Ficha: Henry Ford- Nosferatu

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha: Henry Ford- Nosferatu

Mensagem por Romullus em Qua Jan 10, 2018 2:18 pm

Nome: Romullus
Personagem: Henry Ford
Clã: Nosferatu
Natureza: Masoquista
Comportamento: Ranzinza
Geração: 13°
Refúgio:  Apartamento alugado
Conceito: (Ex?) Membro do FBI

Saldo de XP: 0/0

________________________________________

2. Atributos

Físicos
- Força: 1+1=2
- Destreza: 1+2=3
- Vigor: 1+2=3

Sociais
- Carisma: 1+1=2
- Manipulação: 1+2=3
- Aparência: 0

Mentais
- Percepção: 1+2=3
- Inteligência: 1+2=3
- Raciocínio: 1+3=4 (Reagir rápido)

________________________________________

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão: 3
- Esportes: 3
- Briga: 2
- Esquiva: 1
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 2
- Liderança:
- Manha:
- Lábia: 2

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 1 (2 Pt. bônus)
- Etiqueta:
- Armas de Fogo: 2
- Armas Brancas:
- Performance: 3  (6 Pt. bônus)
- Segurança:
- Furtividade: (3+1)= 4 (2 Pt. bônus)
- Sobrevivência: 1 (2 Pt. bônus)

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 2
- Finanças:
- Investigação: 3
- Direito:
- Linguística:
- Medicina:
- Ocultismo: 2
- Política: 1
- Ciências:


________________________________________

4. Vantagens

Antecedentes
- Recursos 3
- Contatos 2
-Aliados 2 (2 Pt. bônus)
-Mentor 1 (1 Pt. bônus)

Disciplinas

- Ofuscação 4 (3+1=7 Pt. bônus)

5. Virtudes
- Consciência: 1
- Autocontrole: 4 (1+3)
- Coragem: 5 (1+4)

Humanidade: 4

Força de Vontade: 5

________________________________________

Qualidades e Defeitos
SENHORES RIVAIS- 2 pts. bônus (Não um, mas dois vampiros quiseram Abraça-lo. Um conseguiu, outro falhou - e não está contente com essa falha. Você, seu Senhor atual ou ambos transformaram o outro pretendente num vampiro irritado. De qualquer maneira, seu perseguidor +2 dificuldade para conter o frenesi em sua presença. E ainda pode estar trabalhando para destruí-lo).
AMADO REPUGNANTE 4pts.-(Você não só está com Laço de Sangue, como também é servo de um vampiro que maltrata você terrivelmente. Talvezvocê seja abusado e humilhado publicamente; talvez seu mestre lhe force a cometer atos terríveis para ele. Em qualquer caso, existe por debaixo do Laço um pesadelo que nunca acaba, com seu amado conduzindo-lhe à maldade).
EDUCAÇÃO DETURPADA 1pt.-(seu senhor foi perverso com você. Ele lhe ensinou todas as coisas erradas sobre a sociedade dos vampiros. Todas
as suas crenças sobre como os vampiros interagem estão equivocadas; as suas crenças falsas podem arranjar-lhe muitos
problemas. Com o tempo, depois de muitas lições duras, você pode superar este início ruim (o Narrador dirá quando).
Mas até lá, continuará a acreditar nas coisas que lhe foram contadas em seus primeiros dias como vampiro, não
importa o quanto os outros tentarem lhe .enganar., fazendo-o pensar diferente).

Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 21 anos.
- Idade total: 28
- Data de nascimento: 14/09/1989

Prelúdio:
                                                                       A infância e adultez

Henry era um garoto de ótima aparência, nascido em uma família abastada e filho de um dos políticos mais bem sucedidos de Massachusetts, e extremamente influentes na área da mída, igreja e no própio mundo político no momento. Eles são um dos lacaios valiosos  e diretos dos Ventrue, portanto, já tinham sua vida política toda estabelecida, além de serem reconhecidos por seus feitos tanto na mídia quanto na vida política, apadrinhada pelos Ventrue. Seus pais viviam para o trabalho, entretanto, seu nascimento veio a ser uma alegria e satisfação para eles pois Henry seria o próximo herdeiro da família Ford, um jogo de cartas marcadas necessária para o seguimento da política futura, uma vez que já haviam investido bastante tempo articulando para que esse evento ocorresse, além de uma enorme quantia de dinheiro investido nessa família como o próximo grupo político promissor, fora a chance promissora de Henry se tornar um carniçal útil e o próximo neófito do clã, e seus pais esperavam por isso, porque eles mesmos não quiseram aproveitar essa oportunidade na época, por motivos pessoais.
No entanto, já, aos 18 anos, Henry começou a estar ciente, por alto e distorcidamente, sobre a realidade vampírica a qual pairava no mundo e no qual ele estaria prometido e imerso, o que não despertou tanto interesse porque achou que fosse algum segredo do governo sobre testes de capacidades sobre-humanas que ele já tinha ouvido falar e lido sobre. Além do mais, seus pais não foram mais profundamente  no assunto, naquele momento. Henry começou, aos poucos, se enojar do mundo em que seus pais viviam e esperavam que ele fizesse parte, criando um mal estar entre os próprios membros da família e na panela política. Os pais do Henry fizeram valer sua autoridade para que ele se encaixasse nos planos políticos pré-estabelecidos, e Henry, até, se manteve por um tempo na política e aprendeu sobre o básico, mas não aguentou tanta pressão e cobrança de todos os lados sobre seu destino na política, inclusive da mídia atrás de informações, através de reportagens exclusivas, aqui e ali. E, antes da tentativa de se livrar de todo esse mundo político, Henry fez sua última jogada, deu uma entrevista exclusiva, por sua conta, a redes mais famosas de televisão, anunciando que não será sucessor da família Ford, dizendo, ainda, que iria desaparecer dos olhos da mídia, também. Ao saber da notícia, a família se enfureceu, movendo suas peças, para que a imagem de Henry vinculada a notícia não aparecesse ou aparecesse o menos possível na mídia. Tudo foi feito pra abafar e negar essa notícia negativa, porém, sua envolvimento de Henry com a política, àquela altura, não o permitia se desligar, ainda, mais, não, totalmente. A família dele não iria deixar barato. Henry se afastou da família, por um tempo, pra que essa bomba da mídia esfriasse, que era o desejo da família, também, e tomou o rumo de sua vida. Ele passou para o concurso da polícia e começou sua carreira por três anos, e, mais tarde, assim, fazendo o concurso pro FBI o qual ele é membro, atualmente. Foi nesse desentendimento entre a família de Henry que os Nosferatu viram a chance de ouro pra armar seus planos de vingança, causado por uma rusga do passado. Por terem visto o rosto de Henry na mídia, por haver, também, outras pessoas interessadas em seguí-lo, e como bons espiões que são, descobriram, aos poucos, e facilmente, por onde Henry andava, e foram até ele.


                                                                     Vida vampírica: O Abraço

Aos 28 anos, Henry estava começando a curtir sua vida como um membro do FBI, focado em seus estudos e se dedicando muito para ser um bom policial, visando futuras patentes mais altas. O que ele não sabia é que ele esteve sendo vigiado por um membro Nosferatu, há muito tempo, desde a repercussão da notícia sobre o Henry na mídia. Boca de rato foi enviado nessa tarefa de adquirir o máximo de informações possíveis sobre Henry, como residência, situação financeira e civil, profissão, horários, amizades, como era a segurança da casa dele e como ele iria entrar, etc. Todas as coisas que poderiam ajudar ou atrapalhar na tarefa. Era só parte de um plano bem elaborado pra ser executado com êxito, mais tarde. Essas observações se perduraram por vários meses, à sombra da Ofuscação, até que a segunda parte do plano, finalmente, foi posta em prática.
Boca de Rato repassava todas as informações ao chefe dessa operação sobre tudo que ele tinha conseguido, e teve autorização pra agir, como planejado. Dessa vez, Boca de Rato já estava à espera dele dentro de sua casa, esperando que ele ficasse bastante à vontade; Boca de Rato foi escolhido à dedo para essa tarefa, diga-se de passagem, por ele ter a pior aparência entre os membros mais horrorosos e decreptos envolvidos nessa operação, e não o bastante, ele ainda deu um toque mais demoníaco à sua aparência, adicionando adereços, tipo asas e chifres, com o uso de Ofuscação, nivel 3. Então, Boca revela-se a Henry! Henry dá um grito profundo, se desequilibrando e quase caindo para trás, se segurando no que desse, dando, em seguida, vários gritos histéricos de puro horror pelo o que está vendo e pelo o cheiro fétido insuportável que estava sentindo, ao mesmo tempo! Ele tenta fugir, mas nem consegue, seu seu pânico era tão grande que o seu corpo não responde mais e o faz cair no chão, com os olhos vidrados, também, de pânico. Tão pouco conseguia pensar racional e ordenadamente. Boca de Rato, curtindo cada momento da cena, fala com a voz gultural e assutadora:
-Chegou a  sua hoooora!- E deu uma risada demoníaca.- Vou levar a sua alma, seu burguês “maldjiiituu”!-Entre os dentes.
Henrique esboçou uma subta reação, tirando ele do choque momentâneo em que ele estava, só conseguindo balançar a cabeça. Em seguida, desmaiou. Boca de Rato, claro, o acordou para continuar a “brincadeira”, dando tapas em seu rosto porque ele precisava dar continuidade ao plano inicial, e, para isso, ele se assegurou que Henry estivesse o mais consciente possível, se é que fosse possível, para registar o que iria se passar, a seguir.
-Acoorda, burgueziiinho.... Tá na hora da sua vida mu-dar- Em tom de deboche.
Ao perceber que Henry está olhando pra ele, ele agarra o seu pulso e morde, com vontade, com aqueles dentes podres e erráticos de sua boca. Henry solta gritos bem alto de dor, durante todo o processo do Beijo, até que ele acabe, e apaga. Ao se recobrar, Henry se debate e se levanta, num salto, ficando sentado. Nesse momento, ele sente uma terrível vontade de comer ou ter alguma coisa que ele não sabe o que é, mas que causa uma angústia interminável. Instintivamente, ele agarra o demônio ao seu lado, como se implorasse a ele algo, e, então, Boca de Rato, logo, lhe oferece seu pulso cadavérico aberto, para que Henry sugue as gotas de sangue que ele tanto quer, deixando ele sugar até certa quantidade. Henry experimenta seu primeiro Frenesi.
-Pronto, seu imbecil- empurrando, abrutalhadamente, a cabeça de Henrique, fazendo sua cabeça balançar meio forte- agora, o resto você vai aprender a buscar por si mesmo. Mas, por enquanto, eu vou deixar você bem alimentado. Sorri, maliciosamente.
Boca de Rato, se levanta e desaparece, do nada, não fazendo nenhuma diferença pra percepção do Henry, que está, no momento, sentado como um débil e com o olhar catatônico. Boca ainda o visita no primeiros dias, entrando na casa, facilmente, afim de ver como Henry vem reagido.
Passa-se algumas semanas e Henry já não é mais o mesmo, ele permanece no estado quase vegetativo e não conseguiria nem cogitar em ir mais ao trabalho e nem pensar nos amigos ou família, apenas reage às necessidades fisiológicas básicas. Seu estado atual é de alguém que passa por uma depressão pós trauma bem grave. Boca vem tem visitado Henry, todos os dias, afim de acompanhar sua evolução, depois do Abraço. Vendo que ele se encontra num estado de choque, Boca resolve remover Henry de lá, e o leva pra um lugar mais reservardo em seu território, ao modo furtivo Nosferatu.
Henry já começou a sofrer mudanças físicas avançadas que o modificam, nojentamente, o seu corpo, -mas que ainda é possível reconhecê-lo- e o fazem entrar em estado de pânico e paranóia, outra vez. Ele implora por médico, em vão. Em vários momentos,  pede por ajuda e questiona o porquê disso estar acontecendo com ele. Henrique passava por um momento de sofrimento bastante intenso, o que acabou criando uma válvula de escape inconsciente, ora fazendo ele entrar no estado de delírio depressivo, ora resistindo ao sofrimento, para poder se manter são, como uma distração do sequestro e tortura em si, e acabou se tornando uma compulsão e, de certo modo, um prazer meio à loucura. Nessa vezes, Henry se sentia sozinho no escuro, embora atendido em suas necessidades básicas, mas mal sabia ele que ele estava sendo observado, bem de pertinho, o tempo todo, com poucas visitas que eram apenas para receber um dose do sangue de Boca de Rato e reforçar o Laço de Sangue com ele. Foi mencionado a ele, em uma dessas vezes, um breve e vaga explicação do que se passava, sendo dito que o que aconteceu foi que ele foi submetido a uma transformação sobre-humana, e que, desses dias em diante, não serão mais os mesmos porque ele se transformou em um ser superior a raça humana.. Aproveitando o momento de transformação dele, Boca de Rato aproveitou para se divertir com o seu plano, mais uma vez, fazendo uma filmagem do estado atual de Henry, a fim de informar a família de como sua aparência estava, no momento, além de insultar e irritar os Ventrue, também, claro. Depois, ainda, de quebra, deu um toque final em seu plano: fizeram Henry falar tudo que ele sabia sobre o mundo corrupto em que seus pais estavam atuando. Além disso, estudaram os trejeitos de Henry, pela última entrevista que ele fez na tv, salva em download, as copiaram, junto com a sua aparência mortal, para se fazer passar por ele, e chamou a imprensa, mais uma vez, fazendo uma denúncia  sobre corrupção no meio político da família Ford . Claro que os Nosferatu fizeram questão de mostrar a Henry sua peça pela internet, deixando Henry muito confuso quanto a como eles fizeram aquilo. O impacto causou um bom estrago na política Ventrue, uma vez que em época onde todos os vestígios de corrupção estão sendo investigados pela imprensa, naquele momento, essa denúncia fez com que abrissem outro inquérito.

                                           
                                                                          A proposta

Um mês depois, Boca de Rato e alguns dos outros Nosferatu aparecem para ele. Boca de Rato toma a palavra e avisa a Henry que, à partir daquele momento, fazia parte do clã deles. Então, ele começou a explicar o que eles são, mas, de maneira deturpada, explicando que eram seres de raça superior a humana com capacidades que outros humanos não tinham, e que existiam aos milhares deles pelo mundo, com habilidades diferentes e surpreendentes. Esse assunto fez dar um estalo em Henry porque esse assunto não lhe era estranho, mas, agora, esse assunto o interessou, de vez, fazendo muitas perguntas e o que ele iria aprender, e, claro, o porquê de ele ter passado por tudo isso, até o momento. Mas nem tudo lhe foi esclarecido, só o básico para ele se manter vivo e seguir as regra, de acordo a Camarilla/Sabá; (os quais nomes apropriados não foram mencionados mas sim distorcidos para seres sobre-humanos que tem sua organização e características próprias, assim como poderes e seus efeitos. A intenção dos Nosferatus de distorcer sobre o que ele se transformou e como seria a sua vida, dali em diante, foi proposital, a fim de que ele aprendesse, não só de uma forma deturpada sobre a sua realidade, como ele ficasse confuso com as informações que ele iria descobrir no futuro, ao interagir com outros membros, criando um constrangimento). E foi acrescentado a Henry essa versão fictícia sobre tudo que aconteceu, dizendo  a ele que era parte de seu destino os Nosferatu terem sido enviados para cumprí-lo, à mando dos seres sobre-humanos do universo.
Foi proposto a Henry que, se ele quisesse sua liberdade e aparência de volta, ele teria que aprender por si só a desenvolver habilidades que os Nosferatu estavam dispostos a ensinar; apenas mais um motivo para os Nosferatus usarem o treino como uma outra forma de tortura. E, assim, foi feito.

                                                                             O treinamento

Antes de tudo, Henry precisava que fossem feitos alguns ajustes em seu psicológico, para que ele pudesse estar apto a receber instruções e entrar em ação, quando necessário, já que ele sofreu um impacto muito violento, além de que o processo do Abraço foi muito abrupto e recente, portanto Henry estava muito ligado ainda à vida humana, por todo o sofrimento passado, sentindo-se como se fosse um humano, ainda, não estando com laço forte com sua Besta. Então, um  dos Nosferatu usou Acalmar a Besta em Henry, olhando em seus olhos, e, assim, foi removendo a letargia causada pela depressão profunda em que ele estava. Em seguida, incitou a coragem e agressividade dentro de sua ainda fraca Besta, ajudando-o, a reagir. Assim, como o período de treinamento o ajudou a restaurar a força de vontade, perdida no processo traumático. Foi uma medida usada, sempre que precisava.
Foi passado cada detalhe sobre o conceito de Ofuscação e posto em prática em campo, (em seu território e nas ruas, também), em várias situações criadas pelo Nosferatu, o qual Henry teria que seguir alguém em específico, furtivamente, e esconder-se em outros momentos do treino. E essas perícias foram aperfeiçoadas por Henry, à duras penas, porque seu mentor e membros do clã davam a ele um incentivo especial para que ele aprendesse: a cada erro que ele cometia, havia uma consequência violenta em decorrência dele. Se o objetivo do treino era ter que perseguir um alvo -que estava ciente do treino- e ele fosse visto, era alvejado por uma arma ou golpeado, brutalmente; o mesmo acontecia, quando era interceptado. A dor acabou, também, passando a fazer parte dos treinos. Durou bastante tempo, até que ele conseguisse ser eficiente, apesar de ele já ter tido contato com a perícia de forma mais amadora em seu treino como policial e um agente inicial do FBI.
Mais adiante, nos treinos, foi explicado a Henry que a parte social era uma das partes mais importantes para o clã porque era uma das coisas do qual o clã vive, e, por isso, foi importante que ele aprendesse técnicas mais profundas de atuação teatral, a fim de se tornar um agente de infiltração mais aperfeiçoado, além do aperfeiçoamento de lábia, etc. Foi um processo longo e árduo, até que ele conseguisse se tornar convincente o suficiente, e, também, para que ele conseguisse atingir o grau necessário para desaparecer, no quarto nível de Ofuscação, duramente, exercitado a cada erro, também.
A última parte do treino foi relacionado por um outro ensaio ao horror pessoal, o qual ele teve que exercitar  bastante o autocontrole. Henry teve que se submeter a lidar com a sobrevivência em ambientes urbanos e aos esgotos, também. Ele, simplesmente, era jogado numa fossa fétida- a qual lhe é familiar e que o remeteu logo ao primeiro encontro dele com o Boca de Rato- e lá, ele teria que resistir longos períodos, junto com ratos, baratas e outros insetos, repetindo quase que diariamente o processo, até que ele conseguisse se adaptar ao ambiente sem entrar em Frenesi ou manifestasse qualquer sinal de nojo.
Outras habilidades foram treinadas e aperfeiçoadas, aproveitando  as habilidades pessoais ou treinamento militar que ele já tinha. Com o  tempo, ele demonstrou bastante competência, surpreendendo aos Nosferatu, e adquiriu autonomia para ir à campo. Foi um ótimo investimento para os dois lados, no final das contas: para Henry que conseguiu nos treinos, de certo modo, um alívio momentâneo de um sofrimento mortificador, e que deu a ele esperanças de voltar a sua vida normal, e para os Nosferatus porque Henry acabou fazendo os trabalhos mais perigosos e sujos, sem precisar que eles pusessem as mãos deles nesses trabalhos.
Um dos Aliados que Henry possui é o amigo da própria polícia, antes de entrar para o FBI, ainda como humano. Eles trabalharam juntos, durante um ano em missões sigilosas, dadas pelo governo, e, também, passaram sufoco, juntos, em momentos em que a própria corrupção da corporação estava atrapalhando o trabalho deles. Então, eles tiveram uma ideia brilhante de bolar um esquema, baseado nos meandros do sistema corrupto, a fim de converter em vantagem para seus fins. A cooperação um do outro em vários outros esquemas acabou dando fruto de amizade entre os dois. Mais tarde, esse amigo veio a participar de esquemas corruptos, jogando o jogo das manipulações escusas do sistema, vindo a se tornar chefe do setor em que Henry trabalhava. Um dia, ele indicou Henry para trabalhar para um prefeito do estado em tarefas de segurança, etc. O prefeito gostou do modo como ele ele operava, e passou a contar com Henry sempre que precisava, nisso,  acabou convivendo e ficando mais próximo de Henry, que por sua vez, acabou fazendo amizade no meio político. Henry teve que acabar consentindo com o meio político sujo que ele observava, em troca de se manter no seu emprego, conquistando, mais, a confiança e amizade do prefeito. Ao mesmo tempo, foi ampliando sua rede de fontes, também,  conseguindo o que precisava, conversando ali e aqui, acabando por conseguir um Contato no gabinete do prefeito o qual era mais próximo a ele em amizade.
O outro Contato era um outro amigo da própria agência que Henry conheceu, amigo do Aliado dele, o qual ele, também, acabou beneficiado, no que ele precisava, por amizade mesmo, e conseguindo informações que eram mais sigilosas, por esse Contato ter um cargo importante.
Quanto aos Recursos, eles tiveram que ser conseguidos por conta própria via transações ilegais, informações valiosas, etc, que foram/ são proporcionadas pelas próprias missões.

                                                                              Objetivos:

Henrique ainda tem esperança de voltar a atuar no FBI e de se comunicar com a família, por ele achar que tem recursos de aparentar como ele era antes. Pelo menos, assim, ele idealiza. Nas últimas semanas, ele está em stand by em seu apartamento, à espera de um contato dos Nosferatus.
avatar
Romullus

Data de inscrição : 07/12/2017
Idade : 36
Localização : No planeta.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum