New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bahamut em Ter Maio 30, 2017 8:20 pm

Lilly rapidamente arremessava a arma para Rugall e este corria em direção ao seu destino. Com seus sentidos aguçados conseguia houvir os movimentos e falas das pessoas alucinadas à sua volta, assim como podia escutar o coração acelerado de Lilly. Assim como duas outras carniçaid, Lilly tinha passado por maus bocados e Rugall se sentia como seu protetor, além de mestre.

Do outro lado, tiros dos oficiais do fbi saíam de dentro das portas. Não demorou até que saíssem e revelassem o estado de fúria ensandecida tão comum nas pessoas esta manhã, com olhos avermelhados e boca espumando.

Os marginais batiam e xaqualhavam as grades como um bando de macacos loucos. Seus gritos e uivos demonstravam o caos que se espalhava e o coquetel molotov em suas mãos instalava mais pavor nos corações dos poucos lúcidos que tinham o desprazer de presenciar tamanha loucura.

Rugall e Lilly dispararam nos marginais enquanto corriam porém, devido a falta de habilidade, apenas Lilly conseguiu alvejar alguns deles. As balas recocheteavam e zuniam perto dos dois, que avançavam até alcançar um muro para se protegerem. Agora estavam no meio do fogo cruzado e para deixar as coisas mais quentes, um coquetel molotov atingia próximo dali e o fogo começava a se expalhar.

Lilly se ajeitava contra o muro, seu porte era a de uma combatente, alerta e a flor da pele. Mas assim como todo combatente, o medo em seu coração era como uma bomba, somado com a loucura que com certeza rodeava sua mente, deixava ela numa situação muito complicada. Rugall então pegou a mão de Lilly, que olhou assustada, e em seguida a abraçou sua carniçal. No começo ela não se soltou, mas em pouco tempo correspondeu ao abraço, liberando a tensão e o medo. Rugall a mantém em seus braços por um tempo, sentindo o calor do seu corpo, o cheiro de seus cabelos, a macies de sua pele e a sua respiração tomarem conta de si. Ele precisava disso, precisava de Lilly atenta e afiada para que possa sobreviver. Mas após uns instantes a abraçando, Rugall sente duas mãos com garras lhe agarrando nos ombros e em seguida uma respiração quente em sua nuca seguida de um rosnado gutural.

Em meio aos tiros e a tentativa de fuga, a besta era o pior dos perigos, porque Rugall não teria como fugir dela, já que ela estaria sempre ao seu encalço, se fortalecendo a cada passo de Rugall, que esgota suas forças.
Lilly, não chegaremos juntos ao carro.
Você terá que ir sozinha enquanto eu cubro a sua fuga.


Lilly, encara Rugall, com os olhos arregalados.

Mas meu amor, acabamos de nos reencontrar! Você vai me deixar de novo?

É preciso e você sabe. Tenho mais capacidade de sobreviver a isso e você poderá ajudar as meninas até eu chegar

Lilly abaixa a cabeça por um instante, pensativa e contrariada. depois seus olhos retornam aos de Rugall, entregando todos os seus sentimentos como janelas abertas diretamente para sua alma.

Mas Rugall não tem tempo. Ele toma a arma da mão de Diana, assim como toda e qualquer munição extra que ela possa ter e acena para ela correr assim que ele começar a atirar.

Rugall então se levanta mirando sua espingarda para os marginais e o fbi, acabando com a munição dela e caminhando de lado lentamente em direção ao seu carro enquanto Lilly corre. Ao acabar a munição da espingarda, Rugall fará o mesmo com sua pistola.

A munição é pouca, rugall sabe. O tempo é curto, Rugall tambem sabe. Eles são muitos, rugall bem sabe. Assim, Rugall prepara o seu corpo para a transformação bestial e usa o resto de suas forças para erguer um último bastião contra a besta, que o encara sorrindo, paciente, sabendo que vencerá essa batalha.

gastos 1 ponto de sangue e um ponto de força de vontade

ps: postado via celular kkkk
avatar
Bahamut
Tzmisce
Tzmisce

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Ter Maio 30, 2017 9:34 pm

Tyron Randall
- PDS 10/15
- FDV 3/8  
- Vitalidade Ferido-1 (Agravado)


Antes que pudesse dar conta do que estava fazendo a face do mal de Elyon/Tyron/Ulisses ou No One se revelava, os olhos do gangrel tomavam o aspecto avermelhado e furioso de um animal ensandescido, suas garras brotavam de suas mãos e pés e o demônio gangrel estava solto de vez. Lynxx tentou segurar firme o vampiro pelo pescoço mas o poder da potencia do gangrel unida a sua nova natureza foi de longe mais feroz a ponto de derrubar a garota e retirar o seu sorriso doentio da face. 

Não havia como impedir a fúria de Tyron que estava cansado de se controlar, suas presas se armaram se afundando no pescoço de Lynxx enquanto ela tentava desesperadamente tomar o seu aspecto predatório a tempo de poder contra atacar, mas foi muito tarde. Quanto mais Tyron sentia o gosto do sangue de Lynxx em sua garganta mais ele queria. O vampiro rasgou um pedaço enorme de carne do pescoço de Lynxx enquanto ela desesperadamente desferia suas unhas tentando rasgar a face do vampiro enlouquecido. Um dos golpes rasgou a face de Elyon mas nenhum golpe seria o suficiente para impedi-lo de continuar o desejo irrefreável de possuir a alma da vampira. 

Mais uma vez ele avançou seus dentes na vampira e drenou seu sangue por completo, em seguida bestialmente ele nutriu para sí a alma da vampira de uma vez por todas. O canibal ato do Diablere acabava de ser realizado da forma mais primitiva possivel. O desejo de Tyron só poderia ser saciado daquela maneira, não havia ninguém que pudesse impedi-lo de continuar a se alimentar mais e mais da carne, alma e sangue daquela cainita pertencente a Mão Negra e apartir de então de nada mais se lembrou ...

Na Noite Seguinte....

O som da floresta parecia ter voltado, os animais estavam mais calmos e o som caracteristico da floresta havia voltado. O gangrel acordou completamente sujo de terra e sangue, com o gosto de carne crua na boca. Se ergueu lentamente e sentiu seu corpo inteiro diferente. Na verdade ele estava completamente diferente. Mais vazio, ele se lembrava do motivo de ter ido para a floresta, se lembrava dos membros da Mão Negra, mas fatos como Branca, ou peculiaridades sobre sua vida como Elyon e Tyron haviam se apagado. O vampiro olhou para as mãos e percebeu que estava segurando um coração, e se lembrou em flashes cortados do momento em que abriu o torax dos restos mortais de Lynxx para se alimentar dos restos mortais podres e murchos da vampira. Apenas diablerizar Lynxx não era suficiente para a besta dentro do vampiro, ele precisou estripar e comer cada orgão da vampira como meio de saciar seu desejo torpe e doentio. O gangrel estava cada vez mais profundo em sua própria natureza demoniaca. 

O preço para se tornar um assassino era a perda da própria humanidade...



Tyron Teste de Força Diff 6  = 6 Sucessos
Lynxx teste de Força Diff 6 = 5 Sucessos
Lynxx teste de Destreza+Briga Diff 6 = 4 Sucessos
Lynxx teste de Dano diff 6 = 5 Sucessos
Tyron Teste de Absorção Diff 6 = 2 Sucessos
Tyron Randall Teste de Prolongado de Diablere Diff 9 
1 Teste = 1 Sucesso
2 Teste = Falha Critica

Humanidade -1


_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bad em Ter Maio 30, 2017 11:29 pm

Ao ser ver em uma situação intrigante e até divertida tom resolve tornar o clima um tanto mais leve... avaliando a situação rapidamente resolve colocar um plano em ação;

- Opa opa, sem disputas essa noite, ou dia noturno... Está muito lindo esse sol, e a única coisa que eu quero e ver a diversão de todos. Mas parece que não vai ser possível  - Tom diz isso enquanto olha para Dave intrigado com o porque de ele não querer se divertir.

Tom meio que afunda no sofá devido a situação que se meteu, mas estava claro o que ele queria era passar um tempo com Aislin. Ele olha para as duas, olha para Dave e as outras duas garotas que ele dispensou, faz um gesto com a boca meio que se lamentando pela tentativa frustrada, volta sua atenção para o sofá aonde estava sua chance de aproveitar a noite como ele queria. Ele inclina um pouco o corpo pra frente como uma tentativa simbólica de não exatamente entre o olhar das duas ... Logo após isso começa a deferir as palavras sem voltar seu dorso para de encontro com o encosto do sofá.

Spoiler:

- Sasha minha linda, ontem a noite foi maravilhosa, mas hoje tenho um desejo mais especial, mais único. – Quando fala isso tom olha por cima dos ombros para Aislin. – Tenho a necessidade de agradar e passar um tempo com essa belezura, ela por outro lado poderá escolher os termos. Como ela me perguntou, já sabendo a resposta, não havia risco de ela ter que me disputar contigo, a não ser que ela queira utiliza-la para algo. Aislin é única... – Tom ao falar isso da uma pausa encosta no sofá de forma que consiga observar as duas reações. – Ela não precisa me disputar só precisa falar pra qual cômodo ir para ficarmos reservados e as sós. Cabe a ela da às ordens do que você deve fazer Sasha. E acredite quando digo é melhor fazer o que ela mandar.  – Com um leve sorriso maléfico no rosto Tom espera a resposta de Aislin. Enquanto isso seus dedos passaram por de leve nas pontas dos cabelos de Aislin.
avatar
Bad
Malkaviano
Malkaviano

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Sex Jun 02, 2017 9:39 am

Danio Benneti 
- PDS 5/14
- FDV 4/6 
- Vitalidade -1 Ferido  (1 Agravado,2 Letal)

Ambos seguiam pelos corredores do andar B1 do departamento de policia, eles eram cautelosos pois ouviam os urros ensandecidos dos cainitas ao longo do percurso, sair daquele lugar era realmente uma tarefa árdua, mesmo ferido Danio ainda era forte o suficiente para carregar o corpo de Hamlim em torpor pelos corredores, Darko seguia na frente mantendo a precaução necessaria e observando o local enquanto conversavam. 

Danio escreveu:- Por que você acha que foi um Malkaviano e quem é esse Vallek? 

Darko olhava para trás dizendo: 

Darko : - Vallek Morton é o Ancillae Malkaviano AT que ajudou a tomar e fazer desse departamento de policia um templo Sabá em Newark, ele assassinou a Primogena Toreador da cidade e diablerizou a sua alma durante um festim de guerra, dizem que a alma da Toreador ainda reside dentro do corpo dele. Ele é um sádico que se diverti estuprando crianças e estripando pessoas. Todo esse surto de frenesi coletivo só pode ser obra do poder da demência, eu não consigo pensar em outra explicação para isso, se Vallek não foi o causador dessa loucura, certamente ele sabe quem foi. 

Danio já havia ouvido falar dos malkavianos Anti Tribu de New Jersey. Não havia sobrado muitos mas certamente aquele surto de frenesi tinha uma caracteristica do poder da demência ou quem sabe algo parecido. Darko então se escorou na parede e olhou para o estacionamento do departamento de policia, o local tinha alguns corpos de mortais e cainitas no chão mas não eram muitos. 

Darko : - Temos um furgão blindado da policia ali. Se pegarmos será seguro para nós e o saco de entulho da camarilla ai. Fique aqui e espere eu ligar o carro, quando estiver pronto você trás o Caitiff. 

Subtamente Darko desaparece diante dos olhos de Danio. Usando o poder da ofuscação ele provavelmente estaria mais seguro, alguns minutos depois a porta do furgão abri e finalmente Danio poderia ver o nosferatu entrando para se posicionar no banco do motorista, foi então que algo salta por trás do vampiro nosferatus e morde nas costas. O peso foi tão significantes que Darko acabou por cair no chão e a porta do furgão permanecia aberta. Darko gritou um urro pesado e grave enquanto rolava com a criatura que queria destroça-lo. Olhando com um pouco mais de calma Danio percebia que se tratava de Jax, um gangrel AT que foi submetido as experiências viscerais de Samus e que hoje já não era mais uma criatura com tanta sanidade quando um dia foi. 



Jax realizou um ataque surpresa em Darko e provavelmente conseguiu transpor a ofuscação do nosferatu usando seus sentidos aguçados. A criatura arrancava um naco de carne do ombro do nosferatus enquanto eles se debatiam em uma luta feroz para ver quem se mantinha vivo...

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Sex Jun 02, 2017 10:54 am

Rugall Salles
- PDS 3/10
- FDV 0/6   
- Vitalidade -1 Ferido (1 Agravado 2 Letal)


Não havia mais muito tempo sobrando. Rugall podia sentir o cansaço em seu psicologico e o desejo por vitae era tão grande que ele á não estava mais conseguindo controlar seus impulsos até mesmo com Jully. A jovem pensou em hesitar e ignorar o seu pedido, mas ao ver os olhos e o corpo de Rugall tomando proporções avassaladoras ela correu, como se não houvesse amanhã. Segurando a mão na face para não ver o lado mais sombrio e demoniaco de Rugall. Seu belo rosto começava a mudar de padrão e ficar mais grotesco, os tiros das pistolas agora não surtiam mais tanto efeito como antes e Rugall pouco a pouco se tornaria mais uma vez aquele monstro do qual até ele mesmo teme. 


Um rugido forte confirmava a ira de Rugall ao se entregar a besta por completo. O vampiro estava incrivelmente mais forte e voraz. Rugall perdia o controle por completo de suas ações e apenas podia assistir a toda a matança e destruição que ele causaria em sua volta...


Na Noite Seguinte...




Finalmente Rugall acorda na noite seguinte. Suas vestes estavam extremamente sujas de sangue e rasgadas. Seu corpo completamente dolorido e com ferimentos de tiros no ombro e no abdomem. Era dificil para ele se locomover então por esse motivo ele repousou por um segundo sentado no chão. Ele estava em uma ruela próximo a um beco. Já não se lembrava de como havia chegado ali mas tinha vislumbres do que poderia ter acontecido quando olhou a sua volta e percebeu que estava sentado em uma poça de sangue. Havia vários corpos a sua volta. 

A cabeça de uma criança de 5 anos foi o que mais lhe chamou a atenção. Rugall havia feito aquilo ? Será que Nirrhtak estava certo o tempo inteiro e tudo o que ele poderia fazer era sentar e esperar que ele se tornasse uma criatura tão vil quanto o Tzmisce ? Rugall era um monstro e toda vez que se entregava a besta pessoas morriam, crianças, bebes como Nirrhtak costumava estripar no inicio de cada noite para transformar Anton na criatura desprezivel que ele queria. 

Rugall estava no fundo do poço. Triste ele logo lembrou das únicas pessoas que o ainda tornam humano. Ele olhou no celular e viu 12 ligações perdidas de Diana. uma mensagem de Lilly que dizia "Cheguei ao Carpem Noctem e estou com July... Estamos bem. Espero que você também esteja." 

Aquela noite ficaria gravada na mente de todos que sobreviveram a ela. A noite mais hedionda de suas vidas. Tudo o que Rugall podia ver na rua eram corpos, o sangue misturados com visceras em sua mão provava que ele participou plenamente da carnificina. Um sentimento de culpa estava fisgado no peito de Rugall. 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bahamut em Sab Jun 03, 2017 10:41 am

Dor... dor... Os sentidos de Rugall voltavam aos poucos. Seu corpo todo doía e sua cabeça tentava se localizar. Ao abrir os olhos, Rugall pode visualizar a carnificina que se espalhava pelas ruas.

Sentado em meio a uma poça de sangue, diversos cadáveres jaziam ao redor. Em suas mãos haviam restos de tripas e inclusive a cabeça de uma menina de 5 anos.

Rugall erq um vampiro, um predador, se alimentava de humanos. Porém ele sempre havia lutado contra o lado bestial de sua existência. Hoje ele havia perdido a luta. A sensação de culpa inundava seu corpo e ele não conseguia parar de se comparar a Nirrhtak. Este sempre dizia que este caminho era inevitável e que Rugall apenas adiava o seu destino. Estaria ele certo?

Rugall tentou se erguer novamente mas era difícil se locomover. Estava ferido no ombro e no abdomem, ferimentos a bala do confronto da noite passada. Cambaleando procurou algum motivo para recobrar suas forças e não ae entregar ao poço que acabava de se enfiar e lembrou de suas meninas. Elas eram uma âncora de Rugall para o seu lado mais humano.

Em seu celular, várias ligações de Diana e uma mensagem de Lilly, dizendo que ela e July estavam bem acalmavam o seu coração morto e Rugall decidiu se reerguer. Fraco como estava, não tinha outra escolha a não ser tomar o sangue dos corpos que estavam na rua. Ele precisava tratar suas feridas e preencher o vazio de suas veias para seguir em frente. Sua sobrevivência dependia disso. Em seguida ligou para Diana. Não sabia como ela estava e precisava ter notícias dela. Em seguida ligaria para Lilly e procuraria um automóvel para se locomover.

Rugall precisa sair desse inferno o quanto antes. Se recuperar agora é vital e ele conseguirá fazer isso apenas ao lado de suas servas.
avatar
Bahamut
Tzmisce
Tzmisce

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Undead Freak em Sab Jun 03, 2017 7:00 pm

Eu fechei os olhos e retornei a posição do dragão. Um formigamento começou, e sua intensidade aumentava. Era o sinal de que eu estava me ligando com a minha carcaça morta novamente. Quando abri os olhos, Dean estava desmaiado, e Sanders olhava para mim segurando o queixo com as duas mãos. Seus olhos estavam fixos e arregalados em mim, e seu corpo deu um pequeno espasmo quando me viu abrir os olhos. Estava preocupado e ansioso, aguardando por notícias. Eu, por outro lado, estava calmo. Nenhuma outra emoção seria útil agora -- não depois do que eu vi.

-- Relaxe -- disse eu em um tom sereno -- o combate terminou. Atrás da porta alguns de seus preciosos imutáveis ainda estão de pé. O resto está morto ou com a mente destruída. Aparentemente nós fomos os únicos que suportamos a onda de demência que se espalhou. Eu, por motivos óbvios e você, por sua gambiarra mental.

Eu me levantei calmamente, arrumando minha roupa. Sanders ainda estava tenso, então resolvi ir direto ao assunto.

-- Não era Cain. Nunca foi Cain. Era o criador do meu clã, como eu suspeitava. O meu "pai" fez tudo isso. E agora, sinto que ele está me chamando. Preciso ir ao leste. Não sei o que terá lá, mas sei que preciso ir. Não se preocupe. Eu fui precipitado. Não é o fim do mundo. Na verdade, apesar de tudo, isso está longe de acabar.

Eu fui então até a parede, onde pelo outro lado, em forma de espírito, achei a saída.

-- Não podemos derrubar a porta, mas esta parte aqui é bem mais vulnerável. Talvez possamos encontrar algo na sala para derrubá-la sem ter que usar munição ou explosivos.


Off: Procuro uma forma de derrubar a parede a golpes, se for possível.

-- Tem algo mais... Aquele idiota, Albert Bram, está do outro lado. Não sei como, mas ele sobreviveu. Está bem, só levemente ferido.

Meus pensamentos se perderam um pouco em Elizie. Meu desejo é reverter a zumbificação que fizeram nela e garantir que ela ficasse bem. No entanto, preciso fazer algumas coisas antes.

-- Venha, vamos sair daqui e eu falo mais depois.

_________________
avatar
Undead Freak
Malkaviano AT
Malkaviano AT

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Fuuma Monou em Seg Jun 05, 2017 7:50 pm

"- É muita sorte esta criatura infeliz não pesar muito..." - Este pensamento percorre minha mente enquanto utilizo-me de toda minha destreza para andar por aquele lugar sem chamar a atenção das criaturas ensandecidas que lotam o templo do Sabbah. Mas principalmente, mantenho-me atento a algum movimento estranho vindo do Caitiff, afinal toda aquela loucura não pode ter sido direcionada somente a uma seita... principalmente quando se fala de uma criatura frágil e de mente tão simplória como Hamlin.

"- Talvez o som de nossos passos estejam sendo abafados pelo próprio barulho dos urros". - Sinto como se minha mente não conseguisse entender o que está acontecendo, mas precisasse loucamente criar uma linha de raciocínio o mais rápido possível. Darko e eu seguimos em direção ao estacionamento, talvez ali surgisse uma oportunidade de fuga.

Darko escreveu:- Vallek Morton é o Ancillae Malkaviano AT que ajudou a tomar e fazer desse departamento de policia um templo Sabá em Newark, ele assassinou a Primogena Toreador da cidade e diablerizou a sua alma durante um festim de guerra, dizem que a alma da Toreador ainda reside dentro do corpo dele. Ele é um sádico que se diverti estuprando crianças e estripando pessoas. Todo esse surto de frenesi coletivo só pode ser obra do poder da demência, eu não consigo pensar em outra explicação para isso, se Vallek não foi o causador dessa loucura, certamente ele sabe quem foi.

"- Que forma de pensar... enquanto eu ainda procurava criar uma linha de raciocínio, Darko já está a dezenas de passos na minha frente."

- Realmente, - falo quase em um sussurro. - isso tem muito a cara de um dos Malk... mas como um posto inteiro do Sabbah cairia assim, sem mais nem menos. Seria necessário um bando desses Lunáticos para criar este estado de calamidade... Contudo, como você mesmo disse, não existe mais muitos deles caminhando por ai. - Vejo o Nosferatus encostar-se na parede, ele procura algo no interior do estacionamento.

Darko escreveu:- Temos um furgão blindado da policia ali. Se pegarmos será seguro para nós e o saco de entulho da camarilla ai. Fique aqui e espere eu ligar o carro, quando estiver pronto você trás o Caitiff.

Ao olhar na mesma direção que o outro membro do Insight vejo o que ele está indicando. Há um carro da polícia, que certamente nos permitiria uma fuga um pouco menos problemática. Assim que sairmos daquele lugar, a melhor opção parece ser a "caçada" por Lars e Keyla. A reunião do bando é algo de extrema importância.

Faço um movimento afirmativo com a cabeça e vejo o ser encapuzado sumir bem na minha frente. Este é realmente um dom bastante útil. Me vem novamente à mente pedir ao cainita que me ensine, se possível, assim que a tensão da fuga desapareça. Alguns instantes de espera e vejo a porta do furgão abrir-se. Seguro o peso morto de Hamlin e já preparo-me para liberar minha velocidade sobrenatural quando vejo algo estranho. Darko é abocanhado por uma criatura estranha, cai no chão e um urro de dor parece preencher todo o lugar.

Minha primeira reação é olhar para os lados, algo mais está se movendo em direção ao carro? Alguém mais percebeu a luta que iniciou-se dentro do furgão? Obviamente, minha segurança em primeiro lugar... mas deixar o carro, aparentemente minha única forma de fugir daquele lugar, para mais uma monstruosidade de Samus é algo que não está nos meus planos... eu sobreviverei a todo custo... nem que para isso eu tenha que destroçar aquela criatura... ou mesmo deixar Darko ser devorado enquanto abre minha porta de saída para a liberdade.

Não há muito tempo para pensar. Preciso agir rápido. Ajudo o Nosferatus ou deixo-o para morrer enquanto procuro uma nova saída? Aos poucos vou caminhando em direção ao carro, sempre parando em lugares que possam me servir de abrigo, enquanto avalio a situação. Assim que eu conseguir obter uma leitura do ambiente ao meu redor, decidirei o meu caminho.

Enquanto isso, ouço que dentro do carro a situação não está nada boa par meu companheiro de Bando.

_________________
Sigo em frente... vivo numa noite eterna... as trevas me preenchem, me alimentam... sombras estão ao meu redor... elas falam comigo, me entendem... eu as entendo e compartilho de meu ser, minha alma... nós nos completamos e assim viveremos para todo o sempre.
avatar
Fuuma Monou
Narrador
Narrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Seg Jun 05, 2017 9:26 pm

Tom Halley
- PDS 13/14
- FDV 5/5
- Vitalidade OK

Tom escreveu:- Opa opa, sem disputas essa noite, ou dia noturno... Está muito lindo esse sol, e a única coisa que eu quero e ver a diversão de todos. Mas parece que não vai ser possível . Tom diz isso enquanto olha para Dave intrigado com o porque de ele não querer se divertir.

Um pouco surpreso Tom olha para Dave que estava na cadeira próxima a sacada próximo do sol. Dave já estava com a língua deslizando no pescoço de uma das garotas enquanto chupava e beijava a moça. Seus dentes já estavam afiados e pós postos mas pelo visto o transe do momento impedia as pessoas de perceberem o que Dave estava prestes a fazer. 

Tom então voltou a sua atenção para as duas que estava no sofá. A obssessiva Sasha e a enigmática Aislin. Para Tom brincar era apenas um aperitivo para ele, o vampiro se sentia tranquilo e mantinha 

Tom escreveu:- Sasha minha linda, ontem a noite foi maravilhosa, mas hoje tenho um desejo mais especial, mais único.  – Tenho a necessidade de agradar e passar um tempo com essa belezura, ela por outro lado poderá escolher os termos. Como ela me perguntou, já sabendo a resposta, não havia risco de ela ter que me disputar contigo, a não ser que ela queira utiliza-la para algo. Aislin é única... – Ela não precisa me disputar só precisa falar pra qual cômodo ir para ficarmos reservados e as sós. Cabe a ela da às ordens do que você deve fazer Sasha. E acredite quando digo é melhor fazer o que ela mandar. 

Sasha : - Mas você é meu só meu ! - Havia um grau de letalidade nas palavras da garota, seu ar já estava começando a ficar descompensado. A boca costurada e os olhos psicóticos traziam um ar ainda mais esquisito para a face da moça do cabelo rosa. 

Aislin se ergueu do sofá de forma tranquila como se não se incomodasse. Sorriu com a ternura de uma santa enquanto sem dizer nada pegou mais uma taça de vinho e seguiu para dentro do apartamento. 

Sasha sorriu e escorou a face no ombro de Tom enquanto dizia: 

Sasha : - Vamos fazer aquilo que você fez comigo ontem mais uma vez vamos ? Eu estou ensopada de tanto tesão. 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Seg Jun 05, 2017 9:47 pm

Rugall Salles
- PDS 10/10
- FDV 0/6   
- Vitalidade Escoriado (1 Agravado)

Em meio a todo aquele banho de sangue, não era complicado para ele encontrar corpos para se alimentar. Não havia ninguem na rua, apenas corpos dilacerados ou mortos de outramaneira. O vampiro fincou suas presas no primeiro corpo que viu e drenou aquele sangue morto e sem muito gosto para dentro do seu corpo. Ele se perguntava se tomar aquele tipo de sangue iria saciar a sua vontade cada vez mais doentia. O sangue serviu para curar parte de suas feridas, os tiros serviram, as balas eram como golpes superficiais em sua pele morta, a queimadura da rajada elétrica que tomou daqueles homens que mais pareciam agentes de filmes de infecção que realmente era dificil de cicatrizar, Rugall terminou de se alimentar dos corpos depois de ter fincado suas presas em pelo menos três corpos sem vida. O sangue morto não era tão suculento quanto um sangue quente de um ser vivo mas foi o suficiente para livra-lo de seu vicio. 

Ele finalmente conseguiu se erguer por inteiro, suas vestes em frangalhos. Tudo o que Rugall queria era voltar para casa. Se é que isso traria sua paz interior de volta. Seus sonhos de se tornar uma harpia haviam acabado, ele se perguntava se pelo menos o sabá havia acabado no meio daquele apocalipse que ele vivenciou, ao menos assim ele estaria livre de Nirrhtak. 

Rugall caminhava feito um sobrevivente do holocausto. Sozinho em uma cidade deserta. Os carros estavam quebrados ou sem chave de ignição. Ele ligou para Diana enquanto pocurava a chave de um carro que estava de portas abertas largado no meio da rua. Diana então atendeu com uma voz torpe pior do que alguém que tinha acordado de ressaca. 

Diana ao Telefone escreveu:- Rugall...Eu...Eu...

O som do choro motivou Rugall, a pobre Diana era bem frágil, muito mais frágil que Lilly. 

Diana Ao Telefone escreveu:- Eu matei uma pessoa querido ! Eu juro que não foi a minha culpa, ele só queria cuidar de mim e eu o matei...Eu não sei mais o que eu sou Rugall, eu sou um monstro, eu tinha sangue por toda a minha boca e por mais que eu tome banho esse cheiro maldito de sangue e morte não saí de mim.....Eu estou na casa do James irmão da July....Por favor!

Diana caía aos prantos e o coração de Rugall se encolhia par ao tamanho de um botão. Ele estava muito triste. Lilly então tentou entrar em contato com Rugall e o vampiro percebeu que a sua outra carniçal estava ligando para ele. Mais uma mensagem de Lilly chegou na caixa postal do celular de Rugall

Mensagem de Lilly Charles escreveu:"Como você está meu amor ? Preciso de noticias suas, estamos preocupadas."


_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bahamut em Ter Jun 06, 2017 1:33 pm

Rugall conseguiu se alimentar e curar seus ferimentos. Embora o sangue não estivesse tão saboroso, a quantidade deste era exorbitante e Rugall não teve problemas.

Em meio aos corpos, um se erguia, desta vez completamente. Rugall renovara suas forças enquanto repassa mentalmente os acontecimentos mais uma vez. Sua posição como hárpia, seu novo salão, Nirrhtak e o sabá, Diana. No decorrer de tais complicações, Rugall se expôs e propôs a agir de maneiras arriscadas e fomprometedoras. Fez alianças, jogou suas cartas, tudo para proteger a si e suas servas, tudo culminando em um evento que iria acontecer, independente das suas ações.

Em seu caminho atrás de um veículo que funcione, Rugall pega seu iphone e liga para Diana. Todos os carros possuem algum problema e Rugall se pergunta sobre a onda que atingiu a cidade e enloqueceu todos. Teria ela afetado oe veículos também? Era só o que faltava.


Diana atende ao telefone. Rugall escuta do outro lado, sua ex-carniçal e agora cainita, em prantos confessar ter matado um homem e foi então que Rugall se lembrou como Diana era frágil. Ela foi transformada em um predador mas não tinha noção alguma sobre isso. As mudanças para ela estão sendo cruéis e ela passa por tais dificuldades sem nenhum suporte. O coração de Rugall amolecia e seus braços desejavam afagar e confortar sua bela dama..

Diana, doce Diana. Acalme o seu coração. Eu estou bem e você também está minha doce Diana. Darei um jeito de chegar ao salão e você deve fazer o mesmo. Peça ao nosso motorista que vá buscá-la, pedirei a Lilly que venha me buscar.. Nos reencontraremos em breve.

Diana concordou em meio a soluços. A idéia de se reencontrar com Rugall a trazia esperanças e aliviavam o seu estado emocional.

Enquanto conversou com Diana, Lilly ligara para Rugall, deixando um recado, preocupada com o seu paradeiro. Rugall retorna a ligação.

Lilly, é bom houvir sua voz novamente.
Eu estou bem por enquanto. Venha me buscar. Em breve estarei com vocês mais uma vez meu amor. Mande o motorista buscar Diana também. Quero vocês tres comigo novamente.


Sim meu amor, já estou saindo para te buscar. Que bom que está bem. Temos muito o que conversar e... bem, eu...

Eu também estou com saudade. Depois que conversarmos e nos recompormos, teremos tempo para... ficarmos juntos.

Rugall explica a Lilly aonde ele está e procura um bom local para esperá-la. Essa noite com certeza foi o ápice da tempestade. Tomara que esta já tenha passado, pois Rugall anseia pela calmaria.
avatar
Bahamut
Tzmisce
Tzmisce

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bad em Qui Jun 08, 2017 9:53 am

Beaumont escreveu:
Sasha : - Mas você é meu só meu ! -
Tom da um leve sorriso de canto, olha para Sasha,

- Você não entendeu minha jovem, não sou eu que sou seu, você que é minha. E hoje tenho um prazer melhor ainda para você.

Tom pega outra taça de vinho junto a Aislin, pega uma faca corta sua mão derramando um pouco de sua vitae  na taça, junto a vinho e entrega para Sasha.

- Beba devagar e aprecie, quando voltar, ou na próxima noite resolveremos se merece mais.

Tom da uma gargalhada se levanta, entrega a taça para Sasha, e logo diz,

-Não importa o quando você goste ou deteste isso, não me incomode nas próximas horas. Eu irei voltar depois, agora tenho assuntos melhores e mais importantes para tratar.

Tom caminha em direção adentrando o apartamento procurando Aislin, ele sabia o q queria desse que usou sua disciplina nela estava realmente interessado, com o êxtase do nascer do sol negro, esse desejo estava ainda melhor, seria a noite perfeita, era o q pensava Tom.
Caso aviste ele e a encontre tom ira encostar-se à parede e ficar admirando ela por alguns instantes.
avatar
Bad
Malkaviano
Malkaviano

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por mitzrael em Sex Jun 09, 2017 5:27 pm

Elisha : - Ahahaha, ora Herick não seja bobo ! A cidade nunca foi o nosso alvo, New Jersey era apenas uma forma de conseguir achar o nosso pai. Olhe pra você, você nunca foi um homem Herick. Você está acima de qualquer homem, você é um Cainita e eu me orgulho profundamente disso. Nosso plano foi um sucesso, estamos prontos para dar inicio ao chamado por toda a america, vamos trazer todos os malkavianos para um só lugar, vamos iluminar a America inteira e espalhar as sementes da demência por todo o canto ! AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHA


Herick olhava para sua amada com orgulho .

Pendando :

Entao todo esse tempo ela estava viva.

Mas logo Herick volta a si ,e via o quanto a loucura de alisha tinha aumentado e estava sem controle .

Pensando

Entao o tempo todo ela queria enlouquer o mundo todo ,e esse será o mundo que eu terei de viver ?desque me transformei em cainita , nunca tinha escutado tamanha loucura como poderei para tudo isso ?como trazer a sanidade da minha amada e mentora alisha .


De trás de Herick uma outra risada ecoava pelo recinto escuro, a figura loira de Viper estava no escuro mas seus cabelos e olhos incandescentes podiam ser vistos com clareza. O ódio de Herick se alastrava pelo seu interior como o rastro de um fio de pólvora. Herick nunca se esqueceria das inumeras vezes que os dois estiveram de frente e tudo o que aconteceu entre Viper e Herick




Herick olhava para traz bem lentamente sem acreditar no que tava ouvindo será que a loucura de alisha tava afetando ele novamente , e assim tendo alucinação de Viper em sua frente ?

Quando herick ficou de cara com seu maior inimigo todas suas lembranças de dor e furia viram a tona como uma explosao de odio .



VIPERRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!

Sem pensar duas vezes Herick ativo suas garras e mostro sua verdadeira face e correu com toda sua velocidade sobrenatural contra Viper



Indo em sua direção agarrando ele com toda sua força e assim mordendo seu pescoço .

Gasto 3 pontos de sangue 1 pra velocidade , 2 pra aumentar a força e 1 fdv pra acerta o agarrao

E ultilisando braços poderosos . Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael
Caitiff
Caitiff

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 36
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Sex Jun 09, 2017 10:43 pm

Vallek Morton
- PDS 6/14
- FDV 2/7  (Comportamento Solitario incorporado)
- Vitalidade OK

As notícias de Vallek eram muito instrutivas para Sanders, seu olhar era de alguém que não deixava fugir os detalhes, mesmo que a dor atrapalhasse um pouco a conversa. 

Vallek escreveu:-- Relaxe -- disse eu em um tom sereno -- o combate terminou. Atrás da porta alguns de seus preciosos imutáveis ainda estão de pé. O resto está morto ou com a mente destruída. Aparentemente nós fomos os únicos que suportamos a onda de demência que se espalhou. Eu, por motivos óbvios e você, por sua gambiarra mental.-- Não era Cain. Nunca foi Cain. Era o criador do meu clã, como eu suspeitava. O meu "pai" fez tudo isso. E agora, sinto que ele está me chamando. Preciso ir ao leste. Não sei o que terá lá, mas sei que preciso ir. Não se preocupe. Eu fui precipitado. Não é o fim do mundo. Na verdade, apesar de tudo, isso está longe de acabar. 

Sanders : - Não sei se fico feliz ou preocupado com tudo isso. Precisamos de mais recursos ? E Adonis ? Ele continua vivo ? Eu preciso fazer um relatorio minuncioso sobre o que vamos ter de enfrentar. Munir nossas forças ao máximo. Os imutáveis não foram o suficiente. Fracassamos então precisamos de um plano melhor. 

Vallek escreveu:-- Não podemos derrubar a porta, mas esta parte aqui é bem mais vulnerável. Talvez possamos encontrar algo na sala para derrubá-la sem ter que usar munição ou explosivos.-- Tem algo mais... Aquele idiota, Albert Bram, está do outro lado. Não sei como, mas ele sobreviveu. Está bem, só levemente ferido. -- Venha, vamos sair daqui e eu falo mais depois.

Diferente de Vallek, Sanders estava um fíasco. Ele tentou se erguer mas um urro de dor o fez se manter imóvel. Havia algo que o fazia segurar o estomago o tempo todo e quem sabe o sangue carniçal estivesse ralo como estava o de Dean. Enquanto isso o malkaviano observava o local onde estava, a porta de metal pesado criada pelos apetrechos de Sanders realmente foi um sucesso, mas agora estava sendo um incomodo. Ele esmurrou a porta mas tudo o que conseguiu foi ecoar o som e nada mais. 

Teria sido mais fácil se ele fosse mais forte. Seus golpes acertaram a grossa camada de metal no interior do barco, O vampiro era muito bom para amassar as paredes de metal da plataforma sub aquatica mas não era forte o suficiente para rasgar o metal com os próprios punhos. Cada murro que dava regorgitava um som de grande eco que repercutia pela sala. Era impossivel dobrar o metal das paredes ou da porta reforçada com aqueles socos. Foi então que Vallek percebeu que o Sanders havia fechado os olhos, confuso ele não poderia achar que seu carniçal também pudesse viajar pela penumbra do plano astral como ele. Ou poderia ? A verdade é que apesar de Vallek ter viajado com o espirito pela plataforma, sua carne ainda estava presa ali com Sanders, Dean e Albert Bran do outro lado. 



Teste Resistido escreveu:Vallek teste de Força+Potencia Diff 9  = 3 Sucessos 
Vallek teste de Força+Potencia Diff 9  = 2 Sucessos
Vallek teste de Força+Potencia Diff 9  = 3 Sucessos
Vallek Teste de Absorção Vigor+Fortitude Diff 7 = 3 Sucessos


_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Sex Jun 09, 2017 11:20 pm

Danio Benneti 
- PDS 5/14
- FDV 4/6 
- Vitalidade -1 Ferido  (1 Agravado,2 Letal)

No fim das contas Darko havia se tornado uma isca enquanto o vampiro La Sombra tentava observar uma saída para aquela situação. Seus olhos maneavam depressa e ele percebeu que poderia seguir o caminho a pé ou quem sabe buscar até uma viatura policial normal que não fosse o furgão, como por exemplo um carro ford de policia padrão dentre os que estavam estacionados ali. Ou ele poderia tentar passar pelo incidente a pé tentando não chamar muito a atenção mas independente de qualquer uma das duas ações que tomasse certamente deixaria Darko para morrer e isso era um grande problema considerando que ele era alguém do seu bando. 

A natureza sociopata de Danio era posta a prova agora. Considerando que o Nosferatu poderia até já estar morto dentro daquele furgão, seria um desperdicio de tempo se arriscar a ver se Darko estava bem, por outro lado porem ele era um membro extremamente útil e já havia provado lealdade a Danio algumas vezes. 

O vampiro então segue tendo a obrigação de proteger o caitiff desacordado e moribundo. O La sombra conseguia facilmente alcancar um dos veiculos ford e colocar Hamlim em segurança lá dentro, ele olhou e pelo angulo que estava vendo admirava a luta frenética de Darko sendo massacrado pelas mordidas violentas da criatura que um da já havia sido um gangrel. 


O ombro de Darko era praticamente engolido com uma só mordida e por um momento Danio se lembrou do quão ferozes os gangreis podem ser ao relembrar Lars arrancando sua mão e se deliciando de seu Vitae. O vampiro nosferatu estava usando tudo o que podia para fugir do furgão, a cobra que servia o vampiro foi rasgada com apenas um golpe das garras do animal sanguinário. O vidro frontal do furgão se espatifava e os urros da criatura ficara mais agudos. Será que isso atraíria mais problemas ? Danio via pouco a pouco o tempo se acabando e ele precisava tomar uma decisão. 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por No one em Sab Jun 10, 2017 4:39 am

Um novo Gangrel nascia, e junto com ele uma Besta furiosa e muito mais violenta que a anterior despertava, assumindo o controle de seu corpo antes mesmo que o vampiro pudesse raciocinar em sua nova personalidade. A criatura desgovernada tomava um aspecto verdadeiramente monstruoso, com seus olhos assumindo uma coloração vermelho-sangue e garras crescendo em suas mãos e pés. Nem mesmo a confiante e perturbada cainita conseguia esconder o espanto diante do monstro à sua frente, desfazendo imediatamente o seu sorriso psicótico.



Antes que a vampira pudesse piscar, o Gangrel avançava para cima dela com uma força monstruosa, derrubando-a e cravando suas presas freneticamente em seu pescoço. A loira psicótica também mostrava sua natureza bestial, fazendo crescer garras em suas mãos semelhantes às do seu agressor, numa tentativa desesperada de se defender. Enlouquecidamente, ela cravou suas garras no rosto do Gangrel, rasgando boa parte da sua face. Porém, todo o seu esforço era inútil, pois a Besta frenética que a atacava sequer sentia a dor do golpe, o monstro cruelmente arrancava um enorme pedaço do pescoço da cainita e continuava a drená-la em seguida. Tudo o que lhe importava era continuar bebendo daquela deliciosa vitae, até que arrancasse por completo a alma da vampira.

Cravando novamente os seus dentes no já dilacerado pescoço da vampira, o Gangrel continuava a saciar a sua faminta sede pelo sangue da cainita, até enfim drená-la por completo. Sem mais vitae para lhe saciar, a única coisa que poderia acalmar a fúria da Besta era a alma da psicótica mulher. Por fim, o ato do Diablerie foi cometido de maneira cruel e brutal, saciando a fúria enlouquecida da monstruosa criatura, ao menos parcialmente... Porém, após isso tudo se tornava um imenso apagão em sua memória.




Na noite seguinte...

O novo vampiro despertava, dessa vez sem a sua Besta enlouquecida no controle. A floresta, que outrora mostrava-se completamente fora do normal, dessa vez estava de volta na sua maneira habitual, com animais e sons característicos. Apesar de não se lembrar de tudo que havia acontecido na noite anterior, era perceptível que aquela havia sido uma noite totalmente incomum, até mesmo para vampiros.

Ao levantar, completamente sujo de terra e sangue, o vampiro sentia-se um estranho para si mesmo, como se estivesse pela primeira vez habitando aquele corpo. Ele se lembrava perfeitamente dos membros da Mão Negra que havia conhecido, bem como de seu principal objetivo ao ter ido até naquela floresta, que era tornar-se um membro da Mão Negra, a mais poderosa sub-seita do Sabá. Porém, não conseguia lembrar absolutamente nada sobre quem ele havia sido no passado. Algumas memórias aleatórias permaneciam em sua memória, como a do seu carniçal e de alguns aliados de grande utilidade, porém ele não lembrava quem era quando os tinha conhecido, nem mesmo as circunstâncias em que haviam se visto pela primeira vez, apesar de lembrar de diversas informações sobre aqueles indivíduos e suas vidas (e isso certamente se mostraria útil, pois mesmo que tivesse que conhecê-los "novamente", aquelas informações seriam de grande valia para uma possível chantagem caso não cooperassem). Ele também continuava um vampiro extremamente forte, perspicaz e experiente, permanecendo com todo o seu conhecimento sobre o Sabá, Mão Negra, Camarilla, criaturas das trevas, políticas sujas do mundo vampírico e muito mais, embora não soubesse como havia aprendido tudo aquilo.

O novo Gangrel percebeu que segurava um coração murcho e ressecado em sua mão. Foi então que flashes de memória vieram até ele, fazendo-o lembrar de quando, não satisfeita apenas em ter diablerizado a vampira, a criatura descontrolada abriu toda a carcaça mortal da loira psicótica para se alimentar de seus órgãos internos e restos mortais. De fato, sua Besta havia passado dos limites da crueldade, mesmo para um vampiro já tão corrompido como ele, e o Gangrel podia se sentir ainda mais inumano (embora não tivesse muitos parâmetros de comparação, uma vez que não lembrava de quem ele era no passado).

Porém, quem quer que ele fosse no passado, havia morrido junto com a cainita diablerizada, e aquele novo Gangrel estava convencido de que isso havia sido para melhor. Ele não precisava ser alguém, quando na verdade ele podia ser qualquer um, principalmente utilizando a sua Ofuscação. Apesar de ainda permanecer frio como um cubo de gelo, aquele novo ser era muito diferente de quem ele havia sido no passado. Tyron e Elyon eram extremamente ambiciosos e viviam na ânsia de se tornarem alguém. No entanto, aquele novo Gangrel não tinha tamanha ambição, pelo contrário, ele não dava a mínima para status e reconhecimento. Antes de morrer, a loira psicótica havia iluminado sua mente sobre o verdadeiro propósito da Mão Negra: sobreviver à Gehenna, custe o que custar. Tudo além disso não passava de trivialidades. Enquanto não sobrevivesse à Gehenna, ele não se importaria em ser ou não alguém. Até que aquele dia chegasse, ele seria conhecido como No one ou Ninguém.

Frio e racional, No one decidia averiguar os acontecimentos da noite anterior e, posteriormente, reunir-se aos membros da Mão Negra para se informar sobre os próximos objetivos da sub-seita. Como ainda não sabia onde se localizava a base de operações da Mão Negra na cidade, o melhor lugar para obter informações, tanto sobre isso como sobre os eventos da noite anterior, era na Catedral onde era a sede de poder do Arcebispo Samus. Sem mais delongas, seguiu para lá, deixando para trás o coração e a carcaça mortal da vampira diablerizada.
avatar
No one
Gangrel AT
Gangrel AT

Data de inscrição : 18/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Dom Jun 11, 2017 7:09 pm

Rugall Salles
- PDS 10/10
- FDV 1/6   (Natureza Sobrevivente representada nos posts anteriores)
- Vitalidade Escoriado (1 Agravado)

Rugall vagou por algum tempo a procura de algum carro que estivesse funcionando, mas não teve sucesso. Ele também não possuía pericia o suficiente para fazer ligação direta nesses carros de transmissão automática novos, mas ele nem se importou, aproveitou o tempo que tinha para colocar as coisas no lugar. O vampiro olhou em volta e nunca em sua vida imaginou ver uma cena daquelas, retirada daqueles filmes de guerra no qual tudo o que se via eram corpos e lugares destruídos. 

Rugall parou em um ponto de onibus de frente a uma loja de roupas famosa da Calvin Klein. Um manequin lhe chamou a atenção pois ele vestia um terno exatamente do jeito que Rugall costumava usar, detalhes luxuosos de uma vida que ele costumava ter. Rugall ainda se perguntava se Paul Kim manteria sua promessa de livrar ele de todas essas acusações ou se ele havia morrido no meio de toda essa loucura. Muita coisa aconteceu e Rugall não deixava de imaginar que Nirrhtak  estava envolvido em alguma coisa. 

Não demorou muito e um carro Hemi Cuda Blindado cruzou a rua e aliviou um pouco a consciência do Socialite magnata. No interior do carro estavam Lilly Charles no volante, com seu ar de mulher dura na queda e July no carona. Havia marcas de sangue seco na face de July mas as duas pareciam estar bem. 

Em um flash a mente de Rugall é transportada para outro lugar por um segundo. Rugall lembra do momento em que Joshua estava prestes a lhe arrebatar com um tiro na testa quando Lilly o salvou, a imagem então pulava para instantes em que Rugall na sua forma violenta e intrépta dilacerou o peito de Joshua com suas garras enquanto ele pedia implorando que a criatura não fizesse aquilo. Rugall não tinha certeza se aquilo era um sonho ou não mas não importava. As suas duas carniçais já estavam ali para conforta-lo. 

July : - Rugall meu amor ! - July não hesitava em correr ao seus braços. Carente e desesperada. 

Lilly era um pouco mais tranquila, olhava o cenario com um pouco de tristeza mas se continha. Estava armada e isso refletia que de fato ela estava na outra noite com ele. Ela então dizia: 

Lilly : - Querido, graças a Deus você está bem ! Nós passamos por tempos dificieis ontem a cidade inteira ficou um caos. Eu ouvi no rádio que o exército está pedindo para todos os sobreviventes se dirigirem ao Jewel Palace, eles fizeram uma fortaleza para nos proteger da epidemia que se alastrou em Jersey City. Eu não consegui encontrar nosso motorista então vamos nós três até a casa de James para pegar ele e Diana. Você não acha seguro que estejamos sob a proteção do exercito americano ? 


July : - O Jewel Palace não era o prédio residêncial daquela socialite Modelo famosa Elisha Hurley ?


Lilly : - Sim, é um lugar grande, o exercito achou que um lugar famoso seria bom por ser muito conhecido. Todos os sobreviventes estão sendo acomodados lá. 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Dom Jun 11, 2017 8:24 pm

Tom Halley
- PDS 12/14
- FDV 5/5
- Vitalidade OK


Tom escreveu:- Você não entendeu minha jovem, não sou eu que sou seu, você que é minha. E hoje tenho um prazer melhor ainda para você.

A moça maneava a cabeça com os olhos gigantes e redondos para Tom, enquanto ele parecia iniciar o processo de laço sanguineo entre os dois. A garota não hesitou em pegar o copo com as duas mãos colocar uma grande golada de vinho para dentro do seu organismo mortal. Tom podia ver o desejo de Sasha em obedecer seu querido objeto de desejo apenas para estar mais próximo dele. Ela sorri com os dentes um pouco avermelhados pela coloração do vinho bastante entusiasmada. 

Tom escreveu: Beba devagar e aprecie, quando voltar, ou na próxima noite resolveremos se merece mais. 

-Não importa o quando você goste ou deteste isso, não me incomode nas próximas horas. Eu irei voltar depois, agora tenho assuntos melhores e mais importantes para tratar.

Sasha que até então estava feliz mudou a tonalidade de sua expressão quase que instantaneamente. 

Sasha : - Mas pra onde você vai ? E eu onde eu vou ficar ?

Sasha não entendia o que havia feito de errado, tinha um olhar de inocente e estranho ao mesmo tempo com aquela boca costurada e cabelos cor de rosa. 

Ao se erguer Tom Halley olhou para uma mesa de madeira onde estavam o cara que havia chegado depois e mais duas garotas. 

Mac Love: - Ohh o cara ! Passando AIDS pra guria, ou sei lá que porra. Saí de perto de mim caralho ! Hey meninas peguem mais alcool pro papai aqui !

As garotas faziam uma expressão de nojo e se levantavam dali e Tom se dirigia adentrando o apartamento. O local era pequeno até, mas deveria ser confortável para apenas 3 pessoas. No era possivel ouvir os gemidos de Purple com aguma garota lá dentro. Ele então viu Aislin no quarto deitada em cima da cama enquanto olhava o celular. A moça estava com uma das pernas encurvadas com o joelho pra cima o que fazia com que parte de sua saia escorregasse e mostrasse sua coxa e parte de sua roupa intima. 

A garota parecia despreocupada e ao mesmo tempo sexy, ela olhou com o canto dos olhos e um sorriso tomou sua face enquanto ela gemeu vagarosamente. 

Aislin : - Awww... Tom Halley, você sabia que o seu nome possui uma melopéia formidável? 

A moça abria ainda mais as pernas, mas desta vez focou sua atenção ao celular e retirou o sorriso de sua face. 

Aislin : - Sabe Tom. A vida de um imortal se torna muito chata depois dos 100 anos de idade. O rebanho morre fácil. As pessoas que você conhece e se importa envelhece. No fim nada nesse mundo é pra sempre, nem mesmo nós sabia ? Eu queria ter você por uma noite, sentir o seu vitae na minha garganta enquanto o sol Negro lá fora nos engrandece. Mas e depois você vai embora ? Morre ? 

Aislin então erguia seu tronco e se entava em posição de lotus em cima da cama. Seus cabelos castanhos escuros se renderam por completo quando sua boina caiu no chão e ela possuía uma beleza que Tom nunca havia visto na vida. 

Aislin : - Sabe por que andamos juntos Tom ? Dave, Purple, Carl e eu ? Por que eles perderam pra mim em um jogo... Você quer jogar ? 

Aislin voltava a sorrir, era dificil negar um pedido dela, era dificil até pensar naquele momento. Tom sentia uma enorme vontade de aceitar o pedido dela. Seria dele mesmo essa vontade mórbida ?

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Dom Jun 11, 2017 9:00 pm

Herick Draven
- PDS 2/15
- FDV 0/6
- Vitalidade Completa
- Rapidez Ativa 
- Força 6

O ódio de Herick por seu Sire sempre foi latente. Assim que ele viu que Viper estava ali, sua fúria se reverberou como um colosso. Ele ficou mais rápido e seus musculos um dia atrofiados se encheram de sangue e força. 

Herick avançou com uma fúria incrivel e avassaladora. Mas seu Sire talvez já esperasse uma atitude assim do caitiff. Quando Herick se prestou a abraçado com seus dentes a postos eis que subtamente ele atravessa o corpo de Viper como se praticamente não existisse. O poder mais pleno que um Ancillae Gangrel poderia ter se manifestou no Sire de Herick, o vampiro se transformou em um miasma esbranquiçado impedindo Herick de segura-lo. Herick então atravessou a nevoa que Viper se formou e apenas segurou a terra no alimentando ainda mais sua indignação pelo modo como Viper o sub estimava. 

Herick virou automaticamente sua face em fúria irrefreável mas ele sabia que como uma névoa Viper era impossivel de ser atacado físicamente. 

a névoa então se projetou a alguns metros de distancia e então Viper tomou novamente sua forma sólida. Elisha já não estava mais lá, talvez tivesse usado o poder da ofuscação para desaparecer. 

Viper : - Ahahahahaha . Quanta rebeldia ! Se eu quise vir para te matar eu já teria feito a muito tempo. Você só possuí a vida que tem por minha causa Herick Draven. Você era um lixo que achava que era um predador, eu lhe dei presas, garras como um caçador e a vida eterna. Você por acaso acha que pode me matar ? Você está evoluindo mas nunca será um membro Ancião como eu. Desista enquanto tem chances de pelo menos viver como o caitiff que é, as margens de outros vampiros bem sucedidos. Se quiser morrer me avise que eu tiro sua vida de uma vez. 

A raiva de Herick era nítida e Viper alimentava ainda mais esse ódio inigualável que ele sente. Herick estava mais uma vez diante de seu inimigo mortal e criador. 

Viper : - Elisha, você já não acha que está na hora de dizer ao garoto o seu verdadeiro plano ?

Subtamente Elisha aparece ao lado de Herick. Desta vez porem Elisha estava em sua forma de combate em um misto de humanoide com morcego. Um dos legados que o dr. Kane deixou para a Anciã antes de morrer. Elisha então afundou segurou gentilmente a mão agora deformada de Herick e então disse: 

Elisha : - Tudo o que fizemos foi para que Malkav retomasse o contrle e nossa existência fosse decidida por nós Cainitas. O mundo será nosso e os humanos serão apenas gado. A ideologia Sabá nunca esteve errada Herick, eles apenas tinham os líderes errados.  E Malkav mudará isso ! 


Viper : - Está na hora de você aceitar a sua verdadeira natureza garoto. Você é um humano ou cainita ? 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Dom Jun 11, 2017 9:50 pm

No One
- PDS 10/15
- FDV 3/8  
- Vitalidade Ferido-1 (Agravado)

O Gangrel deixou a floresta com uma precisão incrivel. Com seus novos sentidos completamente aflorados ele podia se sentir mais animal do que um ser humano. Sua besta interior latejava mesmo ele mantendo o controle sobre esta. Ele conseguiu fazer o seu caminho em direção ao cemitério antes que a Lua cheia alcancasse o seu cume. 


Assim que chegou ao retudo Sabá o gangrel teve uma surpresa nada agradável. 

A primeira impressão não era tão aterradora. Corpos enfileirados e empalados em grandes lanças de madeira enfeitavam o cemitério por completo. Aquele tipo de atividade era normalmente usada apenas em Pallas Grande ou em algum tipo de Festim de Guerra especifico, mas o que chocou o vampiro e o deixou em alerta foi que os corpos que jaziam ali não eram do rebanho mortal como geralmente faziam. Eram cainitas... Todos Cainitas empalados alguns haviam encontrado a morte certa por não possuírem mais as suas cabeças no lugar, era dificil de dizer que algum cainita ali havia conseguido sobreviver ao empalamento ou não. 

A cena era muito estranha. Talvez fosse um aviso, mas a camarilla não costumava violar a máscara de tal forma. O gangrel percorreu o cemitério e viu que a entrada para o Templo Sabá estava aberto, não havia vestigios de que nenhum cainita estava ali a menos os que estavam empalados. 

No one, o gangrel, adentrou cada vez mais nas dependencias seguindo em direção as catacumbas atraves do malsoleu ue dava acesso ao subterraneo. Mais corpos de vampiros estavam jogados, havia muito sangue e as coisas não pareciam estarem intactas. Havia sinal de batalhas, buracos de tiros e a maioria dos vampiros estavam armados. A pergunta seria, quem eles enfrentaram ? Qual era o inimgo e se ele ainda estava ali. 

O Gangrel se preparou para o pior. O desconhecido. 

No interior de um dos corredores das catacumbas ele finalmente ouviu alguma coisa, algo que mais parecia um chamado fraco ou um gemido, som de carne sendo rasgada e um cheiro forte de sangue que vinha de uma das salas. O gangrel podia ver que em uma das salas havia uma criatura se alimentando dos corpos ali. A criatura era gigantesca e demoniaca. Possuía uma grande bocarra e praticamente engolia os restos mortais e toda a carne que via pela frente. 


O Gangrel precisaria ter cuidado para não chamar a atenção da criatura para sí mesmo. 

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por mitzrael em Dom Jun 11, 2017 10:28 pm

Viper : - Ahahahahaha . Quanta rebeldia ! Se eu quise vir para te matar eu já teria feito a muito tempo. Você só possuí a vida que tem por minha causa Herick Draven. Você era um lixo que achava que era um predador, eu lhe dei presas, garras como um caçador e a vida eterna. Você por acaso acha que pode me matar ? Você está evoluindo mas nunca será um membro Ancião como eu. Desista enquanto tem chances de pelo menos viver como o caitiff que é, as margens de outros vampiros bem sucedidos. Se quiser morrer me avise que eu tiro sua vida de uma vez.



Voce me matar ? Voce ja perdeu essa chance o unico que vai morrer e voce

Herick falava envergando seu corpo e deixando sua calda que nem um bote de escorpiao

Viper : - Elisha, você já não acha que está na hora de dizer ao garoto o seu verdadeiro plano ?

Nao a envolva em nossa converça corvade ela nao vai te proteger , voce e meu , vou tomar todo seu sangue assim como voce fez comigo .

Pensando :

Droga alisha ta do lado dele , mas posso deixar ela ficar no meu caminho ele não vai fugir de mim de novo isso acaba hoje .


Elisha : - Tudo o que fizemos foi para que Malkav retomasse o contrle e nossa existência fosse decidida por nós Cainitas. O mundo será nosso e os humanos serão apenas gado. A ideologia Sabá nunca esteve errada Herick, eles apenas tinham os líderes errados. E Malkav mudará isso !



Deculpe alisha por mas que te ame e te repeite esse idiota ja ando por esse mundo por muito tempo
Ta na hora dele encontrar o criador , e arde no inferno .



Viper : - Está na hora de você aceitar a sua verdadeira natureza garoto. Você é um humano ou cainita ?

Herick olhava para o Viper com olhar frio e cheio de odio . E lambia os seus caninos .

Voce ta me zuando otario ? Minha verdadeira natureza? Humano ? Cainita ? Eu nao sou nada disso

Tudo que tinha de humano morreu em mim na mesa de Kane , cainita nunca fui cainita eu sou caitfi com orgulho , e se tivi um siri um mentor foi Alisha voce e um nada , voce é um verme , um parasita , tenho pena dos ancilaes que tem de ouvir voce se comparar a eles .

Mas isso acaba aqui voce hoje morre , e Alisha vou seguir para onde voce for mas depois de rasgar a cabeça dele .


Herick fala ultilizando a sua mil faces ficando ofuscado e pulando pro telhado e ficando agarrado la
Esperando o momento mas oportuno para ataca lo . Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil Twisted Evil
avatar
mitzrael
Caitiff
Caitiff

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 36
Localização : Sergipe ,Aracaju

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bahamut em Seg Jun 12, 2017 6:16 pm

Rugall continuou procurando por algum carro que funcionasse mas não teve êxito. Em seguida caminhou até um ponto de ônibus quando percebeu que este estava na frente de uma loja da kalvin clein. Quando rugall se deu conta, reparou que estava encarando um manequim de terno, da mesma forma como costumava usar. O manequim estava à sua altura e o leve reflexo no vidro dava a impressão de que era Rugall quem estava trajando o terno, mas ao se enchergar com mais cuidado no reflexo, Rugall pôde notar que quase não sobrara roupa alguma em seu corpo. Fato esse devido à sua grotesca transformação.

Rugall até pensou por um instante em invadir a loja e roubar o terno, mas tal linha de pensamento não cabia em sua mente. Logo em seguida um som de automóvel invade os ouvidos de Rugall, ficando cada vez mais próximo. O ronco do motor era de um V8, o mesmo motor do Cuda de Lilly. Claro que não era coincidencia.

Não demorou muito para que Lilly estacionasse atrás de Rugall. July que estava no carona, saiu apressadamente do carro correndo ao encontro de Rugall. Seu rosto tinha uma mancha de sangue seco, que fazia Rugall pensar nas intempéries pelas quais ela passou, mas ainda assim, seus belos cabelos castanhos cintilavam ao vento cheios de vida e o seu doce vestido azul brilhava em um novo tom, aproveitando a energia que emanava da bela mulher.

O abraço dos dois foi iminente. July predsionava seu corpo contra o de Rugall, com medo de que algo os separasse a qualquer momento. Rugall a abraçou e sentia o corpo dela pulsar e arrepiar compulsivamente, revelando o misto de emoções que assolavam a linda mulher em seus braços.

Lilly saía do carro lentamente. Como a mulher forte que era, seu rosto demonstrava pouco abalo, mas ainda assim ela se emocionara.

Querido, graças a Deus você está bem ! Nós passamos por tempos dificieis ontem a cidade inteira ficou um caos. Eu ouvi no rádio que o exército está pedindo para todos os sobreviventes se dirigirem ao Jewel Palace, eles fizeram uma fortaleza para nos proteger da epidemia que se alastrou em Jersey City. Eu não consegui encontrar nosso motorista então vamos nós três até a casa de James para pegar ele e Diana. Você não acha seguro que estejamos sob a proteção do exercito americano ?

Rugall não gostou da idéia. Enquanto ponderava sobre o que Lilly lhe havia dito, Rugall teve um vislumbre do momento em que Lilly lhe salvara a vida ao atirar em Joshua e em seguida a cena era substituída por Joshua gritando e implorando por sua vida instantes antes de Rugall lhe abrir o peito com garras poderosas. A imagem havia sido forte e Rugall ficou um pouco avoado. A imagem de Joshua morto à sua frente desaparecia gradativamente dando lugar à imagem de Lilly, que se aproximava de Rugall. Embora a imagem tivesse sido forte, Rugall não se abalava mais tão facilmente e pôde receber Lilly com um caloroso abraço a três. July ainda apertava forte Rugall, balbuciando palavras de saudade e o quanto estava aliviada em estar de volta aos seus braços enquanto Lilly apoiava a cabeça nos ombros de Rugall com os olhos fechados, acariciando-lhe os cabelos e beijando-lhe suavemente o pescoço.

A carência de suas servas alcançava vários patamares e tudo o que queriam era estar com seu mestre, mas Rugall precisa interromper este momento antes que fique demasiadamente íntimo. As ruas não são um lugar para isso, suas servas podem não conseguir ae controlar e ainda por cima deve haver algum sobrevivente enlouquecido à solta... ou pior.

Dessa forma Rugall delicadamente dá novos comandos para suas belas mulheres, quebrando o encanto por ora.

Minhas doçuras. É muito bom poder tê-las em meus braços novamente, mas não podemos ficar aqui. As ruas ainda podem esconder perigos. Iremos o quanto antes pegar Diana para voltarmos para casa.

Quanto ao Jewel Palace, não quero ir para lá. Não sei como está a cidade e muito menos quem está no controle. Ficaremos no salão, com tudo desligado se for o caso, sozinhos no porão.

Agora vamos. Estou sem roupas para complicar a situação.


Rugall então seguiu em direção ao carro. Lilly foi ao volante e July se sentou no banco de trás com Rugall. Enquanto Lilly dirigia, observava pelo retrovisor enquanto July se apoiava contra o corpo do vampiro, como um animal no cio, acariciando, beijando e lambendo o corpo do vampiro. Rugall não reagia aos carinhos embora July desejasse muito alguma reação por parte dele. Mas impassivo ele se mantinha, atento aos arredores e aos olhares de desejo de Lilly no retrovisor. A cena deixava a Loira cada vez mais lasciva.
avatar
Bahamut
Tzmisce
Tzmisce

Data de inscrição : 04/10/2015
Idade : 34

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Undead Freak em Ter Jun 13, 2017 12:09 am

-- Não sei se fico feliz ou preocupado com tudo isso. Precisamos de mais recursos ? E Adonis ? Ele continua vivo ? Eu preciso fazer um relatório minucioso sobre o que vamos ter de enfrentar. Munir nossas forças ao máximo. Os imutáveis não foram o suficiente. Fracassamos então precisamos de um plano melhor.

-- Adonis? Adonis é um bosta. É um pau-mandado, que é outra coisa que eu já suspeitava... Quando a onda estourou lá em cima e eu vi o sol negro nascer, Adonis estava literalmente derretido no chão, tamanho o impacto que tudo isso teve na mente dele.

Sanders tentou se levantar para me ajudar quando eu sugeri de derrubarmos a parede com algo, mas ele estava bem mais fodido que todo mundo ali. Foi irônico. Antes um motivo de orgulho, agora a porta criada por ele estava deixando-o puto. Era um estorvo, de fato. Um estorvo que pesava toneladas. Ele esmurrou a porta com raiva, mas a única coisa que conseguiu foi produzir uma porra de um eco metálico desagradável. Comecei a esmurrar a parede para ver no que ia dar, mas por mais que ela chegasse a amassar com os golpes, não conseguia transpassar o metal.

-- Viu? Até para mim é difícil. Esmurrar essa merda certamente não vai ajudar.

De repente Sanders fechou os olhos. Que porra ele estava fazendo? Será que ele estava fazendo o mesmo que eu fiz... ou era mais um truque tecnocrata dele? Ótimo... que bela hora ele escolhe para entrar em transe -- justo agora que eu tinha tanto para falar. Bem, parece que não há muito o que fazer. Vou esperar para ver o que acontece. Se eu fazer algo agora, vou atrapalhar a concentração dele -- e eu confesso que estou curioso. Caso ele não consiga nada, terei que tentar algo mais... ignorante.


_________________
avatar
Undead Freak
Malkaviano AT
Malkaviano AT

Data de inscrição : 02/05/2013
Idade : 27
Localização : São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Bad em Ter Jun 13, 2017 11:27 pm

Tom preferia nem comentar ou prestar atenção nos comentários, deixe que pense que ele está passando algum tipo de doença. Sasha iria sentir um prazer que nenhum deles jamais sentiu, isso era até certo ponto ilario para Tom, que caminhava adentro do apartamento...

Aislin : - Awww... Tom Halley, você sabia que o seu nome possui uma melopéia formidável?

Tom encosta no portal tampando a passagem da porta da um sorriso... e responde para Aislin:
- Então meu nome combina com o seu corpo, pois ele é uma completa obra de arte.

Aislin : - Sabe Tom. A vida de um imortal se torna muito chata depois dos 100 anos de idade. O rebanho morre fácil. As pessoas que você conhece e se importa envelhece. No fim nada nesse mundo é pra sempre, nem mesmo nós sabia ? Eu queria ter você por uma noite, sentir o seu vitae na minha garganta enquanto o sol Negro lá fora nos engrandece. Mas e depois você vai embora ? Morre ?

- Enquanto você pensar no amanhã não vivera o hoje, somos imortais pra que se ficarmos pensando no amanhã... deixe isso para os humanos, nos já passamos do tempo que deveríamos viver, vamos aproveitar cada noite como se fosse +1 e não como se estivéssemos contando -1 entendestes ?

Tom deferia essas palavras lentamente enquanto fechava a porta atraz dele sem tirar os olhos de Aislin, ia caminhando lentamente em sua direção e terminava de falar quando estava passando os dedos em suas coxas.  Quando ela se sentou em posição de lótus e aquela beleza de cabelos ficou a mostra tom pegou com o dedo e colou por de traz da orelha um dos lados para olhar melhor seus olhos.


Aislin : - Sabe por que andamos juntos Tom ? Dave, Purple, Carl e eu ? Por que eles perderam pra mim em um jogo... Você quer jogar ?

Quando ela fala isso e defere um sorriso tom se aproxima um pouco mais, encosta seu rosto ao dela e fala ao pé do ouvido:

-você sabe o que eu quero, mas conte-me mais sobre essas regras desse jogo. E qual o tamanho do premio, porque está andando em bando, e com uma beleza dessas toda noite não é bem uma derrota.
Tom da uma volta na cama, faz o mesmo movimento com os cabelos de aislin so que agora do outro lado da cama e senta ao lado dela, com sua mão sobre a perna da vampira.
avatar
Bad
Malkaviano
Malkaviano

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Beaumont em Qua Jun 14, 2017 6:07 am

Herick Draven
- PDS 2/15
- FDV 0/6
- Vitalidade Completa
- Força 6

Herick escreveu:Tudo que tinha de humano morreu em mim na mesa de Kane , cainita nunca fui cainita eu sou caitfi com orgulho , e se tivi um siri um mentor foi Alisha voce e um nada , voce é um verme , um parasita , tenho pena dos ancilaes que tem de ouvir voce se comparar a eles . 

Viper sempre teve orgulho de Herick de uma certa maneira, seu desejo e sua paixão sempre motivaram o Caitiff a tomar decisões que iriam além de suas próprias capacidades, se tornou algoz, assassinou um membro da notória Mão Negra e fugiu de um reduto Sabá depois de sofrer meses de tortura. Herick era um verdadeiro sobrevivente mas mesmo que tudo isso fosse dito como qualidade. Herick ainda era incrivelmente indomável e isso irritava o seu próprio Sire. 

Viper : - Isso não vai acabar hoje Herick, isso só acaba quando eu quiser... 

Antes que pudesse perceber Herick saltava com incrivel força e habilidade para o alto da casa de madeira, as vigas eram firmes e permitiam que conseguisse se projetar em um angulo ficasse dificil para visualização. O vampiro ficava a espreita observando o momento em que os olhos amarelados de Viper vasculhavam pelo local até fita-lo lá em cima. Um sorriso brotou na face de Viper e em segundos ele agia com extrema velocidade. 

Viper era um eximio predador, já estava com suas presas a postos e assim que se aproximou de Herick em um lance de segundos ele cravou suas garras no pescoço de Herick e o puxou do teto da casa com incrivel potencia. 

Viper : - Ora vamos Herick, você acha que pode me caçar com truques tão ingenuos ? Aprenda EU SOU SEU MESTRE !

Herick então era jogado ao chão com incrivel força, o peso de Herick era gigantesco. Ele se encontrava com o chão destruindo o assoalho criando um buraco aonde estava e invadindo um andar subterraneo da casa. Herick caía por longos metros até finalmente alcancar o chão. Sentiu apenas um pouco de tontura da queda mas seu corpo dificilmente saberia o que era dor novamente com uma queda daquelas, incrivelmente resistente, o caitiff se erguia percebendo que havia caído em uma expécie de altar escondido em baixo da casa. 

O local parecia uma espécie de tumba escondida em baixo da casa, havia muitas teias de aranha que faziam um barulho estranho sempre que ele dava cada passo. As paredes eram de grandes pedras e a iluminação precária apenas do buraco que ele criou quando caíu, ele olhou para cima e viu que caíu de um lugar incrivelmente alto, provavelmente uns 30 metros. A sua frente estava uma caveira com dentes ponti agudos e algo entalhado em sua testa em espanhol. 

"Desenvolva sua capacidades ao máximo de modo a discemir sua verdadeira natureza."

Viper : - Sua capacidade de ofuscação ainda é falha Herick. Como planeja atacar de surpresa desta forma ? 

Desta vez Herick não conseguiu encherga-lo apenas o ouviu a voz de Viper em sua mente o que le concedeu uma incrivel ira por não ter conseguido ataca-lo de surpresa.  

Herick (Desaparecimento do olho da Mente) Car+Furt Diff 10 = Falha Critica
Viper (Agarrar) Força+Potencia Diff 6  = 10 Sucessos 
Herick (Resistir) Força+Potencia diff 6 = 7 Sucessos

_________________
  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New Jersey by Night – A Maça do Éden.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum