Cidade de Merda, Noites de Merda.

Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Crowley em Qua Jan 24, 2018 2:11 pm

O sombrio foi sábio em evitar os mortais ferozmente armados, não via um poder de fogo assim em áreas urbanas desde a guerra, essa cidade realmente era bem perigosa, mas o fato de evitar o confronto não era por medo e sim por estratégia, agora saberia onde encontrar os filhos das putas, mas a missão vinha antes de tudo, sua vingança em primeiro lugar, ao fugir por uns dos becos ele consegue despistar os caçadores.

Ainda vou voltar aquele lugar, mas da próxima vez estarei preparado para uma verdadeira guerra urbana...

O sombrio guarda uma grande irá do que aconteceu e breve pretende voltar e eliminar aqueles porcos que se chamam de humanos, mas durante seus pensamentos ele se desligar completamente do mundo e quanto corria com suas coisas e quando dar por si, já estava no centro da cidade.

Mas que cidade de merda...
Essa porra está completamente fazia, onde está geral??


Crowley se depara com o tamanho poder que a umbra penetração a cidade de merda, apenas o assobio que o vento fazia era ouvindo...

Porra, bem que o Thalles falou, essa cidade é sinsitrado, todo cuidado é pouco.

Então em seus pensamentos saberia que estava na hora de ter muito mais cautela até que...
Uma voz rempentina quebrava o silêncio e dizia;

Voz desconhecida escreveu:
– Você não faz parte do nosso grupo. Nunca te vi aqui. Com quem você tá?
Crowley ouviu uma voz muito próxima dele, porém nada via.

Caralho de onde veio essa porra agora, outro fantasma nessa porra?

As palavras “Você não faz parte do nosso grupo” soam um tanto sugestivas...

Acho que agora faço!

O sombrio procura de onde vem a voz, mesmo que não achei a origem ou o dono ele prossegue com  seus pensamentos e diz respondendo

- Não sou dessa cidade, sou apenas visitante manco tentando achar seu hotel!
- Se puder ao menos dizer por onde ficar o hotel The Vendue ficarei muito grato!


O sombrio tenta parecer nada ameaçador e bem convincente em seu argumento de forma bem calma de se falar. Afinal tudo que Thalles disse parece ser real então a porra dia lobos entram para essa conta!
avatar
Crowley

Data de inscrição : 02/12/2010
Idade : 27
Localização : Rio de janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Dom Jan 28, 2018 8:05 am

Voltar para casa trazia apenas um pequeno ar de segurança para minha alma. Eu estava cansado, fedendo e ainda bastante fraco. Eu tentava não transparecer para o padre, a ultima coisa que eu queria era aquele louco percebendo que eu estava fraco e poderia ser uma presa para ele. Quando eu estava a ponto de sair do carro eu recebi a chamada de volta pelo radio

Leon :- Cpt. George . Aqui é o delegado Summers do segundo batalhão de Charleston ! Preciso de apoio tatico emergencial para uma ação de resgate de policiais e uma investigdora. Repito missap de resgate de 4 pessoas ! Capitão prepare seus homens para leva los ao cemiterio as 7 da manhã de hoje. Capitão eu estarei te dando o endereço da minha casa para que possamos trocar informações detalhadas sobre o brief da missão. Venha o quanto antes por favor isso é de importancia primordial  

Eu mandava o endereço para ele e esperava a sua chegada. Ajudava o frade a sair do carro e o conduzia até a minha casa. Tudo era bastante acolhedor no interior da minha residência minha sala tinha moveis na cor negra de maneira sofisticada para um homem solteiro. A casa não era grande. Eu tinha um quarto extra com o qual o frade poderia dormir se quisesse. Eu usava justamente quando meu pai ou algum amigo viesse de longe. A cozinha era pequena, no estilo americana. Não tinha mesacde jantar pois eu nunca almocava ou jantava em casa. Abri a geladeira e ofereci agua gelada ao padre enquanto continuei a conversa.

Leon :- padre. Eu planejo invadir pela manhã o local como vc afirmou . Tem mais alguma coisa que eu deva saber ?

Depois de oferecer conforto e agua eu fui até meu quarto onde havia um cofre. Eu digitei o numero da minha entrada na faculdade de direito . 15 do 05 e la estavam coisas realmente importantes para mim . Uma grande quantia em dinheiro, um passaporte, fotos da familia , documentos pessoais importante da casa e do emprego e o relicario. Aquela taça do tamanho do meu punho feita completamente de prata e ornamentada com palavras em italiano e latin estava embrulhada em um plastico como objeto de prova criminal. Nunca imaginei que realmente tivesse algum poder milagroso nele de verdade. Mas eu lembro das palavras de um dos membros do ulto macabro que dizia que esse artefato tinha poderes de cura se usado em locais sagrados ou com pessoas de pura fé que bebessem de sua agua.Eu voltava então para sala com o calice na mão para mostra-lo ao Padre. Talves ele pudesse entender disso melhor do que eu.

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Krauzer em Seg Jan 29, 2018 4:38 pm

O frade era levado até a casa do oficial. O local era pequeno e os móveis negros refletiam o vazio que assolava sua alma.

Leon o levava à cozinha e lhe oferecia água. O padre olha para o copo d'água por um longo segundo que mais parecia uma eternidade. Ele era oferecido como um aperto de mãos, ou uma espécie de pedido de desculpas de um homem que lhe apontou um revolver e ameaçou atirar. Uffizi não sabia se ainda tinha necessidade de beber água, e a visão da água transparente e salubre não lhe parecia nem um pouco desejável, mas a aceita assim mesmo, como que aceitando um pedido de desculpas.

Leon :- padre. Eu planejo invadir pela manhã o local como vc afirmou . Tem mais alguma coisa que eu deva saber ?

Ainda encarando o copo d'água, onde ele procurava em vão sua imagem refletida, responde:

Uffizi: - Sim, na verdade há sim. Muitas coisas na verdade, mas não temos tempo suficiente para lhe contar tudo, então precisarei ser breve. Primeiro de tudo, desculpe por não ter me apresentado, me chamo Uffizi... ou ao menos era assim como fui chamado. Eu fui criado desde a mais tenra idade em um monastério, mas recebi treinamento de combate para enfrentar estas criaturas, então gostaria de ser levado junto nesta missão! A luz do sol agora é minha inimiga, então poderíamos invadir o local logo antes do sol nascer. Eu estarei vulnerável neste momento, assim como as monstruosidades que lá habitam!

***


Após a conversa, o oficial deixava a cozinha. Uffizi sentava-se à mesa e encarava novamente o copo d'água. Ele havia sido ensinado sobre como os demônios noturnos agiam, como caçá-los e mata-los, mas sabia pouco sobre seus hábitos alimentares. Segundo as pesquisas da Ordem, sabia-se apenas que eles precisavam ingerir sangue, mas até onde se lembrava, ele nunca havia ouvido ou lido se eles poderiam beber água ou ingerir alimentos. É provável que não, pois estas eram criaturas tocadas pelo mal, cuja existência exigia a morte de inocentes, mas haveria uma forma de "viver" sem precisar matar?

O padre levava o copo aos lábios e ingeria uma pequena quantidade de água. O líquido passa por sua garganta, insípido, sem a comum sensação de "matar a sede" que costumava acompanha-lo. O líquido chega ao seu estômago e nada acontece, então ele decide sorver o restante do conteúdo.

Ao beber toda a água do copo, uma sensação de desconforto leve assola o outrora santo homem. Era como se seu corpo rejeitasse o conteúdo de seu estômago, e começasse a expulsa-lo através de suas glândulas lacrimais e sudoríparas. A água bebida escorria em forma de lágrimas e suor, e ele tinha certeza de que se continuasse bebendo, acabaria vomitando ali mesmo.

Com um duplo rancor, Uffizi descobria que o elemento que traz a vida agora o rejeitava. O elemento que sempre tivera uma relação recíproca com sua religião (vide o batismo e tantas outras simbologias) agora era a última prova de que ele estava oficialmente expulso do mundo da luz. Ao pensar nisso, o antigo padre via um pequeno filete rubro misturar-se à água que escorria de seus olhos.

Summers voltava com uma bela taça de prata embrulhada em plástico. O padre imaginava que se tratasse da taça mencionada pelo oficial anteriormente.

Uffizi: - Posso examina-la?

Caso Summers permitisse, Uffizi a examinaria de todos os ângulos possíveis, e tentaria ler suas inscrições.
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Fev 01, 2018 9:26 pm

– Piroca –

Resumo:
Reserva de Sangue: 10/15.
Força de Vontade: 4/5.
Vitalidade: OK.

Piroca seguiu a risca as instruções do Ventrue Ted, não tendo dificuldade alguma em encontrar o covil do seu próprio clã. Quando ele cruzou a última porta, se deparou com um corredor reto, com diversas portas simples de madeira em ambos os lados e apenas uma porta dupla, diferente das demais no fim do corredor. Não precisava pensar muito para entender que atrás daquela porta estava o alojamento de “Tip” – que provavelmente era o Nosferatu mais velho da cidade.

Piroca tinha passado por poucas e boas antes de chegar aonde estava. Seu objetivo era esse desde o começo, então antes que mais alguma escrotice sobrenatural acontecesse, ele resolveu não perder mais tempo e ir falar com o “manda-chuva dos ratos” de Charleston.

Conforme se aproximava da porta, ele pôde facilmente distinguir vários sons. Havia uma lareira acessa, pois ele podia ouvir com facilidade o som do fogo crepitando. Ele também podia ouvir uma música clássica soando em um volume moderado através de um stereo. Piroca não tinha certeza de qual, mas parecia ser alguma obra de Wagner.

Ele não sabia exatamente como proceder, então fez o que achou sensato: bateu três vezes na porta e aguardou. Passos leves e vagarosos ecoaram do outro lado e, após alguns instantes, a porta se abriu, produzindo um leve rangido e revelando um rosto mais familiar para o recém-chegado.


Tip olhava de forma curiosa para Piroca. Ele não o conhecia, mas sabia que Ted e Diana não deixariam alguém indigno de confiança ir tão longe dentro do último refúgio cainita de Charleston.

A figura, que estava enrolada em um roupão, era baixa e esguia, com uma pele seca e dedos longos e tortos que seguravam um cachimbo elegante de madeira

– Posso lhe ajudar em algo, meu caro?

Tip era educado e parecia um senhorzinho antiquado, no entanto Piroca sabia que ele certamente não deveria ser subestimado – e certamente sabia que sua entrada ali não tinha passado despercebida.

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Fev 01, 2018 9:28 pm

– Crowley –

Resumo:
Reserva de Sangue: 13/15.
Força de Vontade: 09/10.
Vitalidade: OK.

- Não sou dessa cidade, sou apenas visitante manco tentando achar seu hotel! Se puder ao menos dizer por onde ficar o hotel The Vendue ficarei muito grato!

Teste:
Manipulação+Lábia (Dif. 9): 9,1,4,2,6,10, 9 (Convincente) – 2 Sucessos.

Surgindo literalmente do nada, uma figura vestindo jeans, coturnos e uma regata branca se materializa na frente do Lasombra. Com uma pele enrugada e de cor de madeira velha, como um corpo mumificado, um ser careca de orelhas pontudas e cheias de argolas encara Crowley por um momento. Ele possui enormes feridas purulentas por todo o corpo, sendo facilmente perceptíveis nos braços, ombros, pescoço e topo da cabeça. Ele exalava um cheiro terrível de carne infeccionada, muito semelhante a um leproso.

– O Vendue? Sim, eu sei onde fica o Vendue. Posso te levar lá, sim. No entanto, amigo... Eu não sei se você notou, mas essa cidade está uma merda ultimamente. Como posso confiar em você? Aliás, qual é o seu nome mesmo?

Teste:
Percepção+Prontidão (dif. 9): 1,6,6,1 – Falha Crítica

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Fev 01, 2018 9:29 pm

– Leon e Uffizi –

Resumo (Leon):
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.

Resumo (Uffizi):
Reserva de Sangue: 12/15
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.

-1 PdS (Expelido com a água).

Cpt. George . Aqui é o delegado Summers do segundo batalhão de Charleston ! Preciso de apoio tatico emergencial para uma ação de resgate de policiais e uma investigdora. Repito missap de resgate de 4 pessoas ! Capitão prepare seus homens para leva los ao cemiterio as 7 da manhã de hoje. Capitão eu estarei te dando o endereço da minha casa para que possamos trocar informações detalhadas sobre o brief da missão. Venha o quanto antes por favor isso é de importancia primordial

– Afirmativo, delegado. Estarei aí o mais depressa possível.

****

Assim que Uffizi olhou para a taça que Leon trazia, algo começou a lhe causar desconforto. Ele não sabia exatamente, mas quanto mais a taça se aproximava dele, maior o desconforto. Ele não sentia vontade de correr, mas sentia um amargor terrível na garganta e um calor anormal. Era algo que, se antes provavelmente iria lhe causar prazer, agora era “intragável”.

Off: Como vocês ainda estão interagindo um com o outro, fiz apenas algumas observações de acordo com o que acontece. Quando for a hora propícia, eu atualizado a situação mais detalhadamente. Por agora, entre outras coisas, podem continuar a conversa.


_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Sex Fev 02, 2018 11:11 pm

Eu ainda estava meio desconfiado com ele. Era sério que ele queria que eu voltasse lá a noite ?

Leon : - Sem chance Uffizi ! Eu não vou arriscar mais homens a noite naquele lugar, eles possuem conhecimento da área, quando eu desci lá o local quase não possuía luz, será extremamente arriscado ir a noite. Não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Agora nós temos uma cena do crime e um possível local de encontro deles. Se fizermos o dever de casa corretamente teremos um local recheado de provas, digitais, dna, registros de atividades passadas tanto deles quanto dos reféns. Precisamos ter todo o apoio tático com a vantagem, não só por que você disse que durante o dia eles estarão fracos, mas agir a noite seria loucura mesmo que eles não fossem essas "aberrações" que ainda é dificil de engolir toda essa história, alias você já deve ter ouvido, sou  o delegado Summers. 

Eu respondi a pergunta dele logo após lhe entregar a taça. Eu fiquei um pouco preocupado se ele iria retira-la do plástico então endaguei :

Leon : - Tente não deixar suas impressões na prova. 

Eu fui então até uma gaveta na minha sala de estar e puxei umas luvas de plástico roxa que eu tinha com essa finalidade. Aproveitei para trazer algum catalogo com o mapa da cidade para tentar enquadrar melhor o local da adjacencia do cemiterio com outras partes importantes por perto com as quais eles poderiam estar fazendo de possiveis locais de esconderijo (Gostaria de ter uma base de quais locais poderiam ser uteis para servir de esconderijo que estivessem na vizinhança do cemitério, como um bar, um metrô ou outro lugar que estivesse no mapa que pudesse servir de refugio também) levei o mapa e as luvas de volta para o balcão da cozinha americana onde Ufizzi estava e coloquei no balcão. Também coloquei a minha arma em cima do balcão. 

Leon : - Você disse que teve treinamento para enfrentar esses "demonios" ? Qual a arma mais apropriada para destruí-los ? Escopeta ? Um revolver 357 está de bom tamanho ? Esses demonios usam colete a prova de balas ? 

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead King em Sab Fev 03, 2018 7:12 pm

Piroca entrou bem devagar naquele corredor, observando como o lugar era. Ali era o refúgio dos Nosferatu, o lugar que eles descansavam a bunda nessa cidade de merda. Piroca finalmente relaxou, toda aquela trabalheira e risco de vida tinha sido apenas pra chegar no Tip, pra aí sim fazer a missão que ele daria para ele. Mas pelo menos agora ele tinha chegado num lugar em que podia descansar, ser ele mesmo. Entre seus irmãos ele não era horrivel, feio, não precisava se esconder, eles eram como uma família. Piroca passou pelas portas do corredor, pertenciam a outros nosferatu com certeza, porém a porta do fim do corredor era a que chamava a atenção do vampiro, pois ela com certeza levava ao refúgio do Tip. Piroca chegava ali na frente e, depois de alguns momentos parado em frente a porta, Piroca resolveu bater na porta do refúgio que tinha uma lareira e que tocava música clássica... eram coisas estranhas para um refúgio, mas o cainita não era ninguém pra julgar os outros pelo gosto, não é? Se Tip queria ter esse tipo de coisa, a escolha era dele.
A porta era aberta após alguns instantes, e um rosto horrível apareceu por detrás dela. É claro que pro Piroca isso não significava porra nenhuma, para ele era apenas um rosto "comum". Piroca teve a impressão de que Tip era uma pessoa da alta sociedade quando vivo, o seu estilo "elegante", roupão, cachimbo, lareira apontavam isso para o nosferatu. Tip olhava para Philip, analisando-do, e o cainita sabia que o cara devia estar se perguntando quem era aquele outro vampiro que ele nunca tinha visto e o que ele fazia ali. Phillip se sentia um pouco constrangido sendo analisado assim, mas deixava o cara fazer as avaliações dele.

Tip escreveu: – Posso lhe ajudar em algo, meu caro?
- Eerr.. Acho que eu que tenho que ajudar você. - Phillip entregava o papel com o endereço da antiga casa de Burke e Hilltop, e voltava a falar - Era para Burke e Hilltop terem me trazido, mas Burke ficou meio ferrado e Hilltop sabe-se lá o que aconteceu com ele, mas você já deve saber. Sou Piroca, Cagueta me enviou pra ajudar vocês.
avatar
Undead King

Data de inscrição : 03/07/2015
Idade : 20
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Krauzer em Seg Fev 05, 2018 10:39 am

Leon : - Sem chance Uffizi ! Eu não vou arriscar mais homens a noite naquele lugar, eles possuem conhecimento da área, quando eu desci lá o local quase não possuía luz, será extremamente arriscado ir a noite. Não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Agora nós temos uma cena do crime e um possível local de encontro deles. Se fizermos o dever de casa corretamente teremos um local recheado de provas, digitais, dna, registros de atividades passadas tanto deles quanto dos reféns. Precisamos ter todo o apoio tático com a vantagem, não só por que você disse que durante o dia eles estarão fracos, mas agir a noite seria loucura mesmo que eles não fossem essas "aberrações" que ainda é dificil de engolir toda essa história, alias você já deve ter ouvido, sou  o delegado Summers.

Uffizi: - Sim, eu entendo sua preocupação, e realmente será mais vantajoso atacarem durante o dia, mas nesse caso, eu não poderei auxiliar diretamente na missão, pois agora também sou uma criatura noturna!

Leon : - Tente não deixar suas impressões na prova.

Uffizi vestia as luvas e examinava a taça tentando traduzir suas inscrições e encontrar qualquer possível detalhe oculto.

Leon : - Você disse que teve treinamento para enfrentar esses "demonios" ? Qual a arma mais apropriada para destruí-los ? Escopeta ? Um revolver 357 está de bom tamanho ? Esses demonios usam colete a prova de balas ?

Uffizi: - Bem, como eu disse, o fogo é a arma mais eficaz contra estas criaturas. Eles não necessitam de coletes, pois podem regenerar ferimentos com uma rapidez absurda, embora alguns tipos de ferimentos como queimaduras de fogo e luz solar sejam mais duradouras. Na dúvida, utilize as armas com maior poder destrutível que for possível, e de preferência atire sempre na cabeça. Eles não podem se regenerar se forem mortos antes disso!

Uffizi desejava dar uma demonstração das habilidades vampíricas a Summers, mas ainda não tinha total controle de suas novas capacidades (se é que essas eram as palavras corretas).

Uffizi: - Por favor, tentarei lhe mostrar um pouco como as habilidades regenerativas deles funcionam- e então levantava a manga de seu hábito até deixar todo seu antebraço exposto - Não se assuste, apenas vou tentar lhe mostrar pessoalmente, poderia me oferecer algum objeto cortante? Uma faca de cozinha?

Caso Leon lhe desse o objeto, ele faria um pequeno corte em seu pulso, o suficiente para sangrar, e em seguida, tentaria se concentrar para fechar o ferimento. Ele sabia que já devia ter usado acidentalmente suas habilidades enquanto escapava das cordas, e tentava se recordar da sensação que sentiu quando utilizou os poderes de seu sangue maldito pela primeira vez.
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Crowley em Seg Fev 05, 2018 1:23 pm

O sombrio vem tendo dificuldade para chegar ao hotel desde que pôs os pés nessa cidade de merda!
Primeiro foi a porra de um fantasma, coisa que quebrava todos os paradigmas de seus conhecimento sobre o ocultismo, achava ele quê fosse como contos de fadas algo que muitos anciões contam para amendrontar as novas crianças da noite, Algo que fez o sombrio repensar em tudo que tinha ouvido falar dessa cidade até mesmo sobre os lobisomem, agora todo cuidado era pouco!


Mas os lobos e os fantasma não eram as únicas​ ameaças​, o sombrio se deparou com a fome e não conteve seus impulsos e atacou um mortal e foi surpreendido com essas criaturas fortemente armadas​, não eram armas​ de pequenos portes e sim um armamento pesado para simples civis, mais uma vez o que tem ouvido dessa cidade de merda era verdade, o sombrio evitou o confronto, deixou para lutar depois, foi sábia a decisão, precisava conhecer melhor a cidade para agir da melhor forma e garantir sua vingança.

Ao sair de cena do confronto contra os mortais, o Sombrio chaga a uma nova área na cidade, parecia ser o centro da quela merda de lugar, a não ser por um repetino deserto desse lugar, as sombras dominavam o lugar, a noite era mais escura naquele lugar, Algo que o agrava por instantes até ser interpretado por um voz bizarra que lhe fazia perguntas diretas, mas o sombrio se sai bem dela dizendo que era um visitante que estava de passagem apenas, nesse momento a imagem de um ser bizarro e horrendo lhe aparece...

Pqp, que merda é essa?

A porra de uma criatura horrível fedorento, que exalava um odor de merda igual a dessa cidade, o sombrio não sabia que sorria para mostrar ser amigável ou se segurava ancia de vômito que lhe veio no momento, porém se contém e a merda da criatura que ele ainda não identificado clã continua ali na sua frente falando...

?? escreveu:– O Vendue? Sim, eu sei onde fica o Vendue. Posso te levar lá, sim. No entanto, amigo... Eu não sei se você notou, mas essa cidade está uma merda ultimamente. Como posso confiar em você? Aliás, qual é o seu nome mesmo?

A cada passo que dou nesse lugar uma cosia bizarra me aparece, só quero me livrar dessa saco de bosta ambulante na minha frente....

- Bom meu caro amigo, eu poderia sair correndo quando você saiu da sua furtividade, ou me transformado em algo que causa muito medo em todo nós!
- Mas não, estou aqui na sua frente esperando que me ajude, pois com uma aparência como sua, não querendo ofender , você deve evitar locais cheios e por isso deve caminhar por lugares mais seguros.
Espero se seja um bom anfitrião de sua cidade e ao menos me mostre a direção!
E muito prazer, me chamo Antony Salvatore!


O sombrio vem com palavras firmes que convencem até ele mesmo, saberia que de tratava de um Nosferatu ou Samedi, difícil distinção mas saberia que ambos deve conhecer maneiras mais seguras se andar rola cidade!
Em quanto conversar o sombrio faz um reconhecimento da cidade, olhando a sua volta para ter certeza que não foi seguido, ele ativa seus sentidos de visão e audição, não iria usar o olfato perto do carniça a sua frente isso poderia lhe levar a inconsistência...
avatar
Crowley

Data de inscrição : 02/12/2010
Idade : 27
Localização : Rio de janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Seg Fev 19, 2018 10:42 pm

--- Piroca ---


Resumo:
Reserva de Sangue: 10/15.
Força de Vontade: 4/5.
Vitalidade: OK.


— Eerr.. Acho que eu que tenho que ajudar você. - Phillip entregava o papel com o endereço da antiga casa de Burke e Hilltop, e voltava a falar - Era para Burke e Hilltop terem me trazido, mas Burke ficou meio ferrado e Hilltop sabe-se lá o que aconteceu com ele, mas você já deve saber. Sou Piroca, Cagueta me enviou pra ajudar vocês.

— Está tudo bem, pessoal. Relaxem.

Quando Tip disse isso, Piroca se virou, afinal ele parecia estar falando com o nada atrás dele. No entanto havia sim algo atrás de Piroca -- uma dúzia de Nosferatus que o fitavam com um ar de curiosidade e precaução.

—Espero que nada tenha ocorrido com Hilltop. É um bom sujeito, sabe? No entanto não devo lamentar caso o pior tenha acontecido. Já estou farto de aconselhar essa dupla inconsequente. Bem, meu caro “Piroca”, entre. Fique à vontade.

Tip não elevou a voz ou mudou seu tom uma vez sequer. Era um sujeito muito controlado e de modos peculiares para um Nosferatu – o que poderia indicar uma grande idade. Quando Piroca entrou na sala, viu que era um tanto luxuosa. Havia uma lareira de pedra acesa, uma mesa comprida de jantar com dez cadeiras, quadros, prataria, candelabros e até espadas antigas servindo de ornamento. Havia também uma grande cama roxa de um tecido fino que Piroca não pôde identificar com precisão, mas parecia ser muito confortável.

— Sente-se, por favor. Eu poderia lhe oferecer bebida, mas talvez você considere isso algo desconfortável, vindo de um estranho.

Tip sentou-se próximo de Piroca, que ouvia facilmente o fogo crepitando e o “tic-tac” de um relógio de corda na parede.

— Então me diga, rapaz: O que o bom Cagueta tem em mente?

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Seg Fev 19, 2018 10:43 pm

--- Crowley ---


Resumo:
Reserva de Sangue: 13/15.
Força de Vontade: 09/10.
Vitalidade: OK.


-- Bom meu caro amigo, eu poderia sair correndo quando você saiu da sua furtividade, ou me transformado em algo que causa muito medo em todo nós!
- Mas não, estou aqui na sua frente esperando que me ajude, pois com uma aparência como sua, não querendo ofender , você deve evitar locais cheios e por isso deve caminhar por lugares mais seguros.
Espero se seja um bom anfitrião de sua cidade e ao menos me mostre a direção!
E muito prazer, me chamo Antony Salvatore!

O sujeito dá um risinho cínico, como se esperasse por um comentário desse tipo, sem parecer ofendido.

— Não se preocupe, meu caro. Eu sei evitar atenção desde que eu nasci de novo, por assim dizer. Prazer, também. Eu me chamo Hilltop. Venha, vamos até o Vendue.

O tal Hilltop começa a caminhar calmamente, deduzindo que Crowley irá segui-lo. Mesmo com seus sentidos aguçados, Crowley não detecta nada, mas sente o tempo todo que alguém está seguindo-o.

Os locais que eles passam não parecem ter importância alguma. Ruas residenciais, pequenas lanchonetes e bares e, de longe, um cemitério que estava – seja lá por que caralhos – sendo investigado por uma grande quantidade de policiais com viaturas. Talvez Hilltop tenha feito de propósito, mas é fato que ele teve de usar poucas vezes a ofuscação para evitar algum mortal. Os caminhos que ele tomou estavam praticamente desertos.

Depois de alguns minutos de caminhada, Hilltop para de repente. Crowley teve a impressão de que algo atrás dele parou subitamente, também.

— Cá estamos. O Vendue. – era possível ver o hotel do outro lado da rua — Só mais uma coisa, antes de eu ir... Você está com a nossa ou com o Sabá? Como é o nome dele mesmo? Thalles, não é? É ele que está refugiado nesse hotel, certo?

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Ter Fev 20, 2018 10:18 pm

Fogo ? Por acaso ele está querendo que eu vá com a SWAT usando lança chamas ou coisa do gênero ? 

Leon : - Armas pesadas são coisa da SWAT. Eles possuem granadas, trajes balisticos, eescopetas e rifles snipers. Talvez isso seja o suficiente, me desculpe se a policia não tem morteiros ou fósforo branco em seu arsenal. Nós não estamos em uma guerra Padre. 

Eu dizia enquanto pegava a facana cozinha requisitada pelo Padre, ainda incrédulo é claro, mas eu já estava cogitando a ideia de obter uma ou duas granadas de fragmentação e fumaça com o George. Enquanto eu pensava nas armas e como seria o metodo de incursão de volta ao mausoleu, o padre começou a se cortar, uma atitude extremamente descompensada mas eu estava depositando minhas fichas em ver o que iria acontecer.

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Fev 22, 2018 4:49 pm

--- Leon & Uffizi ---

Resumo de Leon:
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Resumo de Uffizi:
Reserva de Sangue: 12/15
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Leon analisava o mapa sobre a mesa enquanto Uffizi colocava as luvas que o delegado lhe trazia para que ele analisasse o relicário. Ele olhava a posição do cemitério da cidade, tentando encontrar algum ponto próximo que possa ser usado como base. Ele encontrou um bar: um bar que era point daqueles motoqueiros malucos.  Ele nesse momento ponderava se seria uma boa ideia frequentar um local desses.

- Por favor, tentarei lhe mostrar um pouco como as habilidades regenerativas deles funcionam- e então levantava a manga de seu hábito até deixar todo seu antebraço exposto - Não se assuste, apenas vou tentar lhe mostrar pessoalmente, poderia me oferecer algum objeto cortante? Uma faca de cozinha?

Por um momento, Leon olhou curioso para o padre. Uffizi notou que ele foi buscar a faca na cozinha por mera curiosidade.  Nesse momento, quando o delegado se levantou, Uffizi pegou a taça.

Teste(Uffizi):
Auto-Controle (Dif. 9): 1,3,9 – Falha.


Uffizi analisava o relicário que Leon lhe mostrou. Mesmo com o uso das luvas, o desconforto era grande e crescia a cada momento. A sensação se tornou tão insuportável, que Uffizi teve de colocar o item na mesa e se afastou com urgência até a soleira da porta, como se fugisse de algo genuinamente abominável. Era fato que havia algo de diferente com aquele relicário. Muito provavelmente havia algo de realmente sagrado com aquele artefato – algo que agora não era mais compatível com sua alma.

Teste(Uffizi):
Coragem (Dif. 9):  10,2,4,2.


Não havia mais necessidade de respirar, mas por um hábito que ainda insistia em deixar a mente do morto-vivo, o ex-padre começou a puxar o ar de forma ofegante e frenética, como alguém a beira de um ataque de pânico. Ele levou algum tempo para voltar ao ritmo normal e retomar a calma. Quando Leon retornou com uma faca de cozinha, ele encontrou o padre acuado e assustado na soleira da porta, sem entender o que havia acontecido.

* Toc! Toc! Toc! *

– Delegado Summer? Aqui é o Capitão George – Ao mesmo tempo que isso acontece, o capitão da Swat bate na porta anunciando sua chegada. No entanto, nem Uffizi, tampouco Leon notaram o som de algum carro estacionando. Claro que isso pode não dizer nada, afinal Leon estava na cozinha e Uffizi estava tendo um surto. Nenhum dos dois tinha condições de reparar nenhum detalhe exterior, mas ainda assim essa questão ficou na mente de ambos.

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Krauzer em Qui Fev 22, 2018 6:42 pm

Tocar a taça, mesmo com as luvas, era extremamente desconfortável. Este com certeza era um objeto sagrado, e sua atual natureza era incompatível com tal relíquia. Uffizi se perguntava se beber desta taça (quando empunhada por alguém com fé verdadeira) o curaria ou mataria, mas seja lá qual fosse a resposta ele toparia. Antes a morte do que passar o resto dos seus dias como um amaldiçoado.

O antigo padre era repelido finalmente pela taça, bem no momento que Leon voltava com a faca. Uffizi se segurava na parede, como que exausto, enquanto alguém batia na porta.

– Delegado Summer? Aqui é o Capitão George

Uffizi olhava para Leon, como que pedindo se deveria se esconder ou ir até lá junto com o delegado.
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Crowley em Sex Fev 23, 2018 1:02 pm

O sombrio havia conseguido uma guia, um simpático Nosferatu que o leva até o hotel por caminhos mais seguros dentro dessa cidade de merda, no caminho algo lhe chama a atenção, um alvoroço dentro do cemitério, até para uma investigação teria muitos polícias, estava parecendo uma caçada, mas quem seria o rolo de pergunta algo sobre, talvez o Nosferatu tenha passo de propósito por esse local para dar um recado que esse é seu território.

O Sombrio chega com extrema facilidade ao hotel, realmente o caminho era uma dos mais seguros por qual Crowley já havia passado até agora desde que pôs os pés nessa cidade de merda!

Bom, esse monstro não tentou nenhuma graça até o momento está tudo muito calmo por agora, estanho!!

O sombrio era interrompido com seus pensamentos pela criatura horrível que o guiava pela cidade.
\" escreveu:
— Cá estamos. O Vendue. – era possível ver o hotel do outro lado da rua — Só mais uma coisa, antes de eu ir... Você está com a nossa ou com o Sabá? Como é o nome dele mesmo? Thalles, não é? É ele que está refugiado nesse hotel, certo?

Estava demorando para o interrogatório, esses membros são ardilosos em suas políticas, sempre com um passo a frente de todos, afinal não apoder maior que reter informações.

O sombrio pensava a respeito o quanto esse membro pode ser valioso, deve ter informações de onde encontrar seu alvo, afinal ele já sabia onde estava Thalles, talvez ja até soubesse quem o sombrio realmente era, mas uma parceria repetina com essa coisa poderia lhe trazer a tal sonhada vinganças, que comecem os jogos, mas final ganhar um Nosferatu na lábia seria algo impraticável, mas no tinha o que perde, era isso ou decapitalo com sua espada...

- Parece que você faz gosta de fazer perguntas para as repostas que já tem, você é um cara muito esperto meu amigo. O sombrio sorria dizendo tais palavras. -Mas acho que dessa vez você pode ter se enganado, tenho cara de quem fica seguindo ordens de um cara se titula príncipe se uma cidade como essa ou cara de fanático para andar com um bando de cachorros loucos do sabá?

O sombrio fazia as perguntas e ele mesmo responde em seguida.
- Não, não responda caro amigo!
- Sou apenas uma andarilho sem rumo não querendo confusão por onde passa.
- Essa porra de hotel já parece está sendo mal frequentado, meu amigo teria alguma sugestão de outro lugar que possar passar o Dia?
Dizia o sombrio olhando para o relógio querendo saber quanto tempo lhe restava, a tentativa de ganhar uma parceira em uma cidade de merda como essa com alguém que deve conhecer esse lugar de olhos fechados seria um A's na manga de Crowley, o Sombrio tentar ganhar alguma credibilidade com o Nosferatu, tentar ser convivência em seus argumentos....
(Manipulação+lábia + 1ponto de força de vontade pra sucessos automático)

Vamos ver o que essa criatura tem a oferecer...
avatar
Crowley

Data de inscrição : 02/12/2010
Idade : 27
Localização : Rio de janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Ter Fev 27, 2018 11:33 pm

A ação do padre foi um misto de loucura esquizofrenica com verdade ? Ou apenas uma encenação barata de quem quer me fazer de palhaço ? Eu juro que ainda é muito complicado de acreditar em tudo o que um fanatico diz, mas aquela imagem não me saí da memoria.
Spoiler:
https://pre00.deviantart.net/fabc/th/pre/f/2013/288/e/0/tzimisce_by_natalinutmeg-d6qk21q.jpg
Eu juro que minha mente só pensava nas piores coisas que poderiam estar acontecendo com Donovan e Alysha caso eles ainda estivessem vivos. Eu maneava a cabeça tentando não pensar no pior. 4 policiais desaparecidos e um morto. Que noite do inferno, quando a porta bateu eu fui rapidamente atender.

Leon : - Já vou George ! - Eu gritei e logo em seguida falei baixo para que o padre pudesse ouvir - Pode aparecer mas nada de falar essa loucura de que você é um demonio. A ultima coisa que eu preciso é de uma passagem só de ida para o hospício.

Acho que ele tinha intendido que era melhor que mantivessemos algumas coisas em segredo sobre todo aquele assunto. Eu entreguei a faca ao padre e pedi para que ele ficasse em uma posição segura da porta, um pouco mais longe mas ainda visível. Eu abri a porta devagar, apenas uma fresta, caso George estivesse sozinho eu permitiria sua entrada e o cumprimentava com um aperto rápido de mão.

Leon : - Olá Capitão ! Eu sou Summers, delegado da segunda vara de Charleston. Eu estou com 4 policiais desaparecidos e um morto. A situação é caótica e eu precisei requisitar apoio tático, a policia sozinha não pode mais com esse assunto. Se estiver disposto a ir direto ao assunto lhe mostrarei no mapa, aceita uma bebida ? Agua, cerveja ? Padre, pode pegar o que o Capitão precisar ? Alias esse é Uffizi, é uma das testeminhas que viu um dos suspeitos, parecem que eles usam mascaras de monstros, alguns tem o rosto deformado como o leather face, eu tive a oportunidade de ver um dos integrantes também.

Eu estava falando um pouco rápido demais, trazer a SWAT para o assunto seria um problemão no futuro em questão de papelada burocratica, o prefeito certamente ficaria louco se essa história de culto macabro vazar e nem mesmo eu ainda estou acreditando em algumas coisas. Eu iniciava os apontamentos assim que colocasse o mapa na mesa da sala.

Leon : - Vê esses pontos ? Eu vou marcar onde vimos eles. Cemitério, esse cemitério tem uma passagem secreta nesse mausoleu, precisamos agir durante o dia. Vê esse bar ? pode haver uma passagem de fuga do bar para o cemiterio ou visse-versa. Por favor, quando a ação acontecer, me ponha em um desses coletes da SWAT, nós vamos atacar pelo dia e ainda hoje para buscar evidências sobre o rapto dos policiais. 

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Mar 08, 2018 5:27 pm

--- Crowley ---

Resumo:
Reserva de Sangue: 13/15.
Força de Vontade: 08/10.
Vitalidade: OK.


Testes:
[Crowley]Manipulação+Lábia (Convincente/1fdv): 9,9,5,9,5,10, 8 - 5 Sucessos.
[Hilltop]Percepção+Empatia (Atento/Emoções): 9,9,4,2,2,10,9,10,3,6,8,9 - 6 Sucessos.


Hilltop sorri. Um sorri amarelo, sem graça e previsível. Era como se ele já esperasse uma reação dessas por parte do Lasombra.

-- Sabe, meu jovem... Essa cidade já está fodida o suficiente sem precisar desse clichê de mentiras e intriguinhas. Você acha mesmo que estamos sozinhos aqui?

Nesse momento Crowley sente uma pontada de adrenalina. A suspeita se confirmou, e Hilltop simplesmente deixou claro que outros vampiros estavam seguindo a dupla desde que se encontraram. O Lasombra não poderia dizer quantos, mas certamente ele não estava sozinho com Hilltop ali.

-- Bem, já que você afirma que não está conosco nem com os nossos novos... parceiros, acho que terei que reportar sua presença para o chefe. Faz parte da nossa sobrevivência, sabe? Observar cada cara nova que entra aqui e monitorar se ele pode fazer alguma merda que venha a nos denunciar para os caçadores. Eu me vou agora, jovem, mas não se preocupe, você vai estar bem acompanhado. Aliás, já estava desde que entrou aqui.

Hilltop simplesmente desaparece da vista de Crowley. O Lasombra agora estava na entrada no Vendue, claramente sendo observado por um número de vampiros desconhecidos que ele não podia ver e, para piorar, Hilltop foi caguetar sabe-se lá para quem a presença dele na cidade. É hora de refletir e analisar os próximos passos, pois a situação se torna mais hostil.


_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qui Mar 08, 2018 5:29 pm

--- Leon & Uffizi ---

Resumo de Leon:
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Resumo de Uffizi:
Reserva de Sangue: 12/15
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Leon escreveu:- Olá Capitão ! Eu sou Summers, delegado da segunda vara de Charleston. Eu estou com 4 policiais desaparecidos e um morto. A situação é caótica e eu precisei requisitar apoio tático, a policia sozinha não pode mais com esse assunto. Se estiver disposto a ir direto ao assunto lhe mostrarei no mapa, aceita uma bebida ? Agua, cerveja ? Padre, pode pegar o que o Capitão precisar ? Alias esse é Uffizi, é uma das testeminhas que viu um dos suspeitos, parecem que eles usam mascaras de monstros, alguns tem o rosto deformado como o leather face, eu tive a oportunidade de ver um dos integrantes também.

George entra de forma discreta na residência do delegado e o cumprimenta. Ele está sozinho. Após apertar a mão de Leon e cumprimentar o padre Uffizi com um aceno de mão, ele mantêm o mesmo tom polido ao responder o delegado.

-- Só água está bom, senhor. Em circunstâncias assim eu prefiro não ingerir álcool. Meus homens estão prontos para serem mobilizados. Eles cercaram todo o perímetro do cemitério, como o senhor pediu. Seus homens estavam em alvoroço porque eles disseram que o senhor simplesmente sumiu, sem mais nem menos; no entanto eu deixei claro que estava seguindo suas ordens, então eles se acalmaram. Prosseguimos então?

Sem perda de tempo, todos se posicionaram ao redor de um mapa que Leon fornecera. Uffizi pegou um pouco de água para George, que o agradeceu.

Leon escreveu:- Vê esses pontos ? Eu vou marcar onde vimos eles. Cemitério, esse cemitério tem uma passagem secreta nesse mausoleu, precisamos agir durante o dia. Vê esse bar ? pode haver uma passagem de fuga do bar para o cemiterio ou visse-versa. Por favor, quando a ação acontecer, me ponha em um desses coletes da SWAT, nós vamos atacar pelo dia e ainda hoje para buscar evidências sobre o rapto dos policiais.

O capitão da Swat analisava toda a situação com um leve sinal de desconfiança. Passagem secreta em um mausoléu? Aquilo parecia um roteiro de filme.

-- Me perdoe, senhor, mas o senhor disse que há uma passagem secreta no mausoléu? Isso soa muito estranho, com todo o respeito. Por que uma passagem assim existiria em um mausoléu? Com que propósito? Usada por quem?

Um estranho som pareceu vir do fundo da casa. Era como se algo pesado caísse de uma grande altura e acertasse o assoalho. George ia perguntar se Leon estava esperando mais alguém, mas pela reação de alerta que tanto o delegado quanto Uffizi tiveram, ele se limitou a sacar sua S&W 500 e ficar de prontidão.

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Dom Mar 11, 2018 3:29 pm

Eu respirei fundo quando ouvi as indagações do do Capitão. Juro que eu não queria envolve-lo nisso mas, esse era o trabalho dele tanto quanto esse era o meu. Tentei alinhar o meu raciocínio e minhas palavras então eu pedi a ele um minuto enquanto fui até o quarto de hóspedes, meu objetivo era pegar tudo referente ao caso leather face mas eu parei antes de chegar ao corredor. Eu congelei, mas depois eu sabia o que fazer, saquei a minha .44 e olhei para o padre. Apontei para ele a faca da cozinha pois era a unica arma que eu poderia oferecer-lhe naquele momento. Eu então olhei a porta da cozinha, era uma daquelas portas de vidro reforçado, era transparente pois as vezes eu gostava de olhar a água da piscina para me acalmar. Parece que alguma coisa veio de lá, eu pensei em dar alguma ordem mas me limitei apenas a oferecer cobertura ao capitão enquanto ele abria a porta. que podia ser aberta por dentro. Talvez alguém tenha saltado pela cerca viva, ela não era muito alta, mas a minha maior pergunta era.

Quem foi seguido até aqui ? Eu ou o capitão ?? Se ele foi seguido isso faz dele um alvo também...

Eu mantenho a minha mira concentrada para diparar a qualquer sinal de perigo que venha a favor do capitão.


_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Krauzer em Seg Mar 12, 2018 8:49 am

Uffizi esconde a adaga em suas roupas e segue Leon para se apresentar ao delegado. Ele escutava toda a discussão em silêncio, até o delegado mencionar:

-- Me perdoe, senhor, mas o senhor disse que há uma passagem secreta no mausoléu? Isso soa muito estranho, com todo o respeito. Por que uma passagem assim existiria em um mausoléu? Com que propósito? Usada por quem?

Neste momento ele se adiantava.

- Desculpe me intrometer, delegado, mas realmente existe uma passagem secreta no mausoléu. Eu mesmo posso lhe mostra-la se quiser! Não sei há quanto tempo foi construída ou por quem, mas posso lhe assegurar que é usada por uma perigosa organização que posso apenas descrever como uma mistura de cultistas fanáticos com uma gangue fortemente armada. Os túneis abaixo do cemitério são usados para manterem reféns e para práticas de sacrifícios rituais!

Enquanto falava, um estranho som no fundo da casa era ouvido por todos, como um objeto pesado caindo no chão. Todos os presentes ficam e prontidão, e Uffizi saca sua adaga e olha de Leon para o delegado, como que indagando: "quem vai na frente ?"

Leon indica através de gestos para o capitão ir na frente, enquanto os dois o cobriam. Teriam sido seguidos até ali?!
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Qua Mar 21, 2018 11:09 am

--- Leon & Uffizi ---

Resumo de Leon:
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Resumo de Uffizi:
Reserva de Sangue: 12/15
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Uffizi escreveu:- Desculpe me intrometer, delegado, mas realmente existe uma passagem secreta no mausoléu. Eu mesmo posso lhe mostra-la se quiser! Não sei há quanto tempo foi construída ou por quem, mas posso lhe assegurar que é usada por uma perigosa organização que posso apenas descrever como uma mistura de cultistas fanáticos com uma gangue fortemente armada. Os túneis abaixo do cemitério são usados para manterem reféns e para práticas de sacrifícios rituais!

George fez menção de dizer alguma coisa, mas logo se deteve quando o barulho nos fundos da casa levou a atenção de todos. No entanto, quando Uffizi sacou sua adaga, George achou um tanto estranho. Sua atenção alternava entre olhar para a adaga e olhar para a direção onde o ruído ecoou. O capitão só se focou totalmente nos fundos da casa quando Leon deu ordens a ele para seguir na frente através de um sinal. O capitão seguiu cauteloso, lentamente. Era possível perceber facilmente que o homem estava nervoso, visto que sua mão tremia agressivamente conforme ela pousava na maçaneta. Após um lento suspiro, George abriu de forma silenciosa a porta e avançou impetuoso, cobrindo ambos os lados. Ele patrulhou rapidamente todo o perímetro e não encontrou nada de anormal.

Senhor, tudo parece limpo!

Leon e Uffizi observavam pela porta aberta enquanto George, próximo a piscina, analisava o melhor que podia cada detalhe do terreno, procurando alguma anomalia ou sinal de hostilidade. Em um instante em que os olhos de nenhum dos observadores foi capaz de captar e processar, algo rápido como um raio passou por George. Quando Leon e Uffizi se deram conta, George já estava caído próximo a piscina. De onde a dupla estava, não tinha como nenhum dos dois saber se George estava morto ou simplesmente desmaiado. Sua S&W .500 ainda estava em suas mãos, mas não havia sinal de sangue ao redor do seu corpo.

O fato é: algo havia derrubado ou mesmo matado George em, literalmente, um piscar de olhos. A ameaça estava na casa. Talvez já tenha até mesmo entrado onde Uffizi e Leon estão, visto que, aparentemente, a ameaça, fosse ela algo ou alguém, se movia com velocidade sobrenatural.

Off: Vocês tem um turno para pensar em algo.

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Beaumont em Qui Mar 22, 2018 3:01 pm

Eu havia cometido um erro. Não percebi que havia sido seguido, um erro que poderia custar não só a minha vida como a vida de Donovan e Alysha. Ver o capitão ser abatido em questão de segundos foi rápido até mesmo para o meu raciocinio que estava a mil por hora. Não tinhamos muito tempo, eu precisei ser rapido e praticamente puxei o padre para ir junto comigo.

Leon : - Rápido !! Formação costa com costas, proteja a esquerda !!

Eu praticamente joguei a minha colt nas mãos padre e girei o meu corpo na direção do capitão. Meu objetivo era simples, me jogar onde o capitão estava e pegar a sua arma. Se o Padre tivesse o raciocinio rápido tambem iria seguir o meu conselho e cobrir as minhas costas, tinhamos que proteger o capitão o máximo possivel. Não tive tempo de verificar se sua pistola estava muito carregada, apenas destravei a arma e coloquei a bala na agulha, pronto para disparar em qualquer coisa que se movimentasse em meu angulo de 180 graus, se o padre se aprossimasse eu encostaria minhas costas com as dele. Meus olhos se focavam no meu perimetro, eu pisquei para arregalar meus olhos e não piscar mais, a adrenalina estava a mil e eu com certeza atiraria em qualquer coisa que se movesse. (Disparo 2 tiros em qualquer coisa que se mover no meu angulo de visão, fico com as pernas praticamente em cima do capitão com seu corpo caído por debaixo das minhas penas.)    

_________________
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Krauzer em Sex Mar 23, 2018 11:21 am

O grupo segue patrulhando o local, aparentemente vazio, até que um vulto mais rápido que o olhar passa por George, derrubando-o (ou matando-o) instantaneamente. Como reflexo, Uffizi levanta a faca em posição de defesa e vira-se para o canto que acredita que o vulto tenha se dirigido.

Leon também agia rapidamente, puxando-o para o lado:

Leon : - Rápido !! Formação costa com costas, proteja a esquerda !!- Enquanto jogava sua arma para ele, e se movia sobre George.

Uffizi tenta pegar a arma no ar com uma mão, enquanto ainda segurava a adaga na outra e vira-se para a esquerda.
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Undead Freak em Sex Mar 23, 2018 1:11 pm

--- Leon & Uffizi ---

Resumo de Leon:
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


Resumo de Uffizi:
Reserva de Sangue: 12/15
Força de Vontade: 4/6
Vitalidade: Ok.


O padre, agora armado com a colt de Leon, seguiu as instruções do delegado e colocou-se na formação dita, de modo a proteger as costas do delegado enquanto ele avançava em direção ao capitão caído próximo da piscina. Uffizi estava atento e, embora estivesse tenso com a situação, suas emoções nada se comparavam as de Leon, que mais uma vez estava com o seu coração acelerado e mãos tremendo.

A dupla havia, após uma lenta e cautelosa caminhada, chegado ao corpo de George. Sem perda de tempo, Leon pegou a arma de suas mãos.

Smith & Wesson 500:




Calibre: Magnum .50
Dano: 8
CdT: 1
Capacidade: 5 Tiros
Ocultabilidade: J
Alcance: 40


Caído de bruços, o capitão da swat não parecia estar respirando.

-- Leon?

Teste:
[Leon]Auto-Controle (dif. 9): 7,10,6 - 1 Sucesso.
[Uffizi]Auto-Controle (dif. 9): 9,9,1 - 1 Sucesso.


Tanto Uffizi quanto Leon se viraram imediatamente em direção ao som daquela voz. Ambos tiveram que ter muito sangue-frio para não disparar de imediato. Quando Uffizi se virou, ele viu uma jovem loira, muito bonita, porém meio suja e descabelada, olhando para ele. Quando Leon se virou, ele levou um choque. Alysha estava lá, diante dele mais uma vez.

-- Eles me enviaram... Me disseram que eu precisava pegar o padre de volta... para ser libertada. -- ela parecia aérea, totalmente sem vontade própria.

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cidade de Merda, Noites de Merda.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum