A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Arcebispo Altobello em Ter Jun 20, 2017 5:30 pm

Essa é uma aventura pronta e "Playtest" para a 5ª Edição. Significa que o sistema ainda não está completamente lapidado e pode haver muitos furos. Sempre que isso ocorrer, eu não pensarei duas vezes antes de usar a Regra de Ouro. Tenham em mente que por ser uma aventura de 5ª Edição, não usaremos o sistema que estamos acostumados no Fórum, mas um novo sistema que ainda está em desenvolvimento, mas que pode ser encontrado AQUI! Peço que leiam com atenção, pois as mudanças foram bem inovadoras. 

Essa também é a minha primeira vez narrando, então peço paciência por parte de todos. Serão 4 vagas e os jogadores escolherão entre os personagens prontos. Há uma breve descrição de cada um, mas parte de cada descrição foi ocultada para melhorar a experiência do jogo e será enviada para o respectivo jogador. Compreenda, apesar de todos estarem lutando pela sobrevivência e certamente irão cooperar durante a aventura, alguns personagens terão motivações e objetivos a longo e médio prazo contrapostos, de modo que para aumentar o fator desconfiança e insegurança (e desestimular o meta-game), decidi dar informações privilegiadas diferentes para cada jogador.

Tentarei manter uma boa frequência, postando duas vezes por semana. As fichas serão enviadas por MP ao jogador, junto com as informações adicionais sobre o respectivo personagem. Pequenas alterações na ficha serão permitidas, desde que façam sentido dentro da proposta do personagem. No mais acho que é isso. Assim que ocuparem as vagas começo a narrativa.

Vagas: (4)
- Poeta (Bruno)
- @dr0id (Nicholas)
- Christie (Amelina)
- Beaumont (Amir)

A Última Noite - Berlin By Night


A noturna Berlim tem uma história recente bastante turbulenta. Por meio século a cidade foi resumida a um conflito entre dois Príncipes - o obstinado lorde feudal Gustav Breidenstein no oriente e sua cria Wilhelm Waldburg, auto-intitulado um governante "iluminado" no ocidente. Logo após o colapso envolvendo um traiçoeiro Ancião se passando pelo próprio Caim, Gustav Breidenstein foi vítima de uma aterrorizante praga do sangue que se espalhou pela cidade. Wilhelm deixou Berlim, aparentemente incapaz de governar sem sua velha rivalidade secular com seu criador. Em seu lugar um Príncipe Malkaviano, Abraham Wolff, tomou o poder. Sob o comando de Wolff, os últimos remanescentes do Sabá deixaram Berlim. Alguns se juntaram às crescentes fileiras dos Anarquistas. Outros foram para o leste, chamados pelas cruzadas da Gehenna. Durante este tempo a Igreja de Caim se tornou popular entre os cainitas que procuram um sentido espiritual no vazio eterno sem sucumbir à Valderie e violência. O culto ganhou maior aceitação com Wolff permanecendo como um conhecido Príncipe cristão, apesar do seu curto governo. Em 2010, Waldburg retornou, declarando a Igreja e os Anarquistas "riscos à Camarilla" e excluindo-os da corte e do Elísio. Desde então, seu governo tem se tornado mais e mais similar ao de seu Sire e sobre sua má administração e uma Primigênie corrupta e dividida, a Camarilla se tornou fraca e incapaz de se manter poderosa. Enquanto as ameaças de revolução cresciam, uma tempestade ainda mais mortal fermentava. Desordem no mundo cainita significa arriscar se expor à Segunda Inquisição e a ira da sociedade mortal, ao passo que os ataques Anarquistas são considerados como ameaças terroristas pela humanidade ignorante.

A Ascensão da Anarquia


Para muitos dos vampiros de Berlim, ser um Anarquista não é uma coisa especial. Isso só significa que você não convidado para o Elísio e os vampiros da Camarilla te tratam como merda. Aceita que dói menos.

Claro, alguns entre os Anarquistas tem o que chamam de identidade Anarquista. Eles acreditam na revolução e que uma nova ordem seja possível. Mas para a maioria essas ideias parecem improváveis. A Camarilla é eterna e nunca poderá ser quebrada.

Até a noite passada. A revolução foi uma surpresa para a maioria dos Anarquistas de Berlim. Eles pensavam que teriam que viver na miséria pelas décadas vindouras, mas acabou que a Camarilla se tornou um tigre de papel.

Tema e Tom


O tema deste cenário é a queda do poder e o tom é a sobrevivência desesperada. Os personagens dos jogadores são todos (peixes pequenos, mas ainda...) parte do regime ditatorial do Príncipe Wilhelm, e como todos os servos dos tiranos em tempos de revolução, eles estão prestes a enfrentar as consequências de seus atos. Lembre-se de todos os acontecimentos da história do mundo real (alguns deles muito recentes) sobre ditadores e seus camaradas sendo caçados e linchados pelos cidadãos que foram oprimidos e você tem uma bela noção disso. Sobrevivência para os personagens dos jogadores vem com uma certa culpa e a questão é - esses personagens realmente merecem sobreviver?

A Coterie - Die Penner


"Penner - Termo no alemão coloquial para 'morador de rua'"


Vampiros são forasteiros. Sua maldição os isola. Enquanto muitos, incluindo os protagonistas da nossa história, permanecem indetectáveis no meio de grupos sociais humanos, seu relacionamento com o gado é sempre de caça e caçador. Desprezo, inveja ou até mesmo uma simpatia condescendente pelo gado transforma as conexões sociais entre os vivos e os mortos em uma máscara sem emoções realmente profundas. Cainitas sentem-se solitários entre o gado e sua família substituta de monstros logo se torna seu único refúgio da isolação. Na Camarilla, uma amada e obediente Cria ou um cônjuge mutuamente laçado por sangue são ideais. Esses são presentes concedidos aos antigos e leiais. Para aqueles que são proibidos de abraçar novos cainitas e não são confiáveis o bastante para construir laços por meio do casamento e do sangue, a Coterie é a única forma de aliviar a eterna solidão. Uma Coterie é normalmente um construção artificial que é feita de relações emocionais - cainitas forçados a caçar os mesmos objetivos, um informante pessoal do primógeno ou (como é o caso) um ancilla e seu harém-de-sangue neófito.

A rato de balada Andréa (Malkavian, 8ª geração) tem o sangue mais doce em Berlin e ele não tem medo de usar. Oficialmente Die Penner é um clube de caça, cuidando uns dos outros enquanto eles espreitam no perigoso, mas muito recompensador circuito de clubes de Berlim. Seu direito de caça é impressionante, cobrindo dezessete blocos de Friedrichshain incluindo o gentrificado clube techno Tresor, o sujo Golden Gate bem em frente ao rio Spree e o sexclub KitKat (perto ao Tresor). Dos grandes clubes em Friedrichshain, apenas Berghein é intocado pelo Penner já que é um tipo de "Elísio" Anarquizado e lar da Black Rose, a gangue Anarquista mais antiga de Berlim.

Berlim tem dois tipos de vampiros: Aqueles que importam e aqueles que não. Os Anarquistas, como a classe mais baixa de vampiros geralmente é chamada, muitas vezes são hilários em suas lutas desesperadas para encontrar significado as suas vidas absurdas e sem sentido. Na verdade, você sente que você os presenteia toda vez que você chuta a cara de um deles. No final das contas, eles recebem o dom da inspiração para darem o seu melhor.

A Camarilla de Berlim é muito maior do que apenas o seu grupo. Você conhece os Anarquistas melhor do que a maioria por que você gosta de se misturar com a escória as vezes. Você gosta de brincar: Um clássico é fazer o Anarquista acreditar que você está apaixonado por ele, e então humilhá-lo publicamente. Hilário!

Nos últimos anos, manter a Máscara tem se tornado cada vez mais difícil conforme os sistemas de vigilância mortais vem se tornado mais e mais sofisticados. Viajar pelo ar é difícil e a comunicação eletrônica é arriscada. A Camarilla tem desenvolvido uma rede de regiões autônomas, algumas mais bem sucedidas que outras. 

Berlin não tem sido uma das bem sucedidas. Os dois Príncipes, Gustav Breidenstein e Wilhelm Waldburg, gastaram seus esforços e recursos batalhando muito antes da Camarilla como um todo começar a enfraquecer. Breidenstein está, segundo os rumores, morto e Waldburg enfrenta uma fase muito difícil retendo poder, sabotado de todos os lados por supostos aliados.

Quando a revolução Anarquista vem à tona, Berlim está em choque e aterrorizada. Não é algo que deveria ter acontecido. Você era tão próximo do Príncipe Wilhelm, um dois dos Príncipes competidores de Berlim, que agora você sente dificuldades de acreditar que os "Libertos" irão poupá-lo se o encontrar.

Amelina Bentheim:
Amelina

Seu nome é Amelina Bentheim e você é uma Ancilla de 80 anos. Você ama os jovens. Um vampiro de apenas alguns poucos anos de idade tem energia, uma qualidade que você não consegue enjoar. Você quer estar em sua companhia, transar com eles e sentir o gosto do seu sangue, e você diz o que for preciso para fazer isso acontecer. Você pode ter suas opiniões e até seus valores, mas acima de tudo você tem um vício. 

A pior coisa que você já fez pra um anarquista foi quando você destruiu a cria de Nimad Zahir. Talvez ele tenha feito uma cria sem permissão, ou talvez ele tivesse a permissão de um Príncipe, mas não do outro lá nos anos 80. Qualquer que seja a situação, a cria dele foi executada como sendo ilegal. Você carrega o peso dessa investigação e dessa sentença.

Sangue: Você tem o sangue dos Reis, seu senhor é Wilhelm Waldburg - o merecedor Príncipe de Berlim.

Restrição de Alimentação Ventrue: Você só se alimentar de ciranças e adolescentes muito jovens.

Disfarce: Mel Bentheim (Assumiu a identidade de uma descendente mortal assassinada), semi-famosa e ardilosa jovem.

Nicholas Dietz:
Nicholas Dietz

Seu nome é Nicholas, um órfão e o amante de um improvável mas poderoso membro da primigênie de Berlim. Apesar de ter sido abraçado a apenas alguns anos atrás e conhecer muito pouco da sua espécie, você conseguiu transformar o seu relacionamento com o primógeno em um Status significante dentro da Camarilla. Você percorreu um longo caminho muito rápido, de uma criança de rua a um membro da elite da Camarilla, e a ideia de ter tudo isso tirado de você te apavora.

A pior coisa que você já fez para um anarquista foi quando você atacou Hanna Schlichter e a estaqueou-a em seu próprio Refúgio, ostesivamente como parte de uma investigação por uma violação das Tradições. Ela foi deixada estaqueada no porão por um ano antes de um dos carniçais do Xerife encontrá-la e chutá-la de volta para as ruas. Sem explicação, sem pedido de desculpas. Você sabe onde é o refúgio da Hanna fica (o mesmo porão em que você a deixou) e você pensa em fazer as pazes. Mas isso nunca aconteceu.

Sangue: Você tem o sangue dos Reis, você foi criado por Amelina - ela quer te transformar em amante, mas você dispensou ela.

Restrição Alimentar Ventrue: Nicholas se alimenta apenas de Veganos, e ele afirma que consegue sentir o cheiro deles (ou melhor, não-Veganos) na sala.

Disfarce: Blogger arrogante de cultura urbana para a VICE Berlim. 

Amin Mansour:
Amin Mansour

Seu nome é Amin Mansour, e voce tem sido um vampiro pelos último vinte anos. O filho de uma rica família de Paris, seu caminho até uma elite abastarda sempre pareceu natural, algo que você nunca precisou se preocupar. Você estudou, deu uma zoada, o tipo de coisa que jovens ricos podem ter, e prendeu a atenção do vampiro que quis abraçar alguém que se encaixava no perfil social correto e era jovem o bastante para ficar bonito através das eras. Desde então, você seguiu seu Sire até Berlim. Sua vida foi refeita, mas uma constante permanece: Sua família te deixou dentro de uma casca. Ainda hoje o sangue em suas veias clama para uma liberdade violenta e você sabe que a história que a Camarilla contou não é tudo sobre ser um vampiro. Você quer ver as brutalidades que a cidade tem para oferecer além dos ambientes políticos do Elísio. Há algo mais, algo significativo lá fora.

A pior coisa que você já fez a um anarquista foi quando você fez Kenny Bohler seu servo na decada de 90. Você disse que ele havia infringido a a Tradição do Domínio. Ele fez seu Refúgio numa vizinhança que pertencia a Die Penner. Talvez tenha sido verdade, talvez não. Como ele iria saber? Não é como se existisse um mapa com todos os domínios numa parede em algum lugar. Você graciosamente deixou Kenny viver caso aceitasse lhe servir por um ano. Ele serviu. Foi o ano mais degradante da vida dele.

Sangue: Você tem o sangue de uma Diva (Ui), a cineasta Antoinette Kellmann é sua Sire. Ela tem mantido você ao lado dela por 25 anos, mas agora ela sumiu - fugiu ou está morta.

Disfarce: Normalmente Aydin Baram, bem sucedido cirurgião Turco praticando em Tiegarten. Também tem um passaporte falso e documentos no nome de Bashir Mahmoud, um imigrante ilegal Sírio se você não quiser chamar atenção.

Bruno:
Bruno

Você, um neófito obcecado conhecido apenas como Bruno, tem sido laçado à Andréa desde que você provou seu sangue quando mortal em uma boate em Ostgutt em 1988, um ano antes de ser escolhido para se juntar às fileiras dos cainitas. Você foi uma decepção para os Toreador em geral e para seu Sire Amir em particular. Você tem problemas para controlar os seus impulsos e Amir providenciou que você ficasse permanentemente laçado à Andréa, assim como ele. A ideia era que um laço em comum fossem os trazer mais próximos um do outro. O resultado foi o oposto. Você sempre é um degenerado, um neófito ninguém - condenado a existir como um zé-ruela pela a eternidade. Amir provavelmente deveria ter matado você quando você apodreceu, mas piedade é uma emoção muito forte, mesmo entre os mortos. Ao invés disso, você se tornou um servo jurado do "Die Penner", em troca de promessas de excessos sangrentos com Andréa no circuito de boates de Berlim. As promessas foram rapidamente esquecidas e você foi colocado em um estado permanente de amargura e subjugamento.

 
A pior coisa que você já fez a um anarquista foi quando você destruiu a família de Otto Brezler. Otto manteve contato com sua família mortal depois de ter sido abraçado. Otto foi cuidadoso, e eles não sabiam que Otto era um vampiro. Ele sabia que era arriscado, mas os amava demais para esquecê-los. Você descobriu, e cada pessoa na família de Otto foi assassinada "para proteger a Máscara". Enquanto você assistia.

Disfarce: Um festeiro eterno. Você conhece cada fanfarrão em Berlim e tem cultivado uma pequena, mas útil rebanho entre o gado de baladeiros da cidade.


Última edição por Bispo Altobello em Seg Jul 03, 2017 11:53 am, editado 5 vez(es)

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Arcebispo Altobello em Qui Jun 22, 2017 10:19 pm

CENA UM - JACKPOT!

Não tem sido fácil ser um vampiro em Berlim ultimamente. Principalmente quando você está entre o fogo cruzado. Nem velho e poderoso o bastante para estar no alto escalão da Camarilla, mas nem jovem e inconsequente para fazer parte dos Anarquistas. Você está exatamente no meio. Usados como escudos pelos Anciões contra a crescente turba de vampiros, vocês dificilmente seriam bem-vindos na camada mais baixa da sociedade vampírica. Também pudera, quantas injustiças - legitimadas pelas palavras do antigos, mas ainda... injustiças - eles já sofreram por vossas mãos? Não foram poucas. Cada um de vocês pelo uma boa história de como vocês os sacanearam bonito.

Mas eles merecem. Em vossos âmagos, vocês sabem disso e isso vos consola. Se eles pelo menos não fossem tão incivilizados. Se eles pelo menos soubessem se comportar e deixassem de chamar tanta atenção. Tem sido cada vez mais complicado para a Camarilla limpar a sujeira que eles fazem. A Segunda Inquisição é a prova disso tudo. A Máscara sempre foi uma mentira tão bem contada que ainda que um ou outro mortal descobrisse toda a verdade embaixo do tapete, ele seria tido como louco e desacreditado pelos demais. Mas agora, por culpa dos malditos Anarquistas que não sabem limpar a própria bunda, a humanidade tem se tornado cada vez menos descrente. Mais e mais caçadores têm surgido, inclusive dentro do próprio governo. 

É estranho como a influência da Camarilla tem conseguido penetrar cada vez menos em instituições que costumavam ficar sob suas asas. Mas a verdade é que a verdade só não veio a tona porque não seria interessante para o governo. As autoridades não querem afogar o povo em caos. Cada vez que um grupo de anarquistas ataca um Ancião, a mídia reporta um atentado terrorista. O povo pode ser manipulado, mas com as evoluções tecnológicas, é difícil enganar os peritos da GSG9 (o equivalente alemão à SWAT).




All-Nite Glücklich, um salão de apostas vinte e quatro horas (cheio de máquinas caça-níqueis e jogos "pega otário") em Tiergarten. Frequentado por uma mistura de homens turcos de meia idade e jovens desempregados. O som das máquinas produz uma cacofonia ensurdecedora capaz de abafar as vozes de quem quer que tente manter um tom agradável. A Coterie se reúne em uma pequena área mais reservada onde funciona uma cafeteria. Sob as mesas, jazem três xícaras de café turco preto, a especialidade do estabelecimento. 

O assunto da noite é a preocupante rebelião Anarquista, sua extensão e o porquê de eles não terem sido avisados da revolta pelos seus superiores. É quando Bruno finalmente dá o ar da graça - ele tem ficado bastante sozinho nas últimas noite.

Como esse é o primeiro post e o jogo não deu maiores informações sobre os personagens, darei liberdade aos jogadores para, caso quiserem, preencherem as lacunas dos personagens como quiserem. Descrições físicas e traços de personalidade ficam a cargo dos jogadores, esses são seus filhos. Sintam-se livre para interagir entre vocês também. Interpretem! Que os jogos comecem!

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Poeta em Sex Jun 23, 2017 8:46 pm

A Camarilla em Berlim era um castelo de areia de baixo de chuva, a dúvida não era se iria ruir, mas quando. Todos sabiam disso, ainda assim vários ficaram surpresos com a rebelião anarquista, mas não os boêmios frequentadores de boates ilegais e red lights districts, esses estavam próximos suficiente para perceberem o que estava vindo.

Bruno estava afastado de sua coterie, frequentando os locais mais podres de Berlim, tentando se distanciar daquilo que dominava sua mente todas as noites, aquele desejo incontrolável e terrível, mas todas suas tentativas eram em vão... e nada o fazia esquecer... e nada controlava o seu ódio, o seu desprezo.

Mas nessa noite Bruno não podia se esconder, nessa noite ele não podia ignorar ao chamado de sua coterie.

Fazia tempo que o Toreador não frequentava aquele salão, as novas máquinas o eram estranhas, mas aquele som característico e ensurdecedor ainda ecoava na sua memória. Ele sempre gostou de apostar, aquele sempre foi um local que o fez bem, mas nessa noite em especial não, sentimentos conflitantes dominavam mais que seus pensamentos, dominavam sua alma, sua própria existência. Definitivamente ele não queria estar ali, definitivamente não era pra ele estar ali.

_________________
avatar
Poeta

Data de inscrição : 20/05/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Beaumont em Sab Jun 24, 2017 12:05 am

"Meu nome é Amin Mansour, e eu tenho sido um vampiro pelos último vinte anos...Se eu pudesse fazer tudo diferente eu certamente faria, tantas escolhas, eu posso sentir claramente que existe algo lá fora, não...Não na velha Paris, mas em algum lugar deste mundo onde eu realmente posso ser alguém. Mas então eu me lembro...Andrea..."

Amin estava sentado na mesa, havia sido o primeiro a chegar mas não se preocupou em observar cada um dos outros membros chegarem. O vampiro não tinha o costume de se preocupar com nada que não o fizesse escalar a grande pirâmide social e sempre fez mais pessoas sentirem inveja dele do que o contrário. Ele era um negro alto e forte de roupas elegantes e com grandes traços de um parisiense típico, exceto pelos óculos de grau que usava apenas para fomentar a ideia de que era um intelectual cirugião, não porque precisasse deles, sua alcunha perfeita. Mas em seu interior havia mais do que apenas um estereotipo. Havia a vontade de se tornar totalmente diferente das "massas".

Quando Amin viu Bruno ele não acreditou, por mais que ele estivesse esperando o momento em que Bruno atravessaria as portas do All-Nite Glücklich nada era capaz de conter o sentimento de depressão que enraizava a sua cerne desde de quando ele teve o desprazer de escolher o jovem neofito como sua cria. É claro de Amin tentava ao máximo evitar que ficasse explicito em sua testa o seu desprazer, a ultima coisa que ele queria é que alguém tivesse certeza que ele considerava Bruno um erro lamentável. 

Então o toreador reclinou o tronco para frente em um sugestivo exemplo de que estava disposto a dar mais interesse a conversa em que estavam. A mesa estavam Ancilla Amelina Bentheim e Nicholas Dietz. 

Amin : - Ainda não consigo entender o porquê Waldburg não nos avisou dos ultimos acontecimentos, a problematica Anarquista está fugindo do nosso controle e ainda não temos uma contra medida. Até quando ficaremos de braços cruzados ?

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Poeta em Sab Jun 24, 2017 2:20 pm

Bruno emergiu de suas divagações e concentrou-se em ir ao local marcado, atravessou o salão e se dirigiu a cafeteria reservada. Ao cruzar o acesso sentiu aquele cheiro detestável de café com borra, o café turco, que as pessoas teimavam em apreciar, sua aversão aquele cheiro tinha fundamento, Bruno sabia que aquele café significava a presença de seu Sire, que provavelmente devido ao personagem que interpretava, o Turco Aydin Baram, adquiriu o gosto pelo tal café.

O cainita era o último a chegar e percebeu o olhar surpreso de seus colegas quando o viram. Ali entre eles estava o presunçoso Amin, seu Sire, seu carrasco. Amin era um mimado, uma alma limitada, um escravo do sistema, fadado a dedicar sua eternidade a galgar as escadas do poder... resumindo, um coitado.  A relação dos dois sempre foi complicada, Amin jamais conseguiria compreender que Bruno era um ser livre, desapegado àquela estrutura claustrofóbica, mas mesmo assim o Toreador respeitava o seu Sire, lhe era grato, sabia que sua não-vida teria tempo curto se Amin assim o quisesse.

Bruno sentia o olhar de Amin lhe reprovando, a tentativa do seu Sire em disfarçar sua maior decepção podia até enganar aos outros, mas a Bruno não. Sem dizer nada, sem expressar nada, Bruno se sentou à mesa.

Amin escreveu: Então o toreador reclinou o tronco para frente em um sugestivo exemplo de que estava disposto a dar mais interesse a conversa em que estavam. A mesa estavam Ancilla Amelina Bentheim e Nicholas Dietz.

Amin : - Ainda não consigo entender o porquê Waldburg não nos avisou dos ultimos acontecimentos, a problematica Anarquista está fugindo do nosso controle e ainda não temos uma contra medida. Até quando ficaremos de braços cruzados ?

Bruno permaneceu quieto aguardando os demais se expressarem, ele preferia ouvir a opinião dos demais a dar a sua própria opinião.

_________________
avatar
Poeta

Data de inscrição : 20/05/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Christie em Seg Jun 26, 2017 11:37 pm

Amelina entra no casino e observa, minuciosamente, tudo o que está acontecendo dentro do casino. Assim que ela começa a andar pelo casino se depara com grandes mesas fartas de luxuria, seu corpo e mente entram em excitação com a visão que tinha de todo o casino. Ela se concentrou fortemente para não se sentar em uma daquelas mesas e ganhar sua noite com bebidas e diversões.

Chegando perto do local combinado, Amelina sente aquele cheiro de café turco e um sentimento de nojo faz com que ela se arrepie até a nuca (Amelina odeia qualquer coisa relacionada a café). 

Ao se aproximar da mesa, seus colegas a olham imediatamente. Seu vestido longo e preto, com decote em v e seu colar de pérolas eram hipnotizantes para aqueles que não a conheciam e até mesmo para aqueles que a conheciam. Amelina sabia ser perfeitamente elegante. Seus cabelos ruivos e ondulados carregavam um leve perfume de rosas. 

Sentando à mesa, Amelina cumprimenta com elegância todos os colegas que ali estavam. E em seguida, solta sua frase de negação ao que estava acontecendo:
 
-"Esses malditos anarquistas. Moribundos sem classe alguma, quero a extinção de todos eles. Isso que está acontecendo é um absurdo, um cúmulo sem fim, eles deveriam ter nos informado de tudo o que está acontecendo. Precisamos tomar sérias medidas para combater o avanço desses malditos."
avatar
Christie

Data de inscrição : 15/10/2015
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por @nDRoid[94] em Ter Jun 27, 2017 8:45 pm


Nicholas sentia-se com um pouco de sorte àquela noite. Não sabia o por quê, mas sabia que talvez algo de bom fosse lhe acontecer ali, na vasta escuridão da capital alemã. Os acontecimentos quanto aos Anarquistas não era algo que lhe deixava muito preocupado, ao menos não naquele momento. Sabia que deveria haver uma dúzia desses imortais incivilizados que gostaria de ver sua cabeça decepada para longe de seus ombros, mas o Ventrue sentia que aquela possibilidade era tão remota, beirando ao impossível. Havia despertado para a noite sentindo-se tão poderoso quanto um dos Anciões aos quais ele lambia as botas. Ele não entendia o por quê, apenas havia acordado com aquela sensação. Aquilo poderia até ser caracterizado por presunção, mas Dietz pouco se importava com as classificações que os outros davam para as suas reações. Ele tinha uma pequena influência no mundo dos imortais e utilizaria dela até o último instante para garantir o seu sucesso.

Com esse sentimento, ele se retira de seu refúgio com um de seus termos mais bem alinhados. All-nite Glücklich era uma espelunca árabe que a Coterie insistia em manter como lugar de reunião. Era um local de segunda classe, evidentemente, mas ainda era um local dentro dos domínios que o grupo possuía. Ali, eles se reuniam. O cainita adentrou o salão privativo, avistando primeiramente a imagem de Amin, afinal ele era o maior de todos e o mais peculiar do grupo. Um negro que beirava quase os dois metros de altura era algo a se destacar no meio de uma cidade tão pálida como Berlim era. Mesmo ali, no meio de turcos, o Toreador era fácil de ser detectado. Ao seu lado estava Amelina, a Sire de Nicholas. O mesmo a cumprimenta com um balançar de dedos e um sorriso de canto de rosto. Ele retira o paletó que usava, pendurando-o na ante-sala do espaço, seguindo para juntar-se aos dois Membros do grupo. Faltava ainda o caçula daquela Família peculiar. Bruno estava sumido a algumas noites e o Ventrue começava a questionar se o mesmo não poderia estar envolvido com os últimos eventos da cidade. Era muito capaz, pela maneira despreocupada e irresponsável que a Criança de Amin tratava a não-vida.

Eles estavam prestes a iniciar a reunião, sem Bruno, quando o mesmo adentra o recinto. Amin continua a conversa, alertando o seu descontentamento com a falta de tato dos Anciões para com ele. A fala de Amelina complementa os devaneios dos dois, ao passo que Nicholas apenas debocha de ambos antes de fazer sua fala:

'- Minha Sire e meu estimado colega, sejamos mais francos e menos tolos. Nós estamos um degrau acima desses bastardos, mas estamos muitos degraus abaixo dos Verdadeiros Senhores da Noite. Waldburg não nos avisou por comodismos dos próprios bem-aventurados dessa Torre que rege a cidade de Berlim. Se os Anciões tiverem chance, eles entregarão as cabeças da base para assegurar a proteção de suas próprias... Na verdade, acho que essa falta de comunicação apenas comprova os planos de nossa Primigênie para conosco. Se os Anarquistas ganharem terreno nós seremos os primeiros a cair para que nossos estimados Anciões possam se proteger antes de um contra-ataque.'

Ele faz uma pausa, farejando o café turco que estava diante de si antes de continuar.

'- Preciso concordar, assim, como minha querida Amelina. Precisamos, sim, tomar medidas sérias. Aconselho a todos a considerarem ter mais de um refúgio alternativo caso as coisas saiam do controle. Acredito que, primeiramente, precisamos ver o que cada um de nós pode oferecer nessa empreitada; inclusive, acho sensato entrarmos em contato com outros Neófitos e Ancillaes de nossa Torre, a fim de captar informações. Se eu estiver certo, talvez nós não sejamos os únicos a termos sido esquecidos nessa comunicação. Todo o cuidado é pouco nessa troca de informações, afinal a noite tem ouvidos muito bem posicionados.'
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 23
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Arcebispo Altobello em Seg Jul 03, 2017 1:27 pm

O som das máquinas caça-niqueis e a cacofonia de apostas dos frequentadores e dealers do All-Nite eram abafados pela porta automática de vidro que separava a área de jogos do reservado café. No entanto, o barulho invadia o ambiente a cada vez que a porta se abria para um novo cliente entrar no recinto, o que fazia com que os membros da Coterie elevassem sua voz ou simplesmente esperasse a porta se fechar novamente para se fazerem ser ouvidos.

O ambicioso Amin toma a dianteira na conversa, intrigado, sem entender o porquê seus superiores da tão estimada pirâmide social não lhes comunicou sobre a emergente revolta. A elegante Amelina, mais experiente entre os presentes, luta contra sua paixão por excessos e ignora com sucesso os jogos de azar para se sentar à mesa junto aos demais. Ela reforça as falas de Amin para destilar seu ódio contra a casta mais baixa de sociedade vampírica.

É engraçado como algumas décadas de não-vida faz com que os vampiros se esqueçam como é ser um membro do baixo-clero. É preciso que Nicholas traga os dois Ancillae para a realidade. Talvez os Anciões simplesmente deixaram que a base da seita restasse em ignorância para poderem bolar uma solução definitiva enquanto os mais jovens se digladiavam.

Mais uma vez, as portas do café se abrem e todos se viram para avistar Bruno. O descontentamento de seu senhor é visível para o neófito que se senta à mesa, mostrando estar presente em corpo, mas não em alma. Imerso em seus próprios pensamentos, ele mal dá atenção para a conversa crucial sobre os recentes acontecimentos e os planos de sua Coterie para estancar a sangria.

Nicholas começa a se questionar sobre o envolvimento de Bruno em algo sombrio, mas com base em que? Pela maneira despreocupada e irresponsável? Não era nenhuma novidade o quão problemático o neófito era, mas daí para trair a sua própria Coterie? O seu próprio sangue? Seria Bruno capaz?

Antes que pudesse conspirar mais, Nicholas e todos os outros, de repente, experimentam um sentimento estranho. É como se seus corações se enchessem de um inexplicável terror. Algo, definitivamente não estava certo, mas os cainitas não sabem exatamente o que. É quando o turco, proprietário do estabelecimento, aumenta o som da televisão sintonizada no plantão noticiário da ZDF, a maior emissora do país.

Repórter - Segundo relatos que acabam de chegar, um caminhão acaba de colidir contra uma renomada boate em Tiergarten, o Golden Gate, deixando o velho prédio em chamas. Acredita-se que ao menos cinco pessoas morreram neste ocorrido que ainda não se sabe ser um acidente ou o terceiro atentado terrorista envolvendo caminhões desde o ano passado. A onda de preocupação começ...

É quando o turco desliga a TV, e amaldiçoa os "terroristas viadinhos". Tendo em vista a proximidade com o Golden Gate, de apenas cinco quadras, ele se prepara para fechar o estabelecimento, prevendo a crescente onda de curiosos e/ou manifestantes contra a presença dos refugiados na cidade. O homem começa a passar nas mesas para fechar as contas e o sentimento de terror que os vampiros experimentaram começa a fazer sentido.

Aqueles laçados a Andréa sabiam que a Primógena seria anfitriã de uma reunião onde estariam presentes diversos outros membros do alto escalão da Camarilla na cidade. Esses cainitas ligam esse sentimento ao Laço de Sangue que clama ajuda por seus Regentes. Aqueles laçados a outros líderes, no entanto, sabem que seu Regente teria uma reunião importante hoje, mas não entende o sentimento de mais cedo. Talvez ocorresse no lugar atacado, mas seria pelo menos umas duas horas mais tarde. Por que seu Regente chegaria lá tão cedo?

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por @nDRoid[94] em Seg Jul 10, 2017 8:41 pm


A cacofonia de sons recheava a conversa dos cainitas dispostos na pequena mesa do café reservado. A Coterie estava mais uma vez reunida e eles poderia, enfim, conversar sobre os procedimentos que caberiam a todos eles. Esperava que o tolo Bruno desse informações vindas de seus amiguinhos baixos e que Amin e Amelina dispusessem de maiores recursos para protegê-los. Estava pronto para guiar a reunião, quando o dono do café aumenta o volume da televisão, chamando atenção do grupo para as imagens. Nicholas se encontra estarrecido.

'- Scheisse!'

Seu coração estava apertado; se respirasse com certeza estaria com dificuldades para fazê-lo. O Golden Gate, não, seus vermes! Esses anarquistas pareciam formigas ensandecidas, unidos para tentar causar um problema maior que um simples comichão. Eles precisavam ser parados imediatamente. O Ventrue tinha um problema a sua frente pois ele sabia que Andrea estaria na boate aquela noite, junto de outros Anciões. Ele precisava de informações a mais que àquelas passadas pelo aparelho. Felizmente, o dono do café expulsava os clientes e essa seria a chance de levar o grupo para fazer uma atividade de campo.

'- Pelo visto essas formiguinhas desprezíveis decidiram atacar o ninho dos gafanhotos maiores, meus colegas. Eu não sei vocês, mas eu preciso ver com meus próprios olhos o que diabos está acontecendo no Golden Gate!'

Ele se levanta, deixando umas gorjetas para o turco, ajeitando suas vestimentas antes de seguir para a antesala e pegar o seu casaco:

'- Quem me acompanha?'
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 23
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Poeta em Sex Jul 14, 2017 10:56 am

Amelina escreveu: -"Esses malditos anarquistas. Moribundos sem classe alguma, quero a extinção de todos eles. Isso que está acontecendo é um absurdo, um cúmulo sem fim, eles deveriam ter nos informado de tudo o que está acontecendo. Precisamos tomar sérias medidas para combater o avanço desses malditos."

Era perceptível que o status de Ancillae conferido a Amelina era puramente burocrático e seria diferente se o seu senhor não fosse Waldburg, na prática ela era ingênua e deslocada. Com certeza estava mais preocupada com o bacanal de mais tarde do que realmente com a situação crítica que a cidade se encontrava.

Talvez o único acerto social de Amelina era a sua prole, Nicholas se encaixava perfeitamente no grande quebra-cabeças que era a cidade de Berlim. Sua relação lasciva com o membro da primigênie o fez galgar uns passos na escada do poder e Bruno não tinha dúvidas de que ele faria qualquer coisa para continuar sua escalada. Até mesmo instigar uma revolta anarquista, se visse nisso uma oportunidade de ocupar um cargo mais alto.

Nicholas escreveu:- Minha Sire e meu estimado colega, sejamos mais francos e menos tolos. Nós estamos um degrau acima desses bastardos, mas estamos muitos degraus abaixo dos Verdadeiros Senhores da Noite. Waldburg não nos avisou por comodismos dos próprios bem-aventurados dessa Torre que rege a cidade de Berlim. Se os Anciões tiverem chance, eles entregarão as cabeças da base para assegurar a proteção de suas próprias... Na verdade, acho que essa falta de comunicação apenas comprova os planos de nossa Primigênie para conosco. Se os Anarquistas ganharem terreno nós seremos os primeiros a cair para que nossos estimados Anciões possam se proteger antes de um contra-ataque.'

Suas palavras soavam mais sóbrias que as dos demais cainitas, Bruno também sabia que não era mais do que um peão naquele tabuleiro macabro, mas diferente de Nicholas ele não se importava.

Nicholas escreveu:'- Preciso concordar, assim, como minha querida Amelina. Precisamos, sim, tomar medidas sérias. Aconselho a todos a considerarem ter mais de um refúgio alternativo caso as coisas saiam do controle. Acredito que, primeiramente, precisamos ver o que cada um de nós pode oferecer nessa empreitada; inclusive, acho sensato entrarmos em contato com outros Neófitos e Ancillaes de nossa Torre, a fim de captar informações. Se eu estiver certo, talvez nós não sejamos os únicos a termos sido esquecidos nessa comunicação. Todo o cuidado é pouco nessa troca de informações, afinal a noite tem ouvidos muito bem posicionados.'

...”afinal a noite tem ouvidos muito bem” – Bruno sempre desconfiou que Nicholas passava informações sigilosas dos assuntos da coterie pro seu amante, dos ouvidos da noite, sem dúvidas, Nicholas era um...

O raciocínio de Bruno foi quebrado pelo Turco que aumentava a televisão chamando a atenção de todos para a notícia que brilhava na tela...

repórter escreveu:- Segundo relatos que acabam de chegar, um caminhão acaba de colidir contra uma renomada boate em Tiergarten, o Golden Gate, deixando o velho prédio em chamas...

Um nome sobressaltou sua mente... ANDRÉA! Desde a sua morte durante o abraço, Bruno não tinha experimentado aquela sensação de agonia, seu corpo morto não produzia mais nenhuma atividade biológica, mas talvez pelo pouco tempo que tinha de não-vida seu subconsciente ainda o trazia sensações típicas de um mortal, o neófito sentiu como se uma overdose de adrenalina tomasse conta de seu corpo, alguma mão misteriosa apertou seu coração possivelmente na tentativa de explodi-lo, sua boca ressecou e suas pernas cambalearam.

Pelos acontecimentos que antecediam e por tudo que estava ocorrendo Bruno sabia que aquilo iria acontecer, o Cainita sabia que o Castelo iria desmoronar, mas ainda sim ele não estava preparado para perder Andréa, seu amor, sua obsessão.

Ao recuperar parcialmente seus sentidos Bruno levantou-se, derrubando as xícaras de café que repousavam sobre a mesa, e saiu correndo em direção a tragédia ocorrida, sua mente estava estupefata, os sons ao redor se misturavam formando uma sinestesia entorpecida sem sentido algum.

_________________
avatar
Poeta

Data de inscrição : 20/05/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Última Noite - Berlin By Night (Pré-Alfa 5ª Edição)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum