Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Página 1 de 7 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Beaumont em Sex Mar 26, 2010 8:32 pm

Primeiramente gostaria de dizer olá , eu serei o narrador de vcs por pelo menos 3 meses , espero que gostem da crônica e se divirtam bastante , pois esse é o objetivo principal do jogo . O bom divertimento . Qualquer duvida minha caixa de PM está aberta para vocês assim como meu e-mail [url=mailto://williamhayter@hotmail.com]williamhayter@hotmail.com[/url] .

Receio comentar mas todos devem saber que este é um jogo serio e existe risco de morte , ganho / perdas de qualidades e antescedentes . Pensem bem em suas ações ela denominarão o futuro de seus proprios personagens .

O exp e uma variavel de 1 até 25 e será dad ano fim do ciclo de acordo com 2 coisas

* A interpretação do comportamento , qualidade , defeitos do personagem de vcs .

* A presença de vcs .

Eu atualizo toda quarta e Domingo e advirto que posta rem cima da hora será considerado falta e penalidade no exp final .

Não fiz nenhum teste pq estamos no inicio das crônicas , a partir do primeiro post de vcs se acharem que devem podem pedir testes e eu avaliarei para ver se é necessário ou se é a exata parada de dados , duvidas usem os meios de comunicação acima ^^

OS : Em breve estarei disponibilizando o álbum no meu orkut , para vcs poderem ver as fotos dos personagens que vcs interagem xD

Bom jogo a todos !!!



Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas

O que se segue precisa se manter imaculável






Morrigan Aesland



Stripp Club Sucubus Desire Liverpool



Dona da Casa : - Hey , você menina ! Você se apresenta em dois minutos , ta preparada ? O publico é exigente , mas como você sabe nudes só da cintura pra cima .



Uma moça de mais ou menos 40 anos dava um tapinha no ombro de Morrigan que estava sentada de frente para o espelho . O espelho do qual refletia toda a beleza de uma mulher monumental essa era basicamente a vida de Morrigan Aesland , para a jovem Stripper de menos de 20 anos aquilo fazia parte de uma vida da qual ela sempre sonhou , ter todos encantados pela sua beleza estonteante . Seu corpo estava arrumado para um novo show (aproveite para descrever o seguinte traje para o show) da porta vinham mais duas strippers que aparentemente haviam aberto o Show de Morrigan , ambas eram dedicadas e sem duvidas trabalhavam ali por muito mais tempo que Morrigan , mas nenhuma das duas juntas conseguiam chamar tanta clientela quanto a tão cobiçada Morrigan , era fácil dize que no fundo , as duas possuíam uma certa inveja da bela Aesland .



Meninas : - Hey vê se não vai tombar no palco como a Mei Ling viu ??! Sua carreira de menina “perfeita” pode ir por água abaixo huahahauhh .



Por mais que as duas quisessem apedrejar Morrigan pelas costas , no fundo no fundo , até mesmo as duas podiam secretamente ter seus desejos e fetiches pela jovem Morrigan .



Com a saída das duas era chegada a hora de Morrigan se apresentar .



Alexia : - Para o delírio dos homens ... E de muitas mulheres também , apresento a vocês ela a atraente e sedutora de corpo perfeito ... Que veio apenas para leva-los a loucuraaaa ! E Com vocês ela... Morrigan Aesland !!!



Sorrisos , gritos e aplausos tomavam conta do cenário da boate , Morrigan ainda estava no camarim , mas percebia que era bastante admirada por aqueles que freqüentavam o bar eventualmente . Ao ser citado o nome de Morrigan a vibração já se tornava maior no local . Todos esperavam Morrigan no Pole Dance .



Beijamin LockHeart



Aeroporto de Liverpool







A Chegada de Lockheat a Liverpool se baseava unicamente a trabalho , um Contato na Scotland Yard havia recomendado o nome de Beijamin unicamente por um motivo . A habilidade de solucionar o que não tinha solução . Ao chegar do aeroporto Internacional de Liverpool , ele já era aguardado por Robert , um investigador do prédio do Departamento de Policia que estava ali não só para conduzir o homem para onde ele quisesse de carro mas sim para já colocar ele por dentro do que acontecia na notória Liverpool . Robert carregava um cartaz com o nome de Beijamin escrito para chamá-lo sua atenção logo de cara , ele era um homem ariano e um pouco velho cerca de seus 38 anos , usava gravata mas não usava o terno porque estava um pouco mais a vontade naquele dia .



Robert : - Bom é o seguinte , Muito prazer , Senhor Lockheart eu Sou Robert Navel e ouvi muitas coisas sobre o senhor , muitas mesmo , é muito bom ter a ajuda que a Scotland Yard nos proporcionou , meu carro está bem ali me acompanhe sim ?



Robert era como um típico Detetive usual , não era rude mas também nem tão educado , parecia empolgado em ter a visita de Lockheat e esperava com isso saber o que havia acontecido com o mistério Geovanni . Enquanto levava Beijamin em direção ao seu carro prateado .



Robert : - O Caso Anton Geovanni , como você já pode imaginar é um caso difícil de outra forma teríamos solucionado , o cara ta sumido por pelo menos 2 meses , as buscas finalmente foram cessadas e ele foi dado como morto por que simplesmente não achamos mais o cara, só pra dar um enterro decentes aos Familiares , mas todos sabem inclusive os próprios familiares que ninguém sabe por onde o cara está simplesmente evaporou . Aqui no Departamento o caso ficaria arquivado , contudo um figurão de Londres quer que reabramos o caso com alguém competente na frente , se quiser falar com ele é Edgar Shout empresário do ramo bancário dono do Banco Barclays eu conheço onde fica sua sede e poderíamos ir lá também , mas enfim o cara simplesmente sumiu , e a ultima vez que o viram foi na casa dele a Mansão de Anton Geovanni que fica a 100km daqui , também estivemos lá e tudo que encontramos está lá . E então nós... simplesmente não sabemos o que fazer !



Robert realmente parecia ter desistido com muita facilidade , mas não por querer , mas sim por que aquele caso realmente não parecia ter qualquer prova aparente .



Talik Danio Benneti Albert



Paróquia da cidade de Sheffields Território Sabá .



Sheffields é a quarta cidade mais populosa da Inglaterra e possui mais de 1150 . 000 milhões pessoas só na área urbana , é uma cidade bastante antiga e por esse motivo , compõe um das maiores tradições do clã dos demônios em seu monopólio Com exceção do Lazarento Stephen Roux todos os membros que compõem a Tríade de Bispos que aconselha e auxilia o Arcebispado é composta pelo clã de demônios , e nesta noite , para celebração de mais um Auctoritas Ritae , todos os membros da seita da espada de Cain estão reunidos na Paróquia da Cidade de Sheffields que se localiza no jardim do castelo do Arcebispo Tzmisce Craig Creswell . A celebração tinha como plano principal , estabelecer e fortalecer os Vinculi usados entre todos os cainitas da região . Alguns nômades como o Italiano Danio Benneti , o Caitiff Albert dos Estados Unidos e o Brujah AT Tarik nascido no Brasil , estavam ali justamente para receberem o Titulo de “cavaleiros” um termo usado pelo próprio Sabá para classificar e permitir que membros da seita possam trafegar tranqüilamente em qualquer território derivado da Espada de Cain . Estava acontecendo no Jardim daquele castelo , o Ritual de Juramento Sabá .



O lugar era amplo em bem livre , semelhante a um campo só que sem flores , apenas com grama e grandes muros em volta do Castelo , muros que pareciam não ter fim de tão longe , se perdiam no horizonte . Era noite de Inverno e na Inglaterra inverno significa um tremendo Frio (o frio causa penalidade de dados em cainita em testes de destreza em 1 ponto) Em toda Noite de Solstício de Inverno esse ritual deveria ser realizado , e naquele ano não seria diferente . Todos da cidade estava reunidos ali . Desde o mero recruta que engajara no bando recentemente até o Próprio Arcebispo juntamente de seus fieis Bispos e dos anciões da seita . A cerimônia começava com a enumeração de crenças do Sabá e com a palavra o primeiro a proferir o código de Milão era o Bispo Tzimisce mais jovem entre os três Bispos



Tzurrr : - Filhos e filhas de Cain ! Estamos aqui com fulgor em nossos corações por ter a presença de todos em mais uma empreitada em nome de nossa própria existência . O Sabá deverá dar tudo de si para seus lideres ! Independente do que façam ! Desde de que essa seja a vontade de nosso Regente ! Esses são os primeiro e Segundo Código de Milão ! Com vocês Apresento O Precussor do Ódio , Vossa Excelência Stephen Roux para a continuação do Ritual de Juramento ...



O Tzimisce cedia sua vez no grande altar , para dar lugar a palavra do segundo Bispo , e assim o código de Milão seria ditado ali , por cada 1 dos Bispos até o ultimo , o anexo ao código de Milão ser pronunciado Arcebispo Tzmisce . O ato levava bastante tempo , mas era um tempo necessário para a conclusão do famoso Ritual do Juramento Sabá . Contudo no pronunciamento do Bispo Stephen Roux , o Lazarento simplesmente aparava de falar . Sua boca Pútrida pela maldição dos Precursores do Odio , se mantinha a falar algo completamente Inaudível Seus olhos se arregalavam e de suas costas , lamurio do mais tenebroso limbo começavam a lamentar , Dezenas de Almas conturbadas e perdidas saiam de um buraco que se estendia cada vez mais nas costas do Lazarento como uma brecha nos portais do mundo dos vivos e mortos . De seu peito uma mão Saia , ela puxava com toda a força arrancando o coração morto do Lazarento sem chances de se revidar . Um Membro ancião daquele poder era facilmente levado ao torpor em uma manobra surpreendente para finalizar , com um único golpe a mão rasgava a cabeça do Ancião causando sua morte final em meros segundos , os lamurios de almas envolviam muitos ali , perturbando vários cainitas fracos psicologicamente (qualquer cainita que queira realizar uma ação precisa gastar 1 FDV por turno a menos que tenha Vontade de ferro com a qualidade só precisa gastar 1 ponto) Um Vulto espectral com sua aparência física envolta pelo escuro , uma túnica sombria e sobrenatural se envolvia entre o ser que espalhava as aparições por todos o Auctoritas Ritae .



Eddie The Nightcrawler

Birmingham



Na Segunda maior cidade da Inglaterra Birmingham, um homem se mantinha concentrado em seus próprios estudos , na tentativa de obter um conhecimento ainda maior sobre os mistérios que a Taumaturgia ainda poderiam sondar para o jovem Eddie , seus olhos percorriam por dezenas de paginas de um livro velho , dado por Lauren na época em que eles ainda se encontravam . Já fazia muito tempo que eles não se encontravam e provavelmente aqueles ensinamentos eram a ultima lembrança que restava do feiticeiro . Distante de praticamente tudo , o cainita tinha uma inusitada visita naquela noite .



“toc toc toc”



A porta batia , e um homem quase tão jovem quanto um universitário dava as caras na janela bufando um ar gélido de inverno e se embrulhando em um grande casaco , a beira de um colapso de frio .



Kevin : - Buuuuuhhh que frio , hey senhor !!! preciso falar com o senhor !!



O garoto parecia cansado e com frio , havia feito uma longa viagem de carro e o mesmo estava estacionado em frente a casa de Eddie , a neve cobria grande parte do redor da casa , e o jovem estava enrubescido apenas por passar alguns minutos ali .



Kevin : - Eu procuro por Eddie , a capela convoca Eddie membro da Capela do Condado de West Midlands , por favor , o senhor conhece Eddie ?



O homem se tremia enquanto falava batendo na janela da casa , esperava uma resposta do feiticeiro segurando um envelope em mãos .





Morgana e Bakuyo (esse trecho é para os dois)



Leeds



Leeds a cidade próxima ao rio Aire , as origens de Leeds provem de um povo rural , que apenas teve sua chance de obter permissão para fixar um mercado no século XII , o comercio de lã foi prospero para a cidade , e centenas de anos depois , a pequena cidade de Leeds acabou tendo sucesso na expansão industrial graças ao canal que uniria Leeds a cidade de Liverpool . em meados de 1800 Leeds já era uma bela e prospera cidade , mas apesar de tudo a violência viria junto com a industrialização .



Bakuyo



Ahhhhhh !!! Seu desgraçado Gaulês !!! Vou destruir sua cabeça !!



Em um dos sujos becos da Cidade de Leeds , um jovem lutador fazia do sujo esporte uma maneira de ganhar dinheiro entre os outros , os mortais não sabiam da condição vampirica de Bakuyo e por essa razão , o cainita se aproveitava para não só poder ter o poder de se regenerar , como força e constituição nunca vista antes entre os lutadores . ( não sei se vc é veterano ou se já jgou o jogo Dark , mas funciona da seguinte maneira , vc controla seu personagem e faz suas ações , e eu faço as dos outros npcs , e decidimos o resultado nos dados , não esqueça de interpretar muito bem as ações pensamentos e vontade de seu personagem )



Um homem forte loiro e alto , era o adversário de Bakuyo , diversos homens se mantinham em pé ali , naquele imundo beco naquela noite fria , para fazerem suas apostas e descobrir quem seria o próximo vencedor .



O favorito ? É claro que se tratava de Bakuyo , o poder sobrenatural das habilidades vampiricas do cainita cediam a ele uma enorme vantagem sobre o mero mortal que acreditava na vitória .



Gaulês : - Eu vou esmagar o seu crânio pequeno moleque !!!



O alto Gaulês , podia ser mortal , mas era bem musculoso , ele socava a palma da mão em um gesto de intimidação , para só então avançar em direção a Bakuyo enquanto os apostadores no beco vibravam com a bela luta .



Aehhhhh !!!!



Morgana





Um pouco distante da cidade , mais próximo do rio Ária estava uma pequena casa que era considerada o refugio de uma Gangrel que fará uma grande importância no significado desta historia , com uma vida praticamente voltada para o conhecimento do oculto , a jovem Gangrel se deparava com algo que particularmente poderia abrir uma fenda em tudo aquilo que ela havia aprendido até então :



Sentada em uma poltrona pouco antes de acordar de seu sono diurno , Morgana via na televisão algo particularmente inesperado . Dentre as noticias um atentado que particularmente dava o sub entendimento de algo envolvendo uma família muito importante no cenário Vampirico . O Clã Geovanni



“ Nesta ultima noite de quinta feira , um atentado a vida de jovem estudante da universidade de Watherby próximo ao centro de Leeds chocou . A família Geovanni que vive na região do condato de West Yorkshire a mais de 4 séculos nunca foi alvo de algo assim contra nenhum de seus antecedentes , a estudante universitária de apenas 19 anos Cristina Geovanni foi brutalmente rasgada por um instrumento semelhante a um ralador ou algo semelhante há um picotador de gelo , as marcas nos braços e no peito da vitima são os mais intensos , a jovem está em coma grave e provavelmente tem riscos de não sair com vida a família diz que ira toma providencias para ajudar a integrante da Rica família geovanni a melhorar , porem os médicos afirmam que só um milagre para trazer a jovem Cristina de volta , e mesmo assim nunca mais terá seu rosto como antes . Alguns membros da universidade de Watherby encontraram-na em seu quarto neste estado com ao lado um diário da jovem que continha escritas relevantes a suicídio e palavras de melancolia , mas a ferramenta para uso dos rasgos na pele não foram encontrados , se foi tentativa de suicídio ou não resta agora , a perícia descobrir ”



noticia chocaria Morgana se ela não fosse tão cética (humanidade 6 ) mas mesmo assim algo havia acontecido a um dos integrantes da família dos Necromanticos , pela a idade da jovem , ela provavelmente ainda era mortal , e ainda não havia sido escolhida pelos membros para se tornar um cainita .


Última edição por Beaumont em Dom Mar 28, 2010 10:54 am, editado 1 vez(es)

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Bad em Sex Mar 26, 2010 11:39 pm

“Ao olhar ao redor Byakura percebe que tem vários espectadores”, * Putz não vou poder me alimentar após vencer, pelo menos vou pegar o dinheiro desses trouchas* (pensou consigo).
“Ao ver aquele homem alto vindo em sua direção sem um pingo de medo” *caramba eu que era pra ser o animal da historia*,

# Viro o corpo um pouco desviando do ataque, (OFF: so considere o resto se o desvio for com sucesso) Levantou um pé colocando abaixo do queixo o homem(Articulações Ultra flexíveis), fazendo com que fique difícil para ele ato engolir a saliva.

[byakura]- Você realmente quer perde tanto assim ? *ele da uma risada sarcastica*- já que você quer tanto apanhar vou lhe proporcionar isso.

# Ao falar isso ele levanta o pé fazendo o rosto do grandalhão levantar, tirando-o completamente o campo de visão. Podendo assim proporciona ao grandalhão um soco forte no estomago ao mesmo tempo q a perna abaixava.
Após aplicar ao golpe posiciona a perna uma a frente da outra olha ao redor com os olhos analisando a platéia e o lugar da luta observando os objetos ao chão. (visão aguçada).


Última edição por DarkBad em Sab Mar 27, 2010 7:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Bozo em Sab Mar 27, 2010 1:51 am

Narração Falas Pensamentos

Benjamin chega a Liverpool em um voo relativamente tranquilo. Desta vez nem mesmo as crianças pulando nas poltronas e os velhos roncando conseguiram tirar ele do sério. Teve até paciência para notar que o casal sentado nas poltronas ao lado estavam passando por problemas devido a um caso extra conjugal do rapaz. Era incomum Ben viajar sozinho, mas desta vez seu colega Sun teve que ficar em Londres para resolver alguns problemas. Talvez ele conseguiria se juntar a Ben no dia seguinte.

Levava apenas duas maletas: uma com roupas, em sua maioria ternos e roupas sociais, e em outra seus equipamentos. Entre os apetrechos estavam um frasco de aerosol e isqueiro, caso encontrasse vampiros, uma adaga de prata, caso encontrasse com lupinos e um bastão retrátil caso nenhuma das opções acima funcionassem. Depois de estudar tanto a cultura sobrenatural não andava em nenhum lugar desconhecido sem seus "seguros de vida" com o próprio Sun falava. Ben ainda levava em seu pulso um Mala, uma espécie de rosário budista, religião a qual praticava árduamente há anos, graças ao incentivo de seu melhor amigo.

Ao chegar ao aeroporto, o investigador avista de longe um homem com um cartaz em mãos contendo seu nome. Ben o comprimenta com cortesia. O homem se apresenta como Robert Navel, um detetive do departamento de policia local. Benjamin vai silenciosamente para o carro. Escuta com toda a calma do mundo o jovem rapaz falar sobre o caso. Mas, obviamnete, Ben não perde a chance de analisar o detetive. Devido a cor do cabelo, olhos e traços, ele com certeza só tem descêndecias européias. O coitado transpira demais mesmo sem estar de paletó... talvez esteja realmente nervoso ao me encontrar. Imagine se a Scotland Yard tivesse contado para ele que eu tenho mais de 100 anos! Ele me parece ser bem ancioso... afobado... é evidente que ele não é o mais indicado para o caso... ainda mais quando o desaparecido é um grande investigador. Esse é o tipo de caso que a calma é fundamental.

Os dois entram em um carro prateado. Ben escuta Robert até sua última palavra. Espera por uns 5 segundos para ter certeza de que o detetive falou tudo o que queria. Ben gosta de ouvir as pessoas, pois ele sabe que são elas mesmas as maiores delatoras de suas personalidades. Com um tom firme e sereno, Ben diz:

Benjamin > Vamos para a mansão de Anton Geovanni.
Robert > O senhor não quer falar primeiro com Edgar Shout? Não quer saber o motivo da reabertura do caso?
Benjamin > Os motivos pouco me importam... somente os fatos tem relevância. E uma coisa que aprendi com os anos é que não existe crime sem pistas ou suspeitos. Então sem uma visita a casa de Anton o crime ainda nem existe para mim. Depois, mais tarde, se achar necessário, falaremos com Edgar. Agora pretendo chegar ao nosso destino em no máximo uma hora.
Robert > ... Ok.


Os dois colocam os cintos e Robert segue pelo caminho em direção a mansão de Anton Geovanni.
avatar
Bozo

Data de inscrição : 09/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Albert em Sab Mar 27, 2010 9:24 am

Pensamentos:Hum que delícia, sangue velho, quando eu ficar poderoso o suficiente talvez tenha o mesmo destino, mas não agora, não agora...pelo menos nosso sangue não é diluido como outros vampiros e, de certa forma sentimos amor uns pelos outros dessa seita.

Atos: Espero na fila para receber o Vitae da "comunhão", fico empolgado, não é sempre que vejo um ancião.

Pensamentos:Ai ai, não vejo a hora de ir para uma missão, tomara que ela seja bem arriscada, já estou criando teias nos meus músculos velhos (hahah).

Atos: Olho para os lados para ver algum vampiro conhecido...
avatar
Albert

Data de inscrição : 09/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Fuuma Monou em Sab Mar 27, 2010 5:26 pm

eramos algumas pessoas na paróquia da cidade para que recebecemos o título de cavaleiros, todos os membros da cidade estavam no jardim do castelo do arcebispo Craig Creswell. era um lugar amplo e totalmente murado.

o bispo mais novo inicia colocando o código de milão, e passa a palavra ao outro bispo...

ocorre algo:
Spoiler:
Dezenas de Almas conturbadas e perdidas saiam de um buraco que se estendia cada vez mais nas costas do Lazarento como uma brecha nos portais do mundo dos vivos e mortos . De seu peito uma mão Saia , ela puxava com toda a força arrancando o coração morto do Lazarento sem chances de se revidar . Um Membro ancião daquele poder era facilmente levado ao torpor em uma manobra surpreendente para finalizar , com um único golpe a mão rasgava a cabeça do Ancião causando sua morte final em meros segundos , os lamurios de almas envolviam muitos ali , perturbando vários cainitas fracos psicologicamente (qualquer cainita que queira realizar uma ação precisa gastar 1 FDV por turno a menos que tenha Vontade de ferro com a qualidade só precisa gastar 1 ponto) Um Vulto espectral com sua aparência física envolta pelo escuro , uma túnica sombria e sobrenatural se envolvia entre o ser que espalhava as aparições por todos o Auctoritas Ritae .

se prepara para o final dos ritos

*o que está a esperar por nós?* - pensava
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Beaumont em Dom Mar 28, 2010 10:55 am

PESSOAL SÓ GOSTARIA DE LEMBRAR QUE MEU PROXIMO POST SERÁ QUARTA FEIRA .

E ENTÃO VAMOS NORMALIZAR ENTRE ATUALIZAÇÕES DOMINGO E QUARTA. POR FAVOR NÃO POSTEM EM CIMA DA HORA ^^ OBRIGADO .

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Samia em Dom Mar 28, 2010 11:11 pm

Morgana estava em casa, mas não prestava muita atenção na televisão ligada.
Como de costume, tinha um livro aberto no colo, o barulho baixo do aparelho não atrapalhava sua leitura, mas ainda assim captou uma palavra que lhe chamou a atenção.
Ao ouvir "Giovanni" ela fechou o livro que estava no colo e pôs-se a prestar atenção nas imagens que formavam um mosaico em vários tons de preto e branco à sua frente.

Ao terminar de ouvir as notícias, ela se aproxima do velho baú adornado em preto e vermelho e retira de lá de dentro um livro e coloca-o sobre a mesa, abrindo-o em uma página qualquer, sem no entanto olhar para o seu conteúdo.
Estava imaginando os motivos para fazerem aquilo com a garota.
Traição talvez?
Rivalidade?
Inveja?
Ódio?
Ninguém é estúpido o suficiente para negar que este tipo de sentimentos não são comuns em uma família.
Mas o culpado poderia não ser um membro da família, poderia ser alguém de fora, alguém que quisesse todos os Giovanni mortos, inclusive aqueles que não estão realmente vivos. O começo seria exterminar a pirâmide pela base, talvez, eliminar os membros que ainda não haviam sido abraçados, então depois eles poderiam se voltar contra... Mas se o culpado pensasse assim, teria que ter algum conhecimento sobre o mundo vampírico, talvez até fosse um membro...ou um humano que soubesse demais...

A quantidade de informações formava um turbilhão na cabeça da Gangrel, ela então pegou seu sobretudo de lã preto pendurado no cabide na porta de entrada, pelo telefone chamou um taxi, iria diretamente para o hospital onde estava a garota em coma.
avatar
Samia

Data de inscrição : 10/03/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Kairo em Seg Mar 29, 2010 5:36 pm

Tarik esperava com muita calma pelo o horário ao qual o primeiro bispo iria falar.Ele estava usando uma roupa apropriada para o clima que estava no local, que era de muito frio.Não demorara muito para ele começar a proferir, mais também demorara para ele deixar o local para outro vir falar, e fora assim ate o que chegara no bispo Stephen Roux, ele simplesmente parou de falar.Dezenas de almas saiam de um buraco em suas costas o que deixara Tarik um pouco nervoso.Do seu peito saia uma mão, que arrancava seu coração.

“O que fazer agora?”Pensava Tarik.Ele botava a mão para dentro de seu casaco segurando, somente segurando sua arma, para o caso dele ter que se defender.Ele ia andando para trás, para poder se esquivar facilmente do vulto, que tinha sua face coberta por escuridão e usava uma túnica sombria.

Kairo

Data de inscrição : 11/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Morrigan em Seg Mar 29, 2010 7:23 pm

Dona da Casa : - Hey , você menina ! Você se apresenta em dois minutos , ta preparada ? O publico é exigente , mas como você sabe nudes só da cintura pra cima .

- Preparada? Concerteza... Nem se preocupe com relação a Nudez ...

" Nudez Não é problema quando meu objetivo está em conta"

Meninas : - Hey vê se não vai tombar no palco como a Mei Ling viu ??! Sua carreira de menina “perfeita” pode ir por água abaixo huahahauhh .

- Hihihihi, Como vocês são engraçadas, mas é claro que isso não irá acontecer...

"Quem elas pensam que são?"

*Morrigan então se levanta e vai e direção a entrada do palco Ficando nas Coxias*

Alexia : - Para o delírio dos homens ... E de muitas mulheres também , apresento a vocês ela a atraente e sedutora de corpo perfeito ... Que veio apenas para leva-los a loucuraaaa ! E Com vocês ela... Morrigan Aesland !!!

" É agora!!!"

*Morrigan entra no palco com sua roupa completa*



*E o Show Começa com morrigan fazendo os movimentos que havia ensaiado exaustivamente... Morrigan coleta o Dinheiro dos Homens mais perto com uma dançinha mais particular e então ao final do Show se despede do publico e vai para o camarim denovo*
avatar
Morrigan

Data de inscrição : 13/03/2010
Idade : 26
Localização : Rio Grande - RS

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por painkiller em Ter Mar 30, 2010 11:18 pm

Analisando o jovem rapaz, que não demonstrava ser um vampiro, no entanto, era incomun receber convoações da quela forma e às pressas...
Eddie deu uma rápida olhada, no garoto e no veículo, fazendo uso em sua percepção extrasensorial (auspícios) em busca de alguma emboscada, enquanto calmamente falava:
- Pois não, está falando com o próprio, Eddie, queria entrar. - Ainda, um pouco desconfiado e ansioso, pois esta era sua primeira convocação pela capela sem Lauren, Eddie prosseguiu interrogando o jovem, procurando reconhecê-lo como um carniçal, como um vampiro, ou como uma ameaça. - Sobre que assuntos a capela deseja tratar? E quando eles precisam de minha presença?
avatar
painkiller

Data de inscrição : 23/03/2010
Idade : 29

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Beaumont em Qua Mar 31, 2010 1:24 pm

Liverpool



Beijamin Lockheart



O primeiro contato entre Ben e o investigador Navel era tranqüilo , Ben tna verdade tinha uma natureza tranqüila . Para o investigador , essa era das principais virtudes que se poderia ter para conseguir ser o que ele era , analítico ao extremo , em apenas uma curta caminhada em direção ao carro de Navel , Ben já conhecia grande parte da vida do investigador , e já dava o veredicto .

Navel não era apto o suficiente para a investigação do sumiço Anton Geovanni . Talvez no fim até mesmo Navel soubesse que não tinha capacidade , como Navel mesmo havia dito “nós simplesmente não sabemos o que fazer” restava apenas a Ben ser a salvação naquele caso .

Os dois alcançam o carro prateado , e pela espessura e modelo do carro , Navel era casado , no banco traseiro uma cadeirinha de bebe revelava que o casamento ainda estava bem , uma foto na cabeceira dianteira do carro da bela esposa loira e mais 3 filhos , sendo que um deles era bebe , quando Navel finalmente para de falar , enquanto olhava para trás para tirar o carro do estacionamento , finalmente Ben dava suas primeiras palavras e suposições



Benjamin > Vamos para a mansão de Anton Geovanni. Os motivos pouco me importam... somente os fatos tem relevância. E uma coisa que aprendi com os anos é que não existe crime sem pistas ou suspeitos. Então sem uma visita a casa de Anton o crime ainda nem existe para mim. Depois, mais tarde, se achar necessário, falaremos com Edgar. Agora pretendo chegar ao nosso destino em no máximo uma hora.




Robert : - tudo bem , você é quem manda !



Robert falava com um tom do que já sabia o que iria encontrar lá . Afinal ele afirmava que já tinha ido lá diversas vezes , e nem ele nem a perecia havia encontrado absolutamente nada . Mas aos olhos de Ben isso poderia ser diferente . O carro então se dirigia a zona sul da cidade , parte mais rica e nobre da cidade de Liverpool , com uma paisagem bela e regida pelo imenso frio , a viagem se tornava bem tranqüila , cerca de 45 minutos , nesse tempo Navel aproveitava para comentar , os parâmetros de suas investigação , afirmava que havia falado com supostas testemunhas , como os empregados da casa , amigos , parentes , a perícia tentou utilizar-se de reagentes para encontrar sangue pelo local , luz negra , mas não havia sinais de sangue ou luta em nenhum dos cômodos da casa , investigaram também o passado de Geovanni na tentativa de acharem um suposto problema do qual ele poderia ter se metido , drogas , prostituição , jogos , mas aparentemente Geovanni era um bom investigador , Navel afirmava mais uma vez que por falta de indícios eles haviam desistido de procurar, e que Benjamin era a ultima alternativa .



Robert : - Ponto chegamos !! Essa é a mansão de Anton , a família geovanni possui mais 2 mansões pela cidade se você quiser interroga-los ou coisa parecida , Anton não possuía filhos ou era casado , essa mansão toda era inteiramente dele e dos empregados , vida solitária não ?



A mansão já não estava mais com os cordões amarelos da policia , já havia passado muito tempo desde o sumiço a mansão estava abandona , os empregados sequer adentravam a casa , e só ficavam ali , por que suas residências eram na casa de caseiros que ficava no quintal da grande mansão , uma grande casa de madeira , com um belo aspecto por fora . O jardim era verde e ainda bem cuidado pelos jardineiros , Várias estatuas de mármore que justificavam a e a vida e morte podiam ser vistas ao longo do caminho . Ao pararem o carro bem na frente da mansão Robert Saia , usando a uma chave dava aos investigadores para poderem entrar na mansão . A grande porta dupla era aberta , e um grande Hall podia ser visto , uma escadaria de mármore dava acesso ao segundo andar , Quadros feitos por pintores Europeus decoravam o Hall , e um tapete negro , cobria da porta até a escada em um aspecto bem luxuoso , tudo estava empoeirado refletindo que de fato nenhum dos empregados haviam entrado ali , em dois meses depois do sumiço de anton .



Robert : - E então ? A esquerda vamos parar na sala de jantar e a cozinha , subindo as escadas tem os quartos , a biblioteca , banheiros etc . Rodamos isso varias vezes e não encontramos nada , se ele foi seqüestrado , foi um trabalho bem feito ... E então o que acha?



Robert coçava sua calva careça com uma expressão de duvida no rosto .



Morrigan Aensland



Aos seus primeiros passos no palco enfeitado em um visual característico a fantasia de Morrigan , o palco era cintilante na cor rubra , uma nevoa tremulava a chegada da tão bela e esperada mulher , Em seus movimentos , a platéia simplesmente se extasiava de prazer , não haveria ali ninguém que não estivesse com os olhos vidrados em Morrigan . Enquanto ela fazia o show , Lilith estava no bar servindo a bebida dando um sorriso para sua amiga , apoiando e certamente também se divertindo com o seu show . O show ainda estava em seu meado e em um dos momentos em que ela girava o corpo sobre o poli-dance seu rosto iria de encontro a uma das mesas lá no fundo , por algum motivo , ela virava seu rosto para lá , nada mais importava para ela , ninguém ali , seus olhos se tornavam únicos e fixos apenas ali . Uma mesa com 2 casais observava o show , suas roupas beiravam o mais refinado estilo da moda atual entre outros tipos de modas caras , todos os 4 pareciam ter uma ótima renda salarial . As duas mulheres , eram cobertas em ouro e jóias das cabelos belos em um ondulado bastante criterioso e bem arrumado , os homens vestiam ternos caros , a apesar de bem educados , comiam Morrigan com os olhos como se sua apresentação realmente ateassem fogo nos corações de todos os 4 ali , até mesmo as mulheres se mostravam excitadas com a bela dança enigmática de Morrigan , o que era tudo que a bela Stripper queria , ser a mais cobiçada . Finalmente a apresentação terminava , Morrigan finalmente saia do transe momentâneo , percebia que não estava fazendo o show simplesmente para aqueles 4 dali , mas sim para varias outras pessoas , a garota se despedia em meio a toda aquela salva de palmas e assobios , para finalmente voltar ao camarim .



Dona da casa : - Isso !! Isso !! Menina você me dará uma fortuna !! Por que não e achei antes ??!!! vem cá , tire o resto da noite de folga , esqueça as danças particulares , com o dinheiro que eu consegui posso te dar um Bônus essa noite !!



A mulher de meia idade não era feia , pelo contrario para seus 40 anos ainda era um verdadeiro estouro , corpo esbelto e seios firmes , se Morrigan alcançasse sua maturidade com aquele corpo certamente estaria muito feliz , apesar do belo corpo , a mulher não trabalhava mas como Stripper , apenas cuidava da casa e suas “meninas” como chamava , ela começava a possuir um grande apego por Morrigan , já que a mesma dava muito dinheiro para aquele local , se tornava cada vez mais a queridinha a fonte de inveja para todas as outras Strippers mais antigas dali . Candy chegava , com aquele ar de inveja ainda estampado no rosto , mascava um chiclete de boca aberta com o intuito de provocar Morrigan e sua “beleza perfeita” e chamar a atenção



Candy : - É pelo visto , você não caiu , que pena... Eu tava doida pra ver seu “silicone” rolar pelo palco...Olha não vim pra brigar , só pra te avisar que tem um pessoal ali naquela mesa ali que quer seu autografo , eles falaram que vão pagar 1mil dólares pra casa se você for lá conversar com eles .



A dona da casa , rapidamente arregala os olhos , 1 mil dólares em uma noite certamente é um ganho quase semanal . Morrigan não podia perder . A porta do Camarim se mantinha um pouco aberta enquanto Candy apontava para a mesa , na qual era justamente dos 2 casais que tanto chamaram a atenção de Morrigan , eles possuíam algo de enigmático , sedutor e sem duvida , muito envolvente .



Eddie The Nightcrawler



Pois não, está falando com o próprio, Eddie, queria entrar. - Ainda, um pouco desconfiado e ansioso, pois esta era sua primeira convocação pela capela sem Lauren, Eddie prosseguiu interrogando o jovem, procurando reconhecê-lo como um carniçal, como um vampiro, ou como uma ameaça. - Sobre que assuntos a capela deseja tratar? E quando eles precisam de minha presença?




Kevin : - Com licença , olá muito prazer , eu sou Kevin Flemming , e este é o convite que seria entregue a você que faz referencia ao Baille de hoje a noite . Essa festa tem o principal objetivo de firmar a ajuda prestada a familia geovanni . Se o senhor já viu os jornais certamente já sabe o que ocorreu com a família Geovanni ao longo da Inglaterra e do mundo não ?

Kevin se referia a morte de Anton Geovanni entres outros da linhagem dos Necromanticos , o jovem parecia não ser muito experiente no mundo das trevas , mas engatinhava na medida do possível , Com o poder dos sentidos aguçados de Eddie , o cainita podia perfeitamente ver as nuanças da pela do jovem , rosada e esbranquiçada apesar do frio , dava perfeitamente para ver que era um mero mortal , suas roupas combinavam em tons vermelhos e azuis , enquanto baforava a mão para aquece-la Eddie podia ver o símbolo do clã dos feiticeiros bordado na luva direita do rapaz . Do lado de fora apenas o carro azul do qual o garoto havia vindo e do qual ele mesmo havia dirigido .



Sobre que assuntos a capela deseja tratar? E quando eles precisam de minha presença?




Exatamente esse é o ponto que quero chegar sr . O baile será a meia noite , daqui a 4 horas , mas como pode saber a Primigenie tem um grande valor nas decisões do príncipe , e certamente é claro que a Primigenie Tremere nunca faria nada , que prejudicasse a pirâmide ou qualquer membro que compõe sua base . Meu real objetivo aqui é saber qual é a sua posição com relação a aceitação ou não do Auxilio do nosso príncipe . Quero que entenda sr . Que eu sou apenas um mensageiro , e vim aqui para busca-lo , entenderei perfeitamente se não quiser me acompanhar em direção a Capela mas pelo menos preciso saber qual é a opinião do senhor a respeito para poder enviar essa respostar ao nosso próprio ancião ...



Certamente o garoto tentava aparentar o mais imparcial possível , e apenas conduzia seu trabalho entregando o convite para o Baile a meia noite , enquanto se acomodava na cadeira para esquentar-se um pouco mais . Era evidente que a escolha de Eddie era tão valiosa quando a de qualquer outro feiticeiro da cidade , e a primigenie não queria que seu voto na noite de hoje fosse uma decisão inteiramente dele , mas sim de todos os feiticeiros do Condado de Westmidland .



Sheffield



Albert , Benneti , Tarik



Em cerca de segundos , as almas lamuriadas de dor gemiam por todo o espaço do Ritual . O Vulto espectral , cujo seu semblante permanecia inerte na escuridão trafegava de volta , para o interior da espessa costura que aquela entidade havia criado justamente para atravessar e adentrar o reino dos vivos . O Brujah Tarik era hesitante , basicamente não sabia o que fazer , segurava sua arma dando passos para trás , enquanto as assombrações lamuriosas , se alastravam por todo o cenário dali . Tarik pensava em se esquivar de um ataque físico , do Espectro desconhecido , mas não percebia o que se o perigo brotava do que acontecia a sua volta . Sua mão por debaixo do casaco tremia , tremia como se fosse incontrolavelmente viva . Era algo mais do que pavor ou nervosismo . Os lamuriantes provocavam um Pandemônio de desorientação na mente de muitos ali , Tarik não seria exceção , sem querer ele disparava a arma ao chão , percebendo que as vezes ele não era digno de suas próprias ações , estava desorientado , e assim acontecia com o Caitiff Albert olhava para os lados freneticamente mas não via absolutamente ninguém a sua volta conhecido , muitos estava assim como ele , tremiam em suas pernas ou se ajoelhavam tentando socar o ar em uma esperança ilusória de conseguir acertar uma assombração espectral .



Danio: o que está a esperar por nós?




Um pensamento incontidos rondavam a mente de Danio , o que seria tudo aquilo ? A voz Atroz de um Juízo final ? A morte de Stephen Roux fora tão rápida , tão indolor ... Que parecia que ele já esperava pela sua condenação . Agora muitos dos emissários da Espada de Cain simplesmente sucumbiam a loucura , se jogavam aos gritos , das lamurias que cercavam a todos . Dario podia olhar para o chão e ver sua própria sombra se manifestar sozinha , sem que nem ele mesmo a controlasse, seu poder se descontrolava de segundo a segundo . Os tentáculos do Abismo emergiam e voltavam rapidamente . O que estava acontecendo com eles ?



(-1 dados em todas as paradas de dados para Tarik , Danio e Albert , essa penalidade é acumulativa e irá aumentando gradativamente até imobilizar o corpo dos cainitas por completo e se tornarem um corpo vazio )



Leeds



Byakura



A sua frente o grandalhão Gaulês se aproximava para dar um poderoso soco , apesar de grande e forte era bem lento . e isso se tornava uma vantagem para Byakura





teste de soco do Gaules des2 + briga4 diff 7 (4,7,7,4,2,7,) (3 sucessos)

teste de destreza5 + esquiva4 –2 dados de ação múltipla (3,4,9,9,7,4,6,) (4 sucessos) teste de soco de byakura des5 + briga5 –3 dados de ação múltipla diff 6

(4,6,5,2,7,8,4,6,4,7) (5 sucessos)

Teste de dano Força3+4 sucessos diff 6 (8,6,7,9,8,3,5) (5 sucessos)

Teste de absorção Virgor2 (5,7) (1 sucesso)

Gaulês gravemente ferido .





Com grande precisão o giro feito por Byakura era feito , o lento e alto grandalhão mal via o momento em que o seu oponente se desviava , sua perna fitava o queixo do Gaulês mostrando sua maestria com as pernas e a habilidade de poder finalizar aquela luta a qualquer hora . a Ira do Gaulês só aumentava , tanto que seu grito era aterrador .

byakura- Você realmente quer perde tanto assim ? *ele da uma risada sarcastica*- já que você quer tanto apanhar vou lhe proporcionar isso.




Gaulês : Perder ??? AHHHHHH , molequeeeee !!! AHHHH...



Seu grito apenas fazia a platéia crer ainda mais no pequeno e menos no grandalhão

E por fim o que já era esperado acontecia , com o primeiro golpe desferido no estomago do grande Gaulês , o sangue jorrava pela sua boca , como se o vigor do grandalhão não fosse nada comparado a potencia do soco de Byakura . O Gaulês segurava seu estomago tentando buscar respiração enquanto a platéia iria ao delírio , vibravam com a magnitude de Byakura o favorito . mas ao abaixar do Gaulês grandalhão , o gangrel via paralelo a ele na platéia , alguém conhecido , era um de seus aliados da máfia , o homem de preto dava um sorriso e acenava um Jóia , provavelmente estava gostando do show . O Gaulês já estava quase recuperando a respiração quando Byakura aproveita o curto espaço de tempo para observar o local .





teste de visão aguçada com concentração sem penalidades .

percepção3 + prontidão1 diff 4 (3,7,1,2) (0 sucessos)

teste do Gaulês para agarrar for5 + briga4 - 2 dados diff 6 (4,7,9,2,7,6,7,) (5 sucessos)

teste de Byakura pra resistir for3 + briga 5 diff 6 (4,7,5,3,6,8,3,6,) (4 sucessos)




por um momento Byakura perde , a atenção tentando observar se poderia encontrar algo a sua volta . Mas era inútil , não tinha tempo suficiente já que ao olhar para o lado , ele era derrubado pelo Gaulês que o abraçava fortemente jogando-o ao chão , o grandalhão era forte , e apertava Byakura como em um abraço de urso , impossibilitando Byakura de mover seus braços enquanto os dois se encontravam no chão .



Morgana



No lado mais afastado da cidade de Leeds , Morgana estava em sua casa , ela se aproximava do baú pegando mais um livro , como se tentasse , esquecer o que havia escutado , mas pelo contrario , aquilo ficava martelando sua cabeça repetidas vezes , um atentado forte contra a tal Cristina e mesmo assim ela estava viva . As causas do acontecido rondavam a mente de Morgana , será que ela estava certa com alguma daquelas causas ? Ela queria saber , talvez bem mais do que isso , só havia um jeito de descobrir , Morgana esperava pelo carro chegar, o carro que ela havia chamado para leva-la até a cidade , ela morava longe , longe o bastante para não precisar se meter com nenhum vampiro , ali ela estava bem , e segura , mas agora precisaria voltar aquele mundo nos quais precisaria seguir as ordens de um “idealista” qualquer , apesar de tudo Leeds era uma daquelas cidades Anarquistas sem controle de qualquer príncipe , nem mesmo era de se encontrar um membro da camarilla naquela cidade , talvez fosse tão pequena que a seita sequer gostaria de gastar seus recursos investindo , também não se sabia sobre o sabá se houvesse , eram uns poucos bandos que viviam por ali , mas nada muito grande . pra falar a verdade era difícil achar vampiros naquela cidade meio isolada pelo campo , Gangreis e Ravnos e a família Geovanni tradicionalista com sua grande mansão próximo a área Sul da cidade . Esses 3 clans era o Maximo que se podia ter de organização e concentração da cainitas na cidade , por isso era tão tranqüila , na medida do possível . Algum tempo se passava , 1 hora e meia para ser mais exato o carro Chegava , um táxi parava em frente a casa , pouco mais das 8 da noite , Morgana já estava pronta , com seu sobretudo ela entrava , e o motorista calado apenas perguntava o destinatário . A viagem de 1 hora e meia , era bem silenciosa entre os dois provavelmente por que a Gangrel não parava de pensar nas mais diversas possibilidades par ao ocorrido , talvez houvesse algo de sobrenatural nisso para ela obter mais experiência , se não pelo menos ela se detraiu um pouco , o homem do taxi quase não falava , suas únicas palavras era comentar que demorou porque ela ficava fora da cidade , e perguntar se ela gostaria de alguma musica , e nada mais . No fim da viagem , Morgana se via na frente do hospital de Whaterby , o homem parava o táxi afirmando que o custo da viagem havia sido 200 euros devido a distancia percorrida . A cainita então adentrava ao hospital e logo na entrada era rendida pela recepção



Racepcionista : - Olá , como posso ajuda-la ?



O local estava excessivamente frenético e conturbado devido a acontecimento recente e na tentativa de afastar a mídia local , a segurança no hospital havia se tornado um pouco maior . Morgana ainda não fazia idéia de qual quarto ela estava no local , a busca certamente daria trabalho .

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por painkiller em Qua Mar 31, 2010 1:43 pm

Eddie observando o jovem e não sentindo nenhuma ameaça pegou o convite o leu calmamnte, ofereceu uma bebida para o visitante, que porntamente aceitou um copo de uísque. Embora não costumasse beber outras coisas fora o sangue, Eddie tinha como herança deixada do seu pai e de sua antiga vida mortal algumas garrafas de bebida.
Observando o relógio, pediu para que o visitante aguardasse um instante, enquanto rapidamente dava uma última olhada no espelho, não costumava sair assim às pressas, mas o clã precisava dele, olhou para o seu fiel revólver recheado de balas de prata, colocou o diário de Lauren escondido em algum lugar deetro do seu sobretudo, assim como pegou os braceletes com garras retráteis, que ele cuidadosamente havia banhado em prata. Como sempre temeroso com relação aos malditos Garous que como Lauren dizia, muitas vezes paranóica "Estão onde menos se espera". Após estar devidamente paaramentado, Eddie de um pulo desceu as escadas, e com um sorriso no rosto, em parte pelo entusiasmo, em parte pela curiosidade das possibilidaes que lhe seriam abertas. ao descer deu um Grito:
- Vamos lá, senhor Flemming, não temos a noite toda.

Flemming se levanta rapidamente, largando o uísque e se dirigindo até o carro juntamente com Eddie. Eddie se senta no banco do passageiro enquanto sente o som da ignição do carro, ainda com o olhar perdido na paisagem enquanto tentava mentalizar como ele poderia auxiliar o clã e aumentar eu prestígio naquela ocasião.
avatar
painkiller

Data de inscrição : 23/03/2010
Idade : 29

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Kairo em Qua Mar 31, 2010 8:10 pm

Estava com muito medo, sem saber o que fazer.Muitas opções passavam em sua mente, mais ele não conseguia escolher uma que fosse adequada a aquela situação.Ele ouvia muitos gritos e em sua volta muitas pessoas iam ao chão.Sem querer ele disparou sua arma no chão, e com esse disparo ele teve a idéia de atirar no vulto para ver o que acontecia, então sacou as suas 2 armas.

“Vamos ver no que vai dar.”Pensou ele

Sem mais delongas Tarik disparou 4 tiros contra o vulto.

Kairo

Data de inscrição : 11/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Albert em Qua Mar 31, 2010 10:09 pm

Falas: Aaaaaaaahhhhhhhhhhhhh, sai encosto, xô fantasma,(se eu fosse humano e tivesse comido algo certamente borraria minhas calças).Mercadoria...
Atos: Vou usar ofuscação dois (máscara de mil faces) e tentar imitar Danio.
Dando certo ou não a modificação, me jogo no chão e tento sair de fininho do recinto.
avatar
Albert

Data de inscrição : 09/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Fuuma Monou em Qui Abr 01, 2010 9:41 am

noção do perigo ativa

Danio estava ficando perplexo com aquela situação, sombras estavam subindo e formando os braços...sombras tomavam conta do lugar...

*certamente é um dos meus* - pensava *mas deve ter algo de errado aqui*

se concentrava em tudo que seu senhor havia lhe contado sobre a "iniciação" procurando o que estava acontecendo alí...(vide prelúdio)

qualquer movimento estranho, que o faça realmente sofrer algum dano, cria os braços para sua proteção...

*ainda acho isso estranho, me parece que alguem está brincando com as sombras...*
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Bad em Qui Abr 01, 2010 10:51 am

Quando menos esperava o Gaulês, tinha tomado o controle da batalha. Sendo aperto apertado por aqueles braços, jogado ao chão, tava perdendo a batalha mas aquele sangue, sim aquele sangue desperto a vontade, não a vontade de ganhar, mas de se alimentar, porem não podia fazer feio em frente ao seu aliado, ele sabia que se ele tava ale tinha algo ou queria algo, Byakura pensa consigo *Caralho, malditos telespectadores; maldito gaulês; o que serar que ele quer?*
Byakura aproveitar o abraço e implica um sequencia de joelhada nas partes intimar do Gaulês, e simultaneamente testadas no homem , ao fazer tenta se soltar e jogar o gaulês para o lado]off= sO considere o resto se der sucesso.] E levantasse em protidão e fala
- Vejo que você vai me diverti um pouco.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Bozo em Sex Abr 02, 2010 1:52 am

Narração Falas Pensamentos

Ao entrar na mansão Ben nota o luxo do local. Imagina por um segundo aquele Hall com pessoas, garçons e bebidas. Era a típica cena de filme onde a aristocracia se divertia e elaborava planos maquiavélicos uns contra os outros. Mas desta vez, a primeira vista, o sequestrado não era tão excêntrico assim. Pelo contrário, mostrava-se centrado e intelectualmente focado em seus deveres. Ben vagarosamente passa os olhos por todo o ambiente. Parado ao seu lado Robert observa atentamente o investigador tentando enxergar o que ele via. Mas Ben não via nada. Ele apenas admirava os quadros, procurando algum padrão nas pinturas. Então Robert pergunta:

Robert > Senhor Lockheart?
Ben > Pois não.
Robert > O senhor está procurando pistas?
Ben > Humm... não são propriamente pistas... afinal não há nada o que realmente procurar aqui, vcs já fizeram este trabalho. Eu estou admirando as pinturas de Anton.
Robert > E o que teria o desaparecimento de Anton com os quadros?
Ben > Só existem duas possibilidades para ele ter desaparecido assim: 1) raptaram/matarm ele ; 2) ele sumiu porque quis. E é na segunda hipótese que entram os quadros meu caro.
Robert > Não entendi.
Ben > É evidente que se ele desapareceu por conta própria ele já planejava fazer isso a algum tempo. Os quadros, como foram comprados por ele mesmo, revelam sua personalidade. Depressão, solidão, alegria, excentricidade, luxúria, tranquilidade... tudo isso pode ser captado através dessas imagens. Eles são o reflexo de nossas próprias naturezas.
Robert > Nossa... nunca parei pra pensar nisso Sr. Lockheart. Mas e agora olhando esses quadros, o que vc pretende fazer?
Ben > Trabalhando com nossas duas hipóteses temos 3 lugares a ir. Caso Anton quisesse sumir de vez ele com certeza deixaria alguma evidência disso por aqui. Como isso é muito pessoal, as pistas só podem estar em lugares pessoais da casa: o quarto dele e o escritório. Por isso vamos dar uma olhada nesses cômodos.
Robert > E se ele tiver sido realmente raptado?
Ben > Então trabalharemos com a primeira hipótese, onde a resposta estará com certeza em algum dos funcionários da casa. É impossível que um lugar tão grande, com tantos funcionários, incluindo seguranças e caseiros, não tenham visto absolutamente nada.
Robert > Já entrevistamos eles, e ninguém sabe de nada. Passamos alguns até pelo detector de mentiras, mas nada foi acusado.
Ben > HahHAhAhAhAHa detector de mentiras? Me desculpe a indelicadeza mas estes equipamentos são uma farsa. Apenas os homens conseguem entender o comportamento humano. Tenho certeza que descobrirei uma informação entre os funcionários caso ele realmente tenha sido levado a força.


Robert olha para Ben quase com descrença, mas a fama do investigador ainda mantém vivo a esperança de achar uma resposta para o caso. Ben dá uma última olhada nos quadros, intrigado com as informações que eles passavam, e segue direto ao quarto de Anton. Depois iria ao escritório e por fim conversaria com os funcionários. Ben sabia que o caso não seria tranquilo. Se um homem inteligente como Anton quisesse sumir, ele provavelmente não deixaria muitas pistas. E se alguém conseguiu levá-lo, a situação é ainda mais difícil de ser resolvida.

[off: Beau, no próximo post escreva o que ele achou no quarto e escritório. Não tem muito para eu fazer nesses lugares, é só investigar e vc descrever o que foi ou não achado. Jogue os dados caso ache necessário. Depois encaminhe-o para falar com os funcionários. Falow]
avatar
Bozo

Data de inscrição : 09/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Samia em Sex Abr 02, 2010 8:31 pm

A gangrel entrava no veículo sem responder com entusiasmo às poucas perguntas do motorista. Sentada no banco de trás do carro observava a paisagem urbana, prédios, carros, construções dos mais variados tipos, do antigo ao novo. A paisagem pela qual se apaixonara um dia, mas que então não era atualmente o principal motivo de sua existência.

O prédio alto do hospital apontava alguns metros a frente, iluminado. Há alguns metros estava o motivo de sua curiosidade, e quanto mais perto, mais perguntas pipocavam em sua cabeça.

À porta do hospital, estavam pessoas e mídia. Morgana desce do carro após pagar o motorista, esquivando-se das pessoas e chegando à recepção também apinhada de pessoas.

Uma moça sériamente trajada a recepciona.

Séria como de costume, Morgana responde:

- Boa noite, estou aqui para visitar Cristina. Sou uma colega de universidade, estava fora da cidade há alguns dias, mas quando soube do ocorrido vim assim que pude - ela diz se aproveitando da aparência jovem para conseguir acesso fácil ao quarto - não faço idéia de quem pode ter feito isso com a garota, Cristina era tão gentil, estou tão abalada - ela finge colocando a mão direita de leve sobre os olhos - poderia por favor me dizer em que quarto ela está?
avatar
Samia

Data de inscrição : 10/03/2010
Idade : 28

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Beaumont em Dom Abr 04, 2010 12:59 pm

So pra reforçar , desculpem a mudança de dias , mas agora é FIXO (quartas e domingos) por favor não postem em cima da hora ^^



Eddie



Por um minuto em frente ao espelho , Eddie se perdia imaginando “o que Lauren faria se ela estivesse ali?” infelizmente ela não estava e restava agora ao próprio Tremere cuidar de sua própria historia . Entusiasmado Eddie descia os degraus da escada de madeira observando o jovem universitário de casaco azul já se levantar colocando o copo vazio de uísque na mesa ou em algum suporte já se preparando para a saída .



Vamos lá, senhor Flemming, não temos a noite toda.




Um sorriso quase imperceptível demonstrava o alivio do garoto . No fim das contas não havia sido tão difícil convencer Eddie a seguir para a capela , e por esse motivo o objetivo do jovem Flamming estava cumprido O carniçal Kevin agia sempre por primeiro para demonstrar , eficiência em seus atos , abria a porta do carro para Eddie entrar e sair , era cordial e não conversava mais do que o necessário no carro , comentava apenas assuntos relativos a Capela e a pirâmide , nada que fosse pessoal ou apenas fútil . Ao saírem do carro no fim da viagem , o tremere se via diante de um dos mais antigos castelos na região de Liverpool a Viagem não havia sido sequer seguida em direção da cidade , a Capela também era localizada nos limites da cidade de Liverpool .



Kevin : - A Capela foi escolhida para ser aqui a mais de 600 anos . Nossa Primigenie , vive aqui desde então , esse castelo já foi lá de príncipes , e anciões de respeito , muitos da linhagem dos feiticeiros , mantemos relíquias preciosas aqui , por isso escolhemos esse local tão longe da cidade , para mantermos longe de certos invasores ...



Kevin se aproximava da portaria do castelo , saudando a portaria com um gesto bem característico , uma espécie de linguagem de sinal em forma de código , eles eram bem precavidos nesse sentido . Uma vez lá dentro Eddie poderia contemplar um verdadeiro museu de antiguidades em sua magnitude , Armaduras , espadas , escudos , quadros , entre outras esculturas , até mesmo o piso e as paredes eram feitas de arquitetura da época , tudo muito bem restaurado .



Kevin : - Isso tudo é um presente de nossos anciões , de nossos senhores ... Nossa linhagem senhor Eddie , vamos subiremos as escadas, pois a reunião já deve ter começado ...



Kevin agia com pressa subia as escadas com um belo tapete avermelhado com o símbolo do grande escudo do clã Tremere na idade das trevas , e a serpente a envolve-lo com os dizeres “ARBITRIUM VINCIT OMNIA” concretizando a imensa idade do castelo . Ao subirem as escadas , ambos davam de encontro com uma porta dupla de madeira em detalhes avermelhados , em seu interior vários homens e umas poucas mulheres a participarem da reunião . Os anciões constituíam as cadeiras banhadas em detalhes avermelhados ao lado do Regente da Capela , o Senhor Holand Westouch , e nas cadeiras um tanto mais simples feitas apenas de madeira , os aprendizes tomavam seus lugares , aprendizes neófitos , ancillaes e crianças da noite como Eddie . em volta da grande reunião em pé , estavam todos os outros carniçais que apenas tinham o direito de observar a reunião e não de opinar



Holand : - Senhor Crawler , que bom que pode se juntar a nós. Sente-se ! Preciso ser direto ao assunto . Me perdoem ir direto ao ponto , mas a verdade é :

A Linhagem Geovanni é composta de Necromanticos com magias quase tão poderosas quantos as nossas próprias ... Ficar contra eles seria o mesmo que alegar uma futura guerra e inimizade semelhante com a qual nos temos com o clã dos Demônios ... Mas ... Será que podemos ajuda-los contra algo que nós não vemos ?? Por que , se vocês mantiveram seus olhos nas noticias mundanas do hoje , puderam perceber , o quanto a linhagem Geovanni está simplesmente se dissipando no ar ... Se ficarmos ao lado deles , seriamos poderosos o suficiente para deter essa forma estranha de morte dos Necromanticos ? Ou seriamos simplesmente alvos fáceis de serem lidados assim como eles ?



Sheffieds



Albert , Danio , Tarik



(Albert mascara das mil faces é ofuscação 3 XD o que vc tem é presença invisível lol)





Solsitio de Inverno



O inimaginável acontecia ... Gritos de pavor de uma espécie cainita que tragava o medo em seus corações , Neófitos e crianças da noite em especial gritavam aos berros temendo algo que realmente não sabiam o que era . Almas lamuriosas rondavam o todo o Auctoritas Ritae , e as primeiras mortes finais começavam a aparecer .



parada de dados de Alberto = 0 teste de Rotschrhck Coragem =1 diff 6 (4) (0 sucessos) tomado pelo frenesi de medo .

Danio Bennetti parada de dados de FDV = 4

Tarik parada de dados = 3

Vocês dois ainda estão lúcidos . Mas o FDV de vcs é consumido a cada turno .








tarik penalidade de ação por 4 ações múltiplas

- 4 dados na ação 1 – 5 na segunda –6 na terceira –7 na quarta

teste de tiro des4 + armas de fogo 3 diff 6

1 (3,7,6,) (2 sucessos)

dano 6+2 diff 6(4,7,4,6,7,3,5,3) (3 sucessos)

2 (2,7) (1sucesso)

dano 6+1 diff 6 (3,6,7,6,3,7,4) (4 sucessos)

3 (3) (0 sucesso)

4 (0 dados)

Forma não existencial do espectro Pandemônio




No momento do disparo da arma , Tarik percebia que o medo corria seu interior , pensamentos tenebrosos e gritos estranhos zombavam tanto em sua mente quanto no meio do jardim , os pandemônios trafegavam deixando o rastro da dor por onde passavam , Tarik não era o único com medo daquilo , a sua volta dezenas de membros da Espada de Cain pediam clemência ao chão enquanto os anciões procuravam uma forma de fugir em direção ao interior do castelo também sendo perseguidos por criaturas lamuriosas , contudo eles ainda tinham um auto controle bem maior não se abalavam como os neófitos . Tarik em um gesto impulsivo , fazia o mesmo que muitos ali armados , sacava suas pistolas e disparava uma seqüência de vários tiros praticamente sem pensar , as balas passavam pelos espíritos como balas ao vento . O espírito se dissipava como uma bruma , uma nevoa tomando a mesma forma segundo depois , atirar em espíritos era como atirar no vento ... Sem chances .





Vampiros de baixa força de Vontade , assassinavam uns aos outros a punhaladas e garras , as lamurias pandemônios tinham o interesse de atormentar a tudo e todos ali sem exceção .Albert só tinha tempo de se jogar ao chão e se rastejar em direção qualquer para longe dali , o jardim era grande e o caminho seria demorado se rastejando , ele seguia e seguia , até que as imagens conturbadas começariam a aflorar na mente do vampiro , imagens da guerra e de se rastejar de uma trincheira a outra enquanto gritos e explosões tomavam conta do cenário da guerra , as imagens e lembranças da guerra s entrelaçavam com as daquele momento , Albert não saberia o que era passado ou presente , as mortes eram as mesmas , os gritos eram semelhantes . A mente de Albert se tornava perturbada o suficiente para perder o controle de seus próprios atos . ( Albert interprete um frenesi de medo seu frenesi só vai acabar se a fonte de seu medo desaparecer , ou se você fugir dele )



Danio , olhava pasmo para o que acontecia , olhava em volta para ver se encontrava o usuário das sombras a manipula-la , mas a surpresa seria bem maior do que ele esperava , Danio controlava as sombras tenebrosas por ele mesmo , era o próprio cainita que inconscientemente movimentava as sombras ao seu redor sem perceber , Danio Benneti tinha sua sanidade destruída a cada minuto , estava perdendo o controle sobre suas próprias ações , estava ficando louco com o tormento dos pandemônios , os espíritos que se encarregavam de atormentar a todos ali . E mesmo que tentasse se recordar , Danio não conseguia lembrar de nada parecido , seu ocultismo de certa forma nunca havia se dado conta de algo tão estranho assim , não era obra cainita , nem mesmo de lupinos ou da Umbra ... Era cada vez mais assustador . Mas Danio podia ter certeza de que aquilo não fazia parte do Auctoritas Ritae . Não mais . As sombras que o próprio Danio controlava se tornavam mais bizarras , imagens de monstros e aparições que se formavam em sua mente tomavam formas nas sombras que ele mesmo criara com o jogo das sombras da tenebrosidade , apenas para atormentar os outros neófitos ali , Danio estava perdendo a sanidade a cada segundo que se passava . (considere que algo está perturbando sua mente e por isso inconscientemente vc usou 1 pds pra ativar o jogo das sombras , materializando a forma de um pandemônio nas sombras)



Todos fugiam dali , os anciões se abrigavam no castelo do Bispo Tzmisce , mas não estava longe do perigo , longe disso , se confinavam ainda mais no terror proporcionado por eles , A forma espectral que criava o portal voltava pelo mesmo deixando a fenda aberta para que mais pandemônios viessem para causar dor e tormento a todos ali . Qual seria o objetivo de tudo aquilo ? O auctoritas Ritae era praticamente profanado daquela forma , destruído , assim como muitos dos membro sabá dali ...





Ben



Ben teste de Percepção + investigação diff 8 (3,6,3,7,10(6),3,4,6,)

(3 sucessos)

Inteligência + Ocultismo diff 6 (7,8,5,9,6,4) (4 sucessos)

coloquei na descrição abaixo tudo que devido a interpretação e os sucessos obtidos poderiam lhe fornecer , os lugares em que bem vasculhou e as informações obtidas sobre o assunto




O local era realmente grande , e expressava uma imensurável riqueza até mesmo para um renomado investigador Anton Geovanni que ganharia pouco mais de 9 mil por mês , aquela mansão era realmente grande e bem cara , isso era facilmente perceptível pelo perspicaz Ben de fato . O investigador fazia suas primeira admirações nos quadros , observava um a um e todas as figuras que eles exibiam , no primeiro andar os quadros todos eram como historias , relatavam mortes e a passagem entre a vida e a morte , muitos possuíam caveiras como o retrato da pós vida , outros tinham uma conotação um pouco mais diferenciada , mostrava espírito e coisas semelhantes . Robert apenas mantinha-se calado a observar , em sua concepção deixar o homem trabalhar era o melhor que tinham a fazer ,



Robert : - Nossa ... Nunca teria pensado em olhar para os quadros ...



Robert observava o investigador finalmente subir as escadas em direção aos quartos , no segundo andar , os quadros mostravam os antecedentes e outros membros da família Geovanni , a galeria de quadros no segundo andar era bem maior do que a do primeiro andar , ele se encontrava na extrema ponta esquerda . Um homem de aparência jovial , entre seus 25 a 30 anos , cabelos negros envoltos para trás em um gel , bigode pequeno em um cavanhaque e roupas semelhantes a do próprio Robert , só que mais elegantes .



Robert : - Esse era Anton , nascido em dezembro de 74 , não possuía muitos amigos na policia , era reservado , mas sempre manteve contato com sua própria família , no DP diziam que ele apenas conversava o essencial com os colegas da divisão . Ele trabalhava também com homicídios mas diferente de mim , só com casos arquivados . Vamos nesse como se encontra o escritório e a biblioteca do senhor Anton Geovanni , venha .



Robert abria uma porta de madeira vermelha , que dava lugar a um novo corredor recheados de janelas , todos com visão para o lado de fora , nenhuma delas estava quebrada ou mostrava sinais de arrombamento , pelo contrario todas em perfeito estado . Ao abrir a porta do escritório a primeira visão de Ben era de um lugar muito visitado por Anton ., Com uma lareira no canto com cinzas do dia em que foi usada pela ultima vez , um tapete aconchegante , uma poltrona confortável e uma mesa com dezenas de livros .



Robert : - Veja sr Lockheart , a mesa do escritório foi encontrada assim quando chegamos , parece que ele deixou um assunto inacabado a fazer ! Esse foi o principal vestígio de um possível seqüestro .



A mesa possuía vários livros entre eles alguns abertos em algumas paginas , muitos deles sobre casos sobre a pós vida assim como os quadros com títulos como :

“estudando a morte e todas as suas permutações” ou “Visão além da mortalha – a linha das cinzas ” havia também relatos de casos e vários prontuários de mortes Dezenas de relatos de homicídios , alguns com resolução e outros em casos arquivados , como Robert havia dito , casos arquivados eram o seu ponto forte .

Na estante ao lado mais e mais livros referente aos estados da necromancia avançada , todos com títulos e dos mais variados autores diferentes .



Robert : - Bom e então o que acha ?



Robert estava curioso para saber o veredicto de Ben , quem sabe ele mais uma vez saberia ver ali algo que tivesse passado despercebido aos olhos de Robert e de fato faria . Os livros sempre remexiam fatos da vida pós morte , para o trabalho de Anton isso poderia ser normal , mas Ben havia escutado historias de Sun , a família Geovanni era enormemente conhecida pelo culto a morte , suas pesquisas , e aquele livro “Visão alem da mortalha , possuía ensinamentos e capacidades extraordinárias de lhe dar com o outro lado ...” Ben nunca havia tido noção de que realmente haveria uma vida pós morte , mas desde de que conheceu Jack nada mais poderia passar despercebido , nem mesmo o sobrenatural .



Robert : - Sr Lockheart ??



Robert tocava o ombro do investigador trazendo-o de volta sua concentração . Ben se perdia naquela sala , tantas informações certamente coisas que até mesmo não pudesse contar para Robert .



Robert : - Vamos se seguirmos pelo corredor e descermos o próximo lance de escadas , estaremos próximo da casa dos empregados , vamos .



Assim como Robert havia falado , acontecia , para chegar a casa dos empregados , eles percorriam um longo caminho pelos corredores do andar F2 e F1 saindo pelos fundos da casa e segundo em direção a casa dos criados , uma bela casa de madeira , da qual um velho senhor côo jardineiro e um jovem garota com roupas de empregada seriam os primeiros a serem encontrado no jardim da casa da criadagem .



Jamil & Kathy: - Olá sr Navel ? No que podemos ajuda-lo ?



Robert Navel : Esse é Benjamin Lockheart , ele veio ajudar na investigação ... Provavelmente tem algumas perguntas para vcs .



Byakura



teste de força+briga diff 3 devido aos golpes anteriores (3,6,7,4,2,7,7,8,)

(7 sucessos)

teste do Gaulês para agarrar for5 + briga4 - 2 dados diff 6 (3,6,8,4,1,4,9,)

(2 sucessos)





Jogado no chão Byakura tentava arrumar um modo de se soltar , poderia sentir seus músculos sendo imprensados pelo enorme homem que tentava de todos os modos sufocar o vampiro como se pudesse consegui-lo , no Maximo que conseguia era imobilizar o gangrel , que aos poucos insinuava uma medida para conseguir sair dali , com um chute o gaulês afrouxava tornando mais fácil a chance de sair daquele agarrão finalmente o golpe na cabeça dava uma pequena margem de chance de Byakura se virar e ter a liberdade do golpe do Gaulês , o cara se levantava ainda com a dor do golpe no estomago segurava com a mão esquerda o local do golpe com certa dificuldade , a raiva era visível em seu rosto , e as apostas aumentavam para o lado do Gaulês , o gangrel não queria fazer feio perante seu aliado da máfia , pois era dele que vinham as principais fontes de renda e um sinal de fraqueza era inaceitável . O homem o observava como se o julga-se , a cada movimento , próximo a eles o membro da máfia jogava um canivete ao chão .



James : - Só pode restar um !!



Sem hesitar o Gaulês gritava , seguindo em direção a pequena faca porem ainda com a dor no estomago e nos outros lugares atingidos . Devido aos ferimentos o Gaulês estaria ainda mais lento do que antes e se tornava um alvo fácil para Byakura . o final da luta estava próximo .



Morgana



A primeira coisa que Morgana notava ao chegar ao hospital , é que o assunto “Chirstina Geovanni” era bem comentado , para adentrar no hospital a dificuldade era um pouco grande , repórteres e outros curiosos se mantinham na frente da porta e o espreme “espreme” só dificultava a passagem e o trabalho dos médicos e da segurança local , Morgana por sua vez tinha sua passagem concedida por não aparentar ser uma repórter , mas ao entrar no local encontraria um novo problema





Boa noite, estou aqui para visitar Cristina. Sou uma colega de universidade, estava fora da cidade há alguns dias, mas quando soube do ocorrido vim assim que pude não faço idéia de quem pode ter feito isso com a garota, Cristina era tão gentil, estou tão abalada - poderia por favor me dizer em que quarto ela está?


Recepcionista do Hospital : - Ela está no quarto 304 , mas eu receio que não poderá subir senhora , o estado de Christina é Critico , ela está em coma profundo , não pode receber visitas , somente familiares e apenas de 2 em dois , não podemos permitir a entrada de qualquer “um” em sua sala , a policia foi bem explicita nesse sentido . sinto muito , sei que deve está triste , mas será melhor dessa forma . Por favor vá embora olhe ! Você não é a unica !



Morgana não teria acesso assim tão fácil ao quarto de Christina devido a suspeita da policia em ainda estar investigando o caso , o estado de Christina era critico e devido a esse fato , nem todo mundo tinha acesso ao seu quarto com tanta facilidade . Muitos outros colegas de Christina poderiam ser encontrados ali , todos estavam chocados com o acontecimento mas mesmo assim não tinham acesso ao quarto 304 da senhorita Geovanni , um membro de uma das famílias cainitas mais poderosas sendo simplesmente quase morta assim . A neutralidade da família desde os tempos da criação da mascara , sempre retirou a possibilidade de qualquer coisa do gênero , Morgana conseguia perceber casos simples entre a jyhad da Camarilla e o sabá e suas mortes , mas tinha certeza de que um atentado contra os Geovannis sempre era algo bem mais importante do que isso , a família dos necromanticos aparentemente não possuem inimigos , e a tentativa de suicídio com um artefato tão doloroso poderia deixar perguntas inacabadas . Havia algo escondido nessa historia e a curiosidade de Morgana alimentava-se a cada segundo . Contudo antes que percebesse 2 outros casais rondavam Morgana para lhe perguntar algo

Jovens : - Olá ! Você é conhecida de Chirstie ? Da universidade ?

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Albert em Dom Abr 04, 2010 1:57 pm

Falas: Bosta, aquele maldito senhor falou que me ensinou a mudar de forma mas acho que não aprendi direito, mercadoria, e essa guerra de novo deve ser meu karma, maldição, velho estou pensando só loucura. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhh, lazarento fantasma, e os tontos tentam atirar em espíríto hahahahaha... sangue, sangue e mais sangue... tive uma ideia hahaah.

Atos: Já que estou no chão, tento diabolizar (fazer diablerie) um vampiro que já esteja em torpor, caso não consiga sigo para uma porta ou janela mais próxima.
avatar
Albert

Data de inscrição : 09/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Bad em Dom Abr 04, 2010 3:28 pm

Byakura Ao ver o gaules abaixar para pegar o canivete, com uma mão so e a outra sobre a barriga, aproveita a chance para lhe encaixar uma joelhada na cara, fazendo com q o gaulês fosse jogado para traz, logo apo chutando o canivete para longe do alcance do gaulês.
- Que vergonha um grandalhão desses querendo usar uma arma, que triste, desista é menos humilhante que ficar em coma.
avatar
Bad

Data de inscrição : 22/03/2010
Idade : 25
Localização : Brasilia - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Fuuma Monou em Dom Abr 04, 2010 4:37 pm

Off: beau, os bispos.. onde eles estão?
avatar
Fuuma Monou

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 28
Localização : Natal - RN

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por painkiller em Dom Abr 04, 2010 7:46 pm

Eddie fez uma pausa por um momento, um lado dele estava extremamente preocupado, pois os Giovanni eram uma poderosa família e se estavam sendo dizimados por algo poderoso, é algo realmente preocupante, imagine se essa maldiçao caísse em seu clã, fatiando e dizimando-o. Por outro lado, se os Giovanni fossem ajudados com sucesso, eles teriam uma dívida eterna com os Tremere, não queria pensar como os vermes rastejantes que seguem a Set, mas seria um bom negócio. Além de quê adentrar a sempre fechada e reclusa família Giovanni, significava que ele poderia ter algum contato com necromancia. Nesse momento seus olhos brilharam, pois ele poderia melhorar seus conhecimentos sobre ocultismo, e se aventurar pela necromancia, nem que fosse o básico do básico, mas seria bastante útil oter esse conhecimento.
Eddie dá então um sorriso cheio de confiança e diz:
- Meu caro senhor Holand, sou completamente a favor de ajudar a família Giovanni, afinal eles poderiam ser um poderoso aliado. Mais que isso, me ofereço para tomar a frente na nossa pesquisa e investigação como meu primeiro trabalho pelo nosso clã.
avatar
painkiller

Data de inscrição : 23/03/2010
Idade : 29

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Beaumont em Seg Abr 05, 2010 10:01 am

os anciões se abrigavam no castelo do Bispo Tzmisce

Os bispos restantes vivos se aplicam aos ancioes fumma ^^

_________________
/  
Agradecimento a todos os players que gostam da minha narrativa  cheers clown cheers
Melhor Cronica Oficial  = 2008/2009/2010  - A Mascara de Vênus - Herança do Mal
Prêmio Narrador-Grão-Mestre = Por tempo de Narrativa Storyteller
Prêmio Pilar de Vegas = Por Coordenação da Cidade. 
Narrando no fórum desde 2005
avatar
Beaumont

Data de inscrição : 06/03/2010
Idade : 29
Localização : Aracaju/SE

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Kairo em Ter Abr 06, 2010 9:16 am

Tarik disparava sua arma, mas nada acontecia, seu medo ficava cada vez maior.Ele tinha que sair dali, mas ele não tinha idéia de como o fazer.Olhava em volta e via as pessoas caídas no chão, e mais a frente ele via o vulto.

“tenho que sair daqui...MAS COMO?”Pensava ele.

Ele ia correndo em direção a local como ele veio para assim poder se afastar um pouco do local e ver se conseguia ser acalmar.

Kairo

Data de inscrição : 11/03/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Do Pó ao Pó das Cinzas as Cinzas (Crônica Oficial)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 7 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum