Robert "Rob" - Ravnos - Independente

Ir em baixo

Robert "Rob" - Ravnos - Independente

Mensagem por Arcebispo Altobello em Seg Abr 25, 2011 5:00 pm

Nome: Dave
Personagem: Robert “Rob”
Clã: Ravnos (Defeito: Qualquer tipo de Furto)
Natureza: Esperto / Capitalista
Comportamento: Gozador
Geração: 13
Linhagem: Phuri Dae
Refugio: Apartamento no Bronx
Conceito: Ladrão


Experiência: 15 [Troca de personagem]


ATRIBUTOS (7 - 5 - 3)

Físicos (3)
- Força: 1
- Destreza: 3
- Vigor: 2

Sociais (7)
- Carisma: 2
- Manipulação: 5 (Cara, como eu sou malandro / Convincente)
- Aparência: 3

Mentais (5)
- Percepção: 3
- Inteligência: 2
- Raciocínio: 3


HABILIDADES (13 - 9 - 5)

Talentos (13)
- Prontidão: 1
- Esportes:
- Briga:
- Esquiva: 2
- Empatia: 1
- Expressão: 1
- Intimidação: 2
- Liderança:
- Manha: 4 (2pb) [Bater Carteiras]
- Lábia: 4 (2pb) [Mentiras Impecáveis]

Perícias (9)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 1
- Etiqueta:
- Armas de Fogo: 3
- Armas Brancas:
- Performance:
- Segurança: 4 (2pb) [Arrombamentos]
- Furtividade: 1
- Sobrevivência:

Conhecimentos (5)
- Acadêmicos:
- Computador:
- Finanças: 1
- Investigação: 2
- Direito:
- Lingüística: 1 (Português // Inglês)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências:


VANTAGENS

Antecedentes (5)
- Contatos: 2
- Recursos: 3
- Mentor: 1 (1pb)
---------------


DISCIPLINAS(3)
- Quimerismo: 4 (7pb)
-------------



Virtudes (7)
- Convicção: 1

- Autocontrole: 3

- Coragem: 5


TRILHA DO PARADOXO: 4

FORÇA DE VONTADE: 7 (2pb)


QUALIDADES
Fisionomia Amigável (1 ponto de Qualidade)
Natureza Dupla (2 pontos de Qualidade)
Diablerie Oculta: (3 pontos de Qualidade)


DEFEITOS
Amnésia (1 pontos de Defeito)
Protegido Mortal: (3 pontos de Defeito)
Fobia (Grave): Claustrofobia (3 pontos de Defeito)

Obs:
Arma -
Nome Calibre Dano CdT Pente Ocultabilidade Alcance
Glock 18* 9mm 4 19 17/19 J 20

-Prelúdio-

O Inicio.
Roberto Corrêa, Nascido nas favelas da Cidade Maravilhosa. Um verão quente para marcar a chegada de mais um bastardo ao mundo. O mais novo de uma ‘família’ de 8 irmãos. Roberto mal tinha contato com sua mãe, uma drogada bêbada que só queria saber de encher a cara e ficar em baile funk, se engraçando com o primeiro homem que visse. Seu pai? Nem ao menos sabia o nome do infeliz, a única pessoa com que se preocupava de verdade, e que fazia o mesmo por ele, era sua irmã mais velha, Daniela.

A primeira tragédia.
Com 10 anos Roberto era uma criança ‘normal’, correr pelas ruas e becos da favela era seu passatempo preferido. Daniela com seus 18 anos se preocupava com as brincadeira do irmão, e ela a considerava sua mãe de verdade. Uma tarde enquanto brincava no alto do morro acabou caindo em uma “vala” usada para esconder os mortos do trafico, ficou ali, preso, por quase um dia inteiro, gritando desesperado por ajuda e ninguém o ouvia. Desenvolveu com isso uma claustrofobia e o que os médicos chamam de “Transtorno dissociativo de identidade” como se fosse um escudo próprio.

A Viagem.
Não agüentando mais aquela atmosfera horrível em que vivia Roberto planejou tudo aos 15 anos, trabalhava como Office boy no período da manha e tarde, e de garçom num restaurante de luxo na Barra durante a noite. Entre um intervalo e outro ele estudava inglês para pode ir até a América. Quando conseguiu o dinheiro necessário ele se mudou por conta própria para o México, mas já com um contato, Juan, um dos homens que ajudavam a fazer a travessia até os Estados Unidos, um ultimo favor de seu primo. Antes da travessia Roberto jurou a si mesmo e a Daniela “Eu volto para te pegar.”

A Segunda e Terceira tragédia.
A travessia tinha sido feita, tranqüila, sem mais problemas, Roberto agora morava em Dallas, Texas. Trabalhava e pretendia estudar Economia, seu maior erro, não sabia que examinariam seus documentos e acabou preso, seria deportado em 1 mês. Seriam 30 dias decisivos, mas a sorte o acompanhava, ou o Diabo já o vigiara de perto, e na cadeia ele acabou conhecendo John, um lunático, com certeza faltavam muitos parafusos naquela cabeça, mas ele tinha um plano perfeito e infalível de fuga daquele inferno, e seria posto em ação em 15 dias. Roberto ficou os 15 dias pensando no juramento que tinha feito a sua irmã, achava que agora seria impossível não a ajudar, e comentou isso com John. Finalmente o dia chegou, a fuga da prisão em si foi feita, o alarme só veio a disparar quando todos estavam longe, mas Roberto acabou escorregando de cima de um muro e acabou caindo de uma altura de mais de 8 metros, bateu a cabeça e ficou inconsciente.

O Recomeço.
Roberto acordou em um leito de hospital, pela janela ele via uma cidade grande e nos lençóis um nome “Hospital Publico de NY”, não se lembrava quem era, de onde veio, e como chegou até ali, a enfermeira o disse que eles estava em coma a mais de um ano. O entregou um envelope com um punhado de papeis e documentos: duas identidades americanas, Robert e Daniele, uma escritura de apartamento no Bronx, mil dólares, o extrato de uma passagem Rio - Nova York, e um bilhete [“Não se esqueça de sua irmã, aproveite os presentes, e viste Aya, John”] Num relâmpago em sua memória ele se lembrou da irmã e mais nada, seu verdadeiro nome só ela sabe. Para sua surpresa, ela estava ali, no corredor, ansiosa para o ver.

O Abraço.
2 meses se passaram desde que Robert saiu do coma. Sua irmã não perdia a mania de sempre cuidar dele. Ainda intrigado com quem era aquele tal John, Robert disse o que o bilhete pedia, e foi ver Aya no endereço indicado. Bateu a porta e esperou ... “Caramba, até que fim, te esperei por quase 1 ano!!” Aya era uma mulher de atitude, mas sabia ser doce quando queria. “Se o John te mandou até mim é porque você merece, e eu confio nele.”. Mas afinal de contas, quem era esse John? Que escolha? Aya não respondeu nenhuma dessas perguntas mas começou a conversar sobre Vampiros, imortalidade, um assunto totalmente sem pé nem cabeça. Robert já estava dando as costas a mulher quando seus olhos pararam de acreditar no que viam. O pequeno copo de vidro em sua mão girou, se contorceu e se transformou em uma faca, com um só golpe de Aya e a faca em sua mão fez a mesa rachar ao meio, um piscar rápido dos olhos de Robert e tudo já voltava ao normal, o copo estava na mão de Aya e ela parada rindo da cara de assustado dele.

Robert aceitou a oferta de Aya e se tornou um Ravnos. Passaram-se alguns meses na casa de Aya até que aprendesse mais sobre sua condição e as “leis” do seu novo mundo. Robert não sabe explicar o porque, mas ele sente necessidade de cometer alguns furtos, desde bater carteiras na rua até arrombamento de casas e apartamentos. Quando estava se acostumando com seu “novo mundo” Aya começou a ensinar a ele o Paradoxo, demorou quase 10 anos para que ele tivesse uma compreensão total, e agora sim, ele não era mais ligado fisicamente com Daniela, já que sua juventude podia a perturbar.

Desde então Robert busca encontrar seu svadharma. Enquanto não o encontra, auxilia alguns a acharem os seus. Mas é claro, da sua forma. Seu único foco no momento é aperfeiçoar suas habilidades e seu conhecimento sobre maya, mas dentro de si ele continua querendo saber a verdade... Quem é John que já salvou sua vida duas outras vezes?

_________________
"Subirei aos céus, erguerei meu trono acima das estrelas de Deus
E lá, mais alto que as nuvens, serei como o Altíssimo." 
avatar
Arcebispo Altobello
Administrador
Administrador

Data de inscrição : 08/03/2010
Idade : 23
Localização : Brasília - DF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum