Sangue Ruim - Escolhas...

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Dom Maio 21, 2017 7:39 pm

Me busque!

Desligo o telefone! Não gosto de manter muito contato com meus subordinados, eles podem achar que tenho alguma estima por eles. Mas em contra partida sei recompensar muito bem pelos seus serviços.

Logo trato de enviar a minha localização para o motorista. Na verdade nem eu sabia ao certo onde me encontrava... Avisto a saída e uma movimentação esperada. Mas não me preocupo com aquelas pessoas. Tirando o funcionário que me vira numa situação suspeita próximo a uma caixa entreaberta, os outros não seriam problemas. Falando nisso acabo de me dar conta de que nem verifiquei o que havia na caixa. Mas decido seguir em frente...  Talvez eu deveria tirar vantagem de estar naquele local. Um local de controle de tudo o que entra e sai da cidade é no mínimo interessante de se ter uma pessoa sendo meus olhos aqui. Caminho até a movimentação de funcionários e quando alcançar, pedirei para falar com o chefe maior daquele local.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Ter Maio 23, 2017 10:55 am

Henry Crow; PS: 14/15; Força de Vontade: 09/10; Vitalidade: ok

Finalmente Henry Crow colocaria seu plano em ação. O vampiro estava sozinho na “chapada”, e ainda assim tomava uma atitude que fugia completamente do esteriótipo dos membros de seu clã. Talvez aquela seria mesmo a última noite de Henry em Glover e no mundo físico. No entanto, o Ventrue não hesitaria. Ele coloca seu celular no modo silencioso, confere a estaca e saía de seu carro usando seus dons para mudar sua aparência para a de um mendigo.

Apesar de não ser uma habilidade nata dos sangue-azuis, Henry conseguia criar um disfarce quase perfeito. Ele encontrava um lugar ideal, um pouco distante de seu carro, ao lado de um contêiner de lixo e de frente para alguns galpões de empresas que estavam fechadas àquela hora da noite. Papéis de jornais e sacos plásticos dançavam pela rua conforme o vento soprava. As pessoas que passavam na rua ignoravam completamente a presença do vampiro, demonstrando que o disfarce havia funcionado. Henry então colocava a segunda parte do plano em ação. Com a mente concentrada na imagem de Jack, o ventrue fazia o chamado. Após usar seu poder sobrenatural, Crow sabia que havia funcionado e que até o final da noite, Jack apareceria, se ele estivesse naquela cidade.

Quase duas horas havia passado. E acredite, o tempo passa bem devagar nessas situações. Crow já estava entediado e a tensão de saber que Jack poderia aparecer a qualquer instante aumentava ainda mais a ansiedade e só piorava as coisas. Finalmente algo chamava a atenção de Crow. Dois carros de luxos com faróis de xênon azuis, que parecia ter uma capacidade extra de incomodar a visão vampírica, estacionavam a alguns metros dali. Com os vidros escuros não se podia ver quem estava dentro. No carro da frente descia 3 homens, todos de terno escuro, e motorista ficava no carro. No carro de trás descia dois homens, sendo que o motorista também ficava. Os 5 homens conversavam entre si, olhavam os arredores, viam Henry, mas não se importavam com o mendigo que estava ali.
Então finalmente uma última pessoa descia do carro de trás. Crow se surpreendia ao ver quem era.

Alguém:

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Ter Maio 23, 2017 11:13 am

Ivan Markov; PS: 11/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok


Ivan Markov dava uma ordem direta ao motorista, sendo o mais sucinto possível. Após desligar o telefone, ele enviava a localização ao motorista. Contudo, assim que Ivan enviava a localização para seu motorista que estava em NY, ele notava que algo não estava certo no mapa. A localização de Ivan indicava que ele estava na capital do Estado do Colorado, nos EUA, não em NY! Seria um erro do aplicativo?

Ivan caminha para a saída daquele depósito, onde havia uma movimentação maior de funcionários. Logo uma ligação do motorista confirmava o incidente. O motorista de Ivan ligava confuso, dizendo que Markov estava no Colorado e que ele demoraria uns 3 dias de carro para busca-lo ali. O funcionário deixava claro que não estava pensando em desobedecer a ordem, apenas queria confirmar a localização de Ivan.

Assim que o vampiro chegava na saída do estabelecimento, ele notava máquinas carregando caixas, mochilas, encomendas, funcionários com carrinhos de mãos e burrinhas motorizadas. Rapidamente ele era notado pelos funcionários, que estavam todos de uniforme e com equipamentos de proteção. Um homem de terno naquele lugar era algo que realmente não deveria estar ali. Então o vampiro notava finalmente onde estava. Em um aeroporto! Contudo, na pista de trabalho do aeroporto. Carregamentos chegavam dos aviões para o depósito e vice-versa.
O vampiro dizia que queria falar com o chefe do lugar e um dos funcionários, talvez algum encarregado de baixo escalão respondia enquanto falava ao rádio.

- Ah, com certeza o senhor vai falar sim! Aqui é do depósito. Precisamos de uma equipe de segurança aqui. Houve uma violação do perímetro.
O homem então dirigia-se para Ivan novamente: - O que o senhor está fazendo aqui? Esta área é restrita para funcionários do aeroporto.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Qua Maio 24, 2017 3:53 am

Apesar de não ser uma habilidade nata dos sangue-azuis, Henry conseguia criar um disfarce quase perfeito. Ele encontrava um lugar ideal, um pouco distante de seu carro, ao lado de um contêiner de lixo e de frente para alguns galpões de empresas que estavam fechadas àquela hora da noite. Papéis de jornais e sacos plásticos dançavam pela rua conforme o vento soprava. As pessoas que passavam na rua ignoravam completamente a presença do vampiro, demonstrando que o disfarce havia funcionado.


Conquanto o momento de tensão devesse fazer com que a mente de Crow não vagasse demais, Henry não pode deixar de pensar no conceito de invisibilidade social ao notar como os transeuntes o ignoravam.

"Um elemento da classe social mais baixa num lugar como esses consegue ser tão invisível como um mestre da Ofuscação. Não. Pensando melhor isso não é muito preciso. Mesmo um mestre da Ofuscação que deseje permanecer invisível tem que tomar cuidado para não fazer barulho. Um mendigo nesse beco escuro sequer precisa ser silencioso para deixar de ser notado. Creio que não terei problemas em permanecer aqui sem ser perturbado.Bem, já que o local é bom e não há razões para crer que serei interrompido, creio que é hora de dar início aos trabalhos."


Quase duas horas havia passado. E acredite, o tempo passa bem devagar nessas situações. Crow já estava entediado e a tensão de saber que Jack poderia aparecer a qualquer instante aumentava ainda mais a ansiedade e só piorava as coisas.


Henry certa vez vira um documentário no qual se dizia que o nível de stress que soldados em campanha esperando ordens sofriam era quase o mesmo que o de soldados em combate e considerara na ocasião que aquilo não fazia sentido. Agora em que ele estava em uma situação semelhante Crow se via obrigado a rever esse posicionamento.

Claro que estar em um tiroteio era psicologicamente desgastante, mas os níveis de ansiedade que aquela espera causavam não deixavam muito a desejar em relação à ação propriamente dita. Talvez fosse até pior, já que em momentos de ação as circunstâncias forçam você a reagir com rapidez ao passo que aquela monotonia combinada com o conhecimento de que o inimigo se aproximava apenas estimulava a paranoia.


Finalmente algo chamava a atenção de Crow. Dois carros de luxos com faróis de xênon azuis, que parecia ter uma capacidade extra de incomodar a visão vampírica, estacionavam a alguns metros dali. Com os vidros escuros não se podia ver quem estava dentro.


"Esses carros destoam completamente da paisagem. E eles pararem bem a minha frente depois de eu convocar minha presa seria uma tremenda coincidência. Será que Jack está dentro de um deles? Esse tipo de demonstração de riqueza estaria um pouco fora do esteriótipo de um gangrel anarquista... Bem, creio que minha própria condição no momento destoe do esteriótipo Ventrue, então tudo é possível. É melhor eu ficar de olhos bem abertos."


No carro da frente descia 3 homens, todos de terno escuro, e motorista ficava no carro. No carro de trás descia dois homens, sendo que o motorista também ficava. Os 5 homens conversavam entre si, olhavam os arredores, viam Henry, mas não se importavam com o mendigo que estava ali.


"Abençoada invisibilidade social. Esses capangas não gastaram mais do que meio segundo se dando conta de minha presença aqui. Caso seja necessário eu provavelmente poderia colocar todos eles fora de combate antes que se dessem conta da origem das balas. Mas eu não tenho qualquer motivo para tanto. Quem são esses caras? Carniçais de minha presa talvez? Não devo me precipitar. Vou aproveitar minha posição privilegiada enquanto entendo melhor o que está acontecendo antes de perder o elemento surpresa."



Então finalmente uma última pessoa descia do carro de trás. Crow se surpreendia ao ver quem era.


"Hendric! Mas é claro. Ele esteve com os Ratos e selou um pacto com eles antes de eu ir ter com os Nosferatu e mudar a posição das pedras no tabuleiro. É bem provável que saiba tanto quanto eu que essas vizinhanças são o último lugar onde o infrator foi avistado. Será que ele veio para capturá-lo pessoalmente? Ou será que existe algo além que eu não estou sendo capaz de deduzir?"

Crow permanece de olho no grupo de onde está, concentrando-se para tentar ouvir algo. Caso eles saiam de seu campo de visão Henry irá se deslocar para ver para onde eles vão. Crow pretender não atrair atenção, mas caso alguém note ele a ponto de lhe dirigir a palavra o "mendigo" irá pedir um trocado.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Qua Maio 24, 2017 7:28 am

- Puta que pariu! Como vim parar nesse lugar e o por quê?...

Percebo que estou muito, muito longe de casa. E não faço a mínima idéia do por quê disso. Respondo por mensagem meu motorista o dispensando.



Olho as horas para me orientar sobre o tempo de noite que ainda me resta. Ao chegar na movimentação sou recebido de uma forma não tão amigável. Um funcionário qualquer me aborda coml se eu fosse um qualquer... como se eu fosse um semelhante. Ironicamente ele responde minha pergunta sobre o seu líder, e me retribui com outra pergunta que nem faço questão de responder. Enquanto ele me encarava esperando uma resposta eu simplesmente  dou mais uma tragada em meu charuto retribuindo-o o olhar fixo. Mesmo que aquilo não sustentasse meu vício de fato, eu gostava da sensação. Penso em sufoca-lo em sua própria sombra, mas controlo minha vontade. Talvez isso seria demasiado radical de minha parte. Poderia também ordenar a ele que peça demissão do seu cargo e ofendesse seu superior, seria divertido... Mas tenho coisas mais importantes com que me preocupar, como por exemplo descobrir o real motivo de estar no estado do colorado. Eu me esforço em busca de uma lembrança ou um flash que me oriente do que vim fazer aqui e onde devo ir e quem devo procurar... então trago meu charuto novamente. [barulho da brasa do charuto se consumindo...]
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Qua Maio 24, 2017 9:59 am

Henry Crow; PS: 14/15; Força de Vontade: 09/10; Vitalidade: ok


Crow tentava concentrar-se no que era dito entre Hendric e seus homens, mas o máximo que ele conseguia escutar eram vozes balbuciadas sem nenhuma distinção. Hendric dava ordens a todos apontando o dedo na direção de alguns homens. Pareciam saber o que faziam. Hendric então batia com a mão em uma porta de aço grande de um dos galpões que estava de frente para os carros. Ele olhava para os lados, para o movimento da rua e por um instante os olhares de Hendric e Crow se cruzavam. No entanto, o desprezo de Henric pelo "mendigo" era evidente e logo ele passava a se concentrar na porta novamente que agora abria por algum mecanismo eletrônico, se levantando.

O vampiro entrava com 3 de seus homens, enquanto que dois ficavam plantados do lado de fora, cada um de um lado da porta. Os motoristas continuavam nos veículos. A porta começava a se fechar.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Qui Maio 25, 2017 9:53 am

Crow tentava concentrar-se no que era dito entre Hendric e seus homens, mas o máximo que ele conseguia escutar eram vozes balbuciadas sem nenhuma distinção.


"Maldição. Eu estou longe demais para conseguir ouvir com clareza e não posso simplesmente me levantar e me aproximar sem chamar atenção. Vou ter que me virar sem pistas auditivas pelo jeito."


Hendric dava ordens a todos apontando o dedo na direção de alguns homens. Pareciam saber o que faziam. Hendric então batia com a mão em uma porta de aço grande de um dos galpões que estava de frente para os carros. Ele olhava para os lados, para o movimento da rua e por um instante os olhares de Hendric e Crow se cruzavam. No entanto, o desprezo de Henric pelo "mendigo" era evidente e logo ele passava a se concentrar na porta novamente que agora abria por algum mecanismo eletrônico, se levantando.


Por alguns instantes Henry sentia um desconforto em seu âmago quando os olhares se cruzam. Crow tem alguma dificuldade em explicar a sensação e, especialmente, porque ela surgia. Hendric não era exatamente um inimigo ou uma potencial ameaça a sua integridade física. Ou não deveria ser... Seria a sensação apenas fruto da paranoia que resultava de todo aquele tempo esperando ou poderia ser uma intuição a descortinar algo mais sinistro?

O momento, todavia, dura pouco pois Hendric quebra o contato visual, aparentemente se recusando a sequer olhar para alguém tão baixo como aquele mendigo maltrapilho por mais do um ou dois segundos.


O vampiro entrava com 3 de seus homens, enquanto que dois ficavam plantados do lado de fora, cada um de um lado da porta. Os motoristas continuavam nos veículos. A porta começava a se fechar.


"Hendric pareceu preocupado em quem estava observando o lugar antes de entrar.  Os dois homens na porta devem estar ali para se certificar de que não haverá gente entrando ou saindo por ali. Os carros com os motoristas asseguram uma saída rápida. Certo. O que eu posso concluir a partir disso? A porta se abrindo após ele bater evidencia que ele não está invadindo. Provavelmente ele estava sendo esperado. Mas por quem? Nós estamos aqui em domínios anarquistas. Será que Hendric está tentando negociar com um anarquista a localização de Jack? Ou será que ele está indo a uma reunião com o próprio Jack? Ou será que o encontro está ocorrendo aqui apenas porque por ser um território anarquista a Torre de Marfim não deveria ter olhos por aqui? Maximus suspeitava da lealdade de Hendric para com a Camarila..."

Crow observa a porta se fechando. Se ele quisesse entrar por ela teria que se mexer rápido.

"Eu poderia avançar para entrar pela porta se o fizesse rápido. Mas e depois? Eu não sei quem está lá dentro e para passar pelos seguranças na porta poderia gerar uma confusão que atrairia muito atenção e faria com que Hendric mudasse seus planos, sejam quais forem. Não. Não faz sentido agir intempestivamente. Os carros de Hendric estão onde eu posso ver, então se ele sair acompanhado eu saberei e poderei reagir adequadamente. Caso Jack esteja lá dentro e uma luta se inicie eu provavelmente ouvirei os sons dos tiros e poderei reagir também."

Crow leva a garrada aos lábios simulando um gole enquanto observa o galpão. Ele não via como entrar pela mesma porta que Hendric, mas se houvesse algum meio alternativo como uma janela ou uma porta traseira as coisas seriam diferentes. Caso haja ele irá analisar a possibilidade de entrar furtivamente. Caso não haja ele permanecerá onde está, muito atento à porta e aos carros de Hendric.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Sex Maio 26, 2017 6:58 pm

Ivan Markov; PS: 11/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok


Ivan dispensava o motorista, pois ele não seria útil onde estava. O vampiro dava uma longa tragada no charuto enquanto divertia-se pensando no que poderia fazer ao mortal. Em seguida ele tentava se lembrar o porquê de ter parado ali, no Colorado. Contudo, o vampiro não conseguia encontrar nenhum motivo plausível. Era para sua caixa ter sido desembarcada de um avião no aeroporto de Nova Iorque, não no Aeroporto do Colorado.

Um avião era visto pousando a um pouco mais de 200metros à sua frente. Ele sabia agora que estava no aeroporto. Aquele lugar devia ser algum depósito de encomendas e cargas. Enquanto isso logo surgiam pela porta principal, que dava à pista de embarque, onde os aviões ficavam estacionados, quatro homens com uniforme caminhando rapidamente em direção ao galpão. Provavelmente seriam da segurança do aeroporto e, certamente, levariam o vampiro para alguém responsável pelo lugar.

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Sab Maio 27, 2017 4:01 pm

Me encontro em um aeroporto no estado do Colorado e não consigo me lembrar o porque disso. estendo o meu braço esquerdo para me informar das horas no relógio que rodeava meu pulso frio e sem vida. Quatro homens vestidos de tal maneira que me leva a deduzir serem os seguranças, caminham em minha direção. Deduzo também que o motivo da presença deles sou eu, então para adiantar o processo deixo o rapaz que estava a jogar conversa fora e caminho em direção ao quarteto de assalariados. Já estava ficando entediado...
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por @nDRoid[94] em Sab Maio 27, 2017 7:44 pm

Rami esperava o sistema carregar quando escuta uma voz feminina falando do outro lado da linha. Sua vontade imediata era soltar um "que merda é essa?" Não o fez obviamente. Ele olhava para a barra na tela do prompt indicando que o scanner havia chegado à metade do processo. Ele temia que algo pudesse ter dado errado, o que o faz olhar para o relógio. Teria tempo para um fuga, caso fosse necessário? Fazendo esses cálculos insanos em sua mente, ele responde à moça, um pouco hesitante:

'- Boa noite! Ah... Ah... Eu recebi um cartão fidelidade de vocês, aqui diz para eu ligar para esse número. Tenho questões familiares para tratar... Ah... o bibliotecário-responsável por acaso pode me receber?
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Dom Jun 04, 2017 12:04 am

Há tanto a fazer para colocar a casa em ordem depois que eu me tornar Príncipe.

A transição envolverá tomar os bens e influências que pretenderei passar a cuidar eu próprio. Assim que eu for coroado elegantemente confiscarei o atual Elísio. Informarei que a Coroa está assumindo o controle e 'agradecerei' pela colaboração que será prestada pela gestão anterior na transição. Se for possível eu até mesmo conversarei com Kate e a persuadirei de que seria perder menos deixar o cargo prestando apoio a mim na transição do que adotar uma postura menos colaborativa. Imagino que ela irá preferir ter alguns de seus domínios tomados do que ter absolutamente todos eles confiscados. Se ela se mostrar inflexível eu posso bani-la, mas preferia evitar adotar uma medida tão extrema.

Terei de substituir toda a equipe de segurança. Em um primeiro momento eu pedirei a Máximus para cuidar de tornar o lugar bem defensável. Ele demonstrou ser bem capaz de cuidar disso nos domínios dele. A médio prazo formarei eu próprio um séquito de seguranças carniçais presos a mim por laço de sangue. Acho que começarei no curtíssimo prazo recrutando entre os alunos da academia do Tong. Com mais tempo contratarei alguma dessas companhias de segurança privada que emprega ex-Marines e selecionarei outro tanto dentre os melhores.

Algumas áreas de influência sensível terão de ser reajustadas caso hoje não pertençam a um dos 3 clãs da base aliada. Polícia, Bancos de Sangue, Necrotérios, Bombeiros, Jornais e Crime Organizado deverão ser objeto de minha atenção, então farei questão que vampiros competentes as administrem em meu nome e se reportem regular e diretamente para mim sobre elas. As autoridades máximas dessas áreas deverão ser todos carniçais meus, que trabalharão no dia a dia recebendo ordens do vampiro que ficar administrando em meu nome.

Pensando aqui agora, vou precisar de um batalhão de carniçais e isso vai me exigir muita vitae. Preciso providenciar acesso abundante a rebanho adequado. Bem, acho que vou adquirir para mim os domínios sobre agências de modelos. Ele deve pertencer aos Toreador e deles eu posso tirar muita coisa, já que já estarão chateados comigo de toda forma. Prostituição de alto nível também seria uma boa ideia. Caso os domínios são sejam de um dos clãs da base posso apenas pedir por fornecimento diário de um determinado número de mulheres.

Mas eu estou me adiantando. Essas providências todas não são exatamente para o momento da coroação. Se o Arconte me nomear imediatamente sem cerimônia prévia o mais importante será determinar que todos os vampiros da cidade compareçam ao Elísio no dia seguinte para ouvir minhas palavras. Caso eles já sejam convocados para uma cerimônia de coroação ou quando eu convocar todos para me ouvir eu logo de início tenho que cumprir as promessas de campanha e nomear Maximus para o cargo de senescal e declarar que os domínios dos Nosferatu nos esgotos não devem ser ingressados sem convite dos Ratos, podendo eles exterminar qualquer invasor. A seguir se Máximus e a Xerife tiverem me confirmado a localização da célula Sabá, convocarei imediatamente a caçada de sangue prometida ao clã Brujah. Um ataque repentino, bem-sucedido e liderado em campo por mim mesmo logo como primeiro ato irá me sedimentar como um líder a ser seguido. Providenciarei para que a Xerife tenha transporte e armamento disponível para todos e informarei que a atuação de todos é requisitada. Isso não lhes dará muita forma de fugir do chamado e permitirá que a cidade inteira ataque a localidade Sabá. Eles não terão como lidar essa superioridade numérica. Não posso deixar de providenciar bolsas de sangue para que qualquer cainita que precise possa restabelecer suas necessidades. Talvez eu até coloque algumas gotas de meu sangue nessa vitae que será servida...

Depois de expulsar o Sabá eu poderei me focar na transição em si. Precisarei levantar informações sobre quem exerce influência onde, então pedirei aos Nosferatu uma relação sobre o tema e depois determinarei a todos os Membros que me informem suas influências atuais, sob pena de não poderem reclamar depois se outro Membro as usurpar. Acho que eu também terei de aproveitar e resolver disputas que estejam pendentes atualmente. Meu julgamento terá de ser claramente favorável aos clãs da base aliada, naturalmente, mas eu posso conseguir até mesmo atrair simpatia dos Tremere ou Malkavianos no processo. Deve ter algo que eles queiram tomar dos Toreador.

Não posso negligenciar outro aspecto fundamental de meu regime: estabelecer minha política para violadores da Máscara. Acho que ela deve ser severa, mas matar todos os infratores vai acabar me desgastando com os clãs. Acho que eu decretarei perda de domínio e estacamento por alguns anos em vez de Morte Final. Mantendo eles sob meu domínio posso providenciar para que eles sejam alimentados com meu sangue algumas vezes e acabar impondo um laço de sangue aos infratores para depois utilizá-los como meus peões quando o tempo da pena acabar ou se eu vier a precisar deles antes disso.

Depois terei de decidir como lidar com as demais ameaças internas: os Anarquistas e os Lupinos. Talvez eu posso exterminar os primeiros e fazer um tratado com os últimos? Nunca ouvi falar de um cainita que tenha negociado com essas Bestas, mas talvez eu consiga propor termos mutuamente aceitáveis para que não fiquemos uns pulando na garganta dos outros. Considerando que nunca vi um lobisomem no noticiário das 7 eles também se preocupam em manter a discrição, então não podem ser de todo irracionais.

E depois? Talvez iniciar uma cruzada para tomar as cidades próximas que estejam sob controle do Sabá? Na qualidade de Príncipe eu tenho um exército à disposição para incursões, o que poderia talvez me permitir organizar ataques de retomada. Caso consigamos tomar cidades dessa forma eu poderia colocar aliados meus nos Tronos vizinhos. Com o passar do tempo teríamos uma coalização de principados consolidando o poder da Camarila na região. Certamente seria mais seguro não ter a presença do Sabá em um raio de centenas de quilômetros.


OFF: Como eu estava inspirado a interpretar um pouco pensei em colocar em que o Henry ficou pensando nas horas de espera. Esses pensamentos são apenas para fins interpretativos, não alteram em nada as ações tomadas no último post, ok?
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Seg Jun 05, 2017 5:04 pm

OFF: Isso aqui tá muito parado!Vamos agitar isso aqui um pouquinho...  What a Face  Twisted Evil

ON:

Henry Crow; PS: 14/15; Força de Vontade: 09/10; Vitalidade: ok

O vampiro Henry contemplava atentamente aquela situação em que seu companheiro de clã estava. Observava cada movimento. O advogado sabia que algo estava acontecendo, algo que ele não fazia ideia do que era. Mas se Hendric estava ali, deveria ter alguma importância. Um gole da bebida o mendigo tragava, ou pelo menos simulava tragar, enquanto pensava no que fazer. Precisava tomar uma decisão, talvez rápido. Por fim, ele decidia não precipitar e analisaria a situação com mais calma. O galpão era grande. De frente para a rua havia apenas aquela porta por onde o Ventrue havia passado. No entanto, pela altura do prédio dava pra ver que havia algumas janelas, bem no alto, perto do telhado que serviam de ventilação. Algumas estavam até quebradas, o galpão parecia mal cuidado. Se havia alguma porta, porém, Henry só saberia se pulasse o muro do imóvel, de preferência pelos fundos, por onde os homens de Hendric não pudessem ver.

As janelas estavam a mais ou menos 4metros de altura. Contudo, segurar no corrimão de uma daquelas janelas não seria um problema para um vampiro como Crow, que era dotado com um excelente nível da força sobrenatural dos vampiros.

Crow também pensava que poderia esperar Hendric sair e depois disso, diante dos fatos, ver o que poderia ser feito. O tempo passava, Jack não aparecia e agora Crow tinha uma decisão para tomar.


--

Ivan Markov; PS: 11/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok

O relógio de Ivan marcava 6:40 da noite. Provavelmente o sol se punha no Estado do Colorado às 6horas. Isso significava que ele tinha uma noite inteira pela frente. O vampiro então se adiantava e se colocava à frente da equipe de segurança do aeroporto.
Um dos homens tomava à frente:
- Boa noite senhor! Creio que o senhor tenha se perdido aqui dentro, talvez na hora de fazer o embarque ou o desembarque. De qualquer forma teremos que encaminhá-lo ao chefe de segurança do aeroporto.
O homem fazia uma pausa, olhava para os demais funcionários, e voltava a fitar Ivan com um semblante tranquilo, porém sério.
- O senhor sabe... após o 11 de setembro o Governo ficou muito mais exigente com a segurança dos aeroportos temendo novos ataques e agora temos que registrar tudo que foge do padrão.
Ele fazia uma nova pausa, encarava as vestimentas de Ivan e continuava:
- Mas acredito que no caso do senhor não vai passar de burocracia.

Ivan era conduzido para fora do galpão. Dois homens iam a frente e dois atrás deles. Tratores de bagagens passavam perto deles, enquanto os cinco homens seguiam por uma trilha de tinta no chão que indicava o caminho para quem transitava à pé pela área restrita em que eles estavam. Perto deles, em outra linha pintada no chão uma fila de passageiros seguia para o embarque em um dos aviões que estava recebendo os preparativos para a decolagem.

O som ensurdecedor das turbinas de outro avião que fazia um pouso naquele momento era escutado a algumas centenas de metros dali. Ivan e os seguranças então passavam por uma porta, entrando no prédio do aeroporto. Eles passavam por um corredor de vidro onde era possível ver os passageiros que aguardavam ainda a liberação para o embarque. O corredor fazia uma curva para a direita, adentrando ainda mais ao interior do prédio. Agora ambas as paredes eram de alvenaria. Finalmente, em uma porta de madeira no final do corredor eles entravam. Era uma sala de um escritório comum. Havia três mesas com computadores. Em uma delas uma mulher trabalhava digitando alguns documentos no computador. Na outra mesa outro homem, que parecia ser da polícia fazia a mesma coisa. Ele dava uma olhada rápida assim que os homens entravam mas logo voltava ao seu trabalho. Por fim, um último homem, de terno, desligava o telefone assim que eles entravam, ele que parecia ser o chefe da segurança, pois os funcionários se reportavam a ele.
- Por favor, sente-se aqui e me dê seus documentos. Dizia o chefe apontando para uma cadeira em frente a sua mesa.


--

Rami Malik; PdS: 05/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;

- Boa noite! Ah... Ah... Eu recebi um cartão fidelidade de vocês, aqui diz para eu ligar para esse número. Tenho questões familiares para tratar... Ah... o bibliotecário-responsável por acaso pode me receber?

- Ah sim, claro! Ele está sim. Contudo... o senhor poderia informar o seu nome de usuário?
Logo Malik percebia que era alguma carniçal responsável por filtrar ligações realizadas por engano, telemarketing e trotes. Assim que eles se entendiam e Malik confirmava ser Membro do clube, a ligação era encaminhada e uma voz grave atendia do outro lado da linha.
- Rami Malik, cria de Masika St. John, é isso mesmo? Imagino que você esteja em Glover... o regente deixava o acólito continuar a frase.


Última edição por Rian em Seg Jun 05, 2017 6:26 pm, editado 5 vez(es)

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Seg Jun 05, 2017 5:07 pm

Off: Aí sim hein...
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Seg Jun 05, 2017 5:56 pm

Hansolo escreveu:Off: Aí sim hein...

Aí sim hein [2]
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Seg Jun 05, 2017 11:56 pm

O galpão era grande. De frente para a rua havia apenas aquela porta por onde o Ventrue havia passado. No entanto, pela altura do prédio dava pra ver que havia algumas janelas, bem no alto, perto do telhado que serviam de ventilação. Algumas estavam até quebradas, o galpão parecia mal cuidado. Se havia alguma porta, porém, Henry só saberia se pulasse o muro do imóvel, de preferência pelos fundos, por onde os homens de Hendric não pudessem ver.

As janelas estavam a mais ou menos 4metros de altura. Contudo, segurar no corrimão de uma daquelas janelas não seria um problema para um vampiro como Crow, que era dotado com um excelente nível da força sobrenatural dos vampiros.

Crow também pensava que poderia esperar Hendric sair e depois disso, diante dos fatos, ver o que poderia ser feito. O tempo passava, Jack não aparecia e agora Crow tinha uma decisão para tomar.

Crow simula um novo trago enquanto observa as janelas. Elas eram altas, intransponíveis para um invasor humano provavelmente, mas Henry estava longe de ser um humano.

"Creio ser capaz de alcançar aquelas janelas sem grandes problemas. Se eu me concentrar um pouco usando a força sobrenatural que desenvolvi devo vencer os metros necessários sem muita dificuldade. O desafio de verdade não reside em alcançar a janela, mas sim em fazê-lo sem que ninguém me note."

Henry então se levanta, fingindo cambalear um pouco ao dar alguns passos a partir de onde estava. Seu objetivo era o de manter o personagem do mendigo imprestável que não merecia atenção até sair da vista dos homens de Hendric enquanto circundava o prédio. Chegando aos fundos Crow irá procurar a maneira mais discreta de ter acesso às janelas do depósito e se certificará de que não há alguém observando seus movimentos. Caso haja o 'bêbado' continuará andando até sair do campo visual de quem o observa ou, se isso não for possível, encostará em um canto, aguardando que percam o interesse nele. Caso não haja ele imediatamente colocará o plano de penetrar no local em ação.

Henry clamará pelos dos do sangue para não ser visto por ninguém {Ofuscação} e avançara o mais silenciosamente possível para dentro do galpão com o intuito de descobrir com quem Hendric estava se reunindo.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por @nDRoid[94] em Ter Jun 06, 2017 10:16 am

A mensagem havia sido passada e logo estava diretamente falando com o regente. O mesmo o cumprimenta e dava a deixa para o mesmo continuar. O acólito se levantava e arrumava suas coisas, enquanto respondia ao cainita do outro lado da linha:

- Boa noite, caro [insira o nome do magus aqui]! É exatamente isso, meu senhor; cria da St John. Lamento não estar utilizando das vias tradicionais de nossa adorada família, mas os tempos que Glover está para passar pedem algumas mudanças quanto a formalidades. Eu cheguei recentemente na cidade para resolver assuntos pessoais e descobri coisas que poderiam ser de interesse de nossa torre, aquela acimada pela srta. Kate. Gostaria de conversar com o senhor pessoalmente, repassá-lo essas informações e me apresentar formalmente a nossa sociedade. Acredito que posso ser de ajuda para os nossos e para a sociedade dos Membros em geral.

Malik fugia de palavras-chave. Utilizava-se nos termos corriqueiros que se minguavam no dialeto mortal. Arrumava suas coisas ainda, faltava apenas o notebook. Ele olhava para a tela, a fim de ver se o processo havia terminado. Sentia pelo pior. Tinha que sair dali.
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Ter Jun 06, 2017 12:00 pm

- Pois não! com um sorriso estampado na cara puxo a cadeira que o homem indicava e me sento. Estava onde queria estar. Tiro meus documentos  (adequados para a minha condição é claro) e o entrego. Enquanto o mesmo analisava meus documentos, olho em volta para ver se noto algo importante mas sem muitas expectativas. Aguardo para ver no que aquilo iria dar.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Qui Jun 08, 2017 10:28 am

Henry Crow; PS: 14/15; Força de Vontade: 09/10; Vitalidade: ok

O bêbado se levantava. Sua movimentação chamava a atenção dos dois seguranças de Hendric que estavam plantados na porta do galpão. Olhares fixos, frios e distantes dos carniçais penetravam os olhares do mendigo. Um trago da bebida, andar cambaleante e logo os carniçais perdiam o interesse ao ver que o mendigo caminhava para longe dali. Não havia como entrar no galpão naquela rua sem chamar a atenção deles. Sem dúvidas a melhor estratégia seria entrar pelos fundos, mas para isto, Henry teria que dar a volta ao quarteirão, pois havia outros imóveis ao lado do galpão.

Assim Crow sumia na esquina. Continuava andando e virava novamente na outra rua, ficando do lado oposto da quadra. Havia um estabelecimento comercial ali que fazia fundos com o galpão. Para o vampiro seria fácil escalá-lo e chegar ao seu destino final. Algumas prostitutas fumavam e faziam ponto ali perto. Inicialmente elas também encaravam o mendigo. Mas Crow estava determinado a chegar onde queria. Ele esperava elas perderem o interesse em sua pessoa e, assim que isso acontecia, ele entrava em ação, pulando diretamente sobre a marquise daquele pequeno prédio e, se escondendo nas sombras da noite. Henry saltava um muro aos fundos e caía dentro do terreno do galpão. Perto dali já havia uma daquelas janelas que ele havia visto antes.

O vampiro se posiciona e, como um atleta, impulsiona seu corpo lançando-se a 4metros de altura enquanto segurava na borda de cimento das janelas como se agarrasse uma oportunidade única. Ali ele percebia que as janelas eram bem maiores do que pareciam ao longe. Eram quase do tamanho de uma pessoa em pé. O vampiro então se concentra em observar o que acontecia dentro do galpão. Estava tudo escuro, e havia amontoados de caixas de madeira e paletes empoeirados. Era realmente um galpão abandonado. Contudo, no centro do galpão, em meio a todo aquele lixo abandonado uma pequena reunião parecia acontecer. Apenas uma cadeira, um homem sentado nela com as mãos amarradas nas costas. Uma caixa atrapalhava ver se suas pernas também estavam amarradas e com o que. Uma luz forte estava acendida diretamente no rosto dele, como se ele estivesse sendo interrogado. Hendric estava atrás da luz, com seu charuto na mão. Dali, ao longe era possível ver a brasa vermelha se intensificando quando ele tragava. Os outros seguranças também estavam ali, de forma que formavam um círculo em forma daquela pessoa. Contudo, havia uma terceira pessoa, que Crow não sabia quem era. Ela não havia chegado com Hendric e parecia ser uma mulher, embora usava roupas que cobriam todo seu corpo e seu rosto estava justamente atrás de outra maldita caixa que tampava a visão de Crow.



Ao que parecia, a pequena “reunião” já havia terminado. O tempo que Henry levara para conseguir penetrar o lugar sem chamar atenção fizera com que ele talvez perdesse a “pauta” daquele encontro. Hendric dava um sinal com as mãos e um dos seguranças ia até a porta e apertava um interruptor do lado de dentro. A porta se abria, ele dava um sinal para os outros e um dos carros entrava ali de ré. O porta malas era aberto. Hendric então chegava mais perto do homem. Ele segurava uma pequena estaca na mão direita e dizia:
- Obrigado pela colaboração, Jack!
O homem começava a gritar um “Não”, que era cortado pela estaca cravando seu peito. Em seguida ele era colocado dentro do porta malas do carro e eles se movimentavam para sair dali rapidamente.

Rolagens:
Crow rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 6 para furtividade que resultou 7, 2, 6, 6, 6, 6, 2 - Total: 5 Sucessos
Hendric rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 6 para percepção+prontidão que resultou 5, 6, 9, 8, 3, 8, 2 - Total: 4 Sucessos
Alguém rolou 6 dados de 10 lados com dificuldade 6 para percepção+prontidão que resultou 3, 5, 2, 1, 10, 4 - Total: 0 Sucessos

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Qui Jun 08, 2017 12:19 pm

Contudo, no centro do galpão, em meio a todo aquele lixo abandonado uma pequena reunião parecia acontecer. Apenas uma cadeira, um homem sentado nela com as mãos amarradas nas costas. Uma caixa atrapalhava ver se suas pernas também estavam amarradas e com o que. Uma luz forte estava acendida diretamente no rosto dele, como se ele estivesse sendo interrogado. Hendric estava atrás da luz, com seu charuto na mão. Dali, ao longe era possível ver a brasa vermelha se intensificando quando ele tragava. Os outros seguranças também estavam ali, de forma que formavam um círculo em forma daquela pessoa. Contudo, havia uma terceira pessoa, que Crow não sabia quem era. Ela não havia chegado com Hendric e parecia ser uma mulher, embora usava roupas que cobriam todo seu corpo e seu rosto estava justamente atrás de outra maldita caixa que tampava a visão de Crow.


"Essa mulher é um elemento novo na equação. Quem será ela? Considerando que a porta foi aberta por dentro, suponho que seja a captora do prisioneiro. Se ao menos não fosse por essa maldita caixa no meio do caminho."


Ao que parecia, a pequena “reunião” já havia terminado. O tempo que Henry levara para conseguir penetrar o lugar sem chamar atenção fizera com que ele talvez perdesse a “pauta” daquele encontro. Hendric dava um sinal com as mãos e um dos seguranças ia até a porta e apertava um interruptor do lado de dentro. A porta se abria, ele dava um sinal para os outros e um dos carros entrava ali de ré. O porta malas era aberto. Hendric então chegava mais perto do homem. Ele segurava uma pequena estaca na mão direita e dizia:
- Obrigado pela colaboração, Jack!


"Jack? Hendric conseguiu ser mais rápido que eu em rastreá-lo. Maldito seja. Se ele conseguir sair vai me furtar a oportunidade de ser o salvador da pátria que entregaria o infrator pessoalmente ao Arconte."


O homem começava a gritar um “Não”, que era cortado pela estaca cravando seu peito. Em seguida ele era colocado dentro do porta malas do carro e eles se movimentavam para sair dali rapidamente.


Crow se encontrava em uma verdadeira sinuca de bico.

Se ele nada fizesse Hendric poderia se apresentar ao Arconte como o grande herói. Claro que Henry ainda poderia tentar persuadir o Arconte que a captura apenas se concretizara a partir de seu plano e que Hendric fora um mero executor, mas nesse caso ele não poderia ter certeza de que ele próprio seria coroado. Deveria ele simplesmente deixar Hendric virar Príncipe? Não seria um prêmio de consolação tão ruim, afinal ele teria sido bem sucedido em sua missão de colocar um Ventrue no trono e o novo Príncipe lhe deveria um favor.

Por outro lado, uma vez que se sente a possibilidade de levar o grande prêmio qualquer recompensa abaixo disso deixa um sabor assaz amargo na boca. Mas o que ele poderia fazer para impedir que Hendric saísse dali? Ele poderia iniciar uma batalha sangrenta, claro, mas nesse caso teria de ter certeza absoluta de que não haveria sobreviventes capazes de identificá-lo ou seu próprio clã se asseguraria de que ele encontrasse a Morte Final. Além disso nesse caso ele teria que conseguir acabar não apenas com Hendric, mas também com seu séquito de seguranças e provavelmente com aquela aparente mulher que o acompanhava. Era uma aposta e tanto.

"Tenho que agir rápido. Atacar ou deixá-lo ir? Não. Eu estou pensando apenas nas escolhas óbvias. Eu tenho outras linhas de ação possíveis. O que eu preciso é apenas impedir que o carro parta imediatamente e para fazer isso o melhor caminho é criar confusão nas linhas inimigas."

Enquanto sorri para si mesmo pela ideia pouco ortodoxa que tivera Crow se concentra para utilizar a Máscara das Mil Faces. O alvo, ao contrário do que seria de se esperar, não era ele próprio, mas sim Hendric {utilizar os efeitos da Ofuscação em terceiros, conforme autoriza o nível 5 da disciplina}. A intenção de Henry era fazer com que Hendric subitamente assumisse a aparência de William. {1fdv}

{3pds em destreza}

Enquanto observa os resultados que a transformação de Hendric causavam em seus subordinados e talvez até em sua companhia misteriosa Henry se aproxima do carro.
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Sab Jun 10, 2017 10:39 am

Rami Malik; PdS: 05/10; FV: 8/8; Vit.: Ok;

- Boa noite, caro Victor Krum! É exatamente isso, meu senhor; cria da St John. Lamento não estar utilizando das vias tradicionais de nossa adorada família, mas os tempos que Glover está para passar pedem algumas mudanças quanto a formalidades. Eu cheguei recentemente na cidade para resolver assuntos pessoais e descobri coisas que poderiam ser de interesse de nossa torre, aquela acimada pela srta. Kate. Gostaria de conversar com o senhor pessoalmente, repassá-lo essas informações e me apresentar formalmente a nossa sociedade. Acredito que posso ser de ajuda para os nossos e para a sociedade dos Membros em geral.

- Acredito que sua presença será de estima importância, Rami! Por favor, venha o quanto antes puder à biblioteca pública de Glover.

Enquanto isso o vampiro conferia a tela de seu notebook. Os 100% indicava que finalmente o software concluía a varredura e Rami confirmava o que ele já suspeitava. Sua posição poderia ter sido descoberta!

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por @nDRoid[94] em Sab Jun 10, 2017 10:59 am

Rami finaliza a ligação, confirmando que seguiria para o endereço passado o mais rápido possível. Assim que desliga, ele corre até o notebook, digitando coisas freneticamente no prompt que ele iniciou. Não era seguro permanecer com aquele terminal, nem um pouco. Ele tinha as informações e arquivos importantes salvos em um HD externo, então não havia problema em fazer aquilo que ele iria fazer naquele momento. O jovem pega suas coisas, colocando o capuz sobre a cabeça ainda com os fios descoloridos, e sai do quarto com o computador em mãos. Ele andava pelos corredores apressadamente. Passaria pela recepção sem falar com ninguém, deixando o local a passos rápidos.

Ele andava olhando para os lados, certificando-se que não estava sendo seguido. Caso percebe-se alguma movimentação, ele correria até o beco mais próximo, onde jogaria seu terminal no lixo. No mesmo instante, ele gastaria mais uma vez de suas habilidades para seduzir as chamas, convocando o fogo para reduzir seu próprio computador em pó. Sem o aparelho, ele encontraria um meio de sair dali e despitar quem quer que fosse. Só seguiria para a biblioteca se tivesse certeza que não estava sendo observado.
avatar
@nDRoid[94]

Data de inscrição : 22/07/2010
Idade : 22
Localização : Saint Étienne, França

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Sab Jun 10, 2017 4:06 pm

Ivan Markov; PS: 11/15; FV: 7/7; Vitalidade: ok

OFF: Na sua ficha não tem nenhuma menção a documentos falsos que Ivan possa ter nem que nome falso ele usaria. Contudo, considerando seus recursos nível 5, vejo que isso não seria um problema para Ivan. Ele poderia facilmente subornar alguém ou comprar um documento falso com seu dinheiro. Então vou lhe dar essa colher de chá. Na sua resposta coloque os dados da sua identidade falsa para mim, por favor.

ON:
Ivan entregava outros documentos que não revelavam sua identidade. O boss olhava o rosto de Ivan por um instante e o comparava com o documento. Em seguida ele passava a analisar apenas os papéis. Parecia digitar os dados do documento no computador. Pela experiência do Lassombra, provavelmente aquele agente estaria a pesquisar sobre possíveis mandados de prisões, listas de caçadas de terroristas, listas da Interpol, etc.

Olhando à sua volta Ivan via os mesmos agentes de que vira assim que entrara concentrados em seu trabalho. Havia uma porta à esquerda de Ivan, que dava em alguma outra sala. Talvez a cozinha? O banheiro? Ou seria a sala de outro chefe acima daquele? Isso Ivan ainda não tinha como saber.
- O nome do senhor... dizia o chefe. - ...não existe nenhuma passagem aérea no nome do senhor. O que está fazendo no aeroporto de Glover? E como explica o fato de ter ido parar no depósito de cargas das companhias aéreas, que uma área restrita?

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Han em Dom Jun 11, 2017 9:09 pm

OFF:
First, thanks pela "colher de chá"
Nome: Santino Salvatore
Naturalidade: Italiano
Nascimento: 1978

ON
Parece que estou me enrolando aqui. Mas por um lado a desgraça de meu clã pode ser de tal forma aproveitável. Não apareço em gravações, por isso não podem me acusar de ter estado no galpão do aeroporto, pelo menos não oficialmente. [...risos...]

- Senhor... espero que o mesmo complete o seu nome. - Não estou entendendo o por que desse alvoroço todo, apenas peguei uma saída errada em um corredor qualquer e acidentalmente parei lá. Entendo sua preocupação e de sua equipe que deve ser parabenizadas por tal atitude, mas como disse e reforço, tudo não passou de um mal entendido. [DOMINAÇÃO 2 - PORQUE NÃO PEDE PARA QUE SEUS AMIGOS SAIAM DA SALA PARA QUE CONVERSEMOS MAIS A VONTADE? FAÇA ISSO! Aquele sujeito com meus documentos estava começando a me incomodar. Sinceramente não me sinto na obrigação de dar explicações a um assalariado qualquer. Então resolvo brincar um pouco com a mente frágil daquele "boss". Esperando que minha ordem seja cumprida continuo [DOMINAÇÃO 2 - FECHE A PORTA!] e logo após pego meu telefone coloco no gravador de maneira discreta para que o mesmo não perceba. e então o deixo sobre a mesa com o cuidado de bloquear a tela.

[DOMINAÇÃO 3 - O SENHOR NUNCA COMETEU ERROS? VAMOS, NÃO PRECISA GUARDAR LOS PARA VOCÊ, DIVIDA ESSA CARGA COMIGO, FALE!] Vasculho sua mente em busca de algum segredo que o tal homem guarda com vigor e sugo de sua consciência antes mesmo que ele pudesse exitar. Sinceramente acho isso até um pouco divertido. Logo logo ele estará vomitando seus podres. Pedófilo? Drogado? Mente sobre sua sexualidade? Adultério? Confesso que estava ansioso para ouvir e ainda mais para ver a cara daquele mortal assusto.

Enquanto ele é submetido aos meus poderes de persuasão, me levanto e vou explorar o restante da sala, inclusive a porta que estava fora da minha zona de visão. Não de maneira brusca e deselegante, mas sim com olhar atento e passos lentos.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Rian em Sex Jun 16, 2017 4:54 pm

Henry Crow; PS: 11/15; Força de Vontade: 08/10; Vitalidade: ok
Dex +3



Henry via a oportunidade de se tornar príncipe caindo nas mãos de Hendric e ele não poderia permitir que isso acontecesse. Antes que todos ali saíssem ele utilizava dos dons de Cain e projetava em Hendric a imagem de William. O vampiro mentalizava a figura do Senescal à sua frente e tentava confundir a mente dos presentes. Assim que abria os olhos, Henry via que tinha conseguido, mas apenas parcialmente, embora tivesse demandado um grande esforço para realizar aquele feito. Não ficara perfeito... De fato aquela figurava lembrava William, mas provavelmente os outros teriam dificuldades em ligar aquela imagem de fato ao senescal.

Todos paravam e passavam a observar Hendric que percebia que algo não estava certo.
- O que foi? Por que estão me olhando assim? Indagava o Ventrue

- Sua aparência... Um dos seguranças comentava com medo de completar a frase com alguma palavra inapropriada. Ninguém saía do lugar e eles se entreolhavam. Nisso Henry se aproximava e em meio ao silêncio eles percebiam a chegada do ancila. Agora de onde estava, Henry podia ver a todos. Os três seguranças que haviam entrado, o motorista que estava dentro do carro. Provavelmente os outros dois seguranças e o segundo carro ainda estavam do lado de fora aguardando e, por fim, a mulher que ele não havia visto. Era uma mulher alta, tinha os seus 1,75m de altura, magra, cabelo preto e liso, com um perfil oriental. No entanto algo nela era diferente... sua pele era escura, bastante escura para uma oriental. Não era uma cor natural, como um ancilae, Crow sabia que aquilo era uma das características de um clã de mercenários que ele já tinha ouvido falar. Os misteriosos Assamitas.
Ao perceberem Crow aproximando os seguranças sacavam suas armas e a mulher desembainhava uma katana que estava em suas costas. Hendric, por outro lado, olhava surpreso para Henry e levantava seu dedo em um sinal para os seguranças e a mulher se conterem.
- Senhor Crow?! Presumo que sejas o responsável por esse pequeno alvoroço?!


Spoiler:
Crow rolou 8 dados de 10 lados com dificuldade 7 para máscara das mil faces que resultou 2, 6, 3, 8, 4, 5, 3, 3 - Total: 1 Sucessos +1FV = 2 sucessos
"1 Sucesso: O vampiro mantém a mesma altura e constituição, com algumas pequenas alterações nas características básicas. Um Nosferam pode se assemelhar com um mortal normal, apesar de feio.
2 Sucessos: A ilusão não se parece com o alvo; as pessoas não o reconhecem facilmente ou concordam sobre sua aparência.
3 Sucessos: Ele aparenta o que quer aparentar."

_________________
                                                                
avatar
Rian

Data de inscrição : 30/09/2014
Idade : 33
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Ignus em Sab Jun 17, 2017 4:03 am

Todos paravam e passavam a observar Hendric que percebia que algo não estava certo.
- O que foi? Por que estão me olhando assim? Indagava o Ventrue

- Sua aparência... Um dos seguranças comentava com medo de completar a frase com alguma palavra inapropriada. Ninguém saía do lugar e eles se entreolhavam.


"Parece que eu não estou com sorte. Meu pequeno truque poderia por si só ter desencadeado uma briga em condições ideais, mas ou a cainita que acompanha Hendric não é inimiga de William ou não se importa de verdade com a eventualidade de não estar lidando mesmo com Hendric."


Nisso Henry se aproximava e em meio ao silêncio eles percebiam a chegada do ancila. Agora de onde estava, Henry podia ver a todos. Os três seguranças que haviam entrado, o motorista que estava dentro do carro. Provavelmente os outros dois seguranças e o segundo carro ainda estavam do lado de fora aguardando e, por fim, a mulher que ele não havia visto. Era uma mulher alta, tinha os seus 1,75m de altura, magra, cabelo preto e liso, com um perfil oriental. No entanto algo nela era diferente... sua pele era escura, bastante escura para uma oriental. Não era uma cor natural, como um ancilae, Crow sabia que aquilo era uma das características de um clã de mercenários que ele já tinha ouvido falar. Os misteriosos Assamitas.


Em uma contagem mental rápida Crow chega ao total de 6 potenciais inimigos dentro do galpão. Uma desvantagem numérica considerável. Além disso havia pelo menos 2 complicadores: caso ele optasse por atacar Hendric não poderia haver provas do fratricídio contra outro Ventrue e havia uma representante dos lendários mercenários com ele.


Ao perceberem Crow aproximando os seguranças sacavam suas armas e a mulher desembainhava uma katana que estava em suas costas. Hendric, por outro lado, olhava surpreso para Henry e levantava seu dedo em um sinal para os seguranças e a mulher se conterem.


Henry permanece inabalado enquanto as armas lhe são apontadas. Não que ele não estivesse com medo do rumo que uma luta em circunstâncias tão desfavoráveis provavelmente lhe trariam, nas porque ele se acostumara a não deixar seu receio transparecer. Aparentar nervosismo costuma apenas piorar as coisas.

"Preciso decidir logo se vou apostar minhas fichas em minha capacidade de persuadir o Arconte de que eu devo levar o crédito pela captura ou se terei de realizar uma carnificina para cimentar meu caminho ao Trono."


- Senhor Crow?! Presumo que sejas o responsável por esse pequeno alvoroço?!


Deliberadamente Henry deixa de responder a pergunta diretamente.

"Primeiro é melhor eu fazer com que Hendric pense que eu sei mais do que realmente sei."

-Sr. Hendric, se eu próprio não estivesse aqui nesse galpão presenciando tudo que ocorreu desde sua chegada eu provavelmente não lhe daria o crédito por tudo que o Sr. fez. Devo dizer que estou impressionado com mais de um fator relacionado ao Sr. e ao capturado Jack...  

Ansioso para saber os resultados de sua provocação Henry aguarda uma resposta e tenta ler a reação de Hendric.

AÇÃO CONDICIONAL. Caso ele não faça ou diga nada de surpreendente

"Então Hendric contratou uma mercenária Assamita para ajudá-lo na captura de Jack. Movimento sagaz. Suponho que não haja confiança pessoal entre eles, mas apenas uma prestação de serviço. Talvez eu possa explorar essa provável falta de profundidade na relação entre eles para uma derradeira tentativa de colocá-los um contra o outro usando os poderes do sangue. Eu poderia ordenar que ela atacasse Hendric, mas precisaria de uma ordem sofisticada para tanto e não estou certo de que ela obedeceria imediatamente. Por outro lado um comando singelo de 'ataque' é mais simples e deve funcionar. Infelizmente nesse caso ela provavelmente atacará a primeira coisa diante de si, que no caso seria eu próprio. Bem, suponho que algum risco seja inevitável e ela me atacar dará maior credibilidade a minha história."

-Mas para além de minhas impressões a respeito de sua atuação, devo alertá-lo para uma das muitas coisas interessantes que descobri enquanto investigava a noite de Glover. Um preço foi colocado por sua cabeça. - Henry se volta para a Assamita, seus olhos passando da lâmina de sua arma para sua mão, de lá para seus braços e continuando a subir, até chegar ao rosto. - E nesse contexto encontrar uma Assamita supostamente lhe servindo me parece uma coincidência improvável  

"É hora da grande aposta."

-Crow olha a mulher em seus olhos, {Dominação 1 no trecho sublinhado}-Estou enganado ao supor que a Srta. usou o pretexto de capturar Jack para ter uma oportunidade de se aproximar de meu irmão de clã para poder exterminá-lo? Seu plano foi descoberto, então confesse ou ataque logo.

1 pds para ativar rapidez para o próximo turno
1 pds em destreza
1 pds em vigor


CASO a assamita avance em direção a Henry a primeira ação dele será se esquivar. Com as demais propiciadas pela rapidez ele irá atirar na cabeça dela. CASO contrário deixo para declarar as ações no próximo post
avatar
Ignus

Data de inscrição : 12/03/2011
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Sangue Ruim - Escolhas...

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum