Shabhr O Fantasma - Assamita Antitibu

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Shabhr O Fantasma - Assamita Antitibu

Mensagem por Ronan em Sex Jul 28, 2017 6:26 pm

Nome: Ronan
Personagem: Shabhr o Fantasma (ou James O’Connel)
Clã: Assamitas Antitibu
Natureza: Idealista (acredita ser necessário se tornar o mais poderoso, que está destinado)
Comportamento: Soldado
Geração: 13
Refúgio:
Conceito: Soldado

Saldo de XP: 0/0

2. Atributos

Físicos
- Força: 1 + 2
- Destreza: 1 + 2
- Vigor: 1 + 3 (incansável)

Sociais
- Carisma: 1 + 2
- Manipulação: 1 + 1
- Aparência: 1

Mentais
- Percepção: Percepção 1 + 3 (atento)
- Inteligência: 1 + 1
- Raciocínio: 1 + 1

3. Habilidades

Talentos (Secundária 9)
- Prontidão: 2
- Esportes: 2
- Briga: 1
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação:
- Liderança:
- Manha:
- Lábia: 1

Perícias (Primária 13)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo: 1
- Armas Brancas: 5 - espadas e facas( inclui adagas, facas de arremesso e outros)
- Performance:
- Segurança: 2
- Furtividade: 3
- Sobrevivência:

Conhecimentos (Terciária 5)
- Acadêmicos:
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística: 1 (vernáculo: inglês; + árabe)
- Medicina:
- Ocultismo:1
- Política:
- Ciências:  

4. Vantagens

Antecedentes -> Identidade Alternativa 1 (1 pt bônus), Lacaio 1 (1 pt bônus), Mentor 2 (2 pts bônus)

Disciplinas -> Rapidez 1, Ofuscação 2, Quietus 1

5.Virtudes

Virtudes

- Convicção 2 (4 bônus)

- Instinto 2 (4 bônus)

- Coragem 1 +5

- Trilha de Caim 4 +1 (1 pt bônus) = 5

- Força de Vontade 6

Qualidade -> Temperamento Calmo 3, Vontade de Ferro 3, Concentração 1, Resistencia a Magia 2

Defeitos -> Desfigurado 2, Vítima de Caçada de Sangue (4 ), Amnesia 1

Observações:
Aparência do personagem:

Máscaras::



Pontos de Bônus:
15 + 7 dos defeitos = 22
4 gastos em antecedentes
8 gastos em virtudes
1 gasto em trilha
9 gastos em qualidade
Sobre o Preludio:
Procurarei omitir tempo, nome da Cidade (final), e alguns nomes específicos propositalmente, pois não sei em qual ano se passa as crônicas do fórum nem a cidade em que começarei. Minha pretensão na primeira crônica é fazer o treinamento da Mão Negra e aprender sobre o universo da Máscara. O mentor próximo seria Abdul (1 pt em antecedentes), enquanto que um mais afastado seria o Ahmed (2 pts), se isso não for possível é só me avisar que especifico qual dos dois.


6. Prelúdio
Nome: Ryan
Idade: 28
Profissão: Soldado, Capitão

Parte 1 - Ryan

Vivendo em uma pacata cidade a beira do lago Ozark no Missouri, de uma família com quatro irmãos e duas irmãs, Ryan era o caçula e queridinho da família. Sua infância foi feliz, sua adolescência rebelde, durante esse período sua namorada engravidou e abortou, sendo esse fato o maior impacto que aconteceu em sua vida até os dezoito anos. Curiosamente o rapaz queria ter o filho, e após o aborto ele se tornou muito mais calado e se sentia perdido no mundo, a procura de um propósito e de um sentido na vida.

Vendo uma propaganda do exército, o jovem sem rumo se alistou num impulso, ouvindo de sua família e amigos que iria se arrepender e não aguentaria o regime militar. Eles estavam errados. Em dez anos Ryan subiu de patente até chegar a Capitão, sua vontade de subir nos ranks era tremenda e ele se tornou um homem ambicioso e levemente perverso\sanguinário devido as campanhas militares em que participou. Durante esse período seu pai morreu de infarto, sua mãe passou a sofrer de demência, uma irmã morreu de overdose, a outra se casou com um homem abusivo, dois irmãos foram presos, um condenado a prisão perpetua e um condenado a pena de morte. Dois irmãos e uma irmã tiveram algum “sucesso” em suas vidas adultas de alguma forma ou de outra.

Durante a primeira campanha militar que realizou como capitão, Ryan foi para o Afeganistão em uma missão antiterrorismo. Infelizmente o helicóptero que se encontrava foi abatido. Um pouco afastado de seus destroços ele ainda se encontrava lutando com a morte, cambaleando para longe dali, se apegando de toda forma ao fio de vida que ainda lhe restava. A parte direita de seu rosto havia sido queimada e estava deformada em toda a região acima de sua boca. Por sorte seu olho e ouvido haviam sido poupados.

Ainda assim haviam outras feridas em seu corpo e estes faziam sua consciência começar a se desapegar de seu corpo. Caindo ao chão, teve certeza que iria morrer. Foi nesse momento que ele a viu. A mulher mais linda que havia visto até então. Morena, mas de alguma forma meio pálida, com longos cabelos da cor do carvão e olhos tão escuros quanto o céu acima de si. Sua boca bem desenhada e seu corpo esbelto, mas voluptuoso nas partes certas fizeram com que ele se arrependesse de não poder conhece-la melhor. Se bem que ela poderia ser um anjo...

Para sua surpresa ela lhe sorriu em divertimento, abaixou-se inclinada sobre ele e... o mordeu. Enquanto ele se deleitava na sensação dos caninos daquele anjo entrando em seu pescoço, a mulher se deleitava em suga-lo e saciar a fome que sentia. De alguma forma Ryan estava mais satisfeito em ter sua vida drenada por aquela mulher do que perdida em uma poça de sangue qualquer. Após aceitar seu destino, ele fechou os olhos com um sorriso no rosto e a última coisa que sentiu foram seus lábios serem umedecidos, o líquido entrando em sua garganta e lhe dando energia. No futuro ele saberia que tal líquido era o sangue da sua senhora.

Parte 2 - Shabh

Sim, esse foi o seu “abraço”. Assim que ele acordou a primeira coisa que sentiu foi fome. A segunda foi confusão, não sabia o que era nem quem era. Logo a fome ganhou cada vez mais espaço. De repente um corpo caiu a sua frente, e instintivamente ele soube o que fazer. Enquanto sugava todo o sangue que conseguia, podia ver uma mulher olhando-o com um olhar curioso, uma de suas sobrancelhas erguidas. Após acabar de se alimentar se sentiu perdido, olhando para a destruição ao seu redor, ouvindo os sons e ao ver o fogo na distância (ele não sabia, mas onde o helicóptero caíra), sentiu um profundo terror e se afastou tão rápido o quanto podia.

Nesse momento ouviu a mulher dizer algo. Ele sabia que o que ela estava fazendo era “falar”, assim como sabia que ela era uma “mulher”, assim que sabia que aquilo que o aterrorizava era “fogo”. Nesse momento sua confusão aumentou mais ainda, primeiro por não ter entendido o que a mulher estava falando. Segundo porque ele sabia para que o fogo servia, mas não entendia o terror que sentia ao vê-lo. Franzindo a testa ele voltou a atenção para a mulher e a ficou mesmerizado com a beleza dela. A ouviu falar algo novamente, e antes que pudesse pensar havia respondido em inglês:

- Não posso entende-la.

- Ah! Claro que não pode, vocês americanos vem para nossas terras e nem se preocupam em aprender a língua nativa hihihi.- Disse a mulher agora em inglês fluente, enquanto andava e erguia suas mãos com uma graciosidade que não permitia o homem com amnésia se esquivar. A  palma dela tocou seu rosto na área que estava deformada. – Achei que isso sumiria, que peculiar. Então, qual seu nome?

Aquela conversa e pergunta o pegou desprevenido, fazendo-o erguer sua pópria mão para tocar seu rosto e se perguntar mentalmente “Nome? Qual meu nome?”.

- E...eu não sei... eu não consigo me lembrar...

- Ohhh?! Peculiar, realmente peculiar! Quão interessante! Venha, venha meu shabh! Temos muito o que conversar hehehe!

Assim, ele a acompanhou e logo aprendeu algumas coisas. Primeiro, ele era um vampiro, assim como ela. Segundo, ele não se lembrava de nada do seu passado. Terceiro, ela fazia parte de uma seita chamada Sabá, e ele faria também. Quarto, ela era sua senhora, a mulher que o transformou em um vampiro. Quinto, eles pertenciam a um clã chamado Assamitas. Sexto, vampiros são seres malignos que deveriam corromper os seres humanos e se alimentar deles. Setimo, existia uma guerra acontecendo entre o Sabá e uma outra seita chamada Camarilla. Oitavo, eles poderiam e deveriam sugar o sangue dos vampiros adversários para matar sua fome. Nono, o nome de sua senhora era Láylah, que significava escura como a noite, e o seu próprio nome a partir de agora seria Shabh, significando fantasma. Decimo, ele deveria acompanha-la para aprender sobre o mundo em que viviam.

E ele o fez. Com ela ele conheceu outros vampiros, descobriu que ao contrario da maioria desses outros ela era seguidora da Trilha dos Catáros e em breve ele o seria também. Juntos eles se deliciaram em prazeres materiais e corromperam a alma de muitos humanos, se alimentando fartamente. Em vilarejos eles faziam sexo enquanto banhado em sangue, em grandes cidades tomavam sangue recheado de drogas, promovendo orgias entre aqueles humanos religiosos, e entravam em frenesi constantemente. E se algum vampiro da Camarilla aparecesse para cortar o barato, eles chamavam a cavalaria para lidar com eles, aproveitando a oportunidade para cometer a Diablerie quando possível. Por cinco anos pode-se dizer que eles estavam vivendo “la vida loca”, viajando pelo oriente médio constantemente.

Durante esse tempo eles ficaram conhecidos como a “Bela e a Fera” em alguns círculos de baixo escalão. Mas pelo motivo que fosse, muito provavelmente sua personalidade mimada, Láylah se desagradou com o apelido, dizendo que ele era para ser um fantasma e fez com que ele usasse uma máscara sobre a parte do seu rosto que era deformada. Claro que tapar sua parte “feia” não fazia de nada para aumentar a beleza do resto do rosto, e ele realmente nunca fora muito bonito, apenas normal, demasiadamente normal.

Mas surpreendentemente usar aquela máscara lhe dava um ar de mistério, um charme, transformando-o em uma pessoa até mesmo carismática de certa forma. Infelizmente ele não parecia ser capaz de usar esse charme muito bem. Perto do brilho ardente que era Láylah, ele não teve espaço para desenvolver muito suas habilidades sociais, sendo sempre encarado com certo desprezo e inveja pelos outros devido sua conexão com aquela vampira louca.

Claro que isso tudo atraiu muita atenção e a quantidade de inimigos se tornou cada vez maior, ao ponto que um dia a esperta Láylah lhe avisou que estava na hora de irem para casa, Dubai, uma cidade que Shabh jamais havia visitado (que ele soubesse). Uma vez lá, tudo mudou.

Parte 3 – Dubai

Em Dubai, Shabh foi apresentado aos integrantes locais do Sabá, e a um de seus líderes, Ahmed Muhammad, um ancião poderoso e surpreendentemente o senhor de Láylah. Lá ele descobriu que sua senhora era na verdade considerada uma dor de cabeça. Com centenas de anos de vida, enquanto ela permaneceu com o sangue da decima segunda geração, Ahmed havia subido de décima até a sexta. Não apenas isso, mas a vampira criava mais problemas do que resolvia, agindo feito uma criança mimada e fugindo constantemente de Dubai para agir impetuosamente, sem ligar para a guerra maior que estava acontecendo.

Claro que apesar disso poucos ousariam agir contra ela, tanto devido ao ancião que ela tinha por trás dela, quanto pelo fato de que apesar de ter o sangue não muito espesso, a jovem era perita em armas brancas, e a maioria não sobreviveria a um encontro com sua lâmina. Não apenas isso suas habilidades sociais e politicas poderiam se provar catastróficas para aqueles que invocassem sua ira. Após sua chegada em Dubai, Shabh contou com um pouco da proteção e reputação de sua senhora, mas vendo a frieza com que era tratado pelos outros vampiros, ele se viu cada vez mais isolado. Láylah que aparentemente estava de “castigo” para matar seu tedio, começo a lhe ensinar o manejo das armas brancas, onde para surpresa de todos, ele se demonstrou ser um gênio, vindo a se tornar tão bom quanto a sua Senhora com o tempo.

Conforme os anos foram se passando Shabh foi entrando em contato com novos vampiros, e teve uma maior noção de como era a sociedade em que se encontrava agora. Com isso começou a se sentir cada vez mais impotente e com vontade de se tornar mais forte, conseguir respeito por mérito próprio. Enquanto sentia saudades do tempo que era só ele e Laylah, devido a estar adquirindo autoconhecimento e desenvolvendo uma personalidade própria, ele se identificou com os costumes da Trilha de Caim e a adotou através dos ensinamentos de Ahmed. Além disso começou a participar de investidas contra a Camarilla na cidade, adotando um comportamento de soldado e meio fanático para desagrado de sua senhora.

Com missões bem sucedidas, vaulderies participadas e vampiros aliados vendo seu “trabalho duro” passou a nutrir o respeito de alguns, assim como o desdém de muitos outros (devido seu jeito mais calado, proteção de sua senhora, acontecimentos do dia dia). Isso lhe ajudou a evoluir suas habilidades e cada vez mais ele sentia o quão fraco ele era e o quão forte desejava se tornar. Descobrindo que um Ancião de alto escalão da Caramilla havia chegado na cidade, o Sabá se preparou para uma investida feroz onde até mesmo Ahmed participou.

Infelizmente, apesar de conseguirem matar o ancião visitante e destruir grande parte dos vampiros da Camarilla no local, aquilo dificilmente poderia ser chamado uma vitória. De fato, foi uma derrota. A quantidade de filhos de Caim pertencentes ao Sabá que retornaram vivos podiam ser contados nos dedos. Além de Shabh que sobreviveu devido a pura sorte, Ahmed e outros sete integrantes da Mão Negra conseguiram manter suas vidas, ou melhor, suas não-vidas.

Na batalha frenética e sangrenta, Shabh viu a cabeça de sua linda e adorada senhora explodir devido um tiro bem feito, e ele não pode fazer nada para impedir isso. Ele nunca compreendeu completamente o porquê de ela tê-lo transformado. Certamente não foi por pena ou caridade. Láylah era simplesmente perversa demais para ter algum resquício de bondade em seu coração. E baseado na Trilha que ela seguia ele chegou a conclusão de que no passado ele deveria ser um homem muito ruim ou muito bom. Ou talvez não. Por alguns momentos ele se arrependeu de nunca ter perguntado isso.

Por fim a morte dela fez com que os últimos traços de humanidade que o impediam de avançar na Trilha de Caim verdadeiramente fossem deixados completamente para trás e aumentou ainda mais sua sede por poder (força), de forma que ela até mesmo competia com a fome da sua besta interior.

Após a batalha a Camarilla armou um contra-ataque, mas antes que pudesse realiza-lo os nove sobreviventes embarcaram em um avião em direção aos Estados Unidos e escaparam a retaliação. A face da maioria não havia sido vista ou gravada, mas Shabh foi gravado usando uma de suas máscaras de batalha. Apesar de seu rosto ter ficado escondido, com alguma investigação não foi difícil descobrir que um homem caucasiano, proficiente em arma brancas e que usa sempre alguma máscara (existem vários modelos), estava no grupo de sobreviventes do Sabá e ido para a América. Mesmo que ele pudesse vir a se tornar uma agulha em um palheiro, ele poderia também muito bem ser identificado no próximo dia com tais características.

Parte 4 – James \ Ghost (Shabh)

Shabh não sabia que estava em companhia de oito integrantes da Mão Negra, mas sabia que qualquer um dos vampiros que ali se encontravam seriam capazes de acabar com sua não-vida a qualquer momento. Ahmed era um ancião conhecido em Dubai e obviamente o líder daquele grupo. Ouvir da morte de sua “cria” não provocou nenhuma reação ou emoção aparente por parte dele.

Shabh jamais saberia o quão perto da morte esteve naquele avião. A maioria dos vampiros ali presentes preferiam mata-lo, mas quem realmente tinha o poder de decisão vetou tal opção pelo motivo que fosse. Talvez por ter visto em Shabh resquícios de Láylah, talvez por ter visto no vampiro mascarado algum potencial, pode ter sido por ver nele uma nova peça de xadrez a ser usada, ou quem sabe por mero capricho, Ahmed o manteve vivo.

Ao chegar nos Estados Unidos Shabh recebeu as seguintes ordens de Ahmed. Em primeiro lugar, ele iria para um campo de treinamento onde passaria por uma iniciação de uma sub-seita do Sabá, a Mão Negra. Lá e nas missões que realizasse para eles, se sobrevivesse ao treinamento, iria manter sua identidade com Shabh, o Fantasma, continuando a usar suas ridículas mascaras. No entanto em outras ocasiões, assumiria a identidade de James, um mercenário Assamita a procura de emprego, com parte de seu rosto desfigurado, que acabou de chegar na Cidade sem saber muito do que está acontecendo no local. Em segundo lugar ele deveria procurar se manter a baixo do radar como James, e não falar para ninguém sobre o fato de ser um membro da mão negra, isso, se e ao treinamento.

Após avisar que estaria olhando o progresso que ele faria, Ahmed foi embora com sete dos outros vampiros, deixando para trás um shakari voluntario (e visionário), Abdul Hafiz, que guiaria Shabh nos caminhos da Mão Negra. O primeiro passo foi conseguir uma identidade falsa como James O’Connel, cidadão originário de Nova York. Durante esse passo foi que “James” conheceu Delilah, sua primeira lacaia.

Descobrir sobre a existência da Mão Negra e saber que poderia entrar para ela encheu Shabh de expectativas. Olhando para sua própria trajetória, aos poucos uma crença de que era necessário se tornar mais forte, e que não apenas isso, mas que de fato ele estava destinado a se tornar O mais forte tomou raiz. Não lhe escapou também o fato de que dos sobreviventes em Dubai, apenas os integrantes da Mão Negra haviam sobrevivido, e ele por golpe do destino. Enquanto isso reafirmava a importância de se tornar poderoso, também o deixava com um pé atrás para com os outros vampiros. “Será que a morte dos outros membros foi premeditada? Ou foram apenas tratados como material para serem gastos na guerra e cansar os oponentes?” Se perguntava ele, apesar de não se aprofundar muito nesses questionamentos, já que não poderia fazer nada a respeito disso com a ínfima força que possuía no momento.

Assim como os maiores acontecimentos de sua não-vida (na sua opinião), James não possuía um motivo convincente que pudesse contar para si mesmo sobre como veio a conhece-la. Enquanto ter sido abraçado devido a um impulso de sua senhora lhe parecia uma razão demasiadamente fraca, ser iniciado na Mão Negra por ser “cria” dela, ou por ter sido o único a ter sobrevivido a batalha em Dubai além dos integrantes da Mão negra também não lhe soavam como razões boas o suficiente, nenhuma dessas situações era tão absurda quanto seu encontro com Delilah.

Quando Abdul foi ajeitar o processo de identidade falsa para eles, logo descobriram que o cara que fazia isso estava sumido. No entanto conseguiram uma indicação para uma mulher chamada Delilah que poderia fazer o mesmo por um preço um pouco mais salgado. Logo eles chegaram a casa desta, e descobriram uma bonita mulher de cabelos loiros, Hacker de primeira linha, mas com um sério problema, agorafobia (dificuldade de sair de casa).

Após resolver o problema com as identidades, Abdul pediu para que James o esperasse ali enquanto ele iria resolver algumas coisas. E não voltou por duas semanas. Semanas essas em que James e Delilah conversaram, interagiram (ela virou comida), e ela até mesmo virou um carniçal tendo bebido o sangue de James por quatro vezes criando um laço de sangue com ele (duas se isso não for possível). Com ela o vampiro aprendeu um pouco sobre tecnologia e conseguiu um celular, assim como usar um computador.

Uma vez que Abdul retornou, ele percebeu o que se passava, mas apesar de bufar desdenhosamente, não disse nada sobre o assunto. Assim após James avisar a Delilah que iria para um local ser treinado e não sabia quando poderia retornar, eles foram se apresentar ao Comando de Sentinela\Vigia local e passar pela iniciação, fazendo assim o segundo passo. O terceiro foi se dirigir ao campo de treinamento.

A primeira coisa que aprendeu lá é que uma vez que se formasse seria um novato, em seguida podendo se especializar entre as categorias de Emissário, Removedor e Sharik. Mentalmente Shabh riscou Emissário da lista, ele sabia de seus pontos fortes e fracos. Abdul tambem se integraria na Torre local, tornando-se uma espécie de guia (mentor) para Shabh, claro que sempre com a sombra do mais poderoso Ahmed por trás de ambos.

Mesmo nos dias de hoje, Shabh não sabe qual “cargo” Ahmed exerce na Mão Negra. Ele também nunca soube que Ahmed sempre o esteve observando, e notou algumas qualidades possuídas pelo vampiro com rosto marcado, como seu temperamento calmo e uma aparente resistência a magia além da genialidade na área de armas brancas.

Para Shabh o uso da máscara não tem a ver com algum tipo de vergonha de seu rosto parcialmente desfigurado, mas sim como uma lembrança de Láyla, não romântica, mas sim da importância que força e poder têm. Se ela fosse forte o suficiente, não teria morrido de forma tão patética.

Após tudo que aconteceu (que ele podia lembrar), com uma mentalidade fixada em se tornar o vampiro mais forte de todos, chegando ao ponto em que ninguém pudesse ameaçar sua sobrevivência, Shabh o Fantasma, ou James o Mercenário, aos poucos formava um ideal próprio, uma crença crescente de que o universo estava conspirando para transforma-lo no ser supremo. Ele estava preparado para se dedicar ao máximo a Mão Negra como um soldado, embarcando desta forma no seu caminho de ascensão. Mas primeiro teria de sobreviver ao treinamento que viria pela frente.

7. Banco de Dados

1 – Quatro mascaras diferentes
2 – Um celular simples
3 – 4 facas de arremesso
4 – Um facão de combate (substituto de sua cimitarra, perdida em combate)
5 - Roupas
Lacaio Delilah – Ficha:
Nome: Delilah
Conceito: Hacker
Natureza: Celebrante \ Comportamento: Solitário\Perfeccionista
Atributos Físicos -> Força 1 + 1, Destreza 1 + 1, Vigor 1 + 1
Atributos Sociais -> Carisma 1 + 1, Manipulação 1, Aparência 1 +2
Atributos Mentais -> Percepção 1 + 2, Inteligência 1 + 3, Raciocínio 1 + 1 +1 (5 pt bônus)
3. Habilidades

Talentos (Secundária 9)
- Prontidão: 2
- Esportes:
- Briga:
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação:
- Liderança:
- Manha: 2
- Lábia: 2

Perícias  (Terciária 5)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta: 1
- Armas de Fogo: 1
- Armas Brancas: 1
- Performance:
- Segurança: 2
- Furtividade:
- Sobrevivência:

Conhecimentos (Primária 13)
- Acadêmicos: 2
- Computador: 5
- Finanças: 2
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística:
- Medicina: 1
- Ocultismo:1
- Política:
- Ciências:  

Vantagens
Disciplinas -> Potencia 1(7 pts bônus)
Antecedentes -> Aliados 1+1 (1 pt de bônus, 1 pt defeito), Contatos 2 (2 pts de bônus), Recursos 5 (recebeu herança)
Virtudes -> Consciência 1, Autocontrole 1+3, Coragem 1+2
Humanidade -> 5
Força de Vontade -> 3
Defeito: Medo de sair de casa (-2)
Qualidade: Capangas (1 Ponto)
Banco de dados: Casas, dinheiro em contas bancarias, computadores de ultima geração;
avatar
Ronan

Data de inscrição : 26/07/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Shabhr O Fantasma - Assamita Antitibu

Mensagem por Bispo Altobello em Qui Ago 03, 2017 8:15 am

Bom dia, Ronan!

Mais uma vez, seja bem-vindo ao Fórum e desculpe pela demora. Eu gostei do seu personagem, você escreve bem e conseguiu passar a centelha de vida para o Shabhr. Há alguns ajustes de sistema que precisamos fazer para ele ficar redondinho, mas a história me parece quase impecável. Parabéns! Não se desespere com as correções, se parecerem muitas e extensas, são coisas simples de arrumar. Vamos lá...


Armas Brancas - Na criação de ficha de neófito, as Habilidades ficam restritas ao nível 3. É possível ir além do terceiro nível com o gasto de Pontos Bônus ou ongame. Além disso, o nível 5 em uma Habilidade quer dizer que o seu personagem faz parte de um seleto grupo de pessoas que são as melhores do mundo naquilo que fazem. Ou seja, seria necessário mais do que algumas sessões de treinamento para matar o tédio de sua Senhora.

Virtudes - As Virtudes são medidas de 1 a 5. Perceba, 6 não é um valor possível. Além disso as Virtudes compradas com Pontos Bônus não se refletem na Humanidade/Trilha e Força de Vontade. Ou seja, seu valor atual na Trilha de Caim seria 0. Esse personagem seria injogável.

Vontade de Ferro - Essa Qualidade requer uma Força de Vontade mínima de 7 pontos.

Vítima de Caçada de Sangue x Identidade Alternativa - Não acha extremamente arriscado combinar as duas características? A Camarilla já sabe da sua presença na cidade, inclusive tem gravações do seu rosto. Tirar a máscara não vai fazer com que passe despercebido. Não é tão simples assim.

Lacaio 1 (Delilah) - O Carniçal não ganha Pontos Bônus na criação de fichas. Ele pode, no entanto, compensar com os pontos de Defeitos que, por ventura, tenha. Da mesma forma, Habilidades estão restritas ao terceiro nível, podendo ser aumentada com pontos de Defeitos. Humanos possuem 7 pontos em Virtudes. Quem são so capangas da Delilah, faça uma breve explicação sobre eles.

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Bispo Altobello
Arcebispo La Sombra de New York - Sabá

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Tudo certo cara! Alterações feitas!

Mensagem por Ronan em Sex Ago 04, 2017 1:48 am

Nome: Ronan
Personagem: Shabhr o Fantasma (ou James O’Connel)
Clã: Assamitas Antitibu
Natureza: Idealista (acredita ser necessário se tornar o mais poderoso, que está destinado)
Comportamento: Soldado
Geração: 13
Refúgio:
Conceito: Soldado

Saldo de XP: 0/0

2. Atributos

Físicos
- Força: 1 + 2
- Destreza: 1 + 3 (velocidade)
- Vigor: 1 + 2

Sociais
- Carisma: 1 + 2
- Manipulação: 1 + 1
- Aparência: 1

Mentais
- Percepção: Percepção 1 + 3 (atento)
- Inteligência: 1 + 1
- Raciocínio: 1 + 1

3. Habilidades

Talentos (Secundária 9)
- Prontidão: 2
- Esportes: 2
- Briga: 1
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação:
- Liderança:
- Manha:
- Lábia: 1

Perícias (Primária 13)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo: 2
- Armas Brancas: 3 +2(4 pts bônus) - espadas e facas( inclui adagas, facas de arremesso e outros)
- Performance:
- Segurança: 3
- Furtividade: 3
- Sobrevivência:

Conhecimentos (Terciária 5)
- Acadêmicos:
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação: 2
- Direito:
- Linguística: 1 (vernáculo: inglês; + árabe)
- Medicina:
- Ocultismo:1
- Política:
- Ciências:  

4. Vantagens

Antecedentes -> Lacaio 1 (1 pt bônus), Mentor 1 (1 pts bônus)

Disciplinas -> Rapidez 1, Ofuscação 2, Quietus 1

5.Virtudes

Virtudes

- Convicção 1 (2 bônus)

- Instinto 2 (4 bônus)

- Coragem 5

- Trilha de Caim 2 (2 pt bônus)

- Força de Vontade 5 +2 (2 pts bônus) = 7

Qualidade -> Vontade de Ferro 3, Concentração 1, Resistencia a Magia 2

Defeitos -> Desfigurado 2, Vítima de Caçada de Sangue (4 ), Amnesia 1

Observações:
Aparência do Personagem::

Máscaras::


Pontos de bônus::
4 pontos em habilidades (armas brancas)
2 pontos em antecedentes
6 pontos em virtudes
2 pontos em Trilha de Caim
2 pontos em Força de Vontade
6 pontos em qualidades
Mudanças::
Destreza passou a ficar com 4 e vigor 3.
Com 4 pontos de bônus em armas brancas, os 2 pontos sobressalentes foram para armas de fogo e segurança.
Retirei o antecedente Personalidade alternativa, e reduzi mentor de 2 para 1.
Convicção passou de 2 para 1.
Trilha de Caim e Força de Vontade corrigidas.
Qualidade temperamento calmo retirada.
Local do abraço alterado para Líbano, durante a crise do Líbano em 1958.
Mentor passa a ser somente o Abdul.
Acrescentei o Livro de Nod ao Banco de Dados.
Alterações destacadas em vermelho no texto (algumas não terão nenhuma alteração, mas paragrafos do texto que foram excluídas).
(não sei se a quantidade de pontos em virtudes e trilha ficaram boas para se jogar, espero que sim, mas se estiver ruim, por favor me aconselhe a mudar! haha)
Sobre o Prelúdio::
Procurarei omitir tempo, nome da Cidade (final), e alguns nomes específicos propositalmente, pois não sei em qual ano se passa as crônicas do fórum nem a cidade em que começarei. Minha pretensão na primeira crônica é fazer o treinamento da Mão Negra e aprender sobre o universo da Máscara.

Prelúdio
Nome: Ryan
Idade quando ocorreu o abraço: 28
Profissão: Soldado, Capitão

Parte 1 - Ryan

Vivendo em uma pacata cidade a beira do lago Ozark no Missouri, de uma família com quatro irmãos e duas irmãs, Ryan era o caçula e queridinho da família. Sua infância foi feliz, sua adolescência rebelde, durante esse período sua namorada engravidou e abortou, sendo esse fato o maior impacto que aconteceu em sua vida até os dezoito anos. Curiosamente o rapaz queria ter o filho, e após o aborto ele se tornou muito mais calado e se sentia perdido no mundo, a procura de um propósito e de um sentido na vida.

Vendo uma propaganda do exército, o jovem sem rumo se alistou num impulso, ouvindo de sua família e amigos que iria se arrepender e não aguentaria o regime militar. Eles estavam errados. Em dez anos Ryan subiu de patente até chegar a Capitão, sua vontade de subir nos ranks era tremenda e ele se tornou um homem ambicioso e levemente perverso\sanguinário devido as campanhas militares em que participou. Durante esse período seu pai morreu de infarto, sua mãe passou a sofrer de demência, uma irmã morreu de overdose, a outra se casou com um homem abusivo, dois irmãos foram presos, um condenado a prisão perpetua e um condenado a pena de morte. Dois irmãos e uma irmã tiveram algum “sucesso” em suas vidas adultas de alguma forma ou de outra.

Durante a primeira campanha militar que realizou como capitão, Ryan foi para o Líbano durante a crise de 1958 no que deveria ser uma missão mais fácil do que as guerras em que vinha lutando pela última década. Infelizmente o helicóptero que se encontrava foi abatido. Um pouco afastado de seus destroços ele ainda se encontrava lutando com a morte, cambaleando para longe dali, se apegando de toda forma ao fio de vida que ainda lhe restava. A parte direita de seu rosto havia sido queimada e estava deformada em toda a região acima de sua boca. Por sorte seu olho e ouvido haviam sido poupados.

Ainda assim haviam outras feridas em seu corpo e estes faziam sua consciência começar a se desapegar de seu corpo. Caindo ao chão, teve certeza que iria morrer. Foi nesse momento que ele a viu. A mulher mais linda que havia visto até então. Morena, mas de alguma forma meio pálida, com longos cabelos da cor do carvão e olhos tão escuros quanto o céu acima de si. Sua boca bem desenhada e seu corpo esbelto, mas voluptuoso nas partes certas fizeram com que ele se arrependesse de não poder conhece-la melhor. Se bem que ela poderia ser um anjo...

Para sua surpresa ela lhe sorriu em divertimento, abaixou-se inclinada sobre ele e... o mordeu. Enquanto ele se deleitava na sensação dos caninos daquele anjo entrando em seu pescoço, a mulher se deleitava em suga-lo e saciar a fome que sentia. De alguma forma Ryan estava mais satisfeito em ter sua vida drenada por aquela mulher do que perdida em uma poça de sangue qualquer. Após aceitar seu destino, ele fechou os olhos com um sorriso no rosto e a última coisa que sentiu foram seus lábios serem umedecidos, o líquido entrando em sua garganta e lhe dando energia. No futuro ele saberia que tal líquido era o sangue da sua senhora.

Parte 2 - Shabh

Sim, esse foi o seu “abraço”. Assim que ele acordou a primeira coisa que sentiu foi fome. A segunda foi confusão, não sabia o que era nem quem era. Logo a fome ganhou cada vez mais espaço. De repente um corpo caiu a sua frente, e instintivamente ele soube o que fazer. Enquanto sugava todo o sangue que conseguia, podia ver uma mulher olhando-o com um olhar curioso, uma de suas sobrancelhas erguidas. Após acabar de se alimentar se sentiu perdido, olhando para a destruição ao seu redor, ouvindo os sons e ao ver o fogo na distância (ele não sabia, mas onde o helicóptero caíra), sentiu um profundo terror e se afastou tão rápido o quanto podia.

Nesse momento ouviu a mulher dizer algo. Ele sabia que o que ela estava fazendo era “falar”, assim como sabia que ela era uma “mulher”, assim que sabia que aquilo que o aterrorizava era “fogo”. Nesse momento sua confusão aumentou mais ainda, primeiro por não ter entendido o que a mulher estava falando. Segundo porque ele sabia para que o fogo servia, mas não entendia o terror que sentia ao vê-lo. Franzindo a testa ele voltou a atenção para a mulher e a ficou mesmerizado com a beleza dela. A ouviu falar algo novamente, e antes que pudesse pensar havia respondido em inglês:

- Não posso entende-la.

- Ah! Claro que não pode, vocês americanos vem para nossas terras e nem se preocupam em aprender a língua nativa hihihi.- Disse a mulher agora em inglês fluente, enquanto andava e erguia suas mãos com uma graciosidade que não permitia o homem com amnésia se esquivar. A  palma dela tocou seu rosto na área que estava deformada. – Achei que isso sumiria, que peculiar. Então, qual seu nome?

Aquela conversa e pergunta o pegou desprevenido, fazendo-o erguer sua pópria mão para tocar seu rosto e se perguntar mentalmente “Nome? Qual meu nome?”.

- E...eu não sei... eu não consigo me lembrar...

- Ohhh?! Peculiar, realmente peculiar! Quão interessante! Venha, venha meu shabh! Temos muito o que conversar hehehe!

Assim, ele a acompanhou e logo aprendeu algumas coisas. Primeiro, ele era um vampiro, assim como ela. Segundo, ele não se lembrava de nada do seu passado. Terceiro, ela fazia parte de uma seita chamada Sabá, e ele faria também. Quarto, ela era sua senhora, a mulher que o transformou em um vampiro. Quinto, eles pertenciam a um clã chamado Assamitas. Sexto, vampiros são seres malignos que deveriam corromper os seres humanos e se alimentar deles. Setimo, existia uma guerra acontecendo entre o Sabá e uma outra seita chamada Camarilla. Oitavo, eles poderiam e deveriam sugar o sangue dos vampiros adversários para matar sua fome. Nono, o nome de sua senhora era Láylah, que significava escura como a noite, e o seu próprio nome a partir de agora seria Shabh, significando fantasma. Decimo, ele deveria acompanha-la para aprender sobre o mundo em que viviam.

E ele o fez. Com ela ele conheceu outros vampiros, descobriu que ao contrario da maioria desses outros ela era seguidora da Trilha dos Catáros e em breve ele o seria também. Juntos eles se deliciaram em prazeres materiais e corromperam a alma de muitos humanos, se alimentando fartamente. Em vilarejos eles faziam sexo enquanto banhado em sangue, em grandes cidades tomavam sangue recheado de drogas, promovendo orgias entre aqueles humanos religiosos, e entravam em frenesi constantemente. E se algum vampiro da Camarilla aparecesse para cortar o barato, eles chamavam a cavalaria para lidar com eles, aproveitando a oportunidade para cometer a Diablerie quando possível. Por cinco anos pode-se dizer que eles estavam vivendo “la vida loca”, viajando pelo oriente médio constantemente.

Durante esse tempo eles ficaram conhecidos como a “Bela e a Fera” em alguns círculos de baixo escalão. Mas pelo motivo que fosse, muito provavelmente sua personalidade mimada, Láylah se desagradou com o apelido, dizendo que ele era para ser um fantasma e fez com que ele usasse uma máscara sobre a parte do seu rosto que era deformada. Claro que tapar sua parte “feia” não fazia de nada para aumentar a beleza do resto do rosto, e ele realmente nunca fora muito bonito, apenas normal, demasiadamente normal.

Mas surpreendentemente usar aquela máscara lhe dava um ar de mistério, um charme, transformando-o em uma pessoa até mesmo carismática de certa forma. Infelizmente ele não parecia ser capaz de usar esse charme muito bem. Perto do brilho ardente que era Láylah, ele não teve espaço para desenvolver muito suas habilidades sociais, sendo sempre encarado com certo desprezo e inveja pelos outros devido sua conexão com aquela vampira louca.

Claro que isso tudo atraiu muita atenção e a quantidade de inimigos se tornou cada vez maior, ao ponto que um dia a esperta Láylah lhe avisou que estava na hora de irem para casa, Dubai, uma cidade que Shabh jamais havia visitado (que ele soubesse). Uma vez lá, tudo mudou.

Parte 3 – Dubai

Em Dubai, Shabh foi apresentado aos integrantes locais do Sabá, e a um de seus líderes, Ahmed Muhammad, um ancião poderoso e surpreendentemente o senhor de Láylah. Lá ele descobriu que sua senhora era na verdade considerada uma dor de cabeça. Com centenas de anos de vida, enquanto ela permaneceu com o sangue da decima segunda geração, Ahmed havia subido de décima até a sexta. Não apenas isso, mas a vampira criava mais problemas do que resolvia, agindo feito uma criança mimada e fugindo constantemente de Dubai para agir impetuosamente, sem ligar para a guerra maior que estava acontecendo.

Claro que apesar disso poucos ousariam agir contra ela, tanto devido ao ancião que ela tinha por trás dela, quanto pelo fato de que apesar de ter o sangue não muito espesso, a jovem era perita em armas brancas, e a maioria não sobreviveria a um encontro com sua lâmina. Não apenas isso suas habilidades sociais e politicas poderiam se provar catastróficas para aqueles que invocassem sua ira. Após sua chegada em Dubai, Shabh contou com um pouco da proteção e reputação de sua senhora, mas vendo a frieza com que era tratado pelos outros vampiros, ele se viu cada vez mais isolado.

Por outro lado, Láylah aparentemente havia sido repreendida por seus atos e começou a treinar seriamente Shabh naquilo em que ela era uma mestre, a arte das armas brancas. O treinamento durou anos e para a surpresa de todos, ele se demonstrou ser um gênio, vindo a se tornar tão bom quanto a sua Senhora com o tempo.

Conforme os anos foram se passando Shabh foi entrando em contato com novos vampiros, e teve uma maior noção de como era a sociedade em que se encontrava agora. Com isso começou a se sentir cada vez mais impotente e com vontade de se tornar mais forte, conseguir respeito por mérito próprio. Enquanto sentia saudades do tempo que eram só ele e Laylah, devido a estar adquirindo autoconhecimento e desenvolvendo uma personalidade própria, ele se identificou com os costumes da Trilha de Caim e a adotou através dos ensinamentos de Ahmed. Além disso começou a participar de investidas contra a Camarilla na cidade, adotando um comportamento de soldado e meio fanático para desagrado de sua senhora.

Com missões bem-sucedidas, vaulderies participadas e vampiros aliados vendo seu “trabalho duro” passou a nutrir o respeito de alguns, assim como o desdém de muitos outros (devido seu jeito mais calado, proteção de sua senhora, acontecimentos do dia dia). Isso lhe ajudou a evoluir suas habilidades, afiar o que aprendia com a sua senhora (manejo de armas brancas), mas ainda assim, cada vez mais ele sentia o quão fraco ele era e o quão forte desejava se tornar. Descobrindo que um Ancião de alto escalão da Caramilla havia chegado na cidade, o Sabá se preparou para uma investida feroz onde até mesmo Ahmed participou.

Infelizmente, apesar de conseguirem matar o ancião visitante e destruir grande parte dos vampiros da Camarilla no local, aquilo dificilmente poderia ser chamado uma vitória. De fato, foi uma derrota. A quantidade de filhos de Caim pertencentes ao Sabá que retornaram vivos podiam ser contados nos dedos. Além de Shabh que sobreviveu devido a pura sorte, Ahmed e outros sete integrantes da Mão Negra conseguiram manter suas vidas, ou melhor, suas não-vidas.

Na batalha frenética e sangrenta, Shabh viu a cabeça de sua linda e adorada senhora explodir devido um tiro bem feito, e ele não pode fazer nada para impedir isso. Ele nunca compreendeu completamente o porquê de ela tê-lo transformado. Certamente não foi por pena ou caridade. Láylah era simplesmente perversa demais para ter algum resquício de bondade em seu coração. E baseado na Trilha que ela seguia ele chegou a conclusão de que no passado ele deveria ser um homem muito ruim ou muito bom. Ou talvez não. Por alguns momentos ele se arrependeu de nunca ter perguntado isso.

Por fim a morte dela fez com que os últimos traços de humanidade que o impediam de avançar na Trilha de Caim verdadeiramente fossem deixados completamente para trás e aumentou ainda mais sua sede por poder (força), de forma que ela até mesmo competia com a fome da sua besta interior.

Após a batalha a Camarilla armou um contra-ataque, mas antes que pudesse realiza-lo os nove sobreviventes embarcaram em um avião em direção aos Estados Unidos e escaparam a retaliação. A face da maioria não havia sido vista ou gravada, mas Shabh foi gravado usando uma de suas máscaras de batalha. Apesar de seu rosto ter ficado escondido, com alguma investigação não foi difícil descobrir que um homem caucasiano, proficiente em arma brancas e que usa sempre alguma máscara (existem vários modelos), estava no grupo de sobreviventes do Sabá e ido para a América. Mesmo que ele pudesse vir a se tornar uma agulha em um palheiro, ele poderia também muito bem ser identificado no próximo dia com tais características.

Parte 4 – James \ Ghost (Shabh)

Shabh não sabia que estava em companhia de oito integrantes da Mão Negra, mas sabia que qualquer um dos vampiros que ali se encontravam seriam capazes de acabar com sua não-vida a qualquer momento. Ahmed era um ancião conhecido em Dubai e obviamente o líder daquele grupo. Ouvir da morte de sua “cria” não provocou nenhuma reação ou emoção aparente por parte dele.

Shabh jamais saberia o quão perto da morte esteve naquele avião. A maioria dos vampiros ali presentes preferiam mata-lo, mas quem realmente tinha o poder de decisão vetou tal opção pelo motivo que fosse. Talvez por ter visto em Shabh resquícios de Láylah, talvez por ter visto no vampiro mascarado algum potencial, pode ter sido por ver nele uma nova peça de xadrez a ser usada, ou quem sabe por mero capricho, Ahmed o manteve vivo.

Ao chegar nos Estados Unidos Shabh recebeu as seguintes ordens de Ahmed. Em primeiro lugar, ele iria para um campo de treinamento onde passaria por uma iniciação de uma sub-seita do Sabá, a Mão Negra. Em segundo lugar, ele iria passa a seguir e aprender o que pudesse com Abdul Hafiz, um shakari que havia se voluntariado para ficar para trás e se tornar seu novo mentor. Ele guiaria Shabh nos caminhos da Mão Negra. Após avisar que estaria olhando o progresso que ele faria, mas que não mais agiria em prol do neófito, Ahmed foi embora com os outros sete vampiros.

Descobrir sobre a existência da Mão Negra e saber que poderia entrar para ela encheu Shabh de expectativas. Olhando para sua própria trajetória, aos poucos uma crença de que era necessário se tornar mais forte, e que não apenas isso, mas que de fato ele estava destinado a se tornar O mais forte tomou raiz. Não lhe escapou também o fato de que dos sobreviventes em Dubai, apenas os integrantes da Mão Negra haviam sobrevivido, e ele por golpe do destino. Enquanto isso reafirmava a importância de se tornar poderoso, também o deixava com um pé atrás para com os outros vampiros. “Será que a morte dos outros membros foi premeditada? Ou foram apenas tratados como material para serem gastos na guerra e cansar os oponentes?” Se perguntava ele, apesar de não se aprofundar muito nesses questionamentos, já que não poderia fazer nada a respeito disso com a ínfima força que possuía no momento.

Já na Cidade, Shabh e Abdul foram arranjar uma identidade falsa para o neófito como James O’Connel, cidadão originário de Nova York. Durante esse passo foi que “James” conheceu Delilah, sua primeira lacaia. Assim como os maiores acontecimentos de sua não-vida (na sua opinião), James não possuía um motivo convincente que pudesse contar para si mesmo sobre como veio a conhece-la.

Enquanto ter sido abraçado devido a um impulso de sua senhora lhe parecia uma razão demasiadamente fraca, ser iniciado na Mão Negra por ser “cria” dela, ou por ter sido o único a ter sobrevivido a batalha em Dubai além dos integrantes da Mão negra também não lhe soavam como razões boas o suficiente, nenhuma dessas situações era tão absurda quanto seu encontro com Delilah.

Quando Abdul foi ajeitar o processo de identidade falsa para eles, logo descobriram que o cara que fazia isso estava sumido. No entanto conseguiram uma indicação para uma mulher chamada Delilah que poderia fazer o mesmo por um preço um pouco mais salgado. Logo eles chegaram a casa desta, e descobriram uma bonita mulher de cabelos loiros, Hacker de primeira linha, mas com um sério problema, agorafobia (dificuldade de sair de casa).

Após resolver o problema com as identidades, Abdul pediu para que James o esperasse ali enquanto ele iria resolver algumas coisas. E não voltou por duas semanas. Semanas essas em que James e Delilah conversaram, interagiram (ela virou comida), e ela até mesmo virou um carniçal tendo bebido o sangue de James por quatro vezes criando um laço de sangue com ele (duas se isso não for possível). Com ela o vampiro aprendeu um pouco sobre tecnologia e conseguiu um celular, assim como usar um computador.

Uma vez que Abdul retornou, ele percebeu o que se passava, mas apesar de bufar desdenhosamente, não disse nada sobre o assunto. Assim após James avisar a Delilah que iria para um local ser treinado e não sabia quando poderia retornar, eles foram se apresentar ao Comando de Sentinela\Vigia local e passar pela iniciação, fazendo assim o segundo passo. O terceiro foi se dirigir ao campo de treinamento.

A primeira coisa que aprendeu lá é que uma vez que se formasse seria um novato, em seguida podendo se especializar entre as categorias de Emissário, Removedor e Sharik. Mentalmente Shabh riscou Emissário da lista, ele sabia de seus pontos fortes e fracos. Abdul tambem se integraria na Torre local, tornando-se uma espécie de guia (mentor) para Shabh.

Para Shabh o uso da máscara não tem a ver
com algum tipo de vergonha de seu rosto parcialmente desfigurado, mas sim como uma lembrança de Láyla, não romântica, mas sim da importância que força e poder têm. Se ela fosse forte o suficiente, não teria morrido de forma tão patética.

Após tudo que aconteceu (que ele podia lembrar), com uma mentalidade fixada em se tornar o vampiro mais forte de todos, chegando ao ponto em que ninguém pudesse ameaçar sua sobrevivência, Shabh o Fantasma, ou James o Mercenário, aos poucos formava um ideal próprio, uma crença crescente de que o universo estava conspirando para transforma-lo no ser supremo. Ele estava preparado para se dedicar ao máximo a Mão Negra como um soldado, embarcando desta forma no seu caminho de ascensão. Mas primeiro teria de sobreviver ao treinamento que viria pela frente.

7. Banco de Dados

1 – Quatro mascaras diferentes
2 – Um celular simples
3 – 4 facas de arremesso
4 – Um facão de combate (substituto de sua cimitarra, perdida em combate)
5 – Livro de Nod
6 - Roupas

Lacaio Delilah:
Nome: Delilah
Conceito: Hacker
Natureza: Celebrante \ Comportamento: Solitário\Perfeccionista
Atributos Físicos -> Força 1 + 1, Destreza 1 + 1, Vigor 1 + 1
Atributos Sociais -> Carisma 1 + 1, Manipulação 1, Aparência 1 +2
Atributos Mentais -> Percepção 1 + 2, Inteligência 1 + 3, Raciocínio 1 + 1
3. Habilidades

Talentos (Secundária 9)
- Prontidão: 2
- Esportes:
- Briga:
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação:
- Liderança:
- Manha: 2
- Lábia: 2

Perícias  (Terciária 5)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução:
- Etiqueta: 1
- Armas de Fogo: 1
- Armas Brancas: 1
- Performance:
- Segurança: 2
- Furtividade:
- Sobrevivência:

Conhecimentos (Primária 13)
- Acadêmicos: 2
- Computador: 3 +2 (4 pts defeito) = 5
- Finanças: 3
- Investigação: 3
- Direito:
- Linguística:
- Medicina: 2
- Ocultismo:
- Política:
- Ciências:  

Vantagens

Antecedentes -> Aliados 1, Contatos 1 (1 pts de defeito), Recursos 4
Virtudes -> Consciência 1+1, Autocontrole 1+3, Coragem 1+3
Humanidade -> 6
Força de Vontade -> 4
Defeito: Medo de sair de casa (-2), Tique Nervoso – Coçar o cabelo (-1 ponto), Iludido (-2 pontos)
Banco de dados: Casa, dinheiro em contas bancarias, computadores de última geração;

História:

Aos quinze anos, após um incidente que se nega a comentar, ou mesmo lembrar, Delilah adquiriu fobia a sair de sua casa. Filha de um corretor de valores, dois anos depois teve que lidar com a morte deste, que fora assassinado por um de seus clientes que o culpava pela crise financeira que enfrentava. Assim, a garota passou a possuir uma pequena fortuna para alguém de sua idade. Nunca conhecera a mãe que sumira no mundo quando Delilah ainda era uma bebê. Mas ao invés de gastar todo o dinheiro, a menina apesar de suas dificuldades e medos se demonstrou altamente inteligente se tornando uma daytrader, e apesar de não conseguir multiplicar sua fortuna, conseguiu mantê-la e aumentar aos poucos, conseguindo até mesmo se mudar para uma casa melhor (a mudança em si foi o real desafio).
Além disso a mulher conseguiu com sucesso fazer uma faculdade de Ciências da Computação a distância, se aprofundando na área de segurança digital e aos poucos indo para a própria área de segurança como um todo, e passando a prestar consultoria a distância na área, ganhando um bom salário com isso e passando a mexer com a bolsa de valores apenas como passatempo.

O que ninguém sabe é que enquanto na superfície ela é uma ótima consultora, na verdade ela própria é uma hacker melhor ainda, atuando assim em ambos os lados da lei pelo motivo mais idiota de todos, emoção. A emoção de fazer algo de errado e sair impune se tornou algo inebriante para a moça que vive trancada em sua própria casa, mas jamais aprisionada. Pela internet ela interage com o mundo salvando o dia quando se sente no clima, causando caos quando bate à vontade.

Agora com 25 anos, Delilah formou sua própria rede de contatos e aliados, tendo amigos importantes. O primeiro é Harvey, um juiz da vara criminal que conheceu na época do julgamento do assassino de seu pai, e que viria a se tornar seu amante. O relacionamento não deu certo devido a diferença de idade e ele não conseguir lidar com os vários problemas da jovem. No entanto mesmo após o termino ambos permaneceram amigos e ele tem um grande carinho por ela. O segundo é Jonathan, um delegado corrupto com quem ela dorme de tempos em tempos, e para quem ela faz alguns serviços as vezes. Relacionamento pessoal a parte, pode-se dizer que ele apenas chegou ao cargo atual devido a troca de informações e benefício mútuo realizados com ela, fora que ambos conseguiram recolher dados comprometedores de pessoas importantes, apenas como forma de se prevenirem de uma futura... complicação.
avatar
Ronan

Data de inscrição : 26/07/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Shabhr O Fantasma - Assamita Antitibu

Mensagem por Bispo Altobello em Ter Ago 08, 2017 5:14 pm

Identidade Alternativa - Você tirou o Antecedente, mas ainda restou alguns trechos como "Já na Cidade, Shabh e Abdul foram arranjar uma identidade falsa para o neófito como James O’Connel, cidadão originário de Nova York.". Considerarei que a tentativa não foi bem sucedida.

Virtudes - Você deixou de gastar um ponto em Virtude. A pontuação está certa, mas é um caminho perigoso. Aconselho a estudar bastante a Trilha que escolheu para não acabar cometendo algum pecado e degenerando. 2 pontos em uma Trilha podem ser perdidos com um único pecado.

Livro de Nod - O Livro de Nod é, dentro do cenário, um objeto quase lendário. Os maiores Nodistas do mundo passam sua vida buscando por pistas de fragmentos dele. Um neófito com Trilha 2 jamais o teria. No máximo você conseguiria cópias do fragmentos mais famosos e superficiais.

Lacaio Delilah - Iludido é um Defeito que só faz sentido para um Vampiro.

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Bispo Altobello
Arcebispo La Sombra de New York - Sabá

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Shabhr O Fantasma - Assamita Antitibu

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum