Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Ir em baixo

Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Ter Out 29, 2013 1:34 pm

1. Dados

Nome: Krauzer
Personagem: Krauzer Heinz
Clã: Brujah
Natureza: Fanático (Skinhead)
Comportamento: Durão
Geração: 9
Refúgio: Apartamento Alugado
Conceito: Boémio
Saldo de XP: 0/0


--------------------------------------------------------------------------------

2. Atributos

Físicos
- Força:4  (1+3)
- Destreza: 3 (1+2)
- Vigor: 3 (1+2)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação:3 (1+2)
- Aparência: 2 (1+1)

Mentais
- Percepção: 3 (1+2)
- Inteligência: 2 (1+1)
- Raciocínio: 3 (1+2)


--------------------------------------------------------------------------------

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão:2
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva:3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 1 (1Pb)
- Manha:
- Lábia: 1 (1Pb)

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios: 1 (1Pb)
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:2
- Armas Brancas: 2
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:1
- Sobrevivência:2

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política: 1
- Ciências:


--------------------------------------------------------------------------------

4. Vantagens


Antecedentes
Geração 4 (3Pb)
Recursos 1
Aliados 1 (Heike Wagner, membro mortal da Irmandade Ariana, líder de uma gangue Skinhead)
Contatos 1 (1Pb) (Linneu Heinz, Oficial Militar, parente do personagem) (Alguns contatos menores, em maioria membros secretos de grupos supremacistas, Neo-Nazistas e semelhantes)

Disciplinas
Potência 1
Rapidez 1
Presença 1


Virtudes
- Convicção: 3
- Autocontrole: 2
- Coragem: 5


--------------------------------------------------------------------------------

5. Virtudes

Humanidade: 5

Força de Vontade: 10 (5Pb)


--------------------------------------------------------------------------------

Qualidades e Defeitos
Vício (Adrenalina) (Defeito -3)
Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1)
Bairrismo (Defeito -2)
Inimigo (Defeito -1)
Temerário (Qualidade -3)
Código de Honra (Qualidade -2)
Sono Leve (Qualidade -2)

Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 35
- Idade total: 43
- Data de nascimento: 08/08/1970
- Aparência: Alto (1,93), porte físico avantajado (108 Kg), caucasiano, cabeça Raspada, olhos verdes, diversas tatuagens (Símbolos Nazistas, Celtas, Germânicos, Cruzes, entre outros), normalmente anda vestido com roupas militares, coturnos de cadarços brancos, calças camufladas, camiseta branca colada (para deixar mais evidente seu porte físico) e ocasionalmente um sobretudo.
- Personalidade: Distante, sempre mantendo a postura de durão e inabalável, tende a ser extremamente agressivo e cruel com aqueles que lhe desagradam, e disposto a lutar até a morte final por sua causa.  
- Fraqueza do clã: Dificuldade para controlar o frenesi

- Inventário:
.Porrete   Força +2   I
-Faca      Força +1   C
-Estaca   Força +1    I
-Soco Inglês  Força +1  B
-Pistola Leve  (Dano 4) Alcance 20, CdT 4, Pente 17+1, B
.Roupa reforçada 1, penalidade 0


Observações
- Pontos de bônus: (6 Pts Habilidades, 4 PTs Antecedentes, 5 PTs Força de Vontade)
-PS:. O nome do meu avatar é o mesmo de meu personagem, e a foto do perfil é a imagem mais próxima que consegui encontrar para representá-lo, mas é um personagem puramente fictício e as ideias e convicções do mesmo não representam em nada as do criador, antes que alguém entenda errado!
-


--------------------------------------------------------------------------------

6. Prelúdio

(Em construção)

--------------------------------------------------------------------------------

7. Banco de Dados

Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Out 30, 2013 3:18 pm

6. Prelúdio:

1. Vida Mortal: Krauzer nasceu no sul dos EUA, filho único em uma família de descendentes de alemães, seu pai era policial e sua mãe dona de casa. Enquanto o primeiro era bastante rígido e passava a maior parte do tempo fora de casa, Krauzer foi criado pela mãe (que ao longo dos anos passou a demonstrar alguns distúrbios psicológicos), Krauzer cresceu ouvindo seu pai criticando os "invasores" segundo o mesmo, e dizia ser a única linha de frente que separava a "nós" deles (Krauzer não entendia muito bem quem o que seu pai falava, provavelmente de bandidos, e o "nós" provavelmente se referia a ele próprio, seu pai e sua mãe...), eles viviam em boas condições nesta epoca, o que lhe possibilitou uma boa educação em sua infância, e apesar da distância de seu pai e sua mãe, Krauzer se sentia feliz.
  Tudo isso muda, no ano de 1980, quando Krauzer tinha cerca de 10 anos de idade, seu pai é morto em uma troca de tiros com um grupo de vândalos. Foi um choque muito forte para o garoto e sua mãe (cujos problemas psicológicos foram aumentando ao longo dos anos), ambos puderam manter seu padrão de vida graças á herança do agora falecido chefe da família, mas a vida de ambos nunca mais seria a mesma. Krauser se torna cada vez mais distante e introvertido, e sua mãe é diagnosticada com Esquizofrenia, e ocasionalmente balbuciava estranhas palavras sobre assuntos que ele não entendia... até que quando completa 12 anos, sua mãe (no auge de sua loucura) lhe revela uma caixa que seu pai escondia á sete chaves, nela, Krauzer descobre que seu avô havia lutado na segunda guerra, ao lado dos Nazistas, e pertencido á SS. Ao fim da guerra, ele e sua família tiveram de fugir da Alemanha, refugiando-se nos EUA, onde mantiveram seu legado, casando seus filhos apenas com outras famílias de "sangue puro". Além disso haviam livros e cartas que falavam sobre conspirações e teorias de que os Judeus pretendiam dominar o mundo, sobre uma raça suprema, uma espécie de religião pagã chamada Gnose Hiperbórea, e muitas outras informações que perturbaram bastante a mente do jovem Krauzer.
 Ao final de sua adolescência sua mãe acabou tendo de ser internada em um manicômio, e Krauzer viveu por alguns anos com seus parentes distantes, aprofundando-se no conhecimento das teorias Nazistas, no Darwinismo Social, e pureza racial. Ao atingir a maioridade, Heinz se alistou nas forças militares, porém, em um incidente durante seu treinamento, onde numa discussão com um afro-descendente ambos acabam se envolvendo em uma luta física que termina na morte do outro recruta com uma faca em seu olho esquerdo, Krauzer termina preso. Na cadeia ele teve seu primeiro contato com a Irmandade Ariana, fez diversas tatuagens e raspou sua cabeça para honrar sua filosofia, se envolveu em diversas brigas dentro da prisão. Mais de 10 anos depois, Krauzer termina sua pena, agora muito diferente do rapaz que era quando entrou na prisão! Heinz ainda contava com a herança de seu pai, porém doou boa parte de seu dinheiro para a causa dos Neo Nazistas, nesta epoca visitava ocasionalmente sua mãe no sanatório, mas fez diversos contatos em seus últimos anos de vida, quando seu fanatismo chegou ao auge, e juntamente com outros Boneheads, saía toda noite para espancar negros, judeus, punks, vândalos, homossexuais, usuários de drogas e bater de frente com os Panteras Negras.

2. O Abraço: Em sua última noite de vida, ele e seu bando decidiram invadir uma Rave e rachar alguns crânios, porém, por ironia do destino, acabaram enfrentando uma gangue que massacrou seu grupo, Heinz se lembra pouco desta noite, apenas que seu oponente possuia um visual bastante peculiar, seu rosto era completamente coberto de tatuagens, piercings, e de sua cabeça saiam protuberâncias parecidas com chifres (catéters?!, penou Heinz), seu inimigo parecia ignorar a maior parte de seus golpes, inclusive seu potente cruzado de direita com soco inglês que já deslocou dezenas de mandíbulas, apenas fez com que o estranho sujeito parecesse levemente ferido, e em segundos, segurou a parte inferior da mandíbula, e colocou-a no lugar instantaneamente, antes de quebrar o braço de Krauser, erguê-lo pelo pescoço e enterrar as presas em sua jugular. Heinz sentia sua vida deixando-o, apesar de uma estranha sensação anestesica e embriagante, ele não se lembra com muitos detalhes do que ocorreu depois, apenas que dois ou três indivíduos se envolveram na luta e expulsaram seus inimigos. Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes e tomou uma ação inseperada, rasgando o pulso com os dentes, e deixando o líquido escorrer em seu rosto. "Estou tendo um delírio antes da morte" pensou, enquanto algumas gotas passavam por seus lábios, e lhe proporcionaram uma sensação indescritível...

3. A Não Vida: Inicialmente foi um pouco difícil entender no que havia se tornado, mas após uma rápida explicação de seu "criador" ele conseguiu encontrar seu lugar (pelo menos superficialmente) Ele mantém alguns de seus antigos companheiros e ainda visita sua mãe que mal o reconhece, e ainda nutre seu fanatismo, porém com outros olhos, em conjunto com outros membros com uma visão semelhante á sua, descobriu teorias de que Hitler sabia sobre os Cainitas e pretendia usá-los em experimentos para um exército perfeito, onde o sangue puro dos arianos seria imortalizado, fortalecendo ainda mais a raça suprema, enquanto as raças "inferiores" seriam seus escravos e alimento. Curiosamente ele desenvolveu mais laços com alguns Anciões Brujah mais conservadores, em detrimento a seus colegas Neófitos, que a seu ver parecem mais um bando de revoltados que mal sabe por que lutar. Também não nutre amores pelos Anarquistas que aceitam qualquer membro em seu meio e parecem ter prazer em sujar e destruírem tudo o que tocam,  mas seu ódio é visado aos demônios do Sabá, principalmente áquele verme que quase o matou...
  Apesar de não morrer de amores pelos Ventrue, ou qualquer outro Clã da Camarilla, ele reconhece que a seita pode ajuda-lo em seus objetivos, e atualmente deseja em fazer parte da força militar da seita, principalmente como Xerife ou Algoz, e limpar as ruas de toda a escória!


* Errata, nas habilidades: liderança, lábia e ofícios, foram gastos 6 pontos de bônus (2 pontos para cada ponto) mas eu me enganei e escrevi 1 ponto! Eu iria arrumar, mas por alguma razão não estou conseguindo mais editar minha postagem!


Última edição por Krauzer Heinz em Qua Out 30, 2013 6:34 pm, editado 5 vez(es)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Ury Wayne em Qua Out 30, 2013 4:32 pm

Olá Krauzer, seja bem-vindo! Serei seu avaliador.
Recomenda-se, antes da criação da personagem, a leitura dos seguintes tópicos:

http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/t2375-regras-de-criacao-de-personagem

http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/t3474-modelo-de-criacao-de-ficha-instrutivo

http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/t136-criacao-de-ficha

Após a adequação e término de sua ficha iniciaremos a avaliação!

Ury!
avatar
Ury Wayne

Data de inscrição : 27/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Sex Nov 01, 2013 7:22 pm

1. Dados

Nome: Krauzer
Personagem: Krauzer Heinz
Clã: Brujah
Natureza: Fanático (Skinhead)
Comportamento: Durão
Geração: 9
Refúgio: Apartamento Alugado
Conceito: Boémio
Saldo de XP: 0/0


--------------------------------------------------------------------------------

2. Atributos

Físicos
- Força:4 (1+3)
- Destreza: 3 (1+2)
- Vigor: 3 (1+2)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação:3 (1+2)
- Aparência: 2 (1+1)

Mentais
- Percepção: 3 (1+2)
- Inteligência: 2 (1+1)
- Raciocínio: 3 (1+2)


--------------------------------------------------------------------------------

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão:2
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva:3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 1 (2Pb)
- Manha:
- Lábia: 1 (2Pb)

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios: 1 (2Pb)
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:2
- Armas Brancas: 2
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:1
- Sobrevivência:2

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política: 1
- Ciências:


--------------------------------------------------------------------------------

4. Vantagens


Antecedentes
Geração 4 (3Pb)
Recursos 1
Aliados 1 (Heike Wagner, membro mortal da Irmandade Ariana, líder de uma gangue Skinhead)
Contatos 1 (1Pb) (Linneu Heinz, Oficial Militar, parente do personagem) (Alguns contatos menores, em maioria membros secretos de grupos supremacistas, Neo-Nazistas e semelhantes)

Disciplinas
Potência 1
Rapidez 1
Presença 1


Virtudes
- Convicção: 3
- Autocontrole: 2
- Coragem: 5


--------------------------------------------------------------------------------

5. Virtudes

Humanidade: 5

Força de Vontade: 10 (5Pb)


--------------------------------------------------------------------------------

Qualidades e Defeitos
-Vício (Adrenalina) (Defeito -3) (Talvez devido ás circunstâncias de sua morte, ou mesmo seu antigo modo de vida mortal, sempre que você ingere grandes quantidades deste hormônio, você se sente mais "vivo", e com o tempo acabou viciando-se nele, por isso, sempre que tem a oportunidade, procura estressar, assustar, agredir ou qualquer outro tipo de atitude que aumente a produção de adrenalina da vítima que está prestes a se alimentar, uma "overdose" deste hormônio pode acarretar o aumento de 1 de dificuldade nos testes relacionados a Frenesi durante a noite)
-Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1) (Se alimentar destes o fará entrar automaticamente em Frenesi, com dificuldade 7 para evitar perda de humanidade, ver um vampiro se alimentando destes também pode provocar um teste de frenesi, de dificuldade menor e sem a perda de humanidade envolvida)
-Bairrismo (Defeito -2) (Vê o bairro onde mora como sua propriedade, qualquer vampiro não-ariano que adentre o território sem ser convidado ou sem uma boa justificativa será recebido de forma hostíl, Teste de Frenesi)
-Inimigo (Defeito -1) (O membro Sabá que quase o matou em sua última noite de vida, possui poder equivalente ao do personagem)
-Temerário (Qualidade -3) (Durante uma ação particularmente difícil, de dificuldade pelo menos 8, acrescentam-se 3 dados adicionais na jogada, e despreza-se um resultado de falha crítica)
-Código de Honra (Qualidade -2) (Nunca ferir membros da raça pura, nacionalistas e simpatizantes, sempre defendê-los quando necessário, nunca abraçar membros de "raças inferiores" ou imigrantes, sempre defender sua causa acima de tudo) 2 dados adicionais de Força de Vontade e Virtude quando agir de acordo com seu código, ou evitar ações que o forcem a violar o código
-Sono Leve (Qualidade -2) (Consegue acordar instantaneamente ao menor sinal de perigo, sem nenhuma preguiça ou hesitação, ignora regras relacionadas á quantos dados pode usar durante o dia por Humanidade)

Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 35
- Idade total: 43
- Data de nascimento: 08/08/1970
- Aparência: Alto (1,93), porte físico avantajado (108 Kg), caucasiano, cabeça Raspada, olhos verdes, diversas tatuagens (Símbolos Nazistas, Celtas, Germânicos, Cruzes, entre outros), normalmente anda vestido com roupas militares, coturnos de cadarços brancos, calças camufladas, camiseta branca colada (para deixar mais evidente seu porte físico) e ocasionalmente um sobretudo.
- Personalidade: Distante, sempre mantendo a postura de durão e inabalável, tende a ser extremamente agressivo e cruel com aqueles que lhe desagradam, e disposto a lutar até a morte final por sua causa.
- Fraqueza do clã: Dificuldade para controlar o frenesi

- Inventário:
.Porrete Força +2 I
-Faca Força +1 C
-Estaca Força +1 I
-Soco Inglês Força +1 B
-Pistola Leve (Dano 4) Alcance 20, CdT 4, Pente 17+1, B
.Roupa reforçada 1, penalidade 0
-Moto BMW S1000RR
-Celular


Observações
- Pontos de bônus: (6 Pts Habilidades, 4 PTs Antecedentes, 5 PTs Força de Vontade)

6. Prelúdio:

1. Vida Mortal: Krauzer nasceu no sul dos EUA, filho único em uma família de descendentes de alemães, seu pai era policial e sua mãe dona de casa. Enquanto o primeiro era bastante rígido e passava a maior parte do tempo fora de casa, Krauzer foi criado pela mãe (que ao longo dos anos passou a demonstrar alguns distúrbios psicológicos), Heinz cresceu ouvindo seu pai criticando os "invasores" segundo o mesmo, e dizia ser a única linha de frente que separava a "nós" deles (Krauzer não entendia muito bem quem o que seu pai falava, provavelmente de bandidos, e o "nós" provavelmente se referia a ele próprio, seu pai e sua mãe...), eles viviam em boas condições nesta época, o que lhe possibilitou uma boa educação em sua infância, e apesar da distância de seu pai e sua mãe, Krauzer se sentia feliz.
Tudo isso muda, no ano de 1980, quando Heinz tinha cerca de 10 anos de idade, seu pai é morto em uma troca de tiros com um grupo de bandidos. Foi um choque muito forte para o garoto e sua mãe (cujos problemas psicológicos foram aumentando ao longo dos anos), ambos puderam manter seu padrão de vida graças á herança do agora falecido chefe da família, mas a vida de ambos nunca mais seria a mesma. Krauser se torna cada vez mais distante e introvertido, e sua mãe é diagnosticada com Esquizofrenia, e ocasionalmente balbuciava estranhas palavras sobre assuntos que ele não entendia... até que quando completa 12 anos, sua mãe (no auge de sua loucura) lhe revela uma caixa que seu pai escondia á sete chaves, nela, Krauzer descobre que seu avô havia lutado na segunda guerra, ao lado dos Nazistas, e pertencido á SS. Ao fim da guerra, ele e sua família tiveram de fugir da Alemanha, refugiando-se nos EUA, onde mantiveram seu legado, casando seus filhos apenas com outras famílias de "sangue puro". Além disso haviam livros e cartas que falavam sobre conspirações e teorias de que os Judeus pretendiam dominar o mundo, sobre uma raça suprema, uma espécie de religião pagã chamada Gnose Hiperbórea (que pregava que a raça ariana descendia de Cain, enquanto os Judeus e demais povos "inferiores" de Abel), e muitas outras informações que perturbaram bastante a mente do jovem Krauzer.
Ao final de sua adolescência sua mãe acabou tendo de ser internada em um manicômio, e Heinz viveu por alguns anos com seus parentes distantes, aprofundando-se no conhecimento das teorias Nazistas, no Darwinismo Social, e pureza racial. Ao atingir a maioridade, ele se alistou nas forças militares, porém, em um incidente durante seu treinamento, onde numa discussão com um afro-descendente ambos acabam se envolvendo em uma luta física que termina na morte do outro recruta com uma faca em seu olho esquerdo, Krauzer termina preso. Na cadeia ele teve seu primeiro contato com a Irmandade Ariana, fez diversas tatuagens e raspou sua cabeça para honrar sua filosofia, se envolveu em diversas brigas dentro da prisão. Mais de 10 anos depois, Krauzer termina sua pena, agora muito diferente do rapaz que era quando entrou na prisão! Heinz ainda contava com a herança de seu pai, porém doou boa parte de seu dinheiro para a causa dos Neo Nazistas, nesta época visitava ocasionalmente sua mãe no sanatório, mas fez diversos contatos em seus últimos anos de vida, quando seu fanatismo chegou ao auge, e juntamente com outros Boneheads, saía toda noite para espancar negros, judeus, punks, vândalos, homossexuais, usuários de drogas e bater de frente com os Panteras Negras.

2. O Abraço: Em sua última noite de vida, ele e seu bando decidiram invadir uma Rave e rachar alguns crânios, porém, por ironia do destino, acabaram enfrentando uma estranha gangue que massacrou seu grupo, Heinz se lembra pouco desta noite, apenas que seu oponente possuía um visual bastante peculiar, seu rosto era completamente coberto de tatuagens, piercings, e de sua cabeça saiam protuberâncias parecidas com chifres (catéteres?!, penou Heinz), seu inimigo parecia ignorar a maior parte de seus golpes, inclusive seu potente cruzado de direita com soco inglês que já deslocou dezenas de mandíbulas, apenas fez com que o estranho sujeito parecesse levemente ferido, e em segundos, segurou a parte inferior da mandíbula, e colocou-a no lugar instantaneamente, antes de quebrar o braço de Krauser, erguê-lo pelo pescoço e enterrar as presas em sua jugular. Heinz sentia sua vida deixando-o, apesar de uma estranha sensação anestésica e embriagante, ele não se lembra com muitos detalhes do que ocorreu depois, apenas que dois ou três indivíduos se envolveram na luta e expulsaram seus inimigos. Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes e tomou uma ação inesperada, rasgando o pulso com os dentes, e deixando o líquido escorrer em seu rosto. "Estou tendo um delírio antes da morte" pensou, enquanto algumas gotas passavam por seus lábios, e lhe proporcionaram uma sensação indescritível...

3. A Não Vida: Inicialmente foi um pouco difícil entender no que havia se tornado, mas após uma rápida explicação de seu "criador" ele conseguiu encontrar seu lugar (pelo menos superficialmente) Ele mantém alguns de seus antigos companheiros e ainda visita sua mãe que mal o reconhece, e ainda nutre seu fanatismo, porém com outros olhos, em conjunto com outros membros com uma visão semelhante á sua, descobriu teorias de que Hitler sabia sobre os Cainitas e pretendia usá-los em experimentos para um exército perfeito, onde o sangue puro dos arianos seria imortalizado, fortalecendo ainda mais a raça suprema, enquanto as raças "inferiores" seriam seus escravos e alimento, agora, mais do que nunca ele sabia em qual guerra estava envolvido, ele era um Cainita, um Ariano, um descendente de Cain em todos os sentidos, e sua missão nesta terra era continuar seu legado contra os filhos de Abel. Curiosamente ele desenvolveu mais laços com alguns Anciões Brujah mais conservadores, em detrimento a seus colegas Neófitos, que a seu ver parecem mais um bando de revoltados que lutam por péssimas causas. Também não nutre amores pelos Anarquistas que aceitam qualquer membro em seu meio e parecem ter prazer em sujar e destruírem tudo o que tocam, mas seu ódio é visado principalmente aos demônios do Sabá, especialmente aquele verme que quase o matou...
Apesar de não nutrir nenhuma espécie de afeto pelos Ventrue, ou qualquer outro Clã da Camarilla, ele reconhece que a seita pode ajuda-lo em seus objetivos, e atualmente deseja fazer parte da força militar da seita, principalmente como Xerife ou Algoz, e limpar as ruas de toda a escória!


7. Banco de Dados

Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Ury Wayne em Qua Nov 06, 2013 8:09 pm

1- Coloque uma especialização em força.

2- Como sua personagem conseguiu seus atributos físicos?

3- Sua personagem foi abraçada por um vampiro de 8ª geração, Camarilla, sem obedecer às tradições? Sem motivos?

4- O limite inicial para Força de Vontade é o nível 8.

5-
- Prontidão:2
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva:3
- Armas Brancas: 2
Isso não está explicado no prelúdio, por que ele é o Chuck Noris mesmo?

6- -
Vício (Adrenalina) (Defeito -3) (Talvez devido ás circunstâncias de sua morte, ou mesmo seu antigo modo de vida mortal, sempre que você ingere grandes quantidades deste hormônio, você se sente mais "vivo", e com o tempo acabou viciando-se nele, por isso, sempre que tem a oportunidade, procura estressar, assustar, agredir ou qualquer outro tipo de atitude que aumente a produção de adrenalina da vítima que está prestes a se alimentar, uma "overdose" deste hormônio pode acarretar o aumento de 1 de dificuldade nos testes relacionados a Frenesi durante a noite)
-Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1) (Se alimentar destes o fará entrar automaticamente em Frenesi, com dificuldade 7 para evitar perda de humanidade, ver um vampiro se alimentando destes também pode provocar um teste de frenesi, de dificuldade menor e sem a perda de humanidade envolvida)
-Bairrismo (Defeito -2) (Vê o bairro onde mora como sua propriedade, qualquer vampiro não-ariano que adentre o território sem ser convidado ou sem uma boa justificativa será recebido de forma hostíl, Teste de Frenesi)
-Inimigo (Defeito -1) (O membro Sabá que quase o matou em sua última noite de vida, possui poder equivalente ao do personagem)
Por gentileza, tenta explicar seus defeitos no prelúdio, descrevendo a maneira como esses afetam sua personagem (mais ou menos do jeito que está ai, incorpora-o à historia da personagem), explica, ainda, a razão de possuí-los. Por exemplo, o defeito "inimigo", não sabemos como essa inimizade afeta sua personagem. Quem é seu inimigo? Ele e sua personagem convivem?

7- Dá uma olhada na lista de armamento e confere com teu inventário, sob o critério da limitação de seu recurso.
avatar
Ury Wayne

Data de inscrição : 27/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qui Nov 07, 2013 10:15 am

1. Dados

Nome: Krauzer
Personagem: Krauzer Heinz
Clã: Brujah
Natureza: Fanático (Skinhead)
Comportamento: Durão
Geração: 10
Refúgio: Apartamento Proprio
Conceito: Soldado
Saldo de XP: 0/0


--------------------------------------------------------------------------------

2. Atributos

Físicos
- Força:4 (1+3) {Punhos de Ferro}
- Destreza: 3 (1+2)
- Vigor: 3 (1+2)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação:3 (1+2)
- Aparência: 2 (1+1)

Mentais
- Percepção: 3 (1+2)
- Inteligência: 2 (1+1)
- Raciocínio: 3 (1+2)


--------------------------------------------------------------------------------

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão:3 (2Pb)
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva:3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 1 (2Pb)
- Manha:
- Lábia: 1 (2Pb)

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios: 1 (2Pb)
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:2
- Armas Brancas: 2
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:1
- Sobrevivência:2

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política: 1
- Ciências:


--------------------------------------------------------------------------------

4. Vantagens


Antecedentes
Geração 3
Recursos 3 (2PB)
Aliados 1 (Heike Wagner, membro mortal da Irmandade Ariana, líder de uma gangue Skinhead)
Contatos 1 (1Pb) (Linneu Heinz, Oficial Militar, parente do personagem) (Alguns contatos menores, em maioria membros secretos de grupos supremacistas, Neo-Nazistas e semelhantes)
Status 1 (1Pb) (Neófito pertencente da "tropa de choque" da seita, comandada pelo Xerife da cidade)

Disciplinas
Potência 1
Rapidez 1
Presença 1


Virtudes
- Convicção: 3
- Autocontrole: 2
- Coragem: 5


--------------------------------------------------------------------------------

5. Virtudes

Humanidade: 5

Força de Vontade: 8 (3Pb)


--------------------------------------------------------------------------------

Qualidades e Defeitos
-Vício (Adrenalina) (Defeito -3) (Talvez devido ás circunstâncias de sua morte, ou mesmo seu antigo modo de vida mortal, sempre que você ingere grandes quantidades deste hormônio, você se sente mais "vivo", e com o tempo acabou viciando-se nele, por isso, sempre que tem a oportunidade, procura estressar, assustar, agredir ou qualquer outro tipo de atitude que aumente a produção de adrenalina da vítima que está prestes a se alimentar, uma "overdose" deste hormônio pode acarretar o aumento de 1 de dificuldade nos testes relacionados a Frenesi durante a noite)
-Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1) (Se alimentar destes o fará entrar automaticamente em Frenesi, com dificuldade 7 para evitar perda de humanidade, ver um vampiro se alimentando destes também pode provocar um teste de frenesi, de dificuldade menor e sem a perda de humanidade envolvida)
-Bairrismo (Defeito -2) (Vê o bairro onde mora como sua propriedade, qualquer vampiro não-ariano que adentre o território sem ser convidado ou sem uma boa justificativa será recebido de forma hostíl, Teste de Frenesi)
-Inimigo (Defeito -1) (O membro Sabá que quase o matou em sua última noite de vida, possui poder equivalente ao do personagem)
-Temerário (Qualidade -3) (Durante uma ação particularmente difícil, de dificuldade pelo menos 8, acrescentam-se 3 dados adicionais na jogada, e despreza-se um resultado de falha crítica)
-Código de Honra (Qualidade -2) (Nunca ferir membros da raça pura, nacionalistas e simpatizantes, sempre defendê-los quando necessário, nunca abraçar membros de "raças inferiores" ou imigrantes, sempre defender sua causa acima de tudo) 2 dados adicionais de Força de Vontade e Virtude quando agir de acordo com seu código, ou evitar ações que o forcem a violar o código
-Sono Leve (Qualidade -2) (Consegue acordar instantaneamente ao menor sinal de perigo, sem nenhuma preguiça ou hesitação, ignora regras relacionadas á quantos dados pode usar durante o dia por Humanidade)


Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 35
- Idade total: 43
- Data de nascimento: 08/08/1970
- Aparência: Alto (1,93), porte físico avantajado (108 Kg), caucasiano, cabeça Raspada, olhos verdes, diversas tatuagens (Símbolos Nazistas, Celtas, Germânicos, Cruzes, entre outros), normalmente anda vestido com roupas militares, coturnos de cadarços brancos, calças camufladas, camiseta branca colada (para deixar mais evidente seu porte físico) e ocasionalmente um sobretudo.
- Personalidade: Distante, sempre mantendo a postura de durão e inabalável, tende a ser extremamente agressivo e cruel com aqueles que lhe desagradam, e disposto a lutar até a morte final por sua causa.
- Fraqueza do clã: Dificuldade para controlar o frenesi

- Inventário:
.Porrete Força +2 I
-Faca Força +1 C
-Estaca Força +1 I
-Soco Inglês Força +1 B
-Pistola Leve (Dano 4) Alcance 20, CdT 4, Pente 17+1, B
.Roupa reforçada 1, penalidade 0
-Moto BMW S1000RR
-Celular


Observações
- Pontos de bônus: (8 Pts Habilidades, 4 PTs Antecedentes, 3 PTs Força de Vontade)

6. Prelúdio:

1. Vida Mortal: Krauzer nasceu no sul dos EUA, filho único em uma família de descendentes de alemães, seu pai era policial e sua mãe dona de casa. Enquanto o primeiro era bastante rígido e passava a maior parte do tempo fora de casa, Krauzer foi criado pela mãe (que ao longo dos anos passou a demonstrar alguns distúrbios psicológicos), Heinz cresceu ouvindo seu pai criticando os "invasores" segundo o mesmo, e dizia ser a única linha de frente que separava a "nós" deles (Krauzer não entendia muito bem quem o que seu pai falava, provavelmente de bandidos, e o "nós" provavelmente se referia a ele próprio, seu pai e sua mãe...), eles viviam em boas condições nesta época, o que lhe possibilitou uma boa educação em sua infância, e apesar da distância de seu pai e sua mãe, Krauzer se sentia feliz.
Tudo isso muda, no ano de 1980, quando Heinz tinha cerca de 10 anos de idade, seu pai é morto em uma troca de tiros com um grupo de bandidos. Foi um choque muito forte para o garoto e sua mãe (cujos problemas psicológicos foram aumentando ao longo dos anos), ambos puderam manter seu padrão de vida graças á herança do agora falecido chefe da família, mas a vida de ambos nunca mais seria a mesma. Krauser se torna cada vez mais distante e introvertido, e sua mãe é diagnosticada com Esquizofrenia, e ocasionalmente balbuciava estranhas palavras sobre assuntos que ele não entendia... até que quando completa 12 anos, sua mãe (no auge de sua loucura) lhe revela uma caixa que seu pai escondia á sete chaves, nela, Krauzer descobre que seu avô havia lutado na segunda guerra, ao lado dos Nazistas, e pertencido á SS. Ao fim da guerra, ele e sua família tiveram de fugir da Alemanha, refugiando-se nos EUA, onde mantiveram seu legado, casando seus filhos apenas com outras famílias de "sangue puro". Além disso haviam livros e cartas que falavam sobre conspirações e teorias de que os Judeus pretendiam dominar o mundo, sobre uma raça suprema, uma espécie de religião pagã chamada Gnose Hiperbórea (que pregava que a raça ariana descendia de Cain, enquanto os Judeus e demais povos "inferiores" de Abel), e muitas outras informações que perturbaram bastante a mente do jovem Krauzer.
Ao final de sua adolescência sua mãe acabou tendo de ser internada em um manicômio, e Heinz viveu por alguns anos com seus parentes distantes, aprofundando-se no conhecimento das teorias Nazistas, no Darwinismo Social, e pureza racial. Ao atingir a maioridade, ele se alistou nas forças militares, porém, em um incidente durante seu treinamento, onde numa discussão com um afro-descendente ambos acabam se envolvendo em uma luta física que termina na morte do outro recruta com uma faca em seu olho esquerdo, Krauzer termina preso. Na cadeia ele teve seu primeiro contato com a Irmandade Ariana, fez diversas tatuagens e raspou sua cabeça para honrar sua filosofia, sua alta estatura, combinada com seu novo visual lhe passavam uma imagem imponente mesmo dentro da cadeia, ele reforça essa imagem aperfeiçoando seu físico e participando de lutas dentro da prisão, tornando-se o campeão de seus novos colegas da irmandade e conseguindo seu respeito, bem como o temor dos outros presidiarios, com o passar do tempo ele se torna uma máquina de agressão praticamente no nível de um lutador profissional peso-pesado de MMA. Mais de 10 anos depois de ser preso, Krauzer termina sua pena, agora muito diferente do rapaz que era quando entrou na prisão! Heinz ainda contava com a herança de seu pai, utilizando-o para aumentar ainda mais suas habilidades físicas (Academia e aulas de Boxe), nesta época visitava ocasionalmente sua mãe no sanatório, mas fez diversos contatos em seus últimos anos de vida, quando seu fanatismo chegou ao auge, e juntamente com outros Boneheads, saía toda noite para espancar negros, judeus, punks, vândalos, homossexuais, usuários de drogas e bater de frente com os Panteras Negras.

2. O Abraço: Em sua última noite de vida, ele e seu bando decidiram invadir uma Rave e rachar alguns crânios, porém, por ironia do destino, acabaram enfrentando uma estranha gangue que massacrou seu grupo, Heinz se lembra pouco desta noite, apenas que seu oponente possuía um visual bastante peculiar, seu rosto era completamente coberto de tatuagens, piercings, e de sua cabeça saiam protuberâncias parecidas com chifres (catéteres?!, penou Heinz), seu inimigo parecia ignorar a maior parte de seus golpes, inclusive seu potente gancho de direita com soco inglês que já deslocou dezenas de mandíbulas, apenas fez com que o estranho sujeito parecesse levemente ferido, e em segundos, segurou a parte inferior da mandíbula, e colocou-a no lugar instantaneamente, antes de quebrar o braço de Krauser, erguê-lo pelo pescoço e enterrar as presas em sua jugular. Heinz sentia sua vida deixando-o, apesar de uma estranha sensação anestésica e embriagante, ele não se lembra com muitos detalhes do que ocorreu depois, apenas que dois ou três indivíduos se envolveram na luta e expulsaram seus inimigos. Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes e tomou uma ação inesperada, rasgando o pulso com os dentes, e deixando o líquido escorrer em seu rosto. "Estou tendo um delírio antes da morte" pensou, enquanto algumas gotas passavam por seus lábios, e lhe proporcionaram uma sensação indescritível...

3. A Não Vida: Sua "iniciação" foi algo complicado, a começar que ele se viu em meio a uma quebra de tradição da Camarilla (um conceito que ele não fazia a menor ideia do significado, mas em geral ele não fazia a menor ideia de nada do que aconteceu com ele após a entrada na rave da noite anterior...), Krauser não sabia, mas a relação do Clã Brujah na Camarilla andava tensa, e este episódio poderia resultar em uma separação definitiva do clã com a seita nesta cidade (o que por tabela poderia gerar um efeito dominó, fazendo com que boa parte do clã, senão todo ele, acabasse cortando laços com a seita de uma vez por todas), após muitas discuções, intrigas e guerras de egos, o Principe da cidade entrou em um acordo com os líderes Brujah, não querendo que suas principais forças militares fossem perdidas em momentos tensos, deixando a seita a mercê dos cada vez mais numerosos inimigos. Krauzer e seu "criador" (Romualdo, um membro de origem Portuguesa) foram poupados, embora deveriam "mostrar retribuição", fazendo parte da força militar da seita. Inicialmente foi um pouco difícil entender no que havia se tornado, mas após uma rápida explicação de Romualdo e outros membros do Clã, ele conseguiu encontrar seu lugar no mundo das trevas (pelo menos superficialmente), Romualdo alega tê-lo abraçado ao testemunhar sua garra e fibra na luta contra os Sabás, mesmo sendo apenas um mortal, mas apesar disto, e do fato de ambos fazerem parte da "tropa de choque" da camarilla, eles não mantêm muito contato, e se vêem mais como membros do mesmo clã do que criador e cria. Ele mantém alguns de seus antigos companheiros e ainda visita sua mãe que mal o reconhece, e ainda nutre seu fanatismo, porém com outros olhos, em conjunto com outros membros com uma visão semelhante á sua, descobriu teorias de que Hitler sabia sobre os Cainitas e pretendia usá-los em experimentos para um exército perfeito, onde o sangue puro dos arianos seria imortalizado, fortalecendo ainda mais a raça suprema, enquanto as raças "inferiores" seriam seus escravos e alimento, agora, mais do que nunca ele sabia em qual guerra estava envolvido, ele era um Cainita, um Ariano, um descendente de Cain em todos os sentidos, e sua missão nesta terra era continuar seu legado contra os filhos de Abel. Curiosamente ele desenvolveu mais laços com alguns Anciões Brujah mais conservadores, em detrimento a seus colegas Neófitos, que a seu ver parecem mais um bando de revoltados que lutam por péssimas causas. Também não nutre amores pelos Anarquistas que aceitam qualquer membro em seu meio e parecem ter prazer em sujar e destruírem tudo o que tocam, mas seu ódio é visado principalmente aos demônios do Sabá, especialmente aquele verme que quase o matou... (Krauzer não se esqueceu da surra que levou do Tzimisce em sua última noite como mortal, e os caminhos de ambos acabaram se cruzando outras vezes em conflitos com o Sabá, culminando em uma rivalidade nada amistosa).
Apesar de não nutrir nenhuma espécie de afeto pelos Ventrue, ou qualquer outro Clã da Camarilla, ele reconhece que a seita pode ajuda-lo em seus objetivos, ele se sente a vontade participando da força militar da seita e deseja se destacar e "subir de cargo" principalmente como Xerife ou Algoz, e limpar as ruas de toda a escória!


7. Banco de Dados

Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


Última edição por Krauzer Heinz em Qui Nov 07, 2013 1:23 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Ury Wayne em Qui Nov 07, 2013 11:04 am

Por gentileza, coloca as alterações em cor destacada.
avatar
Ury Wayne

Data de inscrição : 27/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Edgard em Qua Nov 13, 2013 5:17 pm

"Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes e tomou uma ação inesperada, rasgando o pulso com os dentes, e deixando o líquido escorrer em seu rosto. "
" Romualdo alega tê-lo abraçado ao testemunhar sua garra e fibra na luta contra os Sabás, mesmo sendo apenas um mortal,"

1- No começo ficou um pouco confuso, pois disse que sua gangue brigou com uma outra e levou uma surra e um outro apareceu e te salvou. Agora pq um bando do Sabá ia correr para um só cainita (que o salvou)!?  
E pq ele estaria ali justamente esperando pra te abraçar?  Discorra sobre a atuação do seu Senhor naquela festa, ou investigando o sabá ou a ti mesmo, sei lá... mas que tenha uma ligação relevante para que vc não fosse mais um da gangue que tenha sido morto (ou deixado morrer)

2- Se liga mano, você tirou 10 anos de cadeia, foi chefe de uma gangue, é um batedor assumido da Camarilla, tem um porrete, uma faca, uma "quadrada" e uma R1, daí a pergunta: Cadê a tua manha?? manha 0 é tenso hein, gigante. Manha 2 no mínimo pra tu.

3- Conte-me mais sobre sua pontuação de FDV tão alta, semelhante aos da maioria dos Anciões.

4- Cite o seu Contato em seu prelúdio, e de que forma vc tira vantagem dele. Sendo com informações, recursos ou contatos.
avatar
Edgard

Data de inscrição : 17/09/2010
Idade : 27
Localização : João Pessoa, PB

http://www.facebook.com/junior.miranda.90475?ref=tn_tnmn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Nov 13, 2013 10:00 pm

Talvez não tenha deixado claro, na verdade, na noite em que foi abraçado, Krauzer e sua gangue foram para uma boate zonear e espancar alguns punks, usuários de drogas ou seja lá o que aparecesse, mas eles acabam trombando com essa gangue de freaks (que na verdade eram membros do Sabá fazendo a "festa" no mesmo local) eles levaram uma surra e aparentemente todos os membros Skinheads acabaram mortos, em seguida um bando de Brujahs chega e continua a briga (provavelmente atraídos pelo tumulto causado). Quando eles conseguem expulsar a gangue Sabá, percebem que um único humano ainda estava vivo, apesar de todos os seus ferimentos, o membro que abraçou Heinz olha para ele, pensando algo como: "Esse aí é dos bons", pode até ser que os outros Brujahs tenham o advertido, talvez tenha até ocorrido uma rápida discussão sobre ele abraçar o moribundo ou não, mas como Krauzer estava mais morto do que vivo, praticamente alucinando neste momento, ele mal percebe o que ocorria á sua volta.

Quanto ao resto, irei arrumar e postar novamente a ficha!


Última edição por Krauzer Heinz em Qua Nov 13, 2013 10:27 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Nov 13, 2013 10:18 pm

1. Dados

Nome: Krauzer
Personagem: Krauzer Heinz
Clã: Brujah
Natureza: Fanático (Skinhead)
Comportamento: Durão
Geração: 10
Refúgio: Apartamento Proprio
Conceito: Soldado
Saldo de XP: 0/0


--------------------------------------------------------------------------------

2. Atributos

Físicos
- Força:4 (1+3) {Punhos de Ferro}
- Destreza: 3 (1+2)
- Vigor: 3 (1+2)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação:3 (1+2)
- Aparência: 2 (1+1)

Mentais
- Percepção: 3 (1+2)
- Inteligência: 2 (1+1)
- Raciocínio: 3 (1+2)


--------------------------------------------------------------------------------

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão:3 (2Pb)
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva:3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 1 (2Pb)
- Manha: 2 (4Pb)
- Lábia: 1 (2Pb)

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios: 1 (2Pb)
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:2
- Armas Brancas: 2
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:1
- Sobrevivência:2

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política: 1
- Ciências:


--------------------------------------------------------------------------------

4. Vantagens


Antecedentes
Geração 3
Recursos 3 (2PB)
Aliados 1 (Heike Wagner, membro mortal da Irmandade Ariana, líder de uma gangue Skinhead)
Contatos 1 (1Pb) (Linneu Heinz, Oficial Militar, parente do personagem) (Alguns contatos menores, em maioria membros secretos de grupos supremacistas, Neo-Nazistas e semelhantes)
Status 1 (1Pb) (Neófito pertencente da "tropa de choque" da seita, comandada pelo Xerife da cidade)

Disciplinas
Potência 1
Rapidez 1
Presença 1


Virtudes
- Convicção: 3
- Autocontrole: 2
- Coragem: 5


--------------------------------------------------------------------------------

5. Virtudes

Humanidade: 5

Força de Vontade: 6 (1Pb)


--------------------------------------------------------------------------------

Qualidades e Defeitos
-Vício (Adrenalina) (Defeito -3) (Talvez devido ás circunstâncias de sua morte, ou mesmo seu antigo modo de vida mortal, sempre que você ingere grandes quantidades deste hormônio, você se sente mais "vivo", e com o tempo acabou viciando-se nele, por isso, sempre que tem a oportunidade, procura estressar, assustar, agredir ou qualquer outro tipo de atitude que aumente a produção de adrenalina da vítima que está prestes a se alimentar, uma "overdose" deste hormônio pode acarretar o aumento de 1 de dificuldade nos testes relacionados a Frenesi durante a noite)
-Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1) (Se alimentar destes o fará entrar automaticamente em Frenesi, com dificuldade 7 para evitar perda de humanidade, ver um vampiro se alimentando destes também pode provocar um teste de frenesi, de dificuldade menor e sem a perda de humanidade envolvida)
-Bairrismo (Defeito -2) (Vê o bairro onde mora como sua propriedade, qualquer vampiro não-ariano que adentre o território sem ser convidado ou sem uma boa justificativa será recebido de forma hostíl, Teste de Frenesi)
-Inimigo (Defeito -1) (O membro Sabá que quase o matou em sua última noite de vida, possui poder equivalente ao do personagem)
-Temerário (Qualidade -3) (Durante uma ação particularmente difícil, de dificuldade pelo menos 8, acrescentam-se 3 dados adicionais na jogada, e despreza-se um resultado de falha crítica)
-Código de Honra (Qualidade -2) (Nunca ferir membros da raça pura, nacionalistas e simpatizantes, sempre defendê-los quando necessário, nunca abraçar membros de "raças inferiores" ou imigrantes, sempre defender sua causa acima de tudo) 2 dados adicionais de Força de Vontade e Virtude quando agir de acordo com seu código, ou evitar ações que o forcem a violar o código


Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 35
- Idade total: 43
- Data de nascimento: 08/08/1970
- Aparência: Alto (1,93), porte físico avantajado (108 Kg), caucasiano, cabeça Raspada, olhos verdes, diversas tatuagens (Símbolos Nazistas, Celtas, Germânicos, Cruzes, entre outros), normalmente anda vestido com roupas militares, coturnos de cadarços brancos, calças camufladas, camiseta branca colada (para deixar mais evidente seu porte físico) e ocasionalmente um sobretudo.
- Personalidade: Distante, sempre mantendo a postura de durão e inabalável, tende a ser extremamente agressivo e cruel com aqueles que lhe desagradam, e disposto a lutar até a morte final por sua causa.
- Fraqueza do clã: Dificuldade para controlar o frenesi

- Inventário:
.Porrete Força +2 I
-Faca Força +1 C
-Estaca Força +1 I
-Soco Inglês Força +1 B
-Pistola Leve (Dano 4) Alcance 20, CdT 4, Pente 17+1, B
.Roupa reforçada 1, penalidade 0
-Moto BMW S1000RR
-Celular


Observações
- Pontos de bônus: (12 Pts Habilidades, 4 PTs Antecedentes, 1 PTs Força de Vontade) (+2 Pontos por qualidades e defeitos)

6. Prelúdio:

1. Vida Mortal: Krauzer nasceu no sul dos EUA, filho único em uma família de descendentes de alemães, seu pai era policial e sua mãe dona de casa. Enquanto o primeiro era bastante rígido e passava a maior parte do tempo fora de casa, Krauzer foi criado pela mãe (que ao longo dos anos passou a demonstrar alguns distúrbios psicológicos), Heinz cresceu ouvindo seu pai criticando os "invasores" segundo o mesmo, e dizia ser a única linha de frente que separava a "nós" deles (Krauzer não entendia muito bem quem o que seu pai falava, provavelmente de bandidos, e o "nós" provavelmente se referia a ele próprio, seu pai e sua mãe...), eles viviam em boas condições nesta época, o que lhe possibilitou uma boa educação em sua infância, e apesar da distância de seu pai e sua mãe, Krauzer se sentia feliz.
Tudo isso muda, no ano de 1980, quando Heinz tinha cerca de 10 anos de idade, seu pai é morto em uma troca de tiros com um grupo de bandidos. Foi um choque muito forte para o garoto e sua mãe (cujos problemas psicológicos foram aumentando ao longo dos anos), ambos puderam manter seu padrão de vida graças á herança do agora falecido chefe da família, mas a vida de ambos nunca mais seria a mesma. Krauser se torna cada vez mais distante e introvertido, e sua mãe é diagnosticada com Esquizofrenia, e ocasionalmente balbuciava estranhas palavras sobre assuntos que ele não entendia... até que quando completa 12 anos, sua mãe (no auge de sua loucura) lhe revela uma caixa que seu pai escondia á sete chaves, nela, Krauzer descobre que seu avô havia lutado na segunda guerra, ao lado dos Nazistas, e pertencido á SS. Ao fim da guerra, ele e sua família tiveram de fugir da Alemanha, refugiando-se nos EUA, onde mantiveram seu legado, casando seus filhos apenas com outras famílias de "sangue puro". Além disso haviam livros e cartas que falavam sobre conspirações e teorias de que os Judeus pretendiam dominar o mundo, sobre uma raça suprema, uma espécie de religião pagã chamada Gnose Hiperbórea (que pregava que a raça ariana descendia de Cain, enquanto os Judeus e demais povos "inferiores" de Abel), e muitas outras informações que perturbaram bastante a mente do jovem Krauzer.
Ao final de sua adolescência sua mãe acabou tendo de ser internada em um manicômio, e Heinz viveu por alguns anos com seus parentes distantes, aprofundando-se no conhecimento das teorias Nazistas, no Darwinismo Social, e pureza racial. Ao atingir a maioridade, ele se alistou nas forças militares, porém, em um incidente durante seu treinamento, onde numa discussão com um afro-descendente ambos acabam se envolvendo em uma luta física que termina na morte do outro recruta com uma faca em seu olho esquerdo, Krauzer termina preso. Na cadeia ele teve seu primeiro contato com a Irmandade Ariana, fez diversas tatuagens e raspou sua cabeça para honrar sua filosofia, sua alta estatura, combinada com seu novo visual lhe passavam uma imagem imponente mesmo dentro da cadeia, ele reforça essa imagem aperfeiçoando seu físico e participando de lutas dentro da prisão, tornando-se o campeão de seus novos colegas da irmandade e conseguindo seu respeito, bem como o temor dos outros presidiarios, com o passar do tempo ele se torna uma máquina de agressão praticamente no nível de um lutador profissional peso-pesado de MMA. Mais de 10 anos depois de ser preso, Krauzer termina sua pena, agora muito diferente do rapaz que era quando entrou na prisão! Heinz ainda contava com a herança de seu pai, utilizando-o para aumentar ainda mais suas habilidades físicas (Academia e aulas de Boxe), nesta época visitava ocasionalmente sua mãe no sanatório, mas fez diversos contatos em seus últimos anos de vida, como seu ex companheiro de cela, Heike Wagner, a quem ele sempre podia contar, seja para conseguir armas, seja para arrumar uma galera para bater de frente com algum grupo barra-pesada, ou mesmo para se reunirem e discutirem sobre como andava o avanço dos grupos separatistas, racistas e fascistas ao qual ele participava, ocasionalmente chamando seu tio, Linneu e fazendo festas regadas á musicas tradicionais alemãs e relembrando os velhos tempos (sendo que este também lhe serve como fonte de informações do que está ocorrendo no mundo mortal, incluindo operações secretas, informações sobre localidades, e diversos grupos na cidade, desde gangues de baderneiros a outros oficiais).  quando seu fanatismo chegou ao auge, e juntamente com outros Boneheads, saía toda noite para espancar negros, judeus, punks, vândalos, homossexuais, usuários de drogas e bater de frente com os Panteras Negras.

2. O Abraço: Em sua última noite de vida, ele e seu bando decidiram invadir uma Rave e rachar alguns crânios, porém, por ironia do destino, acabaram enfrentando uma estranha gangue que massacrou seu grupo, Heinz se lembra pouco desta noite, apenas que seu oponente possuía um visual bastante peculiar, seu rosto era completamente coberto de tatuagens, piercings, e de sua cabeça saiam protuberâncias parecidas com chifres (catéteres?!, penou Heinz), seu inimigo parecia ignorar a maior parte de seus golpes, inclusive seu potente gancho de direita com soco inglês que já deslocou dezenas de mandíbulas, apenas fez com que o estranho sujeito parecesse levemente ferido, e em segundos, segurou a parte inferior da mandíbula, e colocou-a no lugar instantaneamente, antes de quebrar o braço de Krauser, erguê-lo pelo pescoço e enterrar as presas em sua jugular. Heinz sentia sua vida deixando-o, apesar de uma estranha sensação anestésica e embriagante, ele não se lembra com muitos detalhes do que ocorreu depois, apenas que dois ou três indivíduos se envolveram na luta e expulsaram seus inimigos. Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes e tomou uma ação inesperada, rasgando o pulso com os dentes, e deixando o líquido escorrer em seu rosto. "Estou tendo um delírio antes da morte" pensou, enquanto algumas gotas passavam por seus lábios, e lhe proporcionaram uma sensação indescritível...

3. A Não Vida: Sua "iniciação" foi algo complicado, a começar que ele se viu em meio a uma quebra de tradição da Camarilla (um conceito que ele não fazia a menor ideia do significado, mas em geral ele não fazia a menor ideia de nada do que aconteceu com ele após a entrada na rave da noite anterior...), Krauser não sabia, mas a relação do Clã Brujah na Camarilla andava tensa, e este episódio poderia resultar em uma separação definitiva do clã com a seita nesta cidade (o que por tabela poderia gerar um efeito dominó, fazendo com que boa parte do clã, senão todo ele, acabasse cortando laços com a seita de uma vez por todas), após muitas discuções, intrigas e guerras de egos, o Principe da cidade entrou em um acordo com os líderes Brujah, não querendo que suas principais forças militares fossem perdidas em momentos tensos, deixando a seita a mercê dos cada vez mais numerosos inimigos. Krauzer e seu "criador" (Romualdo, um membro de origem Portuguesa) foram poupados, embora deveriam "mostrar retribuição", fazendo parte da força militar da seita. Inicialmente foi um pouco difícil entender no que havia se tornado, mas após uma rápida explicação de Romualdo e outros membros do Clã, ele conseguiu encontrar seu lugar no mundo das trevas (pelo menos superficialmente), Romualdo alega tê-lo abraçado ao testemunhar sua garra e fibra na luta contra os Sabás, mesmo sendo apenas um mortal, mas apesar disto, e do fato de ambos fazerem parte da "tropa de choque" da camarilla, eles não mantêm muito contato, e se vêem mais como membros do mesmo clã do que criador e cria. Ele mantém alguns de seus antigos companheiros e ainda visita sua mãe que mal o reconhece, e ainda nutre seu fanatismo, porém com outros olhos, em conjunto com outros membros com uma visão semelhante á sua, descobriu teorias de que Hitler sabia sobre os Cainitas e pretendia usá-los em experimentos para um exército perfeito, onde o sangue puro dos arianos seria imortalizado, fortalecendo ainda mais a raça suprema, enquanto as raças "inferiores" seriam seus escravos e alimento, agora, mais do que nunca ele sabia em qual guerra estava envolvido, ele era um Cainita, um Ariano, um descendente de Cain em todos os sentidos, e sua missão nesta terra era continuar seu legado contra os filhos de Abel. Curiosamente ele desenvolveu mais laços com alguns Anciões Brujah mais conservadores, em detrimento a seus colegas Neófitos, que a seu ver parecem mais um bando de revoltados que lutam por péssimas causas. Também não nutre amores pelos Anarquistas que aceitam qualquer membro em seu meio e parecem ter prazer em sujar e destruírem tudo o que tocam, mas seu ódio é visado principalmente aos demônios do Sabá, especialmente aquele verme que quase o matou... (Krauzer não se esqueceu da surra que levou do Tzimisce em sua última noite como mortal, e os caminhos de ambos acabaram se cruzando outras vezes em conflitos com o Sabá, culminando em uma rivalidade nada amistosa).
Apesar de não nutrir nenhuma espécie de afeto pelos Ventrue, ou qualquer outro Clã da Camarilla, ele reconhece que a seita pode ajuda-lo em seus objetivos, ele se sente a vontade participando da força militar da seita e deseja se destacar e "subir de cargo" principalmente como Xerife ou Algoz, e limpar as ruas de toda a escória!


7. Banco de Dados

Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP
.


Última edição por Krauzer Heinz em Qui Nov 14, 2013 4:43 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Edgard em Qui Nov 14, 2013 10:04 am


Só falta você falar sobre esse seu Contato oficial militar, era dele que eu tava falando, mas enriqueceu também colocando coisas sobre seu Aliado. Mas também é pra vc descrever como obtém coisas do seu parente oficial.

Outra coisa. Você não especificou onde seria o seu refúgio, assim ficou incompreensível de saber onde seria o seu Bairrismo e de que forma vc reage. Tente só especificar onde seria saka!? (mas saiba que as crônicas geralmente não vai passar em cidade pequenas dos EUA, e que o plano da cidade vai passar em Las Vegas, então vc poderia escolher entre as duas mais famosas NY ou Vegas e que serão mais usadas, mas é só uma dica)
avatar
Edgard

Data de inscrição : 17/09/2010
Idade : 27
Localização : João Pessoa, PB

http://www.facebook.com/junior.miranda.90475?ref=tn_tnmn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qui Nov 14, 2013 4:51 pm

Já arrumei o lance do parente, quanto á cidade, eu omiti propositalmente, pois caso a ficha do meu personagem seja aceita, ainda terei de ver quais são as cidades respectivas de cada crônica, mas se for necessário eu verei qual cidade mais se encaixa, em todo caso, trata-se de um apartamento em um bairro pequeno de classe média em uma cidade preferencialmente ao sul do pais (podendo ser Nova Orleans)!
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Ury Wayne em Qua Nov 27, 2013 10:48 am

Olá Krauzer, vamos continuar sua avaliação.

Com relação à numeração anterior, ao que parece, você pretende manter a pontuação de sua ficha. Ocorre que a pontuação atual corresponde a de um lutador profissional. Nesse caso, você deve escrever uma história compatível com essa capacidade. Aproveito o ensejo para dizer que cadeia não é academia de artes marciais.


Sua "iniciação" foi algo complicado, a começar que ele se viu em meio a uma quebra de tradição da Camarilla (um conceito que ele não fazia a menor ideia do significado, mas em geral ele não fazia a menor ideia de nada do que aconteceu com ele após a entrada na rave da noite anterior...), Krauser não sabia, mas a relação do Clã Brujah na Camarilla andava tensa, e este episódio poderia resultar em uma separação definitiva do clã com a seita nesta cidade (o que por tabela poderia gerar um efeito dominó, fazendo com que boa parte do clã, senão todo ele, acabasse cortando laços com a seita de uma vez por todas), após muitas discuções, intrigas e guerras de egos, o Principe da cidade entrou em um acordo com os líderes Brujah, não querendo que suas principais forças militares fossem perdidas em momentos tensos, deixando a seita a mercê dos cada vez mais numerosos inimigos. Krauzer e seu "criador" (Romualdo, um membro de origem Portuguesa) foram poupados, embora deveriam "mostrar retribuição", fazendo parte da força militar da seita. Inicialmente foi um pouco difícil entender no que havia se tornado, mas após uma rápida explicação de Romualdo e outros membros do Clã, ele conseguiu encontrar seu lugar no mundo das trevas (pelo menos superficialmente), Romualdo alega tê-lo abraçado ao testemunhar sua garra e fibra na luta contra os Sabás, mesmo sendo apenas um mortal, mas apesar disto, e do fato de ambos fazerem parte da "tropa de choque" da camarilla, eles não mantêm muito contato, e se vêem mais como membros do mesmo clã do que criador e cria.
O seguinte trecho serve apenas para tentar corrigir uma falha nas circunstâncias da criação de sua personagem, mais precisamente com relação ao abraço. No entanto, a explicação transcrita falha em seu escopo. Além de ser insuficiente, ela se torna uma justificação para seu status, o que é uma incongruência.

Com relação a seus defeitos, você precisa ofertar justificativas para tê-los.
avatar
Ury Wayne

Data de inscrição : 27/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Nov 27, 2013 11:22 am

Pow, e eu achando que tinha contornado os erros da ficha, hehe, mas com relação aos atributos físicos e habilidades de luta, bom, o cara tem mais de 1,90, mais de 100 kg (massa muscular), parte disso foi desenvolvido dentro do quartel e prisão mesmo (Principalmente neste segundo, com truques de "luta suja", "briga de rua", sendo campeão no circuito da prisão) depois da prisão o cara ainda pratica academia e boxe, além de consumir esteróides, somado isso ás experiências práticas que ele tinha em suas noitadas, encarando outras gangues, o cara era um legítimo Pitiboy! mas se ainda acha incongruente, tudo bem, posso modificar a pontuação (apesar de isso ir um pouco contra o personagem que eu imaginei quando tive a ideia de cria-lo)!

Quanto a história da aceitação na Camarilla, sei que ficou meio improvisado, mas a circunstância de seu abraço é algo complicado de se explicar ao príncipe, essa foi a melhor explicação que consegui pensar sem precisar mudar boa parte da história! mas também irei modificar isso!
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Nov 27, 2013 12:30 pm

1. Dados

Nome: Krauzer
Personagem: Krauzer Heinz
Clã: Brujah
Natureza: Fanático (Skinhead)
Comportamento: Durão
Geração: 10
Refúgio: Apartamento Próprio em pequeno bairro de classe média
Conceito: Soldado
Saldo de XP: 0/0


--------------------------------------------------------------------------------

2. Atributos

Físicos
- Força:4 (1+3) {Punhos de Ferro}
- Destreza: 3 (1+2)
- Vigor: 3 (1+2)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação:3 (1+2)
- Aparência: 2 (1+1)

Mentais
- Percepção: 3 (1+2)
- Inteligência: 2 (1+1)
- Raciocínio: 3 (1+2)


--------------------------------------------------------------------------------

3. Habilidades

Talentos
- Prontidão: 3
- Esportes:2
- Briga: 3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 1 (2Pb)
- Manha: 2 (4Pb)
- Lábia: 1 (2Pb)

Perícias
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios: 1 (2Pb)
- Condução:2
- Etiqueta:
- Armas de Fogo:2
- Armas Brancas: 2
- Performance:
- Segurança:
- Furtividade:1
- Sobrevivência:2

Conhecimentos
- Acadêmicos: 1
- Computador: 1
- Finanças:
- Investigação:
- Direito:
- Linguística: 1 (Alemão)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política: 1
- Ciências:


--------------------------------------------------------------------------------

4. Vantagens


Antecedentes
Geração 3
Recursos 3 (2PB)
Aliados 1 (Heike Wagner, membro mortal da Irmandade Ariana, líder de uma gangue Skinhead)
Contatos 1 (1Pb) (Linneu Heinz, Oficial Militar, parente do personagem) (Alguns contatos menores, em maioria membros secretos de grupos supremacistas, Neo-Nazistas e semelhantes)
Status 1 (1Pb) (Neófito pertencente da "tropa de choque" da seita, comandada pelo Xerife da cidade)

Disciplinas
Potência 1
Rapidez 1
Presença 1


Virtudes
- Convicção: 3
- Autocontrole: 2
- Coragem: 5


--------------------------------------------------------------------------------

5. Virtudes

Humanidade: 5

Força de Vontade: 6 (1Pb)


--------------------------------------------------------------------------------

Qualidades e Defeitos
-Vício (Adrenalina) (Defeito -3) (Talvez devido ás circunstâncias de sua morte, ou mesmo seu antigo modo de vida mortal, sempre que você ingere grandes quantidades deste hormônio, você se sente mais "vivo", e com o tempo acabou viciando-se nele, por isso, sempre que tem a oportunidade, procura estressar, assustar, agredir ou qualquer outro tipo de atitude que aumente a produção de adrenalina da vítima que está prestes a se alimentar, uma "overdose" deste hormônio pode acarretar o aumento de 1 de dificuldade nos testes relacionados a Frenesi durante a noite)
-Exclusão da Presa (“Arianos”) (Defeito -1) (Se alimentar destes o fará entrar automaticamente em Frenesi, com dificuldade 7 para evitar perda de humanidade, ver um vampiro se alimentando destes também pode provocar um teste de frenesi, de dificuldade menor e sem a perda de humanidade envolvida)
-Bairrismo (Defeito -2) (Vê o bairro onde mora como sua propriedade, qualquer vampiro não-ariano que adentre o território sem ser convidado ou sem uma boa justificativa será recebido de forma hostíl, Teste de Frenesi)
-Inimigo (Defeito -1) (O membro Sabá que quase o matou em sua última noite de vida, possui poder equivalente ao do personagem)
-Temerário (Qualidade -3) (Durante uma ação particularmente difícil, de dificuldade pelo menos 8, acrescentam-se 3 dados adicionais na jogada, e despreza-se um resultado de falha crítica)
-Código de Honra (Qualidade -2) (Nunca ferir membros da raça pura, nacionalistas e simpatizantes, sempre defendê-los quando necessário, nunca abraçar membros de "raças inferiores" ou imigrantes, sempre defender sua causa acima de tudo) 2 dados adicionais de Força de Vontade e Virtude quando agir de acordo com seu código, ou evitar ações que o forcem a violar o código


Informações do personagem
- Idade antes do abraço: 35
- Idade total: 43
- Data de nascimento: 08/08/1970
- Aparência: Alto (1,93), porte físico avantajado (108 Kg), caucasiano, cabeça Raspada, olhos verdes, diversas tatuagens (Símbolos Nazistas, Celtas, Germânicos, Cruzes, entre outros), normalmente anda vestido com roupas militares, coturnos de cadarços brancos, calças camufladas, camiseta branca colada (para deixar mais evidente seu porte físico) e ocasionalmente um sobretudo.
- Personalidade: Distante, sempre mantendo a postura de durão e inabalável, tende a ser extremamente agressivo e cruel com aqueles que lhe desagradam, e disposto a lutar até a morte final por sua causa.
- Fraqueza do clã: Dificuldade para controlar o frenesi

- Inventário:
.Porrete Força +2 I
-Faca Força +1 C
-Estaca Força +1 I
-Soco Inglês Força +1 B
-Pistola Leve (Dano 4) Alcance 20, CdT 4, Pente 17+1, B
.Roupa reforçada 1, penalidade 0
-Moto BMW S1000RR
-Celular


Observações
- Pontos de bônus: (12 Pts Habilidades, 4 PTs Antecedentes, 1 PTs Força de Vontade) (+2 Pontos por qualidades e defeitos)

6. Prelúdio:

1. Vida Mortal: Krauzer nasceu no sul dos EUA, filho único em uma família de descendentes de alemães, seu pai era policial e sua mãe dona de casa. Enquanto o primeiro era bastante rígido e passava a maior parte do tempo fora de casa, Krauzer foi criado pela mãe (que ao longo dos anos passou a demonstrar alguns distúrbios psicológicos), Heinz cresceu ouvindo seu pai criticando os "invasores" segundo o mesmo, e dizia ser a única linha de frente que separava a "nós" deles (Krauzer não entendia muito bem quem o que seu pai falava, provavelmente de bandidos, e o "nós" provavelmente se referia a ele próprio, seu pai e sua mãe...), eles viviam em boas condições nesta época, o que lhe possibilitou uma boa educação em sua infância, e apesar da distância de seu pai e sua mãe, Krauzer se sentia feliz.
Tudo isso muda, no ano de 1980, quando Heinz tinha cerca de 10 anos de idade, seu pai é morto em uma troca de tiros com um grupo de bandidos. Foi um choque muito forte para o garoto e sua mãe (cujos problemas psicológicos foram aumentando ao longo dos anos), ambos puderam manter seu padrão de vida graças á herança do agora falecido chefe da família, mas a vida de ambos nunca mais seria a mesma. Krauser se torna cada vez mais distante e introvertido, e sua mãe é diagnosticada com Esquizofrenia, e ocasionalmente balbuciava estranhas palavras sobre assuntos que ele não entendia... até que quando completa 12 anos, sua mãe (no auge de sua loucura) lhe revela uma caixa que seu pai escondia á sete chaves, nela, Krauzer descobre que seu avô havia lutado na segunda guerra, ao lado dos Nazistas, e pertencido á SS. Ao fim da guerra, ele e sua família tiveram de fugir da Alemanha, refugiando-se nos EUA, onde mantiveram seu legado, casando seus filhos apenas com outras famílias de "sangue puro". Além disso haviam livros e cartas que falavam sobre conspirações e teorias de que os Judeus pretendiam dominar o mundo, sobre uma raça suprema, uma espécie de religião pagã chamada Gnose Hiperbórea (que pregava que a raça ariana descendia de Cain, enquanto os Judeus e demais povos "inferiores" de Abel), e muitas outras informações que perturbaram bastante a mente do jovem Krauzer.
Ao final de sua adolescência sua mãe acabou tendo de ser internada em um manicômio, e Heinz viveu por alguns anos com seus parentes distantes, aprofundando-se no conhecimento das teorias Nazistas, no Darwinismo Social, e pureza racial. Ao atingir a maioridade, ele se alistou nas forças militares, porém, em um incidente durante seu treinamento, onde numa discussão com um afro-descendente ambos acabam se envolvendo em uma luta física que termina na morte do outro recruta com uma faca em seu olho esquerdo, Krauzer termina preso. Na cadeia ele teve seu primeiro contato com a Irmandade Ariana, fez diversas tatuagens e raspou sua cabeça para honrar sua filosofia, sua alta estatura, combinada com seu novo visual lhe passavam uma imagem imponente mesmo dentro da cadeia, ele reforça essa imagem aperfeiçoando seu físico e participando de lutas dentro da prisão, tornando-se o campeão de seus novos colegas da irmandade e conseguindo seu respeito, bem como o temor dos outros presidiarios, com o passar do tempo ele se torna uma máquina de agressão praticamente no nível de um lutador profissional peso-pesado de MMA. Mais de 10 anos depois de ser preso, Krauzer termina sua pena, agora muito diferente do rapaz que era quando entrou na prisão! Heinz ainda contava com a herança de seu pai, utilizando-o para aumentar ainda mais suas habilidades físicas (Academia, aulas de Boxe e uso de esteróides), nesta época visitava ocasionalmente sua mãe no sanatório, mas fez diversos contatos em seus últimos anos de vida, como seu ex companheiro de cela, Heike Wagner, a quem ele sempre podia contar, seja para conseguir armas, seja para arrumar uma galera para bater de frente com algum grupo barra-pesada, ou mesmo para se reunirem e discutirem sobre como andava o avanço dos grupos separatistas, racistas e fascistas ao qual ele participava, ocasionalmente chamando seu tio, Linneu e fazendo festas regadas á musicas tradicionais alemãs e relembrando os velhos tempos (sendo que este também lhe serve como fonte de informações do que está ocorrendo no mundo mortal, incluindo operações secretas, informações sobre localidades, e diversos grupos na cidade, desde gangues de baderneiros a outros oficiais).  quando seu fanatismo chegou ao auge, e juntamente com outros Boneheads, saía toda noite para espancar negros, judeus, punks, vândalos, homossexuais, usuários de drogas e bater de frente com os Panteras Negras.


2. O Abraço: Em uma noite quente e sem estrelas, ele e seu bando decidiram invadir uma Rave e rachar alguns crânios, porém, por ironia do destino, acabaram enfrentando uma estranha gangue que massacrou seu grupo, Heinz se lembra pouco desta noite, apenas que seu oponente possuía um visual bastante peculiar, seu rosto era completamente coberto de tatuagens, piercings, e de sua cabeça saiam protuberâncias parecidas com chifres (catéteres?!, penou Heinz), seu inimigo parecia ignorar a maior parte de seus golpes, inclusive seu potente gancho de direita com soco inglês que já deslocou dezenas de mandíbulas, apenas fez com que o estranho sujeito parecesse levemente ferido, e em segundos, segurou a parte inferior da mandíbula, e colocou-a no lugar instantaneamente, antes de quebrar o braço de Krauser, erguê-lo pelo pescoço e enterrar as presas em sua jugular. Heinz sentia sua vida deixando-o, apesar de uma estranha sensação anestésica e embriagante, ele não se lembra com muitos detalhes do que ocorreu depois, apenas que dois ou três indivíduos se envolveram na luta e expulsaram seus inimigos. Ao cair no chão, Heinz viu seus companheiros mortos, e um dos misteriosos homens que o salvaram se aproximou dele, contemplando-o por alguns instantes, após isso ele apaga...
Ao acordar ele percebe que estava em um hospital, desorientado ele questiona a enfermeira e descobre que esteve dormindo por três dias seguidos, que foi trazido ao hospital por três homens (que fizeram questão de irem embora sem responderem nenhuma pergunta). Após alguns dias ele sai do hospital e entra em um periodo de depressão, sua gangue assassinada, quem eram aqueles esquisitos que os destruiram? Quem foram aqueles que o salvaram? Por alguns dias ele pouco saiu de casa, mas nestes poucos dias teve a sensação de estar sendo seguido, o que aumentou ainda mais sua paranoia, e assim seguiu por volta de uma semana, até que ao chegar em casa em certa noite, ele dá de cara com um homem vestido como um motoqueiro (cabelos compridos, barba por fazer, óculos escuros, jaqueta de couro e jeans rasgadas, o cara que o havia salvado), sem saber se o atacava ou o agradecia, Krauzer apenas fica em silêncio e espera o individuo se explicar.
O homem começa a lhe explicar sobre sua filosofia, sobre uma antiga cidade perfeita chamada cártago, conflitos ideológicos atravéz da história, para finalmente revelar que era uma criatura da noite, e queria que Heinz juntasse a ele em sua luta, no que Krauzer responde que a luta do vampiro não era sua luta. Ao ouvir isso ele sorri, e diz que não importa a ideologia, e sim a paixão por ela, e que Krauzer tinha essa paixão, além da garra e da vontade de seguir até o fim do mundo por ela, e salienta que o mundo que o Skinhead vivia não passava de uma ilusão, oferecendo-lhe a verdade, e as habilidades necessárias para lutar pela quebra do status quo. Krauzer, sentindo-se como Neo, no filme Matrix, escolhendo entre a pílula vermelha ou azul, faz a sua escolha...  



3. A Não Vida:. Krauzer se acostumou rapidamente á sua nova vida, sendo guiado inicialmente por  seu "criador" (Romualdo, um membro que fazia parte da força militar da seita), conseguindo encontrar seu lugar no mundo das trevas (pelo menos superficialmente), Romualdo alega ter decidido abraça-lo ao testemunhar sua garra e fibra na luta contra os Sabás, mesmo sendo apenas um mortal, e após a permissão do príncipe, o observou por várias noites até se certificar que ele merecesse o dom das trevas. Hoje ele atua como "batedor" da camarilla, assim como seu criador, apesar disto, eles se vêem mais como membros do mesmo clã do que criador e cria. Ele mantém alguns de seus antigos companheiros e ainda visita sua mãe que mal o reconhece, e ainda nutre seu fanatismo, porém com outros olhos, (Ele não ataca “arianos”, estes são seres abençoados, tidos por ele como irmãos, ao passo de que seu ódio por “não-arianos” continua, sendo que estes podem ser atacados apenas por serem vistos em seu território de caça) em conjunto com outros membros com uma visão semelhante á sua, descobriu teorias de que Hitler sabia sobre os Cainitas e pretendia usá-los em experimentos para um exército perfeito, onde o sangue puro dos arianos seria imortalizado, fortalecendo ainda mais a raça suprema, enquanto as raças "inferiores" seriam seus escravos e alimento, agora, mais do que nunca ele sabia em qual guerra estava envolvido, ele era um Cainita, um Ariano, um descendente de Cain em todos os sentidos, e sua missão nesta terra era continuar seu legado contra os filhos de Abel, a nova Cartago que muitos membros falavam, em sua visão seria uma sociedade perfeita onde a supremacia dos filhos de Caim seria imposta aos filhos de Abel, este seria o futuro.  Curiosamente ele desenvolveu mais laços com alguns Anciões Brujah mais conservadores, em detrimento a seus colegas Neófitos, que a seu ver parecem mais um bando de revoltados que lutam por péssimas causas, além disso, seu sangue Brujah teve algumas reações peculiares em sua personalidade e estilo de vida, a começar que ele se tornou viciado em adrenalina, e sempre procura se alimentar de presas que o forneçam este hormônio (por isso ele gosta de agredir, assustar ou estressar as vítimas antes de se alimentar) além dele praticamente ser imune ao medo, mesmo de situações extremas realizadas apenas por dublês em filmes de ação. Também não nutre amores pelos Anarquistas que aceitam qualquer membro em seu meio e parecem ter prazer em sujar e destruírem tudo o que tocam, mas seu ódio é visado principalmente aos demônios do Sabá, especialmente aquele verme que quase o matou... (Krauzer não se esqueceu da surra que levou do Tzimisce em sua última noite como mortal, e os caminhos de ambos acabaram se cruzando outras vezes em conflitos com o Sabá, culminando em uma rivalidade nada amistosa).
Apesar de não nutrir nenhuma espécie de afeto pelos Ventrue, ou qualquer outro Clã da Camarilla, ele reconhece que a seita pode ajuda-lo em seus objetivos, ele se sente a vontade participando da força militar da seita e deseja se destacar e "subir de cargo" principalmente como Xerife ou Algoz, e limpar as ruas de toda a escória!


7. Banco de Dados

Saldo de XP: 0/0

Ganho de XP


Última edição por Krauzer Heinz em Qua Nov 27, 2013 2:55 pm, editado 5 vez(es)
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Ury Wayne em Qua Nov 27, 2013 12:32 pm

Krauzer Heinz escreveu:Pow, e eu achando que tinha contornado os erros da ficha, hehe, mas com relação aos atributos físicos e habilidades de luta, bom, o cara tem mais de 1,90, mais de 100 kg (massa muscular), parte disso foi desenvolvido dentro do quartel e prisão mesmo (Principalmente neste segundo, com truques de "luta suja", "briga de rua", sendo campeão no circuito da prisão) depois da prisão o cara ainda pratica academia e boxe, além de consumir esteróides, somado isso ás experiências práticas que ele tinha em suas noitadas, encarando outras gangues, o cara era um legítimo Pitiboy! mas se ainda acha incongruente, tudo bem, posso modificar a pontuação (apesar de isso ir um pouco contra o personagem que eu imaginei quando tive a ideia de cria-lo)!

Quanto a história da aceitação na Camarilla, sei que ficou meio improvisado, mas a circunstância de seu abraço é algo complicado de se explicar ao príncipe, essa foi a melhor explicação que consegui pensar sem precisar mudar boa parte da história! mas também irei modificar isso!
Não questiono os atributos físicos, apesar de considerá-los uma apelação, não posso vetá-los. O que desejo ver no seu prelúdio é uma história que justifique sua personagem ser tão pancada! Melhor dizendo, as habilidades de luta. Aliás, as explicações acima transcritas estão contidas no prelúdio?

Com relação ao seu abraço, te aconselho a criar uma história para ele ter ocorrido, por exemplo, que você já vinha a algum tempo sendo observado e, inclusive, havia um pedido formal para sua criação, fazendo com que a precipitação possa ser perdoada. Assim, o seu abraço poderia até ocorrer da maneira ocorrida sem que sua personagem seja considerada "persona non grata".
avatar
Ury Wayne

Data de inscrição : 27/06/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Krauzer em Qua Nov 27, 2013 12:41 pm

Sim, estão no prelúdio, apesar de eu ter escrito apenas um trecho sobre: "Heinz ainda contava com a herança de seu pai, utilizando-o para aumentar ainda mais suas habilidades físicas (Academia, aulas de Boxe e uso de esteróides)" na parte 1 do prelúdio. Na verdade pode soar apelação, mas é que em geral essa é a especialidade do personagem, ele possui carisma 1, inteligência 2, Lábia 1, não é o tipo de personagem que resolve os problemas na base do diálogo, sedução ou diplomacia, é do tipo que opta por ignorar o problema, ou destruir ele, e um porradeiro sempre vem a calhar em um grupo, nunca se sabe quando uma solução diplomática pode dar barbaramente errada e o grupo ficar em apuros, hehe!

Quanto ao abraço, já dei uma modificada, grato pela atenção!
avatar
Krauzer

Data de inscrição : 29/10/2013
Idade : 47

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Edgard em Seg Dez 02, 2013 2:20 pm

Ficha aprovada, cara.
Agora sim o Abraço ficou melhor.

Vá até uma cronica e solicite vaga pro narrador. Bom jogo!
avatar
Edgard

Data de inscrição : 17/09/2010
Idade : 27
Localização : João Pessoa, PB

http://www.facebook.com/junior.miranda.90475?ref=tn_tnmn

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Krauzer Heinz - Brujah - Camarilla

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum