Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Ir em baixo

Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Qua Maio 30, 2018 2:24 pm

Desculpem pela demora. Estou fazendo um curso com 300mil matérias EAD online com fóruns vencendo um atrás do outro, provas, etc e fiquei até com cabelos brancos de tanto pouco tempo pra minha vida social e não social. Estou abrindo o tópico mas eu termino o curso só dia 08, então até lá a narrativa sofrerá alguns atrasos. Espero que isso não atrapalhe o game.
Ok, let's go!

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Qua Maio 30, 2018 2:24 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 13/15; FdV: 08/08; Vitalidade: ok


Gerrard conseguia passar por uma fresta de uma janela aberta. Ele vagava pela casa tentando investigar o lugar. Era uma casa comum, e alguém parecia estar no banheiro tomando um banho. Algum tempo depois uma mulher de meia idade saía envolta em uma toalha. O vampiro estava ainda em sua forma de morcego escondido perto de uma moldura na parede. Aparentemente ela morava sozinha.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Blackwood em Qua Maio 30, 2018 3:42 pm

Não enfrentei dificuldades para adentrar a casa daquela mulher que para mim era um mistério a ser desvendado. Enquanto ela se banhava, eu fazia uma varredura no local me certificando de que a casa não oferecia perigo. Durante minha inspeção, eu pensava nas ultimas palavras daquele moribundo... Meu devaneio era interrompido pelo cessar do constante barulho do chuveiro, a mulher tinha terminado o banho, e eu não queria estar lá dentro quando ela saísse, não queria assusta-la. 

Pelo mesmo lugar que entrei, eu saio voando e dou a volta na casa. Aproveito minha forma discreta para sondar as redondezas, e atestar que aqueles assassinos responsáveis por matar o homem naquele beco, não estariam também atrás da mulher... e isso também dará tempo para que a mulher possa se vestir antes de eu aparecer... Caso a barra esteja limpa, eu irei pousar em um local discreto, para que minha transformação para o meu estado natural, não seja detectada por algum curioso de plantão. Depois irei me dirigir até a porta da casa e tocar a campainha.



- Boa noite, me chamo Gerrard Blackwood, estou aqui para descobrir o que a srta sabe sobre este pedaço de papel. O homem que me entregou está morto, ele foi assassinado e suas ultimas palavras foi um pedido para que eu cuidasse de você. Mas como vê, eu não tenho muitas informações a respeito.

Agora era a parte em que ela ficaria estérica por ter perdido um ente querido, eu sinceramente não tenho mais paciência com essas emoções mundanas. Eu vi todos aqueles que eu amo sendo levados pela morte, e com eles, um pouco de minha compaixão... espero ela se acalmar, e prossigo com o meu interrogatório se possível, caso ela não coopere, por conta das emoções, utilizarei dos meus dons do animalismo para acalmar sua besta. [animalismo 3]


- Tenho muitas dúvidas a respeito do caso, como quem era ele? quem é você? Quem queria ele morto? E quem pode ter feito isso?
avatar
Blackwood

Data de inscrição : 24/07/2016
Idade : 29
Localização : Betim - MG

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Qui Jun 07, 2018 3:03 pm

Alex Troy; PdS.: 07/15; FdV: 04/10; Vitalidade: ok
Rapidez, destreza +1; vigor +1 (cena)




Certamente haveria um pouco de ação antes do abraço. Os vampiros ali presentes se surpreendiam com o treinamento daqueles ex-militares e suas presas saltavam imediatamente, quase que em uníssono. Logo vinha o primeiro estampido, jogando um dos vampiros de joelhos no chão, não pelo ferimento, mas pelo estampido que certamente havia estourado os seus tímpanos. Provavelmente o cainita estava fazendo uso dos sentidos aguçados.

Os humanos se movimentavam rapidamente e logo vinha mais tiros: Pá! Pá! Pá!

Karla, como a legítima Brujah que era se transformava apenas em um borrão, costurando um movimento de um lado para outro entre os humanos. Á medida que o combate avançava os militares se davam conta de que estavam lidando com algo incomum ali dentro daquele galpão.

Alex Troy sentia que precisava fazer algo. Um buraco surgia em suas roupas, juntamente com um impacto e uma força empurrava o para trás. Era um tiro lhe acertando o peito. Em seguida outro disparo e mais um buraco em sua roupa, o cheiro de pólvora chegando em seu nariz. Se Alex fosse um vampiro desprovido de Potência certamente ele seria forçado a dar um passo para traz em razão da força do impacto dos dois projéteis. No entanto, não era o caso. Além disso ele não sofria ferimento nenhum e os seus agressores se mostravam surpresos.

Então o Ventrue recorria ao poder do magnetismo sobrenatural. À medida que Alex começava a discursar a bagunça ia diminuindo. Ao mesmo tempo ele se preparava para um possível combate, tornando-se sobrenaturalmente veloz. Logo teria o controle das emoções daqueles militares. No entanto, algum dos que não foram afetados logo cortaria o efeito. Uma faca vinha arremessada e acertava a cabeça do Ventrue interrompendo o processo da Majestade.

Um borrão se movia na direção do militar que arremessara a faca e ele era jogado contra o teto do galpão. Suas costas acertava uma viga de metal que sustentava o telhado. A viga de metal emborcava, amassando, e rachava as telhas que estavam sobre ela. Os sons dos ossos do humano se quebrando eram escutados, ele vomitava sangue e caía morto no chão. Como uma legítima Brujah, Karla começava a ser tomada pelo frenesi da emoção e do sangue.

Com a Majestade interrompida, os militares começavam a reação novamente... E agora?

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Ignus em Ter Jun 12, 2018 3:59 pm

Alex Troy sentia que precisava fazer algo. Um buraco surgia em suas roupas, juntamente com um impacto e uma força empurrava o para trás. Era um tiro lhe acertando o peito. Em seguida outro disparo e mais um buraco em sua roupa, o cheiro de pólvora chegando em seu nariz. Se Alex fosse um vampiro desprovido de Potência certamente ele seria forçado a dar um passo para traz em razão da força do impacto dos dois projéteis. No entanto, não era o caso. Além disso ele não sofria ferimento nenhum e os seus agressores se mostravam surpresos.


Troy olha para baixo, onde furos apareciam em suas vestes. Provavelmente o atirador esperaria que ele caíssem em alguns segundos, mas não era isso que ocorria. O cainita abre um sorriso largo ao voltar seus olhos para cima, deixando suas presas aparecerem enquanto permanece estático em sua posição graças à Potência.


Então o Ventrue recorria ao poder do magnetismo sobrenatural. À medida que Alex começava a discursar a bagunça ia diminuindo. Ao mesmo tempo ele se preparava para um possível combate, tornando-se sobrenaturalmente veloz. Logo teria o controle das emoções daqueles militares. No entanto, algum dos que não foram afetados logo cortaria o efeito. Uma faca vinha arremessada e acertava a cabeça do Ventrue interrompendo o processo da Majestade.


"Alguém conseguiu resistir a minha Majestade a ponto de me atacar? Realmente notável. O sujeito deve ser um belo candidato ao Abraço..."


Um borrão se movia na direção do militar que arremessara a faca e ele era jogado contra o teto do galpão. Suas costas acertava uma viga de metal que sustentava o telhado. A viga de metal emborcava, amassando, e rachava as telhas que estavam sobre ela. Os sons dos ossos do humano se quebrando eram escutados, ele vomitava sangue e caía morto no chão.


"... ou pelo menos assim seria se ele não tivesse sido reduzido a um corpo alquebrado. Uma pena. Mas felizmente há muitos outros ainda inteiros."


Como uma legítima Brujah, Karla começava a ser tomada pelo frenesi da emoção e do sangue.


Troy não tinha como forçar a Brujah a pegar um pouco mais leve com seus candidatos, então ele decide tentar sutilmente conduzí-la a uma linha de ação que não implicasse destroçar aqueles militares.

-Vamos beber, minha irmã!

Com a Majestade interrompida, os militares começavam a reação novamente... E agora?

Troy rapidamente ativa os dons do sangue {Presença 3} enquanto avança como uma bala em direção aos militares próximos.

Caso haja dois próximos um do outro ele pretende agarrar cada um deles pelo pescoço com força e erguê-los do chão, um em cada mão. Caso não  haja ele fará isso com apenas um mesmo. O objetivo do cainita era o de apagar suas vítimas vítimas imediatas por falta de oxigênio decorrente da esganadura, que ele esperava que ocorreria em breve, já que os alvos provavelmente gastariam seu fôlego em vão tentando escapar. Além disso ele esperava que os demais humanos o vissem daquele jeito, emanando sua aura mística, com as pressas a mostra, demonstrando força sobrenatural e resistindo às balas que certamente viriam como se sequer as notasse.

{2pds em vigor}
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Ter Jun 19, 2018 12:03 pm

Gerrard Blackwood; PdS: 09/15; FdV: 08/08; Vitalidade: ok

O Gangrel sondava o ambiente e então se certificava de que o local era aparentemente seguro e a mulher estava sozinha. Em seguida ele assumia a forma humana em um canto da casa. Seu corpo ganhava tamanho novamente, em uma velocidade incrível. As asas desapareciam enquanto assumiam as formas de seus braços com seus sinais animalescos. Poucos segundos depois o vampiro estava batendo na porta da residência. Ele escutava lá de dentro um “- já vai!”

Aquele “já vai” demorava um pouco e o vampiro então se lembrava de como as mulheres humanas eram enroladas. Assim que o vampiro se apresentava e contava o que tinha acontecido a mulher arregalava os olhos e entrava em prantos. O vampiro teria que exercitar sua paciência naquela noite. Ele não conseguiria o que queria a menos que afastasse o sofrimento da mulher com seus dons sobrenaturais do animalismo e assim, sabiamente, o ancilae fazia.
Aos poucos a mulher recuperava a lucidez e a razão, conseguindo manter uma conversa sem prantos, embora ela estava em um estado apático, praticamente sem sentimentos.

- Tenho muitas dúvidas a respeito do caso, como quem era ele? quem é você? Quem queria ele morto? E quem pode ter feito isso?
- Meu nome é Lúcia, sou mexicana e ele era David. Serviu no Iraque e desde que voltou nunca conseguiu se reestabelecer. Ele trabalhava com alguns bicos, apenas o suficiente para se manter. A gente se conheceu quando eu estava sendo assaltada e ele me salvou.
Ela havia colocado a cafeteira para esquentar e assim que apitava a mulher retirava o café servindo uma xícara e perguntava se Gerrard aceitava a bebida. Em seguida, apática à resposta do vampiro, ela continuava:
- Eu não sei quem queria mata-lo. Mas eu estava suspeitando que algo estranho estava acontecendo. Ele estava diferente nos últimos dias, feliz, mas muito ansioso. Dizia que nossos problemas iriam se acabar, que compraríamos uma ilha no havaí, mas que antes ele precisava resolver umas coisas. Acho que ele não me deixou envolver justamente para me proteger... Eu acho que ele estava mexendo com algo perigoso.
Ela bebia o café e mantinha-se em silêncio. Não parecia esconder nada, apenas parecia ter dado por respondida as perguntas do vampiro.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian em Ter Jun 19, 2018 12:19 pm

Alex Troy; PdS.: 05/15; FdV: 04/10; Vitalidade: ok
Rapidez, destreza +1; vigor +3 (cena)


Após ser atingido o ventrue esboçava seu sorriso sádico enquanto suas presas vinham à mostra, dando uma amostra do monstro que ele era. Agora mais ainda os soldados disparavam, 4, 5, 6 tiros. O peito do vampiro enchia de furos, fiapos de roupa e poeira levantavam. No entanto Alex era um vampiro com algumas centenas de anos de existência e muito resistente àquele tipo de ferimento, graças ao seu vigor incomum e sua resistência sobrenatural.
Um problema com a Brujah começava a surgir, mas Troy o contornava sutil e sabiamente:
-Vamos beber, minha irmã!
Um sorriso sádico surgia no rosto da vampira como uma afirmação, e ela voava no pescoço do humano, que ela mesma havia estragado. Aquilo deveria ser suficiente para contê-la.

Em seguida, com ela fora do caminho, o Ventrue podia concentrar nas suas ações. Como num risco ele se movia na direção dos dois militares que estavam disparando contra ele. Apanhava-os pelo pescoço e erguia os dois ao mesmo tempo, um em cada mão. Eles se debatiam bravamente, dentro de suas capacidades, mas inutilmente. Mais furos de bala surgiam nas costas do Ventrue, no entanto ele parecia nem sentir. Logo as armas de suas vítimas caíam no chão e eles apagavam.

Xingamentos vinham dos ex militares que ainda estavam de pé. Alguns já ficavam sem munição. Agora eles entendiam que não eram capaz de lidar com que estava ali dirigiam suas intenções para uma fuga. No entanto, com o galpão trancado não poderiam ir muito longe.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Ignus Ontem à(s) 11:44 am

Um sorriso sádico surgia no rosto da vampira como uma afirmação, e ela voava no pescoço do humano, que ela mesma havia estragado. Aquilo deveria ser suficiente para contê-la.


"Ótimo, deu certo. Ela deve parar de despedaçar meus recrutas agora. Seria um desperdício tremendo se eles ficassem quebrados demais antes do Abraço."


Em seguida, com ela fora do caminho, o Ventrue podia concentrar nas suas ações. Como num risco ele se movia na direção dos dois militares que estavam disparando contra ele. Apanhava-os pelo pescoço e erguia os dois ao mesmo tempo, um em cada mão. Eles se debatiam bravamente, dentro de suas capacidades, mas inutilmente. Mais furos de bala surgiam nas costas do Ventrue, no entanto ele parecia nem sentir. Logo as armas de suas vítimas caíam no chão e eles apagavam.


Troy repassa rapidamente em sua mente os números enquanto vê dois de seus candidatos apagarem.

"Inicialmente nós tínhamos aqui 17 candidatos. Na primeira investida cada um dos meus irmãos grudou em um deles, o que reduz esse número consideravelmente. Além disso temos pelos menos mais 1 morto por Karla e 2 apagados por mim agora. Não deve faltar muito para tirarmos todos de combate. Nesse contexto acho melhor não fazer nada muito violento para não assustá-los ainda mais. Eles tentando correr darão mais trabalho do que se não o fizerem. Não muito mais, mas algum. Melhor otimizar os recursos. Eu só preciso enrolar um pouco esses humanos para que meus irmãos drenem seu sangue."

Ainda irradiando os efeitos de sua Presença Alex fala para seus recrutas que ainda são capazes de ouvir.

-A essa altura vocês já devem ter percebido a futilidade de enfrentar vampiros - Ele deixa a última frase no ar por meio segundo antes de prosseguir - A sorte de vocês que ainda estão em pé é que era verdade que nós estamos recrutando colaboradores. Fiquem onde estão e aceitem de bom grado nosso convite para a imortalidade ou corram e sejam abatidos pelas costas como porcos. A escolha é de vocês.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Rian Ontem à(s) 1:55 pm

Alex Troy; PdS.: 05/15; FdV: 04/10; Vitalidade: ok
Rapidez, destreza +1; vigor +3 (cena)



A sorte de vocês que ainda estão em pé é que era verdade que nós estamos recrutando colaboradores. Fiquem onde estão e aceitem de bom grado nosso convite para a imortalidade ou corram e sejam abatidos pelas costas como porcos. A escolha é de vocês.

- Merda! Xingava um dos militares.
- Droga! Bradava outro com a pistola aberta após ser descarregada, que era descartada sendo jogada de lado, como um gesto de desistência.
Outros xingamentos vinham dos militares que ainda estavam de pé. No total ainda eram 8. Após descobrirem que estavam lidando com vampiros, constatarem que seus esforços eram em vão e enfeitiçados pelo poder da presença, eles desistiam.
- O que querem de nós, além de beber nosso sangue? Indagava um dos militares, barba ruiva, alto e forte.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Cicatrizes Que Ficaram

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum