New York by Night - Xadrez de Sangue

Página 4 de 16 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 10 ... 16  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Dom Maio 29, 2016 10:45 pm

Lisandra Eckhart


- É bom que pense assim...

“Vamos ver se vai continuar pensando assim...”

- Os costumes dos cainitas da América tem uma longa história...

“Que é claro que, se ele estuda ele vai ler sobre isso em algum lugar...”

Faz uma breve pausa, cruza as pernas por debaixo da mesa onde ainda estava, passa a mão sobre uma mecha de cabelos perto da orelha direita, liberando um pouco do perfume de frutas vermelhas delicioso no ar.

Ela ajeita de forma sensual, com a ponta dos dedos, lentamente sobre o nariz e volta a dizer com a voz macia que possuía, mas com menos firmeza e seriedade do que antes:

- Concordo que pela noite de hoje é mais do que suficiente. Melhor procurar o algoz amanhã, assim teremos mais tempo e quem sabe uma preparação? Por hora estou com fome. Quero comer algo.

“Ou alguém....”

Faz uma breve pausa, ajeita o decote em V do vestido vermelho sexy e transparente que usava e volta falar.

- Sabe onde fica o Elísio de NYC? Quer que eu leve vocês lá!?
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Seg Maio 30, 2016 12:00 am

- Ainda temos algumas horas até o nascer do sol. Acredito que haverá muito tempo para você abordar essa longa história relativa aos hábitos locais.

A aproximação da moça trouxe as minhas narinas uma deliciosa fragrância de um perfume frutal. Embora ela não tivesse demonstrado finesse quando da conversa com Joffrey e comigo, agora, evidenciava ter muito bom gosto na escolha do perfume a usar. Após se realinhar na cadeira, percebo que o vestido que usava era bonito. Um pouco arrojado, para ser franco, mas valoriza o belo seu corpo. Isso não estava visível antes, em razão do casaco que ela usava. Bem, o que mais descobriria sobre ela até o nascer do sol?

A forma com a qual se aproximou de mim me deixou bastante intrigado. É que há pouco tempo ela demonstrava extrema desconfiança, agindo de forma reclusa e falando pouco, chegando a me ignorar quando da conversa perante o príncipe. Porém, agora faz o extremo oposto, tomando atitudes desinibidas, com confiança e sem receio de estar na presença de estranhos. Será que possuía transtorno de personalidade? Não sabia a resposta para aquilo, de qualquer sorte me deixou com uma pulga atrás da orelha. Ela guarda muitos mistérios...


- Sim, conheci ele mais cedo. Um lugar belo e de arquitetura invejável. Um ótimo local para uma conversa, gostaria muito de voltar lá. Imagino que Joffrey não se oponha.


Olho para Joffrey que estava ao nosso lado e espero a sua reação.

avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Seg Maio 30, 2016 12:21 am

Lisandra Eckhart


O rapaz não havia percebido a sensualidade da garota porque Liz simplesmente não agiu como costuma ser uma vez que a situação não cabia isso. Ela simplesmente naquele momento estava só concentrada no príncipe. Quando a situação começou a ficar mais leve o rapaz iria perceber todo o resto.

Inicialmente, a reação da garota é sempre de afugentar algo ou alguém que lhe pareça um problema, principalmente quando a curiosidade não parece algo simplesmente ao acaso. Pessoas curiosas demais sem conhece-la irão sempre se dar muito mal logo de cara, mas aquele rapaz começava a lhe atrair algum tipo de atenção e de curiosidade, porque mostrava ser tão bom e inofensivo como um recém-nascido.

“Mas todo cuidado é sempre bom... apesar de poder gerar uma boa diversão... kk”

Liz ainda iria parecer um grande mistério para Heinz. Algo que poderia fazer com que o rapaz quisesse conhecer mais dela ou não. Quem sabe...

- Então os levarei lá...

Se levantou da cadeira delicadamente e de vagar de forma com que os dois rapazes pudessem ver os movimentos e as curvas do corpo dela, mesmo por debaixo do casaco. Era possível ver pedaços transparentes do vestido exibindo as curvas sensuais da garota, com rosto angelical, os cortantes e corpo de mulher...

Joffrey não iria se opor ao que decidissem fazer.

- Vamos?
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Seg Maio 30, 2016 12:59 am

Fiquei impressionado com a desenvoltura que ela demonstrava. Realmente, agora ela agia de forma totalmente diferente daquela de quando nos conhecemos. Admito que a forma de agir atual é mais agradável, mais doce, menos sisuda e taciturna do que a anterior. A sua companhia com esse espírito prometia ser bastante aprazível. Porém, qual seria a sua verdadeira natureza, a séria ou a vivaz? Isso era algo que eu ainda não sabia e que se somava a longa lista de dúvidas que se formavam abaixo do título Lisandra Eckhart.

- Ok, já que chegamos a um consenso vamos então. Agradeço pela carona, estou sem carro, será muito útil. Espero que ela dirija mais rapidamente que o moroso Joffrey, caso contrário o sol iria nascer antes de chegarmos ao nosso destino.

Após vê-la se levantando, faço o mesmo. Abro a porta para ela e Joffrey, após eles saírem apago as luzes e fecho a porta da sala em que estávamos.
avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Seg Maio 30, 2016 12:59 pm

Dr. Ulrich Kaminski
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


O policial ouvia as palavras do professor e concordava com ele, pelo preço que estava recebendo, iria concordar com qualquer coisa que aquele riquinho metido a besta dissesse. - De fato Dr. Kamiski, não seria prudente aceitar qualquer coisa que os sequestradores pedissem, nós dois temos mais ou menos a mesma fisionomia, acredito que com os acessórios corretos eu poderia me passar pelo senhor sim... Resta só o problema do gravador.

Nesse momento a carniçal salva o dia ao abrir a bolsa e retirar um pequeno gravador portatil e entregar para o policial. - Aqui está, eu sempre ando com um, para caso eu tenha alguma boa ideia de projeto e não tenha tempo de escrever em algum lugar, podem usa-lo. - Ela sorria, se sentindo útil por ter contribuído em alguma coisa.

- Muito bem Dr. temos agora 50 minutos, daqui para o central park leva pelo menos meia hora. Não temos tempo a perder, se quiser que isso dê certo, preciso sair imediatamente, então por favor providencie os acessórios e a gravação. - Ele entregava o gravador nas mãos do professor
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Seg Maio 30, 2016 1:30 pm

Rebecca Delorde
PV 13 / 13
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

- Certamente, ela jamais vai esquecer aquele momento. - Evanna sorria, como se realmente tivesse apreciado o pequeno susto que deram na senhora idosa.

O trio então conversa amenidades por mais alguns minutos até que subitamente a expressão do príncipe se torna seria, esse era o sinal de que eles iriam finalmente conversar sobre o que realmente importava, o príncipe então explicava a feiticeira o quão importante era o trabalho que estava fazendo, e que não iria esquecer do favor a moça estava prestando a cidade, fez alguns elogios a respeito do criador da feiticeira e contou uma historia sobre o passado deles e como trabalharam juntos algumas vezes.

E em seguida, Rebecca aproveitou para cumprir seu dever para com a quinta, ali mesmo no corredor, de maneira semi improvisada, cumpriu com maestria todas as formalidades, o que levou mais alguns minutos.

Nesse momento, a porta onde o príncipe originalmente estava conversando com o algoz se abre e de lá saem três pessoas, dois homens e uma mulher, eles parecem estar procurando alguém que deveria estar por perto, talvez o Algoz que havia ido embora quando as mulheres se aproximaram para falar com o príncipe, então um dos homens percebe a presença do príncipe e aponta em direção de Rebecca, para em seguida os três caminharem até o grupo da feiticeira.

- Oh, já decidiram se vão trabalhar juntos? - Dizia o principe sem perder o tom de seriedade, para em seguida apresentar as moças. - Senhores, estas são Evanna Lynch, minha filha, e Rebecca Delorde, ela é uma Tremere assim como vocês, recem chegada da frança, para ajudar no mesmo problema que vocês. - E em seguida passou a apresentar o trio recém chegado. - Estes são, Lisandra Eckhart, setita independente, Joffrey Mendonça, tremere da capela local, e Heinz Rahner, tremere alemão, os três concordaram em ajudar na nossa problemática. - E após as apresentações, o príncipe aguardou uma resposta do trio que acabara de chegar para chamar Evanna para uma conversa particular, deixando os outros 4 a sós.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Seg Maio 30, 2016 1:44 pm

Liz Eckhart
PV 13/13
FdV 6/6

Vitalidade:

Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Heinz Rahner
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Joffrey escuta calado a conversa entre Heinz e Lisandra, tirando suas próprias conclusões a respeito da moça, quando a cria do seu amigo sugere irem para o Elisio novamente para conversarem melhor, o tremere não se opõe de maneira alguma, na verdade concordava com eles de que a melhor opção seria iniciar as investigações no dia seguinte, após uma boa conversa entre si, para que o grupo se conhecesse melhor. Já dizia Sun-Tsu " Conheça a ti mesmo... "

Ele então segue o casal para fora da sala de reuniões, e uma vez de volta ao corredor mal iluminado, começa a procurar o Algoz que deveria estar esperando eles ali no corredor, para informar o que havia sido decidido e avisa-lo que iriam pegar as informações na próxima noite, mas infelizmente o Algoz não estava a vista, no entanto o príncipe estava, junto de outras duas moças mais abaixo no corredor.

Joffrey chama a atenção do casal para a presença do príncipe Jorg e o trio caminha calmamente até eles.

- Oh, já decidiram se vão trabalhar juntos? - Dizia o principe sem perder o tom de seriedade, para em seguida apresentar as moças. - Senhores, estas são Evanna Lynch, minha filha, e Rebecca Delorde, ela é uma Tremere assim como vocês, recém chegada da frança, para ajudar no mesmo problema que vocês. - E em seguida passou a apresentar o trio recém chegado. - Estes são, Lisandra Eckhart, setita independente, Joffrey Mendonça, tremere da capela local, e Heinz Rahner, tremere alemão, os três concordaram em ajudar na nossa problemática. - E após as apresentações, o príncipe aguardou uma resposta do trio que acabara de chegar para chamar Evanna para uma conversa particular, deixando os outros 4 a sós.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Colecionador em Seg Maio 30, 2016 3:20 pm

Monumentos rígidos, memoriais à pobreza das nossas imaginações, então eu nado e abraço o pensamento, construindo meu futuro, dando à realidade uma forma agradável. De repente, a lucidez me atinge...

O clima áspero de tensão aumentava entre o policial e Natasha a cada passo do estratagema. Eu fui ao closet e busquei algumas peças incluindo um sobretudo e joias. O tempo passava rápido como um turbilhão vicioso. Tomei o gravador em minhas mãos e pressionei o botão Rec.

- Estou aqui! Onde estás? Estou com o dinheiro!

Eu sou presa de uma entropia não convidada, mas real e nesse momento acredito que posso deixar tudo nas mãos contorcidas e corruptas da lei exercendo a energia da vontade para espremer a criatividade anárquica da natureza à nossa imagem.

Sinceramente, não gosto de segredos, os quais não faço parte. Essa sensação risca minhas veias com ansiedade, apesar de nunca demonstrar. Esse é um jogo que eu não quero perder.
avatar
Colecionador

Data de inscrição : 21/10/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Seg Maio 30, 2016 9:16 pm

Dr. Ulrich Kaminski
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Enquanto o professor gravava o áudio no gravador, o policial imediatamente começava a trocar de roupas, vestindo as roupas e joias do físico, elas ficavam um pouco apertadas, pois o professor não tinha os mesmos músculos do policial, mas nada que seria percebido debaixo daquele sobretudo.

Quando já estava vestido, o policial volta para perto das pessoas segurando um ponto de ouvido e o mostra para o professor - Doutor, eu vou estar utilizando esse ponto de ouvido, com ele, eu e minha equipe estaremos em constante comunicação com você. Lá fora, está estacionado um furgão de comunicação, que permitirá você ouvir tudo que eu ou minha equipe ouvir, bem como falar o que achar necessário também. Eu irei agora mesmo no carro da moça aqui. Se ela me emprestar o seu veiculo é claro. - Ele olhava para a moça esperançoso que ela aceitasse o pedido, e a mulher responde tirando um molho de chaves e entregando para o policial. - Tome conta do meu carro sim?

E em seguida o policial recebe o gravador e o guarda no bolso do sobretudo. - Se estiver de acordo, por favor venham comigo, preciso ensinar como operar o sistema do furgão e o tempo está correndo. - Ele falava apressado, precisava ainda chegar no local de entrega e eles tinham menos de 45 minutos agora.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Colecionador em Seg Maio 30, 2016 9:41 pm

Desci as escadas com rapidez, conforme pedia o curto tempo. A equipe estava preparada, bem como o policial em questão. Meus seguranças me acompanhava e garantiria que ninguém de fora iria me atormentar com pedidos e autógrafos. Eu sou um cara fraco, não nego. Um invasor mal intencionado ao meu lado e eu simplesmente já era. Isso havia acontecido uma vez...

No furgão Natasha aprendeu rapidamente a operar o sistema enquanto eu ficara para trás. Já não gostava muito de operar meu computador, imagine um sistema de escuta. Com a consciência escorrendo pelos ladrilhos da mente, me lembro de Gaia, suas frases e farsas e feitos. Ela não podia ter caído em uma armadilha dessas.

Essa cidade sabe habilidosamente filtrar os brilhantes rubis do ódio e puxar as undas cordas trançadas do medo. Havia ainda a possibilidade de um irmão tosco estar envolvido. A corrupção de corações e mentes perturbando o rebanho humano, despertando os cânceres do desespero, assustando a mente coletiva para a beira do vazio abismal. Esta é a arte dos filhos de Caim.

Agora um alinhamento mental é mais importante. E esperar o que vai acontecer...
avatar
Colecionador

Data de inscrição : 21/10/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Black Thief em Seg Maio 30, 2016 9:57 pm

Ambos tiveram um momento social que a vista de terceiros estaria sendo bem agradável, mas Rebecca tinha mais interesse em ir ao ponto, só não o fazia por educação e também por saber o quão importante era um bom "networking" com cainitas de status e quaisquer outros que poderiam vir bem a calhar, e até mesmo os que não vinham, mesmo que fosse só para manter as aparências sobre seu networking.

A francesa ouvia as histórias que o Príncipe exibia para com seu criador, pareciam ser negócios mas também ser uma camaradagem e não sabia se o Príncipe considerava uma boa amizade por seu criador ou estava sendo cortês, todavia era bom manter essa impressão e Rebecca assim o fazia, chegaram ao assunto que interessava, a importância da tarefa era ressaltada e as promessas de ter um bom nome eram feitas, o que agradava a francesa mas ela não iria com tanta sede ao pote, isso sempre era um péssimo passo a se dar de forma que ela limitasse a agradecer o Príncipe de forma adequada.

A quinta tradição fora feita de modo informal, mas não importava, o que importava é que cumprira com sua parte e estava oficialmente dentro e reconhecida.

Logo após, três pessoas saíam da porta próxima ao Príncipe e ao notarem a presença do mesmo assim como o próprio Principe notara a presença deles e então os dois trios se reúnem e eram apresentados, todas as coisas chamavam relevantemente bem a atenção da francesa, em primeiro lugar, por Evanna ser uma cainita e não como uma serviçal que aparentara muito ter sido. Tinha ouvido falar de cainitas que era parecidos com mortais sendo eles mais corados naturalmente, mas Rebecca se precipitara tanto com as ações bem aparentes de um serviçal que não se atentou aos detalhes, e assim ela tenta reparar na pele de Evanna se era corada como a dos poucos cainitas que ouviu falar. Também um detalhe muito intrigante, uma serpente no ninho da Camarilla. Ouvira falar das víboras traiçoeiras que esses cainitas eram, degenerando o mundo para que seu Deus negro assuma o comando do mundo, ou coisa semelhante, o Príncipe ainda reforçava que ela era uma Independente, não seguia as leis da Camarilla, também ouvira falar que as vezes os Independentes eram contratados para fazer trabalhos que a Camarilla não queria meter a mão, normalmente o trabalho sujo, e aquilo era muito interessante, Rebecca espeitava e muito aquele tipo livre e traiçoeiro, de certa forma até invejava-os. Por ultimo e não menos importante, dois irmãos de clã, cainitas para compartilhar os segredos do clã, os aliados em maior potencial ou rivais mais próximos e detestáveis, não sabia qual das opções eles seriam mas seria interessantíssimo descobrir.

Ao que o príncipe dizia, pareciam estar em meio a uma discussão sobre trabalharem juntos no mesmo caso que ela, e assim Rebecca os cumprimenta com sua encantadora voz e forte sotaque francês de forma amigável, singela e cortês:

- Bonsoir mademoiselle Eckhart, monsieur Mendonça, monssieur Heinz. É uma satisfação conhecê-los.


E aguardava o cumprimento dos três cainitas novos que se fizeram presente.

_________________
avatar
Black Thief

Data de inscrição : 11/02/2011
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Seg Maio 30, 2016 11:24 pm

Lisandra Eckhart


- Eu os levarei de carro...

Saindo do recinto com os dois rapazes Lisandra percebe que haviam outros cainitas no corredor inclusive o príncipe e sua filha. Faz uma breve reverência para cumprimentar a princesa e responde à Rebecca:

- Enchantée!

“Quanto mais serão!?”

Faz uma breve pausa e responde ao príncipe:

- Sim senhor.
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Seg Maio 30, 2016 11:40 pm

Ao sair da sala procuramos pelo Algoz que lá não estava. Porém, para nossa surpresa, encontramos de novo com o príncipe, dessa vez acompanhado por duas jovens.

Príncipe Jorg escreveu:- Oh, já decidiram se vão trabalhar juntos?

- Estamos acertando esse detalhes, Sua Alteza Real, mas adianto que há uma boa chance de agirmos em conjunto. Acredito que eu tenho muito a aprender ao acompanhar a Senhorita Lisandra, caso tenha essa oportunidade. Falava isso por educação, pois ainda não conhecia a moça e não sabia quais as habilidades e poderes sobrenaturais que ela possuía. Porém, estava fisgado pelos mistérios que a circundavam. Tentar mantê-la por perto era essencial para desvendá-los.

Em seguida o príncipe nos apresenta as moças ao seu lado. A primeira, de cabelos loiros, era a sua cria. Seria sensato respeitá-la e evitar ao máximo criar atritos com ela. A outra, de origem francesa, era companheira de sangue minha, também do clã tremere, que surpresa agradável essa!

Após, o príncipe decide falar sobre nós, já fazendo a nossa apresentação para as moças, com direito a nome, sobrenome e clã. Fico com consternado por Lisandra, quando o príncipe anuncia em aberto o clã ao qual ela pertencia. Ela havia deixado claro na sala que essa não era uma informação que gostava de divulgar, ainda mais perante outras pessoas, uma tremenda gafe do príncipe. Mas será que ele ficou tempo suficiente na sala para perceber isso? Ou saiu da sala antes dessa informação ficar clara? Bem, a verdade é que eu não me lembrava mais desse detalhe, durante o tempo que ficamos na sala outros passaram a prender mais a minha atenção.

Após o príncipe se retirar com a sua cria, com um sorriso no rosto e de forma amigável,  digo para a companheira tremere:

- C'est mon plaisir, Mlle Delorde (O prazer é meu, senhorita Delorde).

- Assim como nós, também envolvida com a investigação requerida por Sua Alteza Real?


Última edição por Spatz em Ter Maio 31, 2016 12:34 am, editado 1 vez(es)
avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Black Thief em Ter Maio 31, 2016 12:11 am

Rebecca esboça um sorriso satisfeito e agradável ao ouvir os cumprimentos em francês, com exceção de Mendonça que limitou-se a um simples gesto de beijo nas mãos das cainitas, e assim continua em sua lingua materna:

- Quelle agréable étonnement, mon chers! Il est toujours bon de voir les amoureux de ma langue maternelle!

(Que surpresa agradável, meus queridos! É sempre bom ver apreciadores de minha lingua materna!)


E então responde a Heinz voltando ao inglês:

- Oui, monsieur Heinz, estes são tempos difíceis não só para New York, mas para as demais cortes, é o que a guerra traz, dificuldades.

Dizia referindo-se à eterna guerra entre Sabá e Camarilla, que estavam centradas no mundo desde a renascença. Todavia não era como se crucificasse completamente a guerra, de fato ela trazia infortúnios para ambos os lados mas era o que tinha de ser feito para o mais forte sobrepujar seu lugar na cadeia da evolução, seleção natural, e no final... sempre geravam boas histórias de terror para contar, histórias que Rebecca adoraria protagonizar.

_________________
avatar
Black Thief

Data de inscrição : 11/02/2011
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Ter Maio 31, 2016 12:29 am

Lisandra Eckhart




Lisandra responde Rebecca mantendo o mesmo idioma que ela usava.

- Il n’y a pas de problème. (Não tem problema.)

E depois, sem se esquecer, volta a responder para Heinz em francês também.

- Vous aurez l’occasion. Vous ne inquétez pas. (Você terá a oportunidade. Não se preocupe.)

Esperava ver o algoz em algum lugar ou que o príncipe fosse chama-lo pelo menos, mas nada até o momento enquanto estava alí no corredor e todos conversando, principalmente Rebecca e Heinz.
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Ter Maio 31, 2016 12:59 am

- Bem, como já dito também estamos envolvidos com a investigação. Porém, como apenas fomos convocados pelo príncipe agora há pouco, já no meio da noite, considerando o adiantado da hora, deixaremos para dar as nossas contribuições para a Camarilla amanhã. É que iniciar um trabalho no presente momento não seria produtivo. Além do mais, já tínhamos marcado outros compromissos para o restante da noite.

- Será que você poderia nos passar o seu número de telefone para que entrássemos em contato amanhã? Caso deseje podemos investigar em conjunto. Tenho certeza que será uma boa experiência, além de que uma companheira de clã potencializará em muito os resultados a serem obtidos por nós, coisa que não ocorreria sem a sua ilustre presença.

- Inclusive, independentemente de aceitar o convite para investigar ao nosso lado, caso queira apenas trocar informações, basta ligar para o meu número (digo ele em voz alta), ou me procurar na capela, estarei hospedado por lá.


Assim que termino a fala, olho para a Srta. Delore e logo em seguida para Srta. Lisandra, de modo que não fica claro com para qual delas estou dirigindo, e digo de forma enfática e em francês:

- Devemos aproveitar as oportunidades que nos aparecem pela não-vida.


Última edição por Spatz em Ter Maio 31, 2016 11:37 am, editado 3 vez(es)
avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Ter Maio 31, 2016 1:12 am

Liz Eckhart
PV 13/13
FdV 6/6

Vitalidade:

Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Heinz Rahner
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Rebecca Delorde
PV 13 / 13
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Joffrey ouvia desconfortável todo aquele falatório em francês, se sentia excluído da conversa, já que era o único do ciclo que não sabia falar a língua e também não fazia questão de esconder isso. Pegando seu celular do bolso e verificando suas redes sociais até que o grupo finalmente decidiu parar de falar na língua estrangeira.

O homem soltava uma pequena risadinha ao perceber que Heinz havia tentado pedir o numero de telefone da moça de maneira sutil, e então finalmente resolveu abrir a boca. - Sim, estávamos combinando de ir no Elisio agora, para nos conhecermos melhor como equipe, visto que para nós três, essa é a primeira vez que conversamos, estamos tentando aumentar as chances de sucesso do trabalho entende? Você será muito bem vinda, se quiser se juntar a nós. - Sorria para a jovem tremere de maneira amigável, mas sem tirar completamente sua atenção da moça setita.

Mas retornava a sua atenção ao celular quando o dialogo retorna ao francês.


Última edição por Lord_Suiciniv em Ter Maio 31, 2016 1:17 am, editado 1 vez(es)
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Ter Maio 31, 2016 1:13 am

Lisandra Eckhart


“Impressão minha ou muita ingenuidade?”

Prestava atenção na conversa alheia, já que não tinha nada muito útil para dizer mesmo naquele momento.

“Talvez impressão apenas... mas vou pagar pra ver...”

Como não estava claro com quem ele estava falando, ela simplesmente fala despretensiosamente ainda em francês, já que não tinha tanto costume de praticar o idioma e estava gostando a ideia inicialmente.

- Plus ou moins. Parfois oui, mais parfois non. (Mais ou menos. As vezes sim, as vezes não..)
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Ter Maio 31, 2016 1:33 am

Oh, droga! Que saco! Até alguns minutos atrás eu estava apenas pensando em como dispensaria o Joffrey durante essa noite. Não queria passar o tempo restante até o nascer do sol ao lado do tremere mais velho, mas apenas com a Lisandra, quem tinha a minha atenção.

Diante do convite que Joffrey fez para a senhorita Delore, caso ela aceitasse, eu teria também o trabalho de dispensá-la, além do incômodo Joffrey. Não tinha interesse de conversar com a feiticeira naquela noite, apenas de encontrá-la na seguinte para iniciarmos os trabalhos de investigação. Foi essa a única razão pela qual passei a ela o meu contato telefônico e pedi o dela.

Vamos ver o que ela diz e torcer para que decline do convite feito. Não quero ter o trabalho de tentar dispensar duas pessoas. Um inconveniente (Joffrey)  já me é o suficiente.

Inclusive, caso ele quisesse ser mais inoportuno, só restava sair convidando outras pessoas que estavam pelo corredor, como a cria do príncipe que com ele conversava em local mais afastado. Não, melhor nem sequer cogitar tal hipótese, vai que para a minha total frustração ela se concretiza.
avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Black Thief em Ter Maio 31, 2016 9:15 am

Rebecca ouvia as palavras de Heinz, o mais comunicativo entre o trio e consequentemente o mais agradável, mas nem por isso talvez o mais astuto, embora certamente o mais diplomático. Ele também falava algo que Rebecca concordava totalmente, mas não deixava claro para quem especificamente ele dizia, mas como estavam em grupo certamente deveria estar falando para as duas. A conversa era para todos, e ela responde a Heinz e a todos o comentário em frances vendo a hesitação da Setita, algo muito incomum de seu clã, mas talvez fosse encenação de sua parte:

- Sim, elas sempre aparecem, mas antes é preciso enxergá-las.

E por fim torna a falar em inglês ao grupo sobre a proposta de trabalharem juntos:

- Oh monsieur, gentileza de sua parte... Trabalharmos em conjunto é algo a ser conversado. É importante findarmos estes problemas antes que sejamos os próximos da lista.

Assim ela anota o número de telefone de Heinz e por fim repassa o seu para ele e continua a falar:

- Também pode me encontrar na capela.

Assim, Joffrey evidenciava que não falara francês e tão logo Rebecca percebera, tratou de dizer:

- Oh... pardon Monsieur Mendonça e obrigada ao convite mas tenho assuntos a tratar com o Príncipe Jorg ainda e algumas providencias a tomar antes do nascer do sol.

E realmente tinha, queria perguntar sobre o criador comprovado de O'Brian, já que o Príncipe possuia essa informação, ou ao menos a confirmação do mesmo que ele era de fato um Ventrue, e também saber se deveria atuar com Xerifes, Delegados e Algozes, da mesma forma não tinha concordo que iriam trabalhar juntos, disse apenas que era algo a ser conversado.

- Mas divirtam-se por mim, na próxima noite poderemos conversar em um local apropriado que posso providenciar, longe dos olhos e ouvidos curiosos que o Elísio possui.

E aguardava a resposta.

_________________
avatar
Black Thief

Data de inscrição : 11/02/2011
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Ter Maio 31, 2016 8:44 pm

Dr. Ulrich Kaminski
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]




Após ensinar o básico do básico para Natasha, permitindo apenas que ela soubesse quem era quem falando, e como comunicar na mesma frequência da escuta, o policial saiu de dentro do furgão e deixou o casal de professores sozinhos.

Kaminski pegou um headset e se sentou ao lado da sua carniçal, olhou no relógio e viu que faltavam apenas 25 minutos até o fim do prazo, o policial teria que chegar logo ao local do contrario tudo seria perdido.

Por alguns longos minutos o sistema de comunicação ficava em silencio até que quando estava faltando 5 minutos para o fim do prazo começaram as vozes.

- Aqui é o Capitão America, estou em posição, cambio. - A qualidade do audio não era boa, mas pelo menos dava identificar o que estava sendo falado.
- Aqui é o Homem de Ferro, estou em posição,cambio.
- Aqui é o Doutor, estou chegando, já consigo ver o campo de tenis, cambio - O visor dessa voz indicava que era o policial amigo de Natasha quem falava, ele tinha 3 minutos para se posicionar.
- Aqui é o Sherlock Holmes, estou em posição, cambio.
- Aqui é o Batman, estou em posição, cambio.
- Estou em posição, iniciando operação Sharapova, cambio.

Os comunicadores ficam em silencio por alguns segundos e então vindo do visor do Doutor, é possivel ouvir ao fundo a voz de Kaminski, recitando o que foi sido gravado no gravador apenas a alguns minutos atrás.

O policial havia saído com uma bolsa grande o suficiente para acomodar os 5 milhões em notas de 100 de maneira confortável, embora não muito organizada.

Alguns minutos se passam e nenhuma reposta é ouvida, mais uma vez é possível ouvir a gravação do professor se repetir ao fundo, e então tudo começa a ficar frenético.

- Minha posição foi descoberta, estou sob ataque, - Sons de disparos são ouvidos e segundos depois estática, provavelmente o ponto havia sido destruído.

O mesmo se repete gradativamente com os outros homens, depois de Capitão America, vem o Iron Man, em seguida Sherlock, Batman é o que consegue resistir mais tempo no fogo cruzado, mas no fim acaba virando estática também.

- Renda-se policial, já meus associados já deram cabo dos seus parceiros, você está sozinho, não tem motivo para morrer, não é você quem eu quero. - Uma voz que os professores não reconhecem é ouvida ao fundo se aproximando do único sobrevivente.

- Você acha que eu vou deixar assim, depois do que você fez? Está redondamente enganado. - Agora quem falava era o contato de Natasha, também se ouvia um disparo de arma próximo da escuta, provavelmente da arma do policia, mais dois tiros são ouvidos, e então uma risada sádica ao fundo, seguida por um disparo mais afastado, e um baque no chão, passos lentos se aproximando, e em seguida um barulho de interferência.

- Achei que eu tivesse dito que era para trazer 5 milhões, vir sozinho e não envolver a policia Ulrich, três coisas simples, você não cumpriu nenhuma... Devo assumir então que você não se importa com sua querida estudante Gaia não é mesmo? - Ouve-se um barulho novamente de algo caindo no chão e finalmente apenas estática, seja lá quem fosse, havia destruído a ultima escuta.
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Spatz em Ter Maio 31, 2016 9:55 pm

Fico feliz ao saber que a Srta. Rebecca tinha outros planos para essa noite. Um grande alívio ouvi-lá falando isso. Agora era só se afastar do Joffrey.  Para tanto um plano já havia sido formulado...

No mais a francesa nos disse que iria pensar sobre a investigação em conjunto e conversávamos sobre esse assunto amanhã. Bem, parece-me que a posição dela é prudente e razoável. Talvez eu é que estivesse sendo pouco imprudente nesse cidade, algo que eu deveria ficar mais atento.

Ao perceber que a feiticeira aguardava uma resposta, olho para ela e digo:
 
- Fico feliz de saber que a senhorita considerará nossa proposta e pensará sobre o assunto. Amanhã então nos reunimos para falar sobre isso. Mas, faço questão de repetir o que disse antes: tenho certeza que, caso aceite, a sua presença tratá uma contribuição imensurável a essa empreitada, especialmente em razão das notórias capacidades e habilidades do clã que faz parte. Desejo-lhe uma excelente noite, Senhorita Delore.

Caso nenhum dos meus colegas continue a conversar com a tremere, assim que ela sair para resolver as suas pendências, viro-me para Lisandra e Joffrey e digo:

- Vamos seguir para o Elísio como combinado?

Após um curto período digo:

- Bem, percebo que estamos em dois carros, o de Joffrey que gentilmente me trouxe de carona até aqui, e o de Lisandra, que disse que também estava de carro lá na sala de reunião.

- Joffrey, para não deixarmos a moça ir dirigindo sozinha, você se incomoda seu eu acompanhá-la no carro dela carro? Como ambos os carros, o seu e o dela, vão diretamente para o Elísio, nos encontramos lá em um curto período de tempo.

- O que vocês acham da ideia? -
Essa última pergunta foi claramente dirigida aos dois.


Última edição por Spatz em Qua Jun 01, 2016 10:39 am, editado 1 vez(es)
avatar
Spatz

Data de inscrição : 08/05/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Lord_Suiciniv em Ter Maio 31, 2016 10:13 pm

Liz Eckhart
PV 13/13
FdV 6/6

Vitalidade:

Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Heinz Rahner
PV 10 / 10
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]

Rebecca Delorde
PV 13 / 13
FdV 07 / 07

Vitalidade:
Escoriado......................[ ]
Machucado................-1[ ]
Ferido........................-1[ ]
Ferido Gravemente....-2[ ]
Espancado.................-2[ ]
Aleijado.....................-5[ ]
Incapacitado..................[ ]


Rebecca escreveu:- Oh... pardon Monsieur Mendonça e obrigada ao convite mas tenho assuntos a tratar com o Príncipe Jorg ainda e algumas providencias a tomar antes do nascer do sol.

Joffrey faz uma cara de desapontado pela recusa da moça, realmente queria conversar mais com ela. - Oh, compreendo, mas tudo bem senhorita. Nos vemos amanhã então. - Ele sorria mostrando os dentes para a moça. - Seria ótimo um lugar desses.

Heinz escreveu:- Joffrey, para não deixarmos a moça ir dirigindo sozinha, você se incomoda seu eu acompanhá-la no carro dela carro? Como ambos os carros, o seu e o dela, vão diretamente para o Elísio, nos encontramos lá em um curto período de tempo.

- Claro, eu já havia percebido que você não está confortável com meus habitos ao volante, não o culpo, poucos estão, mas eu prefiro dirigir com segurança mesmo, sabe o que dizem sobre a lebre e a tartaruga. - Ele ri um pouco - E isso também dará mais oportunidade para que vocês se conheçam melhor - Ele da uma leve piscadela para Heinz [/color]
avatar
Lord_Suiciniv

Data de inscrição : 17/10/2011
Idade : 22
Localização : Minha casa...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Colecionador em Ter Maio 31, 2016 10:14 pm

O choque de ouvir sobre ela é temporário. Abro os olhos e um pânico temporário enche meu sistema. O sentimento que segue a percepção das implicações é ainda maior. Meu coração se contorce como um animal morrendo, se arrastando pelo meu peito. Como um frio espéculo, um enjoo súbito me atinge o estômago e me sinto caindo no escuro. Eu preciso mesmo dela e ela precisa de um amigo para ajuda-la a enganar seu destino.

Agora um alinhamento mental é mais importante. O veneno nascido da culpa me matava por dentro. Para um indivíduo que planejava abraçar o mundo, se enxergar naquele cenário não era nada contemplativo. Qual teria sido meu crime? Eu tento pescar no redemoinho de águas escuras da minha mente, o peixe da sabedoria. A percepção fria e contorcida da minha mente, nada revela.

O constrangimento esquenta meu rosto, mas é melhor relaxar e começar a usar o que sobrou da minha mente. Sou um vampiro submerso. Escondido, sufocado pela escuridão, um gatinho em um saco amarrado... Cansado demais para reagir, eu me alimento na teta inchada da desesperança afogada. Não sei se foi tudo um sonho, se eu sou eu ou se minha mente me anda pregando peças constantemente.

Eu sou presa de uma entropia não convidada, mas real e nesse momento acredito que posso deixar tudo para trás, deixar como estar e primeiramente sair dali com todas aquelas sensações. Expelido... Jogado explosivamente para dentro de um mundo trêmulo, temporário. Não sou mais que uma ideia de vida... Um entusiasmo frenético de ser, debatendo-se para sobreviver à noite. Um fragmento egoísta de consciência, forçado pela crueldade primitiva a nadar em um espaço ansioso.

Alguma coisa negra e faminta aninha-se em minhas entranhas. É preciso vitae para acalmar o tumulto dentro de mim. Uma claustrofobia familiar me acolhe. Saio daquele furgão, Natasha me acompanha até o meu quarto, silencio pairava no ar. O suspense era quase tangível. Minha vergonha se misturava com raiva e eu que fora chamado de homem de gelo, agora mostrava a face do desassossego.

- Natasha, você está livre. Pode ir para casa. A missão falhou miseravelmente. Tome cuidado, mas se quiser, podes ficar. Irei tomar um banho.

O chuveiro era uma desculpa para pensar e descobrir quem poderia estar por trás disso. A verdade é que certamente ele fará contato novamente. Suponho que se trata de um de nós. Um filho de Caim como eu. Um suposto irmão. Gaia já me salvou uma vez e agora eu preciso retribuir se não for tarde demais. Todavia não posso me expor. Não vale a pena trocar um cadáver por outro por mais que isso me doa e agite minhas veias.

Vejamos o que eu tenho à disposição... Mídia, recursos financeiros e principalmente eu tenho minha mente. Hora de botar ela para funcionar. Saio do banho, visto meu melhor terno e começo o que será meu plano de contra ataque. Com o celular em mãos e um computador à frente faço uma busca sobre o terreno do massacre e busco em alguns noticiários uma possível investigação no local supondo que a polícia já deve ter descoberto alguma coisa com o desaparecimento dos policiais. Irei imprimir tudo que for relevante.
Em seguida me lançarei aos corredores lotados da universidade. Com sorte consigo encontrar algum jornalista tentando marcar uma exclusiva. Darei a ele uma boa oportunidade de merecer uma reportagem exclusiva.

Meu último passo será ligar para tantos detetives o quanto for possível e iniciar uma operação de inteligência, aliado a alguma base de mercenários. Tudo isso pesquisado e contatado pelo computador. Seja lá quem esteja contra mim, esteja muito bem preparado para receber um exército contra si. E quando eu pegá-los é bom que saibam abraçar a dor que irei infligir.
avatar
Colecionador

Data de inscrição : 21/10/2014

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Askalians em Qua Jun 01, 2016 1:51 am

Lisandra Eckhart


Se despede da garora Rebecca com um aceno e vira-se para Heinz.

- Vamos então.

Acaba saindo do local junto com Heinz em direção onde seu carro estava parado, à porta do local da festa. Achou nada mais do que o ideal Heinz ir com ela e Joffrey ir com Rebecca.

"Eu hein..."

Percebeu o comentário duplo sentido do tal Joffrey e também uma piscadinha. Como estava mais tanquila não iria esboçar nenhum tipo de reação, mas gosta quando seus encantos produzem bons resultados então Para deixar Joffrey com "invejinha" ela dá o braço para Heinz, como que se grudasse nele.

- Meu carro está logo aqui... vamos...

E deu uma piscadinha para provocar Joffrey sem que Heinz percebesse.

"Vejamos que surpresas essa noite aguarda..."
avatar
Askalians

Data de inscrição : 21/02/2016
Idade : 32
Localização : between life and death

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: New York by Night - Xadrez de Sangue

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 16 Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 10 ... 16  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum