúgio para eles passarem as horas de luz solar (caso um deles more em uma casa sozinho e o local seja viável ele será o escolhido). Eles serão extremamente discretos nesse local e não o usarão para treinamento.

Na noite seguinte ele alimentará cada um de seus subordinados com um pouco de seu sangue. O que repetirá nas próximas duas noites. No fundo Troy sabe que criar um Laço era algo errado, mas ele não queria correr nenhum risco de seus recrutas sendo rebeldes em suas primeiras noites e como eventualmente eles celebrariam uma Valderie ao se tornarem Sabás verdadeiros ele não viu muito mal agir assim. Além disso ter comandados extremamente leais poderia se revelar muito útil caso ele tivesse a oportunidade de acertar as contas com Máximus antes de Larassa lhe enviar o novo Sacerdote de seu Bando.

Troy providenciará para que seus subordinados que porventura tenham família telefonem para os seus e digam que precisaram viajar às pressas por conta do novo emprego. Ele ainda os mandará adquirir armamento, material que não chame atenção, mas que possa ser usado para fabricar explosivos (caso alguém tenha conehcimento para tanto), e roupas reforçadas para todos pelos meios legais enquanto suas identidades humanas são válidas, pagando com cartão de crédito. Caso dinheiro se revele um problema para essa aquisição ele se servirá do mesmo expediente que usou no passado para adquirir os suprimentos que antecederam sua viagem ao México para obter recursos.

Nas próximas caçadas Troy ensinará os recrutas a não matarem a vítima quando se alimentarem e usará os dons do sangue {Dominação 3} para fazê-las esquecer do ocorrido.

Nas noites seguintes Troy se dedicará a ensinar os novatos a usarem o sangue para aumentar seus atributos físicos e para se curarem. Ele lhes contará sobre os perigos do fogo e do Sol. Demonstrará - dando o exemplo prático - como uma estaca de madeira paralisa um cainita. Eles utilizarão um local discreto para o treinamento, longe do refúgio.

Do ponto de vista filosófico Troy dirá que a maioria dos vampiros acredita que o primeiro foi Caim. Ele próprio nunca viu o primeiro, mas é inquestionável que um primeiro existiu, seja Caim ou não. Seus descendentes geraram os clãs, cada um com afinidades para algumas disciplinas e características próprias. Os fundadores desses clãs acabaram por enlouquecer e se voltar contra suas crias e por conta disso a única esperança de sobreviver ao seu despertar será estar preparado para enfrentá-los.

Troy lhes ensinará a não chamar atenção. Será algo que do ponto de vista será parecido com a Máscara, mas a razão pela qual ele dirá que fundamenta isso é para não alertar o inimigo sobre a presença deles cedo demais. Caso algo dê errado e Troy conclua que não é possível limpar um cena de 'quebra da Máscara' ele irá desenhar um "A" anarquista no local para dar a impressão de que foram anarquistas que armaram o ocorrido.

Depois que eles souberem o básico e Troy já sentir maior confiança neles ele próprio abraçará e imobilizará por meio de estaca alguns pobres coitados para que seus recrutas cometam Diablerie. O propósito disso era tanto lhes estimular a combater a Camarilla como reduzir sua geração (afinal, sendo Troy um cainita de 8a geração sua prole seria de 9a).

Além de treinar os soldados Troy prestará muita atenção nas aptidões que eles demonstram nas sessões de treinamento. Ele se esforçará para descobrir quais Disciplinas eles herdaram de seus criadores e, tanto quanto possível, tentará lhes ensinar Rapidez. Adicionalmente ele conferirá os currículos e perguntará quais as aptidões de cada um deles para saber como administrar melhor suas forças.

Quando finalmente estiver satisfeito com o treinamento básico de seus recrutas Troy parará para analisar quais forças ele tem a sua disposição. A depender ele irá ter com o Arcebispo para pedir a designação de um Sacerdote. A depender ele irá providenciar sangrar um pouco a Camarilla  por conta própria.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Blackwood em Qua Jul 11, 2018 11:58 am

Assim que avistava uma praça rodeada por árvores deduzia ser um local seguro para que eu fizesse minha transmutação em segurança. Me certifico de que não havia a presença de curiosos nas proximidades e em meio aos arbustos iniciava minha transformação para minha forma de voo. O processo despendia de uma pequena quantidade de sangue que apesar de pouco, ao ser gasto fazia com que minha besta sedenta por sangue começasse a sobrepor o meu controle sobre ela. Ela queria sangue, e meu corpo estava ficando sem. Precisei fazer um esforço para não deixar que ela assumisse o controle dessa vez. Por ora eu conseguia controlar os impulsos da besta, mas logo teria que me alimentar para não correr o perigo de ser tomado pelo meu instinto animalesco.

Transformação completa, e agora com a forma de um morcego, eu batia minhas asas e ganhava as correntes de ar acima dos seres terrestres. Voar sempre me trouxe boas sensações, sem dúvidas é uma experiência única. Plaino pela cidade sentindo tudo a minha volta com o sonar. Não demora muito e me aproximo do ponto de encontro definido entre Athena e eu. De longe ja podia detecta-la com o meu sonar, pousada em um galho protegida por ralas folhas. Pouso num galho acima de sua cabeça, ficando na posição mais agradável para essa forma de morcego, de cabeça para baixo e sem perder tempo, vou direto ao assunto com minha coruja, ainda na forma de morcego.

- Diga-me minha querida amiga - sempre tratei com muito carinho e respeito os animais, virtude que adquiri nos meus tempos na tribo indígena - tens novidades para mim?

A fome ainda era presente no meu frágil corpo, e assim que encerrasse com Athena, eu iria tratar de me alimentar.
avatar
Blackwood

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 29
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian Ontem à(s) 5:55 pm

Alex Troy; PdS.: 15/15; FdV: 04/10; Vitalidade: ok

-Descansar! - Troy se aproxima deles - Eu compreendo que não é  fácil assimilar rapidamente tudo que lhes aconteceu, mas como certamente os Srs. já descobriram a essa altura de suas existências o único dia fácil foi ontem. Não obstante, agora nós somos um Bando, uma família. Eu me encarregarei pessoalmente de lhes ensinar o que devem saber sobre sua nova condição e como usar os dons do sangue.

Os recrutas se encaram e a expressão de ansiedade surge em seus rostos. Como seria suas vidas de agora em diante? Seriam aqueles estranhos uma nova família então? Nascidos do sangue e unidos pelo sangue, certamente muitas dúvidas pairavam em suas mentes. Era como se a vida entrasse em uma nova etapa, era como um novo recrutamento, uma nova missão. Talvez no fim das contas o destino, de certa forma, ainda reservara uma última missão para aqueles homens. Eles ainda teriam um papel a cumprir na cadeia natural do universo, no caso, do universo das trevas.

-Sr. Arcebispo, com sua permissão eu gostaria de levar nossos recrutas em sua primeira caçada. Pretenso iniciar a preparação deles o quanto antes.
- Claro! Eu realmente conto com isso. Um sorriso sádico surgia no rosto do arcebispo. Era como se ele estivesse feliz pela iniciativa de Troy. Em breve você receberá o seu sacerdote e então lhe chamarei para o Ritual do Banho de Sangue que irá lhe consagrar como um verdadeiro ductus. O arcebispo e os outros cainitas logo deixavam o local e Troy tinha agora a eternidade toda para para preparar sua "nova arma". O Ventrue não perdia tempo e logo iniciava os preparativos. Orientaria e ensinaria cada um de seus novos seguidores a sobreviver no mundo das Trevas, não... mais do que isso! Transformaria aqueles homens em verdadeiros monstros que em alguns anos estariam aptos a trazer o verdadeiro terror à face da Camarilla de Denver.

Os recrutas logo eram orientados nas medidas mais urgentes, como quebrar o elo com os familiares, um lugar adequado para não torrar na luz do sol enquanto dormiam e a necessidade básica dos vampiros: a Verdadeira Fome. Deslizes eram frequentes no início e Troy por vezes achava que acabaria se fodendo por causa daquela estúpida ideia de abraçar muitos mortais de uma vez só. Mas aos poucos os deslizes diminuíam e a ideia parecia deixar de ser estúpida para começar a tomar um esboço de seu propósito idealizado...


2 anos depois...

Nos últimos tempos Troy havia se ocupado apenas em transformar quatro mortais em verdadeiros cainitas. Ainda eram praticamente crianças da noite, mas crianças da noite que receberam orientação e aprenderam passo a passo o básico para a sobrevivência, especialmente a caçada e uma versão "Troyana" da Máscara da Camarilla. Aquela noite seria especial. O arcebispo havia ligado para Alex informando que finalmente seria realizado seu ritual do Banho de Sangue e que o novo sacerdote já estava na Arquidiocese, na oportunidade em que o Ventrue o conheceria. Troy estava na casa de Sebastian, um dos seus homens que era um solteirão quando humano e gozava de relativa condição financeira, tendo seu próprio apartamento, que fora especialmente adaptado para abrigar o bando em seu primeiro momento.

Mas quem eram aqueles indivíduos que compunham o bando de Troy? O que Alex extraíra deles e o que ele sabia de cada um daqueles homens que agora compunham sua nova "família"?

Boris:



Um soldado em sua essência, um gladiador e guerreiro nato. Boris é o último homem que qualquer criatura no planeta terra escolheria para um confronto físico até a morte. Natural da Dinamarca, entrou para o exército aos 18 anos, e depois seguiu carreira dentro das forças especiais da OTAN, pelo exército da Dinamarca. Sua última missão antes de ser dispensado foi uma incursão secreta contra o exército sírio de Bashar Al Assad, onde aparentemente algo deu errado, resultando em perdas civis e ocasionando o desligamento do ex sargento. Suas principais habilidades: combate armado e desarmado, pistolas, fuzis, facas, explosivos e a incrível capacidade de transformar qualquer coisa em uma arma.

Juan



Um brutamontes de 2m de altura, ex jogador de basquete da Universidade de New York e que deixou uma carreira promissora na NBA para entrar para a Marinha dos Estados Unidos. Apesar do nome latino, Juan é nascido nos Estados Unidos, sua mãe, que veio da Nicarágua se casou com um americano do Brooklyn, conseguindo a cidadania. Juan se tornou fuzileiro naval, especialista em mergulho, rapel e todo tipo de tática e infiltração em solo inimigo, que é a especialidade dos marines. Após vencer os jogos internos das forças aliadas, Juan recebeu um convite dos Eagles e decidiu dar uma nova chance ao seu basquete. Uma má fase nos jogos, causada por uma contusão, fez com que ele procurasse um maldito anúncio em um jornal que mudaria sua vida para sempre...

Sebastian



Um maldito mauricinho de classe média da família tradicional americana. Seu pai foi piloto da Força Aérea dos Estados Unidos e sua mãe advogada. Talvez a carreira do pai influenciou Sebastian que se alistou para a força aérea e também se tornou um piloto de um caça-bombardeiro Hornet F/A-18. Não demorou muito para Troy descobrir que o fato de Sebastian sobreviver ao abraço coletivo tenha sido um golpe de pura sorte, ou um capricho do diabo, pois a situação que ele enfrentou após o abraço não é bem a especialidade de pilotos, que apesar de receberem um treinamento para sobreviver e lutar em terras hostis no caso de cair em solo inimigo, tem seu treinamento direcionado para a guerra aérea.

Mike



Mike nunca soube quem era seu pai e sua mãe era uma prostituta, que além de Mike teve mais 4 filhos. Vivendo o inferno em casa ele decidiu se alistar e acabou seguindo carreira no exército, se tornado 1º sargento comandante de um blindado. Mike é durão, nunca expõe seus sentimentos e aprendeu desde cedo que a vida é dura e que os mais fracos sempre se fodem. Seu último serviço, em que esteve em combate dentro de um tanque foi no Afeganistão, onde explodiu muitos terroristas da Al Qaeda com o canhão de 150mm de seu blindado. Quando voltou do Afeganistão soube que sua genitora havia morrido e convenientemente o exército não o havia avisado. Mike mandou meia dúzia de oficiais tomar no cú, respondeu por seus crimes no tribunal militar, cumpriu uma medida alternativa e acabou se tornando um desempregado de mais de 30 anos especialista em em artilharia pesada.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum