Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Página 6 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sex Set 15, 2017 7:58 am

Rami Malik; PdS: 05/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;


Ao ouvir sobre o relato do morcego gigante nas visões de Rami, o semblante de Krum se fechava. Seus olhos ficavam cerrados por um instante e aquilo poderia ser o sinal de más notícias.
- Esse monstro que você relatou é uma forma que apenas os Tzimisces anciões podem assumir, ou algum ancião que tenha aprendido a disciplina do clã Tzimisce, o que é muito pouco provável. Isso significa que um dos infernalistas é um ancião Tzmisce que vendeu sua honra para o diabo. Somente um sangue próximo de Cain pode assumir esta forma. Isso é muito perigoso, Malik. Temos um vampiro inimigo de baixa geração na cidade e devemos tomar muito cuidado. Sinto-me muito aliviado por vocês não o terem encontrado naquele lugar.
Ele caminha para os lados pensando em algo e então complementa: - Agora isso começa fazer sentido. Um ritual desse nível realmente não poderia ser feito por um infernalista qualquer. Precisamos saber se a Xerife da cidade tem suspeitas ou pistas deste vampiro. Rami não era muito bom em comportamento, mas ele podia sentir que o Regente estava sendo sincero em suas palavras.
- O dia já está quase amanhecendo. Amanhã iremos até o Elísio. Vamos encontrar alguns Toreadores, não será difícil encontrar um desenhista entre eles. Faça seu relato e teremos o retrato-falado de cada um deles. Em seguida solicitamos um encontro com a Xerife. Ela deve ter alguma coisa...

Rami rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 6 para percepção + empatia que resultou 5, 1, 10, 9, 10 - Total: 2 Sucessos
Rami rolou 1 dados de 10 lados com dificuldade 6 para re-rolar que resultou 10 - Total: 1 Sucessos
Rami rolou 1 dados de 10 lados com dificuldade 6 para re-rolar que resultou 5 - Total: 0 Sucessos



_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por @nDRoid[94] em Sex Set 15, 2017 8:24 am

Rami concorda com a cabeça e, não tendo mais o que perguntar, apenas complementa:

'- Descansemos, então! Amanhã será um longo dia! Onde serão os meus aposentos?'
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sex Set 15, 2017 10:18 am

Henry Crow; PS: 15/15; Força de Vontade: 08/10; Vitalidade: ok


-Ótimo. Eu pretendia conversar com todos os Primógenos antes da coroação mesmo. Antes de irmos, contudo, gostaria de saber sua impressão sobre os Primógenos que ainda não conheci. Algo que eu deva saber sobre o Primógeno Toreador, Tremere e Malkaviano?

Crow e William saíam do quarto e seguiam para os andares superiores do Elisium. No caminho eles conversavam sobre a situação da cidade.
- O primógeno Toreador, Frederic Roseman, era apenas uma figura decorativa enquanto Kate estava na função de principado. Ela é a Toreador mais velha de todo Colorado, a mais poderosa e a mais influente. O clã todo a segue. Agora que ela não está mais no principado, ela retorna como a primógeno Toreador. Os Tremere chegaram agora. Por algum motivo o clã dos feiticeiros nunca tiveram interesse na cidade. No entanto, alguma coisa mudou recentemente e eles enviaram Victor Krum e alguns de seus seguidores para cá. Portanto ainda não o conheço suficiente para emitir algum juízo de valor. O primigênie Malkaviano é uma criança totalmente totalmente perturbada e imprevisível, assim como os demais do clã. Os Malkavianos como um todo se mantém afastados da política, reclusos nos hospitais e sanatórios da cidade. Marcel é uma exceção. Assim, o primigênie Malkaviano não está nem aí para quem está no principado.

-E quanto aos Gangrel? Temos Forasteiros que não abandonaram a seita na Torre de Marfim? {Em caso positivo} Há alguém com maior proeminência entre eles?
- Vezes ou outra surge algum. Eles ficam por algum tempo mas logo vão embora, nunca ficando muito tempo ou estabelecendo residência. Até onde me lembro há dois que se apresentaram à Kate e devem estar em algum zoológico sujo da cidade, vivendo entre os animais. Nada que mereça atenção. Ainda há aqueles que moram nas reservas próximas e vem à cidade fazer compras esporadicamente e nunca e ignoram completamente a existência da Camarilla, vivendo como animais nômades.
Os dois vampiros chegavam ao térreo do Elisium. Agora havia uma movimentação grande de pessoas no lugar, afinal a noite estava apenas começando. Eles passam por um salão grande e movimentado, uma área comum e depois novamente entram em uma parte restrita apenas aos Membros. Subiam as escadas e estavam em um corredor que levava a uma sala lateral com uma porta de madeira que era aberta por William. Ele esperava Crow passar e fechava a porta atrás do príncipe. Era a mesma sala onde Crow havia se reunido com o clã Ventrue em ocasião pretérita. Todos estavam sentados em uma grande mesa de madeira no centro sala. A última cadeira, do outro lado da mesa, estava vazia, esperando ser ocupada pelo príncipe. Alguns vampiros ali Henry já conhecia, outros ainda não. O príncipe via Máximus, do clã Brujah, Kate do clã Toreador, Arthea do clã Ventrue, Marcus do clã Nosferatu e um garoto esquisito de 11 anos de idade vestido de preto como se estivesse de luto. Ele usava uma boina na cabeça retirada direto de uma loja dos anos 20 e tinha olheiras quase tão escuras quanto sua roupa. Seu olhar acompanhava fixamente Crow passando. William sussurrava: - Henrique Walters, primigênie Malkaviano.

Ao lado do garoto havia um homem pálido, com cabelos negros e lisos com vestes negras. William complementava: - Victor Krum, regente da capela Tremere e primigênie Tremere. Arthea olhava fixamente para William e dizia: - O senhor já pode se retirar, William Parker. Esta reunião é entre a primigênie e o principado. Se precisarmos do senhor novamente mandamos lhe chamar.
William fechava a expressão do rosto e devolvia duramente: - O quanto a senhora é mais velha do que eu, Arthea? Os 30 anos da vida mortal, que lhe conferiu esse rosto de senhora antes do abraço, no máximo isso eu diria. Nossa existência vampírica são praticamente iguais e o clã como um todo enxerga em mim o líder, não na senhora. Talvez por isso és tão amargurada com a minha presença.
Máximus se colocava de pé e já sem paciência interrompia: - Não estamos aqui para decidir quem é o primigênie Ventrue, isso é algo que deve ser resolvido entre vocês. Se isso continuar, eu estou saindo fora daqui agora!
Marcus também se colocava de pé e tentava reconduzir a reunião: - De acordo com Máximus eu estou. Aqui estamos para manifestarmos o nosso apoio ao novo príncipe, independente de nossas diferenças. Nem todos aqui são amigos, mas todos temos interesse em manter a ameaça que nos assola longe de nossos refúgios.
Arthea não gostava da presença de William, mas se mantinha silente. Máximus e Marcus se sentavam. E agora?

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sex Set 15, 2017 10:47 am

Rami Malik; PdS: 05/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;


Victor sinalizava para que Kamila mostrasse o quarto de Rami. Eles saíam da sala e caminhavam até o final do corredor voltando para o subsolo da biblioteca, mas ao invés de pegar o caminho para a garagem eles chegavam até onde o corredor fazia uma curva. Havia uma porta e atrás da porta escadas que desciam para uma espécie de porão. No pequeno porão havia algumas estantes com livros velhos, empoeirados e abandonados. Kamila caminhava até um deles e trocava três exemplares de lugar. Ao fazer isso Rami escutava um ranger de pedras e uma pequena fenda na parede se abria dando lugar a um novo espaço. Um corredor que levava o vampiro de volta no tempo, com decorações do século passado. Havia 3 portas de madeira de cada lado do corredor. Kamila abria a primeira delas do lado direito.
- Esse é seu quarto. O meu é o próximo. Qualquer coisa é só chamar! Se quiser pode dormir no meu quarto também e você pode me contar sua história antes do alvorecer.
Spoiler:
OFF: Fique a vontade caso queira desenvolver algum diálogo aqui. Caso não queira basta deixar a cena prosseguir.
...
O tempo passava. O sol nascia e Rami dormia profundamente. Uma nova noite caía e mais uma vez o neófito acordava. Ele estava sozinho no quarto, mas sabia o caminho de volta. Assim que subia para a sala onde havia se encontrado com o Regente na noite anterior ele deparava com os três neófitos e Victor Krum que dizia: - Precisamos ir ao Elisium. Tanto encontrar um Toreador para fazer o retrato e extrairmos informações da Xerife como também pelo fato de que acabamos de saber que Kate Emeri não é mais príncipe. Um novo vampiro está assumindo o principado. É importante que estejamos lá para darmos nosso apoio. Kate era osso duro de roer, mas com esse novo príncipe pode ser que consigamos estender a influência do clã Tremere.
Victor fitava Rami completando: - Talvez ele também queira ouvir de você as suas impressões do cemitério. Todos agora sabem. Dizia o regente mostrando a manchete no jornal local relatando: “Enorme Cratera Surge no Cemitério”


_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Ignus em Sab Set 16, 2017 1:51 am

Claro que quando a necessidade se apresentava Crow podia se transformar em uma máquina de combate, mas aquele não era seu campo de batalha de costume. Seu palco de guerra usual era a política e ele nutria interesse por aquele campo. Por essa razão Henry ouve atentamente as palavras de William.


- O primógeno Toreador, Frederic Roseman, era apenas uma figura decorativa enquanto Kate estava na função de principado. Ela é a Toreador mais velha de todo Colorado, a mais poderosa e a mais influente. O clã todo a segue. Agora que ela não está mais no principado, ela retorna como a primógeno Toreador.


"Parece que gostando ou não Kate continuará sendo uma força a ser considerada aqui na Torre da Marifm. Bem, a sabedoria popular manda manter os amigos próximos e os inimigos ainda mais próximos. Me pergunto em qual dessas categorias Kate estará. Em ambas talvez?"


Os Tremere chegaram agora. Por algum motivo o clã dos feiticeiros nunca tiveram interesse na cidade. No entanto, alguma coisa mudou recentemente e eles enviaram Victor Krum e alguns de seus seguidores para cá. Portanto ainda não o conheço suficiente para emitir algum juízo de valor.


"O Primógeno Nosferatu havia me dito algo semelhante quando ponderei com ele quem eu deveria procurar depois de assegurar a lealdade dele. Suponho que isso seja bom. Se ele está há pouco tempo na cidade é de se presumir que ainda esteja expandindo sua influência e, portanto, estar na boa graça do Príncipe lhe será importante.Fico feliz com isso. Os Feiticeiros tem muitos truques úteis, então seria fantástico poder contar com eles."


O primigênie Malkaviano é uma criança totalmente totalmente perturbada e imprevisível, assim como os demais do clã. Os Malkavianos como um todo se mantém afastados da política, reclusos nos hospitais e sanatórios da cidade. Marcel é uma exceção. Assim, o primigênie Malkaviano não está nem aí para quem está no principado.


"É bom ouvir isso. Malkavianos são irracionais por natureza. Eles não terem interesse na política me poupará o esforço de ter de ficar lidando com eles o tempo todo."


- Vezes ou outra surge algum. Eles ficam por algum tempo mas logo vão embora, nunca ficando muito tempo ou estabelecendo residência. Até onde me lembro há dois que se apresentaram à Kate e devem estar em algum zoológico sujo da cidade, vivendo entre os animais. Nada que mereça atenção. Ainda há aqueles que moram nas reservas próximas e vem à cidade fazer compras esporadicamente e nunca e ignoram completamente a existência da Camarilla, vivendo como animais nômades.


"Talvez no futuro eu possa tentar atrair alguns Forasteiros para cá. Se eu pudesse abrir um um diálogo com eles poderia até mesmo  fazer com que eles voltem à seita um dia. ganharíamos muito em força."

*****


Henry se preparava para cumprimentar a todos quando dois dos integrantes de seu clã começam a trocar farpas. Embora a rigor ele tenha achado a sacada de William diferenciando ser antigo de parecer velho engraçada Crow não pode deixar de se ressentir por aquele papelão.

"Francamente, que espécie de comportamento é esse que William e Arthea se permitem? Os Ventrue não deveriam dar uma demonstração patética de deselegância como essa. Muito mesmo entre nós. Qualquer rixa interna deve ser resolvida internamente, não perante os outros clãs, sujando nossa reputação e fazendo com que a divisão seja notada pelos de fora."

Não obstante já seja a segunda vez que ele vê William se permitindo entrar em uma discussão em público Crow continua querendo mantê-lo como aliado.

"Eu poderia pedir a William que saísse, mas isso poderia estremecer nossa relação. Por outro lado, se eu desmerecer Arthea enquanto ela ainda é a representante Ventrue da primigêniie eu posso acabar por ofender os demais. Creio que o melhor seja honrar William sem desautorizar Arthea."

-Primógeno Arthea, agradeço por sua cautela em relação a quem tem acesso a nossas discussões reservadas. Compartimentalizar informação é essencial e a Sra. tem razão ao observar que apenas o Príncipe e a Primigênie devem ter voz nessa reunião. O Sr. William, contudo, tem me assessorado diretamente nos aspectos práticos da transição e em razão disso permanecerá como um ouvinte a meu convite.

Henry senta-se então no local reservado a ele, mantendo as costas bem eretas enquanto se dirige aos demais de seu lugar na cabeceira da mesa. Ele pretendia prosseguir como se aquela pequena confusão sequer tivesse ocorrido. Era algo por demais trivial para que um Príncipe aparentasse se preocupar com o assunto.

-O Primogeno Marcus fala a verdade ao dizer que nem todos aqui são amigos. - Henry olha para todos os primógenos um a um, dedicando meio segundo a mais para Kate enquanto reflete sobre o que ela está pensando dele no momento -Tenho ciência que existe rivalidade entre alguns dos Srs. e eu próprio não havia sequer tido ainda a oportunidade de conhecer todos os presentes, quanto mais de estabelecer laços de amizade sólidos. Mas não é amizade que irá fazer com que trabalhemos juntos, é nosso interesse em nossa autopreservação.

Crow permite que suas palavras sejam absorvidas por alguns segundos.

-Nossos inimigos externos são numerosos e perigosos. Os Lupinos já nos atacaram diretamente no passado recente. A cidade está cheia de caçadores de bruxas atraídos pelas infrações à Máscara. Mesmo entre os cainitas, existem anarquistas na cidade e o Sabá ronda nossos domínios como um abutre aguardando por um momento de fraqueza. Nenhum de nós isoladamente pode fazer frente a essas ameaças todas. Isso significa que ou cooperamos e prosperamos ou desperdiçamos nossos recursos em sabotagens recíprocas condenando ao fim nossas existências quando o perigo verdadeiro chegar. E eu lhes asseguro, ele chegará.

Pausa

-Isso me leva ao que realmente interessa: eu posso contar com a colaboração dos Srs. junto a seus respectivos clãs para manter a Torre de Marfim unida em prol de nossa sobrevivência?

{Caso role algum teste, favor não esquecer a qualidade voz encantadora}
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Han em Sab Set 16, 2017 9:50 am

Um dia se passa, e acordo no refúgio de Larassa. Estou sozinho naquela casa estranha, nem mesmo o grande cão se faz presente. Saio de meu leito e caminho até uma janela qualquer que dê a visão da rua. Enquanto isso busco na internet o serviço de táxi e chamo um. Quero chegar em Castle Rock o quanto antes. Na espera do táxi, ligo para Ofélia, para já marcar um ponto de encontro e adiantar minha noite. O endereço que ela me passar eu passarei para o taxista...



Preciso conseguir um lacaio, mas não um qualquer, quero alguém competente. As vagas estão abertas, e eu começarei a analisar o rebanho na busca de um gado que se destaque dos demais. Também não precisa ser inteligente, basta obedecer minhas ordens com eficiência...



A fome começa a me incomodar, a besta anseia por sangue. Mas nada que me tire o controle, ainda. Quem sabe tenho mais sorte com esse taxista, e ele saiba apreciar a nicotina tanto quanto eu? De qualquer maneira, não quero arrumar outro problema como o anterior...
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por @nDRoid[94] em Dom Set 17, 2017 7:31 am

Rami acompanha Kamilla até as partes mais reservadas do reduto Tremere. Ela o convida a contar sua história, mas o tecnocrata era reservado demais para dividir um aposento com outro cainita durante o nascer do sol. Ele dispensa o convite, oferecendo outra hora para contar algumas coisas. Ele adentra sua cela, larga a mochila ao lado da cama e se deita. Era um local simples e logo o acólito pega no sono.

No outro dia ele segue até a área comum, com as mesmas roupas. Não tinha mais mudas para trocar. Ele andava meio sonolento ainda quando encontro o grupo de feiticeiros. O Regente lhe passa as informações, mas adiciona algumas novidades. Rami fala:


'- É um ótimo momento para me apresentar também. O senhor pode me emprestar o jornal? Lerei no caminho.'

Ele segue o caminho lendo a notícia. Seria terrível se os mortais descobrissem o que há abaixo dos escombros.
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Ter Set 19, 2017 12:27 pm

Henry Crow; PS: 15/15; Força de Vontade: 08/10; Vitalidade: ok


-Primógeno Arthea, agradeço por sua cautela em relação a quem tem acesso a nossas discussões reservadas. Compartimentalizar informação é essencial e a Sra. tem razão ao observar que apenas o Príncipe e a Primigênie devem ter voz nessa reunião. O Sr. William, contudo, tem me assessorado diretamente nos aspectos práticos da transição e em razão disso permanecerá como um ouvinte a meu convite.
Arthea não gostava da presença de William e parecia se sentir ameaçada da proximidade dele com o novo Príncipe. William, por sua vez,e também não suportava ouvir de Arthea o que ele deveria ou não fazer. No entanto os dois pareciam perceber que tinham perdido o controle de suas ações e pareciam se acalmar.
-O Primogeno Marcus fala a verdade ao dizer que nem todos aqui são amigos. - Henry olha para todos os primógenos um a um, dedicando meio segundo a mais para Kate enquanto reflete sobre o que ela está pensando dele no momento -Tenho ciência que existe rivalidade entre alguns dos Srs. e eu próprio não havia sequer tido ainda a oportunidade de conhecer todos os presentes, quanto mais de estabelecer laços de amizade sólidos. Mas não é amizade que irá fazer com que trabalhemos juntos, é nosso interesse em nossa autopreservação.
Kate olhava para Henry com um ar de naturalidade. O Ventrue até desejava saber o que ela pensava dele, mas certamente aquilo ficaria apenas na imaginação do sangue-azul.

-Nossos inimigos externos são numerosos e perigosos. Os Lupinos já nos atacaram diretamente no passado recente. A cidade está cheia de caçadores de bruxas atraídos pelas infrações à Máscara. Mesmo entre os cainitas, existem anarquistas na cidade e o Sabá ronda nossos domínios como um abutre aguardando por um momento de fraqueza. Nenhum de nós isoladamente pode fazer frente a essas ameaças todas. Isso significa que ou cooperamos e prosperamos ou desperdiçamos nossos recursos em sabotagens recíprocas condenando ao fim nossas existências quando o perigo verdadeiro chegar. E eu lhes asseguro, ele chegará.
-Isso me leva ao que realmente interessa: eu posso contar com a colaboração dos Srs. junto a seus respectivos clãs para manter a Torre de Marfim unida em prol de nossa sobrevivência?

A primigênie se entreolhava e um silêncio permanecia no ar. Marcus, o primigênie Nosferatu, Máximus do clã Brujah e Arthea do clã Ventrue declaravam seu apoio ao principado. Embora, em relação ao clã Ventrue, Crow sabia que não haveria outra postura. Quanto aos Brujah e Nosferatu, Henry já havia recebido a declaração pretérita de cada primigênie de que ele teria o apoio de seus clãs.
- O clã Nosferatu está de acordo.
- O clã Brujah apoiará suas decisões.
- O clã Ventrue o segue.

Se algum clã deixaria de apoiar Henry, com certeza seria entre os três remanescentes que não houvera um diálogo antes daquela reunião. Os primigênies Tremere, Malkaviano e Toreador se entreolhavam. Suas decisões facilitariam ou dificultariam a vida do novo príncipe na cidade.
- Eu não sei quem é esse estranho, nunca o vi. Como saber se podemos confiar em um forasteiro, que não conhece nossa história e não sabe o que passamos? Só porque ele matou um Garou? A voz da criança era um tanto aguda e amena. O malkaviano falava com serenidade e não havia nenhuma emoção em suas palavras, nem antipatia nem simpatia, nem raiva nem paixão. – Agora que tudo foi esclarecido, sabemos que não foi incompetência de Kate e sim uma conspiração vergonhosa de um membro justamente do mesmo clã deste forasteiro. Qualquer um que estivesse no lugar de Kate teria sofrido o mesmo destino. A ambição dos Ventrues é algo sem limites, eles nunca estão satisfeitos com o que tem. Sempre querem mais... concluía a criança.

O primigênie Tremere fitava o malkaviano como também Henry Crow sem nada dizer. Aparentemente as palavras daquele pirralho fizera o feiticeiro refletir antes de dar sua opinião.
Kate olhava para o malkaviano, depois para Victor Krum, o feiticeiro e seus olhos por fim paravam sobre Henry Crow com um singelo sorriso em seus lábios rosados. Não havia como ignorar a presença de Kate. Sua beleza atraía olhares o tempo todo e vez ou outra até mesmo Crow quando dava por si já estava há algum tempo admirando aquela bela figura. Quando ela começou a falar inevitavelmente toda a atenção daquela sala era para si. Agora de frente para William, Crow podia ver os olhos do ex-senescal mergulhados na admiração pela Toreador, como se estivesse enfeitiçado ou apaixonado.

- Ele está certo! Sua voz era suave e amena. E mesmo aqueles que pudessem ter um ponto de vista diferente sentiam um desejo inexplicável de concordar com as palavras de Kate, independente do que ela dizia. – Este homem, Henry Crow é um forasteiro que não conhece a nossa história, não sabe o que passamos e o que lutamos para manter a Torre de Marfim. Ele não estava aqui quando em um passado não muito distante os lobisomens destruíram Membros que eram nossos amigos, amigos esses que lutaram ao nosso lado contra pretéritas invasões do Sabá e que tanto contribuíram para manter nossa cidade um lugar seguro para que pudéssemos chamar de refúgio, lar... como cada um dos senhores preferirem.
Toda primigênie tinha sua atenção voltada para Kate. Até mesmo Máximus, Marcus e Arthea pareciam ter esquecido que Crow estava sentado ali, ao lado deles, até que a Toreador o mencionasse em sua fala.
- Então este homem, Henry Crow, vem de uma cidade distante em nosso momento de fraqueza, em um período em que a Camarilla do Colorado sangrou por um ferimento provocado justamente por um de nós, por um vampiro pertencente ao clã que mais deveria proteger as Tradições, mas ao invés disso nos apunhalou pelas costas e nos revelou para os olhos mortais, para os caçadores de bruxas, mostrou nossas fraquezas ao sabá e para todos os nossos inimigos...
Kate levantava enquanto discursava e os olhos de toda a primigênie a acompanhavam e aqueles vampiros pareciam concordar com ela em cada palavra. De alguma forma Henry sentira que ela conseguira tomar as rédeas da reunião para si, com apenas algumas palavras, sem nem mesmo apelar para os dons de Cain.
-... e é por isso senhores... Então Kate fitava Crow. Ela estava séria e seus olhos determinados a buscar algo, a alcançar um objetivo a custo de qualquer coisa. Um pequeno sorriso, o mesmo de antes surgia novamente em seus lábios enquanto ela concluía. – é por isso que devemos, assim como Crow disse, em prol de nossa sobrevivência nos unirmos e apoiarmos as decisões do novo príncipe! Ela então dirigia-se para a criança malkaviana, ficando mais próxima e pousando sua mão esquerda no ombro direito dela: - Henry Crow é sim um estranho, contudo ele fez mais por nós do que muitos Membros da Camarilla daqui já fizeram e eu tenho certeza que ele continuará trabalhando em prol da seita, colocando os interesses de todos nós acima dos próprios interesses! É por isso que o clã Toreador escolhe apoiar Henry Crow!
Kate voltava ao seu lugar e se sentava enquanto rapidamente os primigênies Tremere e Malkaviano se manifestavam:
- Kate está certa... O clã Malkaviano apoiará Crow!
- A Capela Tremere está à sua disposição, príncipe Crow. O reconhecemos como legítimo ancião de Glover e iremos contribuir no que for preciso para os interesses da Torre de Marfim!
Agora Crow tinha o apoio de toda a primigênie para fazer com que suas palavras fossem leis.

Spoiler:
Henry crow rolou 8 dados de 10 lados com dificuldade 8 para manipulação + liderança que resultou 10, 1, 9, 9, 1, 3, 4, 3 - Total: 1 Sucessos
Total: 2 sucessos ( +1 sucesso interpretação)
Dificuldade: 10 (carisma + empatia - o maior nível entre os alvos). Voz encantadora – 2.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Qua Set 20, 2017 1:09 pm

Ivan Markov; PS: 05/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok
Dados: - 1 (defeito vício em nicotina)



Ivan Markov começava a dar andamento em seus planos. Ele iria se juntar a um novo bando em alguns instantes. Primeiro ele chamava um táxi por um aplicativo de celular* e em seguida, enquanto o seu novo motorista chegava ele fazia uma ligação para Ofélia pelo número dado pelo Arcebispo Larassa. O telefone chamava três vezes e então Ofélia atendia. Após Ivan se identificar e informar quem tinha passado o número da Ductus, e ela se certificando que não era nenhuma trapaça, O lassombra recebia o endereço para onde deveria prosseguir.
- ...É uma igreja branca, na Gilbert St, com a Fifith St, Castle Rock. Informava a Ductis Ofélia.
Após 10 minutos o táxi chegava. Enquanto isso o cainita pensava na possibilidade de tentar conseguir um lacaio. Finalmente no carro o vampiro tinha uma surpresa agradável. Antes mesmo de entrar ele via o motorista fumando. Este, assim que percebia que o cliente estava chegando tentava apagar o cigarro, com medo de que Ivan fosse reclamar. Assim que pegava a informação do endereço o motorista acelerava para o destino e informava:
- Castle Rock? É um pouco longe daqui, teremos que atravessar a capital. Vai demorar um pouco e não vai ficar barato.

Ivan markov rolou 1 dados de 10 lados com dificuldade 8 para fumante que resultou 10 - Total: 1 Sucessos

* Computador nível 2 - desnecessário rolagem para consulta em app de táxi.
** população fumante nos EUA: 17% (arredondando para 20%): dificuldade 8.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Qua Set 20, 2017 1:33 pm

Rami Malik; PdS: 04/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;


Rami apanhava o jornal para ler enquanto se deslocavam para o Elísio. Não só o Regente, mas todos os outros três neófitos também. Eles saíam em uma única van com espaço para todos. Um motorista particular dirigia, talvez algum Lacaio de Victor. A fome começava a incomodar Rami atrapalhando ele ler a informação do jornal.

Quinze minutos depois e Rami já estava entrando na garagem privativa do Elisium. O lugar na verdade era o Teatro Glover, bastante famoso e frequentado pelos moradores da cidade. A segurança parecia especialmente reforçada naquela noite, uma peça estava em andamento. Mas Rami sabia que não era só aquilo. Carros faziam fila para entrar e um a um eram checados e liberados.



Alguns minutos depois a van era estacionada e a comitiva dos feiticeiros subia pelas escadas do estacionamento que dava acesso ao hall principal do elísio, onde os membros costumavam interagir. Rami podia ver a movimentação no lugar, havia algumas dezenas de vampiros. Provavelmente todos haviam se juntado para dar as boas vindas ao novo príncipe. Um pequeno conjunto musical, provavelmente composto por neófitos ou carniçais do clã Toreador tocavam belas canções e havia rodinhas de pessoas conversando em vários pontos do salão.
Um homem se aproximava e fazia um convite para Victor:
- Senhor, a reunião da primigênie vai começar em 5minutos. Siga-me por favor. Dizia o sujeito que mostrava o caminho ao Regente. Este, antes de se retirar comentava com os neófitos em um tom de brincadeira:
- Tentem não colocar fogo em tudo! Após isto, Victor se retirava.
- O que está afim de fazer? Indagava Kamila a Rami.



_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Qua Set 20, 2017 1:39 pm

GLOVER NEWS

Sua dose diária de informação



CRATERA NO CEMITÉRIO DE GLOVER REVELA CRIPTA SUBTERRÂNEA


Uma cratera aberta no cemitério de Glover nesta manhã revelou um achado histórico. Tudo indica que uma cripta em pedra existia alguns metros abaixo dos túmulos. A polícia isolou o local e arqueólogos e historiadores investigam a região. Segundo informações dos cientistas, a idade da construção só poderá ser afirmada após análise das amostras de carbono encontrados nos vestígios e nos objetos. Ninguém sabe dizer ainda o que abriu o grande buraco. O que se sabe até o momento é que em uma parte funcionava uma enorme câmara e que a estrutura do lugar cedeu fazendo com que o teto desabasse e, com isso, o chão e os túmulos que estavam logo acima, no cemitério.



A Comunidade das Igrejas Católica e Protestantes de Glover emitiram um comunicado pedindo para que o lugar seja demolido de vez, enterrado e esquecido, já que marcas de pentagrama foram encontradas no local. Segundo os religiosos a cripta pode ter sido construída recentemente e era usada em cultos diabolistas e sacrifícios humanos. A polícia disse que está investigando e se realmente for constatado esta versão, os culpados serão presos.


_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Han em Qua Set 20, 2017 2:19 pm

- Castle Rock? É um pouco longe daqui, teremos que atravessar a capital. Vai demorar um pouco e não vai ficar barato.

- Sem problemas, tenho a noite toda.

Por sorte acerto um taxista fumante, não vejo a hora de saciar minha fome. Mas isso deve ser feito com calma. Me sento ao lado do motorista é não no banco de trás igual da última vez...

[ Off: caso a viajem siga tranquila... ]

- motorista, caso o endereço solicitado seja movimentado preciso que pare um pouco antes para eu fazer uma ligação, e depois continuamos, tudo bem pra você?

Claro que não havia ligação alguma, era apenas minha besta querendo se saciar com a vitae temperada com nicotina daquele homem.

[Off: caso ele resista re-farei o pedido usando dominação 2]

Após estacionar o veículo, finjo procurar meu telefone e não o encontrar. Cordialmente capturo o olhar do taxista.

- por favor! Me empreste o seu telefone. (Dominação 2)

Quando o homem estender sua mão, a seguro com minha força para cravar minhas presas em seu pulso. Mas antes de proferir a mordida, manípulo as sombras para torná-la tangível e a projeto em sua face abafando qualquer som que o taxista poderia emitir. Feito isso, cravo minhas presas e sugo uma parcela do sangue daquele homem. Mas logo o pavor e dor que ele poderia vir a sentir, será substituído por uma sensação de prazer. Tento não mata-lo, não que eu me importe, mas não quero outro taxista morto para me livrar. Pura praticidade. Após me saciar, me limpo e cicatrizo a ferida que causei...

[ Off: preciso saber a situação do motorista para continuar...]
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Ignus em Qua Set 20, 2017 6:29 pm

A primigênie se entreolhava e um silêncio permanecia no ar. Marcus, o primigênie Nosferatu, Máximus do clã Brujah e Arthea do clã Ventrue declaravam seu apoio ao principado. Embora, em relação ao clã Ventrue, Crow sabia que não haveria outra postura. Quanto aos Brujah e Nosferatu, Henry já havia recebido a declaração pretérita de cada primigênie de que ele teria o apoio de seus clãs.
- O clã Nosferatu está de acordo.
- O clã Brujah apoiará suas decisões.
- O clã Ventrue o segue.


"Até aqui, tudo dentro do esperado. Agora é a hora em que a dificuldade pode se apresentar."


Se algum clã deixaria de apoiar Henry, com certeza seria entre os três remanescentes que não houvera um diálogo antes daquela reunião. Os primigênies Tremere, Malkaviano e Toreador se entreolhavam. Suas decisões facilitariam ou dificultariam a vida do novo príncipe na cidade.
- Eu não sei quem é esse estranho, nunca o vi. Como saber se podemos confiar em um forasteiro, que não conhece nossa história e não sabe o que passamos? Só porque ele matou um Garou? A voz da criança era um tanto aguda e amena. O malkaviano falava com serenidade e não havia nenhuma emoção em suas palavras, nem antipatia nem simpatia, nem raiva nem paixão.


Henry se surpreende um pouco com a observação perfeitamente lógica do Malkaviano. Henry não esperava tanta objetividade de alguém do clã dos insanos. Ele sente vontade de respondê-lo, mas opta por ouvir tudo que ele tem a dizer primeiro.


– Agora que tudo foi esclarecido, sabemos que não foi incompetência de Kate e sim uma conspiração vergonhosa de um membro justamente do mesmo clã deste forasteiro. Qualquer um que estivesse no lugar de Kate teria sofrido o mesmo destino. A ambição dos Ventrues é algo sem limites, eles nunca estão satisfeitos com o que tem. Sempre querem mais... concluía a criança.


"É difícil refutar alguém que está falando a verdade. Ao que parece não irei conseguir o apoio dos Lunáticos. Pior, isso pode estimular os Tremere e os Toreador contra mim."


O primigênie Tremere fitava o malkaviano como também Henry Crow sem nada dizer. Aparentemente as palavras daquele pirralho fizera o feiticeiro refletir antes de dar sua opinião.


"Maldição. O Tremere parece ter ficado abalado com a fala do Lunático. Eu deveria ter me reunido com ele reservadamente antes. Foi muito arriscado encontrar a Primigênie inteira sem ter costurado acordo com todos individualmente. Bem, se tudo der errado com os demais ainda devo ter estabilidade suficiente com o núcleo duro Ventrue-Brujah-Nosferatu, mas sem dúvida terei menos poder e muito mais dificuldade em governar."


Kate olhava para o malkaviano, depois para Victor Krum, o feiticeiro e seus olhos por fim paravam sobre Henry Crow com um singelo sorriso em seus lábios rosados. Não havia como ignorar a presença de Kate. Sua beleza atraía olhares o tempo todo e vez ou outra até mesmo Crow quando dava por si já estava há algum tempo admirando aquela bela figura. Quando ela começou a falar inevitavelmente toda a atenção daquela sala era para si. Agora de frente para William, Crow podia ver os olhos do ex-senescal mergulhados na admiração pela Toreador, como se estivesse enfeitiçado ou apaixonado.


A beleza de Kate era algo arrebatador. Mesmo alguém como Henry não podia deixar de se perder um pouco ao olhar para ela. Se ela fosse mortal provavelmente teria um sangue incomparavelmente doce. Era uma verdadeira pena que sendo ela cainita Crow não poderia desfrutar dessa iguaria sem sucumbir ao laço de sangue.


- Ele está certo! Sua voz era suave e amena. E mesmo aqueles que pudessem ter um ponto de vista diferente sentiam um desejo inexplicável de concordar com as palavras de Kate, independente do que ela dizia. – Este homem, Henry Crow é um forasteiro que não conhece a nossa história, não sabe o que passamos e o que lutamos para manter a Torre de Marfim. Ele não estava aqui quando em um passado não muito distante os lobisomens destruíram Membros que eram nossos amigos, amigos esses que lutaram ao nosso lado contra pretéritas invasões do Sabá e que tanto contribuíram para manter nossa cidade um lugar seguro para que pudéssemos chamar de refúgio, lar... como cada um dos senhores preferirem.


"Então esse será seu jogo? Oposição aberta contra meu reinado. Bem, isso ao menos responde a questão sobre qual seria o posicionamento da antiga Príncipe. Suponho que terei de tirar dos Toreador quase todos os pontos de influência como retaliação. Por outro lado talvez eu deva estudar conceder domínios para outro Toreador. "


Toda primigênie tinha sua atenção voltada para Kate. Até mesmo Máximus, Marcus e Arthea pareciam ter esquecido que Crow estava sentado ali, ao lado deles, até que a Toreador o mencionasse em sua fala.
- Então este homem, Henry Crow, vem de uma cidade distante em nosso momento de fraqueza, em um período em que a Camarilla do Colorado sangrou por um ferimento provocado justamente por um de nós, por um vampiro pertencente ao clã que mais deveria proteger as Tradições, mas ao invés disso nos apunhalou pelas costas e nos revelou para os olhos mortais, para os caçadores de bruxas, mostrou nossas fraquezas ao sabá e para todos os nossos inimigos...
Kate levantava enquanto discursava e os olhos de toda a primigênie a acompanhavam e aqueles vampiros pareciam concordar com ela em cada palavra. De alguma forma Henry sentira que ela conseguira tomar as rédeas da reunião para si, com apenas algumas palavras, sem nem mesmo apelar para os dons de Cain.


"Essa mulher é muito perigosa. Não posso ter uma opositora como ela na Primigênie. Estou certo que deve haver algum Degenerado que queira ser Primogeno no lugar dela. Aquela hárpia talvez? Posso começar convidando-a para o cargo de Zeladora e a partir daí ver como a conduzo..."


-... e é por isso senhores... Então Kate fitava Crow. Ela estava séria e seus olhos determinados a buscar algo, a alcançar um objetivo a custo de qualquer coisa. Um pequeno sorriso, o mesmo de antes surgia novamente em seus lábios enquanto ela concluía. – é por isso que devemos, assim como Crow disse, em prol de nossa sobrevivência nos unirmos e apoiarmos as decisões do novo príncipe!


Henry se esforça para não demonstrar a surpresa que sentia. Então o começo daquele discurso era apenas um prelúdio feito para esconder até o momento derradeiro a verdadeira intenção de Kate. Era uma boa estratégia retórica. Ele próprio já fizera parecido no passado. O surpreendente para Crow era estar do outro lado, sendo aquele que não percebeu para onde seu interlocutor pretendia chegar.

"Isso muda tudo de figura. Suponho que William tenha colaborado para que ela chegasse a essa posição. O que me faz pensar: o que Kate verdadeiramente deseja? Será que ela se cansou do peso da Coroa e prefere se manter apenas como Primogeno? Ou será que ela pretende me apoiar ostensivamente e me sabotar pelas costas? Bem, seja como for agora eu terei de não mais tirar muito dela ou dos Toreadores. Um Príncipe não pode ser mesquinho com quem lhe apoia."


Ela então dirigia-se para a criança malkaviana, ficando mais próxima e pousando sua mão esquerda no ombro direito dela: - Henry Crow é sim um estranho, contudo ele fez mais por nós do que muitos Membros da Camarilla daqui já fizeram e eu tenho certeza que ele continuará trabalhando em prol da seita, colocando os interesses de todos nós acima dos próprios interesses! É por isso que o clã Toreador escolhe apoiar Henry Crow!


"Eu próprio não teria feito uma melhor defesa de mim. Seja um jogo de cena ou não Kate deve ser o fiel da balança para que o garoto me aceite como Príncipe. Quer dizer, 'garoto'. Sem dúvida ele tem  muitos anos de existência já que é o Primógeno. às vezes é difícil não se deixar levar pela aparência."


Kate voltava ao seu lugar e se sentava enquanto rapidamente os primigênies Tremere e Malkaviano se manifestavam:
- Kate está certa... O clã Malkaviano apoiará Crow!
- A Capela Tremere está à sua disposição, príncipe Crow. O reconhecemos como legítimo ancião de Glover e iremos contribuir no que for preciso para os interesses da Torre de Marfim!
Agora Crow tinha o apoio de toda a primigênie para fazer com que suas palavras fossem leis.


Aquele era um começo muito promissor de reinado. Com o apoio formal de toda a primigênie tudo seria mais fácil.

-Os Senhores em muito me honram com seu apoio. Eu lhes asseguro que colocarei os interesses da Camarila acima dos meus pessoais ou de qualquer dos clãs individualmente considerado, inclusive o Ventrue, e que não serei arbitrário ao governar. A Coroa irá fazer intervenções em seus domínios apenas quando imprescindível e as convocações que fizer sempre terão por objetivo nosso bem coletivo.

Henry passa os olhos pela mesa, era hora de agradar seu núcleo duro de aliados.

-Nenhum Príncipe pode lidar com as responsabilidades da administração sozinho e a mim parece politicamente insustentável que neste momento que o clã Ventrue detenha os cargos de Príncipe e de Senescal quando, como bem pontuou o Primógeno Roseman, um dos nossos foi responsável pelas recentes infrações. Primógeno Máximus, gostaria de contar com sua colaboração como Senescal em minha administração. O Sr. aceita?

{Presumindo que ele aceite, como havia sido combinado, prossigo}

-Os esgotos são confirmados como domínio incontestável dos Nosferatu. Nenhum Membro deve entrar nesses domínios sem convite e aqueles que o fizerem poderão ser exterminados no ato pelos Nosferatu. Primógeno Marcus, peço que o Sr. faça seus pares saberem que essa prerrogativa deve ser exercida com a devida seriedade. Ela está sendo concedida para a preservação do sigilo e da segurança de seu nobre clã. Indivíduos que abusarem dela serão severamente punidos.

-A forma como a mídia noticiou as infrações à Máscara evidenciam que nós não controlamos esse setor como seria de se desejar. Eu acredito que Hendric tenha tido participação na desarticulação de nosso controle sobre a área. Para solucionar o problema peço ao Sr. William que assuma o controle desse setor. O Sr. deve se certificar que não sejam publicadas notícias que atraiam atenção indesejada para nossa espécie. Os demais Membros que tiverem contatos ou recursos na área não precisam renunciar a eles, porém devem trabalhar em colaboração e sob a orientação de William nessa área.

"Com isso acho que paguei minhas dívidas com o núcleo duro. Agora preciso cuidar de aspectos mais práticos."

-A ameaça dos Lupinos é real e eu acredito que apenas um tolo deveria esperar um inimigo sobre o qual pouco sabe bater a sua porta sem se preparar para a batalha. Primógeno Krum, eu gostaria que o Sr. levantasse informações sobre sobre os lobisomens. Estou particularmente interessado em saber as fraquezas das bestas que possam ser utilizadas. Adicionalmente gostaria também de saber se há algo que possamos fazer para localizá-los com relativa precisão. Por sinal, caso tenham interesse nele, o corpo do lupino que eu trouxe para cá está à disposição de seu clã para estudos. Considere um pequeno presente meu para seu augusto clã.

-Primógeno Roseman, ao que me consta seu clã detém domínios em hospitais, então acredito que bancos de sangue lhe sejam acessíveis. Eu gostaria de pedir ao Senhor que fornecesse ao Elísio regularmente uma quantidade razoável de sangue. Quero ter reservas aqui para alimentar os Membros locais rapidamente. Caso uma emergência surja não podemos esperar que cada um de nossos soldados saia para se alimentar antes de se apresentar para o dever.

-Primógeno Kate, eu faço questão de abordar isso para que não reste qualquer dúvida. Eu não tenho intenção de prejudicá-la de qualquer modo. Em verdade eu espero que sua influência no mundo dos mortais cresça, pois assim a Camarila como um todo ficará mais forte. Não obstante, receio que irei ter de pedir um pequeno sacrifício seu em relação à polícia. Um Príncipe que não controla a polícia faltamente não será capaz de fazer seu trabalho adequadamente. Assim sendo, pretendo trocar o chefe de polícia por um carniçal de minha confiança. Note, contudo, que eu não espero que a Srta. abra mão de toda sua influência no departamento. Pelo contrário. A corporação é grande e eu ficarei mais do que feliz em repartir a influência sobre ela com a Srta.

-Falando em influência, algum dos Srs. controla o governador do Estado?


Última edição por Ignus em Qua Set 20, 2017 8:17 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por @nDRoid[94] em Qua Set 20, 2017 7:34 pm

Estava com Fome. Sentia isso durante todo o trajeto que os levava até o Elísio. Fazer aquilo era arriscado, se apresentar no Solo Sagrado sem estar devidamente alimentado poderia ser fatal. Rami, no entanto, não tinha muitas opções. As coisas pareciam movimentadas para os Membros da Torre aquela noite. O tecnocrata não sabia de nada sobre o que acontecia com a política da cidade, era um assunto que estava absolutamente aquém de seu conhecimento.

Diante disso, ele puxa Kamilla para longe dos dois outros neófitos, caminhando pelo salão. Ele observava os outros Amaldiçoados fazendo sua Danse Macabre.

'- Você podia me contar um pouco sobre a história desse Principado! Deve saber de mais coisas do que eu. Por exemplo, o que está acontecendo, porque a Príncipe foi destituída. Eu estava em uma missão imersiva, não tive tempo para pesquisar sobre a Corte.'
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sex Set 22, 2017 10:15 pm

Ivan Markov; PS: 07/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok


A viagem seguia tranquila e passado um pouco mais de uma hora Markov e o taxista estavam chegando a Castle Rock. Durante o percurso o motorista fazia algumas perguntas e contava um pouco sobre ele e sobre a cidade.
- O senhor é daqui mesmo do Colorado ou está em viagem? Trabalha em que especificamente? Noutra oportunidade ele contava.
- Eu estou tentando juntar dinheiro para a faculdade da minha filha. Ela é filha única e eu e a mãe dela nos separamos depois que eu descobri que ela era uma prostituta vagabunda. Ela se casou com um ricaço, matou ele pra ficar com o dinheiro. Mas a polícia descobriu e agora ela está presa. Minha filha ainda visita ela, mas eu não... Eu acho que cada pessoa é responsável por seu destino. Ela fez as escolhas dela, sabe? Mas agora eu tenho que dar duro pra conseguir uma grana pra menina continuar estudando. Ser pais solteiro não é fácil. Por isso faço hora extra à noite, no táxi. Ah! Chegamos! Aqui estamos, em Castle Rock!

Entrada da cidade:

A entrada da cidade era até razoavelmente movimentada. Castle Rock tinha 56mil habitantes segundo o senso de 2016 e continua subindo vertiginosamente, talvez devido à proximidade com a capital.
Poucos minutos de deslocamento e eles logo chegavam ao destino. O motorista fazia a parada um pouco antes conforme o pedido do cliente. Sagaz, o vampiro preparava uma armadilha para o humano. Fingindo que não encontrava o telefone o Lassombra pedia o celular do motorista, que inocentemente o entregava de boa vontade:
- Pode usar, acho que ainda tem meia carga de bate... ele mal completava a frase quando Ivan cravava suas presas no braço do homem. O susto era imediato e o homem começava a gritar: - Seu desgraçado! O que pensa que está faz.... Mais uma vez ele mal completava a frase, mas dessa vez por um motivo um pouco pior. Ivan havia invocado seu poder da Tenebrosidade, o legado do clã dos Lassombra para tampar a boca da sua comida. Logo o homem não conseguia mais gritar e aos poucos era sufocado. O sangue logo escorria pela garganta de Ivan e aquele sangue era diferente, realmente nutritivo, um sangue de um viciado em nicotina. Ivan por fim saciava um pouco de sua fome e de sua dependência.

Motorista rolou 3 dados de 10 lados com dificuldade 8 para coragem que resultou 9, 2, 9 - Total: 2 Sucessos
Motorista: Vigor -1

OFF: O beijo retira 3 pds de sangue por turno. É necessário, portanto, que você narre o que fará no próximo turno.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Han em Sab Set 23, 2017 3:32 pm

Sacio um pouco de minha sede, mas não mato o motorista. Como disse, não quero outro fardo. Após me alimentar (3 ponto sangue) e me limpar e cicatrizar a ferida no braço do taxista, eu ainda não retiro a sombra de seu rosto, apenas de suas narinas para que o mesmo não morra sufocado. Olho para os olhos dele e digo:



[Dominação 1] - Silêncio.



Só depois de me certificar que o homem não iria gritar, removo as sombras totalmente de seu rosto. Agora, tenho que limpar a lembrança dele. Com o dom da dominação, invado a mente dele como se estivesse abrindo uma caixa e removo a lembrança de ter sido alimento para mim. Quando me deparo com tal memória digo:



[Dominação 3] - Nossa viagem fora muito agradável, do começo ao fim conversamos sobre sua família. Eu mais escutei do que falei, isso fez com que você pensasse ter falado muito e aborrecido o cliente, Talvez queira se desculpar por isso. Voc~e estacionou o carro aqui por que pensou ter furado um pneu ao ter passado em um buraco na entrada da cidade, mas ao descer e verificar constatou que foi apenas uma impressão sua. Entrou no táxi se desculpou pelo importuno e neste exato momento irá dar partida no carro e acabar de me deixar no endereço combinado.



Chegando na igreja, pago o taxista com uma generosa gorjeta, agradeço e me despeço educadamente. Salto do veículo e observo o mesmo partir. Procuro algum possível recepcionista, não que o sabá seja tão caloroso. Caso não encontre, procuro uma campainha se não encontrar eu ligo novamente para Ofélia avisando que aguardava do lado de fora. 
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sab Set 23, 2017 5:46 pm

Henry Crow; PS: 15/15; Força de Vontade: 08/10; Vitalidade: ok

Henry Crow era pego de surpresa com a reação dos primógenos Malkaviano e Toreador. Contudo, inexplicavelmente a pessoa que ele menos esperava intervia a seu favor e angariava o apoio que faltava para o próprio Crow, de uma forma melhor do que o próprio Ventrue poderia fazer. De fato, se Kate escolhesse se opor, talvez o principado de Crow não duraria muito, pois o Arconte não iria interceder pelo sangue azul. Para se manter no poder, Henry teria que fazer algo por conta própria.
-Nenhum Príncipe pode lidar com as responsabilidades da administração sozinho e a mim parece politicamente insustentável que neste momento que o clã Ventrue detenha os cargos de Príncipe e de Senescal quando, como bem pontuou o Primógeno Roseman, um dos nossos foi responsável pelas recentes infrações. Primógeno Máximus, gostaria de contar com sua colaboração como Senescal em minha administração. O Sr. aceita?
Máximus olhava para Crow. Ele estava tão sério quanto naquele dia em que os dois vampiros conversavam. Parecia haver um pouco de surpresa entre a primigênie com aquela proposta.
- Este velho aceita vosso pedido.
-Os esgotos são confirmados como domínio incontestável dos Nosferatu. Nenhum Membro deve entrar nesses domínios sem convite e aqueles que o fizerem poderão ser exterminados no ato pelos Nosferatu. Primógeno Marcus, peço que o Sr. faça seus pares saberem que essa prerrogativa deve ser exercida com a devida seriedade. Ela está sendo concedida para a preservação do sigilo e da segurança de seu nobre clã. Indivíduos que abusarem dela serão severamente punidos
Se houve alguma surpresa, mesmo que pequena com Máximus como Senescal, uma surpresa um pouco maior era sentida agora. Por outro lado um sorriso triunfante surgia na hedionda face de Marcus. E um ar de desapontamento surgia no rosto de William.
- Obrigado, príncipe Crow! Pode ter certeza que o clã Nosferatu não irá abusar desta prerrogativa!
-A forma como a mídia noticiou as infrações à Máscara evidenciam que nós não controlamos esse setor como seria de se desejar. Eu acredito que Hendric tenha tido participação na desarticulação de nosso controle sobre a área. Para solucionar o problema peço ao Sr. William que assuma o controle desse setor. O Sr. deve se certificar que não sejam publicadas notícias que atraiam atenção indesejada para nossa espécie. Os demais Membros que tiverem contatos ou recursos na área não precisam renunciar a eles, porém devem trabalhar em colaboração e sob a orientação de William nessa área.
William ficava com uma cara melhor, afinal qual vampiro não gosta da ideia de se tornar mais influente? No entanto um susto surgia na face de quase toda primigênie. Por outro lado o susto era amenizado quando Crow informava que quem tivesse influência na mídia não precisaria renunciá-la, mas apenas colaborar com William.

Por fim, Crow havia quitado suas dívidas. Agora uma nova batalha começava no campo político. Ele estava determinado a ampliar suas influências, arrancando uma fatia do bolo que estava nas mãos de outros vampiros.
-A ameaça dos Lupinos é real e eu acredito que apenas um tolo deveria esperar um inimigo sobre o qual pouco sabe bater a sua porta sem se preparar para a batalha. Primógeno Krum, eu gostaria que o Sr. levantasse informações sobre sobre os lobisomens. Estou particularmente interessado em saber as fraquezas das bestas que possam ser utilizadas. Adicionalmente gostaria também de saber se há algo que possamos fazer para localizá-los com relativa precisão. Por sinal, caso tenham interesse nele, o corpo do lupino que eu trouxe para cá está à disposição de seu clã para estudos. Considere um pequeno presente meu para seu augusto clã.
Krum arregalava os olhos ao ouvir aquilo. Ele endireitava sua posição na cadeira enquanto comentava: - Não é toda capela que tem a oportunidade de estudar a anatomia de um lupino. Nosso clã agradece imensamente esse presente e esperamos poder retribuir em forma de conhecimento para toda a Camarilla do Colorado.
-Primógeno Roseman, ao que me consta seu clã detém domínios em hospitais, então acredito que bancos de sangue lhe sejam acessíveis. Eu gostaria de pedir ao Senhor que fornecesse ao Elísio regularmente uma quantidade razoável de sangue. Quero ter reservas aqui para alimentar os Membros locais rapidamente. Caso uma emergência surja não podemos esperar que cada um de nossos soldados saia para se alimentar antes de se apresentar para o dever.
A criança fazia um sinal positivo com a cabeça enquanto concordava: - É uma ação inteligente, se antecipar para isso. Em seguida ele dirigia-se à primigênie: - O repasse será maior se algum de vocês que controlar o prefeito fazer com que uma campanha de doação de sangue seja iniciada.
A primigênie concordava com o malkaviano.
-Primógeno Kate, eu faço questão de abordar isso para que não reste qualquer dúvida. Eu não tenho intenção de prejudicá-la de qualquer modo. Em verdade eu espero que sua influência no mundo dos mortais cresça, pois assim a Camarila como um todo ficará mais forte. Não obstante, receio que irei ter de pedir um pequeno sacrifício seu em relação à polícia. Um Príncipe que não controla a polícia faltamente não será capaz de fazer seu trabalho adequadamente. Assim sendo, pretendo trocar o chefe de polícia por um carniçal de minha confiança. Note, contudo, que eu não espero que a Srta. abra mão de toda sua influência no departamento. Pelo contrário. A corporação é grande e eu ficarei mais do que feliz em repartir a influência sobre ela com a Srta.
Kate ficava um pouco mais ereta em sua posição na cadeira. Crow era convincente em suas palavras e sua voz difícil de se ignorar. Ela levava algum tempo para responder, e fitando Crow ela contra-argumentava: - Não é necessário trocar o chefe de polícia. Troque o subchefe de polícia. Ninguém sabe quem ele é, não chama atenção da imprensa nem dos criminosos e ele controla a polícia tanto quanto o chefe de polícia. A única diferença é que o chefe de polícia é quem aparece nos eventos e nas solenidades da polícia.
A voz de Kate era tão encantadora quanto a de Crow. Da mesma forma que era difícil resistir aos pedidos de Henry, a sugestão de Kate era difícil de ser ignorada.
-Falando em influência, algum dos Srs. controla o governador do Estado?
O silêncio pairava sobre a mesa de reuniões e a primigênie se entreolhava. Até que finalmente, Arthea que até o momento se fazia silente, quebrava o gelo: - Ninguém aqui precisa saber sobre as influências um do outro, porém eu tenho certeza que todos aqui deve ter o telefone pessoal do Governador em suas agendas, pois que eu me lembre eu poderia citar no mínimo uns quatro de nós que já estivemos em eventos onde Schwazeneger também estava.
Dirigindo-se para Crow ela concluía: - Acredito que seu pedido chegará às mãos do Governador como prioridade, senhor Crow.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Ignus em Sab Set 23, 2017 6:16 pm

Se houve alguma surpresa, mesmo que pequena com Máximus como Senescal, uma surpresa um pouco maior era sentida agora. Por outro lado um sorriso triunfante surgia na hedionda face de Marcus. E um ar de desapontamento surgia no rosto de William.
- Obrigado, príncipe Crow! Pode ter certeza que o clã Nosferatu não irá abusar desta prerrogativa![/color]


"Por mais que eu tenha apenas cumprido o combinado, acho que o clã Nosferatu como um todo se sentirá grato por isso. Talvez a notícia sobre meu bom relacionamento com eles até se espalhe mundo afora. Provavelmente meu amigo Primógeno Nosferatu de NY poderá me dizer se isso me confirmar quando eu conversar com ele. Isso é ótimo. Enquanto eu contar com eles meu setor de inteligência será incomparável."



Krum arregalava os olhos ao ouvir aquilo. Ele endireitava sua posição na cadeira enquanto comentava: - Não é toda capela que tem a oportunidade de estudar a anatomia de um lupino. Nosso clã agradece imensamente esse presente e esperamos poder retribuir em forma de conhecimento para toda a Camarilla do Colorado.



"Ele apreciou o presente pelo visto. Isso é ótimo. Aquela carcaça não me tinha utilidade alguma, ao passo que para os Tremere pode ter valia. Uma boa maneira de começar nossa relação. Será que o clã dele se consideraria em dívida por algo assim?"



A criança fazia um sinal positivo com a cabeça enquanto concordava: - É uma ação inteligente, se antecipar para isso. Em seguida ele dirigia-se à primigênie: - O repasse será maior se algum de vocês que controlar o prefeito fazer com que uma campanha de doação de sangue seja iniciada.
A primigênie concordava com o malkaviano.



-Uma ótima ideia. Peço aos Senhores, dentro de suas esferas de influência que façam essa ideia chegar ao gabinete do prefeito. -Henry voltava-se para William -Sr. William, por favor providencie para que a mídia divulgue adequadamente essa campanha de doação oportunamente.



Kate ficava um pouco mais ereta em sua posição na cadeira. Crow era convincente em suas palavras e sua voz difícil de se ignorar. Ela levava algum tempo para responder, e fitando Crow ela contra-argumentava: - Não é necessário trocar o chefe de polícia. Troque o subchefe de polícia. Ninguém sabe quem ele é, não chama atenção da imprensa nem dos criminosos e ele controla a polícia tanto quanto o chefe de polícia. A única diferença é que o chefe de polícia é quem aparece nos eventos e nas solenidades da polícia.
A voz de Kate era tão encantadora quanto a de Crow. Da mesma forma que era difícil resistir aos pedidos de Henry, a sugestão de Kate era difícil de ser ignorada.



Fosse por uma questão de lógica, fosse porque a bela mulher carismática, Henry sente-se propenso a concordar com ela.

"Se ela fosse uma opositora eu insistiria nesse ponto. Mas ela me apoiou, então é melhor chegar a um denominador comum com ela."

-Que assim seja, então.Dentro de uma ou duas noites indicarei o nome do novo subchefe de polícia para que a Srta. providencie para que o Chefe a nomeie. Fico feliz por termos chegado a um consenso no ponto.



O silêncio pairava sobre a mesa de reuniões e a primigênie se entreolhava. Até que finalmente, Arthea que até o momento se fazia silente, quebrava o gelo: - Ninguém aqui precisa saber sobre as influências um do outro, porém eu tenho certeza que todos aqui deve ter o telefone pessoal do Governador em suas agendas, pois que eu me lembre eu poderia citar no mínimo uns quatro de nós que já estivemos em eventos onde Schwazeneger também estava.
Dirigindo-se para Crow ela concluía: - Acredito que seu pedido chegará às mãos do Governador como prioridade, senhor Crow.



"Ninguém ter expressamente reivindicado essa influência significa que eu não me vejo obrigado a chancelar esse domínio como de ninguém. Significa também que não preciso impedir para meu Senescal não cooptar o Governador para si, como havia prometido caso ele não fosse um marionete de um Ventrue ou Nosferatu."

Disfarçando que aquela não-resposta no fundo atendia a seus propósito Crow considera melhor encerrar o assunto logo.

-Fico feliz em saber que assim será. Caso algum dos Srs. tenha mais algum assunto para colocar em pauta, a hora é agora.

Se ninguém tivesse nada novo Henry pediria então o contato dos Primógenos cujo telefone ainda não tinha com o intuito de poder falar com eles com rapidez caso houvesse necessidade e passaria seu próprio número. Ele também pediria que eles providenciassem uma relação de todos os vampiros de seus clãs cujo contato tivessem com o mesmo propósito, a ser entregue para ele ou para seu carniçal Tong, que lhe repassaria a lista. A seguir ele declararia encerrada a reunião e pediria apenas para seu Senescal ficar para trás. Crow pretendia conversar reservadamente com ele para saber se seria viável atacar ainda naquela noite a célula Sabá que Máximus lhe informara existir em seu primeiro encontro.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian em Sab Set 23, 2017 6:56 pm

Rami Malik; PdS: 04/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;

Rami e Kamila saíam andando pelo salão repleto de vampiros como se eles fossem um casal de amaldiçoados laçados mutuamente pelo poder do sangue. Enquanto isso eles conversavam, e Kamila contava um pouco sobre a cidade.
'- Você podia me contar um pouco sobre a história desse Principado! Deve saber de mais coisas do que eu. Por exemplo, o que está acontecendo, porque a Príncipe foi destituída. Eu estava em uma missão imersiva, não tive tempo para pesquisar sobre a Corte.'
- Tudo ia muito bem até que de repente começaram a surgir crianças da noite recém abraçadas em estado de Frenesi. Você deve ter se lembrado como é acordar com essa fome avassaladora pela qual todos passamos após o abraço. Então... Mas alguém estava fazendo isto propositalmente e abandonando as crianças famintas em locais movimentados, quebrando a máscara propositalmente. A situação ficou crítica e um dos Justicares mandou um de seus Arcontes aqui para resolver o problema. O Arconte decidiu que faria a substituição do principado, acreditando que Kate era uma vampira fraca por deixar que isso acontecesse.
Ela fazia uma pequena pausa, observando os vampiros, inclusive alguns deles que vez ou outra fitava o casal.
- Em seguida um forasteiro chamado Henry Crow, do clã Ventrue, chegou a cidade. Não demorou e ele descobriu que tudo o que estava acontecendo era armação de um outro ancilae Ventrue chamado Hendric, que cobiçava tomar o lugar de Kate e estava usando um anarquista chamado Jack RedFlag para executar os planos do Abraço. Henry Crow acabou matando Hendric em um duelo mortal e depois foi à zona rural onde o anarquista Gangrel estava. Ele acabou encontrando com um Garou e também matou o lobisomem, trazendo o corpo estacado de Jack para o Arconte. Assim, ele caiu nas graças do Arconte e foi nomeado príncipe.
O celular de Kamila apitava interrompendo a conversa. Após ler a tela do celular ela olhava para Rami com um ar de surpresa dizendo:
- Victor Krum mandou uma mensagem dizendo que durante a reunião com Henry Crow, o príncipe cedeu o corpo do lobisomem para o clã Tremere, para que nós possamos usá-lo em experimentos. O que você acha disso?

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian Ontem à(s) 10:51 am

Ivan Markov; PS: 07/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok

Após saciar sua fome o Lassombra capturava o olhar do motorista e lhe ordenava ficar em silêncio. Aos poucos a penumbra negra da Tenebrosidade ia desaparecendo enquanto o motorista assistia àquela cena horripilante, incrédulo. Em seguida Ivan alteraria as memórias do mortal. Fazendo o uso da dominação Markov mergulhava na mente do humano. No entanto, talvez por ter aprendido aquele nível da disciplina recentemente, Markov ainda tinha uma certa dificuldade em usá-la com 100% de eficiência. Ele conseguia apagar as memórias do motorista, mas não alterá-las.
O motorista saía do transe assustado, sem saber o que tinha acontecido. - O que houve? Estou com uma tremenda dor de cabeça e não lembro de nada do que aconteceu! Enfim, não importa, parece que chegamos, não é mesmo?
Ele terminava de chegar a igreja e fazia a cobrança: - São 150 dólares!
Após pagar a corrida, o Lassombra estava de frente para a igreja, que por sinal estava lotada de fiéis. Uma missa estava em andamento. Ainda era cedo da noite e havia muitos humanos nas ruas.
igreja:


Ivan rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 5 para dominação 1 que resultou 9, 1, 2, 7, 8, 5, 4 - Total: 3 Sucessos
Ivan rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para dominação 3 que resultou 2, 7, 3, 4, 2, 9 - Total: 2 Sucessos

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian Ontem à(s) 11:08 am

GLOVER NEWS
sua dose diária de notícias

Capital do Colorado deixa de ser Glover e passa a se chamar Denver

A partir de amanhã a capital do Colorado, Glover City, passará a se chamar Denver. A decisão veio após uma pesquisa e avaliação entre políticos, empresários e historiadores. A decisão veio depois de reiterados casos de confusão com outra cidade americana, também chamada Glover, que estava gerando confusão nos negócios e até mesmo na administração pública.

O prefeito Stephen Meyers assinou o decreto na manhã de hoje e disse que quando a cidade foi fundada ela se chamava Denver, no entanto o nome tinha sido mudado em homenagem à influente família dos Glover que na época morava na região. Agora a cidade volta a ostentar seu antigo nome.


_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Rian Ontem à(s) 11:21 am

Henry Crow; PS: 15/15; Força de Vontade: 08/10; Vitalidade: ok


-Fico feliz em saber que assim será. Caso algum dos Srs. tenha mais algum assunto para colocar em pauta, a hora é agora.
Nenhum dos presentes se manifestava e logo o príncipe Crow encerrava a reunião enquanto um a um os primigênie deixavam a sala. Atendendo ao pedido de Crow, Màximus ficava para discutir acerca do Sabá. Ele parecia preocupado com alguma coisa.
- Então, o que gostaria de tratar comigo, príncipe Crow?

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Han Ontem à(s) 1:18 pm

A igreja estava cheia, o rebanho se fazia presente. Não identifico nenhuma recepção. Então pego meu telefone é ligo para Ofélia dizendo que já estou no endereço combinado.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Ignus Ontem à(s) 5:23 pm

- Então, o que gostaria de tratar comigo, príncipe Crow?


-Considerando que o Arconte me nomeou ontem, embora formalmente minha coroação apenas irá ocorrer perante todos dentro de algumas horas eu considero que hoje é o segundo dia de minha administração. Imagino que o Sr. se lembre que quando nos encontramos eu disse que pretendia desmantelar a célula Sabá que Kate permitiu que se instalasse aqui no dia seguinte àquele em que eu assumisse a Coroa. Bem, eu sou um cainita de palavra e nada vi que me persuadisse a mudar de intenção.

Henry permite que Máximus absorva suas palavras por alguns segundos.

-Vocês ainda estamos mantendo aquela célula sob observação? Se soubermos onde eles estão agora gostaria de eliminar essa ameaça ainda hoje.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por @nDRoid[94] Ontem à(s) 9:41 pm

Rami ouve a história resumida da cidade, o que lhe ajuda a entender um pouco o que estava acontecendo. A informação que vem a seguir é melhor ainda. Estudar o corpo de um lobisomem seria muito interessante, entender como ele funciona, as propriedades de seu sangue.

'- Isso é uma notícia interessante, Kamilla! Podemos descobrir muitas coisas com esse cadáver em mãos. O sangue dele deve ter muito o que nos contar... Mas, me diga uma coisa, o magus Krum por acaso lhe falou qual será o nosso posicionamento quanto a esse novo Principado? Essa história me parece muito sombria ainda.'
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - A Queda de Kate Emeri

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum