O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Beaumont em Sab Maio 06, 2017 9:16 am

Markus repassava mentalmente as informações que havia colhido até então. 

"Primeiro de tudo, vou entrar em contato com a familia e obter o máximo de ajuda possivel e saber qual a posição de Bistrol nisso tudo. Segundo passo, vou verificar alguns dos endereços que eu recebi atraves da pista deixada por ele. Aquela lista parecia uma lista de alvos dos quais seu recptor mantinha uma vigilância. Encontrar Hotgan ou os restos mortais dele não será uma tarefa fácil..."

Quando chegou de frente a Capela o vampiro, verificou suas vestes, era cauteloso quanto a sua aparência quando estava a ponto de se apresentar para um outro membro da familia. 

Njord escreveu:- Chegamos.

Markus nada disse, resumiu-se a acenar com a cabeça enquanto saía do carro observando sutilmente a grande casa, de maneira Markus observeu a Aura de Bistrol ainda de longe. (Auspicios 2 - 9 Dados- Percepção da Aura) O objetivo de Markus era ter uma breve explanação de como estavam os sentimentos do vampiro regente da capela, de fato Markus já imaginava que ele não estaria muito contente com toda a situação mas ele queria saber mais ou menos os sinceros sentimentos de Bistrol. 

Assim que ele chegou mais perto, Markus desativou o seu poder e fez uma leve reverência educada colocando sua mão esquerda abaixo do peito direito e reclinando levemente o seu dorso por alguns segundos em seguida iniciou a conversa para com o senhor Regente do local. 

Markus Hunt: - Boa noite senhor Bistrol, no que posso ser útil ?

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Maio 06, 2017 3:26 pm

Gostaria de me desculpar com todos, pois a velocidade com que estou respondendo a vocês não está da forma como eu gostaria. Minha intenção é sempre fazê-lo dentro de 3 dias, mas neste semestre está sendo complicado. Estou tendo de correr para finalizar alguns trabalhos aqui em meu laboratório, além de ficar arrumando ocupações que não cabem a minha pessoa (mas ai é outra história ...), o que tem consumido muito de meu tempo.

Espero estar livre de algumas destas ocupações até o final desta primeira quinzena e retornar a narração normal.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Maio 06, 2017 3:56 pm

Baruch King:

Baruch escreveu:- A lâmina que costuma viajar comigo, embora não seja tradicional de algum local específico, fora forjada na Inglaterra. Foi um presente, de um "Anjo"... Passei um longo tempo no Novo Mundo e, bem, é perturbadora a dificuldade de se achar bons artesãos por lá.

- Tenho de concordar completamente contigo. É exatamente por isso que fui até a Dinamarca atrás de uma espada feita pelos grandes invasores do Reino Unido. Por séculos dinamarqueses e noruegueses invadiram estas terras e, assim que conseguiram se firmar, reinaram aqui por muito tempo. Minha espada vem desta época... uns setecentos anos, talvez, mas muito bem conservada... diferente dessas coisas que se vê por ai. Além do que, a mantenho sempre afiada e pronta para cortar algumas cabeças. Mas fale-me um pouco mais deste anjo.. você já viu tal coisa andando a ermo? - Até o momento Anderson está falando e olhando para a frente enquanto anda, mas nesta pergunta sua cabeça vira para Baruch e mostra que o mesmo está realmente curioso.

Os dois cainitas continuam conversando durante todo o percurso, tendo o som que sai por suas bocas sendo atrapalhado por um ou outro vampiro que comemora dentro de uma das inúmeras salas do território de Arthur.

Baruch escreveu:-Se me permite, discordo disso... Eu o faria, é claro, mas não acredito que qualquer um de nós faria o mesmo. Evidentemente, os mais antigos aqui presentes dificilmente pensariam mais do que uma vez antes de matar qualquer um neste complexo, se isso fosse lhes fazer alcançar seus objetivos. Mas duvido que todos pensem assim. Há muitos antigos aqui, mas também há muitas crianças da noite recém-nascidas... E eu já tive de transformar em cinzas um número suficiente de crianças da noite para perceber que muitos, até mesmo entre as fileiras da Espada de Caim, mantém costumes de quando caminhavam durante o dia.

- Talvez seja porque pensemos de maneira semelhante, caro Anderson? Você mostra saber bastante sobre mim... Por que não me fala mais sobre você? Posso supor algumas coisas, mas é sempre interessante ter "fontes seguras"... Pelo som de sua risada, vejo que não deve ter o costume de usar este gesto. Pela lâmina que carrega, suponho que seja um verdadeiro combatente, um homem endurecido pelo campo de batalha e moldado pelo nosso mundo... Há poucos verdadeiramente assim na Espada de Caim.

As palavras de Baruch não parecem surtir nenhum efeito sobre o Bispo, que simplesmente faz um movimento com os ombros indicando um "é possível".

- Mas diga-me, o que mais falta à minha análise? - Diz o Bispo com um sorriso malicioso no rosto. - O que podes me dizer um Inquisidor que, o que tudo indica, está tentando entrar na linha de frente em uma batalha pela posse de um país? Acreditei por muito tempo que esse tipo de comportamento fosse ridículo perante tão honrado grupo.


OFF: Para não ficar um post muito quebrado, a sua "apresentação" aos demais membros do bando ficará para o próximo post.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 07, 2017 12:14 pm

Jonah Fox:




Os olhares de todos os presentes na mesa se voltam para Fox assim que este responde à Victor. Este então volta a encostar-se na poltrona enquanto uma certa dúvida preenche seu semblante. Quase um minuto se passa sem que ninguém fale nem uma palavra e somente o som da música tocando ao fundo e das pessoas conversando passa pela mesa.

- Pois muito bem, siga-me. - Victor levanta-se. - Como você deve ter percebido, sou prático e gosto quando as coisas são resolvidas de forma rápida. Vimos que quando você chegou houve um pequeno desentendimento com um de nossos membros... Preciso testar algo antes de prosseguirmos com meu pedido, está tudo bem para você? Mas já de antemão lhe digo que, passando em tudo, sua recompensa será melhor do que poderias imaginar. - Ele afasta-se da mesa e anda em direção ao bar, onde toca no ombro do homem com olhos de serpente. Este faz uma leve reverência e, levantando-se, fica parado ao seu lado.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 07, 2017 1:09 pm

Arnald Bradley:


Arnald escreveu: - Roden usa um anel em formato de serpente no dedo, que parece que se enrola, igual você descreveu. Acho que não é todo mundo que tem esse tipo de anel, não é?

- Cara, ficar aqui falando contigo está realmente diminuindo as vozes... deve ser por isso que ela falava comigo... mas você está errado, alguns outros cainitas aqui dentro da cidade tem o mesmo tipo de anel, pelo menos os chefões... não sei dizer quantos, pois nunca fiz parte da "alta sociedade", mas isso eu sei dizer. Além disso, alguns membros de outras cidades também o tem, eu já vi um irlandês que veio visitar o Príncipe e tinha o mesmo anel. - Ele faz uma pausa breve e o barulho de batidas volta a soar. - Ela está voltando, droga... - Há som de passos vindos da cela ao lado e a voz do homem torna-se um pouco mais distante. - Dizem por ai que até alguns membros do Sabá também tem esse mesmo anel... e isso sempre foi uma brincadeira entre nós, os excluídos... que há uma sociedade secreta entre os figurões... que quer ferrar todo mundo.

Arnald ouve as palavras do homem e várias teorias se formam em sua mente. Ele retorna alguns dias antes, ao momento em que ele desobedeceu mais uma vez as palavras de Roden e, no lugar de alimentar-se dos homens indicados pelo Xerife, ele escolheu beber da invasora. Será que aquele momento foi o ponto decisivo de seu caminho até aquele momento? Ou terá sido alguma coisa antes ou depois? Não há como saber... mais ainda, seu futuro é completamente incerto. Pelo que o homem diz, ele mesmo começou sonhando com a sombra e, aos poucos, começou a desgraçar-se, até chegar ao ponto de automutilação, como ele afirma que a mulher que estava na cela ocupada agora por Arnald fez.

Arnald escreveu:- Me jogaram aqui quando souberam que eu estava sonhando com essa criatura sombria. O que eu acho estranho, é que eu comecei a sonhar com ela depois que bebi de uma mulher que controlava sombras. Aí Roden enfiou uma estaca improvisada em mim e fiquei 3 dias preso, sem fazer nada a não ser ver essa maldita criatura se aproximar de mim a cada noite...

Um grito de dor, essa é a resposta obtida por Bradley à sua pergunta. - Droga... Droga... meu dedo... droga... por que isso está acontecendo comigo.... droga... droga... - Soluços, como se o homem estivesse chorando chegam a cela de Arnald. - Isso dói... dói muito... - Mais soluços. - Isso precisa acabar... mas foi um alívio... realmente um alívio... como ela disse, a dor diminui as vozes... mas dói tanto... - Nada mais é dito por ele além dessas palavras durante toda a noite.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 07, 2017 2:28 pm

Rian:


Rolagem de Dados - Rian:

Rian: Percepção - 0 Sucesso(s)



Rian escreveu:- Relaxa, foi só uma pergunta inocente, sargento Franklim. Eu não sou tão perigoso assim. Não farei nada sem o seu consentimento. Por que estás com tanta pressa? Posso saber? O que está acontecendo?


- Não lhe acho perigoso, mas tente chegar perto que lhe encho a cabeça de balas. Não esqueça-se disso. Minha pressa, como você diz, se deve a reunião que está acontecendo na casa de Roden. Todos aqueles lobos em torno do senhor Marcílius... eu não posso deixá-lo sozinho por muito tempo, principalmente por um simples... por você. - Rian percebe claramente amor nas palavras da sargento Franklim quando ela fala do Ator. - Agora termine logo de se arrumar. - Com essas palavras ela segue ao guarda-roupas de Marcílius.

Rian entra no banheiro e sua primeira ação é levar a mão ao bolso para guardar a fotografia encontrada no caixão de Marcílius. Contudo, para sua surpresa, ela não estava mais lá. Provavelmente, com o caminhar até aquele cômodo, a foto caiu no chão, uma vez que já estava escorregando por sua perna quando Franklim abriu a porta do quarto secreto.

Rian escreveu:- Tô indo, relaxa!

Após ouvir as palavras de Rian, este ouve os passos de Franklim afastando-se. Ao sair do banho, o Gangrel encontra as roupas em cima da cama e a porta do quarto está fechada. Talvez um ou dois minutos depois novamente o som da mulher batendo na porta.

- Estais pronto? Em três minutos eu estarei entrando no carro e indo embora.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Dom Maio 07, 2017 6:25 pm

"- Mas que droga!! Onde a foto foi parar?!" Um desespero batia em meu coração. Eu não podia perder aquela foto. Não era minha intenção destruir aquela lembrança de Marcílius, eu precisava da foto, inteira! Vestia a roupa depressa e já começava a procurar pela foto. "- Droga, cadê você?"

Procurava primeiro pelo quarto e em seguida faria o caminho de volta. Eu sabia que as roupas estavam uns farrapos então eu sabia que a tinha deixado cair, só não sabia onde. Precisava apenas reencontrá-la. Somente após refazer o caminho de volta e após encontrar a foto é que eu iria para o carro. Não sairia dali sem a foto. Para isso, deixava meus olhos com a visão de uma águia para buscar e encontrar a foto rapidamente (Auspícius 1 - Visão)

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 07, 2017 8:24 pm

Markus F. Hunt:



Rolagem de Dados - Markus:

Markus: Percepção da aura - 1 Sucesso(s)



Markus finalmente entra no território escocês pertencente ao clã Tremere. O local para onde ele é levado por Njord apresenta-se como uma grande casa envolta por árvores muitas vezes mais altas que qualquer residência nos arredores que impedem a visão de qualquer curioso sobre o interior do terreno, ou mesmo da casa. Em sua mente, o cainita monta rapidamente os primeiros passos à serem dados para a busca do Príncipe.

Ao descer do carro, seu movimento inicial foi tentar observar o como Bristol, o Regente, está reagindo a toda a situação. Contudo, sua atenção é retirada por um sinal de fumaça que surge no horizonte a alguns quilômetros e somente a aura pálida do Regente surge em volta do corpo do Feiticeiro, embora o cainita ainda consiga perceber, devido a sua percepção bem treinada, uma leve coloração violeta ou mesmo azul claro que surge em alguns pontos de seu corpo.

Markus escreveu:- Boa noite senhor Bistrol, no que posso ser útil ?


- Pessoalmente venho agradecer por sua viagem. Sei que tens outros problemas para resolver, mas conseguiu desviar-se para nos ajudar. - Bristol, que está exatamente no arco da porta, move seu pé esquerdo para dentro da casa e faz sinal para Markus o seguir. - Queira vir comigo, o ambiente aqui dentro é melhor para discutirmos. E não se preocupe com sua bagagem, se você quiser deixar aqui ou em algum hotel pela cidade, Njord se encarregará de deixá-la onde for de sua vontade. - Ele começa a andar para o interior da residência. - Fico contente por terdes apresentado-se para nossos companheiros.. contudo ficou uma dúvida em minha mente. Qual seu objetivo em citar exatamente o nome de Donald Carter? Pois não acredito que este ainda esteja em nosso território.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 07, 2017 9:22 pm

Rian:


Rian fica desesperado quando não encontra a foto roubada do caixão que ele acredita ser de Marcílius. Com o objetivo de procurá-la o mais rápido possível, ele toma um banho rápido e, da mesma forma, veste-se com a maior urgência. Aumentando sua capacidade visual, o Gangrel vasculha o caminho feito por ele para entrar no quarto do Ator, mas nada da foto. Ao abrir a porta do cômodo, ele se depara com Franklim encostada na porta do escritório de frente para o cainita.

- Finalmente podemos ir, você demora demais... - Em sua voz há uma grande impaciência. Vendo Rian sair do quarto já vestido ela já começa a andar na direção da escada.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Seg Maio 08, 2017 12:24 am

- Finalmente podemos ir, você demora demais...

Eu não me preocupava com a pressa da militar. Na verdade eu apenas a deixava ir na frente e continuava a fazer o que eu estava fazendo. Procurando a foto da mulher de Marcílius. Enquanto a sargento Franklim ia na frente, pelas escadas, ainda com a visão aguçada eu apenas refazia o caminho que eu tinha feito de ida para o quarto do ator e ignoraria qualquer cena ou piti que a militar fizesse para eu andar logo. Não estava dando a mínima para as broncas dela. Minha única prioridade era encontrar a foto. E caso ela perguntasse algo eu apenas responderia:

- Eu perdi algo e não vou sair daqui sem! Não adianta estressar!

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Seg Maio 08, 2017 1:11 pm

Rian:


Ao ver que Rian não a segue, a sargento Franklim para à frente da escada e questiona o Gangrel. Este responde que perdeu algo e que não sairá até encontrar o objeto.

- Diga o que é e eu procuro também. - As palavras da mulher saem com profunda impaciência. Enquanto ouve o que era dito pela militar, Rian sai do quarto de Marcílius e segue até a porta do escritório, lugar onde encontrou Franklim encostada. Ele abre a porta do cômodo e acende a lâmpada. Logo abaixo do portal, ele vasculha rapidamente o lugar, sem sucesso.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Seg Maio 08, 2017 5:55 pm

- Diga o que é e eu procuro também.

"- Bom... para estar onde estava não creio que Marcílius compartilhasse esse tipo de lembrança com uma mera carniçal. No entanto, somente vou pedir ajuda se eu realmente não encontrar.
- Mas que droga!! Cadê esse negócio?!"

Fazia o percurso completo de volta até a câmara secreta de Marcílius. Se até lá eu não encontrasse a foto, então somente assim eu informaria:
- É uma foto de uma mulher! Estava no meu bolso e eu não vi que a calça estava rasgada...
"- Sem mais detalhes, mocinha!"

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Beaumont em Seg Maio 08, 2017 7:03 pm

Markus poderia estar apenas um pouco desconfiado mas a breve observação que teve sobre o a aura do vampiro Regente da capela revelava que não estava escondendo nada e parecia ameno aos eventos ocorridos na cidade, Markus esteve precoupado com a situação da cidade desde de que chegou, era impressionante o modo como Bistrol mantinha sua tranquilidade depois de tudo o que aconteceu. 

O vampiro tremere então entrou na grande residência enquanto dialogava com o seu anfitrião. Ele estava 

Markus Hunt : - Njord pode por a bagagem aqui dentro, está muito bom pra mim. Não possuo uma residência fixa aqui então até que minha carniçal tenha um lugar seguro eu gostaria de permanecer aqui se não for incomodar muito. Quanto a Donald Carter, por que motivos ele se afastou ? Algum moivo particular, os ultimos eventos quem sabe ?

Markus tinha uma mania peculiar de sondar as coisas, ás vezes o fazia sem perceber, mas de qualquer maneira a informação sobre todos os membros da camarilla possiveis lhe eram uteis. 

Markus Hunt: - Eu esperava poder encontrar Caroline aqui, tanto a ajuda dela quanto a sua senhor. São de extrema importância para os eventos que estão por continuar nesta cidade. Como sabe há algum tempo eu exerço o cargo de Astor em algumas cidades da America, investigar casos importantes para a Casa Tremere se tornaram comuns para mim. Você acha que o desaparecimento de Hotgan pode ser um problema de que magnetude para a nossa filiação sr. Bistrol ?

Markus avaliava as expressões faciais do Regente e se posicionava no ambiente de forma que a luz batesse na face do anfitrião para facilitar a avaliação de Markus a respeito da resposta de Bistrol. Cada resposta poderia fazer com que o vampiro tomasse um ruo diferente em suas ações. 

Markus Hunt: - Por acaso o senhor teria algum tipo de contato que possa me passar de nossa "irmã" Caroline ? Gostaria de falar com ela no futuro. 

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Diana Luna. em Seg Maio 08, 2017 7:27 pm

- Minha interação com sua mãe, como você diz, é somente profissional. Eu dou o que ela quer quando ela me da o que quero. E dessa forma nós temos nos dado bem.

Aquele homem começou a me causar nojo. Não sabia o motivo, mas começou a me causar muita repulsa. Eu comecei a desprezá-lo, ou até mesmo odiá-lo.

- Eu não preciso ser um cavalheiro, e você pode me odiar o quanto quiser. Eu sou o dono desta cidade, e, como tal, muitas pessoas me odeiam... você seria só mais uma. Contudo, da mesma forma que me odeiam, precisam de mim... desde donas de casa temendo perder suas casas até os políticos e empresários mais ricos que querem muito mais dinheiro. Tudo tem seu preço, eu não sou uma exceção. Contudo, se eu fosse você, eu me acalmaria antes de voltar a falar comigo...

Aquilo estava passando dos limites. No entanto, o canalha estava certo. Eu ainda estava dependente dele. Comecei a ansiar pelo momento em que não estivesse mais, para lhe ensinar boas maneiras.

- Meu preço será bastante razoável para você... quando Mirella vier até mim, o resto será pago. O que você precisa é encher essa garrafa com seu sangue.

Ele tirou uma garrafa de vidro debaixo de sua mesa e colocou em cima dela. Ele havia aumentado a abertura do gargalo com um corte, o que fazia o objeto ter uma aparência engraçada.

- Ah, é isso? - disse em um tom de indiferença, como se o que ele pedisse fosse algo completamente insignificante para mim.

Eu olhei para ele e sorri. Um sorriso malicioso, talvez até diabólico.

- Eu farei o que me pede. Enquanto isso, prepare um navio para me levar a Edinburgo! ¹

Off: ¹ = Hipnotizar, dominação nível 2

avatar
Diana Luna.

Data de inscrição : 19/11/2016
Idade : 25
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Ter Maio 09, 2017 9:37 pm

Rian:


Rian caminha em direção ao escritório de Marcílius e deste ao quarto secreto sem em nenhum momento encontrar a fotografia da mulher. Após mais de dez minutos andando com a cabeça abaixada, vasculhando cada fresta, em baixo de cada móvel, descendo as escadas e procurando em ambos os lados desta ele desiste e resolve falar com Framklin, que durante todo o percurso ficou ao lado do Gangrel.

Rian escreveu:- É uma foto de uma mulher! Estava no meu bolso e eu não vi que a calça estava rasgada...


- Então é culpa sua esta foto estar aqui em cima? - A mulher retira a foto de dentro de sua camisa. - Eu a conheço, e acredito que você não... seu ladrão. O que você pensa conseguir pegando algo que não é seu na casa de uma pessoa que lhe deu abrigo?

Ela rapidamente pega o celular e, pressionando duas teclas, leva o celular ao ouvido.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Ter Maio 09, 2017 11:57 pm

- Eu a conheço, e acredito que você não... seu ladrão. O que você pensa conseguir pegando algo que não é seu na casa de uma pessoa que lhe deu abrigo?
"- Ah mas que droga!!! Por isso eu não estava encontrando! Preciso pensar numa desculpa rápido! Tentar impedi-la de falar com Marcílius seria pior. Ficaria na cara que eu realmente estava roubando."

Faço uma cara de surpresa ao ver a foto. Em seguida suspiro aliviado.
- Ufa, que alívio! Então você a tinha guardado! Enfim, acho que podemos ir. Quando eu acordei após o meu "acesso de fúria" (frenesi) essa foto estava no chão ao meu lado. Não sabia de onde ela tinha saído. Mas sabia que devia ser importante para alguém e por isso não podia perdê-la até encontrar o seu legítimo dono. Imaginei que fosse mesmo de Marcílius.
Enquanto falava isso, eu dava as costas para Franklim, para ficar mais fácil mentir, assim ela não veria a expressão em meu rosto, enquanto eu já seguia para fora, em direção ao veículo.
- Vamos! Não estamos atrasados?!

Já perto da porta eu olhava para Franklim novamente enquanto meu sorriso aos poucos ia sumindo.
- Pare de supor teorias da conspiração sobre coisas que você não presenciou ou não tem provas.
Meu semblante estava sério. E o Rian carismático havia ido embora. Não havia simpatia em meus olhos e eu a fitava como se eu fosse um lobo e ela um cordeiro. Enquanto caminhava de costas e inventava aquela desculpa, eu me preparava emocionalmente para este momento.
- Ou você realmente tem mesmo certeza que eu roubei essa foto, sargento Franklim?! Já que estamos indo ao castelo, podemos levar essa questão às mãos de Roden. O que você acha?!
Citar o nome de Roden, certamente quebraria o feitiço emocional do laço de sangue e a lembraria que fazer uma acusação como esta sem prova, poderia lhe colocar em uma situação que a deixasse fora do alcance  seu amado mestre Marcílius...

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fox em Qua Maio 10, 2017 3:58 pm

Fox retorna o olhar de cada um, tentando decifrar o que se passa na cabeça daqueles que o observam. O olhar de dúvida de Victor também reflete o sentimento do Gangrel, enquanto a música alta penetra seus ouvidos, causando-lhe certo incômodo. Teria sido um erro aceitar a proposta deste ser estranho? Talvez o impulso de chegar mais perto de concretizar sua vingança tenha interferido em seu julgamento, mas este era um peso que há muito tempo era carregado. O minuto de silêncio da mesa serve para que Jonah tente juntar as peças do quebra-cabeça e ponderar tudo que ocorrera até então.

A chegada na cidade, o seu encontro com Simone e depois os outros cainitas, a casa de festas oculta, as reações sobre o que fora revelado, e, por fim, o ser misterioso chamado Victor. Pelo pouco que passou ali, Fox sabe que não é sábio confiar nas criaturas desta cidade. Mas sua busca por respostas parece não o deixar rejeitar tudo, mesmo que haja a chance dele mesmo estar sendo usado. Quando ele se dá conta, antes mesmo de processar tudo aquilo, sua boca já tinha respondido ao questionamento de Victor, enquanto seus pés o seguiam pelo salão.

- Contanto que me diga o que eu quero, eu aceito.

Agora, ciente de que voltar atrás seria algo muito difícil, Fox contempla o ser de antes, imaginando o que Victor estaria tramando.
avatar
Fox

Data de inscrição : 10/03/2010
Idade : 23
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Undead King em Qui Maio 11, 2017 10:36 am

Conforme o homem falava, eu encostava meu ouvido na parede para ouvir melhor, eu estava ávido por informações.
Maluco escreveu: Cara, ficar aqui falando contigo está realmente diminuindo as vozes... deve serpor isso que ela falava comigo... mas você está errado, alguns outros cainitas aqui dentro da cidade tem o mesmo tipo de anel, pelo menos os chefões... não sei dizer quantos, pois nunca fiz parte da"alta sociedade", mas isso eu sei dizer. Além disso, alguns membros de outras cidades também o tem, eu já vi um irlandês que veio visitar o Príncipe e tinha o mesmo anel.- Ele faz uma pausa breve e o barulho de batidas volta a soar.- Ela está voltando, droga...- Há som de passos vindos da cela ao lado e a voz do homem torna-se um pouco mais distante.- Dizem por ai que até alguns membros do Sabá também tem esse mesmo anel... e isso sempre foi uma brincadeira entre nós, os excluídos... que há uma sociedade secreta entre os figurões... que quer ferrar todo mundo.
Isso tudo em que eu estava metido, pelo que estava parecendo, era pior que eu imaginava. Aquele cara que chamou o anarquista na limusine talvez não fosse Roden, mas era inegável que ele estava envolvido nisso tudo. Imagina, uma sociedade secreta em que os mais influentes participavam... e rumores de que gente do Sabá também tinha esse anel... - Mais que merda... - Falava quase sem perceber, meu cérebro estava processando a informação ainda. O maluco me falou que entre os outros vampiros da cidade isso era uma brincadeira, os chefões querendo ferrar com os outros. Pelo que eu estava vivenciando, essa brincadeira tinha um fundo de verdade. - Se o Roden está usando esse anel significa que ele não está protegendo a cidade, por que ele está envolvido com essa merda em que estamos. E se realmente houverem membros do Saba envolvidos nisso tudo, significa que o problema é maior do que essa diferença de seitas. - Comentei com o meu vizinho. Questionei ele sobre mais uma coisa, mas foi então que eu percebi que ele tinha começado a entrar no mesmo estágio que a tal mulher. Estava se machucando para afastar o ser...  Tentei falar com ele mas percebi que ele não ia falar mais nada por algum tempo, pelo menos as batidas tinham parado. Fui para o colchão, com dificuldade por causa do peso das algemas. Deitei, e finalmente minhas costas tiveram algum descanso desde que cheguei na Escócia, era a minha primeira noite em algum tipo de cama. Fechei meus olhos, com um pouco de medo, pois eu sabia que se eu não resolvesse isso que estava acontecendo comigo, eu iria terminar igual o homem da outra sala.

Noite seguinte...



Eu estava acabando de regenerar o rombo no meu peito, aquele doce alívio percorrendo meu corpo, quando percebi que alguém estava batendo palmas, a sala estava escura e eu não conseguia localizar de onde vinha. O medo ameaçou tomar conta de mim, talvez fosse o ser, estava escuro, perfeito para ele aparecer... Mas percebi que não era isso. O sangue que tinha sido me dado estava em maior quantidade, e o único que teria coragem de ironizar o que eu tinha feito com aquele soldado era...   - Roden... pode parar de gracinhas, eu sei que é você. Quando você pretende me explicar o que está acontecendo? Era esse o trato não? - Tentava não transparecer raiva ou arrogância na voz, por mais que essa fosse minha vontade. Tinha que manter a imagem de inofensivo, então coloquei um pouco de temor na voz. Procurava onde ele poderia estar, enquanto curava mais um pouco o ferimento.  (-1PDS)
avatar
Undead King

Data de inscrição : 03/07/2015
Idade : 19
Localização : Rio de Janeiro

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sex Maio 12, 2017 12:14 pm

Markus F. Hunt:


Os primeiros passos de Markus para dentro da casa o levam a uma grande área em semi-círculo, do lado esquerdo, contendo uma grande televisão, várias poltronas e um grande sofá. Do lado direito há uma sala levemente retangular onde um mini-bar havia sido montado, havia a prateleira com diversos tipos de bebidas, uma bancada na frente desta e algumas cadeiras espalhadas em torno de mesas. Avançando entre esses ambientes e, ao olhar para trás, o Feiticeiro confirma o que era visto do lado de fora, que a maior parte da parede é de um vidro resistente que, dependendo do horário, pode mostrar do lado de fora o que está sendo feito do lado de dentro.

Seguindo sempre em frente, Bristol e Markus passam por mais alguns outros grandes cômodos abertos e outros com a porta fechada, pela escada em caracol que leva ao andar superior e, ao chegar a cozinha, Bristol guia o aspirante a Astor a um declive no chão que leva a um caminho aparentemente subterrâneo.

Durante o percurso as luzes por onde os dois passavam acendiam-se através de um sensor de movimento, o que deixou ambos completamente iluminados, embora a iluminação não fosse muito forte. Enquanto caminhavam, Markus e Bristol mantinham-se conversando.

Markus escreveu:- Njord pode por a bagagem aqui dentro, está muito bom pra mim. Não possuo uma residência fixa aqui então até que minha carniçal tenha um lugar seguro eu gostaria de permanecer aqui se não for incomodar muito. Quanto a Donald Carter, por que motivos ele se afastou ? Algum motivo particular, os últimos eventos quem sabe ?

- Então pedirei a Njord para colocar suas coisas em um quarto no andar superior. Os quartos neste andar já são  preparados para os nossos passarem o dia. Eu mesmo repouso em um destes quartos. - Seu rosto torna-se completamente sério. - Sobre o senhor Carter... o que posso dizer sobre ele... durante uma reunião com Grimgroth, Hotgan solicitou ao Conselheiro alguém como você para ajudá-lo. - Ele para e olha diretamente para Markus. - Mesmo que você me pergunte o motivo, eu não saberia lhe dizer... o Príncipe nunca me confidenciou o motivo de sua solicitação. - Em seu rosto surgia um breve sinal de cansaço. Ele volta a falar e a andar. - Grimgroth enviou o Donald Carter, que instalou-se aqui mesmo durante um bom tempo. Como disse, não sei dizer qual o trabalho dele aqui... mas de repente Hotgan começou a falar que sentia alguém o seguindo para onde quer que ele fosse. Isso seguiu todo o tempo em que Carter esteve aqui, ou seja, até o dia em que o Príncipe sumiu.

- Eu sei que Hotgan andava fazendo algo... perigoso, se é que posso usar desta palavra. Principalmente depois que ele encontrou alguns objetos, provavelmente mágicos, dentro de algumas cavernas pelo interior do país. Contudo, sempre que eu o questionava, ele me dizia que seria a maior descoberta do mundo, mas nunca me inteirava do que se tratava.... remontando agora, é possível que sua conversa com Grimgroth tenha relação com essa sua "descoberta". Só sei que o sangue do Príncipe foi encontrado aqui, neste local, logo após o seu sumiço.

Os dois passam pela escada em caracol. E Markus continua a obter informações de Bristol.

Markus escreveu:- Eu esperava poder encontrar Caroline aqui. Tanto a ajuda dela quanto a sua são de extrema importância para os eventos que estão por continuar nesta cidade. Como sabe há algum tempo eu exerço o cargo de Astor em algumas cidades da America, investigar casos importantes para a Casa Tremere se tornaram comuns para mim. Você acha que o desaparecimento de Hotgan pode ser um problema de que magnitude para a nossa filiação sr. Bistrol? Por acaso o senhor teria algum tipo de contato que possa me passar de nossa "irmã" Caroline ? Gostaria de falar com ela no futuro.

- Caroline estará aqui em pouco tempo. Ela está vivendo relativamente distante do barulho do centro da cidade. - Seu rosto torna-se uma máscara completamente neutra. - Por sorte ela resolveu mudar-se, pois ela morava praticamente no centro e, se não me engano, uma de suas propriedades foi destruída durante o ataque que ocorreu duas noites atrás. - Os dois chegam na cozinha e Bristol para pela segunda vez. - Você deve ter visto em algum lugar o que está acontecendo por aqui... Esse sumiço de Hotgan foi a pior coisa que poderia ter acontecido, principalmente agora. Era ele quem fazia com que a Camarilla não desmoronasse neste país, colocando cada um em seu lugar. Um de seus parentes, Robert Hotgan, é o Senescal... mas esta criatura inapta só conseguiu tomar este posto por apoiar-se no nome do Príncipe. Ele e Roden, o Xerife, travam uma guerra insana, onde o que um diz o outro discorda com pleno fervor... depois os dois brigam para ver quem irá conseguir mais apoiadores. Nossa última reunião, ontem a noite, foi absurda... Por Roden estar ao lado de Anthony desde sempre, os outros clãs tendem a segui-lo, mas Robert usa o nome do Príncipe e parte do conselho resolve seguir o seu sobrenome... está tudo um caos.

Seu rosto torna-se mais cordial. - Mas vamos continuar em meu escritório, por favor. - Os dois descem por um declive no chão da cozinha que liga-se com um túnel abaixo do solo. Assim que os dois saem de cima do piso, este eleva-se, ficando no mesmo nível que a cozinha em si. Este túnel tem aproximadamente 3 metros e leva a uma sala praticamente vazia, com exceção de sete portas. Bristol escolhe segunda porta da esquerda para a direita. Dentro dela há um escritório extenso, contendo diversas prateleiras cheias livros entrecortadas por mais sete portas.

Bristol senta-se em uma cadeira atrás da mesa de madeira enquanto convida Markus a sentar-se em uma das duas outras cadeiras a sua frente. No local, circundando a mesa, haviam ainda mais 8 cadeiras formando um círculo em volta da mesa e das duas cadeiras em frente à esta. O círculo termina exatamente na cadeira em que Bristol sentou, totalizando nove cadeiras formando um círculo com a mesa e duas cadeiras no centro.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sex Maio 12, 2017 12:43 pm

Alexia Grimaldi:


Rolagem de Dados - Alexia:

Alexia: Hipnotizar - 1 Sucesso(s)



Logo após ouvir as palavras de Alexia, os olhos de Armand tornam-se levemente vazios, como se a pŕopria vontade do homem estivesse sendo retirada de seu corpo. Ele pega um celular que estava do outro lado de sua mesa e começa a digitar alguns números. Ele leva o telefone ao ouvido e, após alguns instantes, ele começa a falar:

- Preciso falar com Richard, depressa. - Alguns um minuto se passa. O olhar de Armand então desce de encontro ao jarro vazio. O olhar vazio é então substituído por ira. Ele desliga o celular e o coloca calmamente em cima da mesa novamente.

- Quem você acha que eu sou, criança insolente. Esta é a sua última oportunidade. Encha esse recipiente ou esqueça sua pressa para chegar na Escócia. - Alexia ouve um barulho do lado de fora do lugar. Ao olhar para trás, a Tremere vê que sete pessoas entraram no armazém e estão do lado de fora da sala de Strauss. Essas pessoas andam pelo lugar como se estivessem à procura de algo, mas em intervalos pequenos de tempo os sete olham para dentro da sala.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Sex Maio 12, 2017 1:20 pm

Rian:


Rolagem de Dados - Rian:

Rian: Mentir - 0 Sucesso(s)
Franklim: Perceber Mentira - 4 Sucesso(s)

Rian: Intimidação - 0 Sucesso(s)



Rian escreveu:- Ufa, que alívio! Então você a tinha guardado! Enfim, acho que podemos ir. Quando eu acordei após o meu "acesso de fúria" (frenesi) essa foto estava no chão ao meu lado. Não sabia de onde ela tinha saído. Mas sabia que devia ser importante para alguém e por isso não podia perdê-la até encontrar o seu legítimo dono. Imaginei que fosse mesmo de Marcílius.

Franklim afasta-se um pouco para deixar Rian caminhar em direção a escada, mas continua com o celular no ouvido durante toda a fala do Gangrel. Quando Rian terminou de falar um sorriso brotou no rosto da mulher e o som de uma gargalhada escapou por seus lábios.

- Você não sabe o que está falando... - As palavras são entrecortadas por risos. - Do senhor Marcílius? Isso aqui é de alguém que faria algo realmente ruim contigo se soubesse o que fizestes. Além do mais não há nada realmente quebrado lá dentro. Que tipo de idiota você acha que sou? - Ela fala isso enquanto digita algo no celular. Quando termina, ela desce as escadas rápido. - Mas estamos realmente atrasados.

Chegando ao carro, Rian tenta assustar a militar.

Rian escreveu:- Pare de supor teorias da conspiração sobre coisas que você não presenciou ou não tem provas. Ou você realmente tem mesmo certeza que eu roubei essa foto, sargento Franklim?! Já que estamos indo ao castelo, podemos levar essa questão às mãos de Roden. O que você acha?!

- Vou dizer novamente, pare de me olhar dessa forma. - Em uma velocidade sobrenatural ela retira a arma do coldre e a aponta para a cabeça de Rian. - Agora nós podemos levar esse assunto ao dono da fotografia, o que achas?

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Rian em Sex Maio 12, 2017 6:47 pm

A maldita não caía na minha mentira e ainda no final das contas parecia ter percebido cada detalhe em minha mentira. "- Essa danada é boa em ler expressões corporais! Eu não contava com essa e me ferrei muito bonito! Então, pelo visto não devo mais mentir para ela, já sei que não vai funcionar. Mas que droga!! Maldito Marcílius!"

Assim que chegávamos ao carro ela sacava a sua arma, de uma forma incrivelmente rápida. Ela havia percebido a minha ameaça e reagia a ela. "- Droga! A intimidação também não funcionou! Essa mulher deve ser uma especialista em jogos mentais. Bom, então eu já sei que esse tipo de abordagem não vai funcionar com ela, afinal ela é muito melhor do que eu. Se eu for tratar com ela, devo fazer sem mentir. A verdade é o melhor caminho nesse caso... e acho que sei como fazer isso, sem mentir!"

Eu estava olhando para o chão, uma postura bastante tranquila para quem tinha uma arma apontada para sua cabeça. E por fim me conformava. Me conformava, mas por outro lado contra-atacava.
- Muito bem, sargento Franklim. Eu roubei a foto sim. Contudo, não fui eu quem começou isso. Já que estamos indo ao castelo faço questão de assumir que roubei a foto, no entanto... Eu agora a fitava profundamente nos olhos.
- ...No entanto eu entrei aqui ontem com uma mochila que fazia parte de meus pertences pessoais. E ela simplesmente desapareceu. Parece que não sou o único ladrão da residência. Se eu soubesse que o anfitrião roubava seus convidados jamais teria dormido aqui! Com certeza informarei os superiores de Marcílius sobre isso.
Entrava no carro batendo a porta com raiva.
- Ah propósito, a foto que eu estava roubando era apenas uma garantia para eu reaver meus pertences de volta. Já que não tenho mais esta opção, só me resta mesmo levar o caso adiante. Então podemos ir?! Estou com pressa de ver a explicação de Marcílius para o Xerife Roden sobre o sumiço da minha mochila.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Goiânia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 14, 2017 4:42 pm

Jonah Fox:



Os passos dados pelo Gangrel até aquele momento são remontados em sua mente enquanto sua boca responde positivamente ao questionamento de Victor, que levanta-se e segue em direção a criatura que anteriormente entrou em um breve conflito com Fox na escadaria do clube noturno. O ser com olhos de serpente levanta-se e saúda Victor, que faz um movimento indicando que ambos deveriam segui-lo. Assim, os três seguem em meio ao grande número de pessoas até uma porta aos fundos do bar, uma porta quase imperceptível uma vez que esta é completamente preta em um ambiente onde pouca luz chega.

Victor abre esta porta e convida seus dois seguidores a entrar no lugar e ambos se veem em uma outra sala, esta com aproximadamente 50 metros quadrados, completamente vazia.

- Muito bem, segurem isto e não percam de forma nenhuma. - Victor retira de seu casaco dois pequenos cilindros de vidro (com cinco centímetros de altura e dois milímetros de diâmetro) e entrega um para cada. - Vocês farão uma pequena caçada... quem retornar aqui com uma gota de sangue do oponente primeiro será o premiado. E, para ti senhor Fox, o resultado será imprescindível no sucesso de sua busca. - Ele levanta o braço e aponta para a outra quina da sala, formando uma diagonal. - Ramsés, vá para aquele lado. - O homem segue para o local indicado por Victor (OFF: Você está na quina do lado esquerdo e ele está na quina oposta, do outro lado do salão no lado direito). - Vocês estão prontos? - Ramsés faz um sinal positivo. - Assim que você estiver pronto, começaremos.

Tendo uma resposta positiva de Fox, Victor fecha seus olhos e aos poucos o salão começa a modificar-se. Troncos de madeira parecem sair do chão e formar grandes árvores que chegam ao teto do lugar, e este mesmo é modificado de forma a remontar o céu noturno com uma grande lua cheia e estrelas que iluminam o chão, que agora está completamente formado por terra. Das paredes de concreto surgem trepadeiras que descem até o solo ou enroscam-se em pequenas árvores que também brotam do chão. O som de água corrente surge um pouco a frente de onde Fox está. Em poucos instantes aquela sala vazia transforma-se em uma floresta tropical, com seu emaranhado de árvores (a vegetação em geral) de todos os tamanhos. Ramsés some por completo em meio aquela confusão de plantas.

Assim que tudo está pronto a imagem de Victor começa a desaparecer, assim como a porta atrás de Fox..

- Podem começar. - E ele some completamente.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 14, 2017 7:49 pm

Arnald Bradley:


Características - Arnald:

- PS: 5
- FdV: 6
- Vitalidade: Ferido (Letal)



As respostas do vampiro na cela ao lado deixam Arnald com a mente trabalhando ao extremo. O que está acontecendo na Escócia? Membros do Sabá usando um item que, ao que parece, alguns dos membros mais importantes da sociedade cainita de Edimburgo também o tem. De qualquer forma, os pensamentos do Ventrue continuam completamente voltados ao Xerife. Arnald ainda tenta continuar a conversa, quem sabe o que mais ele poderia falar. Contudo, seu vizinho de cela não mais responde... a dor é sua única companhia para tentar resistir à loucura causada pela presença da Sombra. Assim, sem mais o que fazer, o Sangue Azul entrega-se ao sono e a presença da criatura que tanto perturba sua mente.

Após mais um encontro aterrador com a criatura, Arnald acorda sentindo-se um pouco mais saciado da sede que vem lhe perturbando nos últimos dias. Algo o alimentou durante o tempo em que ele esteve dormindo, além de terem retirado as algemas de suas pernas e de seus braços. Aproveitando-se desse momento de saciedade, Arnald procura curar o ferimento em seu peito, o que é feito sem problemas até ele ouvir o bater de palmas dentro da cela. Seu primeiro pensamento é voltado para a Sombra, porém ele rapidamente muda seu pensamento em direção ao Xerife....


Arnald escreveu:- Roden... pode parar de gracinhas, eu sei que é você. Quando você pretende me explicar o que está acontecendo? Era esse o trato não?


Imagem - Pessoa na Cela:





- Somente o Roden pode querer ver o nosso novo convidado? - Diz o homem. Ele faz um rápido estalar de dedos e as luzes são acesas dentro da cela. Seus olhos amarelos e, principalmente, um anel em forma de serpente em torno de seu dedo anelar são as características mais marcantes do ser. - O que tens achado de seu novo lar? Eu acho que sou mais benevolente que o Xerife, não?

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Maio 14, 2017 8:47 pm

Rian:


Vendo que nenhum dos seus truques surtiu efeito na enviada de Marcílius, Rian decide finalmente falar a verdade para Franklim e entra no carro da mulher.

- Que diabos de criança birrenta é você? - Diz ela quando entra no carro e o liga. - Ai... eu não estou encontrando um objeto que eu roubei de outra pessoa, por isso eu vou "pegar emprestado" algo que eu nem ao menos sei de quem é como.... você falou o que... "moeda de troca".... - Ela fala com um tom de ironia muito forte. - Deixe de ser ridículo. Seja homem criatura. - Seus olhos fixam-se nos de Rian. - No lugar de roubar algo, por que droga você não perguntou? Olhe no banco de trás, suas "coisas pessoais", seu larápio, estão ai. Contudo, eu não acho que você goste de usar maquiagem. Principalmente porque eu conheço a dona dessa mochila. - Ela acelera o carro e segue a viagem. - Então, você tem mais alguma frescura para falar ou vai resolver virar gente grande e agir como tal? Se você quiser ao menos tentar ser um adulto, o que aparentemente você não é, eu posso lhe dizer que o sr. Marcílius me pediu para levar "seu objetos pessoais" para uma conhecida com o intuito de procurar por algum feitiço ou qualquer coisa ruim que possa ter sido colocado ai já que você comentou ter encontrado algumas criaturas estranhas na noite de ontem, além do encontro com a mulher capturada por vocês.

Ela continua dirigindo em direção a mansão de Roden.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Ruir do Velho Mundo - Os Filhos de Badb

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum