Crocodilo - Nosferatu - Autarca

Ir em baixo

Crocodilo - Nosferatu - Autarca

Mensagem por painkiller em Qui Set 13, 2012 11:01 am

1 – DADOS

Nome: Asura
Personagem: Crocodilo
Natureza: Malandro
Comportamento: Sobrevivente
Clã: Nosferatu
Geração: 13ª (Décima Terceira)
Seita: Autarca (Só é leal ao clã, sem Seita).
Conceito: Bestial Monstruoso (Caçador e Investigador como Mortal).
Refugio: Esgotos inundados próximos à área do porto. Justamente pelo nível elevado do rio, esta galeria de esgoto na área portuária passa a maior parte do ano completamente submersa, ou em épocas de baixa do rio chega a ficar com 3/4 ou mesmo 2/4 de água, mas nunca completamente seca, o que justamente atraiu “Crocodilo” para a área.

Este é o esqueleto dos túneis da galeria de esgoto próxima ao porto: http://desmond.imageshack.us/Himg19/scaled.php?server=19&filename=penta03.jpg&res=landing

Mas como a galeria sempre esta inundada sua aparência costuma ser esta: http://desmond.imageshack.us/Himg827/scaled.php?server=827&filename=penta04.jpg&res=landing

Por baixo dos esgotos também a uma serie de túneis, escavados pelo Bestial: http://desmond.imageshack.us/Himg717/scaled.php?server=717&filename=cavernav.jpg&res=landing (Obs. Os números representam passagens que ligam os esgotos a esse complexo de túneis escavados).

Saldo de Experiência: 41/45

________________________________________

2 – ATRIBUTOS (07 - 05 - 03)

Físicos (07)
- Força: (03 + 01) + 05 PB = 05 (Mandíbula Poderosa) (Reservas de Força)
- Destreza: (00 + 01) + 01 (04 XP) + 01 (08 XP) = 03
- Vigor: (04 + 01) = 05 (Resistente) (Resoluto)

Sociais (03)
- Carisma: (00 + 01) + 01 (04 XP) = 02
- Manipulação: (03 + 01) = 04 (Naturalmente Intimidador)
- Aparência: (00 + Monstruoso) = 00 (Feio mesmo para o “padrão” Nosferatu).

Mentais (05)
- Percepção: (01 + 01) = 02
- Inteligência: (01 + 01) = 02
- Raciocínio: (03 + 01) = 04 (Emboscadas)

________________________________________

3 – HABILIDADES (13 - 09 - 05)

Talentos (13)
- Prontidão: 03
- Esportes: 03
- Briga: 03
- Esquiva: 01
- Empatia: 00
- Expressão: 00
- Intimidação: 03
- Liderança: 00
- Manha: 00
- Lábia: 00

Perícias (09)
- Empatia c/ Animais: 03
- Ofícios: 00
- Condução: 00
- Etiqueta: 00
- Armas de Fogo: 00
- Armas Brancas: 00
- Performance: 00
- Segurança: 00
- Furtividade: 03
- Sobrevivência: 03

Conhecimentos (05)
- Acadêmicos: 00
- Computador: 00
- Finanças: 00
- Investigação: 02
- Direito: 00
- Lingüística: 00
- Medicina: 00
- Ocultismo: 02
- Política: 00
- Ciências: 00
- Conhecimento do Clã (Nosferatu): 01
________________________________________

4 – VANTAGENS

Antecedentes (05)

- Contato: 01 PB Jack Hunter (Personagem do Jogador: Hassam).

- Contato: 01 PB Adrien Chevalier (Personagem do Jogador: Victor II).

- Mentor: 01 (“Lucas” é um Nosferatu Ancillae “Artista”. Seja esculpindo as paredes dos túneis, “criando arte” a partir do entulho e dejetos ou mesmo elaborando “Salas de som” e “Câmaras de água”, (Referencia a Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ª ed., pág. 64 e 65. Na parte “Mas isso é arte?”). Lucas é verdadeiramente talentoso ainda que sua “arte” pouco seja vista, foi indicado em Recepção do Clã para aconselhar Crocodilo depois do “incidente” com o Brujah (Vide Prelúdio), mas desde então a relação de ambos já evoluiu e atualmente se apóiam, mantendo boas relações um com o outro e mesmo cooperando entre si. Lucas é o único “vizinho” que não evita Crocodilo e vêm sendo um importante “contato humano” para o Bestial).

- Mentor: 02 (“Lagarto” Ancião Nosferatu “Bestial” e Progenitor de “Crocodilo”. O Ancião vive na Florida e tendo em vista a distancia geográfica entre o território Dele e de sua Cria, costuma falar com Crocodilo apenas umas duas vezes a cada três ou quatro anos. Lagarto não gosta de ajudar Crocodilo, pois entende que sua Cria não deve usa-lo como bengala mais sim resolver seus problemas com sua própria força, o que mesmo o levou a mandar que Crocodilo se estabelecesse em outro Estado, impondo uma grande distancia entre os dois. Contudo, Lagarto nutre um grande apreso por Crocodilo, uma vez que este é o único entre suas Crias a desenvolver uma “Maldição” semelhante a sua própria. Lagarto é um "pai distante” mas “orgulhos” por sua Cria seguir seus passos).

- Lacaio: 01 (Crocodilo em seu Lago da Desova, uma Fêmea nomeada como “Cruela”). (Fonte: Carniçais - Vício Fatal, Pág. 103).

Crocodilo
Força: 5, Destreza: 2, Vigor: 5
Força de Vontade: 5
Níveis de Vitalidade: Ok, Ok, Ok, -1, -1, -3, -5, Incapacitado.
Ataque: Mordida com 7 dados; golpe com a cauda com 6 dados
Habilidades: Prontidão 2, Esportes 2, Briga 2, Furtividade 3
Disciplinas: Potência 1, Fortitude 1
Reserva de Sangue: 5

- Arcanum: 01


DISCIPLINAS (03)

- Animalismo: 01 + 01 (05 XP) + 01 (10 XP) = 03
- Ofuscação: 01 + 01 (05 XP) = 02
- Potência: 01 + 01 (05 XP) = 02


Virtudes (07)

- Consciência: (00 + 01) = 01
- Autocontrole: (03 + 01) = 04
- Coragem: (04 + 01) = 05

________________________________________

5 – DEMAIS INFORMAÇÕES

HUMANIDADE: 05
FORÇA DE VONTADE: (05 + 02 PB) = 07

QUALIDADES

Presas Exageradas (1 ponto) Você possui dentes enormes, presas salientes que lembram as dos elefantes ou morsas. Elas não podem ser retraídas, mas causam um dado adicional de dano e somam em um dado à sua parada de dados de Intimidação. (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ª ed., pág. 70)

Boca Exagerada (2 pontos) Você tem um talho detestável onde sua boca deveria estar. Você pode sorrir, mostrar desaprovação e, o mais importante, pode arreganhar os dentes cinco a dez centímetros além do que qualquer boca humana consiga. Um vampiro comum pode sugar até 3 Pontos de Sangue por turno, os Nosferatus com essa qualidade podem sugar até 4 Pontos de Sangue por turno, desde que consigam fechar seu orifício cheio de dentes sobre uma quantidade suficiente de pele. (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ª ed., pág. 71)

Vomito Ejetável (2 pontos) Este talento é semelhante à Qualidade Ingerir Comida, só que sendo mais versátil. A comida entra, a comida sai, só que muito, muito rápido... um vampiro com essa Qualidade pode ingerir, e possivelmente até sentir o gosto de comida e bebida. Ele não recebe nenhum beneficio nutritivo por esse material ordinariamente digestível, mas pode armazená-lo para uso posterior. Quando a necessidade surge, o Nosferatu consegue não apenas vomitar seu suprimento, mas também mirá-lo com grande precisão. Para registro, vômito ejetável no sistema de Jogos de Narrativa requer um teste de Vigor + Esportes; a Dificuldade é 8, e a vitima pode tentar se esquivar deste bolo de mantimentos mastigados. Apesar deste ataque não causar danos (a não ser no orgulho do Alvo), o tipo de comida ejetada pode obscurecer temporariamente a visão de uma vítima, fazê-la escorregar ou meramente força-la a chorar de vergonha no grande baile de um Toreador da Camarilla. Coitado do pobre Toreador banhado de vômito... (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ª ed., pág. 71)

Corpo Grande (4 pontos) Você é anormalmente grande, medindo talvez mais de dois metros de altura. Além de torná-lo extremamente notório em público, essa massa extra lhe confere um nível de vitalidade Machucado a mais. Os personagens que têm esta Qualidade também podem ganhar bônus para empurrar objetos, abrir portas bloqueadas, evitar ser derrubado etc. (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 297)

Couro Duro: Couro de Réptil (2 pontos) Uma pele grossa e enrugada envolve você. Some um dado extra à absorção de dano (exceto para fogo e luz do sol). (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ªed, pág. 71)

Gosmento (1 ponto) Como um verme ou molusco, sua pele secreta um muco gosmento. Sua dificuldade para absorver dano de fogo é reduzida em um, e os oponentes que tentarem agarrá-lo precisam conseguir dois sucessos além do normal. (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ªed, pág. 71)

Písceo (1 ponto) Você se sente anormalmente confortável debaixo d’água e prefere nadar a caminhar. Você tem um redutor de -1 na dificuldade em qualquer parada de dados física relacionada a movimento submarino. (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ªed, pág. 70)

DEFEITOS

Amnésia: Vida Mortal (1 ponto) Você é incapaz de recordar qualquer coisa sobre o seu passado, você mesmo e sua família, embora seu passado possa algum dia retornar para assombrá-lo.Suas origens e as circunstâncias responsáveis pela sua amnésia são determinadas pelos Narradores e eles deverão torná-la tão interessantes quanto possível. (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 299)

Incoerente (5 pontos) Você é incapaz de falar como um humano. Talvez sua mandíbula tenha sido destruída, ou você foi abandonado por tempo demais nos esgotos. Apontar, grunhir, ofegar, gesticular desordenadamente estão contidos no seu repertorio, mas formar palavras de fato, não está. Ainda que o jogador que estiver interpretando esse personagem possa descrever o que está fazendo, o personagem jamais pode dizer uma única palavra. A única exceção para isso é se comunicar com animais; você pode se expressar com as feras utilizando linguagem não-verbal. (Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ªed, pág. 74)

Monstruoso (para Nosferatu 1 ponto) Sua forma física foi deformada pelo Abraço e agora reflete a Besta que o consome por dentro. Os personagens que têm este Defeito parecem monstros selvagens e têm valor de Aparência igual a zero. Até os Nosferatu têm dificuldade de interagir com tais indivíduos. (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 297)

Observações:

Com relação a Amnésia: “Crocodilo” era conhecido como “Andrei Navarre” quando Humano. Andrei já é dado como desaparecido a Oito Anos (sua Idade de Abraço) e era casado, irmão (três irmãos e uma irmã) e pai (um casal de filhos), alem de um caçador e investigador competente que desapareceu enquanto investigava por conta própria um estranho caso nos Everglades, uma região pantanosa localizada no sul da Flórida (que é seu Estado Natal).

Aparência como Mortal
http://th01.deviantart.net/fs71/PRE/f/2012/155/b/8/yuri_boyka_by_katarina_venom-d529h59.jpg

Data de Nascimento: 01/05/1980 Data de Abraço: 10/05/2004

Andrei vem de uma família “rural” e humilde na Flórida, que fazia dos Everglades sua principal fonte de sustento, (tanto através da caça, quanto pelo turismo). Seu pai era um competente caçador com reputação, também especializado naquela região pantanosa. Ele ensinou seu oficio tanto a Andrei quanto a seus outros filhos (Andrei têm três Irmãos e uma Irmã), que cresceram naqueles pântanos para também se tornarem caçadores competentes, seguindo o exemplo do pai, que não podia-lhes bancar a faculdade nem um futuro muito diferente do seu próprio.

Este “futuro predeterminado” e essa “perpetuidade” nas regiões pantanosas não estavam nos planos de Andrei. O jovem queria mais. Queria sair dali. Ir a capital. Se formar. Em suma ser mais do que: “um caipira”. As brigas entre pai e filho eram constantes e Andrei estava para fugir de casa, quando em 1997, quando estava com 17 anos, seu pai foi caçar e nunca mais voltou ...

A família ruiu, as buscas mobilizaram as autoridades e pessoas da região, mas foi Andrei (que melhor conhecia a área e os hábitos do pai) que encontrou o barco vazio, abandonado a deriva. Com a retomada posse do barco vazio, as autoridades enceraram as buscas, entendendo que tinha sido um “dia da presa e não do caçador” e que depois de todos esses anos vivendo do pântano, o pântano finalmente tinha conseguido "levar a melhor". Andrei não acreditava nisso. Seu pai teria ficado disperso e desatento por sua causa? As brigas que andavam tendo teria provocado isso? Indiretamente ele tinha matado o próprio Pai? Não, não queria acreditar que seu pai, sempre tão cuidadoso e competente, sempre aquele que lhe ensinara tudo, fosse cometer um erro que o próprio Andrei não cometeria. Não, tinha de haver outra explicação, mas qual?

Andrei que estava de malas prontas não poderia se ver mais preso a família. Tanto pelo que houve com seu pai, quanto pelas poucas oportunidades que teve, Andrei continuou próximo, a dar suporte. (Sua mãe também ficou muito frágil com a perda do marido). Na verdade no fundo Andrei se culpava pela morte do pai e nunca deixou realmente de procurar o corpo do mesmo. Continuava trabalhando com os irmãos (agora de forma ainda mais pesada), mas mesmo com todas as dificuldades, também não abria mão de suas ambições e aos poucos foi voltando aos estudos (principalmente de forma autodidata, depois através de cursos noturnos e por fim mesmo conseguiu concluir uma especialização a distancia).

Vinha tentando se tornar um investigador, mesmo também para combinar seu conhecimento da área e das pessoas da região, com as técnicas que vinha aprendendo e descobrir o que realmente tinha acontecido com seu pai, (tirar aquele peso da consciência), por um ponto final naquela historia toda e enfim agora com seus irmãos maiores ir para a capital, como sempre foi sua vontade. Um mês antes de se formar como investigador, sua namorada admite estar grávida, oito meses depois já formado como investigador Andrei se vê pai de gêmeos, um belo casal de filhos.

Os anos foram passando e Andrei ficando cada vez mais preso, ser “um homem de bem” e “seguir seus sonhos” pareciam uma fusão cada vez mais incompatível. Como antes não podia deixar os irmãos, agora não podia deixar os filhos. (Andrei estava frustrado, mas enfim tomou uma decisão). Ele ajeitou tudo, viajou por vários finais de semana ate conseguir uma vaga como estagiário em uma pequena firma como investigador subsidiário. Não começaria ganhando muita coisa, mas a escala de crescimento era boa e logo conseguiria compensar sua família e dar o suporte que nunca teve a seus filhos. Ele iria primeiro e dois meses depois sua esposa deveria ir com as crianças. A viagem já estava marcada quando em 2004, (oito dias antes da viagem de Andrei) houve outro desaparecimento semelhante ao do seu pai, o que canalizou os esforços de Andrei em uma busca quase compulsiva, na esperança de obter novas pistas e enfim respostas antes que tivesse de se mudar.

Andrei investigava por conta própria o que para seu espanto achava ser um “assassino quase folclórico” da região quando também, como seu pai ... sumiu ...

Andrei já é dado como desaparecido há Oito anos...
________________________________________

6 – PRELÚDIO

A Transformação

O Bestial tido como “Crocodilo”, renasceu quando transformado na Florida (Cidade Natal) e nada sabe de sua historia como mortal (Desv. Amnésia). Todo abraço Nosferatu é único, doloroso e lento. Os outros clãs não sabem, mas é normal que a mutação leve em torno de uma semana ou mesmo mais para se completar. Crocodilo especificamente passou por um processo ainda mais tortuoso, sofrendo por um mês inteiro enquanto seu corpo se transformava no que mesmo para o padrão Nosferatu, é monstruoso (Desv. Monstruoso). É muito comum que o abraço crie monstros dementes com mentes irrefutavelmente destruídas, de alguma forma (Com Força de Vontade) Crocodilo ainda conseguiu manter a racionalidade mais foi profundamente marcado por sua transformação e marcado não só fisicamente (Falaremos da transformação física depois). A dor fora tão imensa que suplantara qualquer lembrança pré-estabelecida em sua memória, ele só consegue recordar ate a dor da transformação e de nada mais antes disso, quando tenta relembrar sua vida como humano começa a sentir “dores fantasmas” de seu período de transformação e inevitavelmente é forçado a parar de recordar (Desv. Amnésia). Mas também não é como se seus problemas findassem por ai. (Falaremos da transformação física agora), durante a mutação, sua pele foi ganhando uma cor esverdeada e inúmeros calombos. Os calombos então foram ficando maiores e mais protuberantes ate rasgarem a pele despontando de dentro para fora como uma carapaça dura em forma de escamas que continuaram a rasgar a pele ate terem substituído toda cobertura do corpo que ainda mudava. (Qual. Couro Duro) Suas proporções foram tomando dimensões maiores e mesmo mudando de forma. Seus músculos ficavam mais densos enquanto novos ligamentos nervosos iam se entrelaçando por entre carne e ossos que também mudavam, se ampliavam e cresciam, revestidos pela pele escamada que se esticava por sobre tudo (Qualidades Couro Duro e Corpo Grande). Mesmo sua coluna voltou a se duplicar, criando novas vértebras e seguimentos que por fim se ligaram formando uma cauda completamente nova, enquanto na outra extremidade sua mandíbula se estendia tomando proporções maiores. Seus dentes eram empurrados por presas enormes que despontavam por debaixo deles, todas aquelas laminas pontiagudas surgiam cortando a boca e abrindo caminho a força ate tomarem o lugar dos dentes que tinham empurrado e feito cair, enquanto a mandíbula continuava a crescer tomando proporções monstruosas e outros dentes ainda surgiam tomando os espaços recém-criados na boca que ia ficando ainda maior. (Qualidades Boca Exagerada e Presas Exageradas) Já parecia mais animal que homem e pouco tinha do que de fato uma figura humanóide deve ter quando por fim suas escamas começaram a secretar uma mucosa repugnante por toda sua extensão corpórea (Qualidade. Gosmento), dando-lhe um aspecto pegajoso e anfíbio. O Resultado Final era a personificação da Besta, uma Besta reptiliana e escamada, muito semelhante a um crocodilo gigantesco que usando a pesada cauda para balancear o também imenso corpo (Qual. Corpo Grande) conseguia tanto se deslocar como um bípede (talvez o único resquício humano em sua aparência seja justamente ainda poder se deslocar dessa forma) quanto como um quadrúpede. Embora esteja profundamente adaptado a se mover submerso (Qual. Písceo), a maior parte das galerias de seu território no Porto são inundadas.

As Primeiras Noites

A não-vida de Crocodilo é complicada, suas primeiras recordações são as dores da transformação (Desv. Amnésia) e ele é isolado ate por seus Irmãos de clã (Desv. Monstruoso). Provavelmente mesmo teria sido destruído por seu Progenitor, se esse não se identificasse com a semelhança gritante entre a monstruosidade da cria e sua própria (o Progenitor de “Crocodilo”, também é um Bestial com feições de réptil). Seu criador, o Ancião “Lagarto”, o auxiliou durante a mutação e mesmo posteriormente o instruiu adequadamente quanto à sociedade vampírica, (mas nunca revelou a “Crocodilo” seu passado como “Andrei” embora tenha conhecimento do mesmo). Lagarto posteriormente afastou a cria, exigindo que ela adquirisse seu território em outra localidade, (aparentemente com a intenção de instigar a cria a “crescer por si mesma” e desestimular que recorresse a seu auxilio ou orientação) o que obrigou Crocodilo a migrar da Florida por muitas cidades ate enfim se estabelecer em New York.

Migração

Essa migração pelos esgotos e rios, teve aspectos psicológicos interessantes. Crocodilo estava muito habituado a companhia e repreensões de Lagarto (com quem esteve pelos seus primeiros dois anos de não-vida), nunca tinha experimentado a “liberdade” propriamente dita. (Lagarto é mais “a Besta” que “o Cainita” e era forte o suficiente para impor que Crocodilo também visse o mundo assim). Porem, uma vez longe, Crocodilo pode explorar, experimentar sem se limitar por temer repressões. (Ele foi a superfície e mesmo explorou varias localidades antes de decidir se estabelecer. Por fim optando por New York). Muitos de seus Lacaios perecerem durante o percurso, o que o fez ainda mais ligado a única que conseguiu manter “Cruela” (falaremos mais dela depois). O que importa agora é transmitir que Crocodilo não é apenas um “animal”, como seu progenitor parece desejar que ele se limite a ser. Crocodilo tem ambições. Ainda que a política do Sabá e da Camarilla não lhe interessem muito (ao explorar a superfície, Crocodilo se irritou muito com a futilidade da sociedade cainita e também por uma questão de “escolha” e “sabedoria”, decidiu se focar no subterrâneo e em seu próprio clã, criando sua base de poder a partir destes). Crocodilo então decidiu se comportar como um Autarca, por entender que a invisibilidade é uma defesa poderosa enquanto se fortalece.

O Covil – A Base

O Nosferatu já habita os esgotos de New York há algum tempo (Seis Anos) e vem expandindo seu território de forma voraz (já tomou posse de todo subterrâneo da região portuária). Mesmo com sua inegável competência física e toda a bem sucedida expansão territorial, Crocodilo vêm encontrando muita dificuldade em aumentar seu prestigio entre os Nosferatu (Desv. Monstruoso). Os Dois anos de repressão sobre a tutela do Bestial Lagarto (Progenitor), combinado a falta de memórias anteriores (Desv. Amnésia) o afastaram demais de seu lado “humano” e Crocodilo sequer recorda como falar se não por meio de Animalismo (Desv. Incoerente), o que muito vem dificultando sua ascensão e fazendo com que muitos Nosferatu o vejam como uma “extensão” se seu Progenitor (o que é um terrível equivoco). Crocodilo continua tentando adquirir mais poder e mudar sua imagem perante o clã. O Bestial passa grande parte de suas noites vasculhando os túneis de seu auto-proclamado território (área portuária) e mesmo continua expandindo seu reduto, criando túneis novos por baixo da estrutura dos esgotos.

Pode-se dizer que seu empenho resultou em um complexo de túneis invejável, e seu território é prospero e extenso (embora ainda não esteja satisfeito). Seu Lago da Desova particular também requer uma atenção toda “especial” e “Cruela” esta tornando-se forte, o que muito agrada Crocodilo.

Obs. Crocodilo tem sua versão pessoal do Lago da Desova, nada tão grande como o lago comunitário na Câmara dos Horrores e com bem menos exemplares já que apenas um de seus crocodilos (Antecedente Lacaios) conseguiu resistir ao percurso tortuoso ate se estabelecerem aqui, nos esgotos de New York.

Obs. Para mais detalhes quanto ao território de Crocodilo, basta observar a parte de “Refugio” logo no começo da ficha.

O Império Subterrâneo

Embora o gosto humano seja melhor, Crocodilo não é exigente quanto ao que come e se alimenta basicamente de QUALQUER coisa que consiga encontrar. (A exceção de outro Nosferatu, claro). Ratos e outros animais pequenos dos esgotos chegam a ser engolidos inteiros e depois regurgitados (Qual. Vomito Ejetável) em um “mingau” empapado e repugnante que Crocodilo muitas vezes usa para alimentar “Cruela” (Antecedente Lacaios). Como Crocodilo é evitado por outros Ratos de Esgoto e Bichos (Por ser Monstruoso), “Cruela” (Antecedente Lacaios) costumava ser sua única companhia constante, o que frustrava muitas das ambições do Nosferatu.

Crocodilo vinha pensando em como diminuir a “distancia” (entre ele e seu clã). Quando um Neófito Brujah fez a estupidez de descer aos esgotos no território do Bestial. O Brujah estava em uma espécie de “teste de coragem”, uma “brincadeira” que acabou terrivelmente mal quando Crocodilo o enxergou como a oportunidade que precisava. Dando fim a não-vida do Brujah e se alimentando dele.

O episodio repercutiu (o que era EXATAMENTE o que Crocodilo queria), embora o Brujah em questão fosse (com o perdão da palavra) um completo “idiota”, (um neófito pouco expressivo e menos ainda “bem visto”, filiado aos Anarquistas e já com alguns inimigos notórios na Camarilla), o Clã Brujah se sentiu ofendido e exigiu retaliação, requerendo o responsável ao Príncipe. Em contra partida o Clã Nosferatu mesmo não vendo Crocodilo como um de seus membros mais estimados, também não estava disposto a entregar um companheiro que repelia um invasor (“Afinal o que aquele idiota fazia invadindo o Domínio por excelência Nosferatu”)? Lagarto também intercedeu a favor de sua cria perante o clã (Lagarto mesmo estava satisfeito com o comportamento de Crocodilo) e o Clã por fim não elucidou o ocorrido nem expôs Crocodilo como o responsável, muito menos o entregou ao Príncipe.

Obs. Os Nosferatus são os únicos que sabem a verdade (que esse Brujah chamado Jhonny, uma vez lá em baixo foi caçado e devorado por Crocodilo), os outros clãs e o Príncipe sabem apenas que Jhonny desceu aos esgotos e ... não subiu mais ... a “versão oficial” apresentada pelo Clã Nosferatu é que: Jhonny se descontrolou e atacou alguns Nosferatus que foram obrigados a conte-lo. Como o Brujah era forte e acabou cedendo ao frenesi, só teriam conseguido detê-lo com força letal. (O que tendo em vista o histórico do Brujah, sua filiação aos Anarquistas e a invasão ao Domínio dos Esgotos cedido aos Nosferatu pelo Principado, acabou não sendo questionado). A Príncipe considerou o pedido do Clã Brujah improcedente, (Temendo por em risco as boas relações do Principado com o Clã Nosferatu, uma vez que o apoio destes é importante para o equilíbrio do poder político da seita na cidade) e o incidente foi dado como encerrado por ai.

Contudo Intra-clã os Nosferatus acharam melhor manter os olhos em Crocodilo, consideraram a possibilidade dele voltar a atacar QUALQUER coisa que encontrasse e temendo novos “incidentes”, ficou decidido em Recepção, (Reunião interna do Clã) que algum Irmão, (Rato de Esgoto) deveria monitora-lo. O Nosferatu indicado a tarefa acabou sendo Lucas o “artista” (Antecedente Mentor), Crocodilo enfim estava tendo atenção (como queria) e não voltaria a ser ignorado. Claro que a “repercussão” não era tão positiva quanto gostaria que fosse, mas Crocodilo precisava ter por onde começar e esse “incidente” (Planejado) tinha-lhe rendido exatamente isso. Crocodilo agora tinha Lucas.

Desde o “Caso Jhonny”, Crocodilo conseguiu desenvolver uma boa relação com Lucas. (Não foi fácil se acertar com o “Artista”, mais ao menos ele já estava pré-disposto a interagir com o Bestial e não repelia os avanços de Crocodilo como os outros faziam).

Obs. “Lucas” é um Ancillae que foi um escultor quando humano e continua sendo um “artista” ainda agora, mesmo que o foco de seu trabalho tenha deixado de ser obras da Renascença para algo completamente chocante. Seja esculpindo as paredes dos túneis, “criando arte” a partir do entulho e dejetos ou mesmo elaborando “Salas de som” e “Câmaras de água”, (Referencia a Vampiro, a Máscara; Clanbook Nosferatu 3ªed., pág. 64 e 65. Na parte “Mas isso é arte?”) ele é criativo, talentoso e possuidor de uma “estranha sensibilidade”. Lucas começou a se relacionar com o outro Nosferatu (Crocodilo) como um conselheiro, seguindo o que foi proposto em Recepção do Clã, mas a verdade é que apesar de suas muitas diferenças obvias, com a convivência começou a enxergar Crocodilo de outra forma. O que os levou a uma relação próxima, alem da “obrigação”. Lucas vêm tentando resgatar um pouco do lado “Humano” dentro do Bestial e também compreende que um aliado fisicamente competente como Crocodilo pode ser muito útil para si, ainda que Crocodilo não faça uma propaganda muito boa de si mesmo.

Obs. Alem da Ninhada em formação (da qual falarei mais a frente), Crocodilo tem preocupações particulares como patrulhar, expandir e fortalecer seu território. Escorar a estrutura dos túneis que cavou agregando-as a seu Domínio (já da um baita trabalho) sem falar em sua delicada relação com seus “visinhos” (outros Nosferatu), que ainda o evitam embora venha tentando mudar essa situação. “Cruela” (Antecedente Lacaio) também requer bastante atenção (ela esta em “faze de crescimento”) e como recentemente tem recebido e ido visitar “Lucas” com regularidade, Crocodilo anda muito ocupado.

Obs. Psicologicamente Crocodilo é incompreendido. Ele é guiado por seu instinto animalesco e muito comportando-se como um animal, mas mantêm a inteligência, emoções e sentimentos de um humano. Ele é primitivo, mas não se limita a isso. Crocodilo é inteligente e possui uma ambição voraz.

A União de Crocodilo a Ninhada

Inicialmente Jack (Hassam) tinha interesse no território dominado pelo Bestial e não no “próprio Crocodilo”, enquanto o Bestial por sua vez, não estava (nem esta, também no presente) disposto a abrir mão da área. Ainda assim, essa “Ninhada” era uma oportunidade perfeita (e enxergando isso) o Bestial acabou por estender aos Membros da Ninhada sua “hospitalidade”. Essa “Ninhada” pode vir a se tornar seu maior acerto, Crocodilo pretende garantir que seja assim.

________________________________________

7 – BANCO DE DADOS

Saldo de XP: 41/45

Ganho de XP
21 - http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/t2582-xp-resquicios-da-lembranca-de-um-desejo-de-vinganca
24 - http://vampiros-a-mascara.forum-livre.com/t2741-xp-o-toque-de-uma-alma-atormentada
avatar
painkiller

Data de inscrição : 23/03/2010
Idade : 29

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum