Theônios Albuquerque, o homem fera!

Ir em baixo

Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Lipe em Qua Set 20, 2017 2:54 pm

Theônios Albuquerque, Brasileiro, nascido em Manaus, no ano de 1912.
A tecnologia chegava ao norte do país! E o jovem Theônios era apenas um meio índio muito brincalhão que se assustava ao ouvir o rádio pela primeira vez. Aos 12 anos ele já era jogador oficial do time de futebol da capital, e na escola era sempre o escolhido para ser o atacante no jogo, até pelos colegas mais velhos de turmas maiores.
Como era muito bom no que fazia, ele nunca precisou desenvolver suas habilidades Sociais (terciária), mas em compensação, sua aptidão Física (primária) se desenvolveram muito. E isso lhe garantiu uma entrada fácil numa faculdade no Rio de Janeiro, e ele ganhou de seu diretor até o dinheiro da passagem e estadia por 5 anos lá, onde foi estudar Educação Física (Talentos: Prontidão, Esportes, Briga, Esquiva; Conhecimentos: Acadêmicos, Ciência), onde o seu antigo diretor também era professor de Ética e Moral Natural e logo passou a trabalhar numa escola estadual, por indicação dele. Mas infelizmente o salário não era bom, a crise logo se abateu no país inteiro. Ele precisou se mudar para uma vizinhança mais pobre, e sobreviver ali era complicado. Logo precisou agradar os traficantes locais (manha), e fazia corres como “mula”, o bom é que isso garantia uns trocados para ele. (Investigação, Ciência)
Alguns anos se passaram, e ainda antes de concluir o curso, ele tinha apenas 22 anos, ele perdeu a bolsa, e precisou arrumar outros trabalhos. (Sobrevivência) No começo ele ficou muito próximo dos bandidos da favela em que morava, (Armas de Fogo) mas quando muitos amigos dele começaram a morrer, ele resolveu se mudar. E foi aí que surgiu uma oportunidade de emprego em sua terra natal, e ele voltou para Manaus, e lá conseguiu o emprego de guarda florestal. O local incluía um zoológico ao céu aberto, e isso o aproximou mais dos animais do que das pessoas. (Empatia com Animais, Ofícios).
Na reserva, ele começou a catalogar uma tribo nova de índios, e ali ele foi apresentado para um missionário, que era seu antigo diretor e professor, e então ele descobriu que este homem era americano, mas sabia o português perfeitamente, além de Guarani, e outros idiomas indígenas, e ele ensinou o que sabia para Theônios (Ocultismo), mas com o tempo, as aulas na catequese eram cada vez mais sombrias.
Os dois caçavam muito juntos (Armas de Fogo, Armas Brancas, Furtividade, Sobrevivência), até que um dia, o missionário disse que tinha um presente para dar para Theônios. E ele apagou!
Theônios acordou na oca do missionário, vários dias depois, mas não havia nenhum índio lá aquela noite. Apenas um morto, ao seu lado, na oca. (7/10/1936, aos 24 anos)
O missionário também sumiu, mas nenhum corpo, ou mesmo vestígio de que ele esteve ali, o pobre Theônios encontrou!
Poucos minutos após acordar, um homem muito forte chegou na aldeia dizimada, se apresentou como Xerife, e disse que queria saber de tudo o que houve ali. E ele contou. E após ouvir tudo, o Xerife disse que tinha o lugar certo para leva-lo...
... o lugar era um circo itinerante. Onde Theon, o homem fera, (Intimidação, Computador) poderia ser ele mesmo, sem levantar suspeitas!


Personagem: Theon
Natureza: Solitário
Comportamento: Soldado
Clã: Gangrel
Geração: 8ª
Conceito: Patrulheiro Florestal
ATRIBUTOS:
Força: 1+2; Destreza: 1+3; Vigor: 1+2;
Percepção: 1+2; Inteligência: 1+2; Raciocínio: 1+1;
Carisma: 1+1; Manipulação: 1+2; Aparência: 1.
HABILIDADES:
Prontidão: 2; Esportes: 2; Briga: 2; Esquiva: 2; Intimidação: 2; Manha: 1; Lábia: 2;
Empatia com Animais: 3; Ofícios: 2: Armas de Fogo: 1; Armas Brancas: 1; Furtividade: 1; Sobrevivência: 1;
Acadêmicos: 1; Computador: 1; Investigação: 1; Ocultismo: 1; Ciência: 1
ANTECEDENTES:
Geração: 5 (3=3 + 2=6; total 9 Pontos, 5 normais, e mais 4 de PB); Mentor: 3 (PB); Status: 1 (PB)
DISCIPLINAS:
Animalismo: 1+1 (PB); Metamorfose: 2; Fortitude: 1 (PB)
VIRTUDES:
Consciência: 1+2; Autocontrole: 1+2; Coragem: 1+3
Humanidade: 6; Força de Vontade: 4; Pontos de Sangue: 15, 3 Vitaes por turno
QUALIDADES E DEFEITOS:
Ambidestro, -1 (físico)
Senhor de Prestígio, -1 (social)
Amigo do Xerife, -2 (social)
Pele Cadavérica, +5 (físico)
Aperto dos Amaldiçoados, +4 (sobrenatural)
Lunático, +2 (mental)
FRAQUEZA DE CLÃ: Excesso de pelos pelo corpo todo, principalmente no rosto!
Uso dos Pontos Bônus: 4 para Geração, 7 pra Animalismo e 7 pra Fortitude, Mentor 4, Status 1
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Arcebispo Altobello em Qua Out 04, 2017 11:14 pm

Olá, boa noite!

Perdão pela demora na avaliação, tem sido dias corridos para mim. Sem mais delongas, vamos à avaliação.


Peço, primeiramente, que utilize o modelo de ficha do Fórum. Apenas por questão de padronização mesmo.

Destreza: 4 - Defina uma especialização.

Briga: 2 - Quando se fala de Habilidades, tenha em mente o seguinte. 0 - você não tem nada em especial nesse campo e acompanha o senso comum; 1 - você se dedicou um pouco nesse campo, e pode ser considerado como um hobby seu (a maioria das pessoas para por aqui); 2 - você gastou parte considerável de seu tempo nesse campo estudando e treinando (você já está acima da maioria esmagadora das pessoas nesse campo); 3 - você é um profissional na área e poderia muito bem tirar o seu sustento disso; 4 você é reconhecido até mesmo dentre os profissionais, tornando-se uma referência no seu campo de atuação; 5 - você faz parte de um seleto grupo de pessoas considerada as melhores de sua geração nesse campo.

No presente caso, você seria um adepto da arte marcial. No entanto, a justificativa que deu foi a de ter cursado Educação Física. Não vejo como sendo o bastante. Por mais que você entenda a ciência por trás do corpo humano ao executar os movimentos, você não tem a prática e não os executa da mesma forma que um lutador treinado.

Geração: 5/Mentor: 3 - Seu mentor é um vampiro de 7ª geração. Um provável Ancião. Vampiros tão antigos não abraçam por capricho. Eles analisam a fundo a vida do candidato, afinal, se tem uma coisa que o tempo lhe ensinou foi paciência. Esse personagem precisa ser impecável, ter um talento que raramente se acha, para merecer o Abraço de um Ancião. O que Theônios tem a oferecer em retorno? O que faria dele um aprendiz tão formidável? Por que ele foi abandonado? Se ele foi mesmo abandonado, ele não teria pontos em Mentor. Da mesma forma que o Senhor de Prestígio não valeria de nada, pois ninguém saberia que o grande e renomado Ancião é o senhor dele.

Enquanto um Vampiro de 10ª ou 11ª provavelmente foi abraçado por um Ancilla ou Ancião menor. Alguém com cerca de 400 ou 200 anos. Ainda há um critério aqui, mas não é tão rigoroso como visto acima. Gerações mais altas, podem ter sido dadas por Vampiros jovens (menos de 200 anos), considerados Neófitos ou pouca coisa acima disso. Alguns desses vampiros podem, inclusive, Abraçar por mero capricho como, por exemplo, um Toreador que queira eternizar a beleza de uma linda mulher, ou um Brujah que se viu encantar por alguém com uma paixão muito inflamada por alguma causa (Permaneci nos clichés apenas para ilustrar, mas quanto menos estereotipado, mas interessante). Recomendo que observe a coerência da história e não coloque Geração: 5 apenas para poder usar mais sangue por turno, ou visando cometer uma Diablerie e subir para Sétima Geração.

Pontos Bônus - Você gastou 8 em Antecedentes, 14 em Disciplinas e 4 em Qualidades. Defeitos só somam pontos até o sétimo ponto. Ou seja, você gastou 4 pontos a mais do que deveria.

Prelúdio: Seu prelúdio acaba em 1934. O que o personagem fez dessa época até hoje? Como é sua relação com a Camarilla e com o Sabá? Quais seus objetivos a curto e longo prazo? Peço que as modificações no prelúdio sejam destacadas em cor diversa de sua preferência para agilizar o processo de correção. No mais, aguardo as alterações. Abraço

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 24
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Lipe em Sex Mar 02, 2018 8:46 pm

Desculpa a enorme demora para responder.

Vou arrumar, obrigado!

Mas sobre o tempo, eu fiz até essa data por não saber quando se passarão as crônicas que ele será inserido.

Faço até 2018 então?
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ficha (segunda tentativa)

Mensagem por Lipe em Sab Mar 03, 2018 1:34 pm

1. Dados

Nome: Filipe (Lipe)
Personagem: Theônios Alburquerque (Theon)
Clã: Gangrel Rural (Anarquista)
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Soldado
Geração: 13ª
Refúgio: Galpão de posto de gasolina abandonado
Conceito: Assassino de aluguel vingativo
Saldo de XP: 0/0


2. Atributos

Físicos (primário, 7)
- Força: 1+2
- Destreza: 1+3 (Garras)
- Vigor: 1+2

Sociais (terciário, 3)
- Carisma: 1+1
- Manipulação: 1+1
- Aparência: 1+1

Mentais (secundário, 5)
- Percepção: 1+2
- Inteligência: 1+1
- Raciocínio: 1+2


3. Habilidades

Talentos (primário, 13)
- Prontidão: 3
- Esportes: 3
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 1
- Liderança:
- Manha:
- Lábia:

Perícias (secundária, 9)
- Empatia c/ Animais: 3
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade: 3
- Sobrevivência: 3

Conhecimentos (terciário, 5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças:
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística:
- Medicina: 1
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências: 1


4. Vantagens

Antecedentes (Sabá, 0)

Status:
Mentor:
Reputação:
Influencia:
Prestigio de Clã:

Disciplinas (Sabá, 4)
- Animalismo: 2+1
- Metamorfose: 2+1+1
- Fortitude: 0
- Potência:
- Rapidez:
- Ofuscação:
- Presença:

Virtudes (Trilha, 5)
- Consciência: 1+1
- Autocontrole: 1
- Coragem: 1+4


5. Demais Informações

Humanidade: Tilha do Coração Selvagem: 5

Força de Vontade: 5+1

Qualidades e Defeitos
Qualidade
-
-
-


Defeito
- Vingança (2): assassinos de seus pais
- 14ª Geração (2)
- Recém-Chegado (1)
- Responsabilidade Especial (1): sua irmã
- Impaciente (1)

Observações
- Como característica animal do seu Defeito de clã, o Theon tem muitos pelos pelo corpo, inclusive barba e bigode caprichados. O que é incomum para ele, visto ser descendente de índios da floresta Amazônica.
- Ele não usava roupas na floresta, mas depois passou a usar roupas compridas, e chapéu, além de óculos para esconder o máximo do rosto. Ele não gosta de usar calçados.
- Ele, apesar de seguir trilha, se apegou à alguns utensílios: mochila e um caderno de anotações, com alguns lápis.



Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 18
- Idade total: 106 (em 2018)
- Data de nascimento: 1912
- Aparência: Índio
- Personalidade: Irritadiço, impaciente e vingativo. Sem educação, nada polido, rude e grosso.

Ele venera as entidades da floresta (eventualmente Changelings e Lupinos que avistou), e mistura um pouco de xamanismo com animismo. Seu interesse com política era nulo, até ele começar a querer planejar um plano para se vingar dos assassinos de seus pais. Seu interesse sexual se limitava ao bestialismo. E ele não tem conhecimento de economia. Para ele tudo é feito na base da caça/porrada, no "eu cheguei primeiro", mas há um respeito pela hierarquia do bando. - Ele não era o Alfa do bando; nota-se pelo seu nível de Liderança.



6. Prelúdio

Descrição curta:

Theon teve sua família massacrada por vampiros do Sabá quando era mais novo, e foi jogado por eles aos lobos, para ser devorado, mas por sorte do destino ele sobreviveu, e foi criado como parte da matilha de lobo-guará. Cresceu entre feras, e perdeu suas características humanas. Isso resultou em ele ser chamado de lobisomem pelos ignorantes, e foi Abraçado por um Gangrel anarquista.

(Ele não sabia, mas os lobos eram Parentes, e por isso pouparam uma criança abandonada)

Anos mais tarde ele descobriu que o bando Sabá tinha interesse no poder financeiro que sua família possuía, e um forte sentimento de vingança o alimentou daí em diante. Ele vai tentar recuperar sua civilidade e reencontrar os membros de sua antiga família mortal, e vingar a morte de seus pais!

O reencontro com membros da sua família, mesmo sendo de gerações novas, o comoveu.
Prelúdio completo:

Theônios Albuquerque, Brasileiro, nascido em Manaus, no ano de 1912.
A tecnologia chegava ao norte do país! E o jovem Theônios era apenas um meio índio muito brincalhão que se assustava ao ouvir o rádio pela primeira vez. Aos 7 anos ele e sua família foram atacados por monstros cruéis que torturaram seus pais, na sua frente, até que eles foram mortos, levaram sua irmã, e ele foi lançado aos lobos selvagens para morrer devorado, mas por um motivo que ele desconhecia (inimigos dos vampiros apareceram na hora), eles o deixaram lá, e os animais o pouparam, e o criaram, e ele cresceu sem humanidade, mas com instinto e raiva!

Sua fala foi se perdendo, e seus tratos humanos também, em poucos meses ele já era praticamente um lobo, e desenvolveu muitas habilidades impensadas para meros mortais (Atributos Físicos, Talentos e Empatia com Animais)

A vida na floresta lhe ensinou mais coisas, e apesar de parecer um animal, ele ainda tinha uma alma humana, e ele aprendeu, por observação, o básico para sobreviver, e como se esconder dos perigos. (Sobrevivência e Furtividade)

Além disso, sua espiritualidade requeria a crença em algo, e o desejo latente em entender o que regia o mundo o fazia crer na força e poder dos espíritos dos seres da floresta.

Quando ele já tinha uns 16 anos, um Gangrel o encontrou, e se admirou dele ter sobrevivido por tanto tempo sozinho. E então o fez um carniçal, e por fim, dois anos depois isso, ele o Abraçou. Mas nesse tempo todo, ele o ensinou um pouco de civilidade, como voltar a falar, a escrita, e o minimo para ele entender o mundo dos mortais. E então ele o visitava com frequência enquanto o ajudava a agir como um ser normal. Ele descobriu que era o herdeiro de uma grande fortuna, mas que por já ter "morrido" há muitos anos, ele não teria como reaver nada, a não ser sua honra e vingar a morte de seus pais humanos.

Algumas lendas sobre ele sempre existiram, ele era chamado de menino lobo, lobisomem, e outros nomes folclóricos. Mas ele foi treinado por seu Senhor para se tornar um perito em assassinatos. E por não ser muito conhecido, ele conseguia agir sem levantar as suspeitas de ninguém. Seu refugio era muito bem escondido, num antigo galpão que servia como posto de combustível para barcos do rio que passava ali, anexo de uma serraria abandonada. E até mesmo aquele braço do rio não recebia mais visita de pescadores ou barcos, por ser sinuoso demais, e ter muitas pedras.

Seu Senhor era um membro que abandonou a Camarilla e estava entre os Anarquistas, mas tendia para o Sabá, e apresentava problemas emocionais graves. Ele prendeu o jovem à um Laço de Sangue, para evitar traição, e talvez à até outros meios de manipulação, como Presença e Dominação.

Enquanto ele vivia sob o controle de seu amo, ele realizou várias execuções, algumas até mesmo contra cainitas, mas isso o fez começar a conhecer mais o mundo dos mortais, e um pouco dos mortos, mas apenas aquilo que seu Senhor queria que ele soubesse. (Social e Mental) Até que em 1939 ele parou de receber as visitas de seu Senhor por um longo tempo. E foi então que ele recebeu a visita de um missionário, que perdido no rio encontrou o Refúgio do vampiro e foi se abrigar lá. Theon não atacou o missionário, e esse não tinha interesse em destruí-lo, mas de salva-lo, e começou a ensinar o que sabia para ele. (Mental)

Claro que isso não seria uma boa coisa, e o Senhor, um dia voltou, e encontrou o missionário, e ambos se destruíram numa batalha mortal para ambos. E agora Theon estava sem seu Senhor, e sem seu Mentor mortal. Mas ele tinha à quem se apegar, seu bando de lobos-guará estavam com membros novos, e os mais velhos ainda o reconheciam. O Senhor vampírico de Theon vinha lhe falando sobre a irmã de Theon, que havia sobrevivido, e que ele o ajudaria a encontra-la. E o missionário falava sobre uma forma do vampiro voltar ao normal, mas que o caminho era muito longo e difícil, e que o primeiro passo, era a aceitação de sua natureza bestial, e evita-la à todo custo!

O missionário também falava da reserva que havia ali perto, que é onde ele vivia, e Theon já havia lhe seguido algumas vezes, ali seria um bom local para procurar contato com outras pessoas.

Na reserva, ele foi considerado um doente, e os xamas tentavam noite após noite cura-lo, com rituais, ervas e muitas noites acordados. Eles falavam português, e sabiam ler e escrever, e assim Theon pode aperfeiçoar suas habilidades. E ele ainda mantinha seu Refugio.

Uma noite, quando Theon despertou, ele pode sentir o cheiro de fogo na mata, e seguiu o calor até chegar na reserva, onde encontrou os índios mortos, e alguns fazendeiros armados. Theon matou todos, foi uma batalha longa, mas as armas de fogo não pararam o vampiro. E agora ele estava sozinho novamente, e muito desejo de vingança!
7. Banco de Dados

Pontos Bônus (15+7):
7 para Disciplina Animalismo 3
7 para Disciplina Metamorfose 3
7 para Disciplina Metamorfose 4
1 para Força de Vontade 6


Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


NOTAS de edição:
- Alterei completamente a Ficha, mas tentei levar em conta as dicas do Altobello
- Removi ao máximo os indícios de datas e cronologia (mantive o necessário), para me situar em qualquer período que for conveniente para a Cronica, claro, após o ano de 1940
- Creio que a distribuição dos Pontos Bônus está correta agora, e os Defeitos e outras características mais coerentes com o Preludio.
- Não marquei com vermelho as alterações, pois mudei praticamente tudo...




Última edição por Lipe em Sab Mar 03, 2018 2:42 pm, editado 1 vez(es) (Razão : Adicionei uma imagem do Theon)
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Lipe em Ter Mar 13, 2018 10:47 am

1. Dados

Nome: Filipe (Lipe)
Personagem: Theônios Alburquerque (Theon)
Alcunha: Homem Fera
Clã: Gangrel Rural (Anarquista)
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Soldado
Geração: 13ª
Refúgio: Galpão de posto de gasolina abandonado
Conceito: Assassino de aluguel, vingativo
Saldo de XP: 0/0


2. Atributos

Físicos (primário, 7)
- Força: 1+2
- Destreza: 1+3 (Garras)
- Vigor: 1+2

Sociais (terciário, 3)
- Carisma: 1+1
- Manipulação: 1+1
- Aparência: 1+1

Mentais (secundário, 5)
- Percepção: 1+2
- Inteligência: 1+1
- Raciocínio: 1+2


3. Habilidades

Talentos (primário, 13)
- Prontidão: 3
- Esportes: 3
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 1
- Liderança:
- Manha:
- Lábia:

Perícias (secundária, 9)
- Empatia c/ Animais: 3
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade: 3
- Sobrevivência: 3

Conhecimentos (terciário, 5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças:
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística:
- Medicina: 1
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências: 1


4. Vantagens

Antecedentes (Sabá, 0)

Status:
Mentor:
Reputação:
Influencia:
Prestigio de Clã:

Disciplinas (Sabá, 4)
- Animalismo: 2+1
- Metamorfose: 2+1+1
-- Formas da Besta: Onça Preta e Gavião Real
- Fortitude: 0
- Potência:
- Rapidez:
- Ofuscação:
- Presença:

Virtudes (Trilha, 5)
- Consciência: 1+1
- Autocontrole: 1
- Coragem: 1+4


5. Demais Informações

Humanidade: Tilha do Coração Selvagem: 5

Força de Vontade: 5+1

Qualidades e Defeitos
Qualidade (0)
-
-
-


Defeitos (7)
- Vingança (2): assassinos de seus amigos índios
- 14ª Geração (2)
- Recém-Chegado (1)
- Responsabilidade Especial (1): sua irmã
- Impaciente (1)

Observações
- Como característica animal do seu Defeito de clã, o Theon tem muitos pelos pelo corpo, inclusive barba e bigode caprichados. O que é incomum para ele, visto ser descendente de índios da floresta Amazônica.
- Ele não usava roupas na floresta, mas depois passou a usar roupas compridas, e chapéu, além de óculos para esconder o máximo do rosto. Ele não gosta de usar calçados.
- Ele, apesar de seguir trilha, se apegou à alguns utensílios: mochila e um caderno de anotações, com alguns lápis.



Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 18
- Idade total: 106 (em 2018)
- Data de nascimento: 1912
- Aparência: Índio
- Personalidade: Irritadiço, impaciente e vingativo. Sem educação, nada polido, rude e grosso.

Ele venera as entidades da floresta (eventualmente Changelings e Lupinos que avistou), e mistura um pouco de xamanismo com animismo. Seu interesse com política era nulo, até ele começar a querer planejar um plano para se vingar dos assassinos de seus pais. Seu interesse sexual se limitava ao bestialismo. E ele não tem conhecimento de economia. Para ele tudo é feito na base da caça/porrada, no "eu cheguei primeiro", mas há um respeito pela hierarquia do bando. - Ele não era o Alfa do bando; nota-se pelo seu nível de Liderança.



6. Prelúdio

Descrição curta:

Theon teve sua família massacrada por vampiros do Sabá quando era mais novo, e foi jogado por eles aos felinos, para ser devorado, mas por sorte do destino ele sobreviveu, e foi criado como parte da alcateia de onças pretas. Cresceu entre feras, e perdeu suas características humanas. Isso resultou em ele ser chamado de lobisomem pelos ignorantes, e foi Abraçado por um Gangrel anarquista.

Anos mais tarde ele descobriu que o bando Sabá tinha interesse nas terras em que ele e sua família vivia, e um forte sentimento de vingança o alimentou daí em diante. Ele vai tentar recuperar sua civilidade e reencontrar os membros de sua antiga tribo que sobreviveram, como sua irmã, e vingar a morte de sua família!

O reencontro com membros da sua família, mesmo sendo de gerações novas, o comoveu.


Prelúdio completo:

Theônios Albuquerque, Brasileiro, nativo indígena de uma tribo desconhecida, e já massacrada, nascido próximo de um rio, em uma oca, por uma parteira, no ano de 1912, com um nome indígena, mas depois rebatizado.
A vida de um índio é simples, mas cheia de afazeres. A coleta e caça ocupam boa parte do dia, e a noite é repleta de atividades artesanais, manutenção dos abrigos, e preparo para as partidas e mudanças de assentamentos, que são constantes. Aos 7 anos, "Amigo dos Gatos Pretos", o seu nome na época, e sua família (a tribo inteira) foram atacados por monstros cruéis que torturaram os homens mais velhos até a morte, estupraram as mulheres, de todas as idades, na sua frente, e então às mataram, na frente dos meninos. Algumas meninas foram poupadas da morte, e levadas, como sua irmã, o que fizeram com ela é cruel demais para descrever. E alguns meninos foram levados para serem treinados como soldados sem sentimentos, exceto ele que foi lançado aos felinos selvagens para morrer devorado, mas por um motivo que ele desconhecia (inimigos dos vampiros apareceram na hora), eles o deixaram lá, e os animais o pouparam, e o criaram, e ele cresceu sem humanidade, mas com instinto e raiva!

(Ele não sabia, mas os felinos eram metamorfos)

Sua fala foi se perdendo, e seus tratos humanos também, em poucos meses ele já era praticamente uma fera, e desenvolveu muitas habilidades impensadas para meros mortais (Atributos Físicos, Talentos e Empatia com Animais)

A vida na floresta lhe ensinou mais coisas, e apesar de parecer um animal, ele ainda tinha uma alma humana, e ele aprendeu, por observação, o básico para sobreviver, e como se esconder dos perigos. (Sobrevivência e Furtividade)

Além disso, sua espiritualidade requeria a crença em algo, e o desejo latente em entender o que regia o mundo o fazia crer na força e poder dos espíritos dos seres da floresta.

Quando ele já tinha uns 16 anos, um Gangrel o encontrou, e se admirou dele ter sobrevivido por tanto tempo sozinho. E então o fez um carniçal, e por fim, dois anos depois isso, ele o Abraçou. Mas nesse tempo todo, ele o ensinou um pouco de civilidade, como voltar a falar, a escrita, e o minimo para ele entender o mundo dos mortais. E então ele o visitava com frequência enquanto o ajudava a agir como um ser normal. Ele descobriu que sua tribo foi atacada quando ele era criança, e que ele passou tudo isso devido a ganancia do ser humano, e a crueldade de vampiros sem leis. Nada podia ser feito para desfazer o passado, mas a sede de vingança pelo massacre de seus parentes passou a alimentar sua mente.

Algumas lendas sobre ele sempre existiram, ele era chamado de menino lobo, lobisomem, menino onça, e outros nomes folclóricos. Mas ele foi treinado por seu Senhor para se tornar um perito em assassinatos. E por não ser muito conhecido, ele conseguia agir sem levantar as suspeitas de ninguém. Seu refugio era muito bem escondido, num antigo galpão que servia como posto de combustível para barcos do rio que passava ali, anexo de uma serraria abandonada. E até mesmo aquele braço do rio não recebia mais visita de pescadores ou barcos, por ser sinuoso demais, e ter muitas pedras.

Seu Senhor era um membro que abandonou a Camarilla e estava entre os Anarquistas, mas tendia para o Sabá, e apresentava problemas emocionais graves. Ele prendeu o jovem à um Laço de Sangue, para evitar traição, e talvez à até outros meios de manipulação, como Presença e Dominação.

Enquanto ele vivia sob o controle de seu amo, ele realizou várias execuções, algumas até mesmo contra cainitas, mas isso o fez começar a conhecer mais o mundo dos mortais, e um pouco dos mortos, mas apenas aquilo que seu Senhor queria que ele soubesse. (Social e Mental) Até que em 1939 ele parou de receber as visitas de seu Senhor por um longo tempo. E foi então que ele recebeu a visita de um missionário, que perdido no rio encontrou o Refúgio do vampiro e foi se abrigar lá. Ele não atacou o missionário, e esse não tinha interesse em destruí-lo, mas de salva-lo, e começou a ensinar o que sabia para ele. (Mental) Lhe batizou, fez uma certidão em Manaus para ele, e Theônios Alburquerque passou a ser seu novo nome.

O missionário falava sobre uma forma do vampiro voltar ao normal, mas que o caminho era muito longo e difícil, e que o primeiro passo, era a aceitação de sua natureza bestial, e evita-la à todo custo!

Depois de um tempo, o missionário precisou partir para outra missão, mas voltaria para ajudar ele a terminar sua jornada de volta à luz, mas nesse tempo em que o missionário ficou ausente, o seu Senhor voltou. E lhe contou coisas novas sobre seu passado. Ele disse que andou investigando, e fontes confiáveis lhe garantiram que os pais dele estavam vivos, e que eles foram os responsáveis pelo massacre da aldeia, para ganhar dinheiro, e com a condição que seus dois filhos fossem poupados da morte.


Foi então que o Senhor vampírico lhe falou sobre a sua irmã, que ela havia sobrevivido, e que ele o ajudaria a encontra-la. E então o Senhor voltou para a cidade, e Theon saiu em busca de mais informações na floresta, e foi viver numa aldeia de índios mestiços que existia há alguns quilômetros dali. Eles já haviam adotado muito da cultura do homem branco, e isso foi muito educativo para Theon.

A tribo ficava em uma reserva, e ele foi considerado um doente, e os xamãs tentavam noite após noite cura-lo, com rituais, ervas e muitas noites acordados. Eles falavam português, e sabiam ler e escrever, e assim Theon pode aperfeiçoar suas habilidades. E ele ainda mantinha seu Refugio, onde semanalmente fazia sua peregrinação e podia caçar animais em busca de sangue.

Nesse tempo, Theon encontrou as crias do bando de felinos que cuidaram dele, e a ligação entre eles ainda existia. Ele foi aceito por eles. E Theon passou a dividir seu tempo entre a tribo, o bando, e a solidão.

Uma noite, quando Theon despertou, ele pode sentir o cheiro de fogo na mata, e seguiu o calor até chegar na reserva, onde encontrou os índios mortos, e alguns fazendeiros armados. Theon matou todos, foi uma batalha longa, mas as armas de fogo não pararam o vampiro. E agora ele estava sozinho novamente, e muito desejo de vingança!

Ele encontrou alguns índios vivos, e os levou para a cidade, onde conseguiu cuidados médicos para eles. Ali ele teve que se virar, e passou a conhecer outros vampiros como ele. Na cidade, ele buscou um local para se refugiar, e encontrou algo que ele já conhecia, como um posto abandonado com um galpão. E ali ele ficou.

7. Banco de Dados

Pontos Bônus (15+7):
7 para Disciplina Animalismo 3
7 para Disciplina Metamorfose 3
7 para Disciplina Metamorfose 4
1 para Força de Vontade 6


Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


NOTAS de edição:
- Alterei completamente a Ficha, mas tentei levar em conta as dicas do Altobello
- Removi ao máximo os indícios de datas e cronologia (mantive o necessário), para me situar em qualquer período que for conveniente para a Cronica, claro, após o ano de 1940
- Creio que a distribuição dos Pontos Bônus está correta agora, e os Defeitos e outras características mais coerentes com o Preludio.
- Não marquei com vermelho as alterações, pois mudei praticamente tudo...

Edição em 13/03/2018
- Alterei parte do prelúdio, para ser mais realista, e simples, conforme orientação em MP
- Deixei em verde as alterações no texto
- Mudanças: removi os Lupinos de alguma ligação direta, mas ainda pode haver; mudei de lobo-guará para onça preta, os animais que cuidaram dele; os pais estão vivos; a mais membros da tribo vivos; o senhor e o missionário estão vivos; ele tem dois refúgios, sendo um na cidade; ele foi pra cidade; informei formas bestiais.



Última edição por Lipe em Ter Mar 13, 2018 11:22 am, editado 2 vez(es) (Razão : Adicionei a figura, adicionei informações sobre a edição, e detalhei as formas da besta. Corrigi o nome Onça-Negra para Onça Preta.)
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Undead Freak em Ter Mar 13, 2018 9:08 pm

Altobello, ainda está avaliando essa ficha?

_________________
avatar
Undead Freak

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 28
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Lipe em Qua Mar 14, 2018 10:34 pm

Espero que sim

Edit1: Sim. Confirmei com ele.
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Homem Onça (Quarta Tentativa)

Mensagem por Lipe em Ter Mar 20, 2018 2:37 pm

1. Dados

Nome: Filipe (Lipe)
Personagem: Theônios Alburquerque (Theon)
Alcunha: Homem Fera
Clã: Gangrel Rural (Anarquista)
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Soldado
Geração: 13ª
Refúgio: Galpão de posto de gasolina abandonado
Conceito: Homem Onça
Saldo de XP: 0/0


2. Atributos

Físicos (primário, 7)
- Força: 1+2
- Destreza: 1+3 (Reflexos Felinos)
- Vigor: 1+2

Sociais (terciário, 3)
- Carisma: 1+1
- Manipulação: 1+1
- Aparência: 1+1

Mentais (secundário, 5)
- Percepção: 1+2
- Inteligência: 1+1
- Raciocínio: 1+2


3. Habilidades

Talentos (primário, 13)
- Prontidão: 3
- Esportes: 3
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 1
- Liderança:
- Manha:
- Lábia:

Perícias (secundária, 9)
- Empatia c/ Animais: 3
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade: 3
- Sobrevivência: 3

Conhecimentos (terciário, 5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças:
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística:
- Medicina: 1
- Ocultismo: 2
- Política:
- Ciências:


4. Vantagens

Antecedentes (Sabá, 0)

Status:
Mentor:
Reputação:
Influencia:
Prestigio de Clã:

Disciplinas (Sabá, 4)
- Animalismo: 2+1
- Metamorfose: 2+1+1
-- Formas da Besta: Onça Preta e Gavião Real
- Fortitude: 0
- Potência:
- Rapidez:
- Ofuscação:
- Presença:

Virtudes (Humanidade, 5)
- Consciência: 1+3
- Autocontrole: 1
- Coragem: 1+2


5. Demais Informações

Humanidade: 5

Força de Vontade: 3+1

Qualidades e Defeitos
Qualidade (0)
-
-
-


Defeitos (7)
- Lunático (2)
- Impaciente (1)
- Senhor Repugnante (4)

Observações
- Como característica animal do seu Defeito de clã, o Theon tem muitos pelos pelo corpo, inclusive barba e bigode caprichados. O que é incomum para ele, visto ser descendente de índios da floresta Amazônica. E olhos de felino, além de uma coloração escura da pele e as orelhas pontudas, como de um gato.
- Ele não usava roupas na floresta, mas depois passou a usar roupas compridas, com argolas altas, e chapéu, além de óculos para esconder o máximo do rosto. Ele não gosta de usar calçados.
- Ele se apegou à alguns utensílios: mochila e um caderno de anotações, com alguns lápis.



Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 18
- Data de nascimento: 1912
- Aparência: Índio
- Personalidade: Irritadiço, impaciente e vingativo. Sem educação, nada polido, rude e grosso.

Ele venera as entidades da floresta (eventualmente Changelings e Lupinos que avistou), e mistura um pouco de xamanismo com animismo. Seu interesse com política era nulo, até ele começar a querer planejar um plano para se vingar dos assassinos de sua tribo. Seu interesse sexual se limitava ao bestialismo. E ele não tem conhecimento de economia. Para ele tudo é feito na base da caça/porrada, no "eu cheguei primeiro", mas há um respeito pela hierarquia do bando. - Ele não era o Alfa do bando; nota-se pelo seu nível de Liderança.



6. Prelúdio

O índio Pata de Onça nasceu em uma tribo intocada pelo homem branco, no coração da selva amazônica. Cresceu ouvindo histórias dos seus ancestrais sobre os mistérios que a mata guarda. Lendas sobre espíritos antigos, homens-onça e demônios sugadores de sangue. Com o tempo, passou pelo rito de transição e se tornou um formidável guerreiro e caçador. O melhor entre a sua tribo, apesar da sua pouca idade, o que era mais formidável ainda! Passou a explorar cada vez mais fundo a floresta, e a cada vez que saía para caçar e prover o alimento para a tribo, se embrenhava mais na selva, talvez na esperança de um dia se encontrar com um dos personagens das histórias que ouvia. E uma noite seu desejo tornou-se realidade.

Um par de olhos que refletia a luz da lua em um amarelo hipnotizante. Pelos negros que pareciam reluzir uma suave aura prateada. Passos tão suaves que nem mesmo as folhas secas se quebravam sob suas patas. E antes que pudesse pensar em correr ou reagir, a fera já estava sobre si. As garras, que mais pareciam lanças, repousavam sobre seu peito, mas não ousavam feri-lo. Pata de Onça estava indefeso, à mercê da fera. Foi quando os poderosos olhos amarelos deram espaço para suaves olhos castanhos, a pelagem negra se tornou uma pele bronzeada macia, as garras se transformaram em mãos delicadas e a fera se fez moça. A mais bela dentre todas as mulheres que já conheceu. E a partir daquela noite tomaram um ao outro como amantes.

A Mulher Onça o ensinou sobre os espíritos ancestrais, sobre as Feras e a cultura de seu povo. Descobriu que ela sempre havia vigiado sua tribo de perto e o escolhera dentre os guerreiros por considerá-lo o mais preparado entre eles. Ouviu que havia mais dentre sua raça naquelas matas, apesar de jamais os ter visto. Conheceu seu local sagrado, chamado Tona. Permaneceu cuidando de sua tribo, mesmo que de longe, sem se revelar diretamente.

Foi quando, em uma noite, ela foi atacada. O homem branco, com sua pólvora cuspidora de chumbo e sua ganância, matou, estuprou e enclausurou seu povo. Lanças e flechas eram inúteis. Pata de Onça, contudo, não se deixou intimidar, conduzindo pelo menos uma dúzia dos invasores para a morte. Isso fez os olhos de Malaquias José Benedito, o vampiro que liderava o ataque, saltar. Sua selvageria no combate fez com que o Gangrel o nocauteasse e, mais tarde, o abraçasse. O índio sentiu o peso da maldição de Caim logo no primeiro instante. Sabia que aquilo não estava certo. Quis destruir seu Senhor, mas ele era muito mais poderoso.

Malaquias José Benedito se certificou de que Pata de Onça fosse devidamente domado com o poder do Laço de Sangue e uma vez amansado, procedeu a doutrinação vampírica. Com o tempo o ensinou o mínimo para viver na civilização. Bons modos (o mínimo), a língua do homem branco, bem como ler e escrever, e o mais importante, sobre a sociedade dos vampiros. As seitas, os clãs, sua condição vampírica. E nesse momento soube que jamais poderia ver seu amor novamente.

Durante o tempo que permaneceu sob a mentoria de Malaquias José Benedito, Pata de Onça organizava o contra-ataque. A Mulher Onça tentava mobilizar os outros de sua raça, mas, devido sua natureza individualista e solitária, rastreá-los e convencê-los a ajudar não era tarefa fácil. Passou meses até que conseguisse juntar um grupo forte o bastante para dar o troco na serralheria onde Pata de Onça era mantido cativo. Pelo menos outros 2 vampiros e diversos carniçais pereceram naquela noite, mas seu Senhor conseguiu escapar. Mas desesperado por achar que perdeu seu Senhor e Amo e ciente de que morreria pelas garras de sua amada, Pata de Onça aproveitou a confusão para fugir pelos rios.

Navegou para o mais longe que podia e, ao raiar do sol, se mesclou à Terra. Na noite seguinte repetiu o processo. Fez isso até chegar na cidade de Belém, onde conheceu um velho missionário chamado Pedro José, que compartilhava de sua condição. Esse homem de bom coração o acolheu, o ajudou da melhor forma que podia e o apresentou uma nova alternativa. Não poderia tornar-se humano de novo, mas poderia vencer sua Besta interior. Se conseguisse vencer o animal que vivia dentro de si, talvez fosse digno de retornar à sua amada, até lá deveria se afastar.

O missionário aceitou seu mais novo companheiro, e o batizou como cristão, e fez sua cidadania brasileira, e lhe deu o nome de Theônios Alburquerque, mas o que ele não sabia é que o Senhor dele ainda detinha influência sobre ele, e isso o deixava conflitante e confuso. Tentando fazer o que parecia certo, mas ainda leal à um monstro e, por tanto, um servo violento.

Quando Maquias José Benedito o achou, ele precisava de um novo bando, e via nos dois vampiros essa oportunidade.


7. Banco de Dados

Pontos Bônus (15+7):
7 para Disciplina Animalismo 3
7 para Disciplina Metamorfose 3
7 para Disciplina Metamorfose 4
1 para Força de Vontade 4


Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


NOTAS de edição:
- Alterei completamente a Ficha, mas tentei levar em conta as dicas do Altobello
- Removi ao máximo os indícios de datas e cronologia (mantive o necessário), para me situar em qualquer período que for conveniente para a Cronica, claro, após o ano de 1940
- Creio que a distribuição dos Pontos Bônus está correta agora, e os Defeitos e outras características mais coerentes com o Preludio.
- Não marquei com vermelho as alterações, pois mudei praticamente tudo...

Edição em 13/03/2018
- Alterei parte do prelúdio, para ser mais realista, e simples, conforme orientação em MP
- Deixei em verde as alterações no texto
- Mudanças: removi os Lupinos de alguma ligação direta, mas ainda pode haver; mudei de lobo-guará para onça preta, os animais que cuidaram dele; os pais estão vivos; a mais membros da tribo vivos; o senhor e o missionário estão vivos; ele tem dois refúgios, sendo um na cidade; ele foi pra cidade; informei formas bestiais.

Edição de 20/03/2018
- Com ajuda, em MP, do Altobello o prelúdio foi reescrito
- Alterei a Especialização de Destreza para: Reflexos Felinos
- Retirei 1 de Ciências e coloquei em Ocultismo, elevando para 2 esse Conhecimento
- Removi os Defeitos: Vingança, Responsabilidade Especial, Recém-Chegado e 14ª Geração
- Acrescentei os Defeitos: Mestre Repugnante (4) e Lunático (4).
- Adicionei as características físicas: olho de gato, pele/pelagem escura e orelha de gato
- Marquei em vermelho as alterações feitas após a última analise por MP pelo Altobello; e em amarelo o que foi completamente removido.

avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Homem Fera (Quinta Edição!)

Mensagem por Lipe em Ter Mar 20, 2018 6:23 pm

1. Dados

Nome: Filipe (Lipe)
Personagem: Theônios Alburquerque (Theon)
Alcunha: Homem Fera
Clã: Gangrel Rural (Anarquista)
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Soldado
Geração: 13ª
Refúgio: Galpão de posto de gasolina abandonado
Conceito: Homem Onça
Saldo de XP: 0/0


2. Atributos

Físicos (primário, 7)
- Força: 1+2
- Destreza: 1+3 (Reflexos Felinos)
- Vigor: 1+2

Sociais (terciário, 3)
- Carisma: 1+1
- Manipulação: 1+1
- Aparência: 1+1

Mentais (secundário, 5)
- Percepção: 1+2
- Inteligência: 1+1
- Raciocínio: 1+2


3. Habilidades

Talentos (primário, 13)
- Prontidão: 3
- Esportes: 3
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 1
- Liderança:
- Manha:
- Lábia:

Perícias (secundária, 9)
- Empatia c/ Animais: 3
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade: 3
- Sobrevivência: 3

Conhecimentos (terciário, 5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1
- Medicina: 1
- Ocultismo: 3
- Política:
- Ciências:


4. Vantagens

Antecedentes (0)

Status:
Mentor:
Reputação:
Influencia:
Prestigio de Clã:

Disciplinas (4)
- Animalismo: 2+1
- Metamorfose: 2+1+1
-- Formas da Besta: Onça Preta e Gavião Real
- Fortitude: 0
- Potência:
- Rapidez:
- Ofuscação:
- Presença:

Virtudes (5)
- Consciência: 1+2
- Autocontrole: 1+1
- Coragem: 1+2


5. Demais Informações

Humanidade: 5

Força de Vontade: 3+1

Qualidades e Defeitos
Defeitos (7)
- Lunático (2)
- Impaciente (1)
- Tique Nervoso (1): Ronronar
- Cabeça Quente (2)
- Segredo Sombrio (1): Meu passado com o sabá, com a quebra do vinculum, e minha história de amor com uma metamorfa, e amizade com um vampiro missionário!

Observações
- Como característica animal do seu Defeito de clã, o Theon tem muitos pelos pelo corpo, inclusive barba e bigode caprichados. O que é incomum para ele, visto ser descendente de índios da floresta Amazônica. E olhos de felino, além de uma coloração escura da pele e as orelhas pontudas, como de um gato.
- Ele não usava roupas na floresta, mas depois passou a usar roupas compridas, com argolas altas, e chapéu, além de óculos para esconder o máximo do rosto. Ele não gosta de usar calçados.
- Ele se apegou à alguns utensílios: mochila e um caderno de anotações, com alguns lápis.



Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 18
- Data de nascimento: 1912
- Aparência: Índio
- Personalidade: Irritadiço, impaciente e vingativo. Sem educação, nada polido, rude e grosso.

Ele venera as entidades da floresta (eventualmente Changelings, Lupinos e outros metamorfos que avistou), e mistura um pouco de xamanismo com animismo. Seu interesse com política é nulo, até ele começar a querer planejar um plano para se vingar dos assassinos de sua tribo. Seu interesse sexual se limitava ao bestialismo. E ele não tem conhecimento de economia. Para ele tudo é feito na base da caça/porrada, no "eu cheguei primeiro".



6. Prelúdio

O índio Pata de Onça nasceu em uma tribo intocada pelo homem branco, no coração da selva amazônica. Cresceu ouvindo histórias dos seus ancestrais sobre os mistérios que a mata guarda. Lendas sobre espíritos antigos, homens-onça e demônios sugadores de sangue. Com o tempo, passou pelo rito de transição e se tornou um formidável guerreiro e caçador. O melhor entre a sua tribo, apesar da sua pouca idade, o que era mais formidável ainda! Passou a explorar cada vez mais fundo a floresta, e a cada vez que saía para caçar e prover o alimento para a tribo, se embrenhava mais na selva, talvez na esperança de um dia se encontrar com um dos personagens das histórias que ouvia. E uma noite seu desejo tornou-se realidade.

Um par de olhos que refletia a luz da lua em um amarelo hipnotizante. Pelos negros que pareciam reluzir uma suave aura prateada. Passos tão suaves que nem mesmo as folhas secas se quebravam sob suas patas. E antes que pudesse pensar em correr ou reagir, a fera já estava sobre si. As garras, que mais pareciam lanças, repousavam sobre seu peito, mas não ousavam feri-lo. Pata de Onça estava indefeso, à mercê da fera. Foi quando os poderosos olhos amarelos deram espaço para suaves olhos castanhos, a pelagem negra se tornou uma pele bronzeada macia, as garras se transformaram em mãos delicadas e a fera se fez moça. A mais bela dentre todas as mulheres que já conheceu. E a partir daquela noite tomaram um ao outro como amantes.

A Mulher Onça, como era conhecida nas lendas, e também chamada de Potyra, o ensinou sobre os espíritos ancestrais, sobre as Feras e a cultura de seu povo. Descobriu que ela sempre havia vigiado sua tribo de perto e o escolhera dentre os guerreiros por considerá-lo o mais preparado entre eles. Ouviu que havia mais dentre sua raça naquelas matas, apesar de jamais os ter visto. Conheceu seu local sagrado, chamado Tona. Permaneceu cuidando de sua tribo, mesmo que de longe, sem se revelar diretamente.

Foi quando, em uma noite, ela foi atacada. O homem branco, com sua pólvora cuspidora de chumbo e sua ganância, matou, estuprou e enclausurou seu povo. Lanças e flechas eram inúteis. Pata de Onça, contudo, não se deixou intimidar, conduzindo pelo menos uma dúzia dos invasores para a morte. Isso fez os olhos de Malaquias José Benedito, o vampiro que liderava o ataque, saltar. Sua selvageria no combate fez com que o Gangrel o nocauteasse e, mais tarde, o abraçasse. O índio sentiu o peso da maldição de Caim logo no primeiro instante. Sabia que aquilo não estava certo. Quis destruir seu Senhor, mas ele era muito mais poderoso.

Malaquias José Benedito se certificou de que Pata de Onça fosse devidamente domado com o poder do Laço de Sangue e uma vez amansado, procedeu a doutrinação vampírica. Com o tempo o ensinou o mínimo para viver na civilização. Bons modos (o mínimo), a língua do homem branco, bem como ler e escrever, e o mais importante, sobre a sociedade dos vampiros. As seitas, os clãs, sua condição vampírica. E nesse momento soube que jamais poderia ver seu amor novamente.

E o treinamento continuou, com o ensino de poderosas disciplinas, a arte da guerra, e o prazer em matar. Aos poucos, depois de devolver a humanidade para o índio, ele a tirou, transformando-o em uma eficiente arma. Os sentimentos e a humanidade de Pata de Onça se perderam, e ele só conseguia se preocupar com os interesses de seu amo.

Durante o tempo que permaneceu sob a mentoria de Malaquias José Benedito, Pata de Onça organizava o contra-ataque. Potyra tentava mobilizar os outros de sua raça, mas, devido sua natureza individualista e solitária, rastreá-los e convencê-los a ajudar não era tarefa fácil. Passou meses até que conseguisse juntar um grupo forte o bastante para dar o troco na serralheria onde Pata de Onça era mantido cativo. Seu Senhor, pelo menos outros 2 vampiros e diversos carniçais pereceram naquela noite. Mas livre do Laço de Sangue e ciente de que morreria pelas garras de sua amada, Pata de Onça aproveitou a confusão para fugir pelos rios.

Navegou para o mais longe que podia e, ao raiar do sol, se mesclou à Terra. Na noite seguinte repetiu o processo. Fez isso até chegar na cidade de Belém, onde conheceu um velho missionário chamado João de Santo Cristo, que compartilhava de sua condição. Esse homem de bom coração o acolheu, o ajudou da melhor forma que podia e o apresentou uma nova alternativa. Não poderia tornar-se humano de novo, mas poderia vencer sua Besta interior. Se conseguisse vencer o animal que vivia dentro de si, talvez fosse digno de retornar à sua amada, até lá deveria se afastar. Ele conseguiu passagem para um local distante, onde ele poderia se dedicar melhor ao controle de sua Besta, em outro país, e para lá o jovem índio foi. Mas não sem antes batiza-lo e mudar seu nome para Theônios Albuquerque.



7. Banco de Dados

Pontos Bônus (15+7):
7 para Disciplina Animalismo 3
7 para Disciplina Metamorfose 3
7 para Disciplina Metamorfose 4
1 para Força de Vontade 4


Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


NOTAS de edição:
- Alterei completamente a Ficha, mas tentei levar em conta as dicas do Altobello
- Removi ao máximo os indícios de datas e cronologia (mantive o necessário), para me situar em qualquer período que for conveniente para a Cronica, claro, após o ano de 1940
- Creio que a distribuição dos Pontos Bônus está correta agora, e os Defeitos e outras características mais coerentes com o Preludio.
- Não marquei com vermelho as alterações, pois mudei praticamente tudo...

Edição em 13/03/2018
- Alterei parte do prelúdio, para ser mais realista, e simples, conforme orientação em MP
- Deixei em verde as alterações no texto
- Mudanças: removi os Lupinos de alguma ligação direta, mas ainda pode haver; mudei de lobo-guará para onça preta, os animais que cuidaram dele; os pais estão vivos; a mais membros da tribo vivos; o senhor e o missionário estão vivos; ele tem dois refúgios, sendo um na cidade; ele foi pra cidade; informei formas bestiais.

Edição de 20/03/2018
- Com ajuda, em MP, do Altobello o prelúdio foi reescrito
- Alterei a Especialização de Destreza para: Reflexos Felinos
- Retirei 1 de Ciências e coloquei em Ocultismo, elevando para 2 esse Conhecimento
- Removi os Defeitos: Vingança, Responsabilidade Especial, Recém-Chegado e 14ª Geração
- Acrescentei os Defeitos: Mestre Repugnante (4) e Lunático (4).
- Adicionei as características físicas: olho de gato, pele/pelagem escura e orelha de gato
- Marquei em vermelho as alterações feitas após a última analise por MP pelo Altobello; e em amarelo o que foi completamente removido.

Segunda edição do dia 20/03/2018, por sugestão do Altobello, em MP
- Retirei 2 pontos de Investigação, e coloquei 1 em Linguística, e 1 em Ocultismo.
- Movi 1 ponto de Consciência para Autocontrole.
- Alterações em vermelho; parte removida está riscado; Pontos Bônus em verde.



Última edição por Lipe em Ter Mar 20, 2018 7:36 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Theonios Albuquerque, o Homem Fera (sexta versão)

Mensagem por Lipe em Qua Abr 11, 2018 8:11 am

1. Dados

Nome: Lipe
Personagem: Theon (Theônios Alburquerque)
Alcunha: Fera
Clã: Gangrel Rural (Camarilla)
Natureza: Soldado
Comportamento: Solitário
Geração: 13ª
Refúgio: Galpão de posto de gasolina abandonado
Conceito: Assassino
Saldo de XP: 0/0


2. Atributos

Físicos (primário, 7)
- Força: 1+2
- Destreza: 1+3 (Reflexos Felinos)
- Vigor: 1+2

Sociais (secundário, 5)
- Carisma: 1+2
- Manipulação: 1+2
- Aparência: 1+1

Mentais (terciário, 3)
- Percepção: 1+1
- Inteligência: 1
- Raciocínio: 1+2


3. Habilidades

Talentos (primário, 13)
- Prontidão:
- Esportes: 1
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia: 3
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança:
- Manha:
- Lábia:

Perícias (secundária, 9)
- Empatia c/ Animais: 3
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança: 2
- Furtividade: 2
- Sobrevivência: 2

Conhecimentos (terciário, 5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças:
- Investigação: 3
- Direito:
- Linguística: 1 (Inglês)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências:


4. Vantagens

Antecedentes (0)

Status:
Mentor:
Reputação:
Influencia:
Prestigio de Clã:

Disciplinas (4)
- Animalismo: 2+1
- Metamorfose: 2+1
- Fortitude: 0
- Ofuscação: 0
- Potência:
- Rapidez:

Virtudes (5)
- Consciência: 1+1
- Autocontrole: 1+2
- Coragem: 1+2


5. Demais Informações

Humanidade: 5

Força de Vontade: 3

Qualidades e Defeitos
Qualidades: 8
- Disciplina Adicional: Ofuscação (5)
- Temerário (3)

Defeitos: 7
- Lunático (2)
- Impaciente (1)
- Membro da Seita sob Observação (4)

Observações
- Como característica animal do seu Defeito de clã, o Theon tem muitos pelos pelo corpo, inclusive barba e bigode caprichados. O que é incomum para ele, visto ser descendente de índios da floresta Amazônica. E olhos de felino, além de uma coloração escura da pele e as orelhas pontudas, como de um gato.
- Ele não usava roupas na floresta, mas depois passou a usar roupas compridas, com argolas altas, e chapéu, além de óculos para esconder o máximo do rosto. Ele não gosta de usar calçados.
- Ele se apegou à alguns utensílios: mochila e um caderno de anotações, com alguns lápis.



Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 18
- Data de nascimento: 1970
- Aparência: Índio
- Personalidade: Irritadiço, impaciente e vingativo. Sem educação, nada polido, rude e grosso.

Ele venera as entidades da floresta (eventualmente Changelings, Lupinos e outros metamorfos que avistou), e mistura um pouco de xamanismo com animismo. Seu interesse com política é nulo, até ele começar a querer planejar um plano para se vingar dos assassinos de sua tribo. Seu interesse sexual se limitava ao bestialismo. E ele não tem conhecimento de economia. Para ele tudo é feito na base da caça/porrada, no "eu cheguei primeiro".



6. Prelúdio

O índio Pata de Onça nasceu em uma tribo intocada pelo homem branco, no coração da selva amazônica. Cresceu ouvindo histórias dos seus ancestrais sobre os mistérios que a mata guarda. Lendas sobre espíritos antigos, homens-onça e demônios sugadores de sangue. Com o tempo, passou pelo rito de transição e se tornou um formidável guerreiro e caçador. O melhor entre a sua tribo, apesar da sua pouca idade, o que era mais formidável ainda! Passou a explorar cada vez mais fundo a floresta, e a cada vez que saía para caçar e prover o alimento para a tribo, se embrenhava mais na selva, talvez na esperança de um dia se encontrar com um dos personagens das histórias que ouvia. E uma noite seu desejo tornou-se realidade.

Um par de olhos que refletia a luz da lua em um amarelo hipnotizante. Pelos negros que pareciam reluzir uma suave aura prateada. Passos tão suaves que nem mesmo as folhas secas se quebravam sob suas patas. E antes que pudesse pensar em correr ou reagir, a fera já estava sobre si. As garras, que mais pareciam lanças, repousavam sobre seu peito, mas não ousavam feri-lo. Pata de Onça estava indefeso, à mercê da fera. Foi quando os poderosos olhos amarelos deram espaço para suaves olhos castanhos, a pelagem negra se tornou uma pele bronzeada macia, as garras se transformaram em mãos delicadas e a fera se fez moça. A mais bela dentre todas as mulheres que já conheceu. E a partir daquela noite tomaram um ao outro como amantes.

A Mulher Onça, como era conhecida nas lendas, e também chamada de Potyra, o ensinou sobre os espíritos ancestrais, sobre as Feras e a cultura de seu povo. Descobriu que ela sempre havia vigiado sua tribo de perto e o escolhera dentre os guerreiros por considerá-lo o mais preparado entre eles. Ouviu que havia mais dentre sua raça naquelas matas, apesar de jamais os ter visto. Conheceu seu local sagrado, chamado Tona. Permaneceu cuidando de sua tribo, mesmo que de longe, sem se revelar diretamente.

Foi quando, em uma noite, ela foi atacada. O homem branco, com sua pólvora cuspidora de chumbo e sua ganância, matou, estuprou e enclausurou seu povo. Lanças e flechas eram inúteis. Pata de Onça, contudo, não se deixou intimidar, conduzindo pelo menos uma dúzia dos invasores para a morte. Isso fez os olhos de Malaquias José Benedito, o vampiro que liderava o ataque, saltar. Sua selvageria no combate fez com que o Gangrel o nocauteasse e, mais tarde, o abraçasse. O índio sentiu o peso da maldição de Caim logo no primeiro instante. Sabia que aquilo não estava certo. Quis destruir seu Senhor, mas ele era muito mais poderoso.

Malaquias José Benedito se certificou de que Pata de Onça fosse devidamente domado com o poder do Laço de Sangue e uma vez amansado, procedeu a doutrinação vampírica. Com o tempo o ensinou o mínimo para viver na civilização. Bons modos (o mínimo), a língua do homem branco, bem como ler e escrever, e o mais importante, sobre a sociedade dos vampiros. As seitas, os clãs, sua condição vampírica. E nesse momento soube que jamais poderia ver seu amor novamente.

E o treinamento continuou, com o ensino de poderosas disciplinas, a arte da guerra, e o prazer em matar. Aos poucos, depois de devolver a humanidade para o índio, ele a tirou, transformando-o em uma eficiente arma. Os sentimentos e a humanidade de Pata de Onça se perderam, e ele só conseguia se preocupar com os interesses de seu amo.

Durante o tempo que permaneceu sob a mentoria de Malaquias José Benedito, Pata de Onça organizava o contra-ataque. Potyra tentava mobilizar os outros de sua raça, mas, devido sua natureza individualista e solitária, rastreá-los e convencê-los a ajudar não era tarefa fácil. Passou meses até que conseguisse juntar um grupo forte o bastante para dar o troco na serralheria onde Pata de Onça era mantido cativo. Seu Senhor, pelo menos outros 2 vampiros e diversos carniçais pereceram naquela noite. Mas livre do Laço de Sangue e ciente de que morreria pelas garras de sua amada, Pata de Onça aproveitou a confusão para fugir pelos rios.

Navegou para o mais longe que podia e, ao raiar do sol, se mesclou à Terra. Na noite seguinte repetiu o processo. Fez isso até chegar na cidade de Belém, onde conheceu um velho missionário chamado João de Santo Cristo, que compartilhava de sua condição. Esse homem de bom coração o acolheu, o ajudou da melhor forma que podia e o apresentou uma nova alternativa. Não poderia tornar-se humano de novo, mas poderia vencer sua Besta interior. Se conseguisse vencer o animal que vivia dentro de si, talvez fosse digno de retornar à sua amada, até lá deveria se afastar. Ele conseguiu passagem para um local distante, onde ele poderia se dedicar melhor ao controle de sua Besta, em outro país, e para lá o jovem índio foi. Mas não sem antes batiza-lo e mudar seu nome para Theônios Albuquerque. E o ensinou o básico do novo idioma que encontraria do norte, pois ele próprio já tinha vivido lá.

Chegando nos Estados Unidos, ele viveu algum tempo como desabrigado, e aperfeiçoou o inglês com as ONGs que o ajudava e os outros moradores de rua, até que o Xerife da cidade o achou, e o levou para a presença do Príncipe, que permitiu sua existência, se ele aceitasse se submeter a Torre de Marfim. E Theônios aceitou, mas os membros ainda tinham receios sobre ele, e o mantinham o mais longe possível da esfera política da sociedade, apenas o usando como "cão".



7. Banco de Dados

Pontos Bônus (15+7):
7 para Disciplina Animalismo 3
7 para Disciplina Metamorfose 3
5 para Qualidade Disciplina Adicional Ofuscação
3 para Qualidade Temerário



Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


NOTAS de edição:
- Alterei completamente a Ficha, mas tentei levar em conta as dicas do Altobello
- Removi ao máximo os indícios de datas e cronologia (mantive o necessário), para me situar em qualquer período que for conveniente para a Cronica, claro, após o ano de 1940
- Creio que a distribuição dos Pontos Bônus está correta agora, e os Defeitos e outras características mais coerentes com o Preludio.
- Não marquei com vermelho as alterações, pois mudei praticamente tudo...

Edição em 13/03/2018
- Alterei parte do prelúdio, para ser mais realista, e simples, conforme orientação em MP
- Deixei em verde as alterações no texto
- Mudanças: removi os Lupinos de alguma ligação direta, mas ainda pode haver; mudei de lobo-guará para onça preta, os animais que cuidaram dele; os pais estão vivos; a mais membros da tribo vivos; o senhor e o missionário estão vivos; ele tem dois refúgios, sendo um na cidade; ele foi pra cidade; informei formas bestiais.

Edição de 20/03/2018
- Com ajuda, em MP, do Altobello o prelúdio foi reescrito
- Alterei a Especialização de Destreza para: Reflexos Felinos
- Retirei 1 de Ciências e coloquei em Ocultismo, elevando para 2 esse Conhecimento
- Removi os Defeitos: Vingança, Responsabilidade Especial, Recém-Chegado e 14ª Geração
- Acrescentei os Defeitos: Mestre Repugnante (4) e Lunático (4).
- Adicionei as características físicas: olho de gato, pele/pelagem escura e orelha de gato
- Marquei em vermelho as alterações feitas após a última analise por MP pelo Altobello; e em amarelo o que foi completamente removido.

Segunda edição do dia 20/03/2018, por sugestão do Altobello, em MP
- Retirei 2 pontos de Investigação, e coloquei 1 em Linguística, e 1 em Ocultismo.
- Movi 1 ponto de Consciência para Autocontrole.
- Alterações em vermelho; parte removida está riscado; Pontos Bônus em verde.

Sexta edição, de 11 de abril de 2018
- Adicionei um parágrafo no prelúdio, levando o personagem para os Estados Unidos, e membro da Camarilla; e um trecho sobre como aprendeu Inglês
- Alterei:
-- Alcunha de Homem Fera para Fera, Seita de Independente para Camarilla, Natureza de Sobrevivente para Soldado, Comportamento de Soldado para Solitário, Conceito de Homem Onça para Assassino
-- Distribuição dos pontos iniciais dos Atributos Sociais e Mentais foram invertidos, agora Social é secundário e Mental é terciário; Carisma foi de 2 para 3, Manipulação foi de 2 para 3, Percepção foi de 3 para 2, e Inteligência foi de 2 para 1
-- Distribuição dos pontos iniciais das Habilidades Talentos e Conhecimento, sendo que retirei os 3 de Prontidão e 2 de Esportes, e adicionei os pontos em Empatia (3) e Intimidação (+2), retirei um de Sobrevivência e um de Furtividade, e Adicionei 2 em Segurança, e removi Medicina e 2 de Ocultismo, e coloquei em Investigação (3)
-- Distribuição dos pontos iniciais das Virtudes, invertendo Consciência e Autocontrole
-- Data de nascimento de 1912 para 1970
- Qualidades e Defeitos: adicionei Disciplina Adicional, Temerário e Membro da Seita sob Observação
- Removi Metamorfose 4 e Força de Vontade 4

avatar
Lipe

Data de inscrição : 20/09/2017
Idade : 32
Localização : Itapema - Santa Catarina - Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Arcebispo Altobello em Qua Abr 11, 2018 9:30 pm

Ficha Aprovada

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 24
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theônios Albuquerque, o homem fera!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum