Arnald Bradley - Ventrue - Camarilla

Ir em baixo

Arnald Bradley - Ventrue - Camarilla

Mensagem por Arcebispo Altobello em Sex Jul 17, 2015 10:52 pm

1. Dados
Nome: Undead King
Personagem: Arnald Bradley
Clã: Ventrue
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Bon Vivant
Geração: 10ª
Refúgio: 
Conceito: Socialite

Saldo de XP: 0/0

2. Atributos 
Físicos 3
- Força: 2
- Destreza: 2
- Vigor: 3 (-5PB)

Sociais 7
- Carisma: 3
- Manipulação: 4 (Convincente)
- Aparência: 3

Mentais 5
- Percepção: 3
- Inteligência: 3
- Raciocínio: 2

3. Habilidades 
Talentos 13
- Prontidão:
- Esportes:
- Briga: 2
- Esquiva: 2
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 2
- Liderança: 3
- Manha: 2
- Lábia: 3 (-2PB)

Perícias 9
- Empatia c/ Animais: 
- Ofícios: 
- Condução: 1
- Etiqueta: 2
- Armas de Fogo: 3
- Armas Brancas:
- Performance: 
- Segurança:
- Furtividade: 1
- Sobrevivência: 2

Conhecimentos 5
- Acadêmicos:
- Computador: 1
- Finanças: 2
- Investigação: 1 
- Direito:
- Linguística:
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências: 

4. Vantagens
Antecedentes 
Geração: 3
Recursos: 2 

Disciplinas
Dominação: 2 (-7PB)
Presença: 1
Fortitude: 1

 5. Virtudes 
Virtudes 
- Consciência: 3
- Autocontrole: 3
- Coragem: 4

Humanidade: 6

Força de Vontade: 6 (-2PB)

Qualidades e Defeitos
Qualidade:
- Voz Encantadora (-2PB)

Defeitos:
Desgraça para o Sangue (+3PB)

6. Prelúdio
Prelúdio:
"Eu nasci em 1920, em uma família rica dos EUA, em NY. Meus pais eram donos de uma fábrica que armamentos bélicos, que nos dias de hoje não existe mais. Meu pai sempre me criou para tomar conta dos negócios da família, mas eu era um moleque. Apesar de aprender como gerenciar um negocio vivia arrumando briga nas ruas e me jogando na farra,e isso me rendia boas porradas de meus pais. Com o tempo, fui percebendo que era mais fácil manipular idiotas para brigarem para mim,e descobri que era um talento natural meu manipular. Eu tinha um poder. O de dar ordens. E havia algo no meu falar. Qualquer coisa que eu falasse, os meus "capangas" faziam. O meu desejo era uma vontade divina. Eu caí na farra da boa vida. Com a chegada da guerra,a empresa do meus pais estava tendo uma grande movimentação,e isso fez com que eles parassem de prestar atenção no que eu fazia,e assim eu comecei minha queda no submundo. Me envolvi com a máfia,fiquei devendo uma grana preta pra eles,que não pude pagar. Tive que sair da cidade em 1942,pois eles ja tinha matado meus parceiros. De socialite para um vagabundo qualquer. Não avisei meus pais pois não queria envolve-los.Sem muita saída,me alistei no exército e fui pra guerra onde passei momentos de terror, vendo amigos que eu fiz morrerem na minha frente. Em vez disso me deprimir fez com que eu tivesse mais vontade de lutar.No fim,sobrevivi e voltei. Quando cheguei em NY,descobri que meus pais tinham sido assassinados,a fábrica foi fechada e parecia que tinha sido culpa de uma máfia local. Enfim,hoje eu não tenho raiva de mafiosos,mas na época,jurei vingança. Comecei a segui-los. Eu os espionava, esperando a hora certa de atacar. Até que uma noite,estava seguindo um grupo de mafiosos com algum tipo de carregamento. Vi que eles venderam um monte de armas para uns caras estranhos,e resolvi seguir eles. De repente,me vi no meio de um tiroteio intenso. Eles começaram a atirar contra um grupo de homens que revidou. Mas os dois grupos não pareciam normais. Eles ja tinham levado duzias de tiros e continuavam de pé,além de serem mais rápidos e fortes do que qualquer humano.Eu fui atingido em meio aquela insanidade,e esperei que a morte viesse. Nao me lembro do meu abraço,mais acordei sem nenhum machucado. Um dos homens daquele tiroteio veio conversar comigo. Eu me sentia estranho, mas de uma forma boa. Perguntei o que aconteceu, e ele me explicou.Seu nome era Eduard, um vampiro da 8 geração, apesar da pouca idade:80 anos.Ele falou sobre os vampiros e disse que agora eu era um. Falou sobre os clãs,os seres ocultos e explicou o que era a Camarilla e o Sabá. Nós fomos vivendo nossas não-vidas enquanto ele me ensinava. Perguntei o porque dele me abraçar,e ele disse que me viu espionando e foi averiguar. Falou que eu o lembrava quando mais jovem,estava me analisando mas teve que pensar rápido quando me viu agonizando.Ele abandonou -me quando descobriu meu status e morreu 1 mês depois. Ele não tinha me apresentado ao príncipe,então tive de faze-lo sozinho.Apesar da sorte dele me aceitar,sai da cidade e resolvi curtir a vida até poucos meses atrás.Percebi como a maioria dos Ventrue tinha uma posição de respeito.Eu sempre adorei farra mas pensei em meio aquilo tudo: "é isso que eu quero? Vagabundear e ser um Zé ninguém?Não.".Queria poder. Pensei na minha vida inteira e percebi os pequenos detalhes.Eu tinha nascido pra comandar,e tinha desperdiçado minhas chances.Eu nasci na alta sociedade e decai.Então resolvi dar um tempo nas baladas e ascender para onde sempre foi meu lugar,mostrando o contrário aos idiotas que riram de mim: o topo. Como um verdadeiro Ventrue. Usei minha Dominação que,apesar de fraca,fez com que umas pessoas "contribuíssem" com minha conta.Meu objetivo está longe. É um bom desafio."

7. Banco de Dados

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 24
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum