John Pope - Malkaviano - Camarilla

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

John Pope - Malkaviano - Camarilla

Mensagem por Zachary em Qui Set 06, 2012 3:53 pm

1. Dados

Nome: Albert
Personagem: John Pope
Clã: Malkaviano (Megalomania)
Natureza: Malandro
Comportamento: -
Geração: 12ª
Refúgio: Apartamento de luxo no suburbio
Conceito: Gangster



2. Atributos

Físicos (3)
- Força: 1+1XP=2
- Destreza: 1+3=4 (Velocidade)
- Vigor: 1+1XP=2

Sociais (7)
- Carisma: 1+3=4 (Eloquente)
- Manipulação: 1+4=5 (Convincente, "Meu Deus, como eu sou malandro")
- Aparência: 1+1XP=2

Mentais (5)
- Percepção: 1+2=3
- Inteligência: 1+2=3
- Raciocínio: 1+1+1XP=3



3. Habilidades

Talentos (13)
- Prontidão: 1+1XP=2
- Esportes: 1
- Briga: 1
- Esquiva: 1
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 3
- Liderança: 2
- Manha: 3
- Lábia:1+2XP=3

Perícias (9)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 1+1XP=2
- Etiqueta: 1
- Armas de Fogo: 3+1PB=4 (Escopetas)
- Armas Brancas: 1
- Performance:
- Segurança: 1+1XP=2
- Furtividade: 1+1XP=2
- Sobrevivência: 1+1XP=2

Conhecimentos (5)
- Acadêmicos:
- Computador: 1+1XP=2
- Finanças: 1
- Investigação:
- Direito: 0+1PB=1
- Linguística: 1+2XP=3 (Inglês nativo; Espanhol, Francês, Italiano e Russo)
- Medicina:
- Ocultismo: 1+1XP=2
- Política: 1
- Ciências:





4. Vantagens

Antecedentes (5)
- Aliados: 1 (Mike, um agente da ATF)
- Contatos: 1 (Lefty, um morador de rua que sabe das coisas)
- Força Militar: 2
- Geração: 1
- Influência: 2 (Ruas)
- Lacaios: 1 (Maggie, ficha abaixo)
- Recursos: 4

Spoiler:
Mike é um conhecido dos tempos que fiquei em cana. Ele tinha vacila na policia e acabou virando carcereiro por um tempo. Ele é do tipo maleavel, uma graninha ali, um favor aqui. Depois que eu sai ele deu um jeito de conseguir seu respeito de volta e acabou entrando para a ATF.

Lefty eu conheci devido o seu barraco ficar perto do lugar onde a gangue se reune, ele está sempre atento as coisas que acontecem na região, e por um prato de comida e 5 minutos no chuveiro ele desembuxa tudo.



Disciplinas (3)
- Auspícios: 2
- Demência: 1+1XP=2
- Ofuscação: -
- Presença: 0+1XP=1


Virtudes (7)
- Consciência: 1+1=2
- Autocontrole: 1+2=3
- Coragem: 1+4=5



5. Demais Informações

Humanidade: 5

Força de Vontade: 5+3PB=8


Qualidades
- Líder Nato (1)
- Memória Eidética (2)
- Disciplina Adicional (5) [Presença]


Defeitos
- Exclusão de Presa (1) [Menores Abandonados]
- Segredo Sombrio (1) [Diablerie em meu Senhor]
- Antecedentes Criminais (2)
- Infeccioso (3)


Observações:

Equipamentos:
- Remington 870: (Calibre 12, Dano 8, CdT 1, Pente 8, Ocultabilidade S, Alcance 20)
- Magnum Desert Eagle: (Calivre .50AE, Dano 7, CdT 1, Pente 7, Ocultabilidade J, Alcance 30)
- Roupa Reforçada: (Nivel de Armadura 1)
- Dodge Challenger SRT8

Ficha Lacaio:
Spoiler:
1. Dados

Personagem: Margaret Sanger - "Maggie"
Natureza: Malandro
Comportamento: -
Refúgio: Apartamento de luxo no suburbio
Conceito: Gangster



2. Atributos

Físicos (3)
- Força: 1
- Destreza: 1+2=3
- Vigor: 1+1=2

Sociais (6)
- Carisma: 1+1=2
- Manipulação: 1+2=3
- Aparência: 1+3=4

Mentais (4)
- Percepção: 1+1=2
- Inteligência: 1+2=3
- Raciocínio: 1+1=2



3. Habilidades

Talentos (11)
- Prontidão: 2
- Esportes: 1
- Briga: 2
- Esquiva: 2
- Intimidação: 2
- Manha: 2

Perícias (7)
- Condução: 2
- Armas de Fogo: 2
- Segurança: 1
- Furtividade: 1
- Sobrevivência: 1

Conhecimentos (4)
- Computador: 1
- Medicina: 3



4. Vantagens

Antecedentes (5)
- Contatos: 3 (John, um policial que passa informações; Jesus, fornecedor de armas e drogas; Marco, um ambulante bem informado)
- Recursos: 2


Disciplinas (2)
- Potência: 1
- Auspícios: 1


Virtudes (7)
- Consciência: 1+2=3
- Autocontrole: 1+2=3
- Coragem: 1+3=4



5. Demais Informações

Humanidade: 6

Força de Vontade: 4


Qualidades
- Vigoroso (5)
- Noção Exata do Tempo (1)


Defeitos
- Sangue Potente (3)
- Viciado em Vitae Vampírica (3)


Observações:

Equipamentos:
- Glock 17: (Calibre 9mm, Dano 4, CdT 4, Pente 17, Ocultabilidade J, Alcance 20)

Aparência:




6. Prelúdio

Maggie foi uma das boas surpresas que vieram após a fusão com a gangue do Tom, ela era um dos membros de confiança dele, e com o tempo ganhei a confiança dela e ela a minha. Após a morte de Tom ela virou meu braço direito na organização, a ponto de eu ter contado a ela sobre os vampiros e obviamente a transformei em minha lacaia. O sangue dela é único, algo que nunca tinha provado antes, tento manter em sigilo, afinal isso pode trazer problemas pra ela e pra mim.

Não sei muito sobre seu passado, apenas que ela venceu um câncer cerebral, e após isso não necessita de muito sono para sobreviver. Ela tem uma habilidade incrível de saber exatamente que horas são no momento, deve ter aprimorado isso quando estava doente, afinal tinha que tomar diversos remédios durante todo o dia em horários bem específicos. Sei que ela entrou pra faculdade de medicina, mas depois de um tempo se envolveu com as pessoas “erradas”, e abandonou tudo, o que ela aprendeu por la nos ajuda bastante quando alguém toma um tiro, facada, entre outras coisas.




6. Prelúdio

Pode parecer clichê, mas fazer o que se tem muitas e muitas crianças abandonadas logo cedo no mundo, sendo obrigadas a crescerem em orfanatos? Chamávamos ela de vovozinha, mas ela era nossa mãe adotiva. Era bruta como um marinheiro, só de olhar para velha dava pra sentir suas palmadas. Mas ela nos deu comida, banho, colocou um teto sobre nossas cabeças. E fazia um barraco se alguém olhasse torto para qualquer um de nós. Desde cedo fui dando meu jeitinho pra burlar as regras da casa. Fui crescendo e minha vida foi ficando mais interessante com as liberdades proporcionadas de acordo com a idade. Ir deitar, e ao perceber que a velha tinha ido dormir, escapava pela janela pra ir aos bailes e festas na cidade grande.

Liberdade. É o sentimento, estado de espirito, condição, seja lá o que for, é uma das coisas que o ser humano mais procura em sua vida. E eu desde cedo fui atrás disso, seja na infância, seja na adolescência, eu nunca abri mão da minha liberdade por menor que fosse. Talvez isso tenha influenciado no que sou hoje, talvez não. Quando fiz 15 anos juntei meus trapos e cai no mundo e fui viver a vida, já estava cansado de esperar alguém me adotar, estava claro que isso não ia acontecer, eu tinha planos pra minha vida, por mais insignificante que fosse eu era ambicioso, não iria ficar enfiado naquele orfanato de merda até ser chutado de lá, não, eu sai por cima.

Logo me envolvi com as pessoas erradas, isso na visão de quem está do lado de fora, pra mim eles foram, e sempre serão as pessoas certas na minha vida. Me acolheram e logo me deram uma função. No começo era coisa pequena é claro, não confiavam em mim totalmente. Mas com o tempo fui subindo na hierarquia do grupo, ou da gangue como alguns nos denominam. O grupo em si foi crescendo também, de simples contrabandos de maconha, passamos a contrabandear cocaína e outras drogas mais pesadas. Mas como em todo lugar, sempre tem alguém querendo te derrubar, sendo de fora, ou o pior de todos, de dentro da organização em que você encontra. Fui enviado para uma cilada com bons 5 quilos de cocaína, sozinho, não deu outra, fui pego. Milagrosamente consegui me livrar de alguns quilos, o que aliviou um pouco minha pena.

Sim, fui para o xilindró! Assim como fora, lá dentro eu rapidamente fui subindo de status, no começo não deixei ninguém tirar vantagem do cara novo. Tomei belas surras, mas seja lá quem veio me dá-las saiu no mesmo nível, se não pior do que eu. E isso querendo ou não lhe concede algum respeito lá dentro, principalmente quando não um, mas sim dois detentos vêm te dar uma surra, e você por algum motivo consegue bater nos dois antes de cair desmaiado no chão. Após o período de adaptação foi tudo tranquilo, sai mais cedo por boa conduta e logo estava nas ruas novamente.

A gangue havia se dispersado, o mesmo rato que me mandou pra cilada era um policial infiltrado, e acabou que ele fudeu com grande parte da rapaziada. Consegui reunir a maioria dos que haviam escapado da cilada e logo estávamos de volta à ativa. Sem dificuldade consegui lidera-los. Eu havia nascido para liderar, isso estava claro em minha mente naquele momento. Finalmente tinha chegado ao topo de algo, porém a gangue não era mais como antigamente, então com muito esforço começamos a nos erguer novamente, porém desta vez muito mais atenciosos com os novos membros. Conseguimos respeito nas ruas novamente, e logo já nos tornamos uma das gangues mais influentes do local.

Agora vamos falar sobre o maior presente que recebi em minha vida, a imortalidade! Conforme fomos crescendo, mais atenção fomos conseguindo. O aparentemente líder de outra gangue veio até mim, sem mais nem menos, ele simplesmente apareceu na minha frente dizendo que gostaria de conversar. Não tinha muito o que fazer a não ser ouvi-lo. Aparentemente ele queria juntar forças, ele contrabandeava armas, nós drogas, e juntos poderíamos nos tornar gigantes no “ramo”. Segundo ele não tínhamos nada a perder, e se fosse completada a fusão, eu ainda seria gratificado com uma coisa única, que eu jamais poderia imaginar. Tentador não? Porém muito suspeito também. Falei com o pessoal do grupo e muitos deles, assim como eu, tiveram suas suspeitas, mas todos já tínhamos ouvido falar deles, querendo ou não eles eram os caras quando se tratavam de armas. Fizemos uma votação simples, e ficou decidido que aceitaríamos a proposta, estávamos pronto para passar de nível.

A fusão foi um sucesso, agora estávamos cada vez mais poderosos, eu liderava ambas as gangues lado a lado com Tom, o líder da outra gangue. E falando nele, alguns dias depois de nos juntarmos ele me chamou para a tal gratificação, eu mal imaginava o que poderia ser, dinheiro talvez? Alguma coisa de valor... Mas não, fomos para uma sala e logo apresentou suas presas. Eu não sabia o que pensar se não que ele era um vampiro? Mas que diabos, na minha mente essas coisas só existiam em filmes. Ele me atacou cravando suas presas em meu pescoço, a única coisa que passava pela minha cabeça é que a fusão nada mais era do que um golpe, e que eu morreria inutilmente naquela sala, após tanto esforço. Minha visão foi escurecendo e eu logo desmaiei.

Inesperadamente eu acordei naquela mesma sala, faminto e não sabendo o que pensar. Tom ainda estava na sala e logo começou a explicar do que se tratava tudo aquilo. Agora eu era um vampiro, junto de Tom e de milhares mais. Divididos em basicamente três seitas, na qual nós pertencíamos a mais tradicional delas. Era muita informação, mas com o tempo fui entendendo como iria funcionar minha vida a partir daquele momento. Naquele momento eu tinha mais um topo para almejar, subir na seita, ser reconhecido pelos meus irmãos de clã, apesar de não ligarem muito pra isso, pra mim era importante ser reconhecido, ter poder e riquezas, mais do que nunca.

A parte de me alimentar é um episódio a parte, Tom me disse que alguns bloqueios podem acontecer na transformação, traumas da vida humana e coisas do tipo podem afetar o vampiro. Não consigo de maneira alguma me alimentar de menores abandonados, possivelmente por ter crescido em um orfanato. A loucura do meu clã contamina todos aqueles de que me alimento, perturbando-os por alguns dias.

Tom não era tão ambicioso como eu, e isso me incomodava em certa parte. Esse sentimento foi crescendo com o tempo, porém eu não teria chances de derrubá-lo, eu teria que esperar por um milagre, alguém teria que acabar com ele, até pelo fato de ser meu senhor, dificilmente eu conseguiria levantar a mão contra ele. Após um confronto contra o Sabá, ele retornou para o refúgio carregado por alguns capangas da gangue que o encontraram. Ele estava completamente acabado, mal conseguia falar, eu tentei de todas as maneiras fazer ele se recuperar, mas quando vi que não teria sucesso, aquele sentimento acumulado dentro de mim veio à tona, não pensei duas vezes quando finquei minhas presas em seu pescoço e cometi a diablerie nele. Ninguém me questionou quando disse que ele não sobreviveu aos ferimentos, e desde então venho carregando esse segredo comigo.

A gangue está crescendo cada vez mais, o fato de ser vampiro, facilita muito em diversas coisas. Também ajudo algumas vezes a seita, fornecendo armas e até mesmo drogas, não sei exatamente qual o fim disso, mas é sempre bom ajudar a Torre de Marfim quando necessário. É uma porta para ser reconhecido, conseguir influencia e contatos em lugares estratégicos para nos ajudar na gangue, e também status na seita, algo que necessito, sempre fui ambicioso, sempre quis poder e dinheiro, mas depois da minha transformação, essa vontade cresceu de uma maneira absurda, um dos preços da imortalidade.



7. Banco de Dados

Experiência (61/61)
GASTOS:
- Demência: 1 -> 2 = 5
- Presença: 0 -> 1 = 10
- Força: 1 -> 2 = 4
- Vigor: 1 -> 2 = 4
- Aparência: 1 -> 2 = 4
- Raciocínio: 2 -> 3 = 8
- Prontidão: 1 -> 2 = 2
- Lábia: 1 -> 2 = 2
- Lábia: 2 -> 3 = 4
- Condução: 1 -> 2 = 2
- Segurança: 1 -> 2 = 2
- Furtividade: 1 -> 2 = 2
- Sobrevivência: 1 -> 2 = 2
- Computador: 1 -> 2 = 2
- Linguística: 1 -> 2 = 2
- Linguística: 2 -> 3 = 4
- Ocultismo: 1 -> 2 = 2


Saldo de XP: 0

Ganho de XP
avatar
Zachary
Brujah
Brujah

Data de inscrição : 08/05/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum