Marcus Young Putanesca - Giovanni - Independente

Ir em baixo

Marcus Young Putanesca - Giovanni - Independente

Mensagem por Dave em Sex Mar 11, 2011 7:18 pm

Nome: Rafael Carvalho
Personagem: Marcus “Young” Putanesca
Clã: Giovanni
Família Putanesca
Natureza: Sobrevivente
Comportamento: Arquiteto
Geração: 10a
Refugio: Academia de Vale Tudo
Conceito: ex - Mafioso


Experiência:


ATRIBUTOS (7 - 5 - 3)

Físicos
- Força: 2
- Destreza: 4(reflexo Felino)
- Vigor: 4 (resistência)

Sociais
- Carisma: 1
- Manipulação: 3
- Aparência: 4 (Dignidade)

Mentais ( primário)
- Percepção: 1
- Inteligência: 4 (Resolver Problemas)
- Raciocínio: 1


HABILIDADES (13 - 9 - 5)

Talentos (Primário)
- Prontidão: 1
- Esportes: 1
- Briga:3
- Esquiva: 3
- Empatia:
- Expressão:
- Intimidação: 2
- Liderança:
- Manha:
- Lábia: 3

Perícias (Secundário)
- Empatia c/ Animais:
- Ofícios:
- Condução: 1
- Etiqueta: 1
- Armas de Fogo: 2
- Armas Brancas: 3
- Performance:
- Segurança: 1
- Furtividade: 1
- Sobrevivência:

Conhecimentos (Terciário)
- Acadêmicos:
- Computador: 1
- Finanças: 1
- Investigação: 1
- Direito:
- Lingüística: 1 (italiano)
- Medicina:
- Ocultismo: 1
- Política:
- Ciências:



VANTAGENS

Antecedentes (5)

Recursos 2
Geração 3

DISCIPLINAS(3) + 1 + 1 (7pontos de Bônus)
(obs: 1 ponto extra em potência devido a qualidade beijo por procuração)
-------------
Potência 4
Fortitude 1
Rapidez 1

Virtudes (7)

- Consciência: 1+1 = 2

- Autocontrole: 1 +2 = 3

- Coragem: 1+4 = 5


Humanidade: 5

FORÇA DE VONTADE: 5 + 4 ( 4 ponto de bônus) = 9
QUALIDADES
Beijo de Procuração (8 pontos de Qualidade)
Madrugador (1ponto de Qualidade)
Ambidestria (1 ponto Qualidade)

DEFEITOS
Cogênito (1 ponto de Defeito)(emocional- sente prazer quando causa dor)
Cabeça Quente (2 pontos de Defeito)
Excesso de Confiança (1 ponto de Defeito)
Segredo Sombrio (1 ponto de Defeito) (ter auxiliado Francis Milliner na realização de uma diablerie)
Intolerância (1 ponto de Defeito) Homens demonstrando fraqueza emocional

Banco de Dados
Marcus Carrega consigo
duas pistola colt m1911 c/c silenciador e alguns carregadores
dois Gládio Romano
uma granada de fosforo branco
veste camisas brancas com abotuaduras, calça social azul, preta ou marrom, sapatos de couro italiano, colete e um sobretudo social masculino por cima.

Prelúdio
parte 1
Quando era criança aprendi três das principais lições de minha vida:

A primeira lição: ocorreu quando eu fui para casa, chorando, devido a uma briga na rua, contei para o meu pai e para minha surpresa recebi uma bofetada na cara. Meu pai me falou: -mulheres agem assim.

A questão aí não era ganhar ou perder, mas sim demonstrar fraqueza chorando e levando seus problemas para casa. Depois deste dia eu nunca mais me permitir agi daquele jeito ou admiti que os homens ligados a mim agissem como fracos.

A segunda Lição: Voltei lá peguei uma pedra e dei na cabeça do outro menino e essa sensação de causar dor em outra pessoa me preencheu por dentro. Desta forma, a ideia de prazer se ligou a ideia de causar dor, mas não sou nenhum loco só sinto prazer em causar dor é um destúrbio comportamental, eu li num livro.

A terceira lição: vagabundo, preguiçoso e rico acordam tarde e eu não era nenhum dos três. Logo, deveria correr atrás.


Como mortal nasci em 1970, meu pai é primo de minha mãe, no passado isso era comum, cresci no Queens bairro de Nova York. Em meus primeiros dias, realizava furtos a casas em Coney Island, Brooklyn.

Entrei para máfia quando meu primo e também parceiro de futebol Americano se tornou chefe mortal da família Putanesca Vittorio "Vic" Putanesca, em Queens, isso ocorreu em 1989.

Fiquei pouco tempo trabalhando na máfia de NY, pois as coisas ficaram difícieis, no começo dos anos 90, e vários chefes foram presos.

A substituição de “Vic” foi requerida pelos Anzianis, que não compreendiam o momento de turbulência que estava ocorrendo nos Estados Unidos e preferiram culpá-lo.

"Vic" terminou com uma bala na cabeça e o mesmo destino tiveram as pessoas próximas, mas aqueles que não tinham grande influência foram remanejados, foi assim, que eu, acabei sendo "remanejado" para Boston.

Passei em 1992 a trabalhar para Don Francis Millener. Eu era um faz tudo, realizava as funções de motorista, segurança e matador.

A batalha das sobras
Quando o cerco a máfia ocorreu no final de decada de 80 e começo da de 90 as famílias de mafiosos começaram a lutar entre eles em busca de tentarem manter sua própria subsistência.

Isso refletiu nas famílias Putanesca, della Passaglia e Milliners, seus membros se juntavam ou se matavam variando de cidade para cidade e de membro para membro, foi quando Boston, Chicago, NY e Las Vegas se tornavam um inferno.

Não era uma guerra entre famílias, mas sim entre Dons.
No fundo isso não é ruim guerras são boas, pois dá a chance de resolver pendências pessoais.

Ajudei um della Passiaglia com uma pendência pessoal e ganhei de presente uma granada de Fosforo Branco.

Foi necessário uma intervenção da Família Giovanni sobre as "Famílias Clientes" para que não houvesse um raxa no Clã.

Os giovanni vieram me interrogar sobre os 'vencedores' e 'perdedores' da guerra das sobras, em Boston.

Olhei para a cara dele e disse: "- Que em Boston As famílias ganhadores e perdedores não existem, porque os perdedores não existem. Nós matamos a todos e o Don Milliners foi o vitorioso." Não preciso dizer que uma pá de cal foi jogada no assunto.

O lado bom é que diminuiram o número de membros que se intitulavam "Don" foi feita uma seleção natural.

A guerra serviu para que eu tivesse contato com alguns Anziani e me senti estimulado para mandar fazer dois gladios romanos para entra naquele "clima" dos antigos.

Os caras se acham Senadores Romanos. Creio que isso de um estilo ao nosso trabalho.

Vim a descobrir sobre vampiros, fantasmas e criaturas da noite quando fui trabalhar para Don Francis.

Antes disto, eu era inoscente como os demais e imaginava que a família Giovanni era a família principal e as demais famílias eram associadas, sendo todos mafiosos, mas cada um administrando um ramo dos negócios.

Em 1995, para minha surpresa me foi dado o beijo por procuração fazendo de mim um dos possíveis membros da Família Putanesca a terem a oportunidade de se tornar membro do Clã.

Você acha isso algo bom? Na verdade isto fazia parte de um plano de Milliners, pois os membros da família dele estavam sendo preteridos ao abraço e uma possível negociação de troca de abraços com os Putanesca poderia ser realizada futuramente.

Don Millener não dá nada de graça, não ajuda ninguém, é rancoroso e mandava matar a todos que ousassem interferir em seus planos. Posso te garantir muito sangue foi derramado.

Poucos eram os que conseguiam trabalhar por muito tempo com Francis Millener, mas eu não tinha opção já tinha sido poupado, uma vez, dificilmente teria uma segunda oportunidade.

Fazia meu serviço sem questionar e se pessoas tinham que morrer para a satisfação do Don o azar era delas e não minha. Não era nada pessoal eram apenas negócios.

Francis colocou-me a alcunha de Marcus Young, por dizer que eu agia como um garoto.

Isso se deve ao fato de que eu sempre tive um temperamento explosivo e sempre acreditei no meu potêncial.

Como falei tive que realizar algumas execuções e pelo menos dois dos crânios, que Francis guarda de inimigos “tombados” eu que consegui.

Conviver com o Don Francis não foi de todo ruim aprendi a me vestir melhor e ter uma postura mais digna não parecendo tanto com um bandidinho de rua e mais com um homem abastado, sério e sóbrio. Como é o don.

O Caso da Anziani Genevra Giovanni

A maledeta Anziani Genevra Giovanni estava amigada do Sabá, mas não se pode simplesmente sair por aí acusando uma Anziani e tivemos que juntar provas de sua traição.

O que ninguém sabe é que Don Francis Milliners diablerizou a maledeta. Eu sei, pois estava lá e fingi que o fato foi apagado de minha mente, sendo que este Segredo Sombrio levarei para o tumulo.

Em Janeiro de 2001 depois de dez anos de serviços prestados ao Don, foi me dado o abraço até como uma demonstração que os Milliners sabiam valorizar os que lhe serviam.

Francis Milliners, o Capo da família Milliners, negociou finalmente a troca de “favores” com Julliete Putanesca, que em troca abraçou um membro dos Milleners.

Marcus Young Putanesca, membro do Clã Giovanni, sou um típico membro da família Putanesca, não guardo qualquer interesse no desenvolvimento da necromancia, preferindo desenvolver disciplinas físicas.

Meu envolvimento com o Milliners me fez cansar de ficar sendo bucha de canhão e optei por montar uma academia de vale tudo, que é um negócio legalizado e voltei para o Queen em NY.

Coisa importante é o Dízimo, pois todo ano na noite anterior a festa do Santo Padroeiro da família Giovanni deposito pelo menos mil dolares na conta da família.
avatar
Dave

Data de inscrição : 09/05/2010
Idade : 22
Localização : So far away

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum