New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Bahamut em Sex Out 20, 2017 11:29 pm

Rugall estava de pé enquanto o Nosferatu se aproximava. Uma sensação de frio e escuridão acompanhavam os passos do Nosferatu. Até as luzes pareciam mais fracas para Rugall e ele só teve certeza de sua condição mental após Diana comentar em voz alta com estranheza sobre o que estaria acontecendo. Rugall a acariciava com ternura afagos tranquilizantes a fim de acalmá-la. Uma sala com seres tão antigos com certeza traria sensações estranhas.

O Nosferatu se sentou e começou a provocar Bradley com relação ao ancião Malkaviano que não estaria na reunião. Elisha! O nome surgiu na cabeça de Rugall no instante que Bradley rangia os dentes olhando para O ancião Nosferatu. Este por sua vez continuou a falar sobre a posição de Bradley com relação ao clã e o papel deste nos ocorridos.

Meg ridicularizou os Malkavianos e a função que eles teriam na seita e o Tremere questionava se estariam trocando os Malkavianos pelos Tzimisces e se estes estariam do lado da seita. Rugall não pôde deixar de encarar Seals após o comentário.

Os membros da primigênie discutiam ações e posições com relação ao seu novo inimigo e as opiniões se dividiam. Os malkavianos já não se encontravam na Camarilla e podem ser considerados como adversários, mas tomar ações de ataque pode ser perigoso, se não imprudente. Rugall por sua vez achava tudo muito esclarecedor. A doença, o surto de loucura, tudo se conectava e a posição da Primigênie dizia muito sobre cada um. e enquanto aguardavam uma resposta de Meg, Rugall se pronunciou.

Rugall: - Então a situação é essa. Os Malkavianos causaram tudo isso. interessante! Com isso a lista de aliados da torre de marfim diminui drasticamente.

Quanto à posição a ser tomada com relação a isso é bom levar em conta que tudo isso aconteceu bem debaixo dos narizes de todos! Ou seja, se já se sabia pouco sobre eles quando estavam na seita, agora então a incógnita é completa. Por outro lado eles saem daqui com sabe-se lá quais informações sobre os integrantes. Estratégias, métodos, fraquezas, tudo pode estar ao alcance deles. Tendo dito isso, uma ofensiva pode ser muito perigosa. Não acho que devamos deixá-los de lado, mas precisamos de mais informações e temos que agir mais sorrateiramente no início e eliminá-los aos poucos.

Agora, apenas para esclarecimento senhor Seals... Os Tzimisce nunca estarão do seu lado. Eu estou do lado de vocês por conta própria e me arrisco com o meu clã ao fazê-lo. Eu já não era bem visto por eles antes e agora estou com meu rosto na mídia e eles virão o quanto antes.


Rugall se arrisca jogando contra o Sabá e se arrisca de novo colocando tão abertamente seu ponto para os membros da primigênie. A idéia de criar uma nova linhagem do clã dentro da torre de marfim seria bem interessante, mas Rugall sabe que isso deve ser feito com o máximo de sigilo possível. Nem o Sabá nem outros integrantes da Camarilla podem ficar sabendo disso ou as represálias serão muito fortes e Rugall está muito vulnerável.

Rugall continua de pé, acariciando os ombros e o colo de Diana. A voz e as carícias dele a acalmam e o fato de ela estar mais calma, dócil, faz com que as tensões do Tzimisce se aliviem.
avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Out 22, 2017 7:16 pm

Pela primeira vez eu consigo enxergar um pouco de vida no Tzimisce. Ao ouvir que eu já havia escutado o nome do Rugall, Nirrhtak parece notar, pela primeira vez, a minha presença. Seus olhos, desprovidos de qualquer forma de sentimento, estão agora focados em mim, o que é bastante estranho. De repente ele começa a falar com certa emoção...

Nirrhtak escreveu:- Simmm, ele possuía a aptidão para criar imagens perfeitas, sua imersão nos detalhes era impressionante. Eu o conheci pessoalmente e posso confirmar que seus dedos nasceram para a Vissicitude. Agora diga-me. Eu preciso capturar Rugall vivo, então eu me ofereci a participar do bando de Lars SE vocês me ajudassem a captura-lo. O que me diz Sr. Chefe? Você parece muito bom em capturar membros da bastarda Camarilla.

Essas palavras me pegam desprevenido. Até alguém tão distante do mundo real, como ele, está à procura de algo.. ou melhor, de alguém....

"- Qual será seu objetivo final? O que ele deve estar querendo com esse cainita? Além do mais, um praticante de Vicissitude entre os Ratos da Camarilla, não é algo que se vê todo dia... Talvez esse tal de Rugall possa ser um achado importante mais à frente para o meu currículo." - Penso enquanto avalio as palavras e expressões do Tzimisce. "- Preciso ponderar um pouco sobre isso, mas dependendo da ajuda que ele possa nos dar certamente esse Rugall será nossa presa..."

Ainda pensativo, não percebo que Lars chegava com o Cadillac. Nirrhtak sentou-se no banco de trás do carro, onde joguei o Caitiff. Muitas coisas aconteceram durante aquela noite.... e meu pensamento ainda está tentando assimilar tudo. Contudo, não posso deixar que os demais vejam minha indecisão se eu quero ser seguido como um líder. Assim, sento-me no banco da frente, ao lado de Lars e partimos.

Foco meu pensamento em fazer com que os vários fatos sejam unidos como uma única linha de pensamento. O sol negro, junto com a procura de Vallek Morton por um membro da Mão Negra... além do suicídio de Keyla e a morte de Darko para me ajudara fugir da delegacia. A formação de um novo Insight com o Tzimisce e a possível busca por esse tal de Rugall... isso tudo me da o que pensar durante a maior parte do percurso.

"- Além de uma boa forma de fazer nome, buscar esse tal de Rugall pode ser bom para levantar os ânimos de Lars." - Olho para o lado, para a Gangrel. Ela está completamente acabada... além de ver tudo sendo destruído, a morte de Keyla... ainda tem a luta mortal que ela deve ter enfrentado para não cair na loucura, como os demais. Tudo isso está pesando na mente e corpo da Cainita.

Absorvido em meus pensamentos, respondendo a algumas coisas ditas pelos meus companheiros durante o percurso, vejo que finalmente estamos chegando ao nosso destino. O limite entre New York e New Jersey está bem à nossa frente,o Rio Hudson. Contudo, algo está errado. Vários militares estão fechando a ponte que serve como ligação entre esses dois pontos.

Lars escreveu:Mas que merda, parece que temos gente com vontade de nos impedir essa noite.

- Não vamos nos perturbar com isso. Pela distância em que estamos, você acha que eles nos viram? - Olho ao redor procurando uma forma do carro seguir para alguma rua lateral que não deixe os militares saberem para onde estamos seguindo. - Entre em algum lugar que possamos despistá-los. Assim poderemos pensar em uma saída. - Assim que pararmos... - Pelo que consegui ver, nós temos três possibilidades maiores. A primeira é tentar atravessar a ponte de forma direta, o que posso pensar em algumas formas de fazê-lo; a segunda é atravessar o Rio, mas perderemos o carro; e a terceira é atravessar por cima ou por baixo da ponte usando as armações de metal como apoio. Vocês vêem mais alguma possibilidade? - Olho diretamente para Nirrhtak. - De nosso sucesso depende a sua busca... o que me diz? - É o meu primeiro movimento como Ductus, o que pode, no final, ter um resultado divino ou extremamente catastrófico.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Qua Out 25, 2017 1:34 pm

Vallek Morton

- PDS 11/14

- FDV 6/7  

- Vitalidade OK

Quando Vallek voltou a sí, não restavam mais do que os cadáveres das criaturas ao chão e um sorriso de satisfação na face do malkaviano pistoleiro. As criaturas possuíam as mais variadas formas desde mais finos até os mais extensos em comprimento. Mais uma vez o cenario em que Vallek estava havia mudado de forma, era normal que o céu se mesclasse com o chão em um cenario sem começo ou fim, olhos por todos os lados observavam cada movimento da dupla que voltou para a caverna atraves de um buraco formado no chão como um grande fosso profundo. A queda não foi longa, mas Vallek tinha certeza que a momentos atrás a saída da caverna mais se assemelhava a um passagem horizontal do que um fosso em queda vertical . No interior da caverna ainda era possível encontrar os magos de vestes púrpura. Eles haviam se juntando em um grande circulo e suas mãos com o poder etéreo e azulado com vermelho formavam mantras em uma velocidade bem lenta, usando o poder etéreo como rastro para fazer os mais variados desenhos cabalísticos. No centro da procissão estava O anjo desprovido de qualquer cabelo ou genitália. A penas as longas asas gigantes assim como ele trazia para sí toda a energia dos magos inclusive de Adonnis que era um dos participantes.

Vallek sentiu seu corpo mais uma vez deixando sua carne para viajar em outra dinamica viagem astral, seu corpo estava ficando mais leve e suas mãos eram os primeiros menbros a desaparecer, olhava para Elizie que estava ainda desfalecida ao chão, ele sentia que ele estava se distanciando dela assim como Allan que tinha seus pés e e braços desaparecendo como um fantasma sem corpo.

O vampiro estava viajando de volta para New Jersey. Mas uma New jersey vista por cima, Vallek possuía asas transparentes exatamente iguais a de Malkav gigantes, que o permitiram voar místicamente até o topo da ponte que liga o rio Hudson a New York, naquele ângulo Vallek podia ver o exército americano realizar uma barricada para impedir que civis de new jersey viajassem para new york e vise versa. Allen também tinha asas etérias e viajou para o topo de um dos predios, Nisikku estava por ali em algum daqueles prédios, talvez o que Allen havia pousado, mas o que o matusalem estava aprontando ?

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Undead Freak em Qua Out 25, 2017 7:10 pm

Eu abri os meus olhos lentamente. Nos primeiros segundos a visão ficou turva e embaçada. Assim que recuperei o foco, vi dezenas daqueles vermes caídos no chão. Vários jaziam esburacados, dos mais variados comprimentos e larguras. Os buracos, pela espessura, eram exatamente do tipo que as "hollow points" faziam. Olhei para Allen e vi o seu típico sorriso de triunfo.

Mais uma vez o cenário mudava. Era uma dimensão polimórfica, com seus vários olhos observando-nos constantemente. Não havia começo, tampouco fim. O chão se unia com o solo, e o solo com o chão do outro lado, como pontas de lanças unidas, retorcidas e serpenteantes em todas as direções. Não havia limites de arquitetura ou dimensões. Acabamos por voltar para dentro da caverna por uma entrada que agora era como um foço. A queda não foi longa. Na verdade foi suave, como se flutássemos até o chão. Dentro da caverna ainda haviam magos que agora se juntavam em círculos, desenhando diversos símbolos que me lembravam muito a cabala negra de Otz Daath. Adonnis estava entre eles, cedendo energia para o Pai.

De repente me senti tragado para outra dimensão. Foi praticamente uma viagem astral forçada. Me senti leve e comecei a assumir uma aparência etérea, que eram os sinais característicos do desdobramento. A mesma coisa acontecia com Allen, que agia de forma natural. O que não me agradou foi ver a minha criança caída no chão, se distanciando de mim. Ela estava cada vez mais distante, e isso começou a me desesperar.

"Elizie...Não...Droga!"

O desdobramento, que normalmente ocorre de forma calma, foi tomado por uma sensação ruim de pânico e mesmo fúria. Ter Elizie longe de mim era como ter os braços ou as pernas arrancadas. Não conseguia me sentir completo sem ela.

De repente eu estava no céu com Allen. Nós tínhamos asas étereas, transparentes. Estávamos em Nova Jersey de novo. Eu sabia que ainda estava lá com Elizie, em corpo, mas não sentia ela comigo. Tive que levar algum tempo para me acostumar com essa sensação desagradável. Quando finalmente me recompus, cruzei a ponte com Allen, onde vimos o exército fazendo uma barricada para impedir que os "infectados" de Nova Jersey se espalhassem, assim como para impedir que algum cretino se aventurasse a entrar no que eles chamavam de zona de quarentena. Bem, se não era esse nome, certamente seria algo parecido.

Allen voou para perto de alguns prédios. Sentimos que Nissiku estava por ali, naquele bloco. Não sabíamos o que ele estava planejando, mas ele estava por ali.

-- Vou descer e procurar por ele. Se eu encontrar algo, eu te aviso.

Embora eu soubesse exatamente o que tinha de fazer ali, a verdade é que não parava de pensar em Elizie. Aquilo realmente estava me deixando agoniado.
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por mitzrael em Qua Out 25, 2017 10:43 pm

pensando: mas o que é isso afinal senti meu corpo todo sendo tragado e agora estou aqui ? mas a pergunta é onde estou?

herick olhava em sua volta e via que que estava de novo em N.J .

pensando : mas que droga !! o que eles fizeram ? ta parecendo aqueles filmes de fim dos dias , mas sem o mocinho para salvar tudo . E que asas sao essas ? será que sao minhas ou mas uma demonstrção do poder do mestre de Elisha ? o geito e segui la e ver onde esse pandemono vai para .

Elisha : - O caos reina agora Herick meu guardião ! Os mortais irão conhecer a verdadeira graça nas coisas, suas mentes irão se libertar e eu serei parte do instrumento para isso ! HAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

herick olhava com adimiração e horror com tudo aquilo a metes deles eram mas doentia que ele podia imaginar , e suas loucura estavam quaze invadindo a mente de herick .

pensando : não posso deixar isso acontecer , se concentre herick vc tem muito o que fazer o mundo é uma merda mas é uma merda que da pra viver , e nao esse circo dos horres .
vamos cara , força , nao se deixa cair nessa ,

herick forçava toda sua fontade pra nao cai naquele de loucura .
e começo a mentalizarc uma corrida com curvas e obistaculos forcando assim sua mente .

pensando : vo seguila sim e espero que aqueles caras estejam fazendo algo se nao o mundo estara perdido , mas como vo poder ajuda los sem machucar Elisha ? draga vamos com calma herick uma coisa por vez .

gasto 1 ponto fdv Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 37
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Sab Out 28, 2017 1:16 am

Rugall Salles
- PDS 5/10
- FDV 3/6  
- Vitalidade Escoriado (1 Agravado)

Depois que revelou seu ponto de vista, ficou evidênciado que o clã de Tzmisce não estava em hipotese alguma se aliando a seita. 

Kevin : - Um traidor então... Não estou te julgando jovem vampiro, eu faria a mesma coisa se eu fosse um nada na sociedade de membros e tivesse uma chance unica de poder. Bom como eu disse, enquanto a senhora belas curvas não se decide eu estarei me preparando para virar "papai". Mais alguma coisa senhor Bredley ?

Adam : - Não, por enquanto é só. Nossas reuniões serão feitas na casa do Governador Christie até ordanizarmos um lugar melhor, aqui todos pensarão que não passa de mais uma coletiva, usem o heliporto se preferirem, o helicoptero está a disposição de vocês. 

Adam então se levanta batendo nas coxas e respirando fundo para continuar a falar, ele precisava que todos fixassem bem o próximo passo do plano. 

Adam : - Precisamos montar uma nova camarilla. Atualmente somos 7 membros mas pretendemos ficar com a contagem dobrada até o fim do próximo mês, depois que estabilizarmos poderemos expandir mas por enquanto vocês possuem o direito de uma única prole. Me desculpe jovem neofita mas você não terá essa permissão. Apenas Rugall conquistou isso com todo o seu esforço e empenho. quem sabe um dia. 

Com um sorriso ponderado Adam negava a chance de Diana pedir uma prole, ela era muito nova, ainda não podia nem lidar consigo mesma. Enquanto todos se despediam Rugall tinha a chance do que iria fazer no restante daquela noite e com queria iria falar se quisesse. 

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Sab Out 28, 2017 1:34 am

Danio Benneti 
- PDS 5/14
- FDV 4/7 (Natureza interpretada)
- Vitalidade -1 Ferido Gravemente (1 Agravado,3 Letal)

Lars era considerávelmente habilidosa em um volante, assim que o pedido de Danio foi esclarecido a moça girou o volante para a esquerda tomando uma rua a contra mão, mas não tinha muito problema, com a cidade deserta não havia chances de que uma colisão ocorresse. O vampiro olhou para trás como se esperasse o pior, mas não. Nem o tanque, nem os comboios seguiram o carro em que Danio estava. 

O grupo avançou até a maré, havia algumas casas próximas mas nenhuma estava habitada, Lars diminuiu o fluxo do carro até finalmente encosta o carro ainda ligado e olhar para a ponte. 

Danio olhou para a ponte, percebeu 2 tanques posicionados um em cada ponta da ponte , deveria haver mais de 50 soldados nos arredores da ponte a patrulhar mas de tudo aquio o que mais surpreendeu o vampiro foi quando ele viu criaturas planarem do céu para o topo dos prédios. 

Lars: - Mas que porra é aquela ?

Até mesmo Lars olhou e apontou na direção, algo mais que parecia ua espécie de ave mas era maior e era humanoide como um Gangrel ou um Tzmisce com asas nas costas. eles pousaram nos prédios e na ponta das pontes, pareciam espiões pois agiam muito discretamente. Um deles adentrou no predio enquanto o outro ficou a observar os soldados. 

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Out 29, 2017 11:53 pm

Vallek Morton
- PDS 11/14
- FDV 6/7  
- Vitalidade OK

Apesar da intrigante forma com a qual Vallek e Allen alcançaram a cidade outra vez, a dupla estava ficando cada vez mais acostumada com todas aquelas nuanças. As asas se dissiparam no instante em que os dois encostaram os pés ao chão respectivamente. O vampiro ainda possuía uma sensação de perda, mas devido ao modo frágil com o qual Elizie se encontrava era muito melhor que ela continuasse segura com o grande pai. 

O vampiro então seguiu um caminho diferente de seu aliado, aparentemente Allen permaneceu no topo de outro prédio enquanto Vallek desceu pelo interior das escadas de um dos prédios, o vampiro tinha a completa sensação de que estava sendo guiado em direção a Nissiku o tempo inteiro, as escolhas das portas que fazia, o tempo em que o vento misteriosamente levava para abrir as portas antes mesmo que Vallek precisasse girar a maçaneta, todo o caminho foi comprometido e levar o vampiro Malkaviano até o encontro do mais sábio principe da Babilonia. 




A mente de Vallek começava então a convergir em lapsos fugazes e sem padrão. A impressão que ele possuía é que a sua vida estava dando saltos e avançando no tempo a medida em que ele descia as escadas e passava pelas portas, subitamente ao abrir uma porta ele viajou completamente no tempo ou algo semelhante pois essa era a única explicação que tinha para explicar o sabor da terra em seus lábios, e a sensação árida do lugar em que estava. O chão de terra, seus dedos deslizavam pelas paredes feitas de mármore e carrara. 


Vallek podiam sentir que o sol estava lá fora atravessando as frestas dos buracos da estranha tumba da qual ele invadiu enquanto avançava pelo prédio de uma das construções de New Jersey. Se aquilo por acaso era uma ilusão era tudo incrivelmente real. 

Foi quando então ele avistou a simploria imagem do principe dos tolos. Ele não parecia um príncipe, mas parecia um menino que um dia se tornaria um principe. Bonito, com traços da realeza da alta costura em suas vestes, estava sentado em uma macia e confortavel almofada em um canto escuro longe de todas aquelas frestas de raio de sol que cortavam a ante sala e irrataram consideravelmente Vallek. 

Ele podia sentir que Nissiku sabia tudo sobre ele. Como um invasor não convidado, Nissiku invadiu sua mente para se apresentar, cada palavra era como um rompante de martelo na mente de Vallek. 

Nissiku : - Você é um dos nossos "eus" Ohhh desculpe !! É demais para você ...

A voz então começou a sussurrar e mesmo que o sussurro ainda incomodasse já não doía mais a mente do vampiro Malkaviano. 

Nissiku Sussurrando: - As Noites Finais, o Tempo do Julgamento, O apocalipse já está a nossa porta. Mas há aqueles que nos impedem de fazer de todos Iluminados. E eu sei de quem estamos falando. 

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Seg Out 30, 2017 12:19 am

Herick Draven
- PDS 13/15
- FDV 4/7  
- Vitalidade Escoriado Agravado
Obs: Você pode controlar a sí mesmo por alguns turnos até que caía na furia do frenesi da voz da loucura de Elisha novamente.

A força do poder de Elisha era impressionante. A mente do vampiro caitiff era invadida por uma onda de pensamentos aleatorios, a fome se fez presente apesar dele saber se controlar. Seus impulsos primários de predador queriam se aflorar mas o raciocinio de Herick precisava tomar uma posição, o vampiro então teve suas asas dispersadas no ar no instante em que pisou no chão, mostrando que as asas serviram apenas para uma viagem. Elisha continuou a planar na frente de um grupo de soldados que mantinha a fiscalização na frente da ponte do Rio Hudson. O poder que Elisha exerceu foi estrondoso e dilacerador, os soldados logo levaram suas mãos a cabeça e aos gritos começavam a perder o controle sobre a própria sanidade. Os tiros começaram a ser disparados, mortes e distruição se fizeram presentes. Enquanto Elisha sorria vibrante os soldados começaram uma guerra pessoal uns com os outros. 

E no meio de tudo aquilo Herick apenas observava quando uma voz entrou em contato com ele: 

Sanders ao Comunicador escreveu:Sanders : - Alô Herick, aqui é o Sanders, chefe da divisão da Ordem da Razão. Eu estou falando com você atraves do aparelho que implantamos em você. Onde você estava ? Nós perdemos o seu sinal por dias !! Eu preciso que se recomponha e evite o que está acontecendo. Você precisa impedir Elisha de continuar está me ouvindo ? Se ela incitar o governo, o próprio país irá se voltar contra o projeto e teremos um caos politico em escala global. Ninguem vai mais respeitar nada !

Naquele Momento, Herick escuta outra voz abafando a voz de Sanders. 

Voz desconhecida escreveu:- Herick, A verdade é maior do que você realmente sabe, você está sendo controlado pelos Humanos, liberte-se da influencia dos humanos e eu poderei te levar a quem você tanto deseja...

A imagem de Viper se espelhou nitidamente na frente 



_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Undead Freak em Seg Out 30, 2017 1:04 am

No topo daquele prédio, eu tinha voltado a "configuração padrão" da existência. Bem, ao menos era essa a impressão que eu tinha. O ar frio da noite soprava no meu rosto, trazendo todos os odores típicos e repulsivos da cidade misturados em algo único. Ela agora parecia feder mais do que antes.

Blargh! Sinceramente não sei mais o que eu estou dizendo. Parece que estou ficando rabugento. É por causa de Elizie. Eu sinto o cheiro dela nas minhas roupas. Esse cheiro doce, gostoso me faz lembrar da textura da sua pele, tão macia e pálida. Me faz também lembrar dos seus lábios, da perfeição de suas curvas e de como é gostoso acariciar seus cabelos louros... Há um sentimento antigo aqui, como se eu estivesse voltando a ser um mortal. Não vou me admirar se o meu pau ficar duro de repente. Elizie me faz ter vontade de... adorá-la.

De repente eu deixei meus pensamentos de lado e percebi que algo mais estava acontecendo. Eu andava quase de forma inconsciente e já tinha andado um bom caminho quando notei que algumas portas tinham ficado para trás. Estranho, não me lembro de tê-las aberto...Claro! O Pai! O Pai está me guiando! Isso agora fica evidente, já que as portas estão abrindo sozinhas, com a força de um vento misterioso. Eu nem mesmo preciso tocar na maçaneta. Vozes? Não, não ouço. Não fisicamente, ao menos, mas sim! Há uma voz em forma de intuição guiando minha alma. De certa forma ela me conduz.

Nissiku...

Eu sinto a presença do Matusalém. Está atrás dessa porta. Há uma presença forte atrás dela. Eu posso sentir.

-- O que? O que é isso?

Um corredor escuro, em total penumbra. Não vejo nada, mas sinto a presença dele... É uma energia forte, que parece me tragar. Conforme ando, fachos de luzes aparecem e desaparecem rapidamente. Elas ficam mais fortes e frequentes, e agora uma luz branca, cegante e ininterrupta.

-- Mas que porra?!

Não estou mais andando, estou sendo puxado com a mesma violência de estar sendo arrastado por uma carroça puxada por cavalos desenfreados galopando a toda a velocidade em campo aberto e, falando nisso, sinto gosto de terra. Algo está... me puxando para baixo? Não, eu sigo em frente. Posso sentir pelo vento. Eu "corro" pelo horizonte. E agora... cegueira! Eu não estou enxergando porra nenhuma.

Calor...

Não enxergo, mas sinto. Era o sol. Não me queimava, não me destruía, mas incomodava mesmo assim. Minha visão foi aos poucos voltando mas, mesmo quando finalmente voltei a enxergar, tive de cerrar os olhos. A claridade me incomodava e muito. Olhei para baixo para esquivar o rosto do sol e percebi que estava em um chão de terra. Ao meu lado haviam paredes de carrara, com alguns buracos cuja luz entrava.

Será isso uma ilusão?

Não importa. Afinal, a ilusão nada mais é do que uma outra configuração em que a mente e os sentidos se conectam. Não existe uma realidade, existem várias. Os seres humanos e a maioria dos cainitas estão acostumados apenas com uma -- é por isso que eles nunca nos entendem.

"!"

Foi quando eu o vi. Estava sentado sobre uma almofada, como se meditasse. Nissiku estava sentado em um canto distante e escuro, longe da luz do sol. Ele me olhava. Tinha vestes belas, de tempos a muito esquecidos. Era como um nobre. Não parecia um príncipe, mas parecia alguém que logo se tornaria um. O poder que ele emanava era simplesmente esmagador.

-- Você é um dos nossos "eus" Ohhh desculpe !! É demais para você ...

Nissiku falava comigo de dentro da minha mente. Como descrever isso? Senti uma dor terrível na testa, instintivamente cerrei os olhos e percebi que a dor havia se espalhado por toda a minha cabeça e pela nuca também. Quando ele parou de falar, meus ouvidos estavam zunindo e ardendo, como se uma granada tivesse explodido perto da minha cabeça.

-- As Noites Finais, o Tempo do Julgamento, O apocalipse já está a nossa porta. Mas há aqueles que nos impedem de fazer de todos Iluminados. E eu sei de quem estamos falando.

Ele agora falava suavemente, em sussurros. Sua voz era agradável, me acalmava. Senti o corpo formigar e ficar entorpecido.

-- Príncipe Astuto, filho de nosso criador... O Pai desperta, e tu desperta com ele. Ele me envia para te auxiliar... Dai-me o conhecimento sobre aqueles que são nossos obstáculos. Eu os racharei... eles serão iluminados, ou perecerão. De qualquer forma, não estarão mais em nosso caminho. Faremos o que for necessário.

avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Bahamut em Ter Out 31, 2017 12:29 am

Rugall colocou seu ponto de vista e Kevin foi o único a comentar. Ele realmente nem imagina os motivos de Rugall e a forma como se colocou resume bem o jeito de pensar de um usurpador. Mesmo escolhendo não ficar na seita e rejeitar o seu próprio clã, Rugall absorveu muito de suas raízes e ensinamentos incluindo a aversão ao clã Tremere.

Agora Adam finalizava a reunião colocando o fato de que Diana não poderia criar um vampiro, algo que não era novidade para seu mestre, mas Rugall estava preocupado pois sabia que a distância do seu sangue com a de Caim era muito grande e talvez não pudesse criar uma cria viável.

Todos se despediam e Rugall pediu para Diana marcar uma reunião com Meg. Ele queria discutir alguns pontos com ela com relação à revista e a nova empreitada, como também perguntar sobre a fatídica noite e o desenrolar. Enquanto isso Rugall se dirige até o Nosferatu. É a primeira vez que Rugall lida diretamente com um deles e pelo que Rugall ouviu falar, eles são muito interessantes como aliados.

Rugall: - Boa noite Caleb. É um prazer conhecê-lo. Gostaria de conversar um pouco com você se tiver um tempo. Daqui irei para um refúgio que Adam disponibilizou para mim e gostaria que me acompanhasse.
avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Bad em Ter Out 31, 2017 7:09 pm

Tom acabava sua música e soltava uma gargalhada prazerosa por ver toda aquela bagunça, ele ainda observa por alguns instantes aquele caos, mas não poderia ficar ali para ver o desfecho, o que o deixava mais triste... nessa hora lembrou da cabine do comandante, lá provavelmente há câmeras, e melhor, um microfone que poderia ser ouvido por todo o navio.
Tom vai para algum lugar escondido e usa sua ofuscação 2 para se esconder, e poder sair daquele local sem ser visto, após se sentir escondido iria calmamente para a cabine, aproveitando o caos estabelecido por ele, a segurança já deveria estar a caminho abrindo assim uma janela de oportunidade para os outros malkavianos.

*Cuidado nunca é demais...* Pensava o malkaviano, *nada melhor que um colete vivo para ajudar nisso, se ela já tiver acordada pode me ajudar muito* Tom então utiliza sua habilidade *Presença 4* para chamar a mortal que se alimentou no quarto, apesar de parecer cuidado, ele so queria se divertir com tudo aquilo, e isso não tinha mudado.

Ao chegar perto do seu destino iria tomar cuidado e observar exatamente como está toda a cena.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Fuuma Monou em Qui Nov 02, 2017 5:25 pm

Logo que acabei de falar, Lars encontra uma rua lateral e vira o carro nessa direção. Meu pedido foi bem simples, precisamos encontrar uma forma de atravessar e a ponte não é uma opção viável. Dessa forma, a Gangrel nos leva próximo da margem do rio por esse caminho lateral. Desse lugar nós conseguimos ver praticamente toda a cena, mas com uma certa cobertura proporcionada pelas casas ao redor. Dois tanques fecham o único caminho que o carro poderia seguir até a outra margem, junto com um bando de soldados.

- Que dro... - Começo a falar enquanto, em pensamento, procuro outras formas de sair daquela situação quando meus olhos são levados ao céu por algo que chama minha atenção. Criaturas humanoides sobrevoam o espaço em torno da ponte e, ao que parece, são duas. Elas são muito grandes para aves normas, principalmente por estarem voando com todo aquele tamanho, além de sua forma corpórea.

"- Talvez um vampiro... ou outra criatura surgida dos Dons vampíricos..."

Contudo, elas simplesmente sobrevoavam os céus acima dos soldados. Será que cainitas estavam ajudando o exército a "tomar conta da situação"? Todos conhecemos o quanto membros da Camarilla possuem informantes dentro da sociedade mortal... Então a culpa parcial por tudo aquilo, como a morte de Bispos, pode ter sido resultado de uma ação dos Ratos unido a alguma loucura trazida por Malks....

Lars escreveu:Mas que porra é aquela ?

Faço um sinal para que a Gangrel e o Tzimisce não façam barulho. Afinal nós não sabemos o que são aquelas coisas. Fico a observar a movimentação das criaturas por algum tempo, tentando entender o que elas seriam. Após algum tempo de observação, deu a entender que eles estão ali como espiões, mas de quem? Um Tzimisce poderia ter criado aqueles seres para vigiar o que estava acontecendo nos arredores...

- Nirrhtak, você conhece alguém com a capacidade para criar esse tipo de criatura? - Minhas palavras saem em tom calmo e em baixa intensidade. Certamente um 'lunático' como ele não deveria estar prestando muita atenção àqueles próximos a ele no passado, mas seria arriscado tentar algo antes de conhecer todos os detalhes.

Continuo prestando atenção à movimentação dos seres enquanto espero pela resposta. Eles parecem ser do conhecimento dos soldados ou estão à vigiá-los? Ou estão vigiando a ponte? O caminho feito por eles pode me dar uma indicação. De repente um deles volta a um dos prédios e parece entrar no mesmo enquanto o outro continua sua 'ronda'.

"- Será que seu criador está ali? Esta é uma oportunidade de ouro.." - Presto atenção se o prédio está muito longe e, se não, peço a Lars que se aproxime silenciosamente do edifício.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por mitzrael em Sex Nov 03, 2017 11:41 am

herick ficava admirado com o poder de Eilisha , sabia que daria muito trabalho dete la . Mas se ele nao fizer algo tudo sera perdido .

Sanders ao Comunicador escreveu:
Sanders : - Alô Herick, aqui é o Sanders, chefe da divisão da Ordem da Razão. Eu estou falando com você atraves do aparelho que implantamos em você. Onde você estava ? Nós perdemos o seu sinal por dias !! Eu preciso que se recomponha e evite o que está acontecendo. Você precisa impedir Elisha de continuar está me ouvindo ? Se ela incitar o governo, o próprio país irá se voltar contra o projeto e teremos um caos politico em escala global. Ninguem vai mais respeitar nada !


pensando :
To aqui Sanders , como assim estava sem falar comigo ? eu dei a localizacão dos antes deluvianos , vcs não receberam ? vcs tem agir rapido eu sei o que ta acontecendo e sei como isso vai terminar .


Voz desconhecida escreveu:
- Herick, A verdade é maior do que você realmente sabe, você está sendo controlado pelos Humanos, liberte-se da influencia dos humanos e eu poderei te levar a quem você tanto deseja...


Herick se surprendia com a ouvir outra voz em sua mente .

pensando :
nao sei quem e vc , mas minha mente ja ta bem embaralhada , e se vc nao sabe o mundo ta um caos e sua oferta e encantador mas Viper e a ultima de minhas preocupaçoes
eu sei que eles nao sao confiaveis , mas no momento so eles estao me ajundando entao cai fora , ou ajuda a dete los .
Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 37
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 05, 2017 12:34 pm

Vallek Morton
- PDS 11/14
- FDV 6/7  
- Vitalidade Escoriado Letal 

Nissiku : - Eu sei que estas aqui para ajudar...Eu sei...

Essas foram as únicas palavras que Vallek ouviu do Matusalem antes de sua mente ser enxurrada por dezenas, milhares de imagens que acertaram a mente de Vallek como um soco invisivel. O vampiro perdeu completamente o seu equilibrio e precisou usar uma das pernas para se firmar em um ponto, seus longos cabelos esvoaçaram pela sua face como se a gravidade do local tivesse se alterado gravemente. Ele já não estava mais na presença de Nissiku, na verdade o vampiro já não conseguia mais ter uma ideia de sua própria localização no espaço. Dentre as dezenas de imagens que atravessaram a sua mente ele conseguiu se lembrar do comentário de Nissiku sobre algumas delas. 

Dagon escreveu:

Dagon era o verdadeiro e principal inimigo de Malkav e seu objetivo de iluminar toda a raça mortal. Mais do que os senhores Anciões Decréptos da Camarilla ou os religiosos fanáticos do sabá. Dagan era poderia ser descrito como um dos principais assistentes pessoais de Lúcifer. Dagan é a verdadeira entidade por trás da Nova Ordem Mundial e capaz de manipular uma parcela significante da Tecnocracia. 

O Objetivo de Dagan ? Transformar a mente de todos os mortais no contrário objetivo de Malkav. Torna-los um monte de criaturas sem almas,  sem mentes, vontade propria, fazer da humanidade zumbis escravos da tecnologia. Um objetivo be próximo da realidade na verdade. 




Annuit Coeptis escreveu:

Dagan por sua vez não é uma entidade que pode circular livremente no mundo como qualquer um de nós. Esta entidade está presa a um sistema Intranet que serve justamente aos terminais tecnocratas, onde está todo o banco de dados do conselho de tecnocratas, por motivos de segurança esse sistema intranet não é conectado a internet e Dagan usa dos servos da Nova Ordem Mundial para servir de conexão entre ele e o restante do mundo. 

Este sistema operacional é conhecido como : Annuit Coeptis 



O Conselho da Nova Ordem Mundial escreveu:

O conselho de Tecnocratas da Nova Ordem Mundial está completamente submissa a Dagan. Uma parte de toda a tecnocracia serve a esta entidade por baixo dos panos e enganando o próprio ideal das outras 4 convenções tecnocratas. Uma pergunta consome a mente de Vallek . Até aonde seu carniçal Kyle Sanders sabe da verdade ? Será que ele sempre foi parte desse seleto conselho que sabe a verdade sobre a Nova ordem Mundial ?




Assim que voltou a sí Vallek estava mais uma vez nas escadarias de um dos andares do escuro prédio, ao qual perseguia Nissiku. Sangue escorria levemente pelo nariz de Vallek, uma demonstração que o poder de Nissiku afetou a mente de Vallek e a machucou.  Podia ouvir do lado de fora o som de tiros, gritos e até explosões, os tremores abalavam levemente as estruturas do prédio e algumas faguhas caíam ao chão. Que espécie de guerra estava tendo lá fora ?



Obs: Uma imagem se gravou na mente de Vallek para cada ponto no Atributo Inteligência. 

Vallek Teste de FDV Diff 9. = 2 Sucessos

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 05, 2017 1:47 pm

Rugall Salles
- PDS 5/10
- FDV 3/6  
- Vitalidade Escoriado (1 Agravado)




Se aproximar do Nosferatus era uma tarefa estranha. Não apenas socialmente estranha considerando o modo recluso do clã e do personagem enigmatico, mas havia uma aura extremamente sinistra que rodeava Caleb e que Rugall sentia sempre que se aproximava do vampiro. 

A primeira impressão que Rugall tinha era de que o vampiro não havia ouvido o seu pedido, pois Caleb permaneceu sentado na cadeira, ele usava uma capa antiga e rabusquenta de cor marrom escuro que cobria o resto de seu corpo, havia uns pequenos furos, ele não parecia se importar com luxo. Sua face centrada em Adam apenas começou a lher dar atenção quando o vampiro Tzmisce lhe chamou a atenção por uma segunda vez. Então ele disse: 

Caleb : - Considerando que acabamos de nos conhecer, você também recusaria uma oferta minha de conhecer os meus domonios subterraneos próximos ao rio Hudson correto ? É isso que faz de nós criaturas tão centenárias, hehehe. Acho que terei de declinar a sua oferta. Contudo, considerando o proposito de sua conversa. Porque não explica o motivo de seu interesse por aqui mesmo ? Tenho Certeza que nosso anfitrão Christie não se importará se conversarmos mais alguns minutos nessa ou em outra sala de sua propriedade. 

Então disse Caleb, de forma direta mostrou que não confiava em se distanciar muitos dos outros membros, mas que estava apto a ouvir o que Rugall poderia propor e conversar. 

Adam comentou algumas coisas com Meg antes de que todos saíssem, o provavel próximo principe dos dominios de New Jersey era bastante ponderado em suas palavras, Hal e Kevin deixaram a sala juntos enquanto conversavam. Meg estava quase deixando a sala com Adam quando foi abordada por Diana exatamente como foi pedido por Rugall. Logo em seguida a sala ficou vazia com apenas os 3. Rugall, Caleb e Diana. 

Assim que Diana se aproximou da dupla ela mostrou o celular com o contato de Meg entre os numeros. Ficou evidente que Caleb, manteve os olhos em Diana boa parte da reunião e também naquele momento. O que poderia estar passando na cabeça do misterioso Nosferatu ?

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 05, 2017 2:14 pm

Tom Halley
- PDS 14/14
- FDV 5/5
- Vitalidade OK




Tom não tinha qualquer problema em deixar o local, ninguém jamais culparia o cantor pelos acontecimentos caoticos que estavam se ocorrendo, ele deixou o local em que estava da mesma forma como chegou. O poder da ofuscação serviria para fazer dele um ninguém entre os corredores do navio. Já era possivel ver que o clima tranquilo do lugar estava mudando. Pessoas corriam do lado de Tom com rostos preocupados para lá e para cá. 

Quando ele chegou no deck de comando no andar 1F o lugar estava um tanto deserto a primeira visão, um silêncio exagerado onde o som dos passos de Tom se tornaram a principal melodia regida por ele. As luzes começavam a falhar, piscando de maneira desordenada. Som de eletrecidade levavam ele a crer que talvez houvesse algum curto no deck de comando. Uma risada ao fundo era reconhecivel. Era a voz de Purple em algum lugar alí entre os corredores ou a sala principal do deck de comando. Antes de chegar na sala Tom conseguiu ouvir os choros e lamentos de Mara, ela estava ofegante, com lágrimas nos olhos como se procurasse alguém. Sua perna direita estava machucada e ela estava um pouco suja no rosto e em sua blusa curta. Ela segurava uma das paredes apavorada enquanto dizia : 

Mara : - Onde você está ?! Por favor faça ele sair da minha cabeça !!! Por favorr ! 


Tom Halley Convocação Diff 4. = 4 Sucessos

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Undead Freak em Dom Nov 05, 2017 2:52 pm

- Eu sei que estas aqui para ajudar...Eu sei...

Novamente aquele zunido no ouvido, mas dessa vez mais alto, mais agudo, mais...agoniante.

Imagens, pensamentos, informações... Tudo "injetado" na minha mente, com a mesma velocidade da luz. Meu cérebro, mesmo clinicamente morto, se atormentava com a inundação de dados visuais, auditivos e até mesmo palpáveis que eram cravados em minha memória. O cérebro pulsava, como se estivesse crescendo, como se estivesse querendo se libertar do meu crânio que parecia rachar a cada novo conhecimento que eu obtive instantaneamente.

Levou apenas alguns segundos para tudo voltar ao normal, mas pareceram horas de "absorção". Naquele tempo, senti como se estivesse em algum local distante do cosmos, longe de qualquer local familiar para mim. A única coisa que senti foram meus cabelos grudando no meu rosto. Eu estava suando?! Não, meu corpo não faz mais isso. Os cabelos grudaram no sangue que escorria do meu nariz, tamanha a carga que minha mente suportou. Minha cabeça doía demais.

Não estava mais com Nissiku. Eu estava na maldita escadaria do prédio de novo. Meu ouvido ainda zunia, mas agora estava mais baixo. Eu ainda ouvia a voz dele na minha mente.

-- Dagon...

De repente a imagem de um demônio me veio a mente. Quase perdi o equilíbrio de novo no momento em que o rosto dele simplesmente brotou da memória, tão perfeita, como se eu o conhecesse a séculos.

-- Dagon era o verdadeiro e principal inimigo de Malkav e seu objetivo de iluminar toda a raça mortal. Mais do que os senhores Anciões Decréptos da Camarilla ou os religiosos fanáticos do sabá. Dagan era poderia ser descrito como um dos principais assistentes pessoais de Lúcifer. Dagan é a verdadeira entidade por trás da Nova Ordem Mundial e capaz de manipular uma parcela significante da Tecnocracia
-- Eu falava, gesticulava, mas eu ouvia a voz de Nissiku dizendo as mesmas palavras que saiam da minha boca, ao mesmo tempo -- O Objetivo de Dagan ? Transformar a mente de todos os mortais no contrário objetivo de Malkav. Torna-los um monte de criaturas sem almas,  sem mentes, vontade propria, fazer da humanidade zumbis escravos da tecnologia. Um objetivo be próximo da realidade na verdade.

Agora outra imagem brotou em minha mente. Essa veio menos violenta -- creio que devido ao fato de eu conhecê-la muito melhor.

-- Dagan por sua vez não é uma entidade que pode circular livremente no mundo como qualquer um de nós. Esta entidade está presa a um sistema Intranet que serve justamente aos terminais tecnocratas, onde está todo o banco de dados do conselho de tecnocratas, por motivos de segurança esse sistema intranet não é conectado a internet e Dagan usa dos servos da Nova Ordem Mundial para servir de conexão entre ele e o restante do mundo -- Novamente eu falava ao mesmo tempo que Nissiku sussurrava as mesmas palavras simultaneamente na minha cabeça. Eu tinha consciência, mas andava e gesticulava de uma forma diferente, como se eu fosse outra pessoa -- Este sistema operacional é conhecido como : Annuit Coeptis.

Houve mais uma imagem. Dessa vez, veio suave, como uma lembrança gostosa de noites melhores. Um grupo de homens ao redor de uma mesa... A nova ordem mundial...

-- O conselho de Tecnocratas da Nova Ordem Mundial está completamente submissa a Dagan. Uma parte de toda a tecnocracia serve a esta entidade por baixo dos panos e enganando o próprio ideal das outras 4 convenções tecnocratas -- A voz dele de novo... -- É, eu sei...Sanders -- disse respondendo a mim mesmo, como se conversasse com Nissiku de dentro de minha mente.

Então, finalmente, minha cabeça estava em paz, ao menos por um momento. O sangue no meu nariz já começava a secar no meu rosto, coagular. Eu estava ali sentado no chão, no topo da escadaria. Não me lembro de ter sentado, mas foi assim que estava quando me dei conta "do exterior" de novo. Eu sabia exatamente o que tinha que fazer. Tinha que encontrar Allen, e com ele irmos até Sanders. Sanders poderia me ser útil, ou poderia ser um outro obstáculo.

Pode ser útil ter alguém lá dentro....ou não. Nossa última conversa não acabou muito bem.

Eu me levantei. Conforme me mexia, minha cabeça voltou a doer. Comecei a caminhar para fora do prédio, mas era difícil. Pensamentos se chocavam, fazendo a dor ficar mais aguçada.

-- Dagon... Nosso próximo alvo é Dagon. Dagon... Elizie...Nãããooo! -- A imagem da minha criança me veio a mente de novo -- Por que, meu amor? Por que me assombra assim? Sinto sua falta...sinto demais! O que está acontecendo comigo?

-- Concentre-se, criança!
-- Novamente falei como se não fosse eu, ouvindo Nissiku falar as mesmas palavras ao mesmo tempo de dentro da minha cabeça. Minha expressão até mesmo mudou, assim como meus gestos -- Que porra está acontecendo comigo? Fui eu que falei isso? Ou não foi?

Eu estava consciente, mas é como se eu não tivesse tido controle do meu corpo quando disse "Concentre-se, criança!".

-- Eu estou fodido. Minha cabeça está toda fodida. Não posso continuar assim. Preciso curar essa "overdose".

[Off]-1pds para curar o nível de escoriado letal.


Me concentrei, enviando o sangue para a mente, mentalizando uma cura, exatamente como se fosse um braço quebrado ou algo parecido. Em pouco tempo estava em paz e consegui controlar os meus pensamentos e fui até Allen, contar tudo o que tinha acontecido; mas embora conseguisse evitar que Elizie estivesse em minha mente o tempo todo, sentia um vazio terrível no coração.



"...You lock the door, and throw away the key.
There's someone in my head, but it's not me..."
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 05, 2017 3:32 pm

Danio Benneti 
- PDS 5/14
- FDV 4/7 
- Vitalidade -1 Ferido Gravemente (1 Agravado,3 Letal)

Danio permanece próximo a maré, aquele lugar é um tanto discreto, aparentemente o exercito americano estava mais preocupado em defender a ponte do que desbravar os caminhos adjacentes. Enquanto o novo Ductus do bando observava. O Tzmisce comentava a sua pergunta com um grau sutil de entusiasmo. 

Nirrhtak: - Ora, posso dizer que com algum tempo de trabalho eu mesmo poderia me aventurar em moldurar um par de asas em nós. É muito mais fácil trabalhar com vítimas imortais. Nós cainitas conseguimos resistir a um linear de dor que os humanos não conseguem, cortar os nervos e entorpecer a pele pode ser uma alternativa mas isso torna os mortais extremamente frageis. A dor é um estimulo que nos trás instinto de sobrevivencia. Posso dizer que aqueles lá em cima não são humanos. Podem ser cainitas ou qualquer outra coisa ainda mais bizarra. 

Enquanto o Tzmisce comentava Danio percebeu outras criaturas aladas sobrevoando o local. Com tantas criaturas no céu chegou um momento em que es discrição se tornou algo impossivel, o exército finalmente tomou uma posição e abriu fogo contra as criaturas aladas. Foi nesse momento que a dor visceral se fez presente dentro do ambito de Danio Benneti . 


Parece que tudo estava acontecendo novamente. O coração do La Sombra acelerava como se estivesse de volta a vida, o mesmo sentimento que tinha dentro da delegacia, a fome por carne e sangue se fez presente. Tudo ficou mais lento, ele estava perdendo o controle sobre a sua mente e seu corpo. 

O vampiro viu ainda quando Lars rasgava a própria blusa em um acesso de ódio frenético. Suas garras eram como navalhas afiadas, aqueles olhos vermelhos ainda fitaram Danio mas algo lá no fundo a impediu de atacar o Ductus em contra partida ela rasgou o peito de Nirrhtak como se fosse manteiga, o sangue se misturava entre os dedos de Lars, revoltada ela corria pelas ruas feito um animal desgovernado. 



Nirrhtak e Danio também sentiam os rigores daquele estado de frenesi frenético. A de seus corpos parecia ser ignorado por eles. O vampiro Tzmisce sorria enquanto lambia a própria ferida, seu sorriso era sádico e maligno. Não sentia paulatinamente que o descontrole da fome tomava os seus movimentos.

Por que tudo aquilo estava voltando a tona ?...


OFF: Danio pode gastar 1 FDV para se manter sóbrio por um turno e evitar a razão de seu Frenesi.
Danio teste de Frenesi Diff 8. = 0 Sucessos

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Dom Nov 05, 2017 4:11 pm

Herick Draven
- PDS 13/15
- FDV 3/7  
- Vitalidade Escoriado Agravado

Era tudo uma grande confusão. Herick estava no alto de um dos prédios e podia ver o exercito abrindo fogo contra Elisha, a anciã era incrivelmente agil e usava de sua rapidez descomunal para escapar de tiros e explosões enquanto se refugiava em um grupo de casas em uma maré próximo a ponte. 

Em meio isso tudo Herick precisava segurar a sua própria besa interior querendo se libertar, sua mente era novamente tomada por devaneios. Alguém falava em sua mente. Era o cara que representava a nova ordem mundial, mas de alguma forma a voz dele começava a ser sobre posta por outra. Uma voz mais calma e ao mesmo tempo mais enigmática. Ainda assim Sanders tentava se comunicar com Herick 

Sander ao Comunicador escreveu:
Sanders : - Herick ! Escute bem...Você precisa...Impedir.........isha...........Heri...

Antes que a cominicação pudesse continuar Herick sente como se todo o universo ao qual ele estava deixasse de existir, tudo se tornava um grande vazio negro. Sem som, sem luz...Sem nada. 


Herick permanecia nesse espaço negro muito algum tempo, não conseguia ouvir sua própria vez, nem mesmo sentir o seu próprio corpo. Tudo parecia distante e longincuo. O vampiro se perguntou onde estava e por que poderia estar ali. Mas não havia qualquer resposta. 

Quando finalmente viu uma grande luz branca a sua frente Herick foi arremessado em direção a um universo totalmente diferente de New Jersey. 


A mente de Herick começava então a convergir em lapsos fugazes e sem padrão. A impressão que ele possuía é que a sua vida estava dando saltos e avançando no tempo a medida em que ele era tragado pelo buraco, ele viajou completamente no tempo ou algo semelhante pois essa era a única explicação que tinha para explicar o sabor da terra em seus lábios, e a sensação árida do lugar em que estava. O chão de terra, seus dedos deslizavam pelas paredes feitas de mármore e carrara. 


Vallek podiam sentir que o sol estava lá fora atravessando as frestas dos buracos da estranha tumba da qual ele invadiu enquanto era tragado pela forte manifestção que havia levado ele para aquele breu e em seguida para aquele lugar. Herick avançava . Se aquilo por acaso era uma ilusão era tudo incrivelmente real. 

Herick então se ergueu e sentiu o seu corpo leve, apesar de ser dia e o vampiro estar com os olhos pesados por não suportar o clarão que vinha dos pequenos buracos que existiem por entre as paredes de barro da construção. Herick caminhou sentindo seu corpo diferente, percebeu que suas vestes não eram as mesmas que ele costumava usar. 



Herick Draven vestia roupas de uma verdadeira realeza. Como se fosse um principe ou algo do tipo. Outra coisa que lhe surpreendeu foi o fato de ao olhar a sua própria imagem em um espelho Herick era muito mais moreno e sua face lembrava o velho e mortal Herick Draven do qual ele um dia foi quando ainda era vivo. 

Um pouco mais adiante ele avistou a simploria imagem de um homem em um canto escuro . Parecia um menino que um dia se tornaria um principe. Bonito, com traços da realeza da alta costura em suas vestes exatamente como as roupas de Herick , estava sentado em uma macia e confortavel almofada em um canto escuro longe de todas aquelas frestas de raio de sol que cortavam a ante sala e irrataram consideravelmente Herick. 

Uma voz então começou a sussurrar dentro da mente de Herick, não era o menino e sim a mesma voz que entrou em contato com ele a pouco tempo atras. 

Nissiku Sussurrando: - Você se lembra de quem você realmente é ou foi ? 

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por mitzrael em Ter Nov 07, 2017 5:26 pm

herick tentava se manter , sua mente comecava a dubridiar , ele sabia que não podia deixar sua mente sucombrir a loucura de Elisha .
mas como sair daquilo ? , a mente de herick se perguntava mas de se perder ele ouvia uma voz distante em sua mente .

Sander ao Comunicador escreveu:Sanders : - Herick ! Escute bem...Você precisa...Impedir.........isha...........Heri...

E como muito esforço ele respondia
ela ta em nj e eu to me perdendo tem outra pessoa em minha mente .

Herick se perdia novamente e era transportado para outo local , tudo tao confuso , será tudo aquilo mas ilusoes criadas ? para ele enlouqucer de vez ?

herick olhava para seu reflexo olhava para o garoto em sua frente .

pensando :que merda e essa ? quem será esse guri agora .


Nissiku Sussurrando: - Você se lembra de quem você realmente é ou foi ?

Herick ouvia de novo aquela voz , e era a mesma de antes .

pensando :
mas o que e isso ? quem realmente sou? ou fui ?

vc quer que eu acredite que ja fui um principe ?
eu sei quem sou e quem fui , eu era um grande piloto de racha , uma lenda em minha cidade
ate viper arrancar isso de mim , de pois virei um caitf um desgarrado , mas mostrei meu valor virei o guardiao de Elisha , sai do antro dos temiveis saba enteiro , eu sou um sobrevivente meu chapa , e ninguem vai me por nas redias eu vivo um farol apois o outro .
entao economisa seu papinho e adianta o que vc quer .
Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 37
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Bahamut em Ter Nov 07, 2017 9:22 pm

Caleb recusou a proposta de Rugall, em partes. Ele se mostrou contrário ao fato de ter que sair dali para conversar com Rugall em seu refúgio, mas se mostrou interessado no assunto e propôs que conversassem ali mesmo na mansão do governador.

Rugall: - Ah sim, entendo a sua posição. Temo que meu convite tenha sido feito em má hora e peço perdão pelo inconveniente. Quanto ao assunto, na verdade eu gostaria de lhe pedir uma informação, caso esteja em posição de fornecê-la.

Diana retornava então para junto de Rugall com o numero do celular de Meg. Caleb manteve sua atenção na moça então, como o tinha feito em boa parte da reunião. Rugall se perguntou o que passava na cabeça do Nosferatu para que se atentasse tanto a ela.

Em pouco tempo todos haviam saído da sala, restando apenas Diana, Caleb e Rugall, que continuou sua fala logo após tomar Diana pela cintura. Esta foi receptiva como sempre, apoiando uma mão no corpo de Rugall e sua cabeça nos ombros dele.

Rugall: - Então meu caro Caleb, como você já sabe, o meu clã não é nada comum fora do Sabá, tampouco fazendo parte da Camarilla e agora que estarei mais exposto na mídia posso ser um alvo fácil. Meu antigo senhor conseguiu me encontrar em New Jersey, embora eu não saiba como, e me trouxe sérios problemas. Não sei se ele ainda está vivo depois do Caos que houve na cidade, embora meu palpite seja que sim, mas sei que caso esteja, não demorará muito para que restaure as forças do Sabá aqui na cidade, assim como virá atrás de mim. O que tenho a lhe pedir é que eu gostaria de algum tipo de informação sobre ele, caso você a possua. Saber como e quando ele chegou na cidade, quais foram os seus movimentos e locais aonde frequentou e claro, se possuem conhecimento do seu atual paradeiro.

Rugall acariciava a cintura de Diana por cima do vestido. A vampira acariciava o torax de seu amo e encaixava a sua cabeça nos ombros dele. Rugall adorava quando ela ficava assim, como uma gatinha se aninhando atrás de colo. De certa forma ele ainda a tinha como um dos seus bixinhos de estimação.

Rugall: - Tenho certeza que podemos discutir sobre a oferta e o que posso fazer para merecê-la.

O nosferatu era difícil de se traduzir. Era claro que seus olhos estavam atentos para a jovem vampira nos braços de Rugall, mas nada além disso Rugall conseguiu captar.

Rugall: - Ah sim. Já ia me esquecendo. O Tzimisce em questão é chamado de Nirrhtak.
avatar
Bahamut

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Fuuma Monou em Qua Nov 08, 2017 3:58 pm

Nirrhtak responde rápido e com entusiasmos. "- Hum... ao que parece, ele está ligado a Viscissitude de forma ímpar. Somente isso tem o retirado de seus devaneios.." - As palavras do cainita continuam saindo, respondendo a minha pergunta. E eu continuo a observar o céu a procura de um padrão, algo que possa nos ajudar a saber se aquelas criaturas aéreas são "aliadas" ou se estão ali procurando por algo para dilacerar. Enquanto Nirrhtak fala, mais e mais criaturas se amontoam no céu até um ponto em que os soldados às vêem e as atacam, o que responde parcialmente a minha dúvida.

- Certo... eles estão se acumulando... os solda...... - Uma dor forte ressurge em meu ser. Minha mente começa a perder o controle.

"- É o mesmo de antes... o que está a.." - Volto a sentir-me da mesma forma que anteriormente, a sede por sangue e carne surge de forma incontrolável. Ela está ali, a Besta sempre espera pelo momento certo para colocar suas garras para fora, e parece que o momento chegou. Sinto uma pressão em meu peito, que parece ferver como se eu estivesse sendo devorado pelas chamas de dentro para fora. Minhas presas saltam para fora, e a vontade de alimentar-me começa a tomar conta do meu ser novamente. Contudo, diferente do que aconteceu anteriormente, somente minha concentração não parece conter a Besta em seu cárcere. 

Minha consciência está se esvaindo por completo, mas ainda consigo ver Lars olhando diretamente para mim. Em seus olhos eu percebo uma loucura superior ao dia em que nos encontramos pela primeira vez. Naquele momento sua vontade por meu sangue só foi estancada após uma batalha onde minha mão esquerda foi perdida. Agora, entretanto, algo a fez parar. Eu vejo com clareza que ela quer fazê-lo, mas algo a impede.. talvez nosso laço esteja ainda forte em seu corpo, impresso em fogo em cada célula de seu corpo. Infelizmente o nosso novo companheiro de Insight não tem a mesma sorte, e as garras afiadas da Gangrel perfuram seu peito sem a menor resistência. 

Sangue brota do corte feito por Lars em Nirrhtak e o Tzimisce começa a lamber o ferimento enquanto a Gangrel sai do carro e corre desgovernadamente pela rua. Somente parte de sua roupa rasgada durante o início do ataque fica no veículo. Ver a ruína de minha ascensão surgir tão rapidamente, como se nada tivesse acontecido, unido a vontade de controlar Lars e trazê-la de volta à mim me dá forças para acalmar o Frenesi, pelo menos momentaneamente (1 FdV).

"- Eu não serei parte do jogo de alguém que está brincando de 'apertar o botão' da gaiola e liberar a Besta. Eu sou meu próprio senhor e serei senhor de tudo."

Em primeiro lugar eu tinha que descobrir se o Tzimisce está consciente e depois encontrar um lugar para me proteger de um ataque daquelas criaturas aladas e dos soldados, se esses resolvessem atacar. Além disso, preciso ficar atento a posição da Gangrel. Mesmo que eu conseguisse chegar a Nova York, de que adiantaria sem Lars para indicar o caminho até o Bispo. Apesar disso, não parecia haver momento melhor para atravessar o Rio. 

Recuperando um pouco de minha consciência, saio do carro

Nirrhtak, você está sentindo isso? - Embora arriscado, a resposta do Tzimisce me daria um indicativo de sua 'sanidade'. Procuro por rastros da Gangrel. Se ele responder algo não tão lunático, entro novamente no carro e sigo na mesma direção que Lars. Sair dali é uma prioridade.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Bad em Sex Nov 10, 2017 10:43 am

Tom não se segura, da uma gargalhada, toda aquela bagunça e aquele caos o divertia muito... tom olha para aquela moça, tão vulnerável tão maleável, e ele chega bem perto dela começa a falar em seu ouvido,
- Essas vozes, esse loucura, não irar parar, tudo isso é feito pela equipe de segurança do navio, eles estão fazendo isso com todos os passageiros, se duvidas vão se sanar se me proteger, ( neste momento Tom usava transe na  moça) quando acabarmos com todos os que protegem esse navio, eu irei lhe da uma grande recompensa...
Tom então começa a andar em direção aonde ouvia a risada de seu companheiro de sangue, parecia esta tendo alguma diversão lá, e tom estava curioso pra saber o que tanto era engraçado naquela situação.
- Essa noite merece uma musica, quando acabar isso eu farei uma musica, noite louca na agua é um nome estranho? Não responda, apensa vamos continuar o plano, depois penso nisso.
Tom apesar de falar com a moça, não estabelecia contato com ela, era como se estivesse falando com um animal, apenas para poder expressar seus pensamentos em voz alta.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Beaumont em Qua Nov 15, 2017 7:41 am

Vallek Morton
- PDS 10/14
- FDV 6/7  
- Vitalidade Ok

Apesar de Vallek ter restaurado o dano cerebral da invasão de Nissuku em sua mente ele ainda parecia um pouco zonzo. Seu equilibrio estava alterado e ele precisou ir devada pelos degraus um de cada vez. Seus objetivos se intercalavam, achar Allen que estava em algum lugar lá fora, achar Elizie, ele não parava de pensar no quanto ela poderia estar frágil lá sozinha como uma criança da noite malkaviana e em Sanders. O Tecnocrata certamente o levaria a muitas respostas. 

O vampiro então avançou para o lado de fora, o som caracteristico de balas de metralhadora era bem familiar, ele procurou abrigo e seguro entre as paredes do prédio percebeu a incurssão dos militares. Eles duelavam contra criaturas aladas, humanoides, Vallek apenas teria uma visão clara se focasse sua visão com seu poder auspicioso. Eram vampiros e Elisha estava entre eles. A anciã Malkaviana possuía uma incrivel velocidade e parecia enfrentar os mortais com algum proposito. Com uma observação mais criteriosa Vallek enchergava Allen atacando os soldados feito uma besta desenfreda, não estava usando suas armas e sim seus proprios braços. Rasgando suas carnes e se alimentando de seu sangue. Avançar pelas ruas poderia ser arriscado, o local estava uma verdadeira zona de guerra onde os vampiros pareciam estar agindo mais por instinto do que pelo raciocinio. A unica que ainda parecia agir com inteligêcia e Maestria era a Anciã Malkaviana que disperssava grupos de soldados sob influencia de uma loucura bem mais poderosa do que a Voz da loucura, algo que afetava um grupo bem maior tornando os soldados verdadeiras criaturas frenéticas e desenfreadas.  

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey By Night - 667 O Vizinho da Besta

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum