New York by Night - Apocalipse

Página 7 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Qua Fev 22, 2017 10:12 pm

Liz Eckhart
PV 07/13
FdV 6/6
- Dia 12
2226
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


rolagem de dados:
Sem Rolagem hoje



Lisandra se sentia extremamente satisfeita com o que havia conseguido até agora com aquela ligação, para ela, era quase certeza de que Carmen estava realmente morta.

A Setita pega seu próprio celular e manda uma mensagem para Joffrey, para só então ir devolver o celular dos seguranças.

Ela os encontrava de pé ao lado da sua porta, em posição de guarda, cumprindo a sua função, após receber o telefone, o homem negro colocava o telefone de volta em seu bolso e comenta. – Espero que tenha sido satisafatoria a conversa com nosso supervisor senhora. – Ele dizia tranquilamente, sem nenhum sinal de ironia ou algo do tipo, como um funcionário que não quer ver o seu cliente insatisfeito.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Askalians em Qui Fev 23, 2017 11:26 pm

 Lisandra Eckhart

Como tudo estava acontecendo do jeito que queria, pelo menos em parte. Simplesmente responde quando devolve o celular ao segurança:

- Foi sim. resolvi tudo o que eu queria resolver...

E então vira de costas e volta ao seu quarto, já que não havia mais nada para tratar com os seguranças.

Assim que lá chega, volta a deitar na sua cama de forma confortável enquanto aguardava uma resposta a mensagem que havia mandado para Joffrey.

"Responda logo... precisamos conversar... Será que devo me preocupar com sua segurança também?"

Depois da história que tinha no quesito de amores, tudo o que não queria se preocupar naquele momento era com a possível perda de mais um amor em sua vida. Aí já seria má sorte demais, até mesmo para ela...

Quanto mais ele demorava, mais a paciência da vampira ia se esgotando. Ela rodava de posições na cama, andava de um lado a outro no quarto, acendia um cigarro...
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Sex Fev 24, 2017 2:14 pm

Liz Eckhart
PV 07/13
FdV 6/6
- Dia 12  
0030
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


rolagem de dados:
Sem Rolagem hoje


 Após se despedir dos seguranças, Lisandra retorna ao seu quarto para aguardar a resposta de Joffrey, o tempo ia passando devagar e a medida que o ponteiro grande do relógio se movia a preocupação da vampira aumentava, a deixando cada vez mais impaciente, o que parecia contribuir para que o ponteiro se movesse ainda mais devagar.

O ponteiro pequeno já havia mudado de lugar pelo menos duas vezes quando o celular da garota vibrava. Com a resposta da mensagem que a setita havia enviado a duas horas atrás. O que aconteceu? Só vi agora a sua mensagem. Era tudo que a mensagem dizia.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Krauzer em Sex Fev 24, 2017 4:14 pm

SAMUEL HAWKINS


__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



A situação se tornava cada vez mais tensa, e uma espécie de depressão começava a tomar Samuel. A cidade seria tomada, haviam poucas coisas a se fazer, os Nosferatus aparentemente já haviam chegado a esta conclusão, e a moral de Samuel não estava em alta com seu clã.

O Nosferatu se afastava por um momento de seus companheiros de clã e se sentava em um canto úmido e escuro, solitário, em busca de ordenar seus pensamentos. Apesar dos Nosferatus não o verem com bons olhos, ele não os entregaria ao Xerife (dizer que seu clã sabia o que iria ocorrer e que já planejavam saltar do barco antes do naufrágio seria o mesmo que dizer que seu clã estava traindo a Camarilla para salvar seus pescoços, e de certa forma era realmente isso...). Por sorte, Lily e Alexandra não estariam na cidade no momento de sua queda, mas Samuel sentia que ao menos deveria avisar Dev/Null que o pior poderia acontecer.

Nova York não trazia boas lembranças a Samuel, mas ainda assim ele não gostaria de vê-la tomada pelo Sabá. Neste momento ele decidia procurar pelo primógeno de seu clã (ou ao menos seu representante), em busca de conselhos.
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Sex Fev 24, 2017 6:36 pm

Samuel Hawkins
PV 8/13
FdV 05/05
- Dia 12
0218
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem rolagem hoje


Samuel ficava abalado com aquela resposta de Nocturnal, e percebia que sua imagem não estava muito boa dentre os seus irmãos de clã. Ele ficava preocupado com o futuro da cidade, e descobrir que o seu clã já estava planejando bater em retirada como um todo tirava todo o seu chão.

Ele se afasta dos irmãos ratos que havia sobrado e vai ficar sozinho em um canto escuro e afastado da galeria comum onde os vampiros ficavam reunidos. Ele precisava de um tempo para colocar suas ideias no lugar e pensar a respeito do que faria.

Algum tempo depois ele se levanta e vai até a galeria particular do primogênito Nosferatu, o ancião mais velho dos esgotos, seu nome era Milo Scotton, o rato então caminhava até o terceiro andar subterrâneo da galeria comum de seus irmãos, virava a esquerda em um corredor escuro e mal iluminado até chegar a porta de madeira tomada pelo musgo e pelo mofo, podre era um elogio para aquela porta.

Ele bate na porta, e não demora para ouvir uma voz gutural e monstruosa, criada por uma garganta deformada pelos séculos e pelo o sangue horroroso de seu antediluviano. – Entre.

E assim Samuel o fazia, com cuidado abria a porta podre e encontrava os modestos aposentos de Milo. O encontrando sentado em sua “cama”, se é que poderia chamar aquilo de cama, era um conjunto de madeiras velhas de diversos tipos que foram organizados juntos para criar um suporte e em cima delas, para o mínimo e conforto, um colchão igualmente velho e surrado e que parecia ser tão confortável quanto o chão frio dos esgotos.



– Em que posso ajuda-lo, irmão Samuel – O Rato mais velho fechava o livro que estava lendo e o colocava de lado, para dar atenção a sua visita.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Askalians em Sab Fev 25, 2017 10:44 pm

 Lisandra Eckhart

Já havia acabado de fumar fazia um bom tempo. Deitou-se então na cama mais uma vez na esperança de relaxar um pouco.

"Não tenho o porquê me preocupar, ou será que tenho?"

Quase dá um pulo da cama onde estava quando o celular vibra. Por instantes parece que sua preocupação abaixa um pouco para níveis mais normais. Rapidamente pega para visualizar a mensagem e responde em seguida.

- Volte logo para casa. É urgente. Precisamos conversar...

Precisava causar muito a ideia de urgência, para que Joffrey voltasse logo e ela torcia para que suas palavras tivessem causado isso.

"Será que está acontecendo alguma coisa onde ele está? Será que não é bom eu ir la?"

Até vir uma resposta confirmando que Joffrey voltaria para casa, iria ficar com a agonia da dúvida se estava tudo bem ou não.
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Han em Dom Fev 26, 2017 9:46 am

Trevor prontamente atende o que lhe foi passado. Ao afastar a cortina observando por uma brecha discreta ele constata a presença de mais viaturas e policiais. As coisas estavam ficando mais complicadas. Mary faz um comentário que Trevor não entende muito bem e nem se esforça para entender. Não que estivesse a ignorando, mas ele sabia que o clã malkaviano era complexo demais para sua mente de gigolô. O outro bando não fica satisfeito com a situação, pra ser sincero eles ficam bastante frustrados o que era totalmente compreensível. Trevor vai passando as coordenadas que lhe cabia passar e observa o desenrolar da trama.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Dom Fev 26, 2017 9:16 pm

Liz Eckhart
PV 07/13
FdV 6/6
- Dia 12
0052
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


rolagem de dados:
Sem Rolagem hoje



Cerca de 20 minutos se passam sem uma resposta de Joffrey, a preocupação da vampira aumentava a cada segundo que se passava sem uma resposta. Ela cogitava ir até a capela Tremere ver se estava tudo bem com Joffrey.

A campainha do apartamento tocava uma vez, tirando a garota de seus pensamentos, ela se levanta para ver quem era aquela hora da noite. Quando ela chegava na sala de estar, próximo da porta via Mike abrindo a porta para Joffrey.

Ele estava vestindo uma camisa social, simples e uma calça jeans que já havia visto dias melhores, seu cabelo estava meio bagunçado mas ele não parecia se importar. – Ola querida, cheguei. – Ele dizia com um sorriso no rosto, enquanto se aproximava de Lisandra e lhe dava um beijo rápido em sua boca, em seguida a levando para o quarto.

Ele então tirava de seu bolso uma caixa de som amplificador e conectava o celular nele, selecionando uma playlist para tocar no volume máximo.



– Pronto, agora eles não podem nos ouvir... O que aconteceu? – Ele falava em um tom serio e determinado, enquanto se dirigia para a cama da vampira e se sentava para olhar melhor para ela.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Dom Fev 26, 2017 10:33 pm

Trevor Belmont
PV 09/13
FdV 06/06
Dia 12

0315
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem Rolagem Hoje


Trevor continuava olhando para a cortina la fora, quando Douglas retornava para a sala de estar com a velhinha carniçal que morava na casa. Ela estava seria, diferente da ultima vez que Trevor havia a visto porta.

O outro bando parecia respeitar Marcos como um líder para aquela situação conjunta, embora eles tivessem o escanteado na hora de dividir os bandos. Ao que parece ele havia passado o mínimo de confiança durante aquela breve conversa, para que o outro ductus não quisesse tomar o controle para si.

– Muito bem pessoal. – Marcos começava a falar para todo mundo que estava presente, enquanto Mary também retornava para a sala, para ouvir o que Marcos tinha a dizer. – Neste exato momento são 3:12 o que significa que temos exatamente 1:18 para o sol começar a nascer, por favor tenham isso em mente. Eu pedi para que a Mary e o Trevor olhassem lá fora pelas cortinas para sabermos melhor o que está acontecendo, assim como pedi para que o Douglas fosse buscar a senhora dona desta casa, eles três vão passar informações vitais para montarmos o nosso plano. Senhora, poderia começar por favor? Nos descrevendo esta casa, quantas entradas e quantas saídas.

Nesse momento a senhora tomava a frente e começava a falar. – Muito bem, esta casa tem duas saídas, a porta principal da frente, e uma secreta, que leva do porão até um terreno baldio algumas quadras daqui. Existem janelas ao redor da casa, que um homem adulto poderia usar para entrar na casa, ao todo são 4, sem contar com a janela da frente, onde o seu amigo estava olhando. Se chegarmos a um combate ainda, existem algumas armas guardadas em um compartimento secreto em meu quarto, não é o suficiente para todos aqui presentes, mas daria para fazer um estrago, porém usar as armas em um confronto direto com a polícia significa que o refúgio está comprometido, e o senhor Morpheu não ficaria satisfeito com isso, teria que ser a última opção. – Ela então se afastava concluindo o que tinha para dizer.
– Obrigado pela contribuição senhora, foi de grande ajuda. – Ele soava sincero, como se já tivesse uma ideia. – Mary, por favor? O que você viu?

A malkaviana se aproximava de trevor, seus olhos haviam mudado completamente, a expressão infantil havia desaparecido, apesar do seu corpo de criança, ela agora não lembrava em nada uma criança, era uma expressão dura, ameaçadora e fria. Ela dizia então seriamente, com uma voz seca, enquanto encarava todos. – Certo. Seguinte, pelo que eu consegui ver nas cortinas, tem 4 viaturas da NYPD na frente da casa, mais um furgão do FBI. Ao todo são 14 homens da NYPD e 4 do FBI, podendo haver mais gente dentro do furgão, se for o caso podemos contar com no máximo mais 4 membros do FBI, eles passaram uma faixa amarela da polícia em um perímetro de mais ou menos 6 metros tendo esta casa como centro. A movimentação da polícia ao redor fez com que os vizinhos acordassem, as casas ao redor estão com as luzes acesas e alguns deles inclusive saíram de suas residências. E estão curiosos do lado de fora do perímetro policial. Eu diria que o refúgio já está comprometido, esse tipo de visibilidade no mínimo vai atrair a atenção dos vizinhos. – Ela terminava de falar e dava espaço novamente para Marcos, retornando ao seu lugar, junto de Douglas e Trevor.

– Muito bem observado Mary, muito obrigado. Trevor, o que você conseguiu ver? – Ele dizia sorrindo convidando Trevor para falar também. [/color]
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Han em Seg Fev 27, 2017 7:47 am

Após a dona da casa e Mary, Trevor foi chamado para falar o que viu. Ele fica perante a todos pra dizer o que tinha visto.

- Tive praticamente o mesmo ponto de observação de nossa querida Mary. Só complemento o que ela disse com a informação de que foi instalado uma tranca-roda no meu carro que está a frente da casa. Que eu tentei ir tirar várias vezes mas ninguém me escutava...

Trevor fala num tom seguro. Ele não atribuía a culpa dos fatos a si. Pois o motivo da polícia estar atrás dele era culpa de Salazar e o motivo do carro ainda estar parado em frente a casa e culpa de todos ali que não deixaram ele ir resolver isso antes da reunião. Além do mais, ninguém ali sabia o real motivo da presença das autoridades. Tudo não passava de suposições.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Krauzer em Seg Fev 27, 2017 5:44 pm



SAMUEL HAWKINS


_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



Samuel fazia um sinal de reverência em direção ao membro mais influente de seu clã na cidade.

- Olá, Milo. Desculpe interrompe-lo, mas me sinto preocupado com o rumo da cidade!

O rato de esgoto procurava medir bem suas palavras enquanto fechava a porta e se aproximava mais do primógeno.

- Há alguns instantes tive algumas discussões desconcertantes com meus confrades, que parecem não confiar em mim por ter um refúgio na superfície e trabalhar com membros de outros clãs. Em uma destas discussões, encontrei um membro que se dizia filiado ao Sabá, e este dizia que nosso clã estava preparado para a derrota da Camarilla e que inclusive estavam se preparando para uma evacuação da cidade. Não me entenda mal, eu posso ter companheiros na superfície, mas jamais entregaria meu clã, porém me entristece que este seja o futuro que nos espera. Isso tudo é realmente verdade?
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Ter Fev 28, 2017 1:24 pm

Trevor Belmont
PV 09/13
FdV 06/06
Dia 12

0320
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem Rolagem Hoje


Marcos que estava logo atrás de Trevor, mal consegue esconder a sua reação a informação que Trevor havia dado, ele tentava esconder a sua surpresa da melhor forma que podia, mas não dava muito certo, e quem estivesse virado para ele conseguia perceber isso.

– Muito obrigado pela contribuição Trevor. Pode voltar ao seu lugar agora. – Dizia Marcos já recuperando a compostura e se preparando para anunciar o seu plano.

Enquanto Trevor retomava seu lugar ao lado dos membros do seu bando, Mary comentava em um tom serio e pragmático. – Você com certeza se esforça para que as pessoas não gostem de você não é? – Ela dizia baixinho e sem mover o seu rosto em direção do Toreador.

– Então pessoal, como todos puderam ouvir, o problema la fora é grande, e agora já são 3:18, faltando 1:12 até o amanhecer, nós poderíamos fugir sem enfrentar a policia pela rota do porão que a casa disponibiliza, mas com o tempo que nos resta, seria complicado conseguir um refugio minimamente seguro para passar o dia. Entrar em confronto com a policia, também não é uma boa ideia, certamente nós ganharíamos, não tenho a menor duvida disso, mas tem testemunha demais, matar todo mundo chamaria atenção demais, e a Camarilla está mais do que atenta a um massacre desses. Isso se essa movimentação toda não for obra dela, é claro. – Ele expunha o que não seria um bom plano, demonstrando suas qualidades de estrategista.

– Muito bem, com as informações que nós temos disponíveis no momento, a melhor forma de agir, sem comprometer demais o refúgio e a nossa posição, é nos escondermos no porão, onde deve estar preparado para dormirmos, já que esse era o plano original de Morpheu, correto senhora? – Trevor lançava um olhar para a dona da casa, que apenas balançava a cabeça positivamente.

– Eles já sabem que Trevor está aqui dentro, mas não sabem de nós, se não o virem saindo, eles vão entrar e vasculhar a casa, o que não é bom para nós. Então o Trevor precisa ser visto saindo da casa. Como, vocês me perguntam... Simples eu respondo, O Trevor vai pegar uma arma do arsenal da senhora, e usa-la como refém. A policia não vai arriscar fazer nada e matar a refém, isso deve fazer com que eles abram passagem segura para os dois. A senhora então vai guiar Trevor até o terreno baldio que tem o túnel de volta para casa e os dois voltam aqui para dentro antes do sol nascer. Todos de acordo? – Ele olhava para os demais esperando uma resposta.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Han em Ter Fev 28, 2017 2:31 pm

- Eu concordo Marcos. Afinal estão aqui a minha procura. Pelo menos é o que parece. Mas eu não queria expor a senhorinha dona da casa dessa maneira. Eu vou sozinho.

Trevor saca sua arma do coldre que escondia dentro de sua jaqueta e de um bolso interno do lado oposto ao coldre ele pega o silenciador de sua arma e o enrosca completamente na ponta do revolver. - Sugiro que vão para o porão onde ficaram seguros. Trevor ativa seu auspícios 1 para lhe ajudar a definir uma estratégia melhor. Ele sabia que a casa estava cercada, mas queria saber qual lado estava menos vigiado para que a sua abordagem fosse mais efetiva. Após constatar o melhor lugar ele procura pela janela mais próxima para tentar visualizar alguém. Tomando o mesmo cuidado para não ser visto como da ultima Observação.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Ter Fev 28, 2017 2:56 pm

Samuel Hawkins
PV 8/13
FdV 05/05
- Dia 12
0224
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem rolagem hoje


Milo olhava para Samuel seriamente, prestando atenção em cada palavra que ele dizia, sem julga-lo, apenas prestava atenção.

– Não tem problema, estava apenas lendo um livro. Seja qual for o resultado dessa guerra da camarilla com o sabbath, nosso clã precisa sobreviver Samuel, se New York queimar, ou permanecer de pé, precisamos passar por isso com o menor numero de baixas possível. – Ele falava tranquilamente, explicando a Samuel a situação e tentando acalmar a preocupação dele.

– Então sim, caso a Camarilla não vença essa guerra, nós temos um plano de evacuação. Mas também precisamos manter as aparências junto aos clãs da superfície de que estamos participando ativamente dessa guerra e nos importamos com o resultado. Mas como você bem sabe, a sobrevivência do nosso clã vem em primeiro lugar, acima de qualquer uma das seitas. Se o Sabbath perder, os nossos irmãos de lá também terão a nossa ajuda para irem embora antes do pior. Lembre-se Samuel, nosso clã é mais importante, os clãs da superfície não se importam conosco, nos mantem por perto por que somos uteis, mas na verdade eles desprezam a nossa feiura e nos acham nojentos por preferir viver nos esgotos e na escuridão do que junto deles. No momento que deixarmos de sermos uteis, pode ter certeza que nossos aliados serão os primeiros a nos caçar. – Ele falava seriamente, não estava brigando com Samuel, estava apenas lhe falando a verdade, como um professor ensinando uma lição a um aluno.

– Os outros irmãos não confiam muito em você, pois você prefere viver entre os clãs da superfície, mora junto de um Malkaviano, que te usa para conseguir comida, pois é incompetente demais para caçar sozinho. Se associa com Toreadores que só estão com você, por causa de uma divida de gratidão, do contrario tenha certeza que elas nem mesmo olhariam na sua cara, e se olhassem seria para fazer alguma piada ou algo do tipo mais tarde pelas suas costas. – Nesse momento era possível perceber um certo desprezo pelos clãs da superfície.

– Confio em você para não trair o nosso clã Samuel e não contar para ninguém que não seja Nosferatu o que você ouvir aqui em baixo a respeito do nosso clã, do contrario, seriamos obrigados a sacrifica-lo, em nome da sobrevivência do nosso clã, como você sabe, não há misericórdia com traidores do clã. – Ele não falava em tom de ameaça, era mais um aviso, um lembrete, seu tom de voz era amigável, como um avô aconselhando o seu neto.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Askalians em Qua Mar 01, 2017 1:17 am

 Lisandra Eckhart

Quando ouviu a campainha foi arrancada de seus pensamentos e então correu para a sala para ver quem era naquela hora da noite. Fica feliz e não consegue conter um sorriso ao ver o marido, apesar de não gostar nada das roupas que vestia.

- Que bom que chegou... sentí muito a sua falta...

Retribuiu rapidamente o beijo que recebeu e foi com ele para o quarto. Viu que ssim que chegou no quarto ele tirou de seu bolso uma caixa de som amplificador e conectava o celular nele, selecionando uma playlist para tocar no volume máximo. Era uma seção de músicas de rock. Apesar de não ser o seu estilo preferido de música, quando ele disse o motivo da música ela foi logo lhe contando tudo o que aconteceu, tirando a parte que tentou seduzir os seguranças porque estava carente. Contou que ligou para aquele Carmem, que haviam boatos que ela estava morta, que outra pessoa atendeu, que falou com o supervisor dos seguranças, que ele havia prometido que ela falaria com Carmem na noite seguinte com o pretexto de se sentir mais segura devido alguns acontecimentos.

- Estou com receio Joffrey. Acho que aquele homem vai tentar me enganar... e sem você aqui, a coisa fica um pouco difícil. Não pode passar mais tempo comigo ao invés de ficar na capela trabalhando?

Ela o abraçou enquanto aquela música tocava e depois que lhe contou tudo o que havia acontecido.

Estava com uma fofa carinha de medo e era claro que ela estava carente dele e que queria ficar mais com seu homem aproveitando a imortalidade. Por mais que ela também tivesse o seu trabalho, as coisas estavam bem calmas de aulas nos últimos dias...
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Qua Mar 01, 2017 8:20 pm

Liz Eckhart
PV 07/13
FdV 6/6
- Dia 12
0056
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


rolagem de dados:
Sem Rolagem hoje


- Estou com receio Joffrey. Acho que aquele homem vai tentar me enganar... e sem você aqui, a coisa fica um pouco difícil. Não pode passar mais tempo comigo ao invés de ficar na capela trabalhando?

Joffrey olhava para Liz com uma expressão séria e cansada, como se todo o seu tempo estivesse sendo dedicado para o trabalho. A setita então o abraçava, mas ele não retribuía o abraço, porém também não a afastava.

– Você fez parecer na mensagem que era alguma coisa seria, que estava correndo perigo ou algo assim. Se você já sabe que o cara vai tentar te enganar, use o tempo que te resta para contornar essa situação, você uma vampira, uma setita, que sobreviveu quase um século, poucos vampiros podem dizer o mesmo. – Ele falava em um tom de voz serio, não estava sendo duro com a garota, mas também não estava medindo suas palavras.

Finalmente, Joffrey se soltava do abraço e começava a desabotoar a sua camisa, com calma e tranquilidade, quando desabotoava o ultimo botão, revelando o seu corpo sarado que a vampira conhecia tão bem, ela podia ver entre os dois peitos dele, uma nova tatuagem, em tinta branca, era a famosa maldição que estava tomando conta da cidade, a Flor de Sangue, e Joffrey já havia conseguido para si 4 petalas.



– Meu trabalho, Lisandra, vai salvar toda a cidade, cada minuto que eu passo fora do meu laboratório, é uma vida que corre risco de se acabar, e você tem a coragem de me pedir pra largar tudo, para ficar com você, brincando de casinha? Tenha noção de prioridades. Somos vampiros, somos imortais, mas nem de longe, temos todo o tempo do mundo em nossas mãos. - Ele começa então a abotoar a sua camisa de volta ao mesmo tempo que se dirigia até a caixa de som com o seu celular.

– Vou pedir para alguns neofitos ficarem de olho em você, caso as coisas se tornem complicadas, é o máximo que eu posso fazer. – Ele dizia tranquilamente enquanto desligava a musica e mexia no celular.

Ele fazia com que o celular tocasse, e então rapidamente pausava o toque do celular e levava o telefone ao ouvido, falando em voz alta, para que os seguranças do lado de fora pudessem ouvir – Alo... Sim claro... não tudo bem, estou indo para ai agora mesmo... até já. – E então ele guardava o celular no bolso novamente.

– Amor, me desculpe, parece que precisam de mim la na capela, me acompanha até a porta? – Ele dizia em seu tom gentil e amoroso de sempre, diferente do tom que havia utilizado a apenas alguns segundos atrás.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Qua Mar 01, 2017 8:39 pm

Trevor Belmont
PV 09/13
FdV 06/06
Dia 12

0325
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem Rolagem Hoje


– Muito bem então Trevor, ao menos leve uma das armas do arsenal da senhora. – Marcos não discutia com o plano de Trevor, e transparecia confiança em sua decisão.

A senhora por outro lado, parecia um pouco mais aliviada com aquelas palavras. – Vamos lá então pessoal, vou mostra-los onde fica o porão. – E então ela saia da sala guiando os vampiros.

– Boa sorte! – Marcos oferecia sua mão antes de ir embora junto da senhora dona da casa.

Enquanto aguçava os sentidos o vampiro preparava a sua arma com silenciador e se posicionava novamente na janela para observar. Ele via que seja lá onde ele pretendesse avanças teria que passar por cima de uma viatura da NYPD, pois eles estavam formando um semi circulo ao redor da rua de frente da casa, atrás das viaturas estava o furgão do FBI.

Se o vampiro conseguisse passar pelas viaturas, ainda teria que passar pelos curiosos que começavam a se aglomerar nas bordas do perímetro policial, havia pelo menos 5 ou 6 pessoas de cada lado.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Askalians em Qua Mar 01, 2017 10:16 pm

 Lisandra Eckhart

- Desculpe por isso, mas mesmo tendo sobrevivido por tanto tempo, tem coisas que não são tão simples assim...

Quando ele soltou-se do abraço, não pôde negar que ficou um pouco triste, mas sua tristeza piorou bastante quando viu aquela tatuagem de flor no peito dele. Aquilo era o pior sinal de que as coisas estavam ruins. Era como se uma faca tivesse sido cravada em seu peito, provocando a maior de todas as dores possíveis...

"Oh Não.. Por Set... não pode me levar ele também... Não pode..."

Lágrimas de sangue rolaram pelo seu rosto, mas nada disse. Talvez nem precisasse dizer alguma coisa pela reação que teve ao ver aquilo. As lágrimas não paravam de rolar mesmo enquanto ouvia a bronca que ele lhe dava por pedir que parasse suas pesquisas para ficar um pouco com ela, abotoando de volta a camisa e desligando a caixa de som do celular, uma vez que havia recebido uma ligação, que pedia para que ele fosse embora mais uma vez.

"Será que é por isso que ele fica todo esse tempo longe de mim? Será que não quer me contagiar ou será mesmo porque está quase descobrindo uma cura para essa maldita maldição?"

Quando ele pede para que acompanhe ele até a porta, faz apenas um sinal com a cabeça indicando que sim, apesar de não limpar o sangue que vertia de seus olhos e lhe pingava na camisola branca que vestia...

- Perdão... mais uma vez...
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Han em Qua Mar 01, 2017 10:24 pm

Trevor analisava a situação concluindo como a pior possível. Marcos sugere que ele pegue a arma do arsenal que havia na casa mas trevor recusa de forma educada. Então o Ductus estende a mão para se despedir do toreador que retribui com firmeza o gesto cortez. Enquanto todos se retiravam Trevor refletia. Se não pode vencer los junte se a eles... Trevor estava considerando se entregar. Uma escolha arriscada ele sabia, mas ele acreditava que suas chances de se safar seriam mais promissoras dentro de um carro com muito menos policiais a sua volta. Essa era a sua esperança.  Ele pega o telefone que Salazar havia lhe dado e tenta memorizar o número do contato que lhe chamou para reunião. Depois ele procura um móvel discreto e esconde sua arma debaixo na intenção de recuperar la mais tarde. Retira também o coldre e guarda junto a arma. Feito isso ele se levanta e se prepara para por seu plano em ação. Se ele fosse vivo com certeza seu coração estaria disparado devido a adrenalina. Mas mesmo na sua condição ele se sentia vivo naquele momento. Ele segura a maçaneta e a torce no sentido para que a porta se abrisse. Então com a seu fascínio ativado, ele sai na esperança que a disciplina vampírica afetasse de forma positiva a reação das autoridades la fora deixando as coisas mais amenas possíveis. E com cara de quem não estava entendendo o por que daquilo tudo Até porque a única prova que eles tem contra mim são um depoimento de um casal que poderia muito bem ter se confundindo a meu respeito. Não me lembro de ter visto câmeras no local. ele abre a porta e mergulha de vez no seu plano...

OFF: GASTO 1 PONTO EM FORÇA DE VONTADE PARA FASCÍNIO.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Krauzer em Qui Mar 02, 2017 5:02 pm



SAMUEL HAWKINS



______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



Apesar das palavras duras do ancião, Samuel sentia-se um pouco mais aliviado após o diálogo. Talvez por saber que alguém do clã ainda confiava nele, talvez por lembrar-se que no fundo a sobrevivência do clã sempre fora o objetivo principal. Porém, Samuel não pretendia fazer parte do Sabbath caso esta seita vencesse a guerra. Não que a Camarilla fosse muito melhor, ele conhecia muito bem o desprezo dos clãs da superfície para com os ratos de esgoto, além é claro da hipocrisia e os modos esnobes da corte, mas seu abraço e suas primeiras noites nas mãos dos monstros do Sabá foram traumáticos demais, e ele deixaria a cidade neste caso.

Ele sorri, e agradece ao primógeno.

- Muito obrigado, senhor. E não digo isso apenas por ter esclarecido minhas dúvidas ou por ser meu superior, mas principalmente por seu voto de confiança. Não se preocupe, jamais revelarei nada que possa prejudicar o clã!

E com um novo cumprimento, Samuel deixava a sala, fechava a porta e seguia adiante. Pelas suas contas, ainda haviam algumas horas até o amanhecer, então ele tentaria chegar até a rua do apartamento de Dev/Null pelos esgotos.



Possíveis ações::
Possíveis ações:

1) Caso a caminhada pelos túneis demore mais do que o previsto, Samuel procura algum canto seguro para dormir nos esgotos, chamando alguns ratos e pedindo para que eles o acordassem ao sinal de perigo.

2) Caso Samuel chegue ao apartamento antes do amanhecer, ele acaricia o cão, vai até o Malkaviano e o alerta:

- Dev, apenas vim aqui pois preciso lhe alertar, a situação não está boa, as chances do Sabá vencer a guerra são grandes, então preciso saber se você tem condições de deixar a cidade!
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Sex Mar 03, 2017 11:10 am

Liz Eckhart
PV 07/13
FdV 6/6
- Dia 12
0058
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


rolagem de dados:
Sem Rolagem hoje


Liz ao ver a marca no peito de Joffrey, ficava preocupadíssima, caia em prantos sem saber o que dizer, tirando suas próprias conclusões a respeito do por que Joffrey estar passando tanto tempo trabalhando.
Joffrey a olhava seriamente, e pegava um lenço de seda que estava em seu bolso e entregava para ela, sussurrando quase que inaldivelmente, mas para liz que estava ali, em sua condição de vampira, era possível entender suas palavras, mesmo que por “ leitura labial “ – Limpe seu rosto, se você sair assim, eles vão desconfiar que alguma coisa aconteceu, e o seu desfarce vai ficar comprometido, mais do que já deve estar. – Ele falava com uma expressão de gentileza, porem impaciente.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Sex Mar 03, 2017 11:54 am

Trevor Belmont
PV 09/13
FdV 05/06
Dia 12

0330
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Trevor rolou 7 dados de 10 lados com dificuldade 7 para fascinio que resultou 7, 5, 5, 7, 10, 9, 7 - Total: 5 Sucessos + 1 fdv


Trevor memorizava o numero do telefone que lhe enviou a mensagem, e em seguida escondia sua arma e seu coldre em baixo de um criado mudo que existia na sala de estar daquele refugio, o vampiro sabia que era arriscado, que seu plano era o que tinha mais chances de sucesso.

Ele se dirige lentamente até a porta, nervoso com o que estava para acontecer, seu coração estaria acelerado se isso fosse possível. Ele então abre a porta lentamente, e rapidamente percebe que os oficiais ficaram alertas.

O silencio tomava conta da rua no exato momento em que trevor começava a sair da residência, era visível a tensão no rosto daqueles que estavam presentes. Os policiais sacavam suas armas e ficavam em posição para qualquer gracinha que o vampiro pudesse fazer.

– Trevor Belmont, você está preso acusado de homicido duplamente qualificado, renda-se agora, você está cercado. – Um homem do FBI provavelmente o encarregado da operação falava em um megafone para que todos podessem ouvir a voz de prisão sendo efetuada.
Trevor ficava surpreso com aquela ordem, e colocava as mãos para cima e se ajoelhava, tentando demonstrar que não iria resistir e que não estava entendo aquela terrível acusação, essa reação do vampiro pegava os oficiais e os curiosos de surpresa, claramente aquela não era a reação que estavam esperando.

Um dos policiais então da viatura levava sua arma até o coldre e se aproximava de trevor, tendo como back up o seu parceiro da mesma viatura, os dois então se aproximam de trevor e o algemam, neste momento o policial “lia” os direitos de Trevor – Você tem direito de permanecer calado, tudo que disser pode e será utilizado contra você no tribunal, você também tem direito a um advogado, se não tiver condições de pagar por um, o estado irá nomear o defensor para você, você entende os seus direitos?

Os policiais ao lado de Trevor pareciam estar mais relaxados, não acreditavam que Trevor iria fazer alguma coisa de verdade, estavam alertas, mas não muito, apenas o nível de alerta que a profissão requer.

Os dois policiais então guiam Trevor até sua viatura e o colocam no banco de trás com gentileza, e então vão para o banco da frente. A medida que o Toreador ia se aproximando das viaturas, era possível perceber que os curiosos começavam a dispersar, alguns por outro lado estavam com uma cara de descontentamento, meio que contra a policia por terem prendido do vampiro. – Qual é, o cara é claramente inocente, olha só para ele, isso é uma injustiça. – Gritava um curioso mais exaltado.

Uma vez no carro, o motorista da viatura dava a partida e começava a ir embora, o parceiro não achou que seria necessário prender a algema de trevor no teto do carro, deixando que trevor movimentasse seus braços com a liberdade que as algemas permitiam. Sò haviam dois policias dentro daquela viatura e os dois pareciam estar bem tranquilos.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Han em Sex Mar 03, 2017 5:37 pm

...Como os agentes sabem o meu nome? Achei que já estava considerado morto para os registros mortais...

Trevor sai da casa e graças a seus dons cainitas a "recepção" dos agentes não foi das piores. Mas isso não impediu que Trevor fosse conduzido para a delegacia. No carro havia apenas dois policiais que por sinal estavam bem amigáveis para com o toreador. Trevor pensa em usufruir dos seus dons vampíricos e se safar dali. Mas com isso ele seria considerado foragido. O melhor a se fazer por enquanto e aguardar a chegada a delegacia e influenciar as testemunhas com a sua presença e deixar claro que tudo aquilo não passou de um mal entendido.

- Por gentileza, Eu sei que resistir a prisão e crime, por isso deixei que me levasse numa boa. Mas gostaria de saber do que estão me acusando? Isso é muito embaraçoso e constrangedor pra mim.

Trevor se fazia de inocente para conseguir informações que talvez lhe fosse uteis na delegacia.
avatar
Han

Data de inscrição : 24/07/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Sex Mar 03, 2017 9:13 pm

Samuel Hawkins
PV 8/13
FdV 05/05
- Dia 12
0400
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Samuel rolou 5 dados de 10 lados com dificuldade 7 para mascara das mil faces que resultou 10, 10, 7, 10, 10 - Total: 5 Sucessos


Samuel agradecia ao ancião de seu clã e educadamente se retirava dos aposentos do primogênito, pegando seu caminho até a residência de Dev//Null, que por sua vez também era a sua própria residência.

Ele caminhava por horas a fio, até chegar na escada de boeiro que dava em um beco próximo do seu apartamento, ele verificava se havia alguém por perto, e constatava que a rua estava semi deserta, os trabalhadores da região estavam começando a acordar aquela hora, e logo iriam ganhar as ruas, mas naquele momento, não havia ninguém.

Ele invocava sua habilidade inata e adquiria uma aparência humana perfeita, para então sair dos esgotos e rumar até o apartamento ali perto. Pegava o elevador sozinho e entrava em seu apartamento.

Dev//Null estava altamente concentrado em seja lá o que ele estivesse fazendo, a tela do computador do Malkaviano parecia estar frenética, com varias telas de sistema abrindo e fechando.

- Dev, apenas vim aqui pois preciso lhe alertar, a situação não está boa, as chances do Sabá vencer a guerra são grandes, então preciso saber se você tem condições de deixar a cidade! – Dizia o Nosferatu recém chegado, porém não parecia que o Malkaviano havia escutado, ou se tivesse, não se daria ao trabalho de responder.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Lord_Suiciniv em Dom Mar 05, 2017 12:38 pm

Trevor Belmont
PV 09/13
FdV 05/06
Dia 12

0345
Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

rolagem de dados:
Sem rolagem hoje


Ainda no carro, trevor tentava conversar com os policiais a respeito do que estava sendo acusado, para ganhar alguma vantagem no momento do depoimento policial quando ele fosse interrogado mais tarde.

– Você está sendo acusado de homicídio duplamente qualificado, é tudo que podemos falar no momento, quando chegarmos na delegacia, o delegado vai poder lhe dar mais detalhes. Não se preocupe, se você for inocente, não tem nada a temer. – O policial falava de forma amigável e descontraída, não via necessidade de se manter super alerta por causa de Trevor.

Alguns minutos mais tarde, a viatura estacionava na garagem de uma delegacia de policia, e os policiais da viatura começavam a se organizar para escoltar Trevor la para dentro.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Apocalipse

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 7 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum