O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Undead King em Seg Maio 15, 2017 9:52 am

Quem batia palmas, de repente falava.
Homem escreveu:- Somente o Roden pode querer ver o nosso novo convidado?- Diz o homem. Ele faz um rápido estalar de dedos e as luzes são acesas dentro da cela.
Olhos amarelos? Que coisa estranha... Eles estranhamente me chamam a atenção... De repente, me lembrei do que aconteceu com o cara da outra cela. Um homem com os olhos amarelos, ele havia olhado para eles e não conseguiu mais se mexer. Abaixei meu olhar em direção ao anel, eu com certeza não iria olhar mais para o rosto daquele homem, não importava o que acontecesse. Com os olhos baixados eu respondia   - Para mim, apenas Roden comandava isso, não sabia que isso era algum tipo de associação. Convidado? Ahahahah! Nunca vi alguém ser convidado sendo levado a força para um lugar aonde o trancafiam. - O respondia com um leve sarcasmo na voz. Se ele estava tentando parecer cortês, tinha falhado miseravelmente. Eu continuava focando meu olhar no anel, além de desviar minha atenção do rosto, eu poderia analisar os detalhes dele,  mesmo que um pouco.
Homem escreveu:- O que tens achado de seu novo lar? Eu acho que sou mais benevolente que o Xerife, não?
Quando ele terminou de falar, lembrei do diálogo que havia tido com a vampira Michaelle a alguns dias atrás . "... Mas para nos ajudar, é preciso que sejas sincero conosco, pois nós sempre seremos sinceros com você enquanto estiver ao nosso lado". E eu havia respondido "Sinceridade...é algo bem raro no mundo em que vivemos,não acha?" Sinceridade, e benevolência, eram coisas que eram raras... Ele estava brincando comigo, fingindo ser "legal". Eu podia estar solto agora, mas isso era só uma estratégia para tentar ganhar minha confiança. Com certeza ele tentaria me vender essa imagem um pouco mais, e eu me fingiria de idiota, pegaria o máximo de benefícios disso. Ele não seria sincero comigo, e eu também não seria sincero com ele. Sabia muito bem como funcionavam essas coisas. - Você acha que é benevolente? Eu acho que você quer algo de mim. Mas o que você quer de mim? Acho que você quer algo relacionado a essa sombra que me atormenta, algo relacionado a mulher de quem bebi o sangue. - Fazia uma pausa. Eu não o respondia de forma incisiva, mas se ele prestasse atenção, em meio ao que parecia a mais pura voz do sincero, ele perceberia o sarcasmo e ironia por trás das minhas palavras. Era uma piada que só tinha graça para mim. Finalmente eu concluía, dessa vez respondia sério - Não é porque achamos que alguma coisa é verdade, que ela é verdade, Sr...? - Perguntava-lhe o nome, sem olhar no rosto.
avatar
Undead King

Data de inscrição : 03/07/2015
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Beaumont em Ter Maio 16, 2017 10:10 pm

A avaliação que Markus tinha do lugar era a melhor possivel. Sem duvidas o lugar era bem estruturado, estava escondido o suficiente para providênciar um bom refugio e a decoração não ficava a desejar. Ele caminhava seguindo o Regente até o rescritório enquanto conversavam. Havia milhares de coisas com as quais o Tremere alimentava durante a sua conversar com Bistrol e sem duvidas tudo o que era reportado até o momento havia tido muita valia para ele.

A dupla então entra no escritório, Markus procura um lugar para se sentar mas apenas se sentou depois que o anfitrião fez o mesmo e convidou Markus a se sentar. Markus não era o pai dos bons costumes mas em frente a um Regente ele sabia quando precisava ser educado o máximo possivel, mesmo que nem mesmo as suas vestes fossem condizentes com uma pessoa de classe. Tentando não parecer um completo bárbaro, o vampiro se manteve calado a ouvir o discurso de Bistrol sem pestanejar. O homem falou sobre a situação da cidade e da regencia atual o que de fato estava bastante comprometida considerando a situação. Mas teve algo que realmente deixou Markus muito encucado...


"Não consigo estabelecer uma conexão entre o sumiço de Hotgan com o afastamento precosse e quase simultaneo de Carter...Não posso acreditar em traição por meio de nossa familia isso é inaceitável. Prefiro acreditar que o próprio Hotgan estava fazendo algo de errado. Mas porque o principe Ventrue queria tanto a minha presença aqui?"

Markus já não conseguia mais segurar a sua língua e precisou falar, precisou se expressar e demonstrar a sua inquietação em relação as palavras de Bistrol.

Markus: - Então você quer dizer que Hotgan sabia que estava sendo vigiado? O xerife falhou drásticamente a proteção de Hotgan então. Eu preciso fazer essa pergunta ao senhor. Senhor Bistrol. O sr. Sabe se a Pontifex não enviou Carter para vigiar o principe ? Não consigo ver outra forma de explicar a intensa vigilia de Carter ao príncipe, o senhor mesmo disse que o Regente estava lidando com forças místicas e sabemos que nossa familia é muito mais capaz de lidar com esse tipo de situação do que um Ventrue. Eu preciso encontrar Carter para quem sabe encontrar uma resposta mais consistente.

Markus estava unindo as peças de seu quebra-cabeça. Hotgan estava lidando com místicismo e sem a ajuda do clã Tremere Hotgan não iria se dar bem.

Markus :- Sobre o problema de descentralização do poder da camarilla isso é incrivelmente danoso para nossa familia neste país. Agora mais do que nunca precisamos de um alicerce para enfrentar as adversidades de fora dos muros de mármore. Quem controla a policia e a politica nesta cidade senhor Bistrol ?

Markus parou a conversa unicamente para saber a resposta. Essa resposta era importante para conduzir a continuação da conversa.

Markus : - Me desculpe se não concorda, mas não acho que Roden seja um bom partido para a nossa regência. Ou ele foi um traidor, ou ele foi incopetente por não proteger Hotgan e independente de qualquer uma das questões que eu citei poderiam fazer dele um bom regente.  Senhor Bistrol, essa fragilização de nosso poder pode dar margens ao Sabá ou outra ameaça maior avançar sobre a nossa estrutura. Preciso que o senhor obtenha respostas da Pontifex de Vianna sobre a posição de nosso clã a respeito dessa cidade. enquanto isso eu tentarei encontrar Hotgan antes que essa cidade recaia em ruinas.

Markus estava expressamente preocupado com a situação. Levava a mão a testa com o semblante sério e a fae carrancuda e preocupada.

Markus : - As coisas estão piores que eu podia imaginar.

Markus : - Quando e onde Hotgan foi visto pela ultima vez ?

Markus tentava aumentar suas informações enquanto esperava Caroline chegar. Organizar a contra-ofensiva era a prioridade do Tremere, organizar a familia pois eles eram os únicos que Markus realmente poderia confiar.

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Baruch King, O Anjo Caído em Ter Maio 16, 2017 10:45 pm

- Mas diga-me, o que mais falta à minha análise?

-- Ainda faltam alguns detalhes... E, bem, no meu ramo de atuação, detalhes são os pontos mais importantes. - Um sorriso malicioso surge no rosto de Baruch. -- Mas teremos mais tempo para isso, em breve. Sugiro que comece seu raciocínio por algo que está à sua frente, todos no mundo usam, mas quando tornamo-nos imortais, esquecemos da importância que os mortais dão a isto.

- O que podes me dizer um Inquisidor que, o que tudo indica, está tentando entrar na linha de frente em uma batalha pela posse de um país? Acreditei por muito tempo que esse tipo de comportamento fosse ridículo perante tão honrado grupo.

Isso quebrou parte das defesas de Baruch. Quando fora mandado para uma missão que envolvia "espionagem" ele esperava que seu disfarce envolvesse ocultar sua ligação com o Santo Ofício. Quando Anderson proferiu tais palavras, por um breve instante, O Guardião parou de andar, surpreso com aquilo,
retornando ao ritmo habitual instantes depois.


-- Detalhes, Bispo, Detalhes... As decisões do Santo Ofício não são facilmente compreendidas. Se fossem, nossos inimigos em comum - A Mácula das fileiras do Sabá - que mancham nossa liberdade, tornando-se servos dos Senhores do Inferno, triunfariam sobre nós. - A visão do Inquisidor sobre a Inquisição inundava as palavras do Lasombra. Ele acreditava naquilo que dizia. -- E, tais decisões, não são passíveis de questionamento...

"O que mais ele sabe? Seria um deles, tentando arrancar informações ou um dos nossos?"

-- Mas sim, a Jyhad nunca nos interessou muito... Para ser honesto, quem detém o poder sobre as cidades pelas quais viajamos não nos importa. Um Príncipe - Ou Bispo - não pode ser um obstáculo para as decisões de Sandoza. É claro que sempre contamos com a colaboração de nossos Bispos. Afinal, como diz um certo ditado: Quem não deve, não teme.

Baruch não era, intencionalmente, desrespeitoso com o Bispo. Suas palavras não carregavam soberba, mas sim a autoridade de um vampiro que portava a Relíquia de Ferro,
autenticando-o como representante do Santo Ofício, um verdadeiro Inquisidor.


-- A cooperação, é claro, é como uma auto-estrada... E nós, os Cavaleiros da Inquisição, sabemos a importância de preservar nossos aliados.

Baruch estava fazendo o que poderia se chamar de "Bancar o Advogado do Diabo".

-- Isso me leva a uma pergunta: Há algo que o Santo Ofício deveria ter conhecimento? Uma denúncia a ser feita, talvez... Pode procurar-me, caso exista.


Assim que Anderson deixasse o Inquisidor, Baruch iria na direção do bando apontado por ele.

-- Tenham uma boa noite, cavalheiros.

O Guardião cumprimenta cada um dos integrantes com um aceno de cabeça, avaliando suas expressões e tentando ler a aura de cada um deles, se possível. Baruch, então, se apresentaria.

-- A Espada reconhece-me como O Anjo Caído, é uma honra conhecê-los. Bispo Anderson me falou sobre vocês, ofereceu-me a oportunidade de me apresentar. Posso saber como se chamam?

_________________
Nós queremos ver você se curvar à escuridão. Você quer nos seguir através da noite? Você nunca morrerá como uma criança da noite
Encare sua morte com orgulho, Ele irá vê-lo sorrir.  Com seus olhos brilhantes como estrelas, ele matará a todos, sem remorso. Fome pela escuridão golpeando seu coração, enegrecido desde o início, seu mal arrasta-se em sua mente. Provocando arrepios na espinha, Ele é a Noite! Alegrai-vos na carnificina, sabem que a merecem.





Spoiler:

"Penso, Logo Existo"
- Sussurros, pois ninguém deve nos ouvir.
-- Por que não falamos de igual para igual?
--- Gritos, pois devo ser ouvido.
*Atos, pois não devo confiar apenas nas palavras.*
avatar
Baruch King, O Anjo Caído

Data de inscrição : 29/06/2013
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Diana Luna. em Sex Maio 19, 2017 4:10 am

- Preciso falar com Richard, depressa.

Por um momento ousei a sorrir. Aparentemente havia dado certo, no entanto quando o homem viu que eu ainda não havia lhe dado a sua preciosa bebida, voltou a ladrar furioso

- Quem você acha que eu sou, criança insolente. Esta é a sua última oportunidade. Encha esse recipiente ou esqueça sua pressa para chegar na Escócia.

Alguém estava lá fora. Não, eram mais pessoas. Sete ao todo. Estavam procurando por algo, ou por alguém. Talvez fosse a minha chance de finalmente sair daqui. Eu decidi não discutir mais com aquele caipira e dei logo o sangue para ele.

- Faça bom proveito, agora me tire daqui.
avatar
Diana Luna.

Data de inscrição : 19/11/2016
Idade : 25
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fox em Dom Maio 21, 2017 11:09 am

Fox segue o caminho acompanhado, agora, pelos dois homem. Ele se sente curioso sobre o que Victor planejava, mas seguia seu caminho de cabeça erguida. Ele olha para aquele ser ofídico, esperando que ele transparecesse alguma reação. Insegurança, medo, dúvida, lealdade, confiança, qualquer coisa que daria uma pista a Fox do que se sucederia. Eles atravessam o salão e adentram uma porta escusa, que revela uma sala espaçosa.

- Muito bem, segurem isto e não percam de forma nenhuma. Vocês farão uma pequena caçada... quem retornar aqui com uma gota de sangue do oponente primeiro será o premiado. E, para ti senhor Fox, o resultado será imprescindível no sucesso de sua busca. Ramsés, vá para aquele lado.  Vocês estão prontos? Assim que você estiver pronto, começaremos.

O Gangrel se mantém sério. Seria aquilo apenas um jogo para diversão do anfitrião, ou ele realmente teria um objetivo por trás daquilo tudo? Testar suas habilidades? Jonah não se sentia nada confortável, mas como já havia pensado, não podia voltar atrás. Teria que seguir as regras da casa para conseguir o que queria. Ele guarda o frasco no bolso do seu casaco, enquanto mantém suas mãos ocultas lá. Um sinal positivo da sua cabeça indica que estava pronto.

Então, diante de seus olhos, a realidade se altera. E de fato era a primeira coisa que viera à cabeça do Peregrino, pois ele realmente não acreditava no que estava à sua frente. As árvores, o céu, o solo, tudo simplesmente brotava como mágica, detalhando o ambiente com uma variedade selvagem de cores, sons e aromas. Por um instante, em meio à surpresa, Fox se sente um idiota por esperar que seria tão fácil como um embate frente à frente. Ele fica estagnado até que a voz de Victor, anunciando o início da caçada, o desperta.

Jonah era um rastreador. Havia passado por coisas semelhantes em sua não vida. Seus olhos fitavam o céu e o topo das árvores. Não sabia como seu inimigo se portaria, mas sabia que quem fosse achado primeiro perderia a luta. Invocando o poder do sangue, ele faz suas garras crescerem em suas mãos (Metamorfose 2), e, rapidamente, usando sua maestria, sobe pelos troncos de madeira. Aguçando seus sentidos, o Gangrel tenta localizar sua presa, seja pelo som ou pelo odor, enquanto utiliza cuidadosamente os galhos mais firmes para se mover em silêncio, como um felino, até o centro da arena.
avatar
Fox

Data de inscrição : 10/03/2010
Idade : 23
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Ter Maio 23, 2017 10:19 am

“- Mas que mulher chata, puta que pariu!!!” – Ah é, e quem te ensinou a futricar nas coisas pessoais alheias?! Isso é falta de educação, e das grandes, sabia?! Não interessa se eu uso ou não uso maquilagem, são minhas coisas, estavam comigo e você não tinha o direito de mexer! Dizia conferindo minha bagagem no banco de trás.
“- Mas que caralho! Estamos parecendo marido e mulher discutindo!”
- Então, você tem mais alguma frescura para falar ou vai resolver virar gente grande e agir como tal? Se você quiser ao menos tentar ser um adulto, o que aparentemente você não é, eu posso lhe dizer que o sr. Marcílius me pediu para levar "seu objetos pessoais" para uma conhecida com o intuito de procurar por algum feitiço ou qualquer coisa ruim que possa ter sido colocado ai já que você comentou ter encontrado algumas criaturas estranhas na noite de ontem, além do encontro com a mulher capturada por vocês.
- Feitiço?! Ah, era só o que faltava mesmo. Olha, esquece esse assunto, afinal parece que aconteceu muita coisa enquanto eu dormi. Que diabos está acontecendo nessa cidade? Por favor, me conte o que aconteceu!

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Maio 27, 2017 7:45 pm

Arnald Bradley:


Ao ouvir as palavras do Ventrue, o homem da alguns passo a frente, aproximando-se de Arnald. Agora ele está a não mais de 3 passos. Sua voz é bastante cordial enquanto suas mão movem-se de forma a acentuar o que está sendo dito. Ele é claramente alguém que vive de ações sociais, que sabe ligar com o grande público.

- Você está com medo de mim? Não precisa ficar assim, eu não farei nada contigo. Além do mais, se não conseguires controlar-se em minha presença, então não conseguirá passar pelo que está sendo preparado para você, o motivo de estar aqui, neste lugar. Vamos, olhe para mim... eu não sou tão feio assim. - O som de um sorriso esnobe chega ao ouvidos de Arnald. Mesmo não vendo o rosto, ao observar o corpo do homem vê-se claramente um contraste. Tênis manchados de barro unem-se a uma calça social, feita em algum costureiro famoso, somado a uma camiseta regata.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Maio 27, 2017 7:47 pm

Markus F. Hunt:

A mente do Tremere não para de trabalhar em momento algum. Ele ouve atentamente tudo o que é dito pelo Regente e armazena todas as informações enquanto tenta criar links entre o que ficou sabendo até aquele exato momento. Assim que Bristol termina sua explanação e convida Markus à sentar, este acomoda-se e começa a indagar seu irmão de clã. Bristol ouve as palavras de Markus olhando-o diretamente nos olhos o tempo inteiro e sem pronunciar uma só palavra. Assim que o Feiticeiro finaliza seu primeiro conjunto de perguntas, Bristol às responde calmamente.

- Primeiramente, peço desculpas se me fiz entender mal. Contudo o Príncipe Hotgan é membro do nosso clã, um irmão Tremere. Ele, até certo ponto, sabia... ou sabe... assim espero, que está lidando com algo além da compreensão comum. A pessoa indicada por mim para auxiliá-lo em seu projeto foi exatamente Caroline, pois o conhecimento dela sobre as artes Celta é sem igual neste país. Contudo, os dois tiveram algum tipo de desentendimento, e foi exatamente nesta época que ela mudou-se para longe do centro da cidade e ele conseguiu o encontro com Grimgroth. Apesar de tudo, nunca obtive nenhuma palavra de Caroline sobre o que estava sendo feito, algo a impedia de falar. Mas junto com seu afastamento surgiu também uma briga ferrenha entre os dois, exatamente por isso ela acabou entrando na lista que enviei a ti.

- Agora, sobre a sua segunda dúvida. Digo a você que nada oficial tenha chegado em minhas mãos da Pontifex. Contudo, em conversas com alguns outros membros, alguns me relataram alguma preocupação sobre os que o Príncipe estava fazendo, e esta preocupação vinha da própria Itália.


O Tremere afasta suas costas da cedeira, indo um pouco a frente. Suas mão estão uma sobre a outra em cima da mesa.

- Há um certo rumor correndo pela cidade de que Roden esteja envolvido com um grupo de anarquistas baderneiros que instalaram-se nas redondezas da cidade, embora ninguém nunca tenha encontrado provas disso. Mas respondendo a sua pergunta, o próprio Xerife mantém as rédias da polícia junto com Marcílius, um dos irmãos que Hotgan forçou a criação que citei no documento que foi enviado a ti. Este foi um encargo que o Príncipe deixou para eles. Já os políticos, a grande maioria dos governantes do país estão nas mãos de dois membros, Alexander e Gael, o Primogênito Toreador e sua cria. Pelo menos externamente é assim, pois temos nossa teia entre os políticos.

- E não se preocupe. Seu convite para vir em solo escocês veio de degraus superiores. O clã já está ponderando sobre nossa situação. Agora, onde Hotgan foi visto pela última vez... ele esteve aqui mesmo, após uma reunião com Marcílius e alguns dos membros da inteligência, pois, na verdade, nossa situação é ainda um pouco mais complicada, uma vez que foi observada uma concentração incomum de membros do Sabá em Glasgow...

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Maio 27, 2017 9:52 pm

Baruch King:


Rolagem de Dados - Baruch:

Baruch: Percepção da aura - 0 Sucesso(s)



Ao ver que Baruch para ao ouvir sobre a Inquisição, Anderson mostra um sorriso de satisfação que é mantido enquanto ele ouve as palavras do Lasombra.

- Veja bem. Agora você deve estar cheio de dúvidas sobre quem ou o que eu sou... amigo ou inimigo. Vamos dizer que sou um amigo da.. como você chamou? Santo ofício. Durante algumas situações do meu passado tive que interagir que alguns de vocês e isso acabou nos aproximando. Devido a esse meu "laço", se é que pode-se usar essa palavra, acabei sabendo que um membro viria para cá. Contudo, não tinha certeza de quem seria tal cainita. Mas com a sua reação somada ao seu discurso, não há mais dúvida nenhuma. Assim, não precisas se preocupar... sua missão deve pedir sigilo e, como tal, as palavras ditas aqui ficarão só entre nós. Da mesma forma, se eu souber de algo estranho irei falar contigo diretamente. - As palavras do Bispo saem linearmente por sua boca, sem pausas nem quebras. Pode-se perceber que ele está falando a verdade ou, pelo menos, sabe mentir muito bem.

Assim que se despedem, Baruch abre a porta indicada por Anderson e encontra uma pequena sala, não mais de 3X3 metros. Nesta sala há quatro cadeiras em torno de uma mesa quadrada. Dois homens morenos, com longos fios de cabelo de cor negra indo até a cintura, estão ocupando duas destas cadeiras. Ao ouvir a porta abrindo, ambos viram-se para ela, ficando com o rosto virado para Baruch. Assim que entra na sala, o Anjo saúda seus companheiros, que respondem a saudação com o mesmo movimento.

- Meu nome é Ronald e o dele é Robin. Somos parte do grupo Hell's fire. O Bispo Anderson nos falou que teríamos um novo membro hoje. Queira entrar e sentar-se, pois assim poderemos conversar melhor.

Ronald e Robin:






_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 28, 2017 1:19 pm

Alexia Grimaldi:


Características - Alexia:

PS: 10
FdV: 6
Vitalidade: Normal



Percebendo que sua tentativa de persuadir Armand não surte o efeito desejado, Alexia resolve seguir com o pedido do homem e permite que sua vitae seja derramada no receptáculo. A jovem Tremere faz um corte em seu braço, permitindo que o líquido vermelho jorre de seu corpo para o objeto de vidro em cima da mesa. No rosto do homem está estampado a satisfação em ver o que está acontecendo, além da cobiça dele pelo sangue que vai se amontoando no fundo do vidro até chegar em sua superfície.

Alexia sente-se levemente cansada após despejar toda aquela quantidade de seu líquido vital de uma só vez. Armand, ao ver que o objeto está cheio, acena com a cabeça para as pessoas na loja. Estes caminham calmamente em direção à porta, mas param lá. Ele então pega o telefone e clica no mesmo número e no botão de ligar.

- Aqui é Strauss, Richard está ai perto, não? Preciso falar com ele. - Alguns segundo se passam e ele retorna sua fala. - Richard! Tenho um daqueles "pacotes" que você bem conhece aqui na minha frente e ele precisa, com urgência, chegar na Escócia. - Ele olha para Alexia e sorri ao chamá-la de pacote. - Em quanto tempo você consegue preparar o transporte? - O homem do outro lado da linha fala algo. - Certo, em meia hora o pacote estará ai. Enviarei uma fotografia para que você possa reconhecê-la.

Ele desliga o telefone e vira um celular para Alexia. Uma foto sua para que ele possa identificá-la. Assim que retira a foto, Armand envia a imagem pelo aparelho e volta-se novamente para Alexia.

- Foi um prazer fazer negócios com você. - Diz ele retirando o jarro da mesa e guardando-o em baixo desta. - Este cavalheiro irá levá-la de carro até o aeroporto, onde Richard ou algum de seus funcionários irá lhe mostrar o como serás transportada. - O homem que indicou à Alexia onde encontrar Armand está agora na porta da "cabine" onde a Tremere e Armand estão.

- Podemos seguir senhorita? - Pergunta o homem.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 28, 2017 3:50 pm

Jonah Fox:


Características - Fox:

- PS: 8
- FdV: 7
- Vitalidade: Normal
- Garras da Besta
- Sentidos Aguçados


Rolagem de Dados - Fox:

Fox: Mover-se - 5 Sucesso(s)
Ramsés Percepção - XX Sucesso(s)

Fox: Percepção - 3 Sucesso(s)
Ramsés Mover-se - 5 Sucesso(s)



Ao ver a área que o cerca tornando-se uma floresta, Fox fica atônito por alguns instantes, sendo "acordado" pela voz de Victor, que some do seu lado, assim como qualquer entrada ou saída da sala. Em um primeiro momento, o Gangrel acredita estar fora da realidade, mas quem poderia dizer se ele realmente não está?

Após ser acordado, Fox coloca suas habilidades a prova, tentando subir em silêncio a árvore mais próxima. Ele o faz rapidamente e sem nenhum problema. Ao olhar ao redor, nenhum sinal de seu oponente, que deve estar procurando por ele naquele mesmo momento. O Forasteiro, então, move-se em direção ao centro do local... mas nada lembra mais o centro, pois as paredes haviam sumido completamente, dando a impressão de que os dois agora estavam em um espaço completamente aberto.

em sua movimentação, Fox tenta encontrar seu oponente, sem sucessos. Talvez o som da água movendo-se ou mesmo a pressão por estar naquele espaço completamente fechado estão inibindo os sentidos do caçador.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 28, 2017 11:50 pm

Rian:


Rian escreveu:- Feitiço?! Ah, era só o que faltava mesmo. Olha, esquece esse assunto, afinal parece que aconteceu muita coisa enquanto eu dormi. Que diabos está acontecendo nessa cidade? Por favor, me conte o que aconteceu!


- Você vai fugir assim? - Ela sorri em tom de deboche. - Essa mochila não ficará com você, nem se preocupe. Só mostrei para ver qual seria sua reação. Eu conheço a dona da mochila e ela retornará para o lugar de onde veio. E nem venha chorar do meu lado, pode colocá-la lá atrás de volta. - Diz Franklim enquanto Rian vasculha a mochila de Marie. - Mas se você quer saber o que aconteceu é simplesmente porque não quis prestar atenção ao que estava bem na sua frente. O que diabos você fez nesta cidade desde que chegou aqui? Você não conseguiu ver nada além do seu próprio umbigo?

A mulher gira o volante pegando uma estrada de terra.

- Mas tudo bem, eu falo. Houve um ataque na cidade... e a mulher que você ajudou a capturar está sendo interrogada neste exato momento. Além disso, os peritos encontraram uma tatuagem suspeita no corpo do homem que o Tenente Wallace e você permitiram que cometesse suicídio. Junte isso com o fato de alguns vampiros terem visto uma matilha de lobos gigantescos rondando a cidade. Por isso nós estamos indo para a mansão do sr. Roden. Neste exato momento está acontecendo uma reunião entre os líderes vampiros da cidade.

O caminho seguido por Frankliim até a residência de Roden é todo de barro, assim como foi nas outras vezes que Rian teve de ir ou sair da casa do Xerife. Mais vinte minutos e os dois chegam a mansão. Logo na entrada Rian percebe que algo está diferente, pois vários carros estão parados na entrada. Tanto no portão como em vários pontos do terreno o Gangrel pôde verificar a presença de homens muito bem armados dando voltas, vistoriando tudo.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Seg Maio 29, 2017 4:58 pm

- Essa mochila não ficará com você, nem se preocupe. Só mostrei para ver qual seria sua reação. Eu conheço a dona da mochila e ela retornará para o lugar de onde veio. E nem venha chorar do meu lado, pode colocá-la lá atrás de volta.

"- Mas que droga!! Parece que estou numa maré de azar com essa maldita mulher! Não vejo a hora de sair desse carro! Talvez seja melhor deixar essa questão da mochila e a Marie pra lá. Afinal, a mochila seria um bom motivo para me aproximar dela. Portanto, se eu tiver tempo pra trabalhar em cima da Marie, vou procurar outra alternativa, não estou mais afim de discutir com essa puta de Marcílius que é um pé no saco!"

Um minuto se passava... eu refletia sobre minhas opções... "- Até que ponto vale a pena ir atrás de Marie? Ela daria uma boa carniçal? Ela é bonita... é tudo que eu sei... Na verdade, uma beleza rara de se encontrar. Creio que só isso já seja o bastante para o Clã Toreador abraçar alguém. Então, já deve ter alguma serventia. Talvez eu devesse deixar de ser um bom cordeirinho e começar a ser um pouco mais, digamos... Radical!"

Encarava a minha motorista por um instante enquanto pensava no que poderia fazer... eu poderia deixar essa mochila pra lá, deixar Marie pra lá... e seguir em frente, como um bom garoto, sem criar caso. Contudo... se eu quisesse mesmo criar um vínculo com Marie teria que assumir uma posição mais ofensiva e assumir também os riscos com isso.
"- Muito bem... Eu quero a Marie. Então, se eu quero a Marie... vou "persuadir" a sargento..." Encarava ela friamente enquanto pensava e tomava essa decisão.
- Escuta aqui... Em um movimento rápido segurava a mão direita da militar que estava no volante, mantendo ela presa ao volante, de forma que ela pudesse continuar dirigindo mas não conseguisse se soltar do volante.
- Já me cansei das suas broncas. Essa mochila vai ficar comigo! E é melhor que você fique na sua e pare de bancar a durona, porque eu posso ser muito, mas muuuito malvado mesmo! Nesse momento impunha uma força maior sobre o punho da mulher. Manteria meus olhos fitando a face dela para saber dosar a força. Não pretendia machucá-la, apenas demonstrar que eu estava disposto a machucá-la caso ela insistisse naquele assunto.
- Mas acredito que não vai ser preciso quebrar sua mão junto com o volante, não é mesmo, sargento?! Finalizava com um sorriso sádico soltando a mão dela.
- Mas tudo bem, eu falo. Houve um ataque na cidade... e a mulher que você ajudou a capturar está sendo interrogada neste exato momento. Além disso, os peritos encontraram uma tatuagem suspeita no corpo do homem que o Tenente Wallace e você permitiram que cometesse suicídio. Junte isso com o fato de alguns vampiros terem visto uma matilha de lobos gigantescos rondando a cidade. Por isso nós estamos indo para a mansão do sr. Roden. Neste exato momento está acontecendo uma reunião entre os líderes vampiros da cidade.

- Olha só! Você fala em um tom como se tivesse sido incompetência minha e do tenente Wallace aquele cara cometer suicídio. Mas duvido que se fosse você em nosso lugar o resultado teria sido diferente. Na verdade se eu não estivesse lá, ele nem ao menos teria sido capturado e tudo que você teria era apenas um relato do tenente Wallace de uma galerinha correndo pela floresta. Então acho que eu e o tenente Wallace merecemos ao menos algo do tipo: "Obrigado, Rian! Eu sei que você deu o melhor de você lá!" Não concorda, sargento?!

Não deixo de expressar uma certa ironia em minhas palavras. Essa mulher estava sendo um pé no saco e se achava uma sabichona. Se Marcílius era o vampiro que mais tinha despertado minha antipatia, incrivelmente algo passou dele para ela, pois ela agora era a humana que mais me irritava na Escócia. Talvez eu preferisse a companhia de Caroline, ou seja lá quem seja aquela mulher, do que essa cria de Marcílius.

Logo chegávamos ao Castelo.
- Ah, finalmente chegamos! Eu já não via a hora de me despedir da senhora, sargento!
Caminho rapidamente até a entrada, notando que o lugar estava bem diferente.
"- É... parece que tem muita gente graúda aqui hoje."

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Diana Luna. em Seg Maio 29, 2017 5:46 pm

- Aqui é Strauss, Richard está ai perto, não? Preciso falar com ele. - Alguns segundo se passam e ele retorna sua fala. - Richard! Tenho um daqueles "pacotes" que você bem conhece aqui na minha frente e ele precisa, com urgência, chegar na Escócia. - Ele olha para mim e sorri ao me chamar de pacote! - Em quanto tempo você consegue preparar o transporte? - O homem do outro lado da linha fala algo. - Certo, em meia hora o pacote estará ai. Enviarei uma fotografia para que você possa reconhecê-la.

Eu percebi o extremo desperdício de vitae. Aquele homem é um porco. Não tive escolha no momento. Acompanhei todo aquele processo degradante. Tive que deixá-lo até mesmo tirar uma foto minha. Quando tiver a oportunidade, preciso perguntar a Mirella onde ela encontra esses tipos.

Ele precisa morrer...

- Foi um prazer fazer negócios com você. - Diz ele retirando o jarro da mesa e guardando-o em baixo desta. - Este cavalheiro irá levá-la de carro até o aeroporto, onde Richard ou algum de seus funcionários irá lhe mostrar o como serás transportada. - O homem que indicou à Alexia onde encontrar Armand está agora na porta da "cabine" onde a Tremere e Armand estão.

- Podemos seguir senhorita?


Eu olhei para o senhor que me dirigia a pergunta. Esse parecia ser bem mais educado do que esse cretino do Strauss. Antes de ir, olhei para esse ser repulsivo atrás de sua mesa e lhe sorri. Não de forma natural, mas sim de forma ameaçadora.

- Não vai ser a última vez que faremos negócios juntos, senhor Strauss - acho que ele entendeu que ele vai morrer da próxima vez que nos encontrarmos - faça muito bom proveito do meu "pagamento".

Eu então virei mais descontraída e gentil para o senhor.

- Vamos sim, meu senhor. Obrigada.


É incrível como existem humanos que não sabem seu lugar no mundo. Bem, dessa vez eu estive refém das circunstâncias, mas da próxima vez não estarei.
avatar
Diana Luna.

Data de inscrição : 19/11/2016
Idade : 25
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Ter Maio 30, 2017 6:16 pm

Alexia Grimaldi:


- Não se preocupe, eu farei bom proveito... e espero ansiosamente por nossa próxima negociação. - Diz o homem sorrindo para o frasco em sua frente. Ele nem mais nota a presença de Alexia. Em sua face está claro que seu único pensamento agora é no quanto ele conseguirá obter com o vitae da Tremere. No outro lado, o homem estende o braço para que Alexia possa apoiar-se nele durante a caminhada.

- Como posso chamá-la, senhorita? - Diz o homem enquanto caminha junto com a Tremere em direção a um carro na lateral do galpão. Ele abre a porta para Alexia e espera que esta entre para poder fechá-la. Com a garota dentro do carro, o homem segue para o lugar do motorista, liga o carro e ambos seguem para o aeroporto. O caminho não é diferente do esperado, com riqueza e pobreza caminhando lado a lado durante todo o percurso. Após 30 minutos, o aeroporto está na frente de Alexia.

O homem deixa o carro no estacionamento e acompanha a garota até uma sala que, como escrito na porta, deve ser acessado somente por pessoas com autorização.

- O senhor Richard estará lhe esperando ai dentro. Tenha uma boa noite senhorita.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Undead King em Ter Maio 30, 2017 6:53 pm

Conforme o homem se aproximava, um leve receio sobre o que ele poderia fazer aparecia. Não chegava a ser algo que se comparasse com o medo que eu sentia nos pesadelos. Ele falava de forma cortês, mas para mim eram apenas palavras bonitas em meio a algo vazio, não tinham serventia nesse tipo de situação, só indicavam que ele era um cara que trabalhava em algum meio social. Somente aquele estilo de roupagem que ele usava dizia o contrário, alguém que vive do social tem que ter uma boa aparência. A calça me parecia de ótima qualidade, talvez até sido feita por algum daqueles astros da moda. Só aquela regata e o sapato sujo estavam errados. E eu nem era um conhecedor dessa área da moda... talvez o visual dele esteja incompleto, ele deve usar algo por cima daquela camisa e o sapato só indica que ele andou sobre terra. Enquanto eu observava isso tudo, ele retornava a falar
Homem escreveu: Você está com medo de mim? Não precisa ficar assim, eu não farei nada contigo. Além do mais, se não conseguires controlar-se em minha presença, então não conseguirá passar pelo que está sendo preparado para você,o motivo de estar aqui, neste lugar. Vamos, olhe para mim... eu não sou tão feio assim.
- Quem disse que estou com medo? O máximo que tenho sobre você é um receio.  - Um certo desprezo pelo que ele havia dito saía da minha boca. Meu tom mudava no entanto quando eu continuava - Se você me disser o que está sendo preparado para mim, talvez eu me controle. Porque a cada noite que passa, essa.. sombra, coisa, seja lá o que for, se aproxima mais um pouco de mim. O que vai acontecer quando ela me alcançar? Muita merda, eu lhe digo. Você sabe disso. E se é esse tipo de merda que vocês preparam para mim, pode ter certeza de que eu não vou me controlar, apesar de eu achar que estou muito bem controlado ainda. - Dizia calmamente, eu próprio analisava essa idéia enquanto falava. - Hahahah, não, o que me aflinge não é sua beleza, e sim o seus olhos. Sei muito bem como eles funcionam. Eu olho e não consigo me mexer, e aí vocês fazem o que quiserem comigo. E já que tentou parecer bem educado e cortês , vou lhe dar uma dica. É de extrema falta de educação não se apresentar, principalmente quando alguém pergunta seu nome. - Um sorriso esnobe também se formava. Eu havia ficado 4 dias sem falar com ninguém salvo meu vizinho de cela. Eu descarregava toda a tensão nessa conversa. Talvez pudesse ofender esse homem de alguma forma falando assim, mas me divertia um pouco com essa possibilidade de me ferrar mais ainda. Se eu terminasse como meu vizinho, qualquer coisa que eles fizessem comigo não poderia ser pior.
avatar
Undead King

Data de inscrição : 03/07/2015
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Beaumont em Qua Maio 31, 2017 7:21 am

Sem dúvidas estar com Bistrol abriu os olhos de Markus para uma nova perspectiva racional. 

"A noticia sobre Antony pertencer a nossa familia muda toda a minha concepção sobre a importancia de nossa familia em Edimburgo. Nossa influencia aqui se mostrou vasta e precisa continuar desta maneira."

Markus : - Essa pesquisa por toda essa cultura Celta deve ter um fundamento indiscritivel, preciso mais do nunca me encontrar com Caroline e entender no que o Regente estava se metendo. E mantenha os olhos em Roden, ouça o que eu estou dizendo. Ele não é confiável, ao menos eu não depositaria minha não vida nas mãos dele. Nosso clã precisa se manter unido mais do nunca Sr. Bistrol esses ataques que vem ocorrendo na cidade estão enfraquecendo cada vez mais a fortaleza da Camarilla. A concentração do Sabá em Glasgow e a ameaça Anarquista. Eu preciso encontrar Antony o quanto antes e reaver nossa força nesta cidade antes que percamos o poder para os Ventrue ou para Roden. 

Nesse momento Markus quase teve o impeto de se levantar, mas não adiantaria muito faze-lo já que ainda precisava esperar por Caroline. 

Enquanto esperava por Caroline, Markus volta a sua atenção as informações no seu celular. Ele ainda tinha esperanças de receber alguma noticia de Alessa atraves do Padre Alfred e esperava ansiosamente para que recebesse algum e-mail em sua caixa de correio. Depois de verificar seus e-mails o vampiro começo a escrever uma mensagem rapida para Kate: 

Mensagem escreveu: - Kate, preciso que você pesquise mais sobre os atentados que estão acontecendo em Edimburgo e tente encontrar alguma ligação com o nome Roden. Qualquer informação é importante, Nome Completo. Nacionalidade, ano em que nasceu. Tudo o que puder encontrar sobre ele e os atentados que estejam relacionados. Me avise se precisar de alguma coisa. 

Markus então esperaria por Caroline e pela resposta de Kate para dar continuidade a sua investigação.

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Jun 04, 2017 7:20 pm

Arnald Bradley:


- Ouvir você falar me faz entender o porque do Roden ter se enfurecido contigo... - Como Arnald não olha para o rosto do homem, é difícil fazer qualquer leitura sobre seu comportamento, embora o som que lembra um sorriso
é ouvido pelo Ventrue. - Mas vamos lá, não seja louco. Eu sou mais maleável que o Xerife, gosto muito desse tipo de insanidade. Contudo, não suporto burrice.

Ele caminha até o colchão e senta-se no lugar onde Arnald dormira. O homem encosta na parede, ficando com os olhos completamente voltados para o rosto do Ventrue durante todo o percurso.

- Sente ao meu lado e olhe para mim. Se fosse de nossa vontade, você estaria morto a muito tempo... Se eu quisesse fazer algo diferente.. eu já teria feito. Agora vamos conversar como seres inteligentes, nós estamos no topo da cadeia alimentar, somos o suprassumo da evolução. Portanto, sejamos razoáveis e vamos colocar os pontos nos "is". Você quer saber meu nome? Podes me chamar de Sebastián. O que você veio fazer aqui? Você ficará frente a frente com esta "sombra" no mundo dela.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Jun 04, 2017 8:16 pm

Markus F. Hunt:


Markus escreveu:- Essa pesquisa por toda essa cultura Celta deve ter um fundamento indiscritivel, preciso mais do nunca me encontrar com Caroline e entender no que o Regente estava se metendo. E mantenha os olhos em Roden, ouça o que eu estou dizendo. Ele não é confiável, ao menos eu não depositaria minha não vida nas mãos dele. Nosso clã precisa se manter unido mais do nunca Sr. Bistrol esses ataques que vem ocorrendo na cidade estão enfraquecendo cada vez mais a fortaleza da Camarilla. A concentração do Sabá em Glasgow e a ameaça Anarquista. Eu preciso encontrar Antony o quanto antes e reaver nossa força nesta cidade antes que percamos o poder para os Ventrue ou para Roden.


- Nossos antepassados celtas fizeram maravilhas quando pensamos em magia, e um pouco disso ainda está embutido no mundo nos dias atuais. A introdução da forja de metais na maior parte da Europa foi algo que veio com eles. Nestas terras, a centenas de anos atrás, haviam grandes de escolas para a formação de Druidas, e grandes nomes vieram desta cidade. Contudo, pouco se sabe sobre eles... vários loucos tentam dizer que descobriram algo novo.. mas é tudo besteira. Anthony, aparentemente, havia feito uma descoberta grande. - A voz de Bristol é sempre contida, mantendo-se em um tom sempre constante. - Mas não se preocupe, Caroline não mais tardará, embora não sei se você conseguirá retirar algo dela... Enquanto esperamos, há algo mais que você queria saber par adar prosseguimento às investigações? - Ele volta a encostar-se na cadeira.

Assim que a conversa diminui, Markus pega seu celular e tenta entra na conta de e-mail. Ao olhar para a tela, ele percebe que o aparelho está sem sinal tanto da linha como de internet.

- Aqui embaixo você não conseguirá acessar este aparelho.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Seg Jun 05, 2017 9:50 pm

Rian:

Características - Rian:

- PS: 6
- FdV: 2
- Vitalidade: Ferido (-1 Agravado, -1 Contusão)


Rolagem de Dados - Rian/Franklim:

Rian: Intimidação - 1 Sucesso(s)

Rian: Percepção - 2 Sucesso(s)

Franklim: Atirar (queima-roupa) - 6 Sucesso(s)
Rian: Esquiva - 1 Sucesso(s)

Franklim: Dano - 5 Sucesso(s)
Rian: Absorção de dano - 2 Sucesso(s)



Irritado com a situação que lhe foi imposta pela presença de Franklim, Rian resolve que será um pouco mais incisivo com a mulher e que pegará a mochila de Marie para si com ou sem o consentimento da Sargento:

Rian escreveu:- Escuta aqui... Em um movimento rápido segurava a mão direita da militar que estava no volante, mantendo ela presa ao volante, de forma que ela pudesse continuar dirigindo mas não conseguisse se soltar do volante.

- Já me cansei das suas broncas. Essa mochila vai ficar comigo! E é melhor que você fique na sua e pare de bancar a durona, porque eu posso ser muito, mas muuuito malvado mesmo! Mas acredito que não vai ser preciso quebrar sua mão junto com o volante, não é mesmo, sargento?!

Enquanto ele aperta a mão da mulher e olha para seu rosto, o Gangrel pode perceber claramente que a mulher começou a entrar em conflito... ela realmente sentiu-se tentada a cair na coerção física realizada pelo cainita. Contudo, algo mudou de um instante para o outro. Uma força surgiu e estampo-se em sua face e, ele não vê muito bem o que está acontecendo... mas sabe que algo moveu dentro do carro no lado esquerdo do motorista. Voltando seu olhar para o colo da mulher, Rian ainda tenta afastar a mão, mas a arma da mulher, junto com sua velocidade sobrenatural são muito mais rápidos. Rian só sente a dor de ter seu braço perfurado pela bala, que trinca o vidro do passageiro ao atingi-lo.

- Eu lhe disse, não banque o imbecil comigo.. não vai dar certo. - Ainda segurando a arma apontada pra Rian com a mãe esquerda, ela continua a dirigir com a direita. - Agora deixe esta mochila no banco de trás e cure este ferimento... Nós iremos para onde os antigos desta cidade estão e, pelo que sei, eles estão loucos por carne nova.. ou melhor, sangue de um jovem vampiro.


Última edição por Fuuma Monou em Seg Jun 12, 2017 6:28 pm, editado 1 vez(es)

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Undead King em Ter Jun 06, 2017 1:36 pm

Homem escreveu:- Ouvir você falar me faz entender o porque do Roden ter se enfurecido contigo...
- Eu faço o que posso...  além do mais, agi dessa forma com o Xerife por que não gostava dele. Com você, bem, não tenho nada a favor ou contra, mas quando te estacam por 3 dias, e te deixam à beira do frenesi, é normal não nos apegarmos ao nosso bem-estar. - Falava sem olhar para o rosto daquele cara. Normalmente eu nunca agiria assim, mas eu sentia que não tinha muito a perder, e rir da cara dos meus captores era minha única forma de resistência. Fora que eu já estava com muito estresse graças a esses últimos dias. Porém eu fechava os olhos por alguns segundos, tentando controlar esses impulsos. O que o homem falou estava certo, eu não estava me controlando. Eu tinha objetivos que ainda pretendia cumprir, o Bradley esperto sempre era mais frio e calculista,  conseguia as coisas sendo assim. Eu podia conseguir algumas coisas se eu me controlasse e dissesse as palavras certas. Isso se esse cara não me enviar pra morte, é claro.
Homem escreveu: - Mas vamos lá, não seja louco. Eu sou mais maleável queo Xerife, gosto muito desse tipo de insanidade. Contudo, não suporto burrice.
Essa última frase apontava que ele não pretendia me esfolar vivo, ao contrário. Parecia que ele tinha gostado disso. Um sorriso leve se formava na minha face com essa idéia. De repente ele começava a caminhar em direção a minha "cama", e eu evitava olhar diretamente para os olhos dele. Não sabia as motivações dele ainda, preferia me precaver, afinal ele talvez só estivesse brincando comigo. Ele se sentava no colchão, e eu me dirigia até ele evitando os olhos dele. Ficava de frente a ele, então ele me convidava a sentar. Eu o fazia, inclusive lhe olhava no rosto mas sem olhar diretamente seus olhos.
Sebastián escreveu: Se fosse de nossa vontade, você estaria morto a muito tempo... Se eu quisesse fazer algo diferente.. eu já teria feito. Agora vamos conversar como seres inteligentes, nós estamos no topo da cadeia alimentar, somos o suprassumo da evolução. Portanto, sejamos razoáveise vamos colocar os pontos nos "is". Você quer saber meu nome? Podes me chamarde Sebastián. O que você veio fazer aqui? Você ficará frente a frente com esta"sombra" no mundo dela.
Eu o ouvia atentamente, balançando a cabeça como alguém que estivesse concordando. Agora meu rosto só demonstrava o vampiro cansado que eu era no momento, sem qualquer máscara de ironia. Eu já sabia que se ele quisesse me ver morto, ele já teria me matado. Eu evitava olhar para seus olhos porque eu sabia que talvez eles quisessem me mudar de lugar sem me ferirem. Contudo, a sua última frase me deixava realmente temeroso. Me colocar frente a frente com aquela sombra, no mundo dela? Não, eu mal conseguia encarar ela em meus sonhos! Imagine no mundo dela! E o que era esse negócio de mundo dela também? Eu falava, deixando transparecer sem querer uma pequena dose de nervosismo - Então vocês pretendem me colocar frente a frente com a sombra.. entendi. Mas o que impede de eu me suicidar só pra sacanear vocês e o Roden? Não que eu pretenda fazer isso agora, eu acredito que eu seja substituível, e como eu falei, nem sempre o que acreditamos é verdade. Se eu não for o único que pode fazer isso, essa sacanagem perderia o sentido e eu não sou do tipo que desperdiça a própria vida por algo sem sentido. - Fazia uma pausa para resposta do homem, e depois continuava   - Já que estamos colocando tudo em panos limpos, gostaria que me respondesse algumas perguntas, Sr. Sebastián. Por que vocês querem me botar perto dessa sombra? O que é esse mundo dessa sombra? O que aquela mulher de quem bebi o sangue tem haver com isso, juntamente com aqueles atentados que formaram vários símbolos na cidade? E principalmente, quem são vocês? - Falava de forma calma e séria, sem olhar para os olhos de Sebastián. Eu acreditava que ele não iria responder todos os questionamentos, mas para os que ele respondesse, tentaria perceber sinais de que ele estava mentindo ou omitindo. Era claro que seja lá o que for que eles pretendiam para mim, eu acabaria morto, então era melhor me informar o máximo para caso tentassem acabar comigo eu estivesse preparado.
avatar
Undead King

Data de inscrição : 03/07/2015
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Baruch King, O Anjo Caído em Ter Jun 06, 2017 7:06 pm

- Veja bem. Agora você deve estar cheio de dúvidas sobre quem ou o que eu sou... amigo ou inimigo. Vamos dizer que sou um amigo da.. como você chamou? Santo ofício. Durante algumas situações do meu passado tive que interagir que alguns de vocês e isso acabou nos aproximando. Devido a esse meu "laço", se é que pode-se usar essa palavra, acabei sabendo que um membro viria para cá. Contudo, não tinha certeza de quem seria tal cainita. Mas com a sua reação somada ao seu discurso, não há mais dúvida nenhuma. Assim, não precisas se preocupar... sua missão deve pedir sigilo e, como tal, as palavras ditas aqui ficarão só entre nós. Da mesma forma, se eu souber de algo estranho irei falar contigo diretamente.

-- Um ponto para você, caro Bispo... - Baruch tenta disfarçar a raiva por ter sido "ludibriado" e entregar seu disfarce com um pouco de humor. -- Veremos se, em algum momento, equilibrarei o placar.

- Meu nome é Ronald e o dele é Robin. Somos parte do grupo Hell's fire. O Bispo Anderson nos falou que teríamos um novo membro hoje. Queira entrar e sentar-se, pois assim poderemos conversar melhor.

-- Claro. - Baruch entra na sala, fechando a porta atrás de si.
Ao sentar-se, ele preocupava-se em, discretamente, manter sua espada à seu alcance. Mantendo sua lâmina encostada no chão e sua mão pousada, relaxadamente, sobre sua empunhadura, como uma espécie de apoio para o braço.
-- É mesmo? Ele disse que me apresentaria os bandos sob sua tutela. Tive pouco tempo desde que cheguei para escolher um e, bem, admito que não vi muitas opções que tivessem um modus operandi interessante.

Baruch olharia para cada um dos vampiros naquela sala, avaliando suas reações.

-- Como podemos começar? Fiquei bastante interessado em seu estilo de combate, de onde vim, não são frequentes os bandos que permanecem fiéis aos velhos tempos...

_________________
Nós queremos ver você se curvar à escuridão. Você quer nos seguir através da noite? Você nunca morrerá como uma criança da noite
Encare sua morte com orgulho, Ele irá vê-lo sorrir.  Com seus olhos brilhantes como estrelas, ele matará a todos, sem remorso. Fome pela escuridão golpeando seu coração, enegrecido desde o início, seu mal arrasta-se em sua mente. Provocando arrepios na espinha, Ele é a Noite! Alegrai-vos na carnificina, sabem que a merecem.





Spoiler:

"Penso, Logo Existo"
- Sussurros, pois ninguém deve nos ouvir.
-- Por que não falamos de igual para igual?
--- Gritos, pois devo ser ouvido.
*Atos, pois não devo confiar apenas nas palavras.*
avatar
Baruch King, O Anjo Caído

Data de inscrição : 29/06/2013
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Beaumont em Sab Jun 10, 2017 9:56 am

Markus ao ouvir o comentário do Regente, acaba então salvando a mensagem para enviar mais tarde. Havia um misto de frustação na face de Hunt exatamente por saber que a revelação de um segredo como este poderia ser muito interessante para o cenário da familia. Novas descobertas e um novo leque de possibilidades a ser estudadas, como arqueólogo que sempre foi, a cultura celta nao era por base um de seus campos mais estudados mas descobrir mais sobre a cultura estava começando a ser mais um atrativo para o Tremere. 

Tentando não perder o foco na conversa Markus movimentou-se na cadeira e guardou o celular para que depois pudesse usa-lo para enviar a mensagem a sua carniçal. 

Markus Hunt : - Por que acha que Caroline não irá contribuir com a procura de Anthony . O senhor mencionou já outra vez esse desentendimento entre ela e o Regente mas não foi tão profundo. Haveria algum motivo para a Tremere querer que Anthony continuasse desaparecido ? 

Por mais que Markus não quisesse ele precisava encontrar alguém que o levasse a Anthony, um possivel sequestrador quem sabe, Markus pensou nessa possibilidade para Roden e até mesmo para Caroline, claro que o sangue do clã nunca permitiria uma traição dessa magnetude, uma desavença até que poderia ocorrer mas se ela estivesse envolvida em um rapto do príncipe isso seria grave. 

Markus então deixou de pensar, não haveria porque pensar tanto em acusações agora. Ele precisava de pistas que levassem ao sumiço de Anthony Hotgan. Ele não queria pensar mas talvez ele já estivesse até nas mãos do Sabá de Glasgow. 

Restava a Markus esperar Caroline para dar seguimento a sua investigação.

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Sab Jun 10, 2017 10:17 am

Levou algum instante para eu perceber o que havia acontecido. O cheiro de pólvora, o vidro trincado e um estampido. Seguido de uma dor em meu braço. A vagabunda não havia se intimidado e ainda havia disparado um tiro em mim. Eu sabia do risco. Sabia que a ameaça teria dois possíveis resultados. Um bom, que era ela recuar e ceder e outro ruim. Infelizmente eu complicava a minha situação, além de não conseguir o que queria. Agora, além de estar com pouco sangue no corpo estava bastante ferido.
- Aaaaaaaaah! Sua maldita!
- Agora deixe esta mochila no banco de trás e cure este ferimento... Nós iremos para onde os antigos desta cidade estão e, pelo que sei, eles estão loucos por carne nova.. ou melhor, sangue de um jovem vampiro.
Um sorriso sádico surgia em meu rosto ao escutar aquela frase. - Estou com pouco sangue... se eu me curar... meu olhar ia de encontro ao dela -... Pode acontecer com você o mesmo que aconteceu com seu querido Mestre. Olhava agora para a sua arma. - E acredite! Isso aqui não vai me parar! Hahahaha!
- Agora apenas olhe para frente e dirija, senão você vai acabar batendo esse carro! "- Maldição... eu poderia levar isso aqui até as últimas consequências. Talvez ela até morreria. Contudo não acho que isso valeria a pena. No final eu apenas estaria em mais débito ainda com Marcílius. Mas que droga! Pelo que a sargento Franklim diz, parece haver algo reservado para mim nessa reunião. Talvez seja melhor eu não aparecer lá desse jeito..."

Manteria minha postura serena e tranquila. Mas na verdade eu já tinha decidido que não entraria naquele castelo com pouco sangue e pelas portas da frente. Na primeira oportunidade que surgisse, com a sargento Franklim desviando seus olhos para a estrada à frente eu salto para fora do carro quebrando o vidro da janela juntamente com a mochila de Marie. Fugiria pela cidade ou pelo bosque, seja lá qual fosse a paisagem à nossa margem. Iria ao castelo, mas não daquela forma, como um prisioneiro de Franklim.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Jun 11, 2017 2:29 pm

Arnald Bradley:

Arnald escreveu:- Eu faço o que posso...  além do mais, agi dessa forma com o Xerife por que não gostava dele. Com você, bem, não tenho nada a favor ou contra, mas quando te estacam por 3 dias, e te deixam à beira do frenesi, é normal não nos apegarmos ao nosso bem-estar.

Como Arnald não consegue ver o rosto de Sebastián, este só consegue ver que ele da de ombros ao ouvir as palavras do Ventrue.

Arnald escreveu:- Então vocês pretendem me colocar frente a frente com a sombra.. entendi. Mas o que impede de eu me suicidar só pra sacanear vocês e o Roden? Não que eu pretenda fazer isso agora, eu acredito que eu seja substituível, e como eu falei, nem sempre o que acreditamos é verdade. Se eu não for o único que pode fazer isso, essa sacanagem perderia o sentido e eu não sou do tipo que desperdiça a própria vida por algo sem sentido.

Seguindo Sebastián até o local em que dormiu, Arnald senta-se e os dois começam uma conversa. De forma bastante limpa o homem conta ao Ventrue o que esperam dele e, com isso, Bradley aproveita para tentar obter um pouco mais de informações.

- Posso lhe dizer que esperamos que você se saia bem, uma vez que sua "infecção", como costumamos chamar, não se deu de forma direta... mas você realmente é substituível. Pode ocorrer tudo bem e, ai sim, você será alguém muito importante, mas pode dar tudo errado e te jogaremos de volta nesta cela até a sua morte, o que não demorará muito tempo, tenha certeza. - Olhando para a boca do homem, Bradley percebe um sorriso formar-se.

Arnald escreveu:- Já que estamos colocando tudo em panos limpos, gostaria que me respondesse algumas perguntas, Sr. Sebastián. Por que vocês querem me botar perto dessa sombra? O que é esse mundo dessa sombra? O que aquela mulher de quem bebi o sangue tem haver com isso, juntamente com aqueles atentados que formaram vários símbolos na cidade? E principalmente, quem são vocês?

Com as respostas de Sebastián, Arnald continua a conversar com o homem. O cainita consegue captar que há algo no ar... algo estranho, como se ambos estivessem criando algum tipo de vínculo, pelo menos da parte do homem. Ele responde sinceramente às perguntas de Bradley sem rodeios e em um tom bastante amistoso para a situação, como se ambos estivessem em uma conversa de amigos que não se viam a muito tempo.

- Infelizmente não posso responder algumas de suas perguntas até o seu retorno, nós já tivemos problemas com isso anteriormente... até o fato de você estar aqui agora é parte deste erro. A mulher de quem você bebeu, provável causa da sua infecção, saiu destas celas.... foi uma loucura... mas voltando... O que é este mundo para onde você será levado. Imagine o seu sonho, este onde a sombra aparece. É exatamente para este lugar que você irá. Lá as coisas serão um pouco diferentes. Você poderá se mover livremente, falar, socar... usar algumas de suas habilidades sobrenaturais. Contudo, isso tem um preço. - Ele volta a levantar-se. - Mas haverá uma pessoa para lhe explicar tudo isso mais tarde. Você perguntou quem somos... Acho que o termo certo seja, salvadores do mundo. - Ele estende a mão para Bradley. - Você está pronto para juntar-se a nós?

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum